Publicado por: Djalma Santos | 7 de novembro de 2010

Testes de sistema digestivo (3/3)

01. (UFRJ) As reações bioquímicas a seguir, referem-se à digestão das gorduras.

01

Pode-se concluir que:

a) as gorduras são transformadas em moléculas menores com capacidade de atravessar a membrana das células intestinais.

b) a gordura emulsificada é absorvida pelas células do intestino delgado, onde é transformada em ácidos graxos e glicerol.

c) nos mamíferos e nas aves ocorre apenas a reação II.

d) uma vez que as gorduras são hidrofóbicas, a água não entra em seu processo digestivo.

e) a reação II é uma via secundária, pois a bile, além de emulsificar, pode atuar enzimaticamente sobre as gorduras.

02. (PUC-MG) Tendo sido dadas as seguintes informações:

I. pH ácido.

II. enzima proteolítica.

III. digestão de gorduras.

IV. digestão de amido.

V. digestão de amido.

É incorreto afirmar que:

a) I ocorre no estômago.

b) II pode ocorrer no estômago ou no intestino.

c) III ocorre no intestino.

d) IV pode ocorrer com enzimas pancreáticas.

e) V ocorre no estômago.

03. (VUNESP) O processo final e o mais importante da digestão dos mamíferos ocorre no duodeno, em pH básico. Esse processo é denominado quilificação e depende da ação conjunta:

a) dos sucos pancreático e intestinal.

b) do suco pancreático e da bile.

c) da ptialina e do ácido clorídrico.

d) dos sucos pancreático, intestinal e de bile.

e) do ácido clorídrico e do suco pancreático.

04. (MACK) O esquema abaixo representa o aparelho digestivo humano. Ptialina, pepsina e  bile são produzidas, respectivamente, em:

04

a) 2, 4 e 6.

b) 1, 3 e 5.

c) 2, 3 e 6.

d) 1, 3 e 4.

e) 1, 2 e 5.

05. (UFC) Ao mastigarmos uma bolacha de água e sal, observamos que ela vai apresentando um sabor de cada vez mais adocicado, devido:

a) à liberação dos aminoácidos, pela ação das peptidases.

b) à ação da amilase salivar sobre o amido, com consequente liberação de maltose, glicose e oligossacarídeos.

c) à transformação do glicogênio em monossacarídeos.

d) ao sabor bastante adocicado da molécula de amido.

e) à ação da amilase salivar sobre a maltose, com consequente liberação de glicose.

06. (FAAP-SP) A celulose é um carboidrato, um polissacarídeo de origem vegetal e com função estrutural. É um dos componentes presentes em todos os alimentos de origem vegetal. Os seres humanos não são capazes de digerir as fibras de celulose, porém elas são importantíssimas pois:

a) fornecem energia para o corpo.

b) formam estruturas esqueléticas importantes.

c) são fontes de vitaminas.

d) facilitam a formação e eliminação das fezes.

e) são importantes para o crescimento.

07. (CESGRANRIO) O esquema abaixo representa uma das etapas do processo digestivo:

07

As substancias resultantes do processo representado são:

a) amido e maltose.

b) glicose e amido.

c) lactose e galactose.

d) frutose e glicose.

e) frutose e lactose.

08. (PUCCAMP) Os fenilcetonúricos têm falta de uma enzima do fígado responsável pelo metabolismo do aminoácido fenilalanina. Para que essa substância não se acumule no sangue, sua dieta alimentar deve restringir, dentre os nutrientes mencionados a seguir:

a) as proteínas, apenas.

b) os carboidratos, apenas.

c) as gorduras, apenas.

d) as gorduras e os carboidratos.

e) as gorduras e as proteínas.

09. (COVEST) A motilidade e as secreções do sistema digestivo são controladas por mecanismos neurais e hormonais que garantem a perfeita digestão e a absorção do alimento. Sobre esse assunto, analise as afirmativas abaixo.

I    II

0   0 – A secreção salivar começa a ser estimulada pela presença do alimento na cavidade oral.

1  1 – A presença de alimento no estômago estimula a secreção do hormônio gastrina, que induz a produção do suco gástrico, rico em ácido clorídrico e pepsina.

2  2 – A acidez do quimo que chega ao duodeno estimula a produção de secretina, que é levada pelo sangue ao pâncreas, estimulando, assim, a secreção de bicarbonato de sódio.

3  3 – A presença de gorduras no alimento estimula a produção de colecistoquinina, que vai inibir a secreção pancreática e a liberação de bile pela vesícula.

4  4 – A função da enterogastrona é estimular o esvaziamento gástrico pelo aumento dos movimentos peristálticos.

10. (UEL) No esquema a seguir, estão representados 4 tubos de ensaio com os seus componentes.

10

O material retirado de determinado órgão do rato foi adicionado aos tubos de ensaio e após 1 hora, a 38°C, verificou-se que apenas no tubo III ocorreu digestão de gordura. Assinale a alternativa que indica, respectivamente, de qual órgão do rato foi retirado o material adicionado aos tubos e qual enzima digestiva participou no processo.

a) Intestino delgado e tripsina.

b) Vesícula biliar e lipase.

c) Intestino delgado e quimotripsina.

d) Vesícula biliar e amilase.

e) Intestino delgado e pepsina.

11. (FUVEST) Considere os seguintes grupos de animais:

I. Animais aquáticos fixos, com poros na superfície do corpo e que englobam partículas de alimento da água que circula através de sua cavidade interior.

II. Animais parasitas que se alojam no intestino de vertebrados e que se alimentam de substâncias geradas pela digestão realizada pelo hospedeiro.

III. Animais aquáticos, de corpo mole, revestidos por concha calcária e que se alimentam de organismos do plâncton.

Esses animais obtêm nutrientes orgânicos, como aminoácidos e monossacarídeos, por:

Grupo I

Grupo II

Grupo III

a

Digestão intracelular Assimilação direta, sem realizar digestão Digestão extracelular

b

Digestão intracelular Digestão intracelular Digestão extracelular

c

Assimilação direta, sem realizar digestão Digestão intracelular Digestão extracelular

d

Assimilação direta, sem realizar digestão Assimilação direta, sem realizar digestão Digestão intracelular
e Digestão extracelular Digestão extracelular

Assimilação direta, sem realizar digestão

12. (UPE) Esta questão está relacionada com o texto a seguir.

Segundo especialistas, o perigo maior trazido pelos pombos está relacionado às fezes. “São muito ácidas e acabam danificando a pintura de prédios e de automóveis. Além disso, eles possuem aparelho digestivo curto e defecam constantemente”, explica a bióloga Sônia Moura, especialista em controle de pragas. Os bichos, através das fezes secas, transmitem doenças como salmonelose, alergias respiratórias, dermatites, ornitose e, além de tudo, portam piolhos que podem também atacar as pessoas.…Em cidades da Europa, prefeitos desesperados chegaram a soltar predadores naturais dos pombos, como os falcões, para tentar reduzir a população das pequenas aves, provocando a fúria dos ecologistas…Afirma ainda a bióloga que “o combate à multiplicação exagerada dos pombos depende dos hábitos da população, e que é preciso acabar com o abrigo e a alimentação para que eles procurem outro lugar.”A alternativa apresentada pela bióloga, ainda não foi adotada pelos moradores da Av. Saldanha Marinho, na Vila do IPSEP, que há um ano sofrem com a multiplicação exagerada dos pombos…Conforme o taxista Wellington de Lima, morador do local, “tudo isso acontece porque o dono de uma loja aqui perto fica dando milho para os bichos… os vizinhos já chegaram até a dar veneno para tentar acabar com os pombos. Conseguiram matar alguns, mas logo eles voltaram.”Texto adaptado: FERRAZ, Tarcísio. Pombos: símbolo da paz e de muitos problemas. Diário de Pernambuco – vida urbana C2.29/06/2003.

Sobre o processo de digestão e os aspectos relacionados ao sistema digestório dos pombos, analise as afirmativas.

I  II

0  0 – Essas aves se alimentam de grãos e, como todos os animais herbívoros, apresentam intestino mais curto quando comparado aos carnívoros.

1  1 – Os grãos de milho, que servem de alimento para os pombos, são armazenados e amolecidos no papo – uma dilatação do esôfago, seguindo para o estômago químico ou proventrículo, onde sofrem a ação de enzimas, sendo finalmente triturados na moela – estômago mecânico.

2  2 – O sistema digestório curto dos pombos e a defecação constante são considerados uma vantagem adaptativa, pois diminuem o peso dessas aves durante o vôo.

3  3 – São animais uricotélicos, por isso o ácido úrico, que se concentra na urina, é lançado na cloaca e se mistura com as fezes, aumentando o seu pH, o que produz danos sobre a pintura de prédios e de automóveis.

4  4 – As fezes desses animais transmitem doenças parasitárias classificadas, de modo geral, como zoonoses.

13. (MACK) A celíase é uma doença caracterizada pela intolerância ao glúten presente em trigo, centeio e aveia. Nas pessoas que apresentam essa doença, o glúten provoca a atrofia da mucosa que reveste internamente o intestino delgado, tornando-a lisa. Assinale a alternativa que descreve a(s) consequência(s) dessa lesão.

a) Diarreia e emagrecimento, pois a superfície de absorção de nutrientes diminui.

b) Diarreia por incapacidade de emulsionar e digerir lipídios.

c) Diarreia e desidratação por dificuldade de reabsorção de água.

d) Desnutrição por incapacidade de digestão de carboidratos e de proteínas.

e) Anemia devida à hemorragia apresentada.

14. (SANTA CASA) A dieta alimentar de João é basicamente de carne magra; a de José é basicamente de hidratos de carbono; a de Jovino é a mais gordurosa das três. Considerando que o tempo de esvaziamento completo do estômago depende do tipo de refeição, o tempo é maior, intermediário e menor, respectivamente, em:

a) João, José e Jovino.

b) José, Jovino e João.

c) José, João e Jovino.

d) Jovino, José e João.

e) Jovino, João e José.

15.  Assinale, na tabela abaixo, a correspondência incorreta:

ENZIMA

ORIGEM

SUBSTRATO

a

Ptialina Glândulas salivares Amido

b

Pepsina Estômago Proteínas
c Enteroquinase Intestino

Tripsinogênio

d Lipase Intestino

Ácidos graxos

e Amilase Pâncreas

Amido

16. (FEI-SP) Quando você como um pedaço de pão a hidrólise do amido nele contido é acelerada por uma enzima X. O produto desta reação, um composto Y, chega ao intestino delgado, onde sofre outra hidrólise pela ação de uma enzima Z, produzindo um composto W. X, Y, Z e W correspondem, respectivamente, a:

a) Ptialina, glicose, pepsina e sacarose.

b) Pepsina, lipídios, ptialina e glicose.

c) Tripsina, sacarose, ptialina e glicose.

d) Ptialina, maltose, maltase e glicose.

e) Pepsina, maltose, tripsina e glicose.

17. Um pedaço de carne foi colocado em um tubo de ensaio com uma solução aquosa das enzimas que normalmente agem no estômago. O tubo foi mantido à temperatura de 38oC. Qual das seguintes medidas provocaria a aceleração da digestão?

a) Reduzir a concentração da solução enzimática.

b) Reduzir a temperatura até cerca de 20oC.

c) Elevar a temperatura até cerca de 90oC.

d) Acrescentar HCl à solução contida no tubo de ensaio.

e) Adicionar lipase à solução contida no tubo de ensaio.

18. (CESCEM) O gráfico a seguir mostra a taxa de digestão de um alimento em diferente pH. Com base nesses dados, são substrato e enzima, respectivamente:

18

a) Amido e amilase salivar.

b) Proteína e pepsina.

c) Proteína e tripsina.

d) Gordura e lipase intestinal.

e) Amido e amilase intestinal.

19. (FEEQ-CE) Considere os seguintes hormônios:

I. Gastrina.

II. Secretina.

III. Insulina.

IV. Colecistocinina.

Desses, os que interferem no processo de digestão na espécie humana são:

a) Apenas I, II e III.

b) Apenas I, II e IV.

c) Apenas I, III e IV.

d) Apenas II, III e IV.

e) I, II, III e IV.

20. (SANTA CASA) Observe a frase seguinte:

“Quando o alimento, contendo suco gástrico, entra no intestino, o ácido estimula a liberação de ………. e esta, de ……….; estimula, também, a secreção (pela parede do intestino) de ………. que causa a descarga de ……….”

Ela é completada, respectiva e corretamente, por:

a) Secretina, suco pancreático, colecistoquinina, bile.

b) Suco pancreático, secretina, bile, colecistoquinina.

c) Colecistoquinina, bile, secretina, suco pancreático.

d) Bile, colecistoquinina, suco pancreático, secretina.

e) Secretina, bile, colecistoquinina, suco pancreático.

21. (CESCEM) Em uma experiência sobre digestão, 5 tubos de ensaio contendo quantidades iguais de clara de ovo foram tratados como indica a tabela abaixo. Os resultados obtidos também estão relacionados na tabela.

TUBO

CONTEÚDO:

clara de ovo +

TEMPERATURA

RESULTADOS :aspecto do conteúdo

I

Pepsina 40oC

Transparente depois de 6 horas.

II

Pepsina

20oC

Transparente depois de 10 horas.

III

Pancreatina

40oC

Transparente depois de 4 horas.

IV

Água

20oC

Transparente depois de 10 horas.

V

Água

40oC

Transparente depois de 10 horas.

Com base nesses dados, pode-se afirmar que:

a) Ação da pepsina e a da pancreatina dependem do pH do meio.

b) A pancreatina é mais eficiente que a pepsina, à mesma temperatura.

c) Pepsina e pancreatina agem na digestão de gorduras.

d) Pepsina e pancreatina só agem em solução aquosa.

e) A cada aumento de 10oC na temperatura, a intensidade da atividade enzimática duplica.

22. (PUC-SP) O gráfico abaixo mostra três curvas, cada uma correspondente à velocidade de reação de uma enzima digestiva, em função do pH do meio.

22

Assinale a alternativa compatível com a análise do gráfico:

a) A enzima I poderia ser a pepsina e a III, a tripsina.

b) A enzima I poderia ser a ptialina e a II, a pepsina.

c) A enzima I tem atuação no duodeno.

d) A enzima II tem atuação no estômago.

e) A enzima III pode exibir atividade máxima no estômago e no duodeno.

23. (PUC-CAMPINAS) Uma determinada enzima, retirada de um órgão do aparelho digestivo de um mamífero, foi distribuída igualmente em 8 tubos de ensaio. O tipo de alimento e o pH de cada tubo estão informados na tabela abaixo.

TUBOS DE

ENSAIO

ALIMENTOS

ADICIONADOS

pH

I

pão

12,0

II

pão

7,0

III

carne

3,0

IV

carne

7,0

V

arroz

12,0

VI

arroz

3,0

VII

ovo

12,0

VIII

ovo

7,0

Os tubos de ensaio foram mantidos a 37oC e após 10 horas observou-se a digestão do alimento apenas no tubo III. Com base nesses dados, é possível concluir que a enzima utilizada e o órgão de onde foi retirada são, respectivamente:

a) Maltase e estômago.

b) Tripsina e intestino.

c) Ptialina e boca.

d) Pepsina e estômago.

e) Amilase pancreática e intestino.

24. (UFPA) O material retirado de um determinado órgão de um macaco foi repartido em seis tubos de ensaio. Aos tubos I e II acrescentou-se um pedaço de carne; aos tubos III e IV, um pedaço de batata e aos tubos V e VI, um pouco de manteiga. Aos tubos I, III e VI acrescentou-se um pouco de ácido clorídrico. Após 12 horas, a 38oC, verificou-se que apenas no tubo I houve digestão. O material usado neste experimento foi retirado:

a) do estômago.

b) do intestino.

c) da vesícula.

d) do pâncreas.

e) das glândulas salivares.

25. (COVEST) No homem, após se transformar parcialmente no estômago, o bolo alimentar passa para o intestino delgado, onde o processo digestivo continua.

I    II

0  0 – A  produção de suco pancreático  inicia-se por  um mecanismo  nervoso reflexo, devido à ação de substâncias estimuladoras, como a secretina e a colecistocinina.

1 1 – As proteínas,  já reduzidas  a peptonas no estômago, são cindidas pelas enzimas pancreáticas em polipeptídeos e aminoácidos.

2  2 – As gorduras são atacadas pela lipase, depois finalmente aglutinadas pelos sais biliares, transformando-se em glicerol e ácidos graxos.

3  3 – A  amilase e  a maltase são  enzimas que  organizam os  monossacarídeos glicose e frutose, para formar maltose e sacarose.

4  4 – O amido que não foi digerido na boca é, sob ação da amilase pancreática, transformado em maltose.

26. (UPE) As proposições abaixo se referem à digestão humana, tanto no aspecto anatômico, como fisiológico.

I  II

0  0 – Após a digestão gástrica, a pepsina continua atuando no duodeno.

1  1 – A amilase salivar atua  durante  a  passagem  do bolo  alimentar  pelo esôfago.

2  2 – O ducto colédoco conduz a bile ao íleo.

3  3 – A absorção de aminoácidos ocorre a partir da mucosa bucal.

4  4 – O HCl pode atuar como ativador enzimático, devido a sua atuação sobre a tripsina.

27. (UEG) Mate um rato e retire o pâncreas. Corte-o em pedacinhos, amasse-os e cubra com igual quantidade de água. Meia hora depois, use a água que sobrenada para fazer a seguinte experiência: coloque igual quantidade de goma de amido em dois tubos de ensaio. Junte ao primeiro um pouco da água que estava misturada com o pâncreas e ao segundo igual quantidade de água comum. Pingue solução diluída de tintura de iodo em ambos. O que acontece e qual a explicação?

a) No tubo em que havia a água que estava misturada com o pâncreas, o líquido não fica azul, e no outro, a coloração aparece. O pâncreas contém uma enzima que reage com o iodo, formando uma substância de maior complexidade, que não permite a aproximação entre os átomos de iodo e os radicais do amido de que deveria resultar a substância de cor azul.

b) No tubo em que havia a água que estava misturada com o pâncreas, o líquido não fica azul, e no outro, a coloração azul aparece. O pâncreas contém uma proteína que fixa os átomos de iodo impedindo que este atue sobre o amido.

c) No tubo que havia a água que estava misturada com o pâncreas, o líquido não fica azul e, no outro, a coloração azul aparece. O pâncreas contém uma amilase que decompõe o amido e, por esse motivo, não aparece a coloração azul.

d) A coloração azul aparece nos dois tubos. Isso ocorre porque o iodo fica azul na presença de glicogênio, que é o amido animal, existente no pâncreas.

e) O iodo nos dois tubos fica com a mesma coloração. Isso ocorre porque o aquecimento da água, no momento da preparação da goma de amido, provoca o desdobramento deste em dissacarídeo.

28. (COVEST) A questão abaixo evidencia as etapas da digestão das proteínas.

I  II

0 0 – São sucessivamente desdobradas pela maltase da saliva, pela pepsina do estômago e pelas peptidases intestinais.

1 1 – São gradativamente hidrolisadas pela ação sucessiva da pepsina gástrica, da tripsina pancreática e de peptidases intestinais.

2 2 – São hidrolisadas somente no intestino, quando se convertem em peptídeos, que são absorvidos através da mucosa intestinal, após sofrerem a ação da enteroquinase.

3 3 – São desdobradas,   após a ação da tripsina  gástrica, em  fragmentos cada vez menores, pela pepsina pancreática e pelas enzimas intestinais, até que possam ser absorvidas sob a forma de ácido aminados livres.

4 4 – São submetidas à ação sucessiva da pepsina, da tripsina, das peptidases e da maltase intestinal.

29. (FUVEST) Ao comermos um sanduíche de pão, manteiga e bife, a digestão do:

a) Bife inicia-se na boca, a do pão, no estômago, sendo papel do fígado produzir a bile que facilita a digestão das gorduras da manteiga.

b) Bife inicia-se na boca, a do pão, no estômago, sendo papel do fígado produzir a bile, que contém enzimas que digerem gorduras da manteiga.

c) Pão inicia-se na boca, a do bife, no estômago, sendo papel do fígado produzir a bile que facilita a digestão das gorduras da manteiga.

d) Pão inicia-se na boca, a do bife, no estômago, sendo papel do fígado produzir a bile, que contém enzimas que completam a digestão do pão, do bife e das gorduras da manteiga.

e) Pão e a do bife iniciam-se no estômago, sendo as gorduras da manteiga digeridas pela bile produzida no fígado.

30. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I  II

0 0 – A válvula espiral encontrada em certos peixes constitui uma adaptação para compensar o pequeno tamanho do seu intestino.

1 1 – Estômago,  coagulador e ventrículo sucenturiado são  órgãos que se correspondem, fisiologicamente, no homem, nos ruminantes e nas aves, respectivamente.

2 2 – A bile, produzida pelo fígado, atua emulsionando as gorduras e facilitando a ação das lipases.

3 3 – No suco entérico, além da amilase,  são  encontradas  grandes quantidades de outras enzimas, tais como pepsina e tripsina.

4 4 – A  acidez do suco gástrico responde pelo pH ótimo para a ação da pepsina, sobre as proteínas do alimento.

GABARITO

 

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
A E D D B D D A FVVFF B
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
A FVVFV A E D D D B B A
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
B A D A FFFFV FFFFF C FVFFF C VVVFV

 

About these ads

Responses

  1. Qual o erro dessas afirmativas?

    0 0 – A secreção salivar começa a ser estimulada pela presença do alimento na cavidade oral.
    0 0 – A produção de suco pancreático inicia-se por um mecanismo nervoso reflexo, devido à ação de substâncias estimuladoras, como a secretina e a colecistocinina.
    1 1 – As proteínas, já reduzidas a peptonas no estômago, são cindidas pelas enzimas pancreáticas em polipeptídeos e aminoácidos.

    • Cara Raissa
      Veja a seguir as explicações que você solicitou.
      0 0 – A secreção salivar começa a ser estimulada pela presença do alimento na cavidade oral. INCORRETA
      * O secreção salivar já é estimulado pelo odor e pela visão do alimento, via sistema nervoso autônomo. O cheiro da comida apetitosa, por exemplo, inicia sinais para os núcleos vagais, glossofaríngeos e salivatórios do tronco cerebral. Estes, por seu turno, transmitem sinais pelos nervos parassimpáticos para as glândulas secretórias da boca de estômago, causando a secreção de sucos digestivos mesmo antes de o alimento entrar na boca. A expressão “estou com água na boca”, retrata muito bem esse processo.
      0 0 – A produção de suco pancreático inicia-se por um mecanismo nervoso reflexo, devido à ação de substâncias estimuladoras, como a secretina e a colecistocinina. INCORRETA
      * O suco pancreático é uma secreção produzida pelo pâncreas que atua no processo digestivo e, através do ducto pancreático (ou canal de Wirsung), é lançado na cavidade do duodeno. Ele é constituído por um componente aquoso (rico em bicarbonato), que e um componente enzimático, dotado de enzimas (tripsina, quimiotripsina, lipase pancreática, amilase pancreática, diversas peptidases e nuclease) que digerem proteínas, lipídeos, carboidratos e ácidos nucleicos. A regulação da secreção pancreática é feita pela acetilcolina (sistema nervoso autônomo) e pelo sistema endócrino, através de secretina e colecistocinina (hormônios gastrointestinais).
      I. Secretina
      Ia. Local de produção: intestino delgado.
      Ib. Estímulo: quimo ácido no intestino delgado.
      Ic. Efeito: estimula a secreção de suco pancreático rico em bicarbonato, que neutraliza a acidez do quimo.
      * Outras funções da secretina: inibe a secreção gástrica no estômago, reduz a mobilidade intestinal, estimula a produção de bile pelo fígado e a secreção de suco entérico pela parede intestinal.
      Id. Órgãos-alvo: pâncreas, fígado, intestino e estômago.
      II. Colecistocinina (pancreozimina)
      IIa. Local de produção: intestino delgado.
      IIb. Estímulo: lipídios e peptonas (presentes no quimo) no intestino delgado.
      * A chegada de gorduras e peptonas no intestino delgado o estimula a produzir colecistocinina (pancreozimina), que, por sua vez, estimula a liberação de enzimas pancreáticas. Estimula, também, a liberação de bile pela vesícula biliar.
      * A chegada de gorduras no duodeno também estimula a produção enterogastrona, pelo intestino delgado, hormônio que inibe a motilidade gástrica.
      IIc. Efeito: estimula a secreção de enzimas pancreáticas. Estimula também a eliminação da bile.
      IId. Órgãos-alvo: pâncreas e vesícula biliar.
      1 1 – As proteínas, já reduzidas a peptonas no estômago, são cindidas pelas enzimas pancreáticas em polipeptídeos e aminoácidos. INCORRETA
      * A pepsina, principal enzima gástrica, apenas inicia o processo da digestão proteica, sendo geralmente responsável por apenas 10 a 20% da digestão total das proteínas. A maior parte da digestão das proteínas ocorre, principalmente, na porção superior do intestino delgado, no duodeno e no jejuno. Quando as proteínas saem do estômago, elas costumam se encontra principalmente na forma de proteoses, peptonas e grande polipeptídeos. Após penetrarem no intestino delgado, esses produtos parciais de degradação são atacados pelas principais enzimas proteolíticas pancreáticas (tripsina, quimotripsina e carboxipeptidase). As duas primeiras podem clivar as moléculas de proteínas em pequenos polipetídeos. A seguir, a carboxipeptidase cliva os aminoácidos individuais das extremidades carboxílicas dos polipeptídeos. Apenas uma pequena porcentagem das proteínas é digerida até seus aminoácidos pelas enzimas pancreáticas. A maior parte permanece na forma de dipeptídeos, tripeptídeos, e até mesmo alguns peptídeos maiores. A digestão final das proteínas é feita pelas peptidases entéricas. Há dois importantes tipos dessas peptidases: a aminopolipeptidase e várias dipeptidases, que desdobram os polipetídeos remanescentes em tripeptídeos e dipeptídeos e, alguns, em aminoácidos, que são facilmente transportados, através das membranas das microvilosidades, para o interior dos enterócitos, células que revestem as vilosidades intestinais, sobretudo do duodeno e do jejuno. No interior do citossol dessas células são encontradas diversas outras peptidases específicas para os tipos restantes de ligações entre os aminoácidos. Em alguns minutos, praticamente todos os dipeptídeos e tripeptídeos são digeridos até aminoácidos.
      Um abraço
      Djalma Santos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 217 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: