Publicado por: Djalma Santos | 25 de abril de 2013

PEROXISSOMOS

Os peroxissomos ou peroxissomas são organoides geralmente esféricos, presentes em células eucarióticas e em todos os tecidos, principalmente fígado e rins, onde têm sido bem estudados. São formados por uma membrana lipoproteica que contém algumas enzimas funcionais na face interna. A maioria delas, entretanto, responsáveis pelas diversas funções exercidas por esse organoide, está dispersa na sua matriz, das quais a catalase representa cerca de 40%. Devido à ausência de DNA, todas as proteínas presentes nos peroxissomos são codificadas pelo genoma nuclear.

Eles foram descritos pela primeira vez, por Rodhin (1954), no citoplasma do túbulo renal proximal de camundongo, sendo, na ocasião, denominados microcorpos. Sua caracterização bioquímica, entretanto, só foi feita em 1966 por De Duve  e Baudhuin. Nesta data, esses pesquisadores verificaram a presença de enzimas geradoras de peróxido de hidrogênio (glicolato oxidase, urato oxidase e D-aminoácido oxidase), assim como a catalase, enzima que degrada o peróxido de hidrogênio (“água oxigenada”), substância fortemente oxidante, em água (H2O) e oxigênio (O2). Não sendo rapidamente eliminado, o peróxido de hidrogênio será extremamente prejudicial à célula. Por tudo isso,   De Duve  e Baudhuin propuseram a designação peroxissoma em substituição a microcorpos. Os peroxissomos armazenam, portanto, diferentes enzimas relacionadas com o metabolismo do peróxido de hidrogênio (H2O2). A “água oxigenada”, formada normal e continuamente no interior da célula, como subproduto de diversas reações bioquímicas, como durante a degradação de glicídios, lipídios e aminoácidos, é potencialmente tóxica para a célula, por ser uma fonte de radicais livres. Dessa forma, ela pode, em grande quantidade, causar sérios danos às células. Atuando, por exemplo, sobre o DNA e outras moléculas, o H2O2 pode causar um grande número de enfermidades nos seres humanos, tais como doenças neurodegenerativas (doença de Parkinson, doença de Alzheimer e esclerose múltipla), doenças cronicoinflamatórias, doenças vasculares e câncer.

Em função de conter algumas enzimas que degradam gorduras e aminoácidos, os peroxissomo foram, durante algum tempo, confundidos com os lisossomos. Sabe-se hoje, entretanto, que eles diferem dos lisossomos principalmente quanto aos tipos de enzimas que possuem. Acrescente-se, ainda, que, ao contrário dos lisossomos, que se originam do complexo golgiense, os peroxissomos absorvem proteínas e lipídios diretamente do hialoplasma.

O conteúdo enzimático dos peroxissomos, bem como seu tamanho e forma, variam muito conforme o tipo celular e as condições fisiológicas consideradas. Nos seres humanos, por exemplo, eles são particularmente abundantes no fígado e no rim, ocorrendo em menor número e tamanho nos fibroblastos e no cérebro. Eles formam, na verdade, uma família de organelas com funções específicas em tipos celulares diversos. Observa-se, ainda, que em uma célula nem todos os peroxissomos têm a mesma composição enzimática. Essas enzimas são produzidas pelos polirribossomos do citosol, conforme as “necessidades” da célula e, muitas vezes, como uma adaptação à destruição de moléculas estranhas que penetram na célula, como álcool etílico e drogas diversas. Para se ter uma ideia, cerca de 25% do álcool que ingerimos é oxidado a acetaldeído no fígado, por enzimas presentes nos peroxissomos. Nos mamíferos em geral, eles são bastante numerosos nas células renais e hepáticas, chegando a ocupar até 2% nas células do fígado. Nesses órgãos, eles realizam a desintoxicação do organismo, oxidando substâncias absorvidas do sangue.

Sabe-se, atualmente, que esses organoides catalisam um grande número de reações essenciais de diferentes rotas metabólicas, desempenhando, dessa forma, um papel muito importante no metabolismo intermediário. Um dos mais importantes processos metabólicos em que o peroxissomo está envolvido é a beta-oxidação dos ácidos graxos de cadeia muito longa (VLCFA do inglês Very long Chais Fatty Acids). Os peroxissomos também estão envolvidos, dentre outros processos, na biossíntese de fosfolipídios; de ácidos biliares; de colesterol e de intermediários de colesterol; na síntese de plasmalógenos [lipídios encontrados na bainha (bainha de mielina) que reveste os neurônios]; no metabolismo de aminoácidos e de purina; na oxidação de cadeia ramificada de ácidos dicarboxílicos e de ácidos graxos polinssaturados. Dada a sua multiplicidade de funções, as disfunções relacionadas com o peroxissomo também é diversificada em suas manifestações. Essas disfunções são conhecidas como distúrbios peroxissomiais ou doenças peroxissomiais.

Além de atuar na neutralização de produtos tóxicos como vimos acima, os peroxissomos também participam da fotorrespiração (matéria publicada neste blog em 20/09/2010) e da degradação dos ácidos graxos, produzindo acetil-CoA (acetil coenzima A). Este composto pode penetrar nas mitocôndrias, onde irá participar da síntese de ATP, através do ciclo de Krebs, ou ser utilizado em outros compartimentos citoplasmáticos para a síntese de diversas moléculas. Calcula-se que cerca de 30% dos ácidos graxos sejam oxidados em acetil-CoA nos peroxissomos.

Os peroxissomos ou mais especificamente os glioxissomos, também são importantes reguladores do processo germinativo vegetal. Eles promovem a conversão de lipídios, armazenados nas sementes, em glicídios, que são utilizados nas primeiras etapas do desenvolvimento da planta. Essas reações conhecidas como ciclo do glioxilato ou ciclo do ácido glioxílico, levou a que esses peroxissomos fossem batizados de glioxissomos (ou glioxissomas), que são, em última análise, peroxissomos especializados.  Os glioxissomos vegetais, que ocorrem apenas durante a germinação das sementes, e os peroxissomos são, em última análise, similares em estrutura e função. As células animais, em contra partida, são incapazes de converter ácidos graxos em carboidratos, não realizando, portanto, o ciclo do ácido glioxílico.

Os peroxissomos se duplicam por fissão binária de peroxissomos preexistentes, após crescerem graças à penetração de proteínas sintetizadas nos polirribossomos livres no citosol. Essas proteínas possuem um sinal, sequência especial de três aminoácidos (serina, lisina, leucina) próximo a sua extremidade carboxílica, que é reconhecido por receptores da membrana. Essas sequências, denominadas peroxinas, participam do mecanismo movido pela hidrólise de ATP, sendo, portanto, um processo ativo. Dessa forma, os peroxissomos crescem e, após atingirem um determinado tamanho, dividem-se por fissão. As moléculas que ficam presas nas membranas dos peroxissomos, promovendo saliências na face citoplasmática e funcionando como receptores, também são sintetizadas nos polirribossomos livres. A divisão desses organoides tem como principais objetivos repor os que sofreram autofagia e compensar a sua redução numérica, sofrida durante a divisão celular. Sua proliferação pode ocorrer também em resposta a diferentes estímulos externos, levando a um processo de divisão regulada, independente da mitose. Findo o estímulo responsável pela proliferação, a homeostase celular relativa ao número desses organoides é restabelecida por autofagia. Alterações que afetam a síntese ou o endereçamento dos peroxissomos levam a sérias anomalias neurológicas, hepáticas e renais, que comprometem a sobrevida dos seres afetados. Os peroxissomos possuem vida média de, aproximadamente, 5 dias, ao fim dos quais são destruídos por autofagia.

Doenças peroxissomiais

São conhecidas várias doenças humanas ligadas a disfunções dos peroxissomos, a maioria delas com comprometimento neurológico severo (retardo psicomotor, hipotonia, convulsões, deficiência auditiva e comprometimento ocular). Essas disfunções estão, portanto, associadas a mudanças fundamentais e até mesmo fatais no desenvolvimento neurológico humano. As doenças peroxissomiais são, em última análise, um grupo de doenças metabólicas geneticamente heterogêneas que compartilham disfunções peroxissomais. Essas doenças costumam ser subdivididas em 2 grandes grupos: grupo 1 e grupo 2.

As do grupo 1 apresentam como causa, defeitos generalizados na biogênese dos peroxissomos, provocando múltiplas alterações funcionais. Nelas, a organela não é formada normalmente, já que as proteínas não são importadas, sendo degradas no citoplasma. As células, neste caso, não perderam a capacidade de sintetizar as enzimas típicas dos peroxissomos, mas sim a capacidade de transferi-las para o interior do organoide. Como consequência, o peroxissomo se apresenta vazio, sendo constituído apenas pela membrana. Em função disto, as várias atividades peroxissomias se tornam deficientes. A síndrome de Zellweger é um exemplo de doenças do grupo 1.  Essa doença, rara, autossômica e recessiva, interfere no desenvolvimento do cérebro e no crescimento da bainha de mielina. A síndrome de Zellweger foi descrita, clinicamente, pela primeira vez em 1964, por Hans Ulrich Zellweger, tendo sido a primeira doença  peroxissomial descoberta. Foi somente em 1973, entretanto, que um grupo de pesquisadores, liderados por Goldficher, associou essa enfermidade com distúrbios peroximiais. Desde então, os peroxissomos passaram a ser alvos de intensos estudos.

Nas doenças do grupo 2, a estrutura do organoide está intacta e presente, ocorrendo um defeito em uma simples enzima peroxissomial, fazendo com que apenas uma via metabólica seja afetada. Neste caso, ocorre acúmulo de substratos e falta dos seus respectivos produtos. Como exemplos de doenças desse grupo citamos a adrenoleucodistrofia, a hiperoxaluria tipo I, a acatalassemia e a doença de Refsum.

A adrenoleucodistrofia, também conhecida como ALD (desmielinização do hemisfério direito) e a mais comum do grupo 2, é uma doença incluída no grupo das leucodistrofias que afeta, aproximadamente, 1 em cada 20.000 pessoas, de todas as raças. Trata-se de um transtorno recessivo ligado ao cromossomo X (herança ligada ao sexo), por isso também denominada X-ALD, que compromete, principalmente, a substância branca e os axônios do sistema nervoso central; as células de Leydig; e o córtex adrenal. O filme Lorenzo’s Oil (“O óleo de Lorenzo”) trata da manifestação dessa doença e da busca pela cura por parte dos pais de Lorenzo Michael Murphy Odone, portador de ALD.

A hiperoxaluria tipo I é uma doença metabólica autossômica recessiva e rara. Ela está associada a uma deficiência na atividade de uma enzima hepática peroxissomial a L-alanina: glioxilato aminotransferase (AGT), que normalmente converte o glioxilato em glicina. A referida deficiência resulta em um aumento da concentração de glioxilato, que é convertido em oxalato, cuja deposição, em grande quantidade, leva a uma insuficiência renal. O aumento de oxalato circulante leva a sua deposição nos tecidos em geral, causando, também, defeitos de condução cardíaca, hipertensão e limitação da mobilidade articular.

A acatalassemia (catalassemia ou enfermidade de Takahara) é doença autossômica recessiva rara, que se caracteriza por uma deficiência na atividade da catalase. Foi descrita, pela primeira vez, no  Japão,  por Takahara e Miyamoto (1948). Na ocasião, eles observaram que a aplicação de peróxido de hidrogênio em áreas ulceradas, relativas a um caso de gangrena oral progressiva, não liberava oxigênio. Em geral é uma doença benigna e assintomática, mas pode estar associada a ulcerações orais e a gangrena, bem como a diabetes mellitus e a aterosclerose em certas populações.

A doença de Refsum é uma enfermidade neurológica, autossômica recessiva rara, provocada por desordem peroxomial, que resulta na má formação da bainha de mielina das células cerebrais, afetando diversos sistemas do organismo. Ela é causada por uma enzima defeituosa que se mostra incapaz de catalisar a alfa-oxidação do ácido fitânico, produto do metabolismo das gorduras, que se acumula no plasma e nos tecidos. Esse acúmulo dá início à morte celular dos astrócitos, ativando a rota de apoptose mitocondrial. Os primeiros casos dessa doença foram relatados, em 1945 por Sigvald Refsum, que, na ocasião a denominou heredophathia ataxia polyneuritiformis. Pacientes com essa doença apresentam degeneração cerebelar e neuropatia periférica. Os sintomas incluem também a cegueira noturna, pele seca, deformidades esqueléticas, dificuldade de audição e problemas oftalmológicos, inclusive cataratas.

Publicado por: Djalma Santos | 11 de abril de 2013

Testes de histologia vegetal

01. (UEG) O grau de turgescência das células-guarda é fator determinante para a abertura ou fechamento dos estômatos. No entanto, a entrada ou saída de água dos vacúolos das células-guarda depende da integração de vários fatores que atuam simultaneamente, como ilustrado no gráfico a seguir.

01

A respeito do tema e, após a análise do gráfico, é possível reconhecer os seguintes fatores que influenciam os movimentos de abertura e fechamento dos estômatos:

a) Gás oxigênio (1), íon sódio (2) e gás carbônico (3).

b) Luz solar (1), ácido abscísico (2) e gás carbônico (3).

c) Luz solar (1), íon potássio (2) e gás carbônico (3).

d) Luz solar (1), íon potássio (2) e gás oxigênio (3).

02. (UEL) Analise a figura a seguir e responda esta questão.

02

A dendrocronologia é a técnica que possibilita estimar a idade das árvores através da contagem dos anéis de crescimento. Cada anel do tronco corresponde a um ano de vida de uma árvore (figura acima). Na primavera de 2011, uma árvore que foi plantada na primavera de 1991 apresenta 16 centímetros de raio na base do seu tronco. Considerando uma taxa de crescimento linear, o raio da base desse tronco, na primavera de 2026, será de:

a) 22 cm.

b) 25 cm.

c) 28 cm.

d) 32 cm.

e) 44 cm.

03.  (PUC-RIO) Considerando a histologia vegetal – ciência que estuda os tecidos biológicos vegetais – é errado afirmar que:

a) Os tecidos de revestimento dos vegetais são hipoderme e endoderme.

b) Os tecidos de condução dos vegetais são xilema e floema.

c) Os tecidos de sustentação dos vegetais são colênquima e esclerênquima.

d) Os meristemas são responsáveis por formar os tecidos das plantas.

e) Os tecidos que atuam no armazenamento de substâncias, na fotossíntese e no transporte de substâncias a curta distância são os parênquimas.

04. (FGV) Com relação aos tecidos vegetais, pode-se afirmar que:

a) O parênquima é formado por células mortas, portadoras de parede secundária, e ocorre em todos os órgãos vegetais.

b) O colênquima origina-se da protoderme dos meristemas apicais.

c) O esclerênquima é formado por células vivas, cujas paredes primárias são espessadas por suberina.

d) A epiderme é um tecido de revestimento formado por células vivas e portadoras de paredes primárias, cuja função é proteger o vegetal contra a perda excessiva de água.

e) A periderme é um tecido que aparece em vegetais que apresentam crescimento secundário e origina-se por mitoses do meristema secundário, chamado câmbio interfascicular.

05. (UFMT) Nos últimos anos, Mato Grosso tem recebido o título de “campeão em queimadas”, em função da grande quantidade de biomassa vegetal transformada em cinzas, carvão e fumaça no período de estiagem. Essa biomassa é constituída por diferentes tecidos vegetais que desempenham funções específicas. Os tecidos de condução transformados pela queimada são:

a) Periderme e parênquima.

b) Parênquima e colênquima.

c) Endoderme e epiderme.

d) Floema e xilema.

e) Colênquima e esclerênquima.

06. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA) Indique a alternativa que apresenta a associação correta entre a estrutura e o processo envolvidos com a eliminação de água, no estado líquido, pelas plantas:

a) Pelos absorventes – absorção.

b) Hidatódios – gutação.

c) Haustórios – transpiração.

d) Gavinhas – evaporação.

e) Estames – polinização.

07. (UFLA) Tecidos _________________ ou ________________ são encontrados praticamente em todas as partes da planta. São formados, geralmente, por células vivas e com paredes primárias. Embora sejam às vezes chamados de tecidos de preenchimento, esses tecidos desempenham outras importantes funções, além de preencher espaços entre tecidos internos.

a) xilemáticos; floemáticos

b) parenquimatosos; parênquimas

c) esclerenquimáticos; esclerênquimas

d) colenquimatosos; colênquimas

e) clorofilianos; assimiladores

08. (PUC-RIO) O parênquima é um tecido vegetal formado por células vivas, de paredes não muito espessas, geralmente de natureza primária. Existem vários tipos de parênquimas, sendo que um deles se caracteriza pelas células cheias de grãos de amido ou grãos de aleurona (proteínas). Esse parênquima é denominado:

a) Parênquima paliçádico.

b) Parênquima conjuntivo.

c) Parênquima lacunoso.

d) Parênquima medular.

e) Parênquima de reserva.

09. (UFAL) Um tecido formado por células indiferenciadas e com intensa atividade mitótica é o:

a) Esclerênquima.

b) Parênquima.

c) Colênquima.

d) Meristema.

e) Floema.

10. (UEM) A figura a seguir mostra o grau de abertura dos estômatos (s) e a taxa de transpiração (t) de uma planta em diferentes horas do dia.

10

Considerando os dados da figura e conceitos da fisiologia vegetal, é correto afirmar que:

I   II

0 0 – A maior taxa de transpiração, durante o dia, coincide com a maior abertura dos estômatos, por onde o vapor d¢água se difunde.

1  1 – Os estômatos são as únicas estruturas das folhas responsáveis pela transpiração.

2  2 – A abertura total dos estômatos ocorre entre 18 horas e 24 horas.

3 3 – A temperatura, a luminosidade e a umidade do ar são fatores que afetam a taxa de transpiração.

4  4 – A difusão do CO2 utilizada na fotossíntese, para ao interior do mesófilo, ocorre através dos estômatos.

11. (UEL) Os tecidos nos quais se encontram estômatos e lenticelas em uma árvore são, respectivamente:

a) Epiderme e súber.

b) Xilema e colênquima.

c) Floema e xilema.

d) Súber e floema.

e) Colênquima e epiderme.

12. (UNIMEP-SP) Certos insetos fitófagos se alimentam de substâncias elaboradas, introduzindo uma tromba sugadora em órgãos vegetais. Que estrutura vegetal deve ser atingida pela tromba para sugar as substâncias de que necessitam?

a) Colênquima.

b) Meristema.

c) Xilema.

d) Floema.

13. (UEL) São importantes tecidos de sustentação dos vegetais:

a) Floema e xilema.

b) Colênquima e esclerênquima.

c) Parênquimas de reserva.

d) Súber e ritidoma.

e) Córtex e cilindro central.

14. (UNISA-SP) Foi realizada uma experiência colocando-se pedaços de epiderme da folha de um vegetal em lâminas contendo:

I. Água.

II. Solução concentrada de sal.

III. Solução concentrada de açúcar.

A maioria dos estômatos estará fechada apenas em:

a) I.

b) II.

c) III.

d) I e II.

e) II e III.

15. (UNICAP) As figuras a seguir representam cortes de tecidos vegetais.

15

I   II

0  0 – A letra a representa a epiderme de um vegetal aéreo.

1 1 – A letra b  representa  o sistema  vacuolar das plantas aquáticas, e sua função é o transporte das diversas substâncias.

2 2 – As células que constituem o tecido da letra b são células mortas, devido à impregnação de lignina em suas paredes.

3 3 – A letra c representa o parênquima paliçádico, que pode ser encontrado nas raízes e nos caules subterrâneos.

4 4 – As células que constituem a  letra c são  vivas, envolvidas por uma fina parede primária, que geralmente pode readquirir a capacidade de se dividir.

16. (UNIFOR) Dos tecidos abaixo, os que se formam apenas durante o crescimento secundário de dicotiledôneas e gimnospermas são o:

a) Câmbio interfascicular e o felogênio.

b) Câmbio fascicular e o câmbio interfascicular.

c) Câmbio fascicular e a feloderme.

d) Súber e a epiderme.

e) Lenho e o líber.

17. (FATEC) Durante uma aula de Botânica, a fim de destacar a importância econômica de vários produtos de origem vegetal, um professor de biologia ressaltou que:

- da raiz tuberosa da mandioca se retiram vários produtos importantes para a alimentação, ricos principalmente em AMIDO;

- dos caules de árvores, como mogno, cedro, peroba, jacarandá, pinho, imbuia, ipê etc., se retira uma grande variedade de MADEIRAS;

- do caule do sobreiro é extraída a grossa camada externa, conhecida como CORTIÇA;

- do caule da seringueira brasileira é extraído o LÁTEX, que fornece a preciosa borracha.

Os produtos citados pelo professor e destacados no texto – AMIDO, MADEIRAS, CORTIÇA e LÁTEX – se relacionam a diferentes tipos de tecidos vegetais, respectivamente:

a) Tecido de sustentação; parênquima de reserva; vasos lenhosos; tecido suberoso.

b) Parênquima de reserva; vasos lenhosos; tecido suberoso; tecido secretor.

c) Tecido secretor; parênquima de reserva; vasos lenhosos; tecido suberoso.

d) Parênquima de reserva; tecido suberoso; vasos lenhosos; tecido secretor.

e) Tecido suberoso; vasos lenhosos; tecido secretor; parênquima de reserva.

18. (UFV) Considerando os tecidos condutores nos vegetais, é incorreto afirmar que:

a) Os elementos crivados do floema apresentam parede lignificada.

b) O xilema transporta água e sais, enquanto o floema transporta água e açúcares.

c) Os elementos traqueais do xilema, quando diferenciados, não apresentam protoplastos.

d) O sentido de transporte no xilema é, preferencialmente, ascendente.

19. (CEFET-MG) A figura seguinte mostra um corte transversal de um tecido vegetal maduro.

19

Disponível em: <http://loja.bioaulas.com.br/images/tecidos_vegetais01.png&gt; Acesso em:09 abr. 2010

Os tipos celulares indicados pelas setas estão relacionados diretamente com:

a) Trocas gasosas.

b) Proteção mecânica.

c) Impermeabilização.

d) Transporte de seiva.

e) Reprodução sexuada.

20. (UNICAP)

I    II

0  0 – O súber é um tecido vegetal que desempenha as funções e revestimento, defesa e nutrição.

1  1 – O floema é um tecido vegetal que está relacionado com  condução de água, sendo responsável pelo movimento ascendente.

2  2 – Nos vegetais, os vasos liberianos, em geral, ocupam a posição mais externa do caule, transportando produtos da fotossíntese.

3  3 – Os nectários são estruturas glandulares vegetais que produzem uma secreção açucarada denominada néctar.

4  4 – As lenticelas são estruturas encontradas em certos caules e raízes aéreas, importantes nas trocas gasosas entre o interior da planta e o meio externo.

21. (UFG) Os estômatos I e II, representados a seguir, foram desenhados com base na observação microscópica da epiderme inferior de folhas da mesma espécie vegetal coletadas durante o dia e submetidas a diferentes regimes de irrigação.

21

Considerando-se que a disponibilidade de água para a planta foi a única condição ambiental que variou, pode-se concluir que será maior a:

a) Resistência estomática em I.

b) Taxa fotossintética em I.

c) Disponibilidade de água em II.

d) Taxa respiratória em II.

e) Absorção de água em II.

22. (UEL)       Analise a figura a seguir e responda esta questão.

22

Esses anéis de crescimento são bastante evidentes em árvores de regiões temperadas, onde as estações do ano são bem definidas. Os anéis são resultantes de diferentes taxas de crescimento em espessura do caule devido às variações das condições ambientais. Com base nessas informações e na figura acima, pode-se afirmar que cada anel é formado pelo conjunto de vasos denominado _________ primaveril e _______ estival. O primaveril é ______ denso, constituído por células de paredes ______; já o estival é ______ denso, formado por células de paredes ________. Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do texto.

a) floema, floema, menos, espessas, mais, finas.

b) floema, xilema, menos, finas, mais, espessas.

c) xilema, xilema, menos, finas, mais, espessas.

d) xilema, floema, mais, espessas, menos, finas.

e) xilema, xilema, mais, espessas, menos, finas.

23. (UEMS) A presença de vasos condutores de seiva é uma adaptação à vida terrestre, pois ajuda o vegetal a repor rapidamente à água perdida pela transpiração. Os vasos que conduzem seiva bruta (água e sais minerais) e seiva elaborada (produtos da fotossíntese) são denominados, respectivamente, de:

a) Floema e Colênquima.

b) Xilema e Súber.

c) Esclerênquima e Colênquima.

d) Xilema e Floema.

e) Feloderme e Floema.

24. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA) Tecidos mortos são bastante frequentes nos vegetais. Embora a necromassa represente grande parte da planta, a ausência de custo energético para sua sustentação, bem como a realização de funções específicas mesmo sem vida tornam esses tecidos uma ótima opção a sobrevivência dos vegetais. Marque a alternativa abaixo que contenha somente tecidos dotados células mortas funcionais:

a) Súber, xilema e esclerênquima.

b) Parênquima, xilema e colênquima.

c) Feloderma, floema e esclerênquima.

d) Felogênio, floema e colênquima.

e) Súber, feloderma e felogênio.

25. (ENC-MEC) Na fitopatologia conhecida como “amarelinho”, o xilema da planta do gênero Citrus é bloqueado pela bactéria Xylella fastidiosa. Em consequência dessa infecção cessam:

a) A gutação e o transporte de sais minerais das folhas para as raízes.

b) A fotossíntese e o transporte de seiva elaborada para as raízes.

c) Os transportes de água e de açúcares das folhas para as raízes.

d) A respiração e o transporte de oxigênio das folhas para as raízes.

e) Os transportes de água e sais minerais das raízes para as folhas.

26. (PUC-PR) Os reforços apresentados pelas paredes dos vasos lenhosos (anelados, espiralados, etc.) têm por função:

a) Impedir o colapso dos vasos, quando a transpiração é intensa.

b) Agir como mola, controlando o crescimento dos vasos.

c) Aumentar a superfície respiratória dos vasos.

d) Impedir, como válvulas, a descida da seiva.

e) Determinar uma ascensão em espiral, da seiva.

27. (UNESP) Nos vegetais, estômatos, xilema, floema e lenticelas têm suas funções relacionadas, respectivamente, a:

a) Trocas gasosas, transporte de água e sais minerais, transporte de substâncias orgânicas e trocas gasosas.

b) Trocas gasosas, transporte de substâncias orgânicas, transporte de água e sais minerais e trocas gasosas.

c) Trocas gasosas, transporte de substâncias orgânicas, transporte de água e sais minerais e transporte de sais.

d) Absorção de luz, transporte de água, transporte de sais minerais e trocas gasosas.

e) Absorção de compostos orgânicos, transporte de água e sais minerais, transporte de substâncias orgânicas e trocas gasosas.

28. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA) Afídeos são insetos de aparelho bucal picador sugador o que lhes facilitam bastante a absorção de seiva extraída dos vasos condutores mais periféricos da planta. Uma hiperinfestação de afídeos nos galhos de uma roseira deve limitar mais o transporte de substâncias para:

a) As flores.

b) Os frutos.

c) As folhas.

d) Os estômatos.

e) A raiz.

29. (VUNESP) A figura abaixo representa um setor de corte transversal de uma raiz em estrutura primária. As setas 1, 2 e 3 mostram, respectivamente:

29

a) Epiderme, endoderme, xilema.

b) Exoderme, endoderme, floema.

c) Córtex, periciclo, xilema.

d) Endoderme, exoderme, periciclo.

30. (UFU) O nome do tecido vegetal mostrado a seguir e o local onde ele pode aparecer são, respectivamente:

30

a) Meristema-zona lisa da raiz.

b) Parênquima de reserva-raiz e caule.

c) Parênquima clorofiliano-folha.

d) Epiderme-revestimento do caule.

e) Meristema secundário-zona pilífera da raiz.

31. (PUC-SP) O estômato é uma estrutura encontrada na epiderme foliar, constituída por duas células denominadas células-guarda. Estas absorvem água quando há grande concentração de íons potássio em seu interior, o que leva o estômato a se abrir. Se o suprimento de água na folha é baixo, ocorre saída de íons potássio das células-guarda para as células vizinhas e, nesse caso, as células-guarda tornam-se:

a) Flácidas, provocando o fechamento do estômato.

b) Flácidas, provocando a abertura do estômato.

c) Flácidas, não alterando o comportamento do estômato.

d) Túrgidas, provocando o fechamento do estômato.

e) Túrgidas, provocando a abertura do estômato.

32. (UFSM) A textura “arenosa” que se percebe ao saborear uma pera é dada pela presença de células mortas na maturidade, com paredes muito espessas e com reforço de lignina. Pelas características apresentadas, essas células são constituintes do tecido denominado:

a) Meristema.

b) Esclerênquima.

c) Floema.

d) Parênquima.

e) Epiderme.

33. (UNIFOR) As figuras abaixo esquematizam três tipos de células encontradas nos vegetais.

33

Os meristemas primários e os parênquimas das raízes apresentam, respectivamente, células dos tipos:

a) III e II.

b) I e II.

c) I e III.

d) II e III.

e) III e I.

34. (UFSE) Considere o esquema abaixo que representa um corte transversal de um caule no qual estava ocorrendo crescimento secundário em espessura.

34

Células com capacidade de divisão estão somente em:

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

35. (UFSCar-SP) As experiências de anelagem, realizadas para evidenciar os tecidos responsáveis pela circulação das seivas nos vegetais, consistem em se retirar uma faixa circular da casca do caule de uma planta lenhosa (anel de Malpighi). Após este procedimento, espera-se que depois de algum tempo (algumas semanas) o resultado seja:

a) Morte das folhas e das raízes, considerando que na anelagem são retirados o xilema e o floema.

b) Morte das folhas, considerando que na anelagem apenas o xilema é retirado.

c) Morte das folhas, considerando que na anelagem apenas o floema é retirado.

d) Morte das raízes, considerando que na anelagem apenas o xilema é retirado.

e) Morte das raízes, considerando que na anelagem apenas o floema é retirado.

36. (UEFS) As extremidades do caule e da raiz incluem regiões de crescimento que se caracterizam por apresentar:

a) Tecidos especializados em formar folhas e pelos absorventes.

b) Aglomerados celulares incapazes de responder a estímulos luminosos.

c) Células organizadas em meristemas secundários, que promovem o crescimento em espessura.

d) Células indiferenciadas com amplo poder de multiplicação.

e) Tecidos permanentes adaptados para funções específicas.

37. (UNIVASF) Relacione a estrutura com a função específica e assinale a alternativa correta.

ESTRUTURA

FUNÇÃO

I. Floema A. Aumento da superfície de absorção de água
II. Pelos absorventes B. Transporte de água e sais minerais
III. Xilema C. Tecido de sustentação
IV. Esclerênquima D. Transporte de solução de substâncias orgânicas

a) IAIICIIIDIVB.

b) IBIIAIIIDIVC.

c) ICIIDIIIA IVB.

d) ID IIAIIIBIVC.

e) ICIIDIIIBIVA.

38. (UNESP) Sobre o processo da transpiração dos vegetais, foram feitas as cinco afirmações seguintes.

I. Em média 95%, da água absorvida pelas plantas é eliminada pela transpiração, principalmente pelos estômatos.

II. Os estômatos abrem-se quando a turgescência das células-guardas é alta, fechando-se quando esta é baixa.

III. A reação mais imediata da planta a pouca disponibilidade de água no solo é o fechamento dos estômatos.

IV. A consequência do contido na afirmação III será uma diminuição da difusão de CO2 para o interior das folhas.

V. Considerando a concentração de gás carbônico, a disponibilidade de água no solo, a intensidade luminosa, a temperatura e a concentração de oxigênio, esta última é a que exerce menor efeito sobre o processo de abertura e de fechamento dos estômatos.

São corretas as afirmações.

a) I e III, apenas.

b) I e IV, apenas.

c) II e IV, apenas.

d) I, II, III e V, apenas.

e) I, II, III, IV e V.

39. (UFMG) O esquema a seguir se refere a um corte transversal de uma folha de vegetal em que estruturas histológicas foram indicadas pelos números de 1 a 5.

39

Em relação a esse esquema, é incorreto afirmar que:

a) 5 depende do turgor das células para seu funcionamento.

b) 4 contém estruturas responsáveis pela condução de seiva.

c) 3 é o principal tecido fotossintético.

d) 2 é um epitélio com capacidade de renovação.

e) 1 é uma estrutura de proteção.

40. (UFU) Sendo:

I. Colênquima.          

II. Esclerênquima.       

III. Xilema.

IV. Parênquima clorofiliano.

É errado dizer que:

a) I e II são relacionados com a sustentação dos vegetais.

b) III localiza-se no caule e na raiz, não aparecendo nas folhas.

c) I é formado por células vivas e II, por células mortas.

d) IV localiza-se nas folhas, na forma de parênquima paliçádico.

e) IV tem como principal função a fotossíntese.

41. (FUVEST) Os pulgões são insetos afídeos que retiram dos caules das plantas uma solução rica em açúcares. O tecido da planta de onde os insetos extraem alimento é:

a) O câmbio.

b) O xilema.

c) O floema.

d) A endoderme.

e) O periciclo.

42. (UNIFOR) A figura abaixo representa um tecido vegetal.

42

Esse tecido é:

a) O floema.

b) O xilema.

c) O súber.

d) A epiderme.

e) O colênquima.

43. (UPE) A periderme é um tecido protetor que ocorre nos caules e raízes com crescimento secundário. A periderme consiste de:

a) Epiderme, endoderme e feloderme.

b) Córtex, epiderme e periciclo.

c) Esclerênquima, parênquima e súber.

d) Súber, felogênio e feloderme.

e) Periciclo, procâmbio e felogênio.

44. (UNESP) Em relação aos tecidos vegetais pode-se afirmar que:

a) Esclerênquimas e parênquimas assemelham-se pelo fato de possuírem protoplastos vivos e geralmente conterem cloroplastos.

b) O colênquima é um tecido mecânico formado por células mortas, cujas paredes são espessas e lignificadas.

c) Os parênquimas aquíferos são geralmente encontrados em órgãos submersos de plantas aquáticas.

d) As células mais especializadas do floema são os elementos crivados.

e) Meristemas são tecidos embrionários encontrados apenas nos ápices dos caules e raízes.

45. (COVEST) A partir da figura que mostra o processo de diferenciação do meristema, avalie as proposições a seguir.

45

I  II

0 0 – O meristema  primário, com o desenvolvimento do embrião, diferencia-se em 3 partes fundamentais, indicadas pelas letras a (pleroma), b (periblema) e c (dermatogênio).

1 1 – A letra d indica o parênquima, tecido com função de preenchimento que pode participar da fotossíntese e do armazenamento de substâncias.

2 2 – A letra e indica o tecido composto por células desprovidas de cloroplastos, impregnadas com cutina e que apresentam núcleo grande e citoplasma delgado com grande vacúolo.

3 3 – O tecido condutor de seiva bruta, denominado lenho ou xilema (letra f), tem como principal componente a traqueia.

4 4 – A letra g representa o líber ou floema, cujo principal elemento na condução da seiva elaborada é o vaso liberiano (letra h), composto por células mortas, impregnadas por lignina.

46. (MACK) Alguns tecidos vegetais são constituídos por células mortas, não como uma medida casual, mas como ponto final de um processo de diferenciação celular tão importante como qualquer outra função desempenhada por qualquer outra célula viva. São exemplos de tecidos vegetais constituídos por células mortas:

a) Colênquima e parênquima paliçádico.

b) Súber e parênquima paliçádico.

c) Esclerênquima e colênquima.

d) Súber e colênquima.

e) Súber e esclerênquima.

47. (UNIFOR) Considere a figura de um corte transversal de uma folha.

47

A região indicada pela seta é aquela em que na folha há:

a) Entrada de oxigênio.

b) Entrada de gás carbônico.

c) Transpiração.

d) Gutação.

e) Fotossíntese.

48. (CESGRANRIO) “No Chile, todos os anos, no começo da primavera, são cortadas muitas palmeiras e, quando os troncos jazem no chão, decepam-lhes as ramagens: a seiva começa então a brotar da incisão. Uma boa palmeira produz cerca de 40 litros de seiva, que é concentrada pela fervura, quando então recebe o nome de melaço”.

       (Trecho do livro: “A Viagem ao redor do Mundo” – Charles Darwin).

Essa seiva é constituída de:

a) Substâncias orgânicas produzidas e existentes no xilema.

b) Substâncias orgânicas que percorrem vasos liberianos.

c) Substâncias inorgânicas que percorrem vasos lenhosos.

d) Água e sais minerais resultantes do processo fotossintético.

e) Sais e glicídios sintetizados e existentes no floema.

49. (UFMG) Observe os esquemas de tecidos, numerados de 1 a 5.

49

Indique a alternativa que contém os números relacionados apenas a tecidos vegetais.

a) 1 e 4.

b) 1 e 5.

c) 2 e 3.

d) 2 e 4.

e) 3 e 5.

50. (FURG) Considerando os tecidos vegetais, relacione a coluna 1 com a coluna 2.

COLUNA 1

I. Tecido que garante a flutuação de plantas aquáticas.

II. Tecido que garante a sobrevivência de plantas em ambientes secos como desertos.

III. Tecido responsável pelo crescimento em comprimento de caules e raízes.

IV. Tecido responsável pelo crescimento em espessura dos caules.

V. Tecido responsável pela fotossíntese.

VI. Tecido de características mecânicas que serve para a sustentação da planta.

COLUNA 2

(  ) Câmbio.

(  ) Meristema apical.

(  ) Esclerênquima.

(  ) Parênquima clorofiliano.

(  ) Parênquima aerífero.

(  ) Parênquima aquífero.

Assinale a alternativa com a sequência correta:

a) I, II, III, V, VI e IV.

b) III, I, II, IV, V e VI.

c) III, IV, VI, I, II e V.

d) IV, VI, III, V, I e II.

e) IV, III, VI, V, I e II.

51. (UDESC) Considere os tecidos vegetais e as suas características e, depois, selecione a alternativa que apresenta correspondência correta entre as colunas.

I. Meristema secundário.

II. Tegumentar.

III. Esclerênquima.

IV. Parênquima clorofiliano.                                

1. Função de sustentação.

2. Função de síntese.

3. Se desdiferenciam e tornam a ter capacidade de se dividirem intensamente.

4. Predominante nas folhas.

5. Formado por células vivas.

6. Função de proteção.

a) I – 3; II – 2; III – 4; IV – 5.

b) I – 1; II – 2; III – 3; IV – 4.

c) I – 4; II – 3; III – 6; IV – 5.

d) I – 5; II – 6; III – 1; IV – 2.

e) I – 6; II – 5; III – 1; IV – 4.

52. (UFRGS) Associe as denominações listadas na coluna A às alternativas da coluna B que melhor as explicam.

COLUNA A

(  ) Floema.

(  ) Parênquima.

(  ) Esclerênquima.

(  ) Xilema.

(  ) Meristema.

COLUNA B

1.Tecido embrionário.

2.Tecido de sustentação.

3.Tecido de condução.

4.Tecido de síntese e armazenamento.

A relação numérica correta, de cima para baixo, na coluna A, é:

a) 34231.

b) 32 - 134.

c) 434 - 12.

d) 421 - 33.

e) 23143.

53. (UFRRJ) Em pesquisas desenvolvidas com eucaliptos, constatou-se que, a partir das gemas de um único ramo, podem-se gerar cerca de 200 mil novas plantas em aproximadamente duzentos dias, enquanto os métodos tradicionais permitem a obtenção de apenas cerca de cem mudas a partir de um mesmo ramo. A cultura de tecido é feita a partir:

a) De células meristemáticas.

b) De células da epiderme.

c) De células do súber.

d) De células do esclerênquima.

e) De células do lenho.

54. (UPE) Observe o quadro sobre os tecidos vegetais e identifique 3 associações corretas entre função, morfologia das células e a sua ocorrência na planta.

TECIDO

FUNÇÃO

MORFOLOGIA DAS CÉLULAS

OCORRÊNCIA

I.

Colênquima

A) Assimilação e armazenamento de substâncias. 1) Formado por camadas de células mortas e ocas reduzidas a uma parede reforçada por uma substância impermeável. a) Caules e raízes de plantas lenhosas.

II.

Esclerênquima

B) Sustentação de partes da planta e proteção a algumas sementes.

2) Formado por células vivas e alongadas ligadas umas às outras pela extremidade, formando um tubo; no ponto de união suas paredes têm crivos. b) Cascas e sementes (caroço) de alguns frutos.

III.

Líber

C) Condução da seiva elaborada. Formado por células mortas de paredes celulares espessas, ricas em lignina. As células são as fibras e os esclereídeos. c) Caules jovens, pecíolos das folhas e nervuras.

IV.

Parênquima

D) Confere resistência e flexibilidade aos órgãos das plantas.

4) Formado por células vivas com pouco citoplasma e grandes vacúolos, paredes com fina lamela média de pectina e espessa de celulose. d) Tecido de preenchimento encontrado em todos os órgãos vegetais.

V.

Súber

E) Proteção contra a evaporação, isolamento térmico e defesa de partes delicadas do caule e raízes.

Formado por células vivas e alongadas com paredes ricas em celulose e pectina.

e) Desde a raiz até as folhas.

a) I D 3 c; II A 3 b; III C 2 a.

b) II B 2 b; IV A 1 d; V E 3 a.

c) I D 5 c; II B 4 e; III A 2 d.

d) III C 2 e; IV A 4 d; V E 1 a.

e) I A 5 c; IV C 1 d; V D 2 a.

55. (UFSC) Parênquimas são tecidos vegetais que preenchem os espaços entre a epiderme e os tecidos condutores. Faça a associação correta entre os parênquimas vegetais e a principal função que desempenham.

PARÊNQUIMAS

FUNÇÃO

A – medular I – reserva de água
B – clorofiliano II – preenchimento
C – amilífero III – reserva de ar
D – aquífero IV – assimilação
E – aerênquima  V – reserva de amido

Assinale a(s) associação(ões) correta(s):

I   II

0   0 – A – II.

1   1 –  B – IV.

2  2 –  C – V.

3  3 –  D – III.

4  4 –  E – I.

56. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA)  Plantas jovens e muito semelhantes foram de inicio cultivadas num meio nutritivo sem a presença de nitrogênio. A partir de determinado momento, foram regadas com uma solução de nitratos, em que o elemento nitrogênio era radioativo. A intervalos regulares retiraram-se algumas plantas e investigou-se nelas a presença de matéria radioativa em cortes realizados nas raízes e nas folha. O quadro abaixo resume os resultados obtidos.

TEMPOS (EM HORAS)

0

12

18

120

126

Raiz

Seiva brutaSeiva elaborada

-

-

+

-

+

-

+

-

+

+

Folha

Seiva brutaSeiva elaborada

-

-

-

-

+

-

+

+

+

+

Resultado: presença (+) ou ausência (-) de radiação.

Após análise dos resultados, foram feitas as afirmativas abaixo.

I. O nitrogênio, fazendo parte da seiva bruta, passou, através do xilema, da raiz às folhas.

II. O elemento nitrogênio encontra-se sob a forma orgânica no xilema.

III. Após a realização da fotossíntese, fazendo parte da seiva elaborada, o nitrogênio passou, através do floema, das folhas às raízes.

IV. No floema, o nitrogênio encontra-se sob a forma mineral.

As afirmativas corretas são:

a) I e II, apenas.

b) I e III, apenas.

c) I e IV, apenas.

d) II e III, apenas.

e) II e IV, apenas.

57. (FATEC-SP) Um pesquisador pode inferir o ambiente onde uma espécie vegetal vive e a natureza de sua reprodução através das características morfológicas. Assim, uma espécie A possui flores vistosas com odor penetrante, folhas largas com cutícula fina e poucas camadas de parênquima paliçádico; uma outra espécie B possuir flores pequenas com grande produção de pequenos grãos de pólen, folhas estreitas com cutícula espessa e estômatos no interior de cavidades. A conclusão correta que deve chegar o pesquisador sobre as duas espécies vegetais é:

a) A espécie A ocorre em regiões com alta pluviosidade e é polinizada por insetos, enquanto que a espécie B ocorre em regiões áridas e possui polinização pelo vento.

b) A espécie A ocorre em regiões áridas e possui polinização pelo vento, enquanto que a espécie B ocorre em regiões de alta pluviosidade e é polinizada por insetos.

c) A espécie A ocorre em regiões com alta pluviosidade e possui polinização pelo vento, enquanto que a espécie B ocorre em regiões áridas e possui polinização por insetos.

d) A espécie A ocorre em regiões áridas e possui polinização por insetos, enquanto que a espécie B ocorre em regiões de alta pluviosidade e é polinizada pelo vento.

e) Não há informações suficientes para inferir sobre o ambiente onde vivem estas plantas e a natureza de sua reprodução.

58. (EFOA-MG) Com relação aos tecidos vegetais, pode-se dizer que:

a) A cutina é uma substância impermeabilizante encontrada nas células do súber.

b) Lenticelas e estômatos são estruturas encontradas como anexos de epiderme, cuja função é permitir as trocas gasosas do vegetal com o meio.

c) O lenho ou xilema é responsável pelo transporte nos vegetais, sendo formado, principalmente, por vasos liberianos.

d) O câmbio é uma modalidade de meristema secundário, responsável pelo espessamento do vegetal.

e) O parênquima clorofiliano é fundamental à sobrevivência do vegetal, sendo, portanto, amplamente distribuído do caule à raiz.

59. (UFRGS) Nos vegetais, os tecidos permanentes que têm função de (1) revestimento, (2) sustentação, (3) condução e (4) enchimento, são:

a) (1) epiderme e súber; (2) parênquimas; (3) colênquima e esclerênquima; (4) xilema e floema.

b) (1) parênquimas; (2) xilema e floema; (3) epiderme e súber; (4) colênquima e esclerênquima.

c) (1) epiderme e súber; (2) colênquima e esclerênquima; (3) xilema e floema; (4) parênquimas.

d) (1) colênquima e esclerênquima; (2) xilema e floema; (3) parênquimas; (4) epiderme e súber.

e) (1) xilema e floema; (2) colênquima e esclerênquima; (3) epiderme e súber; (4) parênquimas.

60. (UFRRJ) Sobre o esquema a seguir, são feitas algumas afirmativas.

60

I. O esquema representa o tecido vegetal de sustentação.

II. Nesse sistema, movimenta-se uma solução orgânica onde predominam açúcares solúveis.

III. Esse tecido está presente em todos os vegetais terrestres.

IV. A movimentação de solução orgânica nesse sistema faz-se da região mais concentrada para a menos concentrada.

Sobre as afirmativas, pode-se concluir que apenas:

a) II e III estão corretas.

b) II e IV estão corretas.

c) I e IV estão corretas.

d) I e II estão corretas.

e) I e III estão corretas.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

C

C

A

D

D

B

B

E

D

VFFVV

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

A

D

B

E

VFVFV

A

B

A

D

FFVVV

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

B

C

D

A

E

A

A

E

A

A

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

A

B

C

A

E

D

D

E

D

B

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

C

D

D

D

FVVVF

E

E

B

D

E

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

D

A

A

D

VVVFF

B

A

D

C

B

 

Publicado por: Djalma Santos | 27 de março de 2013

Testes de genética molecular

01. (UNICENTRO) A fenilcetonúria, também conhecida como PKU, é um erro inato clássico do metabolismo causado pela deficiência de uma enzima no metabolismo do aminoácido fenilalanina. Tal doença, se não diagnosticada precocemente, pode desencadear sintomas como retardo mental, atraso no desenvolvimento psicomotor e hiperatividade. Um diagnóstico simples pode ser realizado através do teste do pezinho nos primeiros dias de vida e o tratamento é baseado em uma dieta pobre no aminoácido fenilalanina.

                                                                  (A FENILCETONÚRIA…,2011).

A fenilalanina é um dos aminoácidos codificados no código genético, sendo de grande importância na constituição das proteínas. Sobre a síntese de proteínas, é correto afirmar:

a) O RNA transportador é responsável pela síntese e transporte do aminoácido específico até os ribossomos.

b) Se no RNA mensageiro o códon a ser lido for GUA, o RNA transportador que traz o aminoácido específico se ligará com o anticódon CAT.

c) Cada três bases de RNA ribossômico codifica um aminoácido específico da proteína.

d) A mesma fita de RNA mensageiro poderá ser lida por vários ribossomos, resultando em várias moléculas proteicas iguais.

e) A fenilalanina e os demais 19 aminoácidos correspondem a um único códon específico no RNA mensageiro.

02. (PUC-SP) No fenômeno denominado transformação bacteriana:

a) Duas bactérias se aproximam e o cromossomo de uma passa para a outra.

b) O patrimônio genético é modificado pela penetração de uma molécula de DNA ou de um fragmento de DNA na bactéria.

c) O patrimônio genético de uma bactéria é modificado como consequência do impacto de radiações ionizantes em seu DNA.

d) O patrimônio genético das bactérias é modificado com ultravioleta.

e) O patrimônio genético das bactérias é modificado colocando-se antibióticos em cultura de bactérias resistentes.

03. (UEG) Embora a quase totalidade dos tipos de DNA existentes possua duas hélices, como foi sugerido por Watson e Crick, sabe-se da existência de DNA que possui apenas uma hélice. Mesmo que você não conheça esse tipo de DNA, será possível, empregando seus conhecimentos sobre a estrutura dos ácidos nucleicos, assinalar, entre as afirmativas abaixo, qual deve ser a correta?

a) O DNA com uma só hélice contém uracil em vez de timina.

b) O DNA com uma só hélice tem, obrigatoriamente, uma quantidade de adenina igual à de timina.

c) O DNA de uma só hélice pode conter teores diferentes de adenina e timina, assim como de citosina e guanina.

d) O DNA de uma só hélice deve conter, obrigatoriamente, as mesmas quantidades de citosina e guanina.

e) O DNA de uma só hélice contém ribose, em vez de desoxirribose.

04. (UNIOESTE) Em uma das fitas de DNA de uma espécie de vírus encontram-se 90 Adeninas e 130 Citosinas. Sabendo-se ainda que nessa fita ocorre um total de 200 bases púricas e 200 bases pirimidinas, assinale a alternativa correta.

a) Na dupla fita de DNA ocorrem 180 Adeninas.

b) Na dupla fita de DNA ocorrem 140 Guaninas.

c) Na fita complementar ocorrem 300 bases púricas e 100 bases pirimidinas.

d) Na fita complementar ocorrem 70 Adeninas e 110 Citosinas.

e) Não é possível determinar a composição de bases nitrogenadas da fita complementar.

05. (UESPI) Apesar do coquetel anti-HIV, a AIDS ainda é responsável por grande mortandade no planeta. Considerando o que se sabe sobre o ciclo replicativo do vírus HIV, ilustrado abaixo, é correto afirmar o que segue.

05

a) O vírus é formado por moléculas de DNA envoltas por um capsídeo e um envelope lipoproteico.

b) Glicoproteínas do envelope viral fazem a adesão aos receptores CD8 da membrana celular.

c) O RNA viral é inserido no núcleo pela enzima integrase que o fusiona ao DNA celular.

d) O DNA viral é transcrito e traduzido formando proteases que degradam o DNA celular.

e) Drogas que inibem a ação da transcriptase reversa viral impedem a produção dos provírus.

06. (UDESC) Analise o quadro abaixo:

ÁCIDO NUCLEICO

NO DE FITAS

BASES NITROGENADAS

TIPO DE AÇÚCAR

DNA

(1)

(3)

(5)

RNA

(2)

(4)

(6)

Assinale a alternativa correta em relação à correspondência entre o número indicado no quadro

acima e a característica correspondente do ácido nucleico DNA ou RNA, respectivamente:

a) (1) duas, (2) uma, (3) Adenina, Citosina, Guanina, Timina e Uracila, (4) Adenina, Citosina, Guanina, Timina e Uracila, (5) desoxirribose, (6) ribose.

b) (1) duas, (2) uma, (3) Uracila, (4) Timina, (5) desoxirribose, (6) ribose.

c) (1) duas, (2) uma, (3) Adenina, Citosina, Guanina e Timina, (4) Adenina, Citosina, Guanina e Uracila, (5) desoxirribose, (6) ribose.

d) (1) duas, (2) uma, (3) Adenina, Citosina, Guanina e Timina, (4) Adenina, Citosina, Guanina e Uracila, (5) ribose, (6) desoxirribose.

e) (1) uma, (2) duas, (3) Adenina, Citosina, Guanina e Uracila, (4) Adenina, Citosina, Guanina e Timina, (5) desoxirribose, (6) ribose.

07. (UEG) Um cientista obteve duas linhagens de uma determinada bactéria. Uma delas, não produzia as substâncias A, B e C, mas produzia as substâncias D, E e F. A outra, produzia A, B e C, mas não produzia D, E e F. As duas linhagens foram cultivadas no mesmo meio de cultura. Constatou-se, ao fazer a repicagem da cultura, o aparecimento de uma terceira linhagem capaz de sintetizar todas as substâncias referidas (A, B, C, D, E e F). A interpretação para o que ocorreu é a seguinte

a) No meio de cultura houve troca de partes das moléculas de DNA entre as bactérias pertencentes às duas linhagens.

b) No meio de cultura houve troca de moléculas de RNA mensageiro entre as bactérias pertencentes às duas linhagens.

c) No meio de cultura houve troca de informações codificadas no RNA transportador.

d) No meio de cultura houve troca de enzimas entre as bactérias pertencentes às duas linhagens.

e) Bactérias que sintetizavam as substâncias A, B e C, experimentaram mutações que lhes permitiram também sintetizar as substâncias D, E e F.

08.  (COVEST) Em 1993, o pesquisador e surfista Kary Mullis ganhou o prêmio Nobel de química pela descoberta e aplicação das propriedades da enzima Taq  polimerase, isolada da bactéria  Thermus aquaticus, encontrada em fontes hidrotermais. A enzima realiza a duplicação artificial do DNA por meio de uma reação em cadeia da polimerase (PCR), e tal propriedade tem sido aplicada em testes de mapeamento genético humano. Sobre os processos de replicação celular e in vitro do DNA, considere as proposições que se seguem.

I   II

0 0 – Devido ao tamanho relativamente menor e à mais alta taxa metabólica, organismos  procariotos replicam o DNA mais rapidamente  que organismos eucariotos.

1  1 – A enzima DNA polimerase pareia novos  nucleotídeos a cada uma das fitas mães do  DNA, à medida que a forquilha de replicação promove a separação das mesmas no núcleo celular.

2  2 – Na divisão celular, uma das fitas novas do DNA será produzida de forma contínua, no sentido oposto à forquilha de replicação, enquanto a outra será produzida em partes, depois unidas por enzimas.

3  3 – Na PCR, a separação da dupla fita do DNA é realizada elevando-se a temperatura até próximo de 100oC; o início da replicação depende da união de oligonucleotídeos específicos ao DNA.

4  4 – A confiabilidade dos testes de paternidade com a análise do DNA chega a 99,9 %, porque um grande número de genes de todos os cromossomos do suposto pai e do suposto filho são analisados.

09. (UENP) O DNA é a molécula detentora do código genético de uma célula, sendo que a sequência das bases nitrogenadas codifica a sequência dos aminoácidos de uma proteína. Analise a sequência de bases nitrogenadas do fragmento de DNA descrito abaixo.

09

Considere que toda a sequência de bases nitrogenadas compreendida entre as duas setas (GGTCATTACGTG) codifique uma proteína hipotética, sendo que o asterisco indica a fita molde. Assinale a alternativa que contém afirmação incorreta.

a) Os aminoácidos que constituem a dupla fita do DNA são constituídos de bases nitrogenadas, desoxirribose e fosfato.

b) Ambas as extremidades do RNA mensageiro transcrito, codificado pela sequência indicada, possuem a base nitrogenada citosina.

c) A proteína codificada por essa sequência contém quatro aminoácidos.

d) A sequência de bases nitrogenadas do RNA mensageiro transcrito possui a seguinte sequência: CCAGUAAUGCAC.

e) No DNA as duas extremidades dessa sequência (apontadas pelas setas) apresentam bases nitrogenadas púricas.

10. (UECE) O conceito de gene tem evoluído muito nos últimos anos, particularmente em decorrência da descoberta do splicing, processo que elimina introns. Podemos afirmar, corretamente, que o tipo de ácido nucleico envolvido neste processo e o local de ocorrência são respectivamente:

a) DNA e núcleo.

b) RNA e núcleo.

c) DNA e citoplasma.

d) RNA e citoplasma.

11. (UFMS) Analise os processos A, B e C, conforme esquema abaixo, relacionados aos eventos celulares de síntese de DNA, RNA e proteínas.

11

Sobre tais processos, é correto afirmar:

I   II

0  0 – O processo A corresponde à tradução.

1  1 – O processo B corresponde à replicação (duplicação).

2  2 – O processo C corresponde à tradução.

3  3 – O processo B corresponde à transcrição.

4  4 – O processo A corresponde à replicação (duplicação).

12. (UNIMONTES) Hemopatias malignas são doenças clonais que derivam de uma única célula na medula óssea ou no tecido linfoide periférico, a qual sofreu uma alteração genética. O tratamento específico visa reduzir a massa tumoral por meio de drogas e/ou radioterapia. A figura a seguir mostra alguns sítios de ação de drogas usadas nessas doenças.

12

Considerando a figura apresentada e o assunto abordado, analise as alternativas abaixo e assinale a que corresponde à molécula I, alvo das antraciclinas, etoposide, bleomicina e dos agentes alquilantes.

a) RNA.

b) DNA.

c) Proteína.

d) Nucleotídeo.

13. (ANGLO-SP) O DNA, que contém a informação genética, tem dois papeis fundamentais na célula. O primeiro é se replicar, isto é, produzir cópias idênticas a ele mesmo. O segundo papel é a transcrição, na qual o DNA produz o RNA que controla a síntese de proteínas. Assinale a alternativa correta em relação a esses processos:

a) A replicação controla a célula, por meio da síntese de enzimas (proteínas de controle das reações) feita pelo DNA.

b) A transcrição possibilita o envio de cópias de RNA para as células-filhas, transmitindo as informações hereditárias.

c) A replicação é um processo de tradução da informação genética em moléculas de proteínas.

d) A transcrição é um processo de autoduplicação da molécula de RNA, necessária à síntese proteica.

e) A inibição do processo de replicação poderia causar um bloqueio no mecanismo de divisão celular.

14. (UFAM) Em 1995, o cientista Craig Venter publicou o primeiro sequenciamento de DNA completo de um organismo, o genoma da bactéria que causa uma forma rara de meningite. Nesse genoma foram encontrados cerca de 1.743 genes compostos por 1.830.137 pares de bases. Isso é um genoma “pequeno” para os dias atuais. Mas gerou uma elevada demanda de tempo para sua solução. Cinco anos depois, Venter (na época na empresa Celera Genomics) se aventurou no sequenciamento de 30.000 genes e 3,2 bilhões de pares de bases do genoma humano. O sequenciamento do genoma humano foi publicado em 2001. O desafio que se apresenta no século 21 é determinar a função desses genes. Tal solução irá implicar em profundo avanço nas questões médicas e biológicas. O genoma humano compreende vários genes, exceto:

a) Genes que codificam proteínas.

b) Genes que codificam RNAm.

c) Genes que codificam a sequência de ácidos graxos em um polissacarídeo.

d) Sequências que não codificam genes.

e) Genes para RNA ribossomal e RNA de transferência.

15. (UPE) Na natureza, existem dois tipos celulares básicos: procariontes e eucariontes. Entre os eucariontes, temos células animais e vegetais. Sobre a estrutura química do material genético dos referidos tipos celulares, analise as afirmativas a seguir:

I. Nos procariontes, o DNA (material genético) é composto por unidades chamadas nucleotídeos, constituídos de um açúcar de cinco carbonos, a desoxirribose, uma base nitrogenada e um radical fosfato. No entanto, nos eucariontes, o açúcar é a ribose.

II. Em todos os tipos celulares, o DNA (material genético) é composto de um açúcar, a desoxirribose, uma base nitrogenada (púrica ou pirimídica) e um radical fosfato, formando uma molécula dupla-hélice (modelo de Watson e Crick).

III. Em todos os tipos celulares, o DNA (material genético) é formado por duas cadeias de nucleotídeos, compostos de um açúcar de cinco carbonos, a desoxirribose, um radical fosfato e uma base nitrogenada cujas quantidades de adenina e guanina são iguais bem como as de citosina e timina.

IV. Nos procariontes, seres unicelulares mais simples, o DNA (material genético) é um polinucleotídeo fita simples, enquanto, nos eucariontes, é um polinucleotídeo do tipo dupla-hélice (modelo de Watson e Crick).

V. Em todos os tipos celulares, o DNA (material genético) é uma dupla-hélice resultante de dois polinucleotídeos paralelos, ligados entre si por suas bases, através de pontes de hidrogênio entre pares de bases específicas: a adenina emparelha-se com a timina, e a guanina, com a citosina.

Estão corretas:

a) I e III.

b) II, IV e V.

c) II e V.

d) III e V.

e) IV e V.

16. (ANGLO-SP)

Analise o texto a seguir, relacionado à estrutura e à função do DNA:

Na década de 1950, os pesquisadores Watson e Crick propuseram seu modelo da molécula de DNA, substância detentora da informação genética dos seres vivos. A compreensão do modelo permitiu que se aceitasse uma ideia que carregava uma aparente contradição. Ao mesmo tempo em que a estrutura do DNA era extremamente parecida nos diferentes seres vivos, ela era suficientemente diferente para garantir as características que definem cada espécie, além de se revelar capaz de perpetuar essas características ao longo do tempo.

16

Qual das alternativas abaixo contém palavras-chave que justificariam corretamente os termos em negrito, na ordem em que se encontram no texto?

a) Dupla-hélice, tipos de bases, mutação.

b) Tipos de bases, dupla-hélice, transcrição.

c) Dupla-hélice, sequência de bases, duplicação.

d) Pareamento das bases, estrutura espacial da molécula, duplicação.

e) Sequência de bases, dupla-hélice, duplicação.

17. (UEFS) Como geralmente acontecia aos sábados de manhã, comecei a trabalhar no laboratório de Cavendish, da Universidade de Cambridge, antes de Francis Crick, no dia 28 de fevereiro de 1953. Eu tinha bons motivos pra levantar cedo. Sabia que estávamos perto de decifrar a estrutura de uma molécula quase desconhecida na época, chamada ácido desoxirribonucleico (DNA). Mas essa não era uma molécula qualquer: o DNA, como Crick e eu estávamos cientes, contém a chave da natureza das coisas vivas, armazenando as informações hereditárias que são passadas de uma geração a outra e orquestrando o mundo inacreditavelmente complexo da célula. Se decifrássemos sua estrutura tridimensional, a arquitetura da molécula, teríamos um vislumbre do que Crick chamava de “o segredo da vida”. (WATSON, 2005, p. 11).

Com base no texto e nos conhecimentos relacionados à estrutura da molécula de DNA, analise, dentre as proposições a seguir, aquela que reflete informações corretas sobre a estrutura dessa molécula.

a) “Dois tipos de desoxinucleotídeos constituem as unidades que formam cada uma das cadeias da molécula de DNA”.

b) “A molécula consiste em uma cadeia única de nucleotídeos, estabelecendo pareamentos transitórios entre as bases nitrogenadas A-T e G-C em regiões específicas”.

c) “A formação de ligações de Hidrogênio unem pares de bases específicos na dupla hélice”.

d) “O pareamento inespecífico estabelecido entre as bases complementares na dupla hélice é a base para a fidelidade da replicação conservativa do DNA”.

e) “A possibilidade de formação de quatro moléculas filhas idênticas a partir de uma molécula molde caracteriza a base molecular da hereditariedade”.

18. (UEPG) Com relação às biomoléculas de DNA e RNA, assinale o que for correto.

I  II

0 0 – O RNA mensageiro carreia a informação do gene, na forma de mensagem, para os ribossomos, onde a informação é traduzida em proteína.

1  1 – O DNA tem funções de hereditariedade e armazenamento das informações genéticas.

2 2 – O DNA é constituído por duas fitas de nucleotídeos e as ligações do tipo pontes de hidrogênio mantêm as duas fitas de DNA unidas.

3  3 – O DNA é uma fita simples e possui adenina, citosina, guanina e uracila.

4  4 – O RNA transportador ou de transferência auxilia no transporte dos hormônios durante a secreção.

19. (UNB) As figuras abaixo representam fragmentos da estrutura do DNA, o qual corresponde a moléculas enormes cujas massas moleculares podem variar de 6 × 106u a 16 × 106u.

19

Um dos objetivos de um experimento clássico da biologia é a extração do DNA de células de cebola. Nesse experimento, o material biológico é colocado em um béquer que contém solução aquosa de cloreto de sódio e detergente e, em seguida, é aquecido em banho-maria. Após o resfriamento e a filtração da solução, é adicionado etanol ao líquido obtido e o DNA precipita-se na superfície da solução.

Considerando as informações acima, assinale a alternativa incorreta:

a) Na figura II, na qual está esquematizada parte de uma fita da molécula de DNA, os algarismos 1, 2 e 3 representam, respectivamente, grupamento fosfato, desoxirribose e base nitrogenada.

b) No experimento mencionado, o detergente contribui para a ruptura das membranas lipídicas das células.

c) Na figura III, as distâncias entre os átomos de nitrogênio e de oxigênio, identificadas por d1 e d2, são menores que a distância entre os átomos de nitrogênio, assinalada como d3.

d) No grupamento fosfato, representado na figura I, são iguais os comprimentos das ligações entre o fósforo e os três oxigênios que não estão ligados à parte orgânica da molécula.

20. (COVEST) Foi realizada uma experiência com duas linhagens (A e B) do vírus mosaico do tabaco (T.M.V.) em que foram isolados as capas proteicas e o RNA (ácido ribonucleico) de cada linhagem. A seguir, foi reconstituído um vírus “híbrido” o qual possuía o RNA da linhagem A e a proteína da linhagem B. Esse vírus “híbrido” foi utilizado para a infecção de folhas sadias de fumo. Com relação aos novos vírus produzidos, após a infecção, pode-se afirmar que estes apresentam.

a) RNA e proteína da linhagem B.

b) RNA e proteína da linhagem A.

c) RNA da linhagem A e proteína da linhagem B.

d) RNA da linhagem B e proteína da linhagem A.

e) RNA e proteína “híbridos” entre a A e a B.

21. (UFBA)

21

A análise dos diferentes níveis integrativos apresentados na ilustração acima revela:

I   II

0  0 – A associação de múltiplas moléculas de DNA, constituindo um único cromossomos linear.

1  1 – A natureza dinâmica das biomoléculas, refletida nos diferentes estados de organização do material genético.

2 2 – A universalidade da mesma estrutura cromossômica como base física da hereditariedade.

3  3 – A existência da célula como fruto de integração dos diversos níveis moleculares e base da expressão da vida nos demais níveis.

4 4 – A codificação de mensagens genéticas em sequências de unidades constituídas de fosfato, açúcar e base nitrogenada.

22. (UEFS) Na tentativa de decifrar o código genético, foram feitos diversos experimentos relacionando os tripletes de nucleotídeos com os seus aminoácidos correspondentes. O primeiro desses experimentos foi realizado por Marshall Niremberg e Heinrich Matthaei e envolveu a tradução in vitro de polímeros sintéticos de RNA. Desse modo, utilizando-se polímeros de RNA contendo misturas de nucleotídeos, conseguiu-se decifrar o significado do código de todos os 64 tripletes de nucleotídeos possíveis. Com base nos conhecimentos advindos dos experimentos realizados pelos cientistas na tentativa de elucidar o código genético, é possível afirmar:

a) Cada trinca de nucleotídeos corresponde especificamente à decodificação de um único RNA mensageiro.

b) Dentre as trincas de aminoácidos que constituem o código genético, dez possíveis combinações levam à incorporação de nucleotídeos que finalizam a síntese proteica.

c) Diferentes tipos celulares utilizam distintos códigos genéticos para viabilizar a produção variada de proteínas, compatível com a função celular específica.

d) Muitos aminoácidos são especificados por mais de um códon, explicando, assim, a existência de 64 tipos de códons e de apenas 20 tipos de aminoácidos.

e) Em todos os seres vivos, os códons existentes codificam exatamente os mesmos aminoácidos, inclusive em se tratando de DNA mitocondrial.

23. (UNEMAT) Comemorou-se, em março de 2011, os dez anos do Projeto Genoma Humano. Esta empreitada mundial de geneticistas levou ao sequenciamento de todos os genes de uma pessoa. Assinale a alternativa correta quanto a esta pesquisa que levou a biologia a novos paradigmas.

a) Um gene é transcrito em RNA mensageiro que deixa o núcleo e é lido pelo ribossomo para ser traduzido em proteína.

b) Aquilo que somos é determinado exclusivamente por nossos genes: nossa aparência, comportamento e até as doenças que teremos.

c) O genoma de uma célula da retina é diferente daquele de uma célula da pele, por isso essas células realizam funções diferentes.

d) O DNA de células procarióticas, como as bactérias, fica organizado em cromossomos dentro do núcleo.

e) O maior genoma que existe é certamente o do ser humano devido ao seu alto grau de complexidade.

24. (FGV) A respeito dos processos de sínteses de DNA, RNA e proteínas, pode-se afirmar que:

a) A transcrição é um processo fundamental para a produção de uma proteína e ocorre nos ribossomos.

b) A síntese de proteínas pode ser chamada, também, de transcrição, e todo processo ocorre no hialoplasma.

c) Uma das diferenças entre a replicação e a transcrição é que apenas no primeiro processo todo genoma é copiado.

d) Todos os tipos de RNAs envolvidos na síntese de proteínas são os RNAs ribossomais e os RNAs mensageiros.

e) Na replicação, o DNA sintetizado é formado por duas cadeias iguais, unidas por pontes de hidrogênio.

25. (UPE) O exemplo mostrado no texto a seguir revela o potencial que as ferramentas usadas em genética podem ter para inibir a exploração e o comércio de produtos e espécimes da fauna, auxiliando na conservação das espécies ameaçadas.

Um dos casos mais interessantes da genética molecular forense envolveu o comércio ilegal de carne de baleias no Japão e Coreia. A pedido do Earthrust, Baker e Palumbi (1996) desenvolveram um sistema para monitorar esse comércio, utilizando sequências de DNAmt e PCR, que distinguiam, com confiança, uma  variedade de espécies de baleias umas das outras e de golfinhos. As análises revelaram que parte das amostras obtidas em mercados varejistas não era de baleias Minke, nas quais o Japão caçava para “fins científicos”, mas sim de baleias Azuis, Jubartes, Fin e de Bryde, as quais são protegidas por lei. Além disso, parte da “carne de baleia” era na realidade de golfinhos, botos, ovelhas e cavalos. Assim, além da ilegalidade da caça das baleias, os consumidores estavam sendo ludibriados.

Fonte: Adaptado de Fankham et al., 2008 – Genética da Conservação.

Leia as proposições abaixo sobre a reação em cadeia da polimerase (PCR):

I. Antes da PCR, para se detectarem genes ou VNTRs (número variável de repetições em sequência), havia a obrigação de se ter grande quantidade de DNA alvo.

II. Pela PCR, promove-se a deleção de trechos do DNA in vivo, usando polimerases de DNA.

III. A técnica da PCR permitiu a obtenção de grandes quantidades de fragmentos específicos do DNA por meio da amplificação em ciclos.

IV. O DNA a ser amplificado não pode ser submetido a temperaturas altas, acima de 40°C, sob pena de desnaturar e não mais renaturar.

Apenas é correto afirmar o que está contido nas proposições:

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

26. (PUC-MG) Observe o esquema abaixo.

26

O processo pelo qual novas moléculas de RNA virais são formadas é denominado de:

a) Tradução.

b) Transdução.

c) Fissão.

d) Transcrição.

27. (UFMT) Observe a via metabólica esquematizada abaixo:

27

De acordo com a teoria “um gene – uma enzima” pode-se afirmar que:

a) Na conversão A → B não há controle enzimático.

b) Um indivíduo deficiente da enzima I não formará pigmentos, a menos que lhe seja fornecido o composto B pronto.

c) As etapas de reações sob ação de I e II, provavelmente, não devem ser controladas por enzimas.

d) Um indivíduo deficiente de I poderá formar pigmentos se lhe for fornecido o composto A pronto.

e) Neste esquema há um único gene que atua na produção de pigmentos.

28. (UPE) O termo “mundo de RNA” foi criado por Gilbert, em 1986, para delinear um cenário no qual a principal molécula ativa na origem da vida era o RNA. Em relação à hipótese do mundo de RNA, conclui-se que:

I    II

0  0 – A reprodução e o metabolismo das primeiras formas de vida dependiam das atividades  catalíticas e replicativas do RNA.

1   1 – Ao se multiplicarem, moléculas de RNA produziam versões ligeiramente diferentes entre  si; algumas delas tinham maior capacidade de se perpetuarem e de se reproduzirem,  transmitindo essas características à descendência.

2   2 – O RNA é a única molécula capaz de armazenar informação genética nos primódios e nos  tempos atuais, propriedade que, até alguns anos atrás, se acreditava limitada às proteínas.

3  3 – O RNA precedeu o DNA, visto exercer vários papéis na célula, tais como: mensageiro  (RNAm), transportador (RNAt), ribossômico (RNAr). Além disso, os ribonucleotídeos são derivados dos desoxirribonucleotídeos, e o DNA não é tão estável quanto o RNA.

4  4 – A catálise das ribozimas no mundo de RNA, há bilhões de anos, era muito mais eficiente por   causa das baixas temperaturas, quando comparada à catálise atual das enzimas proteicas, o  que reforça a hipótese do RNA como molécula inicial.

29. (UNB) O conhecimento da sequência de DNA, ou seja, da ordem das bases nitrogenadas em moléculas ou fragmentos de DNA, tem se tornado indispensável tanto na área de pesquisa quanto no setor de diagnóstico. Os primeiros sequenciamentos, realizados na década de 70 do século passado, tiveram como base protocolos laboratoriais complexos, caros e demorados. O projeto do genoma humano impulsionou o desenvolvimento da tecnologia, que, hoje, possibilita a realização, em algumas horas, do sequenciamento de genomas completos. Os equipamentos mais difundidos atualmente definem a sequência de fragmentos de DNA com base na separação de moléculas em eletroforese capilar.

Considerando o texto acima e as múltiplas implicações do assunto nele abordado, assinale a alternativa correta.

a) No núcleo de uma célula somática diploide de um indivíduo da espécie humana sem qualquer aberração cromossômica, existem 92 moléculas lineares de DNA, quantidade que é duplicada na fase S do ciclo celular.

b) A molécula de DNA é replicada de maneira semiconservativa, isto é, a molécula replicada é constituída por uma das fitas antigas e uma fita nova, tendo esta a fita antiga como molde para definir a sequência das bases nitrogenadas.

c) A principal realização do projeto do genoma humano foi a descoberta do código genético humano.

d) O conhecimento da sequência de DNA de um indivíduo é suficiente para a identificação das características físicas desse indivíduo, como, por exemplo, altura, cor da pele e cor do cabelo.

30. (UFBA) A estratégica organização do DNA – molécula que detém a informação da vida – se expressa:

I   II

0  0 – Na constituição química a partir de apenas quatro tipos de unidades monoméricas que, paradoxalmente, codificam a diversidade de proteínas nos seres vivos.

1 1 – Na capacidade mutacional decorrente de substituições, perdas ou adições de nucleotídeos, revelando o “poder criativo da natureza”.

2 2 – Na associação de inúmeras moléculas de DNA em cada um dos cromossomos, atendendo às exíguas dimensões da célula.

3  3 – No estabelecimento de moldes moleculares, que possibilitam a formação de cópias, perpetuando, assim, a vida.

4  4 – Na combinação de pentoses e fosfatos por meio de pontes de hidrogênio em dois longos polímeros.

31. (ANGLO-SP) A informação que caracteriza cada espécie é determinada pela sequência de bases do ácido desoxirribonucleico (DNA). Todas as células somáticas de um organismo apresentam o mesmo material genético, mas cada uma delas utiliza, de modo variável, informações presentes em diferentes “fragmentos” do DNA (genes), para se organizar e realizar suas funções, possibilitando a diferenciação celular e a especialização. Isso significa que um mesmo gene pode se manifestar de formas diferentes, isto é, ter graus diferentes de expressividade. Quando, por outro lado, comparamos o DNA de espécies próximas, como o homem e o chimpanzé, verificamos que são muito semelhantes: 98,6% das sequências do DNA do homem e do chimpanzé são idênticas, incluindo-se aí a maioria absoluta dos genes ligados ao desenvolvimento do corpo. Baseando-nos nas informações fornecidas, podemos concluir que:

a) As diferenças entre homens e chimpanzés decorrem exclusivamente de fatores ambientais não genéticos.

b) Chimpanzés e homens evoluíram a partir de espécies ancestrais diferentes, sem ligação evolutiva, e a semelhança do DNA é uma convergência adaptativa.

c) Embora muitos dos genes relacionados com o desenvolvimento do corpo sejam os mesmos em homens e chimpanzés, eles se expressam de modo diferente.

d) As semelhanças do DNA permitem afirmar que o chimpanzé é uma espécie derivada do homem.

e) Chimpanzés e homens podem ter os mesmos genes, mas a espécie humana mudou a ação dos seus genes para se adaptar e desenvolver a inteligência.

32. (UEL) Consideres as afirmativas abaixo sobre as propriedades do código genético.

I. Existem sessenta e quatro tipos de aminoácidos, que, agrupados em diversas sequências, formam todos os tipos de proteínas que entram na composição de qualquer ser vivo.

II. O código genético é universal, pois vários aminoácidos têm mais de um códon que os codifica.

III. A perda ou a substituição de uma única base nitrogenada na molécula de DNA pode alterar um aminoácido na proteína.

IV. Nos organismos, a relação entre o número de nucleotídeos (a) de um mRNA e o número de aminoácidos da proteína formada (b) mostrou que a/b = 3.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e IV são corretas.

b) Somente as afirmativas II e III são corretas.

c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.

d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.

e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.

33. (UERJ) As massas moleculares dos nucleotídeos que compõem um determinado DNA são: 323 (citosina-nucleotídeo), 347 (guanina-nucleotídeo), 363 (adenina-nucleotídeo), 322 (timina-nucleotídeo). Sabendo-se que o referido DNA tem 104 pares de bases, que os nucleotídeos de adenina sempre se combinam com os nucleotídeos de timina, assim como os de citosina se ligam aos de guanina, e que esses pares ocorrem com frequências idênticas, podemos avaliar que a massa molecular desse DNA é de aproximadamente:

a) 3,3 x 104.

b) 3,3 x 106.

c) 6,7 x 106.

d) 1,3 x 107.

e) 1,3 x 104.

34. (ANGLO-SP) Observando o quadrinho abaixo e utilizando seus conhecimentos sobre o DNA, assinale a alternativa correta:

34

a) A “lista de tarefas” citada pela célula significa que o DNA realiza todas as funções metabólicas da célula.

b) O comentário da célula indica que o DNA é uma substância que não é encontrada normalmente na célula.

c) As informações para o funcionamento celular estão contidas na “lista de tarefas” do DNA.

d) O DNA é uma molécula viva que obriga as células a realizar tarefas desagradáveis e perigosas.

e) As células podem evitar suas tarefas impedindo a entrada das moléculas de DNA.

35. (COVEST) A figura ilustra um conhecido mecanismo de transferência de material genético entre bactérias. Com relação a este assunto, pode ser dito que:

35

I   II

0  0 – Neste processo,  conhecido como  conjugação  bacteriana,  uma bactéria funciona como “macho” ou doador e a outra como “fêmea” ou receptor.

1  1 – Para que uma bactéria  funcione como “fêmea”, ela deve  possuir um pedaço de DNA especial, chamado fator F ou de fertilidade.

2  2 – Esse fator F, na maioria dos casos, está integrado ao cromossomo bacteriano na linhagem de “fêmeas”, designadas “F+”.

3  3 – O fator  F duplica-se  e é  transferido  da  célula doadora F+ (“macho”) para a célula receptora F-(“fêmea”).

4  4 – As bactérias nas  quais o fator F  está  integrado ao cromossomo, ditas bactérias Hfr (alta frequência de recombinação), podem transferir material genético mas, raramente, o fator F cromossômico é também transferido à bactéria F-.

36. (PUC-RS) Para responder esta questão, leia o texto e complete os parênteses com V (verdadeiro) ou F (falso).

Caso você quisesse reproduzir a replicação do DNA em laboratório, você deveria, obrigatoriamente, colocar no seu tubo de ensaio.

(   ) adeninas.

(   ) guaninas.

(   ) citosinas.

(   ) timinas.

(   ) DNA polimerase.

A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:

a) V V V V V.

b) V V V V F.

c) F V V F V.

d) V F F V F.

e) F F F F V.

37. (UCPel) A duplicação do DNA é uma propriedade que permite transmitir informação genética às células-filhas. A produção do RNA, a partir do DNA relaciona-se a:

a) Enzimas de restrição.

b) Duplicação semiconservativa.

c) Síntese de cromossomos.

d) Replicação.

e) Síntese de proteínas.

38. Considere as seguintes etapas da síntese de proteínas:

I. Transcrições das informações genéticas em códons do RNA mensageiro.

II. Ligação dos códons de RNA mensageiro aos anticódons correspondentes.

III. Fixação do RNA mensageiro aos ribossomos.

A sequência dessas etapas durante o processo é:

a) I, II e III.

b) I, III e II.

c) II, III e I.

d) III, II e I.

39.  (UniFoa) Imagine a seguinte situação  hipotética: Um aluno precisa decifrar o código de uma enzima G1, que possui uma cadeia formada por seis aminoácidos desconhecidos. Para que esses aminoácidos fossem decifrados foi dado ao aluno uma tabela com as seguintes informações:

Sequência do DNA

Aminoácidos

“Símbolo” do aminoácido

AGA

Serina

(SER)

CAA

Valina

(VAL)

AAA

Fenilalanina

(FEN)

CCG

Glicina

(GLI)

AAT

Leucina

(LEU)

GAA

Leucina

(LEU)

Continuando o raciocínio, foi dado ao aluno a informação que o RNAm da G1continha a seguinte sequência: UUAUUUCUUGUUUCUGGC. A sequência de aminoácidos que correspondem à enzima citada é:

a) LEU VAL FEN LEU GLI SER.

b) LEU – FEN – LEU – VAL – SER – GLI.

c) SER – VAL – FEN – GLI – LEU – LEU.

d) SER – VAL – FEN – LEU  -GLI – LEU.

e) SER – LEU – FEN – GLI – VAL  -LEU.

40. (FMJ) Uma mutação sem sentido muda um códon que especifica um aminoácido para um códon de término de cadeia, enquanto uma mutação de sentido trocado muda um códon que especifica um aminoácido por outro aminoácido diferente baseado no mecanismo do código genético e na leitura da tabela abaixo, analise as afirmativas abaixo.

40

Fen = Fenilalanina.     Leu = Leucina.           Ile = Isoleucina.                 Met = Metionina.

Val = Valina.               Ser = Serina.              Pro = Prolina.                    Tre = Treonina.

Ala = Alanina.             Tir = Tirosina.             His = Histidina.                  Gln = Glutamina.

Asn = Asparagina.      Lis = Lisina.               Asp = Ácido aspártico.       Glu = Ácido glutâmico.

Cis = Cisteína.            Trp = Triptofano.       Arg = Arginina.                    Gli = Glicina.

I. As mutações de sentido trocado são mais frequentes, pois, dos 64 códons, apenas três especificam o término da cadeia.

II. O número de mutações de sentido trocado possíveis é muito maior que o número de mutações sem sentido possíveis.

III. Quase sempre as mutações sem sentido geram produtos gênicos não funcionais.

IV. As mutações sem sentido em genes essenciais são sempre letais nos homozigotos e heterozigotos.

Está(ão) correta(s) a(s) alternativa(s):

a) I e III, apenas.

b) I, II e III, apenas.

c) I e II, apenas.

d) I, II, III e IV.

e) II, apenas.

41. (UFC)                                  Leia o texto a seguir.

O mamífero-símbolo da Idade do Gelo provavelmente tinha dois tipos de pelagem: castanho-escuro e loiro. A inferência vem diretamente do DNA do mamute-lanoso (Mammuthus primigenius), de exemplares mortos há 43 mil anos na Sibéria. É uma das primeiras vezes em que os genes de um bicho extinto dão pistas sobre características suas em vida. Mamutes podem ter tido pêlo “loiro”, sugere análise de DNA.

Folha de São Paulo, 07/07/2006.

Em relação às características genéticas desse mamífero, é possível afirmar corretamente que:

a) Seus genes estavam dispostos em cromossomos circulares.

b) Seu DNA era composto por bases nitrogenadas, ribose e fosfato.

c) Seus genes estavam organizados nos plasmídeos.

d) Suas moléculas de DNA apresentavam estrutura helicoidal.

e) Seus genes para o tipo de pelagem localizavam-se no DNA mitocondrial.

42. (UNIRIO) A representação a seguir sintetiza o chamado dogma central da biologia celular.

42

Este fluxo unidirecional de informações torna-se exceção nos retrovírus, como o da AIDS, pois esses vírus:

a) Têm a capacidade de sintetizar uma proteína diretamente a partir do ADN.

b) Possuem transcriptase reversa que, a partir do ARNm, orienta a tradução.

c) Têm a capacidade de sintetizar ARNm a partir do ADN viral.

d) Possuem transcriptase reversa que, a partir da proteína, orienta a síntese do ARNm.

e) Têm a capacidade de sintetizar ADN a partir de ARN.

43. (UFV) A sequência de nucleotídeos 3’……ATGGATTAG…… 5′ de uma fita de DNA após ser transcrita e traduzida irá codificar para qual peptídeo?

43

a) –Tir–Leu–Ile–.

b) –Leu–Ile–His–.

c) –Cis–Leu–Ile–.

d) –Cis–Ile–His—.

44. (ANGLO-SP) “A suposição prevalecente, segundo a qual a forma original da vida teria sido uma molécula de DNA, implicava uma contradição inescapável. O DNA não é capaz de formar a si próprio; proteínas são necessárias para tal. Mas então o que veio antes? As proteínas, que não possuem nenhum meio conhecido de duplicar informações, ou o DNA, que pode duplicar informações, mas apenas na presença de proteínas? O problema era insolúvel: não pode haver DNA sem proteínas nem proteínas sem DNA. O RNA, porém, sendo um equivalente do DNA (pode armazenar e replicar informações genéticas) e também um equivalente das proteínas (pode catalisar reações químicas cruciais), fornecia a resposta. Na verdade, num ‘mundo feito de RNA’, o problema do ovo e da galinha simplesmente desaparece. O RNA é ao mesmo tempo ovo e galinha.”

(James D. Watson, DNA — o segredo da vida)

A partir do texto e de seus conhecimentos sobre o assunto, assinale a alternativa correta.

a) O DNA duplica as proteínas necessárias à transmissão da informação.

b) O RNA forma o ovo no interior da galinha, graças a sua ação catalisadora.

c) A forma original de vida deve ter apresentado RNA como material genético.

d) As proteínas armazenam e replicam o DNA por meio da síntese de RNA.

e) O RNA é um equivalente do DNA, porque ambos são formados pela reunião de aminoácidos.

45. (UFMS) Com relação à natureza do material genético, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – O fato de o código genético ser degenerado significa que são as trincas de bases nitrogenadas que codificam os aminoácidos.

1  1 – Sobre um mesmo RNA mensageiro podem se deslocar vários ribossomos; dessa forma, podem ser formadas várias proteínas diferentes do mesmo RNA mensageiro.

2  2 – As características funcionais de uma pessoa variam conforme o número e a posição dos aminoácidos na sua molécula.

3  3 – A síntese proteica ocorre no núcleo e envolve a participação de três diferentes tipos de RNA: RNA ribossômico, RNA mensageiro e RNA transportador.

4  4 – Além das diferenças na sua composição química, o DNA e o RNA apresentam diversidade quanto à sua estrutura molecular.

46. (UFSCar) Considerando que os anticódons dos aminoácidos fenilalanina, tirosina e triptofano sejam, respectivamente, AAA, UAU e UGG, pode-se afirmar que as sequências de nucleotídeos do RNAm que codificam esses aminoácidos, correta e respectivamente, são:

a) TTT, ATA e ACC.

b) AAA, TAT e TGG.

c) AAA, UAU e UGG.

d) ACC, ATA e TTT.

e) UUU, AUA e ACC.

47. (PUC-CAMPINAS) Atenção: Para responder esta questão considere o texto apresentado abaixo.

(…) pelo menos 1,1 milhão de brasileiros trabalham no período noturno em centros urbanos e estão sujeitos a problemas de memória, obesidade, falta de sono e enfraquecimento do sistema imunológico, entre outros males.

(…) os trabalhadores noturnos perdem aproximadamente cinco anos de vida a cada 15 trabalhados de madrugada. E têm 40% mais chances de desenvolverem transtornos neuropsicológicos, digestivos e cardiovasculares.

(…) nosso organismo precisa descansar durante as noites, quando libera hormônios como a melatonina, o cortisol e o GH (hormônio do crescimento). (…)

Uma das substâncias que dependem muito do escuro e da noite para serem liberadas é a melatonina. O hormônio ajuda a controlar o momento certo de cada função corporal.

(Revista Galileu, outubro de 2010, p. 22)

O hormônio do crescimento atua em nosso corpo promovendo a regeneração dos tecidos por meio da multiplicação de células e também promove a síntese de proteínas, desencadeando, por exemplo, aumento de massa muscular. Considere as afirmações sobre esses eventos.

I. Um dos eventos iniciais no processo de multiplicação das células é a duplicação do material genético.

II. A síntese de proteínas inicia-se pela replicação do DNA.

III. A regeneração de tecidos se dá através do processo de mitose, no qual são geradas células geneticamente idênticas.

IV. Para que ocorra síntese de proteína é necessário que antes ocorra a síntese de RNAs mensageiros específicos.

Estão corretas

a) I e II, somente.

b) I e IV, somente.

c) II e III, somente.

d) I, III e IV, somente.

d) I, II, III e IV.

48. (UESC) O DNA mitocondrial humano é constituído por 16.569 pares de bases, sendo que 94% integram região codificadora e 6% correspondem à região de controle. (PENA, 2002, p. 16).

Considerando os mecanismos envolvidos no fluxo da informação e a função especifica da mitocôndria, pode-se afirmar que:

a) O genoma da mitocôndria deve incluir genes essenciais à síntese de enzimas do sistema da fosforilação oxidativa.

b) A região codificadora é limitada à transcrição de RNA ribossomal e de RNA transportador.

c) A região de controle do DNA mitocondrial assume a função imprescindível de sintetizar o RNA mensageiro.

d) O DNA mitocondrial está organizado em duas sequências polinucleotídicas, que são ligadas, entre si, por grupos fosfatos.

e) A existência de um DNA próprio da mitocôndria assegura à organela autonomia funcional e reprodutiva sem depender do contexto celular.

49. (PUC-MG) O esquema a seguir é um processo celular vital, que ocorre também em você.

49

Nesse processo ocorre produção de, exceto:

a) Macromoléculas de reserva energética.

b) Enzimas usadas, por exemplo, no processo digestivo.

c) Moléculas de defesa do corpo.

d) Moléculas utilizadas nos processos de cicatrização.

50. (UPE) Admitindo-se que a molécula de DNA seja constituída de 2.000 nucleotídeos e destes 450 sejam de Timina, as percentagens dos 4 tipos de bases nitrogenadas que formam os nucleotídeos são:

a) 22,5% de Adenina; 22,5% de Citosina; 27,5% de Timina; 27,5% de Guanina.

b) 22,5% de Adenina; 22,5% de Timina; 27,5% de Citosina; 27,5% de Guanina.

c) 27,5% de Adenina; 22,5% de Timina; 27,5% de Citosina; 22,5% de Guanina.

d) 27,5% de Timina; 27,5% de Adenina; 22,5% de Citosina; 22,5% de Guanina.

e) 22,5% de Guanina; 27,5% de Citosina; 22,5% de Adenina; 25,5% de Timina.

51. (CEFET-RP) O coquetel de drogas que vem sendo utilizado no tratamento da AIDS, tem o AZT como um de seus componentes. O AZT tem como princípio impedir a “transcrição invertida” do HIV. É correto afirmar que o AZT atua impedindo:

a) A tradução das proteínas do vírus, nos ribossomos.

b) A transcrição do DNA do genoma humano.

c) A transcrição do RNA viral para DNA, na célula humana.

d) A passagem de RNA viral para RNA infectante.

e) A inversão do DNA viral e sua posterior inserção no genoma humano.

52. Em 1953, James Watson e Francis Crick propuseram ao mundo o modelo do DNA. Em meio século de pesquisa, os avanços nessa área vêm sendo surpreendentes e têm aberto novos horizontes nos vários campos da biotecnologia. No esquema abaixo, está representado, de forma simplificada, o processo de replicação semiconservativo e semidescontínuo dessa molécula.

52

Baseado na figura e nos seus conhecimentos assinale a alternativa correta.

a) A replicação do DNA requer apenas dois “sistemas” enzimáticos: as DNA polimerases e a DNA ligase.

b) As DNA polimerases só adicionam os novos nucleotídeos na fita em formação, na extremidade 3OH do nucleotídeo já estabilizado.

c) No esquema, B representa a fita líder, que é alongada na direção 3OH→ 5P de forma contínua.

d) A fita A é sintetizada em segmentos longos, com cerca de 10.000 a 20.000 nucleotídeos (fragmentos de Okazaki), e em sentido aposto à do movimento da forquilha de replicação, com lacunas entre eles.

e) A velocidade de alongamento da fita A é ligeiramente superior à da fita B (fita retardada).

53. (UFOP) Analisando a composição do ácido nucleico extraído de um organismo, obteve-se o seguinte resultado, em porcentagem:

ADENINA

GUANINA

TIMINA

CITOSINA

URACILA

26

14

0

36

24

Por esses dados, pode-se afirmar que trata de:

a) Um fungo.

b) Um protozoário.

c) Uma bactéria.

d) Um vírus.

e) Um metazoário.

54. (UFF) Relativamente aos vírus afirma-se, corretamente, que:

a) No caso dos retrovírus, que causam diversos tipos de infecções, a enzima transcriptase reversa catalisará a transformação do DNA viral em RNA mensageiro.

b) Em qualquer infecção viral, o ácido nucleico do vírus tem a capacidade de se combinar quimicamente com substâncias presentes na superfície das células, o que permite ao vírus reconhecer e atacar o tipo de célula adequado a hospedá-lo.

c) No caso dos vírus que têm como material genético o DNA, este será transcrito em RNA mensageiro, que comandará a síntese de proteínas virais.

d) Em qualquer infecção viral, é indispensável que o capsídeo permaneça intacto para que o ácido nucleico do vírus seja transcrito.

e) Em todos os vírus que têm como material genético o RNA, este será capaz de se duplicar sem a necessidade de se transformar em DNA, originando várias copias na célula hospedeira.

55. (CESGRANRIO) O vírus da AIDS é formado por uma cápsula esférica contendo em seu interior o material genético.

55

Este tipo de vírus é chamado retrovírus porque:

a) O RNA produz um “molde” de molécula de DNA.

b) O RNA se torna uma molécula autoduplicável.

c) O DNA possui cadeia simples sem timina.

d) O DNA possui mecanismos de retroação.

e) O DNA e RNA não se pareiam.

56. (UERN) “A fidelidade da replicação do DNA gera duas células filhas idênticas. Os gêmeos monozigóticos surgem de um único zigoto, que sofre replicação do DNA e então se divide para formar dois embriões idênticos. A replicação correta do genoma assegura que cada feto tenha um complemento de DNA idêntico, e os gêmeos resultantes sejam idênticos. Os gêmeos dizigóticos surgem de dois zigotos diferentes, tendo apenas metade de seu conteúdo de DNA em comum. Os gêmeos dizigóticos são, portanto, iguais a irmãos comuns.”

Diante do exposto, um DNA bifilamentar apresenta a seguinte característica:

a) Contém dois filamentos que são unidos por ligações fosfodiéster.

b) Replica-se de modo semiconservativo.

c) Sempre contém um numero igual de bases adenina e guanina.

d) É encontrado exclusivamente no núcleo da célula.

57. (FUVEST) Os vírus.

a) Possuem genes para os três tipos de RNA (ribossômico, mensageiro e transportador), pois utilizam apenas aminoácidos e energia das células hospedeiras.

b) Possuem genes apenas para RNA ribossômico e para RNA mensageiro, pois utilizam RNA transportador da célula hospedeira.

c) Possuem genes apenas para RNA mensageiro e para RNA transportador, pois utilizam ribossomos da célula hospedeira.

d) Possuem genes apenas para RNA mensageiro, pois utilizam ribossomos e RNA transportador da célula hospedeira.

e) Não possuem genes para qualquer um dos três tipos de RNA, pois utilizam toda a maquinaria de síntese de proteínas da célula hospedeira.

58. (PUC-SP) A rifampicina é um antibiótico que inibe a atividade da enzima responsável pela transcrição em bactérias. Se uma célula for tratada com esse antibiótico, deverá apresentar inibição:

a) Exclusivamente da produção de DNA.

b) Exclusivamente da produção de proteínas.

c) Da produção de DNA e de proteínas.

d) Da produção de RNA e de proteínas.

e) Da produção de DNA, de RNA e de proteínas.

59. (UEL) Abaixo está representado o filamento I de uma molécula de ácido nucleico presente no interior do núcleo de uma célula vegetal. Qual é a sequência correta encontrada na molécula de RNA mensageiro, transcrita a partir do filamento II?

59

a) GAAGCU.

b) GUUGCA.

c) GUUGCU.

d) CUUCGA.

e) CAACGU.

60. (UFAC) Com relação aos ácidos nucleicos é correto afirmar.

I. As bases purinas são idênticas no DNA e RNA.

II. Tanto o DNA quanto o RNA são formados por bases nitrogenadas, pentose e fosfato.

III. O DNA é formado por um único filamento enquanto que o RNA é formado por dois filamentos ligados entre si por pontes de hidrogênio.

IV. No processo de duplicação do DNA a molécula original (molécula-mãe) dá origem a duas moléculas filhas semiconservativas.

V. No processo de tradução (síntese de proteínas), a sequência de bases do RNAr (RNA ribossômico) é que orienta a incorporação dos aminoácidos na formação das proteínas.

São verdadeiras apenas as afirmativas:

a) I e III.

b) I, II e IV.

c) I, II e III.

d) II, IV e V.

e) IV e V.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

D

B

C

D

E

C

A

VVFVF

A

B

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

FFVVV

B

E

C

C

C

C

VVVFF

C

B

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

FVFVV

D

A

C

B

D

B

VVFFF

B

VVFVF

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

C

C

C

C

VFFVV

A

E

B

B

B

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

D

E

A

C

FFVFV

E

D

A

A

B

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

C

B

D

C

A

B

D

D

D

B

 

Publicado por: Djalma Santos | 20 de março de 2013

Testes de fotossíntese

 01. (UEG) Os pigmentos fotossintetizantes (ou fotossintéticos) têm a propriedade de absorver certos comprimentos de onda da luz, refletindo os demais. A cor do pigmento é dada pelo comprimento de onda refletido. O olho humano é capaz de distinguir os comprimentos de onda que compõem a luz visível ou luz branca. Nos seres fotossintetizantes, os pigmentos que conseguem captar a energia luminosa estão principalmente representados por:

a) Ficocianinas, que são azuis, e ficoeritrina, que são verdes.

b) Ficocianinas, que são amarelas, e ficoeritrina, que são vermelhas.

c) Clorofilas, que são verdes; carotenos e xantofilas, que são amarelados; e pelas ficobilinas, que podem ser azuis ou vermelhas.

d) Clorofilas, que são verdes; carotenos e xantofilas, que são amarelados; e pelas ficobilinas, que podem ser azuis ou alaranjadas.

02. (UFRS) Considere as afirmativas a seguir, relacionadas à fotossíntese.

I. A biossíntese de glicose nos tecidos vegetais pode contribuir para a diminuição do teor de CO2 da atmosfera.

II. A taxa de fotossíntese independe da concentração de CO2, embora possa ser influenciada pela intensidade luminosa e pela temperatura.

III. O oxigênio é produzido, durante a fotossíntese, a partir do CO2 da atmosfera.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III.

03. (FGV) Os vegetais e alguns microrganismos captam energia proveniente do sol, convertendo-a numa forma disponível para os demais organismos de um ecossistema. Este processo é resultado da captação de luz:

a) Visível e sua transformação em energia mecânica.

b) Visível e sua transformação em energia química.

c) Ultravioleta e sua transformação em energia mecânica.

d) Infravermelha e sua transformação em energia mecânica.

e) Infravermelha e sua transformação em energia térmica.

04.  (COVEST) O plantio de árvores é um valioso ensinamento às gerações futuras com vistas a contrabalancear os efeitos em nosso planeta do acúmulo de gases nocivos à atmosfera. Considerando as taxas de fotossíntese e as trocas gasosas das plantas com o ambiente, observe o gráfico abaixo e as afirmativas que se seguem.

04

I   II

0  0 – “Plantas de sombra” possuem ponto de compensação fótico mais baixo que “plantas de sol”, pois necessitam de intensidades luminosas menores.

1  1 – Quando todo o gás oxigênio liberado na fotossíntese é consumido na respiração celular, a planta não mais realiza trocas gasosas, independente da intensidade luminosa.

2  2 – O ponto de compensação fótico, mostrado em B, representa a intensidade luminosa que as plantas necessitam receber diariamente para poderem crescer.

3  3 – Se a intensidade luminosa for inferior ao ponto de compensação fótico, a matéria orgânica produzida com a fotossíntese será insuficiente para a planta crescer.

4  4  Sob condições ideais, as taxas de fotossíntese aumentam até atingir um ponto de saturação luminosa, mostrado em A, no qual deixam de aumentar.

05. (PUC-RIO) Atualmente um dos principais temas apresentados na mídia é a mudança climática global vinculada ao aumento de gás carbônico atmosférico. E uma das principais maneiras de mitigação deste problema seria o sequestro de carbono pelas plantas especialmente pelas espécies arbóreas. Que processo fisiológico realizado pelas plantas captura o carbono atmosférico?

a) Respiração.

b) Absorção de nutrientes pela raiz.

c) Expressão gênica.

d) Fotorrespiração.

e) Fotossíntese.

06. (PUC-CAMPINAS) A extração de madeira é, em última análise, uma atividade humana que depende do crescimento de plantas. Considerando que esse crescimento é uma incorporação de matéria presente no ambiente, é correto dizer que o maior percentual de biomassa que compõe a madeira seca é proveniente de:

a) Gás carbônico vindo do ar.

b) Gás oxigênio vindo do ar.

c) Matéria orgânica vinda do solo.

d) Minerais vindos do solo.

e) Vapor de água vindo do ar.

07. (UFT) O conceito de sequestro de carbono abrange mecanismos de absorção e transformação do gás carbônico atmosférico, através da fotossíntese, em estoques de carbono na biomassa terrestre. Nesse processo, as reações responsáveis pela fixação do carbono durante a fotossíntese ocorrem:

a) Na fase de fotofosforilação.

b) Durante a fotólise da água.

c) No ciclo das pentoses.

d) Durante as reações de Hill.

e) Nos complexos de antena.

08. Acerca da fotossíntese assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I  II

0  0 – A equação da fotossíntese, partindo  do  princípio de que todo o oxigênio liberado provém da H2O, pode ser escrita: 6CO2 + 6 H2O  →  C6H12O6 + 6O2.

1  1 – Para que ocorra  a etapa termoquímica  da fotossíntese, é necessário que por ocasião da etapa fotoquímica, haja apenas água, luz, clorofila, ATP  e fosfato.

2  2 – Devido a presença  da  clorofila,  que é verde,  uma planta  aumentará, provavelmente, sua taxa de fotossíntese quando colocada em local iluminado por luz verde.

3 3 – Comparando duas folhas A e B, verificamos que A apresenta razão fotossintética maior que B para a mesma intensidade e qualidade de luz incidente. Isto nos faz supor que A tenha maior quociente respiratório.

4 4 – Mantendo-se uma planta em determinado ambiente com temperatura e concentração de CO2 constantes e aumento gradativo de intensidade luminosa, a sua taxa de fotossíntese aumenta até alcançar o ponto de saturação luminosa.

09. (UECE) A Fotossíntese é um processo que “produz” a energia necessária ao início da cadeia alimentar, daí a incontestável importância das plantas para a manutenção da vida no planeta. Durante a fotossíntese, a energia luminosa é absorvida pela clorofila e, posteriormente, transformada em energia química. Para isso as plantas precisam consumir __________ e __________ para produzir __________ e ao final liberar __________. Assinale a alternativa que contém a sequência que preenche corretamente e na ordem as lacunas do texto anterior.

a) água, CO2, glicose e oxigênio.

b) CO2, oxigênio, glicose e água.

c) glicose, água, CO2 e oxigênio.

d) água, glicose, oxigênio e CO2.

10. (UNCISAL) Fotossíntese é uma reação que ocorre nos vegetais. Assinale a alternativa correta.

a) Ocorre na presença da luz e libera CO2.

b) Ocorre na presença da luz e libera O2.

c) Ocorre em todas as células.

d) Ocorre na presença da luz gastando glicose e formando O2.

e) Ocorre no órgão “sede” da planta que é a raiz.

11. (UFSC) A fotossíntese é um processo muito importante para os seres vivos e consiste na conversão de energia luminosa em energia química. A respeito das fases, local de ocorrência e fatores que interferem no processo, é correto afirmar:

I  II

0  0 – Na fase luminosa, ocorre liberação de O2.

1  1 – Na fase escura, ocorre a formação dos carboidratos.

2 2 – As  clorofilas alfa  e beta  absorvem,  principalmente, as  radiações na faixa do verde e consequentemente, para este comprimento de onda, a taxa de fotossíntese é mais elevada.

3 3 – Nos grana  dos  cloroplastos,  pela presença da  clorofila,  ocorrem as reações da etapa fotoquímica.

4 4 – As reações da fase escura ocorrem no  estroma do  cloroplasto, desprovido de clorofila.

12. (UERJ) Compostos de enxofre são usados em diversos processos biológicos. Existem algumas bactérias que utilizam, na fase da captação de luz, o H2S em vez de água, produzindo enxofre no lugar de oxigênio, conforme a equação química:

6 CO2 + 12 H2S  →  C6H12O6 + 6 H2O + 12 S

O elemento reduzido na equação química está indicado em:

a) Enxofre.

b) Carbono.

c) Oxigênio.

d) Hidrogênio.

13. (PUC) Uma solução contendo vermelho de cresol foi colocada em quatro tubos de ensaio. Essa solução apresenta cor púrpura. O aumento de CO2 torna a solução amarela e a diminuição de CO2 deixa a solução com uma coloração púrpura intensa. Em cada tubo foi colocada uma folha de árvore do mangue e depois os tubos foram fechados e lacrados. O “estado” da folha e as condições às quais os tubos foram submetidos constam abaixo:

I. Folha seca, no escuro.

II. Folha seca, sob luz forte.

III. Folha recém-coletada, no escuro.

IV. Folha recém-coletada, sob luz forte.

Espera-se que, após algum tempo, a solução indicadora adquirirá cor púrpura intensa e amarela, respectivamente, nos tubos:

a) I e II.

b) II e III.

c) III e II.

d) IV e I.

e) IV e III.

14. (FCC) Uma folha foi apanhada, imediatamente encerrada no interior de um tubo de ensaio e, em seguida, exposta a 800 lux de intensidade luminosa. Verificou-se que a concentração de CO2 no interior do tubo duplicou durante as duas horas de exposição à luz. Tais resultados permitem concluir que a folha:

a) Ficou exposta a uma intensidade luminosa superior a seu ponto de compensação fótico.

b) Ficou exposta a uma intensidade luminosa igual a seu ponto de compensação fótico.

c) Ficou exposta a uma intensidade luminosa inferior a seu ponto de compensação fótico.

d) Apresentou um quociente respiratório igual a 2.

e) Apresentou um quociente respiratório igual a 1/2.

15. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA) Utilize o texto abaixo para responder esta questão.

O primeiro registro de “Seca” no bioma Caatinga foi feito pelo jesuíta FERNÃO CARDIM, conforme relato abaixo: “(…) No ano de 1583 houve tão grande seca e esterilidade nesta província. As fazendas de canaviais e mandiocas muitas se secaram, por onde houve grande fome principalmente no sertão de Pernambuco, pelo que desceram do sertão apertados pela fome, socorrendo-se aos brancos 4 a 5 mil índios”.

In: Villa, Marco Antonio. Vida e Morte no Sertão. São Paulo: Editora Ática, 2000.

O armazenamento de água por cactáceas ocorre, em geral:

a) Nas folhas, cuja epiderme apresenta e suberina.

b) Nas folhas, cuja epiderme apresenta cutina.

c) No cladódio, que também atua como órgão de fotossintetizante.

d) No cladódio, que também atua como órgão de fotorrespiração.

e) No xilopódio, que também armazena nutrientes.

16. (COVEST) Existem fatores que interferem na taxa de fotossíntese de uma planta. A esse propósito, analise os itens mencionados a seguir.

1. Intensidade de energia luminosa.

2. Concentração de gás carbônico.

3. Temperatura.

4. Concentração de oxigênio.

Interferem na taxa fotossintética:

a) 1, 2, 3 e 4.

b) 1, 2 e 3, apenas.

c) 2 e 3, apenas.

d) 3 e 4, apenas.

e) 1 e 2, apenas.

17. (UFOP) A fotossíntese é um processo bioquímico muito importante para os seres vivos e consiste na conversão de energia luminosa em energia química. Sobre esse fenômeno, podemos afirmar que:

a) A fase clara da fotossíntese ocorre nos tilacoides.

b) A fase escura da fotossíntese ocorre nos grana.

c) A fotossíntese compreende apenas uma fase que se chama luminosa ou clara.

d) Os plastos são encontrados nas plantas e nos fungos.

e) Algumas bactérias possuem clorofila e cloroplastos.

18. (UFMG) O processo fotossintético caracteriza-se, fundamentalmente, pela conversão de energia luminosa em energia química. Quanto a esse processo, é correto afirmar que:

I  II

0 0 – O hidrogênio resultante  da fotólise  da água reage,  diretamente, com o dióxido de carbono e forma, num último momento da reação, uma molécula altamente energética de seis átomos de carbono.

1 1 – Além de energia  luminosa, é  necessária a presença de clorofila, água e enzimas, para que ele ocorra com sucesso.

2 2 – O  gás  carbônico  liberado  na  fase  fotoquímica  será  utilizado  na formação dos compostos orgânicos.

3 3 – Envolve duas fases: uma devendo  ocorrer,  obrigatoriamente,  na presença de luz, e outra que pode, ou não, ocorrer na presença da luz.

4 4 – Na fase clara, ocorre a fotólise da água, produzindo  oxigênio molecular, que poderá, ou não, ser eliminado para a atmosfera.

19. (UFG) Os raios ultravioleta, presentes na luz solar, são filtrados pelo ozônio na estratosfera. A camada de ozônio, formada há cerca de 450 milhões de anos, ocorreu por causa da evolução de organismos:

a) Heterótrofos, que produziam gás carbônico como produto da respiração.

b) Decompositores anaeróbios, que reciclavam a matéria orgânica.

c) Eucariotos, que utilizavam matéria orgânica produzida pelos autótrofos.

d) Procariotos, que consumiam oxigênio no processo respiratório.

e) Autótrofos, que produziam oxigênio no processo fotossintético.

20. (PUC-MG) De acordo com o esquema abaixo, qual é a associação correta?

20

a) Fotofosforilação cíclica ocorre em 1.

b) Fotofosforilação acíclica ocorre em 3.

c) Ciclo de Krebs ocorre em 4.

d) Ciclo de Calvin ocorre em 2.

e) Glicólise ocorre em 1.

21. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I  II

0 0 – Para que ocorra o crescimento da vegetação, as plantas necessitam ser submetidas, pelo menos algumas horas do dia, a intensidades luminosas que permitam que elas ultrapassem seu ponto de compensação à luz.

1 1 – A fotofosforilação cíclica  pode ocorrer  na ausência  de luz,  desde que sejam fornecidos, à célula, ATP e citocromos.

2 2 – Na fase  luminosa do  processo fotossintético,  ocorre incorporação de CO2 para a formação de carboidratos.

3 3 – Durante a fotossíntese, ocorre  formação  de carboidratos  na  etapa fotoquímica.

4 4 – Durante a fotossíntese, o oxigênio é liberado na etapa termoquímica.

22. (UNIVASF) A macaxeira (mandioca, aipim) corresponde ao órgão de uma planta no qual se acumulam substâncias de reserva energética que têm sua origem:

a) Nas folhas, a partir da produção de hormônios vegetais.

b) Nas folhas, a partir da fotossíntese.

c) Nas raízes, por absorção diretamente do solo.

d) Nas raízes, por relação simbiótica com bactérias.

e) No caule, a partir da quebra da glicose.

23. (PUC-SP)

23

A propriedade de “captar a vida na luz” que as plantas apresentam se deve à capacidade de utilizar a energia luminosa para a síntese de alimento. A organela (I), onde ocorre esse processo (II), contém um pigmento (III) capaz de captar a energia luminosa, que é posteriormente transformada em energia química. As indicações I, II e III referem-se, respectivamente a:

a) Mitocôndria, respiração, citocromo.

b) Cloroplasto, fotossíntese, citocromo.

c) Cloroplasto, respiração, clorofila.

d) Mitocôndria, fotossíntese, citocromo.

e) Cloroplasto, fotossíntese, clorofila.

24. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I  II

0  0 – Tendo por base a figura a seguir, que mostra o espectro de ação da luz sobre o processo da fotossíntese, podemos afirmar que a eficiência das radiações vermelhas, verdes e azuis, está representada, respectivamente, nas plantas 5, 2 e 1.

24a

1 1 – Com base na figura abaixo que representa um esquema, simplificado, do processo fotossintético, podemos afirmar que as substâncias I, II, III e IV são, respectivamente, H2O, O2, CO2 e C6H12O6.

24b

2  2 – As  equações I e II, mostradas abaixo resumem, respectivamente, as etapas fotoquímica e termoquímica da fotossíntese.

24c

3  3 – As reações de claro da fotossíntese ocorrem nas zonas clorofiladas dos cloroplastos.

4  4 – A fotossíntese  tem por  objetivo a síntese de compostos ricos em energia.

25. Para responder esta questão, use o código abaixo:

a) Se as três alternativas forem corretas.

b) Se apenas a alternativa 1 for correta.

c) Se apenas a alternativa 2 for correta.

d) Se duas quaisquer alternativas forem corretas.

e) Se as três alternativas forem incorretas.

I. Aumentando-se a temperatura observa-se aumento na velocidade da fotossíntese, quando a intensidade luminosa esta reduzida.

II. O esquema abaixo representa o efeito da temperatura sobre velocidade da fotossíntese quando a intensidade luminosa é muito reduzida.

25

III. Para qualquer comprimento de onda, o processo fotossintético se apresenta com a mesma intensidade, desde que a temperatura se mantenha a mesma.

26. O esquema abaixo resume:

26

a) A glicólise.

b) A cadeia respiratória.

c) A etapa fotoquímica da fotossíntese.

d) O ciclo de Krebs.

e) A etapa química ou enzimática da fotossíntese.

27. (FCC) Um lote de plantas estava sob as condições iniciais discriminadas nas tabelas a seguir. Submetido às condições experimentais 1, verificou-se que a taxa de fotossíntese dobrou. Submetido, em seguida, às condições experimentais 2, verificou-se novo aumento na taxa da fotossíntese.

CONDIÇÕES INICIAIS

Concentração de CO2

0,05%

Temperatura

10oC

Intensidade luminosa

baixa

CONDIÇÕES

EXPERIMENTAIS 1

Concentração de CO2

0,05%

Temperatura

10oC

Intensidade luminosa

alta

CONDIÇÕES

EXPERIMENTAIS 2

Concentração de CO2

0,05%

Temperatura

20oC

Intensidade luminosa

alta

a) Concentração de CO2 e a temperatura.

b) Concentração de CO2 e a intensidade luminosa.

c) Intensidade luminosa e a temperatura.

d) Intensidade luminosa e a concentração de CO2.

e) Temperatura e a intensidade luminosa.

28. (COVEST) As plantas possuem a capacidade de “gerar” energia, a partir da luz solar, associada à absorção de alguns elementos químicos. Elas captam energia através de várias reações bioquímicas. Com ralação a esse assunto, podemos afirmar.

I   II

0 0 – Na natureza, ocorrem reações de transformação em que os reagentes têm menos energia que os produtos. São as chamadas reações endergônicas, como, por exemplo, a fotossíntese.

1 1 – A fotossíntese compreende várias reações que são desenvolvidas em duas fases: a fotoquímica, que necessita de luz e ocorre nos tilacoides, e química, que independe diretamente da luz e ocorre no estroma dos cloroplastos.

2  2 – Na etapa fotoquímica da fotossíntese, ocorrem a fotólise da água com liberação do oxigênio, e a transferência de hidrogênio para o NADP.

3 3 – Na etapa fotoquímica da fotossíntese, ocorre a formação de ATP, a partir da fotofosforilação do ADP, com a participação da clorofila.

4  4 – O NADP e o gás oxigênio, produzidos na etapa fotoquímica, são indispensáveis para a transformação de gás carbônico em glicose.

29. (SANTA CASA) A fase luminosa da fotossíntese origina dois transportadores de energia: o NADPH2 e o ATP. Esta energia será utilizada, posteriormente, na fase escura. A produção deles é feita, respectivamente, por processos de:

a) Redução e fosforilação.

b) Oxidação e redução.

c) Transaminação e hidrólise.

d) Fosforilação e redução.

e) Oxirredução e oxirredução.

30. (UFBA) O gráfico abaixo representa a atividade fotossintética da maioria dos vegetais, com utilização de faixas de luz de diferentes comprimentos de onda:

30

Analisando-se esse gráfico, é possível concluir-se que:

a) A fotossíntese só se processa sob a ação de luz violeta, azul, laranja ou vermelha.

b) A fotossíntese não ocorre sob a luz branca.

c) As folhas refletem o verde.

d) A fotossíntese é pouco intensa sob ação de luz verde.

e) Quando os vegetais estão sob faixas de luz de diferentes comprimentos de onda, não há variação na intensidade da fotossíntese.

31. (SANTA CASA) Responda esta questão com base no esquema abaixo.

31

A luz aparece como fator limitante:

a) No ponto 4.

b) No ponto 3.

c) No segmento 2-3.

d) No segmento 3-4.

e) No segmento 2-4.

32. (USU-RJ) O fenômeno do esquema a seguir é de vital importância para os seres vivos.

32

Identificando-o, indique, nas alternativas relacionadas, as substâncias representadas, respectivamente, pelos números (1), (7) e (8).

a) Água, oxigênio e glicose.

b) Oxigênio, água e gás carbônico.

c) Glicose, gás carbônico e oxigênio.

d) Oxigênio, gás carbônico e glicose.

e) Gás carbônico, oxigênio e glicose.

33. (FCMSC-SP) Escrevendo-se que durante a etapa fotoquímica da fotossíntese houve:

I. Fotólise de água.

II. Redução do NADP a NADPH2.

III. Fotofosforilação do ATP que passa a ADP.

IV. Desprendimento de oxigênio.

Foi cometido erro:

a) Na I e na II.

b) Na II, na III e na IV.

c) Na II, apenas.

d) Na III, apenas.

e) Na II e na III.

34. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I  II

0 0 – A fase de escuro da  fotossíntese está  na dependência dos produtos formados na fase fotoquímica.

1 1 – A água é um dos compostos importantes na fotossíntese, sendo dela que provém o oxigênio liberado no processo fotossintético.

2 2 – Durante a  etapa  fotoquímica  da fotossíntese,  ocorre, sempre, fotólise da água, redução do NADP a NADPH2 e desprendimento de oxigênio.

3 3 – Nas reações  de escuro, a energia  absorvida na etapa fotoquímica é usada para reduzir o carbono do CO2 a carboidrato, com desprendimento de O2 para a atmosfera.

4 4 – Algumas bactérias fotossintetizam utilizando ácido sulfúrico, ao invés de água. Nesse tipo de fotossíntese, não ocorre liberação de oxigênio molecular.

35. Na figura a seguir os números 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 10, podem corresponder, respectivamente, a:

35

a) H2O, luz, oxigênio, NADP, NADPH2, ATP, ADP + Pi, CO2, H2O e glicose.

b) H2O, luz, oxigênio, NADPH2, NADP, ADP + Pi, ATP, CO2, H2O e glicose.

c) Luz, H2O, oxigênio, NADP, NADPH2, ATP, ADP + Pi, CO2, H2O e glicose.

d) Luz, H2O, oxigênio, NADP, NADPH2, ADP + Pi, ATP, CO2, H2O e glicose.

e) Luz, H2O, oxigênio, NADP, NADPH2, ADP + Pi, ATP, H2O, CO2 e glicose.

36. (FCC) Uma folha de uma planta mantida no escuro durante 36 horas foi totalmente coberta com vaselina e a planta foi deixada 12 horas ao sol. Em seguida, fez-se prova do amido com esta folha. Provavelmente, a folha apresenta:

a) Amido, porque a vaselina não interfere no processo da fotossíntese.

b) Amido, porque a superfície da folha não realiza fotossíntese.

c) Ausência de amido, porque o CO2, não teve acesso às células clorofiladas.

d) Ausência de amido, porque a vaselina bloqueia a ação da clorofila.

c) Ausência de amido, porque o O2, não passou através dos estômatos.

37. (CESCEM) A participação de um determinado pigmento num processo fotossintético pode ser reconhecida:

a) Pela concentração do pigmento.

b) Pelo peso molecular do pigmento.

c) Pela análise química elementar do pigmento.

d) Pela comparação do espectro de absorção do pigmento com o espectro de absorção da luz no processo.

e) Pela analogia química do pigmento com o produto final do processo.

38. (UCSal) Considere gráfico abaixo. Nele, os pontos de compensação e saturação luminosa estão indicados, respectivamente, em:

38

a) I e II.

b) II e I.

c) I e III.

d) II e III.

e) III e II.

39. (FUVEST) “Foram os trabalhos de Calvin, Bassham e Benson, empreendidos desde l946, que permitiram conhecer as diversas etapas da redução de CO2 a glicídios. Esses pesquisadores trabalharam com algas verdes unicelulares, às quais forneceram CO2 marcados com C14 (carbono radioativo), demonstrando que o primeiro composto estável que aparece é o ácido fosfoglicérico, já que um dos seus carbonos é radioativo”. A que fenômeno corresponde esta descrição?

a) Fotofosforilação cíclica.

b) Fase clara da fotossíntese.

c) Fase escura da fotossíntese.

d) Fotofosforilação acíclica.

e) Fotólise da água.

40. Não é processo comum entre a fotofosforilação cíclica e acíclica:

a) Excitação da clorofila.

b) Devolução de elétrons à clorofila.

c) Oxidação da ferredoxina.

d) Redução da ferredoxina.

e) Formação de ATP e de NADPH2.

41. (UPE) Em relação à fotossíntese:

I  II

0 0 – A etapa  denominada  fotoquímica  compreende: fotofosforilação cíclica, fotofosforilação acíclica e redução do gás carbônico.

1 1 – A  partir  da  fotossíntese  são   sintetizadas   todas  as  substâncias inorgânicas dos vegetais.

2 2 – A etapa química ou reação escura acontece na presença ou ausência de luz e ocorre no estroma dos cloroplastos.

3 3 – Na fotólise da  água ou  reação de Hill, o  hidrogênio  é eliminado  para a atmosfera e o oxigênio é fornecido para formação do NADP.

4 4 – Os pigmentos  relacionados com a fotossíntese ficam situados na membrana dos tilacoides.

42. (U. SÃO JUDAS-SP) Com relação ao fenômeno da fotossíntese, sabe-se que a reação:

42

a) Corresponde ao ciclo de Calvin.

b) Corresponde à reação de Hill.

c) Ocorre no estroma do cloroplasto.

d) É o resultado do ciclo das pentoses.

e) É o resulto do ciclo de Krebs.

43. (UNITAU-SP) Um estudante de Fisiologia Vegetal realizou o seguinte experimento: manteve uma planta por um determinado tempo em um ambiente com “temperatura e concentração de gás carbônico constantes e aumento gradativo de intensidade luminosa”. Decorrido o tempo previsto, o estudante observou que a taxa de fotossíntese:

a) Aumentou até atingir o ponto de saturação luminosa, permanecendo inalterado a partir desse momento.

b) Não sofreu nenhuma alteração.

c) Aumentou até atingir o ponto de saturação luminosa e depois começou a diminuir.

d) Aumentou indefinidamente.

e) Diminuiu gradativamente.

44. (UPE) O trecho da Música de Caetano Veloso “Luz do sol, que a folha traga e traduz. Em ver de novo, em folha, em graça em vida, em força, em luz…” reporta-se à utilização da luz do sol pelas plantas, fundamental para a fotossíntese. Em relação às etapas desse processo em vegetais, é correto afirmar que:

a) A absorção de energia luminosa ocorre por meio de moléculas de clorofila, pigmento responsável pela cor verde nas plantas, presente no estroma do cloroplasto.

b) O transporte de elétrons ocorre sequencialmente de um aceptor para outro, liberando toda a energia luminosa que havia sido captada até o último, denominado aceptor Q.

c) A fotofosforilação cíclica conta com o fotossistema I e a formação de ATP, enquanto a acíclica tem a participação dos fotossistemas I e II e a formação de ATP e NADPH.

d) O NADPH produzido em etapa fotoquímica fornece nitrogênio para a produção de glicídios, com base no gás carbônico.

e) A fixação do carbono é a transformação em que o carbono do gás carbônico passa a constituir moléculas orgânicas e representa uma das reações de claro.

45. (FCC) Manteve-se uma planta, durante 6 horas, sob temperatura ótima e com uma intensidade luminosa tal que permitia que cada folha absorvesse 5 mg de CO2 por hora de fotossíntese. Durante esse tempo, a quantidade de CO2 fornecido era equivalente a 1 mg/h por folha. Em seguida, manteve-se a temperatura e a intensidade luminosa, mas a planta passou a receber uma quantidade de CO2 equivalente a 7 mg/h por folha. Nos dois períodos considerados, foram fatores limitantes da fotossíntese, respectivamente:

a) O CO2 e a luz.

b) O CO2 e a temperatura.

c) A luz e o CO2.

d) A temperatura e o CO2.

e) A luz e a temperatura.

46.  (UFV) Um palco montado para a realização de um show no Maracanã ocupou toda a extensão do gramado. Quatro semanas após o show, com a desmontagem do palco, observou-se que o gramado estava amarelado, perdendo o seu verde exuberante. Assinale a alternativa incorreta:

a) Mesmo no escuro, houve intensa síntese de tecidos de condução e de sustentação.

b) Na ausência da luz, o padrão de lamelação normal dos cloroplastos foi desestruturado.

c) A fotossíntese foi comprometida com a ausência da luz, o que interferiu na síntese de parede celular.

d) Na ausência da luz, ocorreu estiolamento das folhas e dos caules do gramado.

e) O gramado, na ausência de luz, interrompe a produção dos pigmentos de clorofila.

47.  Na etapa fotoquímica, que compreende as “reações de claro” estão incluídas:

a) Unicamente a fotólise da água.

b) Unicamente a fotofosforilação cíclica.

c) Unicamente a fotofosforilação acíclica.

d) Unicamente as fotofosforilação cíclica e acíclica.

e) As fotofosforilações cíclica e acíclica e a fotólise da água.

48. (FUVEST) A contribuição da seiva bruta para a realização da fotossíntese nas plantas vasculares é a de fornecer:

a) Glicídios como fonte de carbono.

b) Água como fonte de hidrogênio.

c) ATP como fonte de energia.

d) Vitaminas como coenzimas.

e) Sais minerais para captação de oxigênio.

49. (COVEST) Assinale a alternativa que indica três fatores que influenciam a velocidade com que a fotossíntese se processa.

a) Concentração de glicose, pressão atmosférica e umidade do ar.

b) Intensidade luminosa, concentração de CO2e temperatura.

c) Idade do vegetal, teor de O2 no ar e pressão atmosférica.

d) Teor de glicose nas células fotossintetizantes, umidade do ar e intensidade luminosa.

e) Pressão atmosférica, temperatura e umidade do ar.

50.  (USU-RJ) No experimento com elódea num tubo iluminado (figura abaixo), afirmamos que as bolhas são:

50

a) Oxigênio resultante da fotólise da água.

b) Oxigênio resultante da quebra da molécula de gás carbônico.

c) Gás carbônico resultante do ciclo de Krebs.

d) Gás carbônico proveniente do ciclo de Calvin.

e) Oxigênio proveniente da fotofosforilação.

51. (OMEC-SP) Sabendo-se que o processo da fotossíntese pode ser dividido em duas etapas, a fotoquímica e a química, os produtos finais de cada etapa são, respectivamente:

a) ATP + NADPH2 e glicose.

b) ADP + NADPH2 e amido.

c) ATP + NADP e glicose.

d) Glicose e ATP + NADPH2.     

e) Glicose e ADP + NADP.

52. (CESGRANRIO) Todas as plantas verdes da terra produzem, por ano, aproximadamente 164 bilhões de toneladas de matéria orgânica. A propósito desta informação, são feitas três afirmações:

I. Nos oceanos, essa produção se processa de maneira uniforme em toda a massa líquida.

II. Contribui de maneira acentuada para essa produção o gás carbônico (CO2) que as plantas absorvem do ar ou da água.

III. Parte dessa matéria orgânica é consumida pelas próprias plantas no fenômeno da respiração.

Assinale:

a) Se somente I for correta.

b) Se somente I e II forem corretas.

c) Se somente II e III forem corretas.

d) Se somente III for correta.

e) Se I, II e III forem corretas.

53. (PUC-RJ) As diferentes etapas da fotossíntese apresentam eventos bem localizados na estrutura do cloroplasto. Relacione a primeira coluna com a segunda, e, a seguir, escolha a sequência correta:

ESTRUTURAS

FENÔMENOS

(1) Grana e lamelas(2) Estroma (   ) Produção de oxigênio(   ) Incorporação do gás carbônico(   ) Excitação de moléculas de clorofila(   ) Fotofosforilação(   ) Redução do ácido fosfoglicérico

a) 1, 1, 2, 1, 2.

b) 2, 2, 1, 1, 1.

c) 1, 2, 1, 1, 2.

d) 1, 1, 2, 2, 1.

e) 1, 2, 2, 1, 1.

54. (VUNESP) Com relação à fotossíntese, podemos dizer que:

a) A taxa da fotossíntese é sempre proporcional ao aumento da concentração de CO2 na atmosfera.

b) A redução do NADP (nicotinamida – adenina – difosfato) ocorre durante a fotofosforilação cíclica.

c) A redução de CO2 nas plantas superiores ocorre no estroma do cloroplasto.

d) A quebra da molécula de água independe da luz.

55. Assinale a alternativa incorreta a respeito da fotossíntese.

a) Se a água fornecida para uma planta contiver oxigênio radioativo, toda a radioatividade será encontrada nas moléculas de glicose.

b) É um processo que ocorre principalmente nas plantas, mas pode ser observado também em bactérias.

c) Temperaturas muito altas poderão reduzir a velocidade desse processo, bem como concentrações muito baixas de CO2.

d) Uma das etapas desse processo é independente de luz.

e) Na etapa dependente de luz, há produção de ATP que será utilizado na síntese de glicose.

56. (UFV) O teste do iodo é um experimento clássico para demonstrar a ocorrência de fotossíntese. Como teste, duas folhas (A e B) de Trapaeolum foram completamente cobertas com papel metálico para que as substâncias de reserva fossem totalmente consumidas. Recortou-se, no papel do alumínio, a silhueta das letras UFV, permitindo que a folha B fosse exposta à luz solar apenas na região do recorte. Após um período de dois dias, os dois papéis de alumínio foram retirados, as folhas A e B foram destacadas, fervidas em álcool, descoradas e tratadas com solução de iodo. Com este tratamento, observou-se que a imagem das três letras UFV ficou corada de roxo, na folha B.

56

De acordo com os resultados obtidos, é incorreto afirmar que:

a) A fotossíntese ocorreu somente em algumas regiões da folha B.

b) A fotossíntese ocorreu uniformemente na folha.

c) O iodo reagiu apenas na região que continha amido.

d) O álcool retirou os pigmentos das duas folhas.

e) Na região da folha exposta à luz, houve produção de amido.

57. (FUVEST) Mediu-se a taxa de fotossíntese em plantas submetidas a diferentes condições de temperatura e luz. Foram utilizadas duas intensidades luminosas: uma baixa, próxima ao ponto de compensação fótico (representada nos gráfico por linha interrompida) e outra alta, bem acima do ponto de compensação fótico (representada nos gráficos por linha contínua). Qual dos gráficos abaixo representa melhor os resultados obtidos?

57

58. (CESGRANRIO) A equação a seguir é uma generalização do processo da fotossíntese:

CO2 + 2H2A → (CH2O) n + H2O + 2A

Sobre esse processo são feitas as seguintes afirmações.

I. Se H2A for a água, esse composto será a fonte exclusiva da liberação de O2.

II. A fase escura desse processo ocorre em nível de hialoplasma.

III. A substância H2A pode funcionar como fonte de elétrons.

IV. Na fase do processo chamada fotoquímica, a clorofila absorve energia química.

São corretas as seguintes afirmações:

a) Apenas I e III.

b) Apenas II e III.

c) Apenas I, II e IV.

d) Apenas II, III e IV.

e) Todas.

59. (UMC-SP) A fórmula abaixo representa a reação simplificada da fotossíntese:

6 CO2 + 6 H2O → 6 O2 + C6H12O6

Um pesquisador realizou dois experimentos. No primeiro deles, forneceu à planta moléculas de água marcadas com oxigênio radioativo. No segundo, forneceu à planta moléculas de dióxido de carbono marcadas com oxigênio radioativo. Ao término dos dois experimentos, ele verificou que:

a) O O2 produzido pela planta do experimento 1 era radioativo.

b) O O2 produzido pela planta do experimento 2 era radioativo.

c) O O2 produzido pelas plantas dos dois experimentos era radioativo.

d) A glicose produzida pelas plantas dos dois experimentos era radioativa.

e) Tanto o O2 como a glicose produzidos por ambas as plantas eram radioativos.

60. (ESPM-SP) Considere as três plantas abaixo.

I. Cipó-chumbo, formada por fios amarelos com estruturas para fixação em plantas hospedeiras e absorção de seu material nutritivo.

II. Erva-de-passarinho, formada por folhas verdes e com estruturas para fixação em plantas hospedeiras e absorção de seu material nutritivo.

III. Dioneia, formada por folhas verdes que se fecham como duas metades de uma concha, aprisionando insetos que lhe servem de alimento.

A fotossíntese ocorre em:

a) I, somente.

b) III, somente.

c) I e II, somente.

d) II e III, somente.

e) I, II e III.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

C

A

B

VFFVV

E

A

C

FFFFV

A

B

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

VVFVV

B

E

C

C

B

A

FVFVV

E

A

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

VFFFF

B

E

VVVVV

E

C

C

VVVVF

A

D

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

A

D

D

VVFFV

D

C

D

D

C

E

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

FFVFV

B

A

C

A

A

E

B

B

A

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

A

C

C

C

A

B

E

A

A

D

 

Publicado por: Djalma Santos | 5 de março de 2013

Testes de ecologia

01. (PUC-RIO) Durante o processo de eutrofização dos ambientes aquáticos, podem ocorrer as seguintes etapas:

a) Contaminação da água por esgotos domésticos, proliferação de algas e de bactérias decompositoras, diminuição da concentração de oxigênio, produção de gases tóxicos.

b) Contaminação da água por petróleo, morte de peixes, proliferação de bactérias, diminuição da concentração de oxigênio, produção de gases tóxicos.

c) Contaminação da água por esgotos domésticos, aumento na quantidade de matéria orgânica e oferta de alimentos, aumento na concentração de oxigênio e proliferação de peixes.

d) Contaminação da água por metais pesados, mortandade de peixes, diminuição da concentração de oxigênio, produção de gases tóxicos.

e) Contaminação da água pelo excesso de gás carbônico produzido por atividades humanas, aumento da acidez da água, mortandade de peixes.

02. (UEM) Considere a pirâmide ecológica abaixo e assinale o que for correto.

02

I   II

0  0 – A representação acima é de uma pirâmide de biomassa invertida.

1  1 – Na pirâmide acima, as gramíneas são organismos autótrofos e os gafanhotos e os sapos, heterótrofos.

2  2 – A biomassa total dos consumidores corresponde a 0,2% da biomassa do produtor.

3 3 – As biomassas dos constituintes da pirâmide no sentido dos sapos para as gramíneas obedecem às razões 1:4:2500.

4 4 – A biomassa dos consumidores primários é 400% maior do que a dos consumidores secundários.

03. (FAVIP) Para diminuir os prejuízos causados à camada de ozônio pelos gases lançados pelo homem na atmosfera, qual das medidas abaixo seria efetiva?

a) Diminuir o desmatamento das florestas e a utilização de agrotóxicos.

b) Aumentar a coleta de resíduos domésticos e realizar a reciclagem do papel e do vidro.

c) Utilizar sacolas não descartáveis e fazer a limpeza de mangues e áreas ambientais protegidas.

d) Descartar o lixo em aterros sanitários e incinerar os resíduos hospitalares.

e) Eliminar a utilização do gás clorofluorcarbono em aparelhos de refrigeração.

04. (UCS) Os alimentos que conhecemos como frutos do mar são considerados ingredientes fundamentais na alimentação balanceada, porém podem conter substâncias que, em vez da longevidade prometida, aceleram o fim. Isso ocorre, pois algumas substâncias ficam concentradas nos organismos que estão no ápice da cadeia alimentar. A figura abaixo representa essa situação, que pode ser denominada:

04

a) Pirâmide trófica.

b) Bioacumulaçâo.

c) Teia alimentar.

d) Pirâmide de energia.

e) Transformação bioquímica.

05. (UFSC) Entre os seres vivos que habitam determinado ambiente, podem ser observadas interações biológicas com diferentes tipos de relações. Estas relações podem ser harmônicas ou desarmônicas, entre espécies diferentes ou entre indivíduos da mesma espécie. Sobre estas relações, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

I   II

0  0 – O predatismo e o parasitismo são exemplos de relações desarmônicas.

1  1 – Colônia é uma associação entre indivíduos da mesma espécie, que se mantêm ligados anatomicamente formando uma unidade estrutural.

2  2 – 16. A bactéria Mycobacterium tuberculosis é um ectoparasita que causa a tuberculose no ser humano.

3  3 – Apesar do predatismo ser uma relação interespecífica desarmônica, ela pode ser benéfica e importante para o controle da população de presas e a manutenção do equilíbrio do ecossistema.

4  4 – O mutualismo é um tipo de relação desarmônica interespecífica.

06. (MACK)                         A China contra os pardais

[...] em 1958, enquanto colocava em ação seus planos para o Grande Salto à Frente, Mao deflagrou uma ampla campanha de combate aos pardais. A ave era um dos alvos da chamada Campanha das Quatro Pestes, que pretendia eliminar também os ratos, as moscas e os mosquitos, considerados inimigos públicos pelo líder chinês. Mao dizia que cada pardal, ciscando nas plantações, consumia 4 quilos de grãos por ano.

[...] os chineses, então, saíram às ruas e começaram a caça aos pardais. Seus ninhos eram destruídos, os ovos quebrados e os filhotes mortos.

[...] A campanha foi um retumbante fracasso. Não se levou em conta que os pardais, além de comer grãos, se alimentam também de insetos, e que uma de suas iguarias prediletas são os gafanhotos. A população de gafanhotos se multiplicou pelos campos chineses, arruinando plantações e causando desequilíbrio ao ecossistema.

Revista Veja, 14/09/2011

Relacionando esse episódio com uma cadeia alimentar, é correto afirmar que:

a) Os pardais podem ser considerados como consumidores de 1ª e de 2ª ordens.

b) Os ratos podem ser considerados somente como consumidores de 2ª ordem.

c) Os gafanhotos podem ser considerados como consumidores de 1ª e de 2ª ordens.

d) O homem pode ser considerado somente como consumidor de 2ª ordem.

e) Todos os consumidores envolvidos podem ser considerados de 2ª ordem.

07. (PUC-MG)                               ESTOCA-SE GÁS CARBÔNICO

Métodos de armazenamento embaixo do solo despontam como importantes aliados nas ações de mitigação do aquecimento global. Por outro lado, as técnicas ainda são caras e envolvem riscos para a saúde humana e animal.

Fonte: Ciência Hoje online, abril de 2011.

Sobre o aquecimento global e as possíveis novas alternativas para controlá-lo, assinale a afirmativa incorreta.

a) O aquecimento global é em grande parte provocado pelo acúmulo de gases, como o metano e gás carbônico, liberados na atmosfera.

b) O aumento da liberação dos gases CFC (cloro-flúor-carbono), presentes no aerossol e em fluidos de refrigeração, ao se concentrarem nas camadas superiores da atmosfera, acarretam o efeito estufa.

c) A diminuição do uso de combustíveis fósseis e o reflorestamento de áreas degradadas podem contribuir para a redução do processo de aquecimento global.

d) A tecnologia de captura e armazenamento de gás carbônico surge como uma boa alternativa para complementar os esforços globais de mitigação das mudanças climáticas.

08. (IFSudeste-MG) Como os fios de uma teia de aranha são interligados, os seres que habitam a Terra interligam entre si e com o meio ambiente. Essa interligação, estudada na ecologia, pode ser representada pelas cadeias alimentares e pelas teias alimentares. Sobre essas interligações, leia, a seguir, as afirmativas e escreva entre parênteses a letra “V” se a afirmativa for verdadeira e “F” se a afirmativa for falsa.

( ) Na cadeia alimentar, os vegetais, em todos os ecossistemas, são os únicos produtores.

( ) Numa teia alimentar, um organismo pode ser considerado consumidor primário ou consumidor secundário, dependendo da relação que esteja sendo estabelecida com outros organismos.

( ) Um organismo onívoro, numa teia alimentar, sempre será considerado consumidor secundário, pois permite duas relações alimentares.

( ) Os decompositores em uma cadeia alimentar atuam somente no final da cadeia; já em uma teia alimentar os decompositores atuam somente no início, fornecendo nutrientes básicos aos produtores.

Norteado pelas letras que escreveu entre parênteses, marque abaixo a única alternativa correta:

a) F V F F.

b) V F V V.

c) V V F F.

d) F F F V.

e) V V V F.

09. (UNIFOR) Considere os pares de organismo abaixo.

I. Cachorro e pulga.

II. Árvore e orquídea.

III. Leguminosa e nitrobactérias.

IV. Roseira e saúva.

Uma relação desarmônica ocorre apenas em:

a) I e II.

b) I e III.

c) I e IV.

d) II e III.

e) II e IV.

10. (UFSC) Quando um pedaço de floresta é destruído pelo fogo e o local fica abandonado, a mata pode se reconstituir dentro de algumas décadas.  Com relação a este assunto, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

I   II

0  0 – Exemplos de plantas pioneiras são as bromélias epífitas.

1  1 – Comunidades pioneiras colonizam a área e são sucedidas por outras.

2  2 – O solo descoberto recebe sol direto e se torna mais seco, favorecendo a germinação das sementes das árvores nativas que eventualmente tenham permanecido no local após o incêndio.

3  3 – Apesar dos danos à vegetação, a fauna sofre pouco nestas condições, uma vez que os animais têm uma alta capacidade de dispersão.

4  4 – No estágio em que predominam plantas arbustivas, o solo passa a reter mais umidade, favorecendo a germinação de sementes de plantas arbóreas.

11. (UFMG) Observe o gráfico abaixo.

11

Com relação às curvas de crescimento observadas, pode-se afirmar que:

a) A curva 3 indica que o crescimento da espécie II duplica nas quatro primeiras horas.

b) A espécie I lança, no meio, uma substância tóxica que limita o crescimento da espécie II.

c) A espécie I pode servir de alimento para a espécie II.

d) As curvas 1 e 2 são iguais quanto à velocidade de crescimento.

12. (UPE) Na sucessão ecológica, existe uma sequência ordenada e gradual de populações, que se instalam em determinado ambiente.

ROCHA NUA → LÍQUENS MUSGOS ERVAS ARBUSTOS ÁRVORES

Após observar o esquema da sucessão ilustrado acima, analise as cinco afirmações a seguir e conclua.

I  II

0  0 – Os líquens podem ser considerados facilitadores do processo de sucessão, pois eles vão gradualmente agregando matéria orgânica e melhorando as condições ambientais. São organismos pioneiros.

1  1 – A sucessão ilustrada acima é do tipo primária, caracterizada por sua maior rapidez em atingir o máximo de desenvolvimento e estabilidade, em comparação à sucessão secundária de um campo de cultivo abandonado.

2  2 – À medida que evolui o processo de sucessão ecológica, aumenta a biodiversidade, enquanto diminui a biomassa do ecossistema em formação.

3  3 – A sucessão que acontece nas dunas recém-formadas, pela ação constante dos ventos em regiões do litoral, representa sucessão secundária, e seu estágio de comunidade clímax sofre alterações estruturais constantes.

4  4 – O surgimento de novos nichos ecológicos, durante a sucessão ecológica, resulta em aumento da biodiversidade na comunidade.

13. (UEPG) Os ecossistemas naturais estão em constante modificação. Como se fossem um organismo vivo, eles passam por vários estágios, desde a juventude até a maturidade. Sucessão ecológica é o nome que se dá a essa série de mudanças nas comunidades que compõem o ecossistema. A respeito desse fenômeno, assinale o que for correto.

I   II

0  0 – Nas sucessões, o estágio inicial de povoamento, em que surgem as espécies pioneiras, é chamado de seres.

1   1 – As comunidades que se instalam, uma após a outra, em sequência, chamamos ecese.

2  2 – A comunidade que existe num dado momento “prepara o terreno”, permitindo que outra comunidade se estabeleça. As diversas comunidades se sucedem, até que se atinja um estágio de relativa estabilidade e equilíbrio, que se instala de forma “permanente”.

3  3 – Quando a comunidade atinge a maturidade e se torna estável, ela é chamada de comunidade clímax, e apresenta grande diversidade de espécies e de nichos ecológicos.

4  4 – São alguns eventos observados ao longo da sucessão: mudança repentina inicial tendendo a diminuir lentamente, aumento de tamanho dos indivíduos, diminuição da biomassa total, taxa de fotossíntese proporcional à taxa de respiração da comunidade, diminuição da conservação dos nutrientes no ecossistema.

14. (UFPB) Com o passar dos anos, observa-se que os diferentes ambientes sofrem modificações, ocasionadas tanto por fenômenos naturais como pela interferência humana. A esse processo denomina-se sucessão ecológica. A figura a seguir representa o esquema de uma sucessão ecológica:

14

AMABIS E MARTHO. Biologia das Populações.

v3. São Paulo: Ed. Moderna, 2005, p. 389.

Com base na figura e nos conhecimentos acerca desse processo, é correto afirmar:

a) A comunidade que se estabelece, ao final da sucessão ecológica, é a mais estável possível.

b) As espécies que iniciam o processo de sucessão ecológica são denominadas espécies clímax.

c) A diversidade de espécies da comunidade que se estabelece é mantida.

d) As relações ecológicas entre as espécies que se estabelecem diminuem.

e) As mudanças que ocorrem na população não alteram o ambiente.

15. (UFSC) O esquema abaixo mostra de maneira simplificada o ciclo do nitrogênio na natureza. As letras A, B, C, D e E indicam processos metabólicos que ocorrem nesse ciclo.

15

Sobre este ciclo, é correto afirmar que:

I   II

0  0 – O processo mostrado em A é realizado somente por bactérias simbiontes que vivem no interior das raízes de leguminosas.

1  1 – As mesmas bactérias que realizam o processo A, realizam os processos D e E.

2  2 – O esquema mostra que produtos nitrogenados originados de animais ou vegetais podem ser reaproveitados no ciclo.

3  3 – O processo mostrado em D constitui uma etapa fundamental no ciclo, chamada de fixação do nitrogênio.

4  4 – O nitrogênio é importante para os seres vivos, pois entra na composição molecular dos aminoácidos e dos ácidos nucleicos.

16. (IFTM) O acúmulo de gás carbônico, metano e óxido nitroso na atmosfera provocam o “efeito estufa” que mantém o planeta aquecido. Todavia, com o crescimento das malhas do transporte rodoviário, houve acréscimo na queima dos derivados do petróleo elevando a emissão de gás carbônico pelos automóveis. O excesso do gás carbônico na atmosfera impede a saída do ar quente para o espaço sideral, agravando o efeito estufa e aquecendo ainda mais o planeta. Devido ao aquecimento global ocorre diminuição da cobertura de gelo no Ártico o que aumenta a distância que os ursos polares precisam nadar para encontrar alimentos. Apesar de exímios nadadores, eles acabam morrendo afogados devido ao cansaço. A situação descrita acima:

a) Mostra a importância das características das zonas frias para a manutenção de outros biomas na Terra.

b) Enfoca o problema da interrupção da cadeia alimentar o qual decorre das variações climáticas.

c) Evidencia a autonomia dos seres vivos em relação ao habitat, visto que eles se adaptam rapidamente às mudanças nas condições climáticas.

d) Ressalta que o aumento da temperatura decorrente de mudanças climáticas permite o surgimento de novas espécies.

e) Alerta para os prejuízos que o aquecimento global pode acarretar a biodiversidade do Ártico.

17. (UFMS) As interações entre os seres de uma comunidade biológica, da mesma espécie ou de espécies diferentes, são denominadas genericamente relações ecológicas. Quando essas interações ocorrem entre indivíduos da mesma espécie, elas são denominadas intra-específica e, quando elas envolvem seres de espécies diferentes, são denominadas interações  interespecíficas. Considerando as relações ecológicas em uma comunidade biológica, é correto afirmar que:

I   II

0  0 – O inquilinismo ocorre quando um indivíduo utiliza um outro como moradia, com o prejuízo da outra parte.

1  1 – A planta epífita que vive sobre uma palmeira representa um caso de protocooperação.

2  2 – Temos um caso de competição interespecífica quando a coruja mata e se alimenta de um rato.

3  3 – A competição intra-específica, na qual os indivíduos concorrem pelos mesmos recursos do meio, ocorre somente nos herbívoros.

4  4 – O comensalismo é uma relação interespecífica em que uma das partes é beneficiada, sem prejuízo da outra.

18. (UPE) Com o objetivo de detectar a ação do homem no equilíbrio ecológico de uma região foi feito um estudo das populações de organismos de dois rios, nos quais eram lançados os resíduos das indústrias da região. Desse estudo resultaram os gráficos abaixo, onde nas abscissas estão as espécies estudadas e nas ordenadas estão os números de indivíduos de cada espécie. Baseado nos gráficos assinale a alternativa correta.

18

a) A competição entre as espécies sobreviventes aumenta pela poluição, provocando a diminuição do número de indivíduos.

b) O aparecimento das espécies, assim como o desenvolvimento de outras, acontece em ambientes não poluídos onde as espécies apresentam mais ou menos o mesmo número de indivíduos.

c) Em qualquer tipo e intensidade de poluição, todas as populações apresentam uma diminuição muito grande no seu número de indivíduos.

d) Pela análise dos gráficos, chega-se à conclusão de que a poluição pode reduzir o número de indivíduos de algumas espécies, assim como aumentar o de outras.

e) Todos os organismos de estrutura celular apresentam o mesmo grau de adaptação à poluição.

19. (FGV) Na aula em que se discutia o assunto relações interespecíficas, a professora apresentou aos alunos, em DVD, as cenas iniciais do filme “Procurando Nemo” (Walt Disney Pictures e Pixar Animation Studios, 2003). Nessas cenas, um casal de peixes-palhaço (Amphiprion ocellaris) protege seus ovos em uma cavidade na rocha, sobre a qual há inúmeras anêmonas (classe Anthozoa). Contudo, uma barracuda (Sphyraena barracuda) ataca o casal, devorando a fêmea e seus ovos. Apenas um ovo sobrevive, que o pai batiza de Nemo. Nemo e seu pai, Marlin, vivem protegidos por entre os tentáculos da anêmona que, segundo a explicação da professora, se beneficia dessa relação aproveitando os restos alimentares de pai e filho. Em ecologia, as relações interespecíficas entre o peixe-palhaço e a anêmona, e entre a barracuda e o peixe-palhaço são chamadas, respectivamente, de:

a) Mutualismo e parasitismo.

b) Protocooperação e predação.

c) Comensalismo e predação.

d) inquilinismo e parasitismo.

e) Parasitismo e predação.

20. (UFSCar) A figura abaixo ilustra um processo de transformação ambiental, que ocorre de forma gradual e contínua em uma determinada região. A colonização dessa região inicia-se com organismos pioneiros até atingir um estágio de equilíbrio entre a comunidade biológica e o ambiente.

20

(www.acervoescolar.com.br)

O processo de transformação descrito é chamado de:

a) Especiação.

b) Sucessão ecológica.

c) Evolução biológica.

d) Convergência adaptativa.

e) Diversificação de espécies.

21. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA). Observa-se na foto abaixo uma bromélia com inflorescência crescendo sobre o tronco de outra árvore – característica típica das florestas tropicais pluviais.

21

a) Plantas epífitas como a bromélia utilizam água e sais minerais da árvore para se desenvolverem.

b) Bromélias-tanque possuem entre suas folhas reservatório de água e nutrientes que permitem seu desenvolvimento.

c) Esta relação pode ser classificada como parasitismo, pois a bromélia beneficia-se pela maior obtenção de luz.

d) A principal vantagem de plantas epífitas é o escape de seus predadores.

e) Outros exemplos de plantas epífitas são orquídeas, erva-de-passarinho e cipó-chumbo.

22. (UERJ) Em um ecossistema lacustre habitado por vários peixes de pequeno porte, foi introduzido um determinado peixe carnívoro. A presença desse predador provocou variação das populações de seres vivos ali existentes, conforme mostra o gráfico a seguir.

22

A curva que indica a tendência da variação da população de fitoplâncton nesse lago, após a introdução do peixe carnívoro, é a identificada por:

a) W.

b) X.

c) Y.

d) Z.

23. (COVEST) As comunidades biológicas são formadas por populações distintas, que vivem juntas em uma região e interagem entre si. As inter-relações podem ser evidenciadas entre indivíduos de uma mesma espécie ou entre indivíduos pertencentes a espécies diferentes. Na figura abaixo, são mostradas curvas de crescimento para duas espécies de protozoários (X e Y), cultivadas em laboratório, tanto separadamente (gráfico 1) quanto conjuntamente (gráfico 2), mantendo-se, nos dois casos, idênticos meios de cultura. Trata-se de uma relação ecológica do tipo:

23

a) Inquilinismo.

b) Competição.

c) Protocooperação.

d) Mutualismo.

e) Comensalismo.

24. (PUC-CAMPINAS)

Atenção: Para responder esta questão considere o texto apresentado abaixo.

Cientistas sabem da existência de fontes termais submarinas desde a década de 70. Os sistemas conhecidos como chaminés negras, ou fumarolas, são os mais comuns. (…) Nessas chaminés, a água pode atingir temperaturas superiores a 400oC, devido à proximidade de rochas magmáticas. Com pH semelhante ao do suco de limão, ela libera sulfetos, ferro, cobre e zinco, à medida que se infiltra nas rochas vulcânicas abaixo do solo marinho. Quando esse fluido ebuliente e ácido sobe novamente à superfície, é expelido pelas chaminés na água gelada das profundezas do mar, onde os sulfetos de metal dissolvidos resfriam rapidamente e precipitam, produzindo uma mistura escura, parecida com nuvens de fumaça negra. (…) Apesar da agressiva composição química da água ao seu redor, há uma profusão de animais exóticos, como os gigantescos vermes tubiformes (Riftia), desprovidos de boca e intestinos. Essas criaturas florescem graças a uma associação simbiótica com bactérias internas, que consomem o venenoso gás sulfeto de hidrogênio que emana dos orifícios.

(Revista Scientific American Brasil, janeiro de 2010, p. 42)

Morfologicamente, os vermes tubiformes gigantes do gênero Riftia são muito diferentes dos seres que existem na superfície da terra; entre outras particularidades, são desprovidos de boca e intestinos. No entanto, do ponto de vista ecológico, esses vermes podem ser corretamente classificados como:

a) Decompositores, pois se alimentam dos detritos que afundam até as fontes termais subaquáticas.

b) Produtores, pois realizam fotossíntese nas regiões próximas às fumarolas.

c) Consumidores primários, pois obtêm seu alimento de bactérias quimiossintetizantes.

d) Consumidores secundários, pois se alimentam do fluido ebuliente e dos sulfetos de hidrogênio.

e) Autótrofos, pois são criaturas que florescem, assim como as plantas da superfície.

25. (UNICENTRO) O gráfico que indica como a biomassa varia no processo de uma sucessão ecológica é:

25

26. (UNEMAT) Em 1962, no livro Primavera Silenciosa (Silent Spring), Rachel Carson mostrou como o DDT (inseticida) penetrava e tinha efeito cumulativo na cadeia alimentar, ficando retido nos tecidos gordurosos dos animais, sendo detectada a presença de DDT até no leite humano. Apesar de o uso do DDT ter sido proibido há muitos anos, a dissertação de Mestrado de Danielly C. de Andrade Palma, defendida em 15 de março de 2011, intitulada “Agrotóxico no leite materno de mães residentes em Lucas do Rio Verde – MT”, confirmou a presença de DDE no leite de lactantes. O DDE é um metabólito do DDT, que pode ocasionar infertilidade masculina e abortos espontâneos.

Assinale a alternativa correta:

a) Em inseticidas que têm efeito bioacumulativo, à medida que aumentam os níveis tróficos, a quantidade de resíduos diminui.

b) A presença de glândulas mamárias é uma característica de todos os vertebrados.

c) O DDT penetra nas células de gordura que são células do tecido epitelial.

d) Em uma cadeia alimentar contaminada pelo DDT, o consumidor terciário apresenta mais DDT no seu organismo que o consumidor primário.

e) O tecido adiposo não participa no metabolismo energético dos animais.

27. (UEM) Sobre ecossistemas e sucessão ecológica, analise as alternativas e assinale o que for correto.

I  II

0  0 – Nos ecossistemas onde os fatores abióticos são adequados e disponíveis, verifica-se maior número de espécies, como ocorre nas faixas litorâneas, estuários de rios e nas florestas pluviais.

1  1 – O aparecimento de novos nichos durante a sucessão ecológica leva ao aumento da biodiversidade, diminuindo a biomassa do ecossistema em sucessão.

2  2 – Uma elevada diversidade de espécies torna o ecossistema mais complexo, com maior número de nichos ecológicos, garantindo o equilíbrio da comunidade clímax, diminuindo a probabilidade de ocorrer mudanças drásticas.

3  3 – As queimadas, comuns na estação seca em diversas regiões brasileiras, podem provocar a destruição da vegetação natural, e na sequência ocorre o processo denominado sucessão primária.

4  4 – No ambiente marinho, as comunidades são divididas em três grandes grupos: plâncton, nécton e bentos, de acordo com a capacidade de movimentação dos organismos e os locais que ocupam.

28. (UDESC) A sucessão ecológica numa região desabitada pode ser esquematizada do seguinte modo:

28

Sobre este esquema, analise as proposições abaixo.

I. As sucessões primárias ocorrem em locais onde não há vida (rocha nua, por exemplo).

II. As sucessões secundárias correspondem a uma recolonização de uma região previamente habitada (um campo de cultura abandonado, por exemplo).

III. Ao longo da sucessão há um aumento da biomassa, da diversidade de espécies e da complexidade das teias alimentares, o que pode estar relacionado à maior estabilidade da comunidade clímax, tornando-a, por exemplo, mais resistente ao ataque de pragas.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa II é verdadeira.

b) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.

c) Somente a afirmativa I é verdadeira.

d) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

29. (UFPR)                  Leia o texto a seguir sobre os recifes de coral.

Afetados por mudanças climáticas, poluição, introdução de espécies invasoras e pesca predatória, muitos corais estão em perigo. Um terço dos recifes de corais de todo o planeta está ameaçado de extinção. A região do Caribe é a que apresenta a mais alta concentração de corais ameaçados. É o que revela o primeiro levantamento global para determinar o seu status de conservação. Os resultados do estudo foram publicados pela revista Science. Construídos ao longo de milhões de anos, os recifes de corais são o habitat de mais de 25% das espécies marinhas, configurando-se como o ecossistema marinho com maior diversidade biológica. Os corais constroem recifes em águas rasas tropicais e subtropicais e têm-se mostrado altamente sensíveis a mudanças em seus ambientes. Milhões de pessoas em todo o planeta dependem desses ecossistemas para o seu sustento, seja através da pesca ou do turismo. Os pesquisadores apontaram como principais ameaças aos corais o aquecimento global e alterações locais decorrentes da pesca predatória, a introdução de espécies invasoras e o declínio na qualidade das águas por causa da poluição e da ocupação desenfreada da zona costeira.

(Marcados para Morrer. Jornal da Ciência nº 3552, de 11 de julho de 2008 – Adaptado.)

Sobre o impacto sofrido pelos recifes de corais, identifique as afirmativas a seguir como verdadeiras (V) ou falsas (F):

( ) As mudanças climáticas podem aumentar a temperatura da água e a intensidade da radiação solar, o que leva à descoloração dos corais e a doenças que podem acarretar a sua mortalidade.

( ) Com o aumento da concentração de CO2 na atmosfera, os oceanos absorvem volumes cada vez maiores desse gás, levando a um aumento da acidez e diminuição do pH, o que prejudica gravemente a capacidade dos corais de construírem seus esqueletos, os quais formam as fundações dos recifes.

(  ) A pesca de arrasto, utilizando bombas ou cianeto para captura de espécie ornamentais, é exemplo de pesca que prejudica bastante os recifes de corais, uma vez que, além das espécies capturadas, destroem o ecossistema.

( ) A introdução de espécies invasoras pode se dar, por exemplo, pelo despejo de água de lastro ou soltura de espécies exóticas no ambiente natural.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

a) FFVF.

b) VVFV.

c) FFVV.

d) VVVF.

e) VV VV.

30. (UEM) “O terremoto no Japão fez com que onze dos 54 reatores nucleares do país fossem desativados automaticamente, para evitar um acidente. Mais tarde, uma empresa de eletricidade informou que pode ter havido um vazamento radioativo na usina de Fukushima. Um posto de controle na saída do complexo registrava níveis de radioatividade oito vezes superiores ao normal” (Revista Veja, 16/03/2011).

Sobre as contaminações ambientais com material radioativo, é correto afirmar que elas:

I  II

0  0 – Podem alterar o material genético, originando as mutações.

1  1 – Possibilitam alterações nas células reprodutoras, mas que não serão transmitidas às gerações seguintes.

2  2 – Prejudicam a renovação das células.

3  3 – Favorecem o surgimento de lesões no sistema nervoso.

4 4 – Constituirão o lixo radioativo, originando os transgênicos, alterando o equilíbrio ecológico.

31. (VUNESP) Em abelhas, o macho (zangão) desenvolve-se a partir óvulos não fecundados (haploides). As rainhas (fêmeas férteis) e as operárias (fêmeas estéreis) desenvolvem-se a partir de ovos fecundados e diploides. Conclui-se daí que:

I. Os zangões não têm filhos de sexo masculino.

II. As filhas de um zangão herdam todos os genes que seu pai possui.

III. Os zangões não possuem avós paternos.

a) As conclusões acima estão corretas.

b) As conclusões acima estão incorretas.

c) Apenas as conclusões I e II estão corretas.

d) Apenas as conclusões I e III estão corretas.

e) Apenas as conclusões II e III estão corretas.

32. (UNICENTRO) Pesquisadores têm visitado locais no Oceano Atlântico Norte ocidental e no Mar do Caribe, por mais de duas décadas, para melhor entender os grandes acúmulos de plástico que se formaram nessa região. Os pesquisadores da Associação de Educação Marinha (SEA, em inglês), do Instituto Oceanográfico Woods Hole (WHOI) e da University of Hawai (UH) descobriram, dentre outras coisas, que a quantidade de plástico coletada pelas redes dos pesquisadores permaneceu bastante estável no decorrer dos anos, apesar da elevada produção e consumo de plástico da sociedade, de acordo com uma pesquisa publicada em Science Express.

(PESQUISA tenta…, 2010).

Com base nos dados obtidos nessa pesquisa, pode-se inferir que:

a) O plástico, apesar de descartado em grande quantidade no meio ambiente, causa poucas alterações nos ecossistemas marinhos.

b) Uma alta biodegradabilidade dos plásticos existe em ambiente natural, ao contrário dos dados publicados anteriormente.

c) A pesquisa não apresenta credibilidade do ponto de vista científico por apresentar dados contrastantes com os obtidos em pesquisas anteriores.

d) A produção e o consumo de produtos plásticos têm se tornado estáveis e tendem à redução entre as sociedades.

e) O plástico, provavelmente, está sendo consumido por organismos marinhos ou se partindo em pequenos pedaços, o que inviabiliza a sua coleta pelas redes.

33. (UEM) Sobre cadeias e teias alimentares, assinale o que for correto.

I  II

0  0 – A transferência de energia no ecossistema é unidirecional: começa com a captura da energia luminosa pelos produtores e prossegue diretamente para os consumidores terciários.

1  1 – Os organismos consumidores são heterótrofos, isto é, não produzem matéria orgânica a partir de substâncias inorgânicas.

2  2 – Os herbívoros ocupam o mesmo nível trófico, porém, nichos diferentes.

3  3 – Um determinado organismo dentro de uma teia alimentar pode ocupar diferentes níveis tróficos.

4  4 – A coruja, ao se alimentar de um rato, que se alimentou de plantas, é considerada um consumidor secundário e ocupa o segundo nível trófico de uma cadeia alimentar.

34. (UFLA) Analise as seguintes proposições sobre culturas agrícolas destinadas à alimentação humana, as quais constituem ecossistemas simplificados fora do estágio clímax e, a seguir, marque a alternativa correta.

I. Essas culturas agrícolas são mais suscetíveis às pragas, devido à menor quantidade de predadores nesses ecossistemas.

II. A menor variabilidade genética nesse ecossistema torna‐o mais sensível ao ataque de pragas.

III. O aumento de áreas cultivadas provoca a destruição de comunidades clímax, acarretando extinção de espécies e erosão do solo.

a) Apenas as proposições II e III estão corretas.

b) Apenas as proposições I e II estão corretas.

c) As proposições I, II e III estão corretas.

d) Apenas as proposições I e III estão corretas.

35. (UNEMAT) No mês de julho de 2011, uma exposição em Cuiabá apresentou o Projeto Brasil das Águas, que visa a avaliar a qualidade das águas de nossos rios e lagos. Para isso, os pesquisadores coletaram diversas amostras de água, utilizando um hidroavião, e de vapor, com um monomotor e um balão. Sobre esse assunto, assinale a alternativa correta.

a) Caso os pesquisadores observassem muitos rios e lagos volumosos em Mato Grosso, poderiam concluir que não é necessário que a população desse Estado economize água.

b) Caso os pesquisadores observassem grande quantidade de plantas, como o aguapé ou algas diatomáceas, num rio, poderiam concluir que o ambiente esta saudável e equilibrado.

c) Caso os pesquisadores observassem, na amostra de água, um organismo pequeno, incapaz de nadar contra a correnteza, poderiam concluir que se trata necessariamente de um vegetal.

d) Concentrações de nitrato e fosfato diluídos na água poderiam concluir que está havendo eutrofização.

e) Caso os pesquisadores observassem extensas florestas, mas poucos rios e lagos poderiam concluir que ali ocorre pouca evaporação, já que os vegetais pouco liberam água.

36. (UEPB) Observe a sequência dos organismos abaixo:

1. Musgos, samambaias, microrganismos.

2. Arbustos, gramíneas, insetos, lagartos, microrganismos.

3. Árvores frutíferas, liquens e musgos, insetos, aves, mamíferos, cobras, lagartos, microrganismos.

4. Líquens e microrganismos.

Considerando o processo de sucessão ecológica primária, a sequência correta dos estágios de surgimentos das comunidades é:

a) 3, 2, 1, 4.

b) 1, 4, 2, 3.

c) 4, 1, 2, 3.

d) 1, 2, 3, 4.

e) 4, 1, 3, 2.

37. (UEPG) Nas pirâmides ecológicas pode-se representar níveis tróficos de um ecossistema por meio de retângulos superpostos. Sobre o assunto, assinale o que for correto.

I  II

0 0 – Na pirâmide de números, o comprimento do retângulo é proporcional ao número de indivíduos.

1  1 – Em uma pirâmide de número com laranjeiras, pulgões e protozoários tem-se sempre um maior número de laranjeiras em relação aos dois outros organismos.

2  2 – A biomassa é a quantidade de matéria inorgânica presente no corpo dos organismos de um determinado nível trófico.

3  3 – Em uma pirâmide de biomassa, pode-se estimar que uma tonelada de alfafa é capaz de sustentar, perfeitamente bem, oitenta toneladas de bezerros.

4  4 – As pirâmides de energia demonstram que a energia inicial perde-se gradativamente de um nível trófico para o outro, imediatamente superior.

38. (PUC-RS) O termo Cadeia Alimentar é corretamente definido como:

38

a) Transferência cíclica de nutrientes entre produtores, consumidores e decompositores, na qual o fluxo de energia aumenta a cada nível.

b) Um ciclo trófico constituído pelos seres produtores capazes de sintetizar matéria inorgânica, a partir de substâncias minerais, e de fixar a energia.

c) Expressão das relações de alimentação entre os organismos de um ecossistema, onde há uma transferência de energia no sentido dos produtores para os consumidores.

d) Ciclo da matéria que parte de organismos autotróficos para níveis inferiores (herbívoros, carnívoros e decompositores), que define como a energia é totalmente consumida.

e) Grupo de níveis hierárquicos que classifica os organismos como produtores, consumidores e decompositores com base na forma como eles obtêm energia da matéria inorgânica.

39. (UFJF) O caos aéreo causado pela erupção de um vulcão na Islândia foi notícia diária durante meses, neste ano. Contudo, a devastação ambiental causada pelas cinzas oriundas da mesma erupção, num raio de dezenas de quilômetros, mereceu apenas raras notas na grande imprensa. O fenômeno de revitalização natural que ocorre numa área devastada é denominado sucessão ecológica, na qual são observadas mudanças na estrutura das comunidades que se instalam. Sobre o processo sucessional, aponte a afirmativa incorreta.

a) No estágio inicial de sucessão ecológica em ambientes devastados por ação vulcânica, a influência de fatores abióticos pode ser menor do que a de fatores bióticos.

b) Na região temperada, a maior diversidade de espécies e a maior complexidade das teias alimentares podem ocorrer em uma comunidade clímax.

c) Se, em vez de vulcanismo, ocorrer desmatamento, a sucessão primária pode se iniciar com instalação de liquens e pteridófitas.

d) Ao longo do processo sucessional, em qualquer ambiente, pode haver diminuição da biomassa e aumento da diversificação das espécies.

e) Em uma comunidade clímax de uma floresta tropical, o número de espécies tende a ser alto, e o número de indivíduos de cada espécie tende a ser baixo.

40. (UFMS) Observe a figura abaixo que representa uma teia alimentar, e em seguida analise as proposições e assinale a(s) correta(s).

40

   (Disponível em http://educar.sc.usp.br/ciencias/ecologia/fig16.JPG)

I   II

0  0 – Não há consumidores primários.

1  1 – A garça pode ser considerada um consumidor terciário.

2 2 – Na ilustração, o peixe (6) é um consumidor primário e o peixe (7) é um consumidor secundário.

3  3 – Essa teia alimentar não tem limite nos níveis de consumidores.

4  4 – Os consumidores secundários são a tartaruga, o peixe (7), o sapo e a garça.

41. (FGV) A comunidade clímax constitui a etapa final de uma sucessão ecológica. Considera-se que a comunidade chegou ao clímax quando:

a) As teias alimentares, menos complexas, são substituídas por cadeias alimentares.

b) A produção primária bruta é “igual” ao consumo.

c) Cessam a competição interespecífica e a competição intraespecífica.

d) A produção primária líquida é alta.

e) A biomassa vegetal iguala-se à biomassa dos consumidores.

42. (UNIMONTES)

LEIA ATENTAMENTE O FRAGMENTO DE ARTIGO ABAIXO.

O uso de pesticidas, ao longo do século passado, foi importante para aumentar a produção agrícola mundial e torná-la grande o suficiente para alimentar a população do globo. Nos últimos anos a equipe do oceanólogo Adalto Bianchini, da Universidade Federal do Rio Grande, detectou a presença de praguicidas onde elas jamais foram aplicadas: na Antártida. Analisando a gordura de elefantes-marinhos (Mirounga leonina), eles encontraram níveis elevados de diferentes componentes de agrotóxicos, cujo uso foi abolido em boa parte do mundo tanto no organismo de fêmeas adultas como de seus filhotes.

(Revista FAPESP. Março, 2009 . adaptado)

Considerando as informações apresentadas no artigo e o assunto relacionado com ele, analise as alternativas abaixo e assinale a que melhor explica o fenômeno apresentado no texto.

a) Eutrofização.

b) Sucessão ecológica.

c) Magnificação trófica.

d) Dispersão passiva.

43. (UEPG) Com relação à sucessão ecológica, assinale o que for correto.

I  II

0 0 – Regiões de transição entre duas comunidades clímax (floresta e campo, por exemplo) possuem uma mescla da vegetação de ambas. Nessa região ocorre geralmente grande disputa de alimentos entre animais das duas comunidades, sendo denominada ecótone.

1  1 – A instalação de árvores de grande porte em regiões sem vida é sempre o primeiro passo para formar o que é chamada de comunidade pioneira ou ecese.

2  2 – Na comunidade clímax ocorrem pouquíssimas espécies e teias alimentares simples, principal-mente quando compara-se com a comunidade pioneira.

3  3 – Ao longo do processo de sucessão ecológica, observa-se um aumento progressivo na diversidade de espécies e na biomassa total da comunidade.

4  4 – Uma sucessão secundária é a que ocorre em locais já habitados, cujo equilíbrio foi rompido por alguma mudança ambiental, causada ou não pelo homem.

44. (UENP) “Os papéis duais das formas de vida como produtores de alimento e como consumidores de alimento dão ao sistema uma estrutura trófica, determinada pelas relações de alimentação, através da qual a energia flui e os nutrientes circulam”.

(Ricklefs, R. A economia da natureza. 5a ed. Rio de Janeiro: Guanabara koogan, 2001. página 91).

A partir das relações apresentadas no esquema a seguir, assinale a afirmação correta.

44

a) A teia apresenta organismos que ocupam até o nível de consumidor terciário.

b) A energia que chegará ao homem será maior do que para o grilo.

c) O grilo e o boi apresentam interação ecológica do tipo competição intraespecífica.

d) Todos os organismos que atuam como consumidores secundários nessa teia competem diretamente pelo alimento.

e) Os decompositores atuam sobre todos os níveis apresentados na teia e na ciclagem dos nutrientes.

45. Observe a cadeia alimentar:

Algas  → copépodes   → peixes   → fragata

Considerando apenas essa cadeia e sabendo que a fragata voa sobre águas próximas à costa e nidifica em ilhas rochosas, podemos dizer que o nicho ecológico ocupado por essa ave:

a) São as ilhas onde nidifica.

b) É o mar costeiro, onde obtêm alimento.

c) São tanto as ilhas como o mar costeiro.

d) É o de predador de peixes em sua comunidade.

e) É o de consumidor primário em sua comunidade.

46. (UEG) Os cogumelos são fungos comumente encontrados em troncos de árvores, onde suas hifas nutrem-se de moléculas orgânicas que são os componentes presentes nesses troncos. Um indivíduo, ao se alimentar desse fungo, é considerado:

a) Consumidor primário.

b) Consumidor secundário.

c) Consumidor terciário.

d) Consumidor quaternário.

47. (UFRGS) Considere as seguintes afirmações sobre sucessão ecológica.

I. Quando uma comunidade atinge o estágio clímax, a teia alimentar torna-se mais complexa.

II. A composição das espécies tende a permanecer constante ao longo da sucessão.

III. Os diferentes organismos dos estágios serais ocasionam modificações nas condições ambientais locais.

Quais são corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas I e III.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III.

 48. (UEL)              Leia o texto a seguir e responda esta questão.

Para obter-se o terreno para o plantio, o mato precisa ser derrubado, galhos e ramos cortados e, depois de secarem, precisam ser queimados. É um trabalho duro. Em geral é feito por grupos de homens acostumados com esse serviço, e que são pagos por um chefe o qual contrata o serviço com os donos das terras… Depois de mais ou menos 2 a 3 meses que o sol secou as folhas e os galhos, pode-se começar a queima do mato, um acontecimento notável, esperado com grande tensão.

(MAIER, Max Hermann. Um advogado de Frankfurt se torna cafeicultor na selva brasileira. CDPH / UEL.)

A prática da queimada, utilizada por agricultores para facilitar o plantio, tem efeitos prejudiciais para o solo. Assinale a alternativa que apresenta corretamente o efeito da alta temperatura no solo durante a queimada.

a) Incorporação do carbono em compostos orgânicos produzidos em altas temperaturas.

b) Perda de nitrogênio causada pela sua incorporação em compostos insolúveis, formados pelas cinzas.

c) Aumento da concentração de íons hidrogênio, levando à acidez e à diminuição do oxigênio.

d) Eliminação de microrganismos responsáveis pelo processo de degradação da matéria orgânica.

e) Absorção de monóxido de carbono e compostos inorgânicos pelas bactérias nitrificantes, causando baixa fertilidade do solo.

49. (UEL)                       Leia o texto a seguir e responda esta questão.

Para obter-se o terreno para o plantio, o mato precisa ser derrubado, galhos e ramos cortados e, depois de secarem, precisam ser queimados. É um trabalho duro. Em geral é feito por grupos de homens acostumados com esse serviço, e que são pagos por um chefe o qual contrata o serviço com os donos das terras… Depois de mais ou menos 2 a 3 meses que o sol secou as folhas e os galhos, pode-se começar a queima do mato, um acontecimento notável, esperado com grande tensão.

(MAIER, Max Hermann. Um advogado de Frankfurt se torna cafeicultor na selva brasileira. CDPH / UEL.)

Reconhecendo a importância da atmosfera para o equilíbrio térmico da Terra, é possível prever que a modificação em sua composição pode acarretar um desequilíbrio na manutenção da vida. Realizar amplos reflorestamentos no planeta é uma forma de reduzir o efeito estufa e conter o aquecimento global. Este procedimento baseia-se na hipótese de que o aumento de áreas de florestas promove:

a) Absorção de CFC, gás responsável pela destruição da camada de ozônio.

b) Aumento do gás carbônico no solo, diminuindo a emissão de gás metano para a atmosfera, causando resfriamento da superfície terrestre.

c) Maior disponibilidade de combustíveis fósseis, diminuindo o fenômeno da inversão térmica.

d) Redução da radiação ultravioleta causada pela liberação de gás oxigênio, resultante do processo fotossintético dos vegetais.

e) Retenção do carbono pelas árvores, com diminuição do gás carbônico atmosférico, o qual acentua o efeito estufa.

50. (UNIFESP) Analise a figura abaixo.

50

A figura mostra o processo de ocupação do solo em uma área dos pampas gaúchos. Considerando a sucessão ecológica, é correto afirmar que:

a) Na fase 2 temos a sucessão secundária uma vez que, na 1, teve início a sucessão primária.

b) Ocorre maior competição na fase 3 que na 4, uma vez que capins e líquens habitam a mesma área.

c) Após as fases representadas, ocorrerá um estágio seguinte, com arbustos de pequeno porte e, depois, o clímax, com árvores.

d) Depois do estabelecimento da fase 4 surgirão os primeiros animais, dando início à sucessão zoológica.

e) A comunidade atinge o clímax na fase 4, situação em que a diversidade de organismos e a biomassa tendem a se manter constantes.

51. (UNEMAT) Em relação à sucessão ecológica a seguir, analise as assertivas abaixo.

51

                             Fonte: Favaretto & Mercadante, Vol. Único, página 30.

I. A sucessão ecológica é caracterizada por uma série de alterações na estrutura e composição das comunidades, formando uma comunidade relativamente estável em equilíbrio com o meio.

II. As gramíneas e árvores de grande porte são exemplos de comunidades pioneiras que toleram condições adversas e modificam o ambiente, possibilitando o desenvolvimento de outras comunidades.

III. Numa comunidade clímax ocorre um maior número de espécies, um aumento da biomassa e elevada estabilidade.

Assinale a alternativa correta.

a) Apenas a assertiva I está correta.

b) Apenas a assertiva II está correta.

c) As assertivas I e II estão corretas.

d) As assertivas I e III estão corretas.

e) As assertivas II e III estão corretas.

52. (UFPB) A sucessão ecológica refere-se a uma sequência de mudanças estruturais e funcionais que ocorrem na comunidade, que, em muitos casos, seguem padrões definidos.  Acerca da sucessão ecológica, identifique as proposições verdadeiras:

I   II

0  0 – As gramíneas e os líquens são organismos pioneiros.

1 1 – A sucessão primária é aquela que ocorre logo após a queimada em um ambiente florestal.

2  2 – A biodiversidade, a biomassa e as condições microclimáticas geralmente se estabilizam, quando a comunidade aproxima-se do clímax.

3  3 – A homeostase aumenta à medida que a comunidade tende a se estabilizar.

4 4 – As espécies de pequeno porte e crescimento rápido ocorrem no início da sucessão primária, enquanto que as árvores e os arbustos de crescimento lento predominam no início da sucessão secundária.

53. (UNEMAT) “Sucessão ecológica é um mecanismo natural que abrange mudanças na estrutura das comunidades biológicas através do tempo. Esse processo direcional e até previsível resulta de modificações ambientais promovidas pelos seres vivos e das interações entre populações” (Paulino, 2002).

Com base neste enunciado, ao longo de uma sucessão ecológica ou da ecese para o clímax, pode-se afirmar que ocorre:

I. Aumento da produção primária bruta.

II. Aumento de consumo.

III. Diminuição da produção primária líquida.

IV. Aumento e, posteriormente, estabilidade da biomassa.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente I e II estão corretos.

b) Somente I, II e III estão corretos.

c) Somente II e III estão corretos.

d) Somente II, III e IV estão corretos.

e) Todos os itens estão corretos.

54. (UNICENTRO) As bactérias do gênero Rhizobium associam-se às raízes de algumas plantas. Tais organismos vivem normalmente no solo, onde alcançam o sistema radicular de leguminosas jovens e penetram, através dos pelos absorventes, instalando-se finalmente nos tecidos corticais das raízes. Essas bactérias têm grande importância na natureza, pois:

a) Atuam de forma singular, na decomposição da matéria orgânica morta presente no solo, além de consumir o excesso de CO2 do solo.

b) São aquelas que ao converter nitrito em nitrato, processo denominado de nitratação, libera nitratos para o solo, que podem ser absorvidos pelas plantas.

c) Fazem parte do grupo das bactérias anaeróbias que utilizam nitratos em vez de oxigênio no processo respiratório, eliminado o excesso desse composto no solo.

d) Funciona como um verdadeiro adubo vivo, ao fixar N2 atmosférico, transformando-o em sais nitrogenados, que serão utilizados pelas plantas.

e) Absorvem os íons amônio em excesso do solo, oxidando-os e, com a energia liberada, fabricam compostos orgânicos por quimiossíntese, além de consumir o excesso de CO2 do solo.

55. (UCS) Acredita-se que a quantidade de água na Terra é praticamente a mesma há 500 milhões de anos. O que tende a mudar é apenas a sua distribuição, pois a água é uma substância dinâmica: ela se recicla por meio de um processo chamado ciclo hidrológico, no qual as águas do mar e dos continentes evaporam, formando nuvens, e voltam a cair na biosfera, sob a forma de chuva, neblina e neve; depois escorrem para os rios, para os lagos, para o subsolo e para o mar. Esse ciclo garante a manutenção do equilíbrio no sistema hidrológico do planeta. No entanto, há alertas de que a água pode de alguma maneira faltar, pois a atividade humana vem poluindo esse recurso natural. E, com o aumento da população mundial, a água pode não ser suficiente para todos.

(Fontes: ÁGUA – Abundancia e escassez. Disponível em: <http://www. comciencia.br>. Acesso em: 20 out. 2011. – Texto Adaptado. VEJA, p. 131, 2 nov. 2011. – Texto adaptado.)

A figura abaixo representa uma serie de eventos que compõem o ciclo hidrológico do planeta.

55

Analise a veracidade (V) ou a falsidade (F) das proposições abaixo, sobre esse ciclo.

( ) O aquecimento pelo Sol provoca a evaporação da água (5). A formação das nuvens (6) ocorre à medida que o vapor d’água se resfria e se condensa, sob a forma de gotículas de chuva.

( ) Levadas pelos ventos (7), as nuvens ficam mais altas e se resfriam, formando gotas de água, que caem sob a forma de chuva (1) e (8). A água então retorna a terra, alimentando as fontes subterrâneas, os rios (2), os lagos e os mares (4).

( ) A respiração dos animais (10) produz O2, enquanto as plantas transpiram por meio das folhas e perdem água (9).

( ) Quando a água da chuva penetra no solo (3), ela dissolve minerais presentes nas rochas.

Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo.

a) VVFV.

b) VFVV.

c) FVFF.

d) V VV V.

e) FF FF.

56. (UFTM) O nitrogênio (N2) é um gás presente na atmosfera e sem ele provavelmente não haveria vida na terra como existe atualmente. Ele é fundamental para a formação de compostos nitrogenados presentes nos seres vivos. Pode-se afirmar que esse gás:

a) É absorvido diretamente da atmosfera por animais e vegetais e é utilizado na síntese de aminoácidos e nucleotídeos.

b) É fixado por fungos e algas unicelulares, que sintetizam proteínas e ácidos nucleicos, e estes são ingeridos e absorvidos por animais e vegetais.

c) Pode ser utilizado diretamente por leguminosas, sem a participação de microrganismos, o que justificaria a biomassa do feijão e da soja, rica em proteínas.

d) É absorvido por bactérias radicícolas que utilizam a energia solar, formando compostos nitrogenados como o nitrato, que é utilizado pelos vegetais.

e) Precisa ser transformado por alguns seres procariontes em alguns compostos nitrogenados, para assim serem assimilados por vegetais e, então, entrarem na cadeia alimentar.

57. (UFPB) Em busca de uma sustentabilidade do planeta, procuram-se diferentes fontes de energia alternativas mais eficientes e menos poluentes, a exemplo da produção do etanol a partir da cana de açúcar. Essa produção de combustível está ligada diretamente a um dos ciclos biogeoquímicos, ilustrado na figura a seguir:

57

Com base nessa figura, identifique a(s) afirmativa(s) correta(s):

I   II

0  0 – O ciclo representado é o do oxigênio.

1  1 – A letra C representa os decompositores.

2  2 – A transpiração está representada na etapa 4.

3  3 – A respiração está representada nas etapas 2 e 3.

4  4 – O acúmulo do carboidrato utilizado na produção de etanol está relacionado à etapa 1.

58. (UNICENTRO) Mesmo constituindo 78% da atmosfera terrestre, o gás nitrogênio não pode ser utilizado pelos seres vivos sob a sua forma gasosa, sendo necessária a sua conversão em formas utilizáveis pelas plantas, processo que é realizado por espécies de microrganismos denominadas fixadoras de nitrogênio. Com base nos conhecimentos relacionados ao ciclo de nitrogênio, identifique com V as afirmativas verdadeiras e com F, as falsas.

( ) O nitrogênio liberado no solo pelos organismos fixadores de nitrogênio encontra-se, primeiramente, sob a forma de amônia.

( ) As bactérias do solo, denominadas nitrificantes, oxidam amônia a íons nitrato pelo processo de nitrificação, possibilitando, desse modo, a absorção pelos vegetais.

( ) O processo de desnitrificação ocorre a partir da ação das bactérias desnitrificantes que convertem nitrito (NO2-) em nitrato (NO3-), para evitar seu acúmulo no solo e consequente toxicidade para os vegetais.

A alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo, é a:

a) V V F.

b) F F V.

c) F V F.

d) F V V.

e) V V V.

59. (ASCES) O problema ambiental ilustrado na charge abaixo geralmente é produzido pelo homem com a justificativa de:

59

a) Eliminar as pragas agrícolas.

b) Renovar o solo para rotação de culturas.

c) Construir habitações na zona rural.

d) Ampliar áreas de pastagem.

e) Reformar estradas em áreas urbanas.

60. (UNEMAT) Alguns elementos dos ecossistemas passam por ciclos. É o caso da água, do nitrogênio, do carbono e do enxofre. A respeito dos ciclos da matéria, assinale alternativa correta.

a) As plantas, ao fazerem respiração, reduzem os níveis de CO2 atmosféricos, fixando essa molécula em seus organismos.

b) Somente nos oceanos ocorre a evaporação da água, o que explica o clima seco no interior dos continentes.

c) Os organismos mais responsáveis pela transformação de amônia e nitrito em nitrato são os fungos nitrificantes.

d) O aquecimento global é causado por um desequilíbrio no ciclo do carbono, resultando em mudanças climáticas.

e) O ser humano excreta nitrogênio em excesso, fruto de seu metabolismo, através da transpiração.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

A

FVVVF

E

B

VVFVF

A

B

A

C

FVFFV

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

C

VFFFV

FFVVF

A

FFVFV

E

FFFFV

D

B

B

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

B

A

B

C

A

D

VFVFV

E

E

VFVVF

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

A

E

FVVVF

C

D

C

VFFFV

C

C

FVVFF

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

B

C

VFFVV

E

D

B

C

D

E

E

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

D

VFVVF

E

D

A

E

FVFVV

A

D

D

 

Publicado por: Djalma Santos | 23 de fevereiro de 2013

Testes de herança ligada ao sexo (2/2)

01. (UFF) Considere o heredograma abaixo:

Sabe-se que o pai, o marido, os cinco irmãos homens e um sobrinho de Joana são normais. Entretanto, Joana teve um filho que apresentou síndrome hemorrágica caracterizada por baixo nível plasmático do fator VIII da coagulação. A probabilidade genética de serem portadoras do gene para a hemofilia A, neste caso, é:

a) 100% para todas as mulheres da família.

b) 100% para Joana, sua mãe e sua filha.

c) 100% para Joana e 50% para sua filha.

d) 100% para Joana e 25% para sua filha.

e) 100% para Joana e 50% para as outras mulheres da família.

02. (PUC-MG) Observe o heredograma a seguir, que trata de um caso e hemofilia.

Sabendo que o indivíduo 7 é do sexo feminino, a probabilidade de apresentar hemofilia é:

a) 1.

b) 1/2.

c) 1/4.

d) 1/8.

e) 1/16.

03. (UFJF) Um homem possui uma anomalia dominante ligada ao cromossomo X e é casado com uma mulher normal. Em relação aos descendentes deste casal é correto afirmar que:

a) Esta anomalia será transmitida a todos os filhos do sexo masculino.

b) Esta anomalia será transmitida à metade dos filhos do sexo masculino.

c) Esta anomalia será transmitida a todas as filhas.

d) Esta anomalia será transmitida à metade das filhas.

e) Esta anomalia não será transmitida a nenhum descendente.

04.(FCMS) Considere o esquema abaixo dos cromossomos sexuais humanos:

Os genes que determinam daltonismo e hemofilia devem estar situados:

a) Apenas no segmento I.

b) Nos segmentos I e II, respectivamente.

c) Nos segmentos II e I, respectivamente.

d) Apenas no segmento II.

e) Nos segmentos I ou II, indiferentemente.

05. (FATEC) A hemofilia é uma doença genética cuja herança é ligada ao sexo. Analise o heredograma adiante e assinale a alternativa correta.

a) Os indivíduos 1 e 2 são homozigotos normais.

b) O indivíduo 8 é portador do gene para hemofilia.

c) Todos os filhos e filhas do indivíduo 10 serão hemofílicos.

d) O indivíduo 14 pode ser homo ou heterozigoto.

06. Na espécie humana, a hemofilia é uma anomalia condicionada por um gene recessivo e ligado ao sexo (cromossomos sexuais). Um casal normal tem uma criança hemofílica. A partir desses dados, assinale a afirmativa incorreta:

a) A criança é do sexo masculino.

b) O gene para hemofilia está ligado aos cromossomos X e Y.

c) A mãe é portadora do gene para hemofilia.

d) Uma filha do casal poderá ser portadora.

e) Uma filha do casal poderá ser homozigota para a normalidade.

07. (MACK) Sabendo-se que uma criança do sexo feminino é daltônica, podemos ter certeza de que:

a) Só sua mãe é daltônica.

b) Só seu pai é daltônico.

c) Tanto seu pai como sua mãe são daltônicos.

d) Seu pai é normal e sua mãe pode ser daltônica ou normal portadora do gene para daltonismo.

e) Seu pai é daltônico e sua mãe pode ser daltônica ou normal portadora do gene para daltonismo.

08. (UPE) Observe a genealogia abaixo sobre hemofilia em uma família e assinale a alternativa correta em relação a ela, considerando a hemofilia um caráter recessivo.

a) O indivíduo 10 é normal e portador de gene para hemofilia.

b) O indivíduo 7 com certeza poderá ter um filho hemofílico.

c) O indivíduo 10, casando com uma mulher normal e portadora do gene para a hemofilia, poderá ter um filho hemofílico.

d) O indivíduo 9 é hemofílico.

e) Cruzando os indivíduos 7 e 8 poderá nascer um filha hemofílica.

09. (PUC-RS) Num casamento em que o homem é de visão normal para as cores e sua esposa é também normal, porém filha de um homem daltônico ocorrerá o seguinte com sua prole:

a) Todas as filhas serão normais e os filhos, daltônicos.

b) Todos os filhos serão normais e as filhas, daltônicas.

c) Filhas normais, filhas portadoras, filhos normais e filhos daltônicos.

d) Filhas portadoras e filhos normais, apenas.

e) Filhos portadores e filhas daltônicas.

10. (COVEST) A árvore representada abaixo se refere à herança para daltonismo e hemofilia.

Com relação ao indivíduo no 4 do heredograma:

I  II

0  0 – É obrigatoriamente portador de um alelo para o daltonismo.

1  1 – O seu alelo para hemofilia proveio da mãe.

2 2 – Podemos  concluir, pela descendência, que um dos seus cromossomos X traz alelos normais para hemofilia e daltonismo.

3 3 – Doou  um cromossomo com  alelos para  hemofilia e daltonismo ao indivíduo de no 9.

4 4 – Doou,  obrigatoriamente,  um cromossomo X com alelos para hemofilia e daltonismo para sua filha no 6.

11. (UFRJ) A presença de um gene letal recessivo ligado ao cromossomo X nos mamíferos determina que a mortalidade seja:

a) Igual em ambos os sexos.

b) Maior nas fêmeas.

c) Maior nos machos.

d) Maior nos heterozigotos.

e) Restrita aos aneuploides.

12. (FCC) Sabe-se que certo gene se situa no cromossomo Y e não tem correspondente no cromossomo X. Portanto, pode-se afirmar que, se em um casal o homem for portador desse gene, o caráter se manifestará em:

a) Todas as suas filhas, independentemente do genótipo da mulher.

b) Todas as suas filhas, caso a mulher também seja portadora do gene.

c) Todos os seus filhos, independentemente do genótipo da mulher.

d) Todos os seus filhos e em algumas de suas filhas, caso a mulher também seja portadora do gene.

e) Todos os seus filhos e filhas, independentemente do genótipo da mulher.

13. (FUVEST) O daltonismo é de herança ligada ao X. Uma mulher de visão normal, cujo pai é daltônico, casou-se com um homem de visão normal. A probabilidade de crianças daltônicas na prole dessa mulher é de:

a) 1/4 dos meninos.

b) 1/4 das meninas.

c) 1/2 dos meninos.

d) 1/8 das crianças.

e) 1/2 dos meninos e 1/2 das meninas.

14. (UNITAU) Suponha que um homem normal, cujo pai era hemofílico, tenha casado com uma mulher hemofílica. Qual a probabilidade de hemofilia nas filhas?

a) Nula.

b) 25%.

c) 50%.

d) 100%.

e) 75%.

15. (PUCC-SP) Observe a genealogia abaixo:

Sabendo-se que o homem afetado herdou o gene para o daltonismo, a probabilidade de sua irmã ser heterozigota para esse gene é:

a) 1.

b) 1/2.

c) 1/4.

d) 1/8.

e) 1/16.

16. (UFRS) André e Maria apresentam coagulação sanguínea normal. O pai de Maria é hemofílico, André e Maria se casam. Eles têm medo de ter filhos hemofílicos e procuram um serviço de aconselhamento genético. A orientação correta a ser dada ao casal é:

a) Não há risco de o casal ter filhos hemofílicos, já que os pais são normais.

b) A probabilidade de nascer uma criança hemofílica é de 25%.

c) A probabilidade de nascer uma criança hemofílica é de 50%.

d) A probabilidade de nascer uma menina hemofílica é de 50%.

e) O casal não deve ter filhos porque todos serão hemofílicos ou portadores do gene para hemofilia.

17. (FCMS) Lembrando que, em aves, o sexo heterogamético é o feminino e que, em pombos, existe um gene letal (mortal), embrionariamente recessivo e ligado ao sexo, qual a proporção sexual esperada na descendência de um pombo heterozigoto para tal gene?

a) 1 macho e 1 fêmea.

b) 2 machos e 1 fêmea.

c) 1 macho e 2 fêmeas.

d) 3 machos e 2 fêmeas.

e) 2 machos e 3 fêmeas.

18. (FUVEST) O gene recessivo h está localizado no cromossomo X e é responsável pela hemofilia na espécie humana. Com base nessas informações e nas contidas na árvore genealógica a seguir, responda a seguinte pergunta: Se a mulher 4 casar com um homem normal e seu primeiro filho for um menino hemofílico, qual é a probabilidade de que o próximo filho homem desse casal venha a ser hemofílico?

a) 3/4.

b) 1/3.

c) 1/2.

d) 1/4.

e) 1/8.

19. (UNIRIO) Um homem daltônico casa-se com uma mulher não portadora de daltonismo. Assinale a afirmativa correta:

a) Nenhum filho, homem ou mulher, será daltônico ou portador.

b) Nenhuma filha será daltônica, mas os homens serão portadores.

c) Nenhum filho será daltônico, mas as mulheres serão portadoras.

d) Todos os filhos, homens ou mulheres, serão daltônicos.

e) Os filhos serão daltônicos e as filhas serão portadoras.

20. (UNIRIO) Sabendo-se que a hemofilia é condicionada por um gene recessivo ligado ao sexo, analise o heredograma abaixo e assinale a alternativa que designa corretamente os genótipos dos indivíduos 3, 7 e 8, respectivamente:

a) XHXh, XhXh, XHY.

b) XHXh, XHXH ou XHXh, XhY.

c) XHXH, XHXh ou XhXh, XhY.

d) XHXH, XHXH ou XHXh, XHY.

e) XHXH, XHXH ou XHXh, XhY.

21. (PUC-SP) A hemofilia é um caráter ligado ao sexo. Um homem hemofílico é casado com uma mulher normal, cujo pai era hemofílico. Qual a probabilidade de o primeiro filho do casal ser menino e hemofílico?

a) 1/2.

b) 1/4.

c) 1/8.

d) 1/16.

e) 1/32.

22. (COVEST) Um alelo recessivo, localizado no cromossomo X humano, é transmitido através de mulheres heterozigotas:

a) À metade da prole.

b) Apenas aos descendentes do sexo masculino.

c) Apenas às filhas.

d) A todos os filhos e filhas.

e) A um quarto dos descendentes do sexo masculino.

23. (FCMS) Sabe-se que em aves o sexo heterogamético é o feminino (ZW). Além disso, nos perus existe um gene ligado ao sexo e letal no estado embrionário. Um peru heterozigoto para o citado gene é cruzado com uma perua, resultando 24 aves vivas. Destas, quantas deverão ser machos?

a) 6.

b) 8.

c) 12.

d) 16.

e) 18.

24. (UNITAU) Um casal não hemofílico teve um filho do sexo masculino com hemofilia. Indique a alternativa com a probabilidade de esse casal ter uma filha hemofílica:

a) 0%.

b) 25%.

c) 50%.

d) 75%.

e) 100%.

25. (FUVEST) Acredita-se que a rainha Vitória da Inglaterra tenha sido a introdutora do gene para hemofilia – ligado ao X – na família real inglesa. A hemofilia é uma doença que prejudica a coagulação do sangue. A princesa Beatriz, filha de Vitória introduziu o gene na família real espanhola. Observe a árvore genealógica abaixo.

A probabilidade de a princesa Maria vir a ter um menino hemofílico é de:

a) 100%.

b) 75%.

c) 50%.

d) 25%.

e) 0%.

26. (PUCCAMP) Um homem tem avó materna e pai com visão normal e avô materno e mãe com daltonismo. Assinale a alternativa correta quanto aos genótipos do homem e de seus avós maternos.

a) Homem – XdY, Avó – XDXd, Avô – XdY.

b) Homem – XDY, Avó – XDXd, Avô – XdY.

c) Homem – XdY, Avó – XDXd, Avô – XDY.

d) Homem – XDY, Avó – XDXd, Avô – XDY.

e) Homem – XdY, Avó – XdXd, Avô – XdY.

27. (FEI) Um homem hemofílico casa-se com uma mulher normal e homozigota para este caráter. A probabilidade de este casal vir a ter uma filha hemofílica é igual a:

a) zero.

b) 50%.

c) 25%.

d) 12,5%.

e) 100%

28. (UECE) O daltonismo é uma doença hereditária e ligada ao sexo na espécie humana. Se um homem daltônico casa-se com uma mulher normal, não portadora do gene para o daltonismo, a probabilidade de esse casal ter um filho homem e daltônico, é:

a) 25 %.

b) 8 %.

c) 12,5 %.

d) 0 %.

29. (MACK) Uma mulher, filha de pai normal e mãe portadora do gene para o daltonismo, casa-se com um homem daltônico e tem uma criança do sexo masculino e daltônica. É correto afirmar que:

a) Essa mulher é daltônica.

b) Essa mulher poderia ter uma irmã daltônica.

c) O filho dessa mulher herdou do seu pai o gene para o daltonismo.

d) O genótipo dessa mulher é igual ao de sua mãe.

e) Essa mulher não poderá ter uma filha daltônica.

30. (FATEC) O daltonismo é uma anomalia que apresenta um tipo de herança ligada ao sexo. De acordo com o heredograma abaixo, analise as afirmações de I a IV e assinale a alternativa correta.

I. 100% dos filhos homens do casal 3 e 4 serão daltônicos.

II. 50% das filhas do casal 3 e 4 serão normais portadoras, e 50%, daltônicas.

III. Não é possível identificar o genótipo de 2;

IV. 100% das filhas do casal 3 e 4 serão normais portadoras.

a) Todas as afirmações são verdadeiras.

b) Apenas as afirmações I e II são verdadeiras.

c) Apenas as afirmações I, III e IV são verdadeiras.

d) Apenas as afirmações II e III são verdadeiras.

e) Apenas as afirmações II e IV são verdadeiras.

31. (MACK) Um casal tem uma criança de sexo masculino e hemofílica. É correto afirmar, com certeza, que:

a) O pai é normal.

b) O pai é normal e a mãe é hemofílica.

c) O pai e a mãe são hemofílicos.

d) Ela recebeu da mãe o gene para a hemofilia.

e) Se ela tiver um irmão, este será hemofílico também.

32. (UECE) Observe a árvore genealógica a seguir, referente a uma família com herança para daltonismo (herança ligada ao sexo e deve-se a um gene recessivo).

Relativamente aos indivíduos anteriores, podemos afirmar:

a) Somente o indivíduo 2 é daltônico.

b) O genótipo do indivíduo 4 é XdY.

c) O indivíduo 1 é normal, porém portador do gene para o daltonismo.

d) Os indivíduos 4 e 5 são daltônicos.

33. (CESGRANRIO) “Tem sido verificado que aproximadamente 25% dos casos de hemofilia A em meninos são decorrentes de mutações novas, isto é, a doença se manifesta em meninos que não tem história familiar de hemofilia”.B

(Handin R.I., BLOOD AND PRACTICE OF HEMATOLOGY, 1955)

Quando nos debruçamos sobre a hemofilia, aprendemos que ela é mais comum nos homens porque:

a) Os homens são mais propensos à doença devido à influência do hormônio testosterona.

b) Sendo uma herança ligada ao sexo, é suficiente nos homens apenas um alelo para que a doença se manifeste.

c) Mulheres hemofílicas precisam de dois alelos dominantes, ao passo que os homens só necessitam de um alelo.

d) É causada por um alelo típico do cromossoma Y, que é, masculinizante.

34. (UFSCAR) A hemofilia é uma doença recessiva ligada ao sexo, que se caracteriza pela dificuldade de coagulação do sangue. Em um casal em que a mulher é heterozigota para a hemofilia e o marido é normal, a probabilidade de nascimento de uma criança do sexo masculino e hemofílica é:

a) 1/2.

b) 1/3.

c) 1/4.

d) 1/8.

e) 3/4.

35. (UFV) Um homem normal casa-se com uma mulher também normal, cujo pai era hemofílico (gene recessivo ligado ao sexo). Qual a probabilidade deste casal ter uma criança hemofílica?

a) 1/4.

b) 1/2.

c) 0.

d) 3/2.

36. (UFSM) Um casal que possui visão normal para as cores, tem 3 filhos com as seguintes características:

- Menina com visão normal para as cores.

- Menino com visão normal para as cores.

- Menino com daltonismo.

Sabendo-se que o daltonismo é uma herança ligada ao X, a possibilidade de esse casal ter uma filha com daltonismo é:

a) Zero.

b) 1/4.

c) 1/2.

d) 3/4.

e) 1.

37. (UFPA) Eduardo e Mônica têm um filho, Antônio, e uma filha Isaura, ambos com hemofilia A, e uma filha não hemofílica, Helen. Mônica está grávida pela quarta vez. Sabendo-se que a hemofilia A é um distúrbio recessivo ligado ao cromossomo X, o risco de nascer uma outra criança afetada é:

a) 100%.

b) 75%.

c) 50%.

d) 25%.

e) 0%.

38. (CESGRANRIO) Uma mulher com visão normal perguntou ao medico se o seu filho poderia ser daltônico. O médico obteve as seguintes informações: um dos irmãos da mulher é daltônico; seus pais são normais; o marido é normal. O medico, então, respondeu:

a) Seu filho, qualquer que seja o sexo, não será de forma alguma daltônico.

b) É de 25% a probabilidade de seu filho, sendo do sexo masculino, ser daltônico.

c) É de 50% a probabilidade de seu filho, sendo do sexo masculino, ser daltônico.

d) É de 75% a probabilidade de seu filho, sendo do sexo masculino, ser daltônico.

e) É de 75% a probabilidade de seu filho, sendo do sexo feminino, ser normal.

39. (UEL) Em seres humanos, uma forma de daltonismo que provoca cegueira para as cores vermelho e verde, é determinada pelo gene recessivo d, ligado ao cromossomo X. Ao consultar um médico, um casal fica sabendo que todos os seus filhos do sexo masculino serão daltônicos; já as meninas serão normais. Qual das opções fenotípicas abaixo corresponde à do casal em questão?

a) Homem normal e mulher normal.

b) Homem normal e mulher daltônica.

c) Homem daltônico e mulher daltônica.

d) Homem daltônico e mulher normal.

e) Homem normal e mulher normal, porém portadora de gene recessivo d.

40. (UNIOESTE) A genealogia abaixo nos mostra uma forma de transmissão do daltonismo.

Assinale dentre as alternativas que se seguem, a(s) correta(s).

I   II

0  0 – O indivíduo 1 transmite a todas as suas filhas um cromossomo Xd.

1  1 – O indivíduo 8 tem o mesmo fenótipo de sua avó materna.

2  2 – O casal 1 x 2 pode ter filhos homens daltônicos.

3  3 – O genótipo do indivíduo 9 é XdY.

4 4 – O daltonismo é determinado por um gene recessivo, sendo que seu alelo dominante condiciona visão normal.

GABARITO

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
C B C D B B E C C VFVVV
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
C C C A B B B C C B
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
B A D A D A A D D D
31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
D D B C A A C B B VVFVV
Publicado por: Djalma Santos | 13 de fevereiro de 2013

Especiação

Especiação é o processo evolutivo pelo qual novas espécies são formadas. Assim sendo, ao longo dos tempos novas espécies têm surgido e outras têm se extinguido. As populações, por seu turno, são caracterizadas pela sua carga genética e pela frequência de alelos que a compõe, sendo essa frequência variável entre populações da mesma espécie. A interrupção de intercâmbio livre entre as várias populações de uma espécie leva ao acúmulo de diferenças genéticas entre elas. Essas diferenças decorrem, basicamente, de mutações, recombinação genética e seleção, podendo levar a uma situação que não permite o cruzamento entre as populações. Este isolamento reprodutivo caracteriza a formação de espécies diferentes. A divergência genética entre elas e a espécie ancestral é, via de regra, irreversível e tende a aumentar. Considera-se a existência de dois processos básicos de especiação: anagênese e cladogênese ou especiação por diversificação (esquema abaixo).

01.ABAIXO

I. Anagênese

Na anagênese, a população vai se modificando gradativamente ao longo do tempo, podendo resultar em um grupo tão diferente do ancestral a ponto de se constituir uma espécie nova. Neste processo não há isolamento geográfico, como ocorre na cladogênese. A anagênese é, em última análise, uma evolução continua que gera uma nova espécie, como mostra o esquema anterior. A mutação, a recombinação gênica e a seleção natural são exemplos de eventos anagênicos. A evolução resultante da anagênese é frequentemente denominada de microevolução.

II. Cladogênese

Na especiação por cladogênese (esquema anterior), as novas espécies se formam a partir de grupos que se isolam, graças a uma barreira geográfica natural ou artificial. Essa barreira, evidentemente, impede a troca de genes entre os referidos grupos. Após longo tempo de isolamento, as populações separadas podem originar novas espécies, por acúmulo de mutações e adaptações às condições ambientais diferentes. As duas populações ou linhagens filogenéticas, que inicialmente pertenciam a uma mesma espécie, são chamadas de clados, daí a denominação de cladogênese, atribuída a esse mecanismo de especiação. Admite-se que a maioria das espécies surgiu por cladogênese, sendo, portanto a forma mais comum de especiação.

A especiação por cladogênese pressupõe a ocorrência de, pelo menos, três etapas sequenciais: isolamento geográfico, diversificação gênica (pressão de seleção diferente) e isolamento reprodutivo.

1. Isolamento geográfico: consiste na formação de barreiras que separam uma população em subpopulações (figura a seguir). As barreiras, denominadas geográficas ou ecológicas, que promovem esse isolamento podem ser representadas por um rio que corta uma planície, um vale que separa dois planaltos ou um braço de mar que separa ilhas e continentes. Impedindo a passagem de indivíduos, elas interrompem também o fluxo gênico entre os dois grupos, que passam então a ser submetidos à ação da seleção natural em ambos os lados. Dessa forma, o isolamento geográfico faz com que variabilidades genéticas novas, surgidas em uma das subpopulações, não sejam transmitidas para a outra.

02.OUTRA

2. Diversificação gênica: é a progressiva diferenciação do conjunto gênico de subpopulações isoladas, que é causada, basicamente, por dois fatores: mutações e seleção natural. As mutações respondem pela introdução de alelos diferentes em cada um dos grupos isolados, que passarão a integrar o pool gênico (conjunto gênico). A seleção natural, atuando em ambientes distintos, tende a preservar certos genes em uma das subpopulações, que são transferidos aos descendentes, por meio da reprodução, e a eliminar genes similares em outra subpopulação, acentuando, como consequência, a diversidade gênica e adaptando os grupos a diferentes nichos ecológicos. Dessa forma, essas subpopulações, assim separadas, acumulam diferenças ao longo do tempo, podendo chegar a desenvolver mecanismos de isolamento reprodutivo, que caracteriza a formação de novas espécies.

3. Isolamento reprodutivo: é a incapacidade, total ou parcial, de membros de duas populações se cruzarem. Ele atua impedindo a mistura de genes das populações quando elas entram em contato. Via de regra, após um longo período de isolamento geográfico, as populações isoladas se tornam tão diferentes que não mais conseguem cruzar ou não formam descendentes férteis, mesmo depois do desaparecimento da barreira geográfica. Quando isso ocorre, elas são consideradas espécies distintas. O isolamento reprodutivo evolui, portanto como subproduto da divergência entre populações geograficamente afastadas.

Os mecanismos de isolamento reprodutivos podem ser classificados em dois grupos: pré-zigóticos e pós-zigóticos.

I. Mecanismos pré-zigóticos: são aqueles que impedem a fecundação entre indivíduos de espécies diferentes e, consequentemente, a formação do zigoto. Relacionamos a seguir os principais tipos:

Ia. Isolamento estacional ou sazonal: decorre de diferenças nas épocas de reprodução. Neste caso, indivíduos de dois grupos tornam-se aptos ao acasalamento em diferentes épocas ou estações do ano. Como exemplo, citamos grupos diferentes de rãs que vivem em uma mesma lagoa, mas não se reproduzem na mesma época.

Ib. Isolamento de hábitat ou ecológico: resulta da ocupação de diferentes hábitats, mesmo vivendo em uma mesma região. Dessa forma, essas populações estão isoladas e não trocam genes entre si. Em condições naturais, leões e tigres, por exemplo, podem se cruzar em cativeiro, produzindo descendentes férteis. Na natureza, entretanto, não se cruzam por viverem em hábitats diferentes.

Ic. Isolamento etológico ou comportamental: decorre de diferentes padrões de comportamento de corte, antes do acasalamento ou diferenças na produção e recepção de estímulos que levam machos e fêmeas a se reproduzirem. Ele representa um fator de fundamental importância na reprodução de diversas espécies animais e ocorre principalmente nos vertebrados, particularmente entre as aves, embora também se verifique entre os insetos. O comportamento de um dos sexos não é, em última análise, compreendido pelo outro sexo. Via de regra, as fêmeas só aceitam o macho depois que ele realiza um complexo ritual de corte, típico para cada espécie. Como exemplo, citamos os sinais luminosos emitidos por vaga-lumes machos que, dependendo das espécies, variam na frequência, na duração da emissão e na cor, levando a que a fêmea só responda ao sinal emitido pelo macho da sua própria espécie. Outro exemplo é representado pelo canto das aves. Sendo esse canto específico, as fêmeas são atraídas para o território dos machos de sua espécie.

Id. Isolamento mecânico ou incompatibilidade anatômica: resulta da incompatibilidade estrutural dos órgãos reprodutores de diferentes espécies, não as adequando, fisicamente, a ocorrência do ato sexual. Isso pode ocorrer tanto em animais quanto em vegetais, em que a diferença de tamanho ou forma dos órgãos genitais impede a cópula. Nas plantas, por exemplo, há casos em que o tubo polínico não consegue germinar no estigma de uma flor de outra espécie. No que concerne aos animais, ele representa um mecanismo importante em artrópodes, com genitálias rígidas e exoesqueleto, embora também ocorra em gastrópodes e em anelídeos.

Ie. Mortalidade gamética: resulta de fenômenos fisiológicos que impedem a sobrevivência dos gametas masculinos de uma espécie no sistema reprodutor feminino de outra. É evidente que esse mecanismo só ocorre em espécies que apresentam fecundação interna. Esse processo ocorre em moscas do gênero Drosophila.

II. Mecanismos pós-zigóticos: são aqueles que inviabilizam a sobrevivência do híbrido ou a sua fertilidade. Mesmo ocorrendo a cópula, esses mecanismos impedem ou reduzem seu sucesso. Neste caso, o desenvolvimento do zigoto é inviável, ou se ocorrer, a progênie pode ser frágil e morrer rapidamente ou ainda ser infértil. O insucesso na reprodução configura uma alteração na carga gênica dos seres envolvidos, a ponto de ocasionar a falta de estabilidade necessária na(s) formação(ões) do(s) novo(s) organismo(s) gerado(s). Nesse grupo, relacionamos:

IIa. Mortalidade do zigoto: a fecundação entre gametas de espécies diferentes pode levar à formação de zigoto pouco viável, que não se desenvolve após a fecundação, morrendo em face da ocorrência de desenvolvimento embrionário irregular. Esse processo é muito comum entre os peixes dotados de fecundação externa. Neles, embora possa haver facilidade de união dos gametas, a incompatibilidade genética impede o desenvolvimento do zigoto.

IIb. Inviabilidade do híbrido: neste caso, os membros de duas espécies podem copular, o zigoto se forma, mas o embrião morre prematuramente, devido à incompatibilidade que ocorre entre os genes maternos e paternos. Como exemplo citamos o caso de algumas espécies de rãs que, embora habitem uma mesma lagoa e possam, eventualmente, cruzar-se, geram híbridos interespecíficos que não se desenvolvem.

IIc. Esterilidade do híbrido: neste caso, há formação do híbrido interespecífico que, por vezes, é até mais vigoroso que os membros das espécies parentais (fenômeno conhecido como vigor do híbrido ou heterose), sendo, entretanto, estéril. A esterilidade pode ser decorrente da presença de gônadas anormais ou da dificuldade de emparelhamento cromossômico na meiose. Como exemplo clássico, citamos o caso do burro ou da mula (muares), que é um híbrido estéril, resultante do cruzamento entre o jumento (Equus asinus) e a égua (Equus cabalus). Os cromossomos dos genitores do burro apresentam diferenças na homologia e no número. Enquanto o jumento tem 2n = 62, a égua tem 2n = 64. Nas células germinativas do burro, os cromossomos não se emparelham corretamente, impedindo a ocorrência de meiose normal e, consequentemente, a formação de gametas viáveis. A mula e o burro (figura abaixo) são considerados híbridos interespecíficos. Eles não constituem uma terceira espécie.

03.ESPÉCIE

Lembramos que o pintagol (ou arlequim), que resulta do cruzamento entre um pintassilgo macho e uma canária; o tigão (ou ligre), produto do cruzamento de uma leoa com um tigre e o lepórido, gerado a partir do cruzamento entre uma lebre e um coelho, são também considerados híbridos interespecíficos.

IId. Deterioração da geração F2: neste caso, a primeira geração de híbridos interespecíficos (F1) é normal e fértil, seus filhos, entretanto, que representam a geração F2, são fracos ou estéreis. Isso se deve à recombinação gênica incompatível, que ocorre na formação dos gametas que dão origem à geração F2.

Em face de envolver grande desperdício de tempo e de energia, sem que haja a perpetuação de seus genes através da reprodução, o isolamento pós-zigótico é, evolutivamente, desvantajoso para as espécies que se entrecruzam.

Considerando o fator tempo, em termos geológicos, fala-se em dois tipos de especiação (figura a seguir): gradualismo filético e equilíbrio pontuado (saltacionismo, pontualismo ou teoria dos equilíbrios intermitentes).

04.INTERMI

I. Gradualismo filético: teoria evolutiva proposta por Charles Darwin no seu livro “A Origem das Espécies”, publicado em 1859. Segundo o gradualismo filético, a evolução ocorre através do acúmulo de pequenas modificações sucessivas ao longo de várias gerações e não por grandes saltos, sendo, portanto, um processo anagênico. As novas adaptações evoluem em pequenos passos, a partir de órgãos, padrões de comportamento, células ou moléculas preexistentes. Dessa forma, as diferenças entre os organismos, mesmo naqueles dotados de diferenças radicais, envolvem o incremento de pequenos passos através de formas intermediárias, como mostra a figura anterior. O gradualismo resulta, portanto, do acúmulo de pequenas diferenças genéticas ao longo de várias gerações, sob a influência da seleção natural.

II. Equilíbrio pontuado: teoria evolutiva proposta pelos paleontólogos norte-americanos Stephen Jay Goulde Niles Eldredge, em 1972. O equilíbrio pontuado, ao contrário do gradualismo darwiniano, supõe que as espécies se formam a partir de um ancestral comum por mudanças rápidas, pouco se modificando, depois, ao longo de sua existência. Nele há, portanto, longos períodos de “estase”, no qual ocorre acúmulo de mutações genéticas, “pontuados” por “boons” de especiação. Desse modo, a especiação não ocorre de forma constante, mas alternada em período de escassas mudanças, com súbitos saltos que caracterizam alterações estruturais ou orgânicas adaptadas e selecionadas. Não sendo graduais, como propõe o gradualismo (ver figura anterior), as mudanças levam a eventos que pontuam ou interrompem um longo período de estabilidade evolutiva (figura abaixo).

05.ABAIXO

A principal diferença do equilíbrio pontuado para o gradualismo filético é que, no primeiro, a maior parte da evolução se concentra nos eventos de cladogênese, diferentemente do que ocorre com o gradualismo, em que as mudanças estão associadas a processos anagênico, como vimos acima. O equilíbrio pontuado objetiva explicar a dificuldade em encontrar formas intermediárias de fósseis que registrem as mudanças graduais dos organismos ao longo do tempo, lacunas que as ideias tradicionais atribuem ao fato de os registros fósseis serem incompletos e falhos. A ideia do equilíbrio pontuado tem provocado grande polêmica nos meios científicos e vem, nos últimos tempos, ganhando alguns adeptos, sendo apontada hoje como uma teoria muito original.

Trabalhos desenvolvidos por Doug Erwin e Robert Anstey, em 1995, revisando vários estudos que visavam testar a teoria do equilíbrio pontuado, levaram a conclusão que a especiação às vezes é gradual e às vezes é pontual.Não há, portanto, segundo eles, um único modo que seja típico do complicado processo de especiação.

ESPECIAÇÃO POR POLIPLOIDIA

Os mecanismos de especiação são, via de regra, graduais e podem levar milhões de anos para se completar. Pode ocorrer, entretanto, o surgimento “brusco” de novas espécies por poliploidia, fenômeno raro nos animais e relativamente frequente nos vegetais, nos quais tem sido um mecanismo importante para a diversificação e especiação. Dessa forma, duas espécies simpátricas (vivendo na mesma região) podem originar, “instantaneamente”, uma nova espécie por poliploidia. Acidentes cromossômicos ocorridos durante a divisão celular podem gerar gametas diploides, em vez de haploides, como acontece normalmente. Esse fenômeno ocorre, geralmente, quando não há citocinese o que leva à formação de uma célula como o número anormal de cromossomos.

Lembramos que indivíduos poliploides são aqueles que apresentam um número múltiplo exato do genoma típico da espécie. Eles são denominados triploides (3n), tetraploides (4n), pentaploides (5n), etc., conforme possuam três, quatro, cinco ou mais genomas, respectivamente. Há dois tipos de organismos poliploides: autopoliploide e alopoliploide. Os autopoliploides são indivíduos cujos progenitores são da mesma espécie e a poliploidia resulta de um erro na divisão do zigoto. Os alopoliploides, por seu turno, resultam de progenitores de espécies diferentes e surgem em decorrência de uma duplicação cromossômica no híbrido. Os organismos poliploides são, via de rega, mais fortes, maiores e dotados de maior capacidade de adaptação a novas condições que os diploides. Devido à redundância genética, eles costumam apresentar uma grande resistência a doenças genéticas e mutações, provavelmente em função de eles poderem combinar as melhores características das espécies progenitoras. Em consequência disto, eles “fogem” um pouco às pressões seletivas.

A junção de gametas diploides pode levar à formação de zigotos tetraploides, que podem se desenvolver e originar indivíduos com o número de cromossomos duplicado em relação à espécie ancestral. Dois indivíduos tetraploides podem cruzar produzindo descendência fértil. Do cruzamento entre um tetraploide, que nem sempre é isolado reprodutivamente das espécies parentais, e um diploide, entretanto, surgem indivíduos triploides que são estéreis. A duplicação do número de cromossomos não leva, necessariamente, ao cessar de fluxo gênico entre os recém-criados poliploides e os seus parentais diploides. Essa especiação (especiação por mutação) ocorre, portanto, na ausência de barreira geográfica, sendo dessa forma, um processo anagênico.

Como exemplo de especiação poliploide, entre os vegetais, citamos o trigo atual (Triticum sativum), dotado de 42 cromossomos (2n = 42). Ao que tudo indica ele surgiu, há cerca de 8.000 anos, por hibridização de um trigo possuidor de 2n = 28 cromossomos (Triticum turgidum) com um trigo dotado de 2n = 14 cromossomos (Triticum tauchii), sendo, portanto, um alopoliploide. Nessa especiação, ocorreu no Triticum sativum (híbrido tetraploide) uma duplicação total dos seus cromossomos (figura a seguir). Assim sendo, ele passou a ter os dois conjuntos de cromossomos, herdados dos progenitores, em pares homólogos, com consequente produção de gametas diploides viáveis, através de meioses normais. O Triticum sativum possui, portanto, um patrimônio genético próprio, isolando-o reprodutivamente dos seus antecessores (Triticum turgidum e Triticum tauchii). Supõe-se que outras espécies de plantas poliploides, como o algodão, a batata e o tabaco, tiveram sua origem a partir de hibridização entre espécies diferentes, sendo, a exemplo do Triticum sativum, alopoliploides.

06.ALOP

No que diz respeito aos animais, a poliploidia ocorre com certa frequência em vertebrados inferiores.  Como exemplo, citamos a espécie tetraploide da rã Hyla versicolor (2n = 48), que resultou de mutações por poliploidia em populações da rã Hyla shrysocelis (2n = 24). Essas duas espécies se distinguem, no campo, pelas vocalizações e, no laboratório, pelos cariótipos. Estudos diversos têm mostrado que a poliploidia ocorre atualmente em lagartos Cnemidophorus tesselatus, peixes Poecilia formosa (parentes dos peixes de aquário mollys e guppies), rãs Rana esculenta e parece ter ocorrido em peixes da família dos ciprinídeos, dentre outras espécies.

No Brasil, Maria Luiza Beçak e Willy Beçak, pesquisadores do Instituto Butantan de São Paulo, desenvolveram estudos envolvendo o sapo Odontophrynus americanus, que apresenta uma forma tetraploide com 2n = 44 cromossomos e outra diploide com 2n = 22 cromossomos. Embora não se cruzem na natureza, as duas formas são, na prática, indistinguíveis morfologicamente. Trabalhos experimentais, principalmente em níveis moleculares e fisiológicos, desenvolvidos ultimamente, reforçam a proposição de uma nova nomenclatura científica para Odontophrynus americanus 2n e 4n, classificando-os como espécies distintas ou pelo menos em curso de especiação.

ESPECIAÇÃO SIMPÁTRICA

A especiação se diz simpátrica quando duas espécies podem surgir sem que tenha havido isolamento geográfico, divergindo quando ainda ocupam a mesma área geográfica, sendo, dessa forma um processo anagênico. Nessa especiação, fatores intrínsecos à população, como a poliploidia, conduzem ao isolamento genético. Espécies simpátricas (que vivem em uma mesma área geográfica), portanto, são aquelas que coexistem lado a lado, explorando o meio de forma diferente. Admite-se que a seleção disruptiva [ver “seleção natural (sobrevivência dos mais aptos), matéria publicada neste blog em 14/10/2011], possa levar à especiação simpátrica pelo favorecimento dos indivíduos com fenótipos extremos de uma população. Neste caso, a seleção força a diferenciação de conjuntos gênicos distintos, o que eventualmente pode levar ao isolamento reprodutivo.

A especiação simpátrica é muito comum em plantas, em face de elas poderem desenvolver, como mencionamos acima, conjunto múltiplo de cromossomos homólogos, resultando em organismos poliploides. Dessa forma, a especiação por poliploidia, em que os descendentes poliploides, embora reprodutivamente isolados, ocupam o mesmo ambiente das plantas parentais, constitui, também, um exemplo de especiação simpátrica.

ESPECIAÇÃO ALOPÁTRICA

A especiação se diz alopátrica ou geográfica quando a população inicial se divide em dois grupos geograficamente isolados, devido, por exemplo, a fragmentação do seu habitat (isolamento geográfico), levando a um impedimento do fluxo gênico entre eles. A barreira geográfica pode surgir por mudanças geológicas e geomorfológicas (cursos d’água, rios, cadeias de montanhas, deriva continental, vulcões, etc.), bem como por eventos de dispersão (deslocamento de populações para regiões distantes, dispersão causada pelas correntes marinhas, etc.). Esses grupos vão sofrendo diferenciações por estarem sujeitas a mutações diferentes, pressões seletivas diferentes ou fatores aleatórios, como a deriva genética. Decorrido certo intervalo de tempo, mesmo que a barreira que os isolou desapareça, levando a que os indivíduos que faziam parte da população original voltem a se encontrar, é possível que eles não mais possam trocar genes entre si (isolamento reprodutivo). Dessa forma, mesmo que eles voltem a viver em simpatria, não serão mais compatíveis reprodutivamente. Quando isto ocorre dizemos que novas espécies foram formadas. As espécies alopátricas se formam, portanto, em regiões diferentes. O isolamento geográfico é, dessa forma, o ponto de partida para a diversificação dessas populações, como vimos na especiação cladogênica.

Um exemplo clássico de especiação alopátrica ocorreu com os pássaros da família dos fringilídeos, conhecidos como Tentilhões de Darwin, que este pesquisador estudou em Galápagos, durante sua viagem a bordo do navio Beagle. Darwin (1809-1882) constatou a existência de aproximadamente 14 espécies de tentilhões vivendo nas diferentes ilhas do arquipélago de Galápagos. Analisando-as, constatou que apesar da forte semelhança entre as várias espécies, elas apresentavam diferentes adaptações, principalmente em relação à forma do bico (figura abaixo) e ao tipo de alimento utilizado. O isolamento nas diferentes ilhas impede a migração e consequentemente o fluxo gênico entre elas, favorecendo a estabilização de características genéticas particulares.

07.PARTI

Como outro exemplo de especiação alopátrica citamos uma situação que ocorreu na ilha do Porto Santo, para onde foram transferidos, no século XV, ratos que habitavam o continente europeu. Em função da ausência de predadores ou competidores eles proliferaram rapidamente na nova região. As diferenças entre os ratos europeus e os seus ancestrais de Porto Santo, já eram bastante evidentes no século XIX. Posto em contato novamente, eles não mais se cruzaram, caracterizando a formação de uma nova espécie de ratos. A divergência no pool gênico (conjunto gênico) foi de tal ordem que impossibilitou o intercruzamento entre as duas populações.

Caso o tempo de separação não tivesse sido suficientemente longo, as diferenças genéticas permitiriam, ainda, o cruzamento entre eles, restabelecendo o fluxo genético e caracterizando a formação de subespécies, etapa intermediaria no percurso da especiação. As regiões em que as populações, embora difiram em várias características, ainda se intercruzam em maior ou menor extensão são conhecidas como zonas híbridas.

Um caso em que o isolamento não foi suficientemente longo para a formação de novas espécies, ocorreu com os corvos (Corvus corone). Neste caso, a separação se verificou durante a última glaciação, ao fim da qual, os dois grupos voltaram a manter contato numa área limitada (zona híbrida), onde se verificou a ocorrência de fluxo gênico. O isolamento geográfico, portanto, não foi suficiente para ocasionar o isolamento reprodutivo. As duas populações se fundiram em um único pool gênico. Dessa forma, não foi alcançado o status pleno de espécie e os dois grupos de corvos continuaram pertencendo à mesma espécie (Corvus corone).

VICARIÂNCIA (EFEITO VICARIANTE) E EFEITO FUNDADOR

Na especiação por vicariância ou dicopatria, modelo clássico de especiação alopátrica, a espécie se subdivide em duas populações grandes que se tornam isoladas graças ao surgimento de uma barreira física efetiva entre elas (figura a seguir). A falta de fluxo gênico entre os dois grupos, agora formados, fará com que eles fiquem cada vez mais diferentes. A manutenção dessa barreira por determinado tempo, levará à especiação. Em face de a seleção natural ser uma poderosa força evolutiva nas grandes populações, a evolução adaptativa causa, provavelmente, as mudanças que resultam no isolamento reprodutivo nessa especiação.

08.ESP

Na especiação por efeito fundador ou especiação peripátrica – situação frequente na colonização de ilhas, a partir do continente – um pequeno contingente de indivíduos coloniza um novo habitat na periferia da área geográfica da espécie (figura abaixo), levando a que ocorra um isolamento reprodutivo, após várias gerações. Uma nova população se forma, portanto, a partir desses fundadores, que transportam uma parte restrita do fundo genético da população original. Estudos em populações humanas mostraram esse efeito resultante da migração de um grupo religioso da Alemanha para os Estados Unidos, onde se mantiveram isolados da população restante.

09.REST

Por haver poucos fundadores, existe uma quebra acentuada na variabilidade genética da nova população em relação à população originária. Como consequência, a população nova pode ser muito diferente, quer no genótipo, quer no fenótipo, da população original. Há também uma elevada probabilidade de ocorrer endogamia (acasalamento entre indivíduos aparentados), resultando num nível anormal de defeitos relacionados com a expressão de genes recessivos, fenômeno conhecido como depressão endogâmica.

O efeito fundador é um tipo especiação alopátrica que ocorre por eventos de dispersão (figura anterior), sendo, via de regra, consideravelmente mais rápido do que os eventos vicariantes. Em face do pequeno tamanho da população, a deriva genética constitui uma força mais poderosa que a seleção natural nessa população, permitindo a criação de combinações genéticas novas.

Como o grupo recém-fundado é apenas uma pequena parte da população  total da espécie, todas as diferenças genéticas que tornam a espécie robusta podem estar ausentes. Isso constitui o que os biologistas evolucionários denominam efeito gargalo (“gargalo de garrafa”) ou efeito bottleneck. A figura a seguir mostra o efeito gargalo e sua relação com o efeito fundador. Dessa forma, alguns dos genes que fluem dentro de uma espécie foram eliminados e separados do conjunto gênico. 

10.GENET

Os genes presentes nessa pequena população ficarão fortes, pois o fluxo genético é muito mais intenso do que seria em uma população maior, na qual as diferenças genéticas, incluindo anormalidades, estão disseminadas. Os genes dos membros fundadores do que acabam se tornando uma grande população ficam, portanto, muito mais frequentes do que em populações maiores semelhantes. Dessa forma, no efeito gargalo uma pequena população consegue produzir gerações subsequentes.

Diversos exemplos de efeitos gargalo têm sido deduzidos a partir de informações genéticas. Um exemplo clássico é o do elefante marinho do norte que tem variação genética reduzida devido a um gargalo populacional que os humanos infligiram a eles nos anos 1890. A caça reduziu drasticamente o tamanho da população para cerca de 30 indivíduos no final do século 19. Conquanto ela tenha agora um efetivo de dezenas de milhares, seus genes ainda carregam as marcas do efeito gargalo: eles possuem muito menos variação genética do que populações de elefantes marinhos do sul, que foram menos intensamente caçados. Igualmente, esse efeito ocorreu várias vezes na historia da humanidade. A maioria dos europeus, por exemplo, descendem de apenas algumas centenas de ancestrais, que viviam em um local onde se processou esse efeito.

ESPECIAÇÃO PARAPÁTRICA

Na especiação parapátrica (semi-geográfica), uma espécie se espalha em áreas grandes com ambientes diversificados. Não há, portanto, uma separação geográfica completa entre as duas populações isoladas, mas sim uma diferença na condição ambiental. Ela é, em última análise, um caso intermediário entre as especiações simpátrica e alopátrica. Na especiação parapátrica, o fluxo genético entre as subpopulações é parcial, fazendo com que elas divirjam por adaptações a ambientes diferentes dentro de uma região geográfica contínua, tornando-se, gradualmente, espécies distintas. Dessa forma, a seleção natural atua mais fortemente que o fluxo gênico e a adaptação que ocorre ao longo da grande faixa de dispersão da espécie ancestral é a mais importante etapa nessa especiação. Muitas vezes, surge uma zona híbrida (figura abaixo) entre as duas espécies “incipientes” derivadas, cujos híbridos podem possuir diferentes graus de viabilidade ou fertilidade. Essa zona pode atuar, portanto, como uma barreira ao fluxo gênico entre as duas espécies que estão em processo de diferenciação.

11.DIFE

ESPECIAÇÃO ARTIFICIAL

Através de experiências laboratoriais, usando Drosophila pseudoobscura (moscas de frutas), Diane Dodd demonstrou como o isolamento de populações em diferentes ambientes pode induzir ao início de um isolamento reprodutivo. Em seus trabalhos, publicados na revista Evolution em 1989, ele alimentou, em gaiolas diferentes, para simular um isolamento geográfico, um grupo de Drosophila pseudoobscura com amido e outro grupo com maltose (figura a seguir). Após várias gerações isoladas e alimentadas diferentemente, as moscas foram testadas para saber sua preferência de acasalamento. Os resultados mostraram a ocorrência de certo isolamento reprodutivo. As moscas alimentadas com maltose preferiram outras igualmente alimentadas com maltose e as alimentadas com amido preferiram as alimentadas com amido, como mostra a figura a seguir.

12.SEGUIR

Esse trabalho mostra que populações isoladas em diferentes ambientes (representados, no caso, por diferentes fontes alimentícias), podem levar ao inicio de um isolamento reprodutivo, corroborando com a ideia cladogênica de que o isolamento geográfico é um importante passo para alguns eventos de especiação. Essa experiência tem sido facilmente reproduzida por diversos pesquisadores, utilizando, inclusive, outras espécies de moscas e outros tipos de alimentos.

 

 

Publicado por: Djalma Santos | 7 de janeiro de 2013

Testes sobre grupos sanguíneos (2/2)

01. (UPE) Um casal fez um teste para determinar seu tipo sanguíneo. Pedro apresentou aglutinogênios A, aglutininas anti-B e fator Rh, e o sangue de Maria mostrou reações de aglutinação com os soros anti-A e anti-Rh, como verificado na lâmina.

Considerando os resultados pode-se concluir que:

a) O casal apresenta o mesmo tipo de sangue para o sistema ABO e, se forem heterozigotos terão 50% de probabilidade de originar uma criança de sangue tipo O.

b) O casal tem, pelo menos, 25% de probabilidade de ter uma criança de sangue tipo AB.

c) Em casos de necessidade de uma transfusão sanguínea, Pedro poderá ser receptor de Maria e não doador para ela.

d) Se o segundo filho desse casal for de sangue A Rh+, pode haver doença hemolítica de recém-nascido, a eritroblastose fetal.

e) Para o loco do sistema ABO, Maria pode apresentar IAIA ou IAi.

02. (COVEST) Numa pequena maternidade de uma cidade do interior nasceram quatro crianças exatamente no mesmo horário, tendo ocorrido falha na identificação dos bebês. A determinação dos grupos sanguíneos das crianças e dos pais foi então processada, tendo sido obtidos os resultados apresentados no quadro abaixo:

PAIS

CRIANÇAS

N0

Grupos Sanguíneos N0

Grupos Sanguíneos

1

0 e 0 I

0

2

AB e 0 II

A

3

A e B III

B

4

B e B IV

AB

Analise as proposições abaixo quanto à associação dos recém nascidos com os prováveis pais:
I   II

0  0 – 1:II, 2:III, 3:IV e 4:I.

1  1 – 1:I2:III, 3:IV e 4:II.

2  2 – 1:I 2:III, 3:II e 4:IV.

3  3 – 1:I 2:II3:IV e 4:III.

4  4 – 1:I2:IV3:II e 4:III.

03. (FMIt-MG) Num banco se sangue foram selecionados os seguintes doadores: grupo AB, 5; grupo A, 8; grupo B, 3; grupo O, 12. O primeiro pedido de doação partiu de um hospital que tinha dois pacientes nas seguintes condições:

- Paciente I possuindo ambos os tipos de aglutininas no plasma.

- Paciente II possuindo apenas um tipo de antígeno nas hemácias e aglutinina anti-B no plasma.

Quantos doadores estavam disponíveis para os pacientes I e II, respectivamente?

a) 5 e 11.

b) 12 e 12.

c) 8 e 3.

d) 12 e 20.

e) 28 e 11.

04. Considere as informações a seguir:

Sabendo-se que o casal 5 x 6 já perdeu uma criança com eritroblastose fetal, a probabilidade de nascer uma menina do tipo 0, Rh+ é de:

a) 1/6.

b) 1/8.

c) 1/16.

d) 1/4.

e) 1/2.

05. (FATEC) Um casal em que ambos os cônjuges possuem tipo sanguíneo AB, quer saber:

I. Quais os possíveis tipos sanguíneos dos seus filhos.

II. Qual a probabilidade de terem uma criança do sexo feminino, com sangue tipo AB.

Assinale a alternativa que corresponde corretamente às duas perguntas acima:

I

II

a

A, B e AB

1/3

b

A e B

1/4

c

A, B e AB

1/4

d

A e B

1/2

e A, B e AB 1/2

06. (PUC-SP) Analisando o sistema sanguíneo ABO, podemos afirmar corretamente que:

a) Apenas os indivíduos do grupo AB podem ser geneticamente heterozigotos.

b) Os indivíduos dos grupos A e B só podem ser geneticamente homozigotos.

c) Os indivíduos do grupo O são geneticamente homozigotos recessivos.

d) Os indivíduos do grupo AB são receptores universais, porque não apresentam antígenos (aglutinógenos) em suas hemácias.

e) Os indivíduos do grupo O são doadores universais, porque não apresentam anticorpos (aglutininas) em seu plasma.

07. (UFPA) Em uma questão judicial relacionada à determinação de paternidade de uma criança, três homens são acusados. A tipagem dos grupos sanguíneos ABO, MN e Rh na mãe, na criança e nos três homens revelou o seguinte:

      Mãe    A, N, Rh+
    Criança    O, MN, Rh+
    Homem 1    O, M, Rh+
    Homem 2    B, MN, Rh-
    Homem 3    A, M, Rh+

Com base nessas informações, a paternidade da criança:

a) Deve ser atribuída ao homem 1.

b) Deve ser atribuída ao homem 2.

c) Deve ser atribuída ao homem 3.

d) Não pode ser determinada, pois todos os acusados são excluídos.

e) Não pode ser determinada, pois nenhum dos acusados pode ser excluídos.

08. Em relação aos grupos sanguíneos – sistema ABO – analise as afirmativas abaixo e assinale a única incorreta:

a) As pessoas do grupo sanguíneo O só podem receber sangue de pessoas desse mesmo grupo.

b) As pessoas do grupo sanguíneo O possuem, em suas hemácias, os aglutinógenos  A e B.

c) Uma pessoa do grupo sanguíneo A tem em suas hemácias o algutinogênio A e no plasma aglutininas anti-B.

d) As pessoas do grupo sanguíneo AB não têm no plasma as aglutininas anti-A e anti-B.

e) As pessoas do grupo sanguíneo AB são chamadas receptores universais, uma vez que podem receber sangue de indivíduos O, A, B e AB.

09. (UFRN) O quadro a seguir representa os aglutinogênios e aglutininas de grupos sanguíneos do sistema ABO.

GRUPOS SANGUÍNEOS

AGLUTINOGÊNIOS AGLUTININAS

1

-

Anti-A, anti-B

2

A

Anti-B

3

B

Anti-A

4

A,B

-

Os número 1, 2, 3 e 4 podem ser substituídos, respectivamente, por:

a) O, B, A, AB.

b) AB, A, B, O.

c) A, B, AB, O.

d) O, A, B, AB.

e) AB, B, A, O.

10. (VUNESP) Um determinado banco de sangue possui 4 litros de sangue do tipo AB, 7 litros de sangue do tipo A, 1 litro de sangue do tipo B e 9 litros de sangue do tipo O, todos Rh+. Se houver necessidade de transfusões sanguíneas para um indivíduo com sangue tipo AB, Rh+, estarão disponíveis para ele, do total acima mencionado:

a) 4 litros.

b) 8 litros.

c) 12 litros.

d) 13 litros.

e) 21 litros.

11. (PUCCAMP) Mariazinha, criança abandonada, foi criada por pais adotivos. Anos mais tarde, Antônio e Joana, dizendo ser seus verdadeiros pais, vêm reclamar sua posse. No intuito de comprovar a veracidade dos fatos, foi exigido um exame do tipo sanguíneo dos supostos pais, bem como de Mariazinha. Os resultados foram: Antônio: B, Rh+; Joana: A, Rh-; Mariazinha: O, Rh-.  Você concluiria, então, que:

a) Mariazinha pode ser filha de Joana, mas não de Antônio.

b) Mariazinha não é filha do casal.

c) Mariazinha é filha do casal.

d) Existe possibilidade de Mariazinha ser filha do casal, mas não se pode afirmar.

e) Mariazinha pode ser filha de Antônio, mas não de Joana.

12. Determinar o provável genótipo do pai de três crianças, cuja mãe apresenta sangue tipo A, MN e Rh positivo.

Primeira criança – AB, N, Rh positivo.

Segunda criança  – O, MN, Rh negativo.

Terceira criança – AB, M, Rh positivo.

a) IBi MM Rhrh.

b) IAIB MN Rhrh.

c) IAi MN rhrh.

d) ii NN RhRh.

e) IBi MN rhrh.

13. (PUC-RJ) Se seu tipo sanguíneo for AB, então:

a) Seus dois genitores podem ser AB.

b) Apenas um de seus genitores pode ser AB.

c) Um de seus genitores pode ser O.

d) Um de seus genitores pode ser A e o outro B.

e) Das hipóteses acima, mais de uma pode ser correta.

14. (UFPA) Os fenótipos do sistema sanguíneo ABO são determinados por um locus com três alelos. O alelo IA forma o antígeno A, o alelo IB forma o antígeno B e o alelo i não forma nenhum desses antígenos. Indivíduos do tipo A são os que têm o antígeno A; os do tipo B têm o antígeno B; os do tipo AB têm ambos e os do tipo O não têm nenhum desses antígenos. Com base nessas informações, assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I   II

0  0 – Ocorrem seis genótipos diferentes na população.

1  1 – Os indivíduos do tipo AB são sempre heterozigotos e os indivíduos do tipo O podem ser homozigotos ou heterozigotos.

2  2 – O fenótipo AB é o mais  frequente em todas as  populações, uma vez que é duplamente dominante.

3  3 – É impossível que do casamento entre indivíduo do tipo A com indivíduo do tipo B nasçam filhos do tipo O.

4  4 – Um indivíduo  do tipo O, poderá ter filhos A, B, ou O, mas nunca AB.

15. (MACK) Considerando os casamentos a seguir, uma criança de tipo sanguíneo B, Rh+ poderá ser filha:

a) Somente do casal I.

b) Do casal I ou do casal IV.

c) Do casal III ou do casal IV.

d) Somente do casal II.

e) Do casal I ou do casal II ou do casal III.

16. (UECE) Observe a árvore genealógica a seguir, para o grupo sanguíneo ABO em uma família:

Marque a opção correta:

a) O indivíduo no 5 pode ser de grupo sanguíneo “AB”.

b) O indivíduo no 1 é do grupo sanguíneo “AB”.

c) O indivíduo no 6 é do grupo sanguíneo “AB”.

d) O indivíduo no 7 não pode ser filho do casal 5×6.

17.  (CESGRANRIO) A observação do esquema a seguir, que representa a genealogia de uma família em relação aos grupos sanguíneos MN, nos permite afirmar que:

a) Sangue MN é característica determinada por gene dominante.

b) Os indivíduos 4 e 5 são heterozigotos.

c) O casal 3 e 4 poderá ter filhos dos três tipos de grupos sanguíneos.

d) Se o indivíduo 5 casar-se com uma mulher de sangue N, todos os filhos serão heterozigotos.

e) Um próximo filho do casal 6 e 7 poderá ser do grupo N.

18. (UEL) Uma mulher com grupos sanguíneos B, N, Rh+ teve três crianças com pais distintos:

CRIANÇAS

I. O, MN, Rh­-

II. AB, N, Rh+

III. B, N, Rh-­

PAIS

a. A, N, Rh-­

b. A, M, Rh-­

c. B, N, Rh+

Assinale a alternativa que relaciona corretamente cada criança ao seu pai.

a) I – a; II – b; III – c.

b) I – a; II – c; III – b.

c) I – b; II – a; III – c.

d) I – b; II – c; III – a.

e) I – c; II – b; III – a.

19. (PUC-SP) Em um hospital há um homem necessitando de uma transfusão de emergência. Sabe-se que ele pertence ao grupo sanguíneo A e que, no hospital, há quatro indivíduos que se ofereceram para doar sangue. Foi realizada a determinação de grupos sanguíneos do sistema ABO dos quatro indivíduos, com a utilização de duas gotas de sangue de cada um deles, que, colocadas em uma lâmina, foram, em seguida, misturadas aos soros anti-A e anti-B. Os resultados são apresentados a seguir:

Observação:

O sinal + significa aglutinação de hemácias.

O sinal – significa ausência de aglutinação.

A partir dos resultados observados, poderão doar sangue ao referido homem, os indivíduos:

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

20. (UFJF) Observe a árvore genealógica abaixo, onde as letras simbolizam genótipos para grupos sanguíneos e assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I   II

0  0 – O indivíduo 4 pode ser do grupo sanguíneo AB.

1  1 – O indivíduo 7 pode ser do grupo sanguíneo A.

2  2 – A probabilidade de o casal 1 x 2 ter um filho do grupo sanguíneo O é de 1/2.

3  3 – O indivíduo 1 é do grupo sanguíneo B.

4  4 – O casal 1 x 2 pode ter um filho do grupo sanguíneo B.

21. Determinar o provável genótipo do pai de três crianças, cuja mãe apresenta sangue tipo A, MN e Rh positivo.

Primeira criança – AB, N, Rh positivo.

Segunda criança  – O, MN, Rh negativo.

Terceira criança – AB, M, Rh positivo.

a) IBi MM Rhrh.

b) IAIB MN Rhrh.

c) IAi MN rhrh.

d) ii NN RhRh.

e) IBi MN rhrh.

22. (UECE) Observe a árvore genealógica a seguir, para o grupo sanguíneo (ABO) em uma família.

LEGENDA:

Grupo “A”: A/A ou A/O

Grupo “B”: B/B ou B/O

Grupo “AB”: A/B

Grupo “O”: O/O

OBS:

1. O indivíduo 2 é mulher do grupo sanguíneo “A”

2. O indivíduo 4 é homem do grupo sanguíneo “B”

3. O indivíduo 5 é mulher do grupo sanguíneo “O”

Sobre a árvore anterior, marque a opção correta:

a) O indivíduo 3 é do grupo sanguíneo “AB”.

b) O indivíduo 1 pode ser do grupo sanguíneo “AB”.

c) O indivíduo 1 é do grupo sanguíneo “A”.

d) O indivíduo 1 é do grupo sanguíneo “O”.

23. (FEI) Um homem de genótipo AB casa-se com uma mulher receptora universal. Os tipos de sangue dos filhos são apenas.

a) A e AB.

b) A e B.

c) A, B, AB.

d) A, B, O.

e) A, O.

24. (FATEC) Sendo um homem de sangue tipo O, pergunta-se.

I. Se esse homem casar-se com uma mulher de sangue tipo AB, quais os prováveis tipos de sangue dos filhos do casal?

II. Se casar-se com uma mulher de sangue tipo A, qual a probabilidade do nascimento de uma criança do tipo AB?

A alternativa que responde corretamente às perguntas anteriores é.

a) (I) – A ou B ou O; (II) – zero.

b) (I) – O ou A ou B; (II) – 50%.

c) (I) – A ou B; (II) – 50%.

d) (I) – A ou B; (II) – zero.

e) (I) – A ou B; (II) – 25%.

25. (PUCCAMP) Assinale a alternativa que esquematiza as transfusões que podem ser feitas entre indivíduos com diferentes grupos sanguíneos do sistema ABO (as setas indicam o sentido das transfusões).

 

26. (MACK) Uma mulher que possui aglutinina anti-B no seu sangue, teve um filho do grupo O. Sabendo-se que o marido tem o aglutinogênio B, os genótipos do casal são.

a) IAi e IAi.

b) IAIA e IBi.

c) IAi e IBi.

d) IAIB e IAIA.

e) IAi e IBIB.

27. (VUNESP) A transfusão de sangue do tipo B para uma pessoa do grupo A, resultaria em:

a) Reação de anticorpos anti-B do receptor com os glóbulos vermelhos do doador.

b) Reação dos antígenos B do receptor com os anticorpos anti-B do doador.

c) Formação de anticorpos anti-A e anti-B pelo receptor.

d) Nenhuma reação, porque A é receptor universal.

e) Reação de anticorpos anti-B do doador com antígenos A do receptor.

28. (PUC-MG) Alexsander não sabe qual é o seu grupo sanguíneo e o seu tipo de Rh. Entretanto sabe que seu pai é A+, sua mãe O+ e seu irmão é A-. Assinale a opção que contém o(s) grupo(s) sanguíneo(s) e o(s) tipo(s) de Rh que Alexsander pode ter.

a) TIPO SANGUÍNEO: A, somente.

FATOR Rh: positivo ou negativo.

b) TIPO SANGUÍNEO: O, somente.

FATOR Rh: positivo, somente.

c) TIPO SANGUÍNEO: A ou O.

FATOR Rh: negativo ou positivo.

d) TIPO SANGUÍNEO: A ou O.

FATOR Rh: positivo, somente.

e) TIPO SANGUÍNEO: O, somente.

FATOR Rh: negativo, somente.

29. (VUNESP) Um laboratorista realizou exames de sangue em cinco indivíduos e analisou as reações obtidas com os reagentes anti-A, anti-B, anti-Rh, para a determinação da tipagem sanguínea dos sistemas ABO e Rh. Os resultados obtidos encontram-se no quadro seguinte.

Com base nesses resultados, indique quais os indivíduos que serão considerados, respectivamente, receptor e doador universal.

a) 5 e 2.

b) 4 e 3.

c) 3 e 4.

d) 2 e 5.

e) 1 e 4.

30. (UFSC) O sistema ABO de grupos sanguíneos tem sido, dentre outros, um instrumento na resolução de casos judiciais com relação à exclusão de paternidade. Assinale em qual(is) item(ns) existe compatibilidade entre os fenótipos da criança e do suposto pai, considerando que o fenótipo materno é também determinado.

I   II MATERNO CRIANÇA SUPOSTO PAI
0   0 A B 0
1   1 AB A 0
2   2 0 0 B
3   3 B AB AB
4   4 0 B 0

31. (MACK) A respeito do heredograma abaixo, que considera o sistema sanguíneo ABO, assinale a alternativa incorreta.

a) O indivíduo 9 pode ser doador universal.

b) O indivíduo 7 pertence ao grupo sanguíneo A.

c) O indivíduo 6 é homozigoto.

d) O indivíduo 1 é receptor universal.

e) O indivíduo 8 é heterozigoto.

32. (UECE) Observe o diagrama geral das possíveis trocas sanguíneas por doação e recepção no sistema “ABO”.

A(s) seta(s) cujo sentido (doação →  recepção) está(ão) errado(s) é(são).

a) 4 e 5.

b) 2.

c) 1.

d) 3.

33. (PUC-MG) Uma criança tem tipo sanguíneo do tipo AB. Os tipos sanguíneos dos pais biológicos dessa criança são.

a) A e A.

b) B e B.

c) A e O.

d) A e B.

e) AB e O.

34. (MACK) Uma criança tem genótipo igual ao pai, que é receptor universal e teve eritroblastose fetal. Então é incorreto afirmar que:

a) A mãe é certamente Rh-­.

b) O pai possui genótipo IAIB.

c) A mãe pode pertencer ao tipo sanguíneo O.

d) Essa criança é certamente heterozigota para o fator Rh.

e) A mãe pode ter genótipo IAi.

35. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I  II

0 0 – No que se refere à dominância dos três genes envolvidos no sistema ABO, podemos afirmar que IA = IB > i.

1 1 – Uma pessoa cujo sangue apresenta aglutinação com soro anti-B e anti-Rh, possui aglutinogênios B e Rh.

2 2 – Um casal em que o homem é Rh+ heterozigoto, com sangue do grupo AB e a mulher é Rh-, com sangue do grupo O, não pode ter filhos Rh+ AB.

3 3 – A probabilidade do  neto indicado  no heredograma  abaixo,  pertencer ao grupo sanguíneo O é 1/4.

4 4 – Em uma transfusão de sangue, em que um indivíduo AB, Rh+ recebe sangue de um outro A, Rh-, espera-se que não ocorra choque, em face das hemácias do receptor serem indiferentes às aglutininas anti-A, presentes no soro do doador.

36. (MACK) Um homem sofreu um acidente e precisou de transfusão sanguínea. Analisado o seu sangue, verificou-se a presença de anticorpos anti-A e ausência de anti-B. No banco de sangue do hospital, havia três bolsas disponíveis, sendo que o sangue da bolsa 1 apresentava todos os tipos de antígenos do sistema ABO, o sangue da bolsa 2 possuía anticorpos anti-A e anti-B e a bolsa 3 possuía sangue com antígenos somente do tipo B. Esse homem pode receber sangue:

a) Apenas da bolsa 1.

b) Apenas da bolsa 3.

c) Da bolsa 2 ou da bolsa 3.

d) Da bolsa 1 ou da bolsa 2.

e) Apenas da bolsa 2.

37. (UFV) Se um homem do grupo sanguíneo B, cuja mãe era do grupo O, se casa com uma mulher do grupo A, cujo pai era do grupo O, a quais grupos sanguíneos e com qual probabilidade esse casal pode esperar que pertençam seus filhos?

a) AB-1/4; B-1/4; A-1/4; O-1/4.

b) AB-1/3; B-1/3; A-1/3.

c) AB-3/4; O-1/4.

d) A-1/2; B-1/2.

38. (PUC-SP) Em uma lâmina, três gotas de sangue de um indivíduo foram misturadas a três tipos de soros: anti-A, anti-Rh e anti-M. Os resultados estão apresentados abaixo:

Soro anti-A

Soro anti-Rh

Soro anti-M

+

+

+

+ = Reação de aglutinação de hemácia.

Pela análise dos resultados, podemos afirmar corretamente que esse indivíduo:

a) Pertence aos grupos sanguíneos A, Rh+ e M.

b) Pertence aos grupos sanguíneos B, Rh- e N.

c) Pertence aos grupos sanguíneos AB, Rh+ e MN.

d) Apresenta aglutinogênios A, Rh e M.

e) Não apresenta aglutinogênios A, Rh e M.

39. (UFRS) Em um banco de sangue de um hospital, as etiquetas que identificavam os tipos sanguíneos estavam em código, e, por acidente, o livro onde estavam registrados os códigos foi perdido. Para que os frascos contendo sangue fossem identificados, foram feitos testes com amostras correspondentes a cada código, e o resultado foi o seguinte:

Baseados nesse teste, podemos afirmar que:

a) Existem 105 litros de sangue disponíveis para um receptor AB Rh+.

b) Existem 135 litros de sangue disponíveis para um receptor AB Rh-­.

c) Existem 105 litros de sangue disponíveis para um receptor A Rh+.

d) Existem 135 litros de sangue disponíveis para um receptor O Rh+.

e) Existem 25 litros de sangue disponíveis para um receptor O Rh-.

40. (UNIOESTE) Considerando o casamento entre um homem tipo sanguíneo A+, cujo pai era O-­.­, com uma mulher B+ cuja mãe era A-­.­, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – A probabilidade de nascer 1 filha mulher B+ é 3/16.

1  1 – A probabilidade de nascer 1 filho homem O-­ é nula.

2  2 – A probabilidade de nascer 1 filho homem e 1 filha mulher AB é 9/1024.

3  3 – A probabilidade de nascer filho homem AB-­­ é 1/16.

4  4 – A probabilidade de nascer 2 filhas mulheres A-­ é 1/1024.

GABARITO

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
E FFFVF D C C C E B D E
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
D E E VFFFV E B D C A VVFFV
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
E B C D A C A C C FVVVF
31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
C A D C VVVVF C A D E FFVFV
Publicado por: Djalma Santos | 2 de janeiro de 2013

Testes de mitose e meiose

01. (UEM) Nos organismos sexuados, ocorrem dois tipos de divisão celular: a mitose, que é uma divisão equacional, ou seja, as células-filhas têm número de cromossomos igual ao da célula-mãe; e a meiose, uma divisão reducional, ou seja, o número de cromossomos das células-filhas é reduzido à metade em relação ao da célula-mãe. Com relação a essas divisões, assinale o que for correto.

I  II

0  0 – A interfase é um período em que a célula está em repouso.

1 1 – As células cancerosas não respondem aos mecanismos de controle que fazem uma célula iniciar e parar o ciclo celular de acordo com as necessidades do organismo.

2 2 – Um recém-nascido tem cerca de um bilhão de células. Quando adulto apresentará o mesmo número de células, porém elas serão maiores em decorrência de especialização, nutrientes e organelas.

3  3 – Enquanto a mitose produz dois núcleos idênticos entre si e idênticos ao núcleo inicial, a meiose produz, via de regra, quatro não idênticos entre si.

4 4 – A anáfase I da meiose e a anáfase da mitose são idênticas, os centrômeros dos cromossomos são duplicados e as cromátides se separam.

02. (SANTA CASA-SP) Considere os esquemas a seguir que representam núcleos de 6 células com seus cromossomos.

02

Qual das alternativas abaixo indica, respectivamente, célula diploide resultante de mitose e célula haploide resultante de meiose?

a) I e II.

b) II e III.

c) III e IV.

d) IV e V.

e) V e VI.

03. (FGV) Uma das diferenças da meiose, em relação à mitose, é que na meiose as células-filhas são geneticamente diferentes da célula-mãe. Essa afirmação está:

a) Errada. Tanto na mitose quanto na meiose as células-filhas são geneticamente iguais à célula-mãe.

b) Errada. O que diferencia a mitose da meiose é o fato de que na primeira são produzidas quatro células-filhas, enquanto na meiose são produzidas apenas duas.

c) Errada. Na meiose, as células-filhas têm apenas metade do número inicial de cromossomos, mas ainda assim cada uma delas apresenta os mesmos alelos presentes na célula-mãe.

d) Correta. O crossing-over e a segregação das cromátides irmãs, na segunda divisão, promovem a recombinação do material genético herdado da célula-mãe.

e) Correta. A segregação dos cromossomos homólogos, na primeira divisão, resulta em células-filhas com diferentes conjuntos alélicos em relação àquele da célula-mãe.

04. (UNICENTRO) No mundo organizado e integrado dos nossos órgãos e tecidos, também aparecem Coringas celulares, anárquicos e destrutivos — são os tumores malignos. O câncer é uma doença genética de células somáticas — a manifestação de um genoma profundamente alterado. Ele emerge da multiplicação desenfreada e expancional de uma única célula que, por meio de mutações cumulativas, perde as amarras sociais que ditavam seu bom comportamento no tecido e se torna, em essência, um sociopata celular.

(NO MUNDO organizado…, 2010).

Acerca dos conhecimentos relacionados aos processos de divisão celular e da formação de células cancerosas e com base na análise do texto, pode-se afirmar:

a) O crescimento celular contribui para o desenvolvimento anômalo de células somáticas, o que pode vir a acarretar o câncer.

b) As células que se encontram na Fase G0 do ciclo celular são incapazes de se tornar cancerosas.

c) A divisão de células somáticas resulta na geração de células com metade do material genético das que lhe deram origem.

d) Os processos de verificação e reparo do DNA duplicado durante a fase S do ciclo celular reduzem as chances da formação de uma célula cancerosa.

05. (UNIOEST) Crossing-over ou permuta e um importante fenômeno que ocorre na prófase I meiótica, responsável pela recombinação entre os diferentes pares de genes de cromossomos homólogos. O desenho abaixo representa um par de cromossomos homólogos, com 3 genes: gene A, gene e gene C, cada um destes possuindo dois alelos (alelo dominante e alelo recessivo). A partir deste desenho, assinale a alternativa correta.

05

a) Se houver crossing-over apenas na região 1 serão produzidos gametas com as combinações ABC, abc, ABc e abC.

b) Se houver crossing-over apenas na região 2 serão produzidos gametas com as combinações ABC, abc, Abc e aBC.

c) Se houver crossing-over nas regiões 1 e 2 serão produzidos gametas com as combinações ABC, abc, AbC e aBc.

d) Se houver crossing-over apenas na região 1 serão produzidos somente gametas com as combinações Abc e aBC.

e) Se houver crossing-over apenas na região 2 serão produzidos somente gametas com as combinações ABc e abC.

06. (PUC-MG) O câncer é hoje uma das doenças mais preocupantes no mundo não só pelos milhões de mortes que causa a cada ano, mas também pela dificuldade de tratamento e pelas difíceis condições de vida que impõe aos doentes. O número de vítimas vem crescendo e, segundo dados do Ministério da Saúde, o câncer é a segunda doença que mais mata no Brasil. O número de mortes decorrentes desse mal aumentou 22% nos últimos 25 anos. Os tipos mais comuns são os de pele, mama, próstata, estômago, pulmão e colo de útero.

Fonte: http://www.revistaescola.abril.com.br

Leia as afirmativas abaixo.

I. O câncer é uma proliferação celular anormal e maligna, em que as células se dividem ao longo da vida de uma pessoa, principalmente durante a fase de crescimento.

II. A mitose é um processo bem controlado pelo organismo normal, de forma que os diferentes tipos de célula podem alcançar números ideais sem interferir no funcionamento dos órgãos, o que garante a saúde do indivíduo.

III. Em determinadas condições, classicamente associadas a mutações na molécula de DNA e anormalidades cromossômicas, uma ou mais células podem “burlar” os mecanismos de controle e começar a se reproduzir além do normal, dando origem ao câncer.

Estão corretasas alternativas:

a) II e III, apenas.

b) I, II e III.

c) I e II, apenas.

d) I e III, apenas.

07. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA) O chamado ciclo vital de uma célula eucariota compreende um conjunto bem definido de etapas, designadas de G1, S, G2 e a divisão (mitose ou meiose), cada uma das quais ocorrendo, nos organismos multicelulares, em intervalos de tempo que são basicamente constantes para cada tecido. Entretanto, as células de uma neoplasia (câncer) multiplicam-se de forma muito rápida, pois em seus ciclos vitais ocorre drástica redução do tempo de duração dos períodos:

a) G1 e S.

b) G1 e G2.

c) S e G2.

d) De divisão.

e) G2 e de divisão.

08. (FUVEST) Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – Durante todas as fases do ciclo celular, a quantidade de DNA é constante.

1  1 – No período G1 existe metade da quantidade de DNA existentes em G2.

2 2 – No período G2, os cromossomos já estão individualizados, podendo ser vistos facilmente.

3  3 – Durante a interfase o DNA e o RNA são continuamente sintetizados.

4  4 – No período G1 ocorre uma discreta síntese de RNA e de proteínas.

09. (UEMS) Na divisão celular, no fim da telófase, tem início um processo de estrangulamento na região mediana que termina por dividir a célula em duas, por começar na periferia e avançar para o centro da célula, esse tipo de divisão citoplasmática é chamada de citocinese centrípeta. Em que tipo de célula ocorre esse tipo de divisão?

a) Em células vegetais.

b) Em bactérias e células vegetais.

c) Em células animais.

d) Em células animais e vegetais.

10. (IFSC) A célula constitui a unidade morfológica e funcional dos seres vivos e está sempre em constante atividade, o que inclui a sua divisão e consequentemente a origem de novas células. Sobre o ciclo celular, é corretoafirmar que:

I   II

0  0 – Na fase do ciclo celular, denominada de interfase, o núcleo é basicamente constituído por carioteca, cariolinfa, nucléolo e cromatina.

1  1 – A divisão celular identificada como meiose, determina um processo em que uma célula originará duas células-filhas.

2  2 – Na metáfase, os cromossomos ocupam a região mediana da célula, constituindo a placa equatorial, e estão em condensação máxima o que os torna bem visíveis ao microscópio óptico.

3  3 – Na anáfase, os cromossomos estão localizados nos polos da célula; começam a se descondensar e adquirem novamente o aspecto de filamento de cromatina.

4  4 – A duplicação das moléculas de DNA ocorre durante o período S (síntese) da interfase.

11. O ciclo celular é dividido em duas etapas: divisão Celular e interfase. Nesta última etapa (interfase), subdividida em G1 – S – G2, a célula realiza seu metabolismo e se prepara, quando necessário, para a etapa da divisão celular. Assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

I   II

0  0 – O tempo que as células permanecem na etapa chamada de Interfase é o mesmo entre os diferentes tipos celulares.

1   1 – Na fase S da Interfase ocorre o processo de duplicação do DNA.

2  2 – Durante a Interfase o DNA está em plena atividade, formando o RNA com as informações para a síntese proteica.

3  3 – A  frequência com  que  as  células entram em divisão celular varia com o tipo e o estado fisiológico de cada uma delas.

4  4 – Na etapa chamada  de  divisão celular, pode ocorrer tanto a mitose como a meiose, em qualquer célula do corpo humano.

12. (FUVEST)A droga vimblastina é um quimioterápico usado no tratamento de pacientes com câncer. Tendo em vista que essa droga impede a formação dos microtúbulos, sua interferência no processo de multiplicação celular será na:

a) Condensação dos cromossomos.

b) Descondensação dos cromossomos.

c) Duplicação dos cromossomos.

d) Migração dos cromossomos.

e) Reorganização dos nucléolos.

13. (UECE) Examine a figura abaixo e indique, respectivamente, as proteínas contráteis 1 e 2, que promovem o estrangulamento, com consequente separação das células, ao término da citocinese, marcando a opção correta.

13

a) Colágeno e queratina.

b) Tubulina e elastina.

c) Miosina e actina.

d) Dineína e flagelina.

14. (OSEC-SP) Qual dos materiais abaixo é o menos adequado para estudo da mitose.

a) Ápice da raiz de cebola.

b) Retina do olho.

c) Embrião de ouriço-do-mar.

d) Medula óssea vermelha.

e) Bulbo capilar.

15. (COVEST) Analise as proposições apresentadas com relação ao tópico “divisão celular”.

I  II

0 0 – Nos  organismos  pluricelulares, o  crescimento e a reparação dos tecidos ocorrem através de mitose.

1 1  – Na mitose ocorre recombinação de genes e formam-se, ao final do processo quatro células, todas 2n (diploide) como a célula mãe.

2 2 – Em organismos  adultos, células  em que a capacidade de divisão diminui, podem voltar a se dividir ativamente, como é o caso de células ósseas, após a ocorrência de fraturas.

3 3 – No processo  de  meiose  ocorre  uma duplicação  cromossômica  para duas divisões celulares.

4 4 – Na primeira  divisão meiótica  ocorre segregação  das cromátides-irmãs de cada cromossomo e na segunda divisão ocorre a separação dos cromossomos homólogos de cada par.

16. (PUC-MG) Abaixo estão enunciados alguns processos biológicos relacionados das divisões celulares.

I. Regeneração e crescimento de indivíduos multicelulares.

II. Produção de gametas.

III. Divisão de células haploides.

IV. Ocorrência de mutações.

V. Possibilidade de recombinação cromossômica.

VI. Separação de cromossomos homólogos.

São processos comuns à mitose e à meiose:

a) II e IV, apenas.

b) IV e VI, apenas.

c) III, IV e VI.

d) I, IV e VI.

e) I, II, V e VI.

17. (UFV) Considere uma célula de um organismo diploide em metáfase I. Existem quantos alelos de um loco gênico autossômico?

a) 1.

b) 2.

c) 3.

d) 4.

18. (UNICAP) Analise as figuras abaixo a fim de responder às proposições 0-0, 1-1 e 2-2.

18

I   II

0  0 – A figura 1 representa uma célula com tetraploidia.

1  1 – A figura 2 representa uma célula com inicio de citocinese centrífuga.

2  2 – A figura 4 representa uma célula eucariótica animal em metáfase.

3  3 – O pareamento dos cromossomos é um processo exclusivo de ocorrência em meiose.

4  4 – Uma célula somática com quatro cromossomos, ao se dividir, apresenta, na metáfase, quatro cromossomos distintos, cada um com duas cromátides.

19. (ENADE) A figura a seguir representa variações na quantidade de DNA ao longo do ciclo de vida de uma célula. (X = unidade arbitrária de DNA por célula). A análise do gráfico revela que:

19

a) As fases 1, 2 e 3 representam os períodos G1, S e G2, que resumem todo o ciclo vital de uma célula.

b) As fases 1, 2 e 3 representam o período em que a célula se encontra em interfase, e as fases 4, 5, 6 e 7, subsequentes, são características da célula em divisão mitótica, quando, ao final, ocorre redução à metade da quantidade de DNA na célula.

c) As fases de 1 a 5 representam a meiose I, enquanto a meiose II está representada pelas fases 6 e 7.

d) A célula representada no gráfico é uma célula diploide que teve a quantidade de seu DNA duplicada no período S da interfase (fase 2) e, posteriormente, passou pelas fases da meiose, originando células filhas com metade da quantidade de DNA (fase 7, células haploides).

e) A fase 3 é caracterizada por um período em que não há variação na quantidade de DNA na célula, portanto, essa fase representa uma célula durante os períodos da mitose: prófase, metáfase e anáfase.

20. (UFSC) A Mitose e a Meiose são importantes processos biológicos, pois permitem que o número de cromossomos de uma célula permaneça igual, ou seja, reduzido para possibilitar sua restauração numérica após a fecundação. Com relação aos eventos e aos resultados desses dois processos, é correto afirmar que:

I   II

0 0 – Uma mutação que ocorra em uma das cromátides de uma célula somática será transmitida a todas as suas células-filhas, através da divisão mitótica.

1  1 – A Mitose é o sistema de reprodução dos organismos nos quais não existe a presença de sexo nem a formação de células germinativas.

2  2 – Se considerarmos, em uma mesma espécie, duas células-filhas, uma originada por Mitose e a outra por Meiose, a primeira conterá metade do número de cromossomos e o dobro da quantidade de DNA da segunda.

3  3 – Nos dois processos, ocorre a compactação da cromatina, fenômeno este que, além de facilitar a divisão correta dos cromossomos, impede que o material genético seja atacado por enzimas, presentes no citoplasma, que destroem o DNA.

4  4 – Na Meiose, existe a possibilidade de ocorrer o fenômeno de recombinação, que é a troca de segmentos entre quaisquer dois cromossomos, gerando, com isso, alta variabilidade genética para os indivíduos envolvidos.

21. (UFPB) A figura abaixo representa uma célula, durante o período G1 do ciclo celular, com número diploide de cromossomos igual a quatro (2n = 4).

21A

A seguir estão esquematizadas três anáfases possíveis, em A, B e C, caso essa célula se divida por meiose ou mitose.

21B

De acordo com os esquemas, assinale a(s)

Alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – As três anáfases esquematizadas ocorrem durante a meiose.

1  1 – A anáfase esquematizada em A representa a anáfase I da meiose.

2  2 – A anáfase esquematizada em B representa a anáfase II da meiose.

3  3 – A anáfase esquematizada em A apresenta oito moléculas de DNA.

4  4 – A anáfase esquematizada em C corresponde à anáfase da mitose.

22. (VUNESP) O ciclo celular envolve a interfase e as divisões celulares, que podem ser mitose ou meiose. A meiose é um tipo de divisão celular que originará quatro células com o número de cromossomos reduzido pela metade. Com base no texto e em seus conhecimentos sobre o assunto, é correto afirmar que:

a) Interfase é um período em que ocorre apenas a duplicação do material genético.

b) Na anáfase I cada cromossomo de um par de homólogos é puxado para um dos os polos da célula.

c) O crossing-over ocorre entre os cromossomos não homólogos.

d) Na telófase I os cromossomos separados em dois lotes sofrem duplicação do material genético e as membranas nucleares se reorganizam.

e) Quiasmas são as permutas que ocorrem entre cromátides irmãs que permitem a variedade de gametas.

23. (UEPB) Sobre a meiose é correto afirmar que:

a) O pareamento dos cromossomos é um processo exclusivo da meiose.

b) Ocorre apenas na formação de gametas.

c) Ocorre em organismos procariontes.

d) É o processo que origina quatro células diploides.

24.(UFSCar) Sessenta células de um animal, com a constituição representada na figura abaixo sofrem meiose.

24

São esperados, apresentando constituição ABC:

a) 30 células.

b) 60 células.

c) 90 células.

d) 120 células.

e) 180 células.

25. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I   II

0  0 – Considerando a figura abaixo, que representa uma célula na anáfase meiótica e supondo que não haja aberrações cromossômicas, o número n característico da espécie à qual pertence ela pertence é igual a 6.

26.0

1  1 – O esquema abaixo ilustra uma célula animal em anáfase I.

26.1

2  2 – Nas  células  somáticas  da   espécie  humana,  os  fenômenos  de duplicação do DNA e separação dos centrômeros ocorrem, respectivamente, na interfase e telófase.

3  3 – O  uso  de  colchicina   na  cultura  de  linfócitos  humanos  in vitro provoca o acúmulo de metáfases, em face de ela interferir na condensação cromossômica.

4  4 – Uma célula  somática  que tem 4  cromossomos,  ao se  dividir, deverá apresentar na metáfase 8 cromossomos, cada um deles com uma cromátide.

26. (UFMG) Observe o esquema abaixo, em que as representações estão numeradas de I a VI:

26

Considerando-se esse esquema, é incorreto afirmar que:

a) A primeira divisão mitótica ocorre entre a fase II e a fase III.

b) As células são totipotentes na fase IV.

c) o número de células é diferente na fase V e na fase VI.

d) os cromossomos homólogos estão pareados na fase I.

27. (ENADE) O trabalho de Mendel com hibridação de ervilhas, publicado em 1866, forneceu subsídios para a compreensão das observações citológicas sobre o comportamento dos cromossomos na formação dos gametas. Em seu trabalho, Mendel afirmava que os fatores, que hoje chamamos de genes, separavam-se na formação dos gametas e se uniam na formação do zigoto. Além disso, argumentava que diferentes fatores se separavam nesse processo de maneira independente entre si. Essas duas afirmações correspondem a observações citológicas da meiose, tal como esta ocorre na maioria das espécies, as quais mostram, respectivamente, que:

a) Os cromossomos homólogos se separam na fase II e a segregação de um par de cromossomos homólogos é independente da dos demais.

b) Os cromossomos homólogos se separam na fase I e a segregação de um par de cromossomos homólogos é independente da dos demais.

c) Os cromossomos homólogos se separam na fase II e a segregação de um par de cromossomos homólogos é dependente da dos demais.

d) As cromátides irmãs se separam na fase I e a segregação de um par de cromossomos homólogos é independente da dos demais.

e) As cromátides irmãs se separam na fase II e a segregação de um par de cromossomos homólogos é dependente da dos demais.

28. (UFMG) Assinale a(s) proposição(ões) que completa(m) de forma correta a afirmativa a seguir: “Por meiose, uma célula ……. com …… cromossomos formará …… células ……., com …… cromossomos cada uma”.

I   II

0  0 – 2n, 20, 02, 2n, 20.

1  1 – Diploide, 10, 04, haploides, 05.

2  2 - n, 10, 02, 2n, 05.

3  3 – Haploide, 05, 04, n, 20.

4  4 – 2n, 30, 04, n, 15.

29. (FUVEST) Em certa linhagem celular, o intervalo de tempo entre o fim de uma mitose e o fim da mitose seguinte é de 24 horas. Uma célula dessa linhagem gasta cerca de 12 horas, desde o início do processo de duplicação dos cromossomos até o início da prófase. Do fim da fase de duplicação dos cromossomos até o fim da telófase, a célula gasta 3 horas e, do inicio da prófase até o fim da telófase, ela gasta 1 hora. Com base nessas informações e nos seus conhecimentos sobre mitose assinale a alternativa correta:

a) A duração da mitose é de 2 horas.

b) A duração do período S é de 12 horas.

c) A duração da interfase é de 11 horas.

d) a duração do período G2 é de 2 horas.

e) a duração do período G1é de 21 horas.

30. (COVEST) Analise atentamente as seguintes imagens e avalie as proposições abaixo, assinalando na coluna I a(s) correta(s) e na II a(s) falsa(s):

30

I   II

0  0 – A colchicina interrompe este processo no estágio representa pela imagem E.

1  1 – O ciclo celular  corretamente ordenado seria representado pela sequência DCABE.

2  2 – A duplicação  do DNA dos cromossomos ocorre no estágio representado pela imagem D.

3  3 – A sequência ACBED representa o ciclo celular durante a mitose.

4  4 – Os períodos  denominados G1, S e G2 ocorrem  no estágio representado pela imagem E.

31. A mitose e a meiose são dois tipos de divisão celular. Com relação a esses processos, verifique as proposições verdadeiras.

I. A mitose é uma divisão do tipo equacional.

II. A meiose ocorre em quatro etapas sucessivas.

III. O número de cromossomos das células resultantes de ambos os processos é igual ao das células que lhe deram origem, porém somente as células que sofrem meiose podem apresentar recombinação gênica.

IV. A mitose ocorre nas células somáticas.

V. A meiose ocorre na linhagem germinativa, quando da produção dos gametas.

VI. Ambos os processos ocorrem em todos os seres vivos.

a) Todas as frases estão incorretas.

b) Todas as frases estão corretas.

c) Há três frases incorretas.

d) As proposições I, II, III e V estão corretas.

e) As proposições II, III, IV e V estão incorretas.

32. (FUVEST) Sabemos que as regiões cromossômicas organizadoras dos nucléolos são as responsáveis pela produção de RNA ribossômico. Por outro lado, sabemos que os nucléolos são ricos em RNA ribossômicos e que eles gradualmente desaparecem durante os processos de divisão celular. A explicação para esse fato poderia ser:

a) Durante a divisão, a célula gasta RNAr.

b) Como novas células serão originadas, é preciso mais RNAr, que o nucléolo, armazenador, distribuirá ao desaparecer.

c) O RNAr iria para as mitocôndrias e, juntamente com os cloroplastos, refaria novos nucléolos.

d) Os nucléolos são orgânulos indispensáveis para a condensação cromossômica e, por isso, devem desaparecer na divisão.

e) O nucléolo só desaparece na mitose, permanecendo como estrutura bem diferenciada na meiose.

33. (UNIRIO) Quanto ao comportamento dos cromossomos nas divisões celulares, podemos afirmar:

a) Na telófase I, os cromossomos homólogos migram para polos opostos da célula.

b) O centrômero fica sempre localizado em uma das extremidades do cromossomo, na telófase II da meiose.

c) Na prófase da mitose, cada cromossomo é constituído por duas cromátides.

d) No período G1 da interfase, cada cromossomo é constituído por duas cromátides.

e) O nucléolo é a região do cromossomo pela qual ele se une às fibras do fuso na metáfase da mitose.

34. (COVEST) Uma evidente diferença existente entre a anáfase da mitose e as anáfases I e II da meiose é que os cromossomos em migração para os polos celulares são:

a) Irmãos nas anáfases I e II e homólogos na anáfase da mitose.

b) Homólogos nas anáfases I e II e irmãos na anáfase da mitose.

c) Homólogos na anáfase I e irmãos na anáfase II e na anáfase da mitose.

d) Irmãos na anáfase I e anáfase da mitose e homólogos na anáfase II.

e) Irmãos nas anáfases I e II e na anáfase da mitose.

35. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – Em um ser com 2n igual a 6, a figura abaixo representa a metáfase II.

35.0

1  1 – Com  base nas figuras a seguir que representam células de raiz de cebola em diversas fases da mitose, a sequência correta em que essas fases ocorrem é IV → II → I → III → V.

35.1

2  2 –  As sementes de uma determinada planta, cujo número cromossômico 2n = 24, foi embebida em uma solução. Após a germinação, as plantas apresentaram 48 cromossomos. Com base no exposto, pode-se concluir que a solução continha colchicina.

3  3 – Quando uma célula diploide sofre  meiose, o  seu número de cromossomos é reduzido a 1/4.

4  4 – Considerando a partir do  período G2,  quando uma  célula diploide sofre meiose, o seu número de DNA é reduzido a 1/4.

36. (CONVESUNC-SP) Os movimentos cromossômicos representados nas figuras A e B, correspondem, respectivamente, a:

36

a) Anáfase de mitose e anáfase II da meiose.

b) Anáfase I da meiose e anáfase da mitose.

c) Anáfase da mitose e anáfase I da meiose.

d) Anáfase I da meiose e anáfase II da meiose.

e) Anáfase I da meiose e metáfase da mitose

37. (UNIRIO) Nas figuras abaixo, as células A e B, respectivamente, encontram-se em processo de divisão celular.

37

Identifique, entre as opções apresentadas abaixo, a que caracteriza as fases do processo de divisão celular e o tipo de célula, se animal ou vegetal, referentes às respectivas figuras A e B.

a) Anáfase I de meiose de célula animal; metáfase de mitose de célula vegetal.

b) Anáfase I de meiose de célula vegetal; anáfase de mitose em célula animal.

c) Metáfase I de meiose em célula vegetal; anáfase I de meiose em célula vegetal.

d) Telófase II de célula animal; anáfase de mitose em célula animal.

e) Interfase de célula vegetal; anáfase de célula animal.

38. (U. F. OURO PRETO) Depois que a carioteca se desintegra, os cromossomos são presos às fibras do fuso mitótico pelos centrômeros. O nome que se dá à fase, quando os cromossomos se dispõem na região equatorial da célula é:

a) Anáfase.

b) Interfase.

c) Metáfase.

d) Prófase.

e) Telófase.

39. (UFV) Como reconhecimento de seus trabalhos pioneiros relacionados ao ciclo celular, Leland H. Hartwell, Tim Hunt e Paul Nurse receberam o Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia em 2001. Com relação ao ciclo celular em eucariotos, assinale a afirmativa correta:

a) A célula em G1 perde as suas atividades metabólicas.

b) A síntese de DNA e RNA é mais intensa durante a fase G2.

c) A fase S caracteriza-se principalmente por intensa atividade nucleolar.

d) Em células totalmente diferenciadas o ciclo é suspenso em S.

e) A célula em G1 possui metade da quantidade de DNA comparada a G2.

40. (UERJ) O gráfico I adiante mostra a relação entre a velocidade de crescimento da célula e seu ciclo de divisão celular, em um organismo de vida livre, como a levedura, em condições favoráveis de nutrição. Foi testada, experimentalmente, a mesma relação em condições desfavoráveis de nutrição, obtendo-se o resultado expresso no gráfico II:

40

(Adaptado de ALBERTS, B. et al., “Biologia Molecular da Célula”.  Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.)

Quanto à reação dessas leveduras a condições desfavoráveis de nutrição, podem-se perceber as seguintes consequências, respectivamente, em relação à maior massa atingida pela célula e à duração do ciclo de divisão celular:

a) Diminui – diminui.

b) Diminui – não se altera.

c) Aumenta – não se altera.

d) Não se altera – aumenta.

41. (CESGRANRIO) Os esquemas 1 e 2, mostrados abaixo, representam estágios funcionais do núcleo celular e estão relacionados com a divisão celular, eles nos permitem afirmar que:

41

I. O processo 1 ocorre na mitose e o processo 2 ocorre na meiose.

II. Tanto o processo 1, quanto o processo 2 ocorrem na meiose, enquanto  o processo 2 não se encontra na mitose.

III. Os processos 1 e 2 ocorrem tanto na meiose, quanto na mitose.

Assinale:

a) Se somente I for verdadeira.

b) Se somente I e III forem verdadeiras.

c) Se somente II for verdadeira.

d) Se somente III for verdadeira.

e) Se somente I e II forem verdadeiras.

42. (PUC-MG) Para um determinado organismo multicelular, os termos crescimento e desenvolvimento são frequentemente utilizados como sinônimos. No entanto, o termo crescimento é mais bem empregado para definir o aumento de tamanho por multiplicação celular ou aumento de volume celular. O termo desenvolvimento é mais apropriado para definir o processo de diferenciação celular, normalmente associado com o crescimento e com a geração de diversidade morfológica e funcional em um organismo multicelular. Sobre esse assunto, é correto afirmar, exceto:

a) As células somáticas de um organismo possuem normalmente o mesmo genoma.

b) Mutações e recombinações gênicas são os principais responsáveis pela diversificação dos tipos celulares de um organismo.

c) Diferenciação celular é um processo comum que envolve regulação da expressão gênica em animais e vegetais.

d) Seres multicelulares que realizam reprodução sexuada podem apresentar diferenciação celular em seu desenvolvimento.

43. (UDESC) Assinale a alternativa correta quanto à característica da meiose.

a) Quando sofre mutações, estas são do tipo somáticas e induzem a célula à apoptose.

b) Garante a manutenção das características genéticas ao longo dos anos.

c) Garante a variabilidade genética da espécie, através do crossing-over.

d) Reduz as características genéticas do indivíduo pela metade, ou seja, incompletas.

e) Reduz as características da célula, por isso requer uma nova duplicação do material genético.

44. (PUC-RS) Sabe-se que durante o desenrolar do ciclo celular os cromossomos adquirem configurações diversas. Na figura abaixo estão representadas duas delas, que podem ser encontradas, respectivamente, na:

44

a) Metáfase e anáfase.

b) Anáfase e telófase.

c) Interfase e prófase.

d) Interfase e anáfase.

45. (UFPA) A meiose é um processo de divisão celular em que o número de cromossomos é reduzido à metade nas células-filhas. A divisão reducional ocorre na:

a) Divisão I da meiose porque há a separação dos cromossomos homólogos.

b) Divisão II da meiose porque a duplicação cromossômica apenas precede a divisão I.

c) Divisão II da meiose porque as células formadas são diploides.

d) Divisão II da meiose porque ocorre a separação das cromátides-irmãs.

e) Divisão I da meiose porque cada cromossomo está formado por duas cromátides.

46. (UNESP) Em relação ao esquema abaixo, relacionado com o ciclo de vida de um animal de reprodução sexuada são feitas as afirmações a seguir:

46

I. Os quadros 1 e 2 correspondem, respectivamente, aos estágios haploide e diploide.

II. O número 3 corresponde à meiose e esta favorece um aumento da variabilidade genética.

III. O número 4 corresponde à mitose e esta ocorre somente em células germinativas.

IV. O número 5 corresponde à fertilização, onde ocorre a combinação dos genes provenientes dos pais.

Estão corretas as afirmações;

a) I e II, apenas.

b) I e IV, apenas.

c) II e IV, apenas.

d) I, II e III, apenas.

e) II, III e IV, apenas.

47. (ACAFE-SC) Em relação à mitose, são feitas as afirmativas abaixo:

I. A condensação gradual da cromatina que culmina com a formação dos cromossomos caracteriza a prófase.

II. A disposição dos cromossomos na placa da zona equatorial de uma célula caracteriza a metáfase.

III. Após a divisão longitudinal dos cromossomos e a migração dos cromossomos filhos para os polos da célula, haverá reconstrução dos envoltórios nucleares durante a anáfase.

Assinale:

a) Se somente I e II estiverem corretas.

b) Se somente II e III estiverem corretas.

c) Se somente I e III estiverem corretas.

d) Se somente II estiver correta.

e) Se I, II e III estiverem corretas.

48. (UFSC) A meiose caracteriza-se pela ocorrência de apenas uma duplicação do material genético para cada duas divisões nucleares, e é responsável pela formação de células haploides a partir de células diploides. Em relação a esse tipo de divisão celular, assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I   II

0  0 – A redução, pela metade, do número cromossômico confere à meiose uma importância fundamental na manutenção do número constante de cromossomos da espécie.

1  1 – A primeira divisão meiótica é reducional, enquanto a segunda é equacional, já que a partir delas são formadas duas células diploides e quatro células haploides, respectivamente.

2  2 – As anáfases I e II são semelhantes entre si, à medida que os centrômeros se dividem, e as cromátides de cada díade migram para os polos da célula.

3  3 – Na anáfase I, ocorre a separação dos pares de homólogos, havendo a migração polar dos cromossomos duplicados.

4  4 – Na metáfase I, os pares de cromossomos homólogos duplicados encontram-se na placa equatorial da célula.

49. (CESGRANRIO) Considerando-se células da linhagem germinativa de um indivíduo que possui dois pares de cromossomos assinale a alternativa que representa a anáfase da segunda divisão meiótica.

49

50. (UEL) Na figura abaixo, está representado um par de homólogos de uma célula na prófase I da meiose.

50

Considerando a figura, as sequências de genes que poderão ser encontradas nas células resultantes da meiose serão:

a) ABC; Abc; aBc; abc.

b) ABC; AbC; aBC; abc.

c) ABC; AbC; aBc; abc.

d) ABC; Abc; aBC; abc.

e) ABC; aBC; aBc; abc.

51. Assinale a alternativa correta:

a) A meiose apresenta uma divisão celular para cada duplicação do material genético.

b) A meiose apresenta duas divisões celulares para uma duplicação do material genético.

c) Na mitose não há duplicação do material genético.

d) Na meiose as células-filhas são idênticas à célula-mãe.

52. (UFF) Examine as seguintes afirmativas referentes ao ciclo celular:

I. Quando uma célula sai do período S da interfase, apresenta o dobro de DNA.

II. Se a célula não estiver em processo de divisão, ocorre pouca atividade metabólica no núcleo interfásico.

III. Divisão celular é um processo que sempre dá origem a duas células geneticamente iguais.

IV. Na anáfase da primeira divisão da meiose não ocorre divisão dos centrômeros.

V. As células germinativas sofrem mitose.

As afirmativas verdadeiras são indicadas por:

a) I e II.

b) I e III.

c) I, IV e V.

d) II e III.

e) II, III e V.

53. (FUVEST) No reino das plantas, organismos multicelulares haploides:

a) Produzem esporos por meiose.

b) Crescem por divisões meióticas de suas células.

c) Produzem gametas por mitose.

d) São encontrados apenas em ambientes aquáticos.

e) Originam-se diretamente de uma fecundação.

54. (PUC-SP) No esquema abaixo, está representada uma célula em anáfase mitótica. Com base nesse esquema, pode-se dizer que o organismo do qual proveio tal célula apresenta um cariotipo com:

54

a) 8 cromossomos acrocêntricos.

b) 8 cromossomos metacêntricos.

c) 4 cromossomos acrocêntricos.

d) 4 cromossomos metacêntricos.

e) Todos os cromossomos acrocêntricos.

55. (COVEST) A divisão celular é um processo complexo geneticamente controlado. A geração e o desenvolvimento dos organismos dependem da capacidade de divisão das células. Com relação à divisão celular, é correto afirmar que:

a) Apesar de ser chamada interfase, nesta fase do ciclo celular, ocorrem importantes processos metabólicos como a duplicação de DNA e produção de RNA.

b) Uma célula 2n, ao sofrer mitose, originará quatro células n, não recombinantes.

c) A primeira divisão da meiose é um processo equacional semelhante à mitose.

d) Os nucléolos são orgânulos que aparecem na célula durante a prófase e auxiliam na desintegração da carioteca.

e) Enquanto a divisão do citoplasma (citocinese) ocorre por estrangulamento (de fora para dentro) na célula vegetal, na célula animal ela é centrípeta (de dentro para fora).

56. (UFCE) No preparo do cariótipo humano se faz necessário que os cromossomos se apresentem bastante individualizados, como mostra a figura abaixo.

56

A fase da mitose favorável a essa individualização cromossomial, como mostra a figura anterior, é a:

a) Anáfase.

c) Prófase.

b) Telófase.

d) Metáfase.

57. (UEL) Considere os seguintes eventos:

I. Recombinação genética

II. Segregação de cromossomos homólogos

III. Segregação de cromátides irmãs

IV. Alinhamento dos cromossomos na placa equatorial.

Desses, os que ocorrem tanto na mitose quanto na meiose são apenas.

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

58. (FATEC) Leia com atenção as afirmativas a seguir.

I. Durante a interfase os cromossomos se duplicam.

II. Na prófase os cromossomos migram para os polos opostos.

III. Na metáfase os cromossomos atingem o máximo de espiralização.

Dessas afirmativas.

a) Apenas I e III são corretas.

b) I, II e III são corretas.

c) São corretas apenas I e II.

d) Apenas I é correta.

e) São corretas apenas II e III.

59. (FUVEST) Um pesquisador fez o seguinte desenho de uma célula observada ao microscópio óptico.

59

Pode tratar-se de uma célula de:

a) Ovário.

b) Sangue.

c) Linfa.

d) Medula óssea.

e) Pele.

60. (UEL) Considere os processos de divisão celular:

a. Mitose.

b. Meiose.

Considere também os seguintes eventos.

I. As células-filhas recebem um cromossomo de cada par de homólogos.

II. Durante o processo, há emparelhamento dos homólogos.

III. Durante o processo, os cromossomos ligam-se às fibras do fuso celular.

IV. As células-filhas e a célula-mãe têm o mesmo número de cromossomos.

A associação correta entre os processos de divisão celular e os eventos considerados é.

a) I a, II a+b, III b, IV a.

b) I a, II a, III b, IV a+b.

c) I b, II a+b, III a, IV b.

d) I b, II b, III a+b, IV a.

e) I a+b, II b, III b, IV a.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

FVFVF

D

D

D

C

B

B

FVFFF

C

VFVFV

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

FVVVF

D

C

B

VFVVF

A

D

FFVVV

D

FVFVF

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

FVVVV

B

A

A

VFFFF

D

B

FVFFV

D

FFFFF

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

C(II,III,VI)

B

C

C

FFVFV

C

B

C

E

D

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

E

B

C

D

A

C

A

VFFVV

D

C

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

B

C

C

D

A

D

E

A

A

D

 

 

 

Publicado por: Djalma Santos | 31 de dezembro de 2012

Os números de 2012

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

About 55,000 tourists visit Liechtenstein every year. This blog was viewed about 1.100.000 times in 2012. If it were Liechtenstein, it would take about 20 years for that many people to see it. Your blog had more visits than a small country in Europe!

Clique aqui para ver o relatório completo

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 231 outros seguidores