Publicado por: Djalma Santos | 9 de abril de 2011

Testes sobre cadeias e teias alimentares (2/4)

01. (UFAL) Observando a história em quadrinhos abaixo, que ilustra de forma bem humorada como a natureza funciona, é correto concluir que:

01

a) Animais consumidores um dia se tornarão presas.

b) As plantas podem agir como consumidores finais da cadeia alimentar.

c) Ocorre aumento do saldo energético de um nível trófico para outro, dos produtores aos decompositores.

d) O mimetismo é comum em vários grupos animais como estratégia para capturar as presas.

e) As relações entre os animais da cadeia alimentar ilustrada são desarmônicas e intraespecíficas.

02. (UNICENTRO) O fitoplâncton é o combustível que move os ecossistemas marinhos, disse o principal autor do estudo, Daniel Boyce, professor da Universidade Dalhousie, na província canadense da Nova Escócia. Um declínio afeta toda a cadeia alimentar, inclusive os humanos, afirmou. O ritmo deste declínio, maior nas regiões polares e tropicais coincidiu com o ritmo com que se aquecem as temperaturas da superfície dos oceanos, como resultado das mudanças climáticas, acrescentou o estudo. Como todas as plantas, o fitoplâncton precisa de luz do sol e nutrientes para crescer. Mas oceanos mais quentes ficam mais estratificados, criando uma “zona morta” na superfície, aonde menos nutrientes chegam das camadas mais profundas. Segundo os cientistas, as descobertas são preocupantes. (AMBIENTE…, 2010).

O texto retrata a importância do fitoplâncton e os danos causados pelo seu declínio na natureza. Diante do exposto no texto e dos conhecimentos sobre ecologia, é correto afirmar:

a) O fitoplâncton está entrando em processo de extinção natural, independente da ação humana.

b) A preocupação com o fitoplâncton tem a sua justificativa devido à sua importância no processo de decomposição dos seres vivos aquáticos.

c) O fitoplâncton marinho pode ser representado pelos protozoários, pequenos crustáceos e larvas de diversas espécies.

d) O fitoplâncton é representante do segundo nível trófico, dessa forma o seu declínio aumenta a população de produtores, prejudicando a iluminação das águas oceânicas.

e) A diminuição do fitoplâncton no meio marinho reduz a produção do oxigênio e altera a cadeia alimentar devido à diminuição de matéria orgânica disponível.

03. (UFJF) Compostos tóxicos não biodegradáveis, como organoclorados e metais pesados descartados continuamente, nos corpos de água, sobretudo pelas indústrias, vão se depositando no ambiente, podendo causar problemas de saúde nos organismos. Como consequência desse fenômeno, espera-se:

a) Maior concentração desses compostos no fitoplâncton, porque serão diretamente atingidos por essa contaminação, do que no zooplâncton.

b) Menor concentração desses compostos nas plantas aquáticas do que nas semiaquáticas, por estas últimas viverem mais tempo (durante anos).

c) Maior concentração desses compostos nos peixes herbívoros, que se alimentam de folhas e frutos das plantas ribeirinhas, do que nos girinos, que se alimentam do fitoplâncton.

d) Maior concentração desses compostos nos peixes carnívoros, que se alimentam de girinos e de peixes menores, do que no fitoplâncton.

e) Concentrações semelhantes desses compostos em todos os organismos citados, independentemente da sua posição na cadeia alimentar.

04. (UFAC) A pirâmide de biomassa é uma representação gráfica da quantidade de matéria orgânica acumulada nos diferentes níveis tróficos. Na figura abaixo, podemos observar duas dessas pirâmides.

04

Assinale a alternativa correta:

a) A pirâmide representada pela letra A é de um ambiente aquático (exemplo: oceano ou lago).

b) A pirâmide representada pela letra B não é uma configuração possível para representação da variação da biomassa nos níveis tróficos.

c) A pirâmide representada pela letra B é de um ambiente terrestre (exemplo: floresta ou savana).

d) A pirâmide representada pela letra B é de ambiente aquático (exemplo: oceano ou lago).

e) Observando-se as pirâmides, podemos concluir que os indivíduos do segundo nível trófico apresentam maior biomassa.

05. (UEFS) A ilustração abaixo representa uma pirâmide de energia de uma determinada cadeia alimentar.

05

Em relação a essa pirâmide, pode-se afirmar que:

a) O fluxo de energia se desloca dos produtores para os consumidores, retornando para os produtores devido à ação dos decompositores.

b) O nível dos consumidores terciários apresenta uma maior quantidade de energia acumulada, se comparado aos níveis inferiores.

c) Os fluxos de energia e matéria viabilizam a manutenção do metabolismo celular através de sua ação cíclica nos sistemas vivos.

d) Os produtores fazem parte do único elo indispensável para a manutenção do equilíbrio de uma cadeia alimentar, ao longo do tempo.

e) Variações significativas no tamanho populacional dos consumidores primários devem provocar alterações nas populações de todos os outros níveis tróficos representados.

06. (UFPB) Sabe-se que os organismos necessitam de energia para realizar suas funções vitais, como metabolismo e reprodução, e que essa energia pode ser obtida de diversas formas e fontes, as quais permitem agrupar os organismos em diferentes níveis tróficos. Considerando os diversos níveis tróficos e a forma de obtenção de energia pelos organismos, identifique as afirmativas corretas:

I   II

0  0 – Produtores obtêm, via de regra, energia a partir da luz do sol.

1  1 – Onívoros obtêm energia a partir de plantas e de outros animais.

2  2 – Herbívoros obtêm energia a partir de tecidos dos produtores.

3  3 – Decompositores obtêm energia a partir de outros organismos vivos.

4  4 – Carnívoros obtêm energia a partir de cadáveres e excretas de outros organismos.

07. (UFPR) Abaixo estão representados três exemplos de cadeias alimentares na coluna 2 e, na coluna 1, três pirâmides que expressam o número relativo de indivíduos em cada nível, numa situação de equilíbrio ecológico. Relacione as cadeias alimentares (coluna 2) com as pirâmides (coluna 1).

                                                                                                                             COLUNA 1

07

  COLUNA 2

  1. Árvore   → preguiças   → pulgas

  2. Árvore   → cotias    →  jaguatiricas

  3. Milho     →  roedores    → cobras

Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna 1, de cima para baixo.

a) 1 2 3.

b) 1 – 3 2.

c) 3 1 2.

d) 2 1 3.

e) 3 2 1.

08. (UFSM) Há cerca de 12 mil anos, os primeiros assentamentos humanos marcaram um período de transição comportamental entre o hábito caçador-coletor e o hábito agricultor. Essa transição foi muito importante para o sucesso dos humanos mais tarde. Sobre os processos ecológicos atuantes nessa relação entre humanos e ambiente, assinale a alternativa correta.

a) Na mudança de hábito de caçadores para agricultores, os humanos passaram, dentro da cadeia alimentar, de consumidores secundários ou terciários para produtores.

b) Nessa alteração de hábitos, os humanos não modificaram seu hábitat, que é o conjunto de interações adaptativas da espécie.

c) Na pirâmide de energia, é menos dispendioso ecologicamente consumir alimentos vegetais do que alimentos animais, pois há menor perda energética com o uso dos primeiros em comparação com o dos últimos.

d) Os agricultores interferem deliberadamente no ciclo do oxigênio, com o objetivo de obter maior produtividade em suas culturas através do uso de plantas leguminosas.

e) Desde os primeiros assentamentos humanos e a descoberta do fogo até os tempos atuais, com a revolução industrial, a espécie humana tem pouco contribuído para o aumento da concentração de CO2 na atmosfera

09. (UFPA) A vida na Terra só é possível graças à energia do Sol. Essa energia é armazenada nas ligações das moléculas orgânicas que formam os corpos dos seres vivos, sendo transferida ao longo de cada elo da cadeia alimentar. Em relação aos ecossistemas, é correto afirmar que essa energia:

a) Aumenta à medida que vai sendo transferida.

b) Mantém-se à medida que vai sendo transferida.

c) Diminui à medida que mudam os níveis tróficos.

d) Não se altera, pois a energia e a matéria são constantes nos ecossistemas.

e) Aumenta, porque, segundo a terceira lei da termodinâmica, a energia tende a aumentar no universo em expansão.

10. (UNINOEST) As relações de forrageio entre seres vivos podem ser representadas graficamente através da construção das chamadas pirâmides ecológicas. Com relação a essas representações gráficas, estão corretas todas as alternativas, exceto:

a) A pirâmide de biomassa é de forma direta nos ecossistemas terrestres, e que tem produtores com biomassa muito maior que os consumidores.

b) A pirâmide de biomassa é representada pelo peso seco consumido numa cadeia alimentar e expressa a quantidade de matéria orgânica por área.

c) A pirâmide de número representa o número de organismos que participa de uma determinada cadeia alimentar, e jamais poderá ser invertida.

d) A pirâmide de biomassa é invertida em ecossistemas aquáticos, onde os produtores são bem menores e consumidos em grande quantidade por consumidores cada vez maiores.

e) A pirâmide de energia jamais poderá ser invertida.

11. (UFRN) Em um ecossistema, as populações se organizam de modo a estabelecer entre si relações alimentares ou tróficas. O desenho a seguir trata, com humor, desse tema.

11

Com base no desenho acima, o qual representa um ecossistema marinho, é correto afirmar:

a) Os tubarões são consumidores primários, uma vez que se alimentam de peixes pequenos.

b) Os principais produtores desse ambiente são algas microscópicas.

c) Os tubarões são consumidores terciários, pois se alimentam de algas, plâncton e peixes menores.

d) Os principais decompositores desse ambiente são as cianobactérias e o zooplâncton.

12. (PUC-CAMPINAS) Ao queimar o bagaço da cana para obter energia o homem está desempenhando um papel comparável ao nível trófico dos:

a) Produtores primários.

b) Desnitrificantes.

c) Decompositores.

d) Predadores.

e) Parasitas.

13. (UFERSA) Indique qual das sentenças a seguir define corretamente o termo Nível Trófico.

a) Grupo de organismos que obtêm sua energia a partir da mesma parte da teia alimentar de uma comunidade ecológica.

b) Condição mínima sob a qual um organismo poderia sobreviver caso ele fosse o único no ambiente.

c) Papel funcional de uma espécie em relação a outras espécies e seu ambiente físico.

d) Movimento de curvatura de algumas espécies executado através de ação hormonal e orientado em relação a um agente externo.

14. (FURG) Em uma região rural brasileira, um criador de galinhas estava tendo prejuízos, pois muitas aves de sua criação estavam sendo mortas por ataque de animais silvestres predadores. O produtor concluiu que o responsável pelos ataques era um animal conhecido por cachorro-do-mato, comum nas matas da região, e resolveu preparar armadilhas para afastar tal invasor. A prefeitura da cidade contratou biólogos, para avaliar se realmente o cachorro-do-mato era o responsável pelos ataques. O esquema a seguir resume os resultados obtidos pelos pesquisadores e mostra algumas das interações que existem entre organismos que habitam o local. Entre parênteses está a porcentagem que cada item representa na alimentação diária de um cachorro-do-mato.

14

Os dados apresentados na figura permitem afirmar que:

a) As galinhas são uma das principais fontes de proteína animal para o cachorro-do-mato.

b) A eliminação do cachorro-do-mato pode causar um crescimento da população de roedores na região.

c) Com certeza, o cachorro-do-mato é responsável pelo ataque ao galinheiro em questão.

d) Os lagartos são imprescindíveis para a sobrevivência do cachorro-do-mato.

e) O cachorro-do-mato ocupa o primeiro nível trófico de um ecossistema.

15. (CEFET-SP) Considere o texto a seguir para responder esta questão.

Um dos mais devastados biomas do estado de São Paulo é o cerrado. Visto de longe parece uma vegetação pobre, seca, com árvores de galhos retorcidos e troncos grossos. O cerrado cobria originalmente 14% do território paulista, mas o processo de ocupação agrícola fez esse valor cair para menos de 1%. A mata atlântica, que recobria 80% do solo do estado, foi reduzida a 10%. A mata ciliar praticamente desapareceu. As demais vegetações sofreram marcas profundas.

(Nos caminhos da biodiversidade paulista, 2008)

O lobo-guará era encontrado no estado de São Paulo na região originalmente ocupada pelo cerrado. É considerado animal ameaçado de extinção por causa da expansão das terras cultivadas e da caça predatória. Alimenta-se de frutos de diversos vegetais e de animais como sapos, cobras, aves e alguns mamíferos. Atualmente, é possível encontrá-lo no estado:

a) De Goiás e pode ocupar o nível de consumidor primário ou secundário.

b) De Mato Grosso, atuando como consumidor primário ou decompositor.

c) De Sergipe, ocupando a posição de consumidor primário e predador.

d) Do Rio Grande do Sul e pode ocupar a posição de decompositor ou predador.

e) Do Ceará, atuando como consumidor terciário e predador.

16. (UEPA) A relação trófica a seguir é encontrada na Região de Manguezais no Estado do Pará.

16

A entrada de uma nova espécie de camarão, na relação trófica, o gigante da Malásia, causa preocupação em estudos apresentados pelo IBAMA, pois a nova espécie exótica (espécie proveniente de outra Região) é predadora do camarão-regional. A partir dos dados apresentados afirma-se que:

a) O nível trófico mais energético é o do cação.

b) A entrada da espécie exótica promoverá aumento da população de peixe-serra.

c) A população do caranguejo diminuirá com a introdução do gigante da Malásia.

d) A biomassa da pescada-amarela é maior do que a do camarão-regional.

e) Os peixes apresentados ocupam o mesmo nível trófico.

17. (UFJF) As pirâmides abaixo mostram a relação entre produtores (P), consumidores primários (C1), consumidores secundários (C2) e consumidores terciários (C3) de uma floresta tropical nos períodos de chuva e seca.

17

Analisando as pirâmides correspondentes aos períodos de chuva e de seca, é correto afirmar que ambas podem representar:

a) O número de indivíduos, o fluxo de energia e a biomassa dentro da cadeia trófica.

b) O número de indivíduos e o fluxo de energia dentro da cadeia trófica.

c) A biomassa e o fluxo de energia dentro da cadeia trófica.

d) A biomassa e o número de indivíduos dentro da cadeia trófica.

e) Somente a biomassa dentro da cadeia trófica.

18. (UEMS) No que diz respeito ao relacionamento ecológico entre os organismos: lambaris, jacarés, algas, onças e piranhas. São feitas as seguintes afirmações:

I. Numa pirâmide de biomassa constituída por esses organismos, é verificada uma inversão entre o quarto e quinto nível, contando-se da base ao topo da pirâmide.

II. Assim como as algas, os lambaris são considerados produtores primários devido ao grande número de indivíduos.

III. Em quase todos os ecossistemas, a cadeia alimentar é limitada a poucos níveis. Assim, ocorrem perdas de energia, por exemplo, entre os consumidores primários e os secundários.

Está (ão) correta (s):

a) Apenas III.

b) Apenas II e III.

c) Apenas I e III.

d) Apenas I e II.

e) Apenas I.

19. (PUC-MG) Os conceitos de cadeias alimentares e pirâmides ecológicas foram criados e descritos pela primeira vez em 1923 por Charles Elton durante suas observações da constituição e comportamento alimentar de toda uma comunidade animal em uma ilha do Ártico durante o verão. Com as pirâmides ele pode elaborar explicações para o fato observável de que animais grandes são raros enquanto animais pequenos, comuns.

Extraído de HICKMAN “Princípios Integrados de Zoologia” 11. ed. São Paulo: Guanabara-koogan, 2004.

19

A figura acima mostra uma típica pirâmide de energia com quatro níveis tróficos em um ecossistema. Com base na figura e em seus conhecimentos sobre o assunto, assinale a afirmativa incorreta.

a) Cada organismo na natureza tem seu próprio balanço energético, que é o resultado entre energia obtida e energia retida na sua massa corporal.

b) Espera-se que o desaparecimento do último nível trófico, representado pela águia, determine o aumento de todos os níveis tróficos anteriores.

c) Parte da energia perdida por um consumidor pode ser decorrente da não digestão completa dos alimentos ingeridos.

d) É esperado que os roedores retenham um percentual menor da energia adquirida na sua alimentação do que as cobras quando a temperatura ambiente é baixa.

20. (UFMS) O diagrama abaixo representa uma pirâmide de energia. Com relação a essa pirâmide, assinale a alternativa correta.

20

a) O nível I representa os produtores.

b) No nível II, é encontrado um organismo decompositor.

c) A pirâmide poderia ter a forma invertida se representasse I – uma árvore, II – pulgões e III – protozoários.

d) A unidade utilizada para representar esse tipo de pirâmide é o número de indivíduos.

e) A maior quantidade de energia é encontrada no nível trófico II.

21. (FGV-SP) As figuras apresentam pirâmides ecológicas que expressam, graficamente, a estrutura dos níveis tróficos de uma cadeia alimentar em termos de energia, biomassa ou número de indivíduos. A base das pirâmides representa os produtores, no primeiro nível trófico.

21

Das quatro figuras apresentadas, pode-se dizer corretamente que:

a) As figuras 1 e 4 podem representar pirâmides de energia.

b) A figura 1 é a única que pode representar uma pirâmide de biomassa.

c) A figura 2 pode representar uma pirâmide de biomassa na cadeia alimentar fitoplâncton zooplâncton.

d) A figura 3 é característica de uma pirâmide macacos piolhos.

e) A figura 4 pode representar uma pirâmide de energia na cadeia alimentar capim ratos cobras.

22. (Esal-MG) Em uma cadeia alimentar com produtor, consumidor primário, consumidor secundário e consumidor terciário, pode-se afirmar que:

a) Por causa da multiplicação da energia que ocorre quando essa passa pelos consumidores de primeira e segunda ordem, o consumidor terciário incorpora maior quantidade de energia do que os outros dois níveis de consumo.

b) A quantidade de energia que o consumidor terciário assimila do alimento é igual à quantidade de energia da luz assimilada pelo produtor.

c) A quantidade de energia disponível diminui do produtor aos consumidores, em decorrência das perdas com a atividade vital.

d) Como a energia é transferida ao longo da cadeia, todos os níveis dessa cadeia assimilam a mesma quantidade, independentemente de serem consumidores primários, secundários ou terciários.

e) A energia é cíclica já que, quando um consumidor morre, a energia acumulada por ele volta ao produtor.

23. (UFPB) As figuras Ie II representam duas pirâmides de um mesmo ecossistema. A pirâmide Ié de biomassa (gramas/m2) e a II, de energia (calorias/m2/dia).

23

Considerando as figuras, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0  – O fluxo de energia, na pirâmide II, diminui de A para C.

1 1 – O nível trófico A caracteriza-se por apresentar organismos que se reproduzem rapidamente.

2  2 – A produção primária líquida, na pirâmide II, independe da respiração.

3  3 – As pirâmides  I e II podem  representar os  níveis tróficos de  um ecossistema  de mar aberto.

4  4 – Os organismos do nível trófico A caracterizam-se por armazenarem muita energia em seus tecidos.

24. (UFMG) Analise o gráfico abaixo, em que estão representados dados obtidos em um estudo sobre a cadeia alimentar presente em determinada área:

24

Considerando-se essas informações, é correto afirmar que as curvas I, II e III representam, respectivamente, populações de

a) Capim, gafanhotos e sapos.

b) Capim, sapos e gafanhotos.

c) Sapos, capim e gafanhotos.

d) Sapos, gafanhotos e capim.

25. (PUC-MG) Observe o esquema de a rede alimentar a seguir:

25

Considerando a possibilidade de que você possa inserir-se nessa teia, em diferentes posições, assinale a afirmativa incorreta.

a) Em 1, 5 e 8, você seria heterótrofo em um nível trófico com maior disponibilidade energética.

b) Em nenhuma posição como vegetariano você poderia ser também carnívoro.

c) Nas posições 2 e 3, você seria carnívoro de sequências tróficas diferentes.

d) Em apenas duas posições você seria consumidor primário homeotérmico.

26. (FUVEST) A energia luminosa fornecida pelo Sol:

a) É fundamental para a manutenção das cadeias alimentares, mas não é responsável pela manutenção da pirâmide de massa.

b) É captada pelos seres vivos no processo da fotossíntese e transferida ao longo das cadeias alimentares.

c) Tem transferência bidirecional nas cadeias alimentares por causa da ação dos decompositores.

d) Transfere-se ao longo dos níveis tróficos das cadeias alimentares, mantendo-se invariável.

e) Aumenta à medida que é transferida de um nível trófico para outro nas cadeias alimentares.

27. (UEPB) Um biólogo representou de forma esquemática (esquema abaixo) os resultados de uma pesquisa feita no açude de Bodocongó–Campina Grande/PB sobre teia alimentar ali existente. Sabendo-se que os peixes dessa comunidade servem de alimento para as aves locais, pode-se dizer que, nessa teia alimentar, essas aves se comportam como:

27

a) Consumidores de segunda e terceira ordens.

b) Consumidores de terceira e quarta ordens.

c) Consumidores de terceira ordem, apenas.

d) Consumidores de quarta ordem, apenas.

e) Consumidores de segunda ordem, apenas.

28. (UFLA) Analise o esquema abaixo que representa uma cadeia alimentar e, a seguir, assinale a alternativa que identifica o indivíduo X.

28

a) O indivíduo X é um produtor.

b) O indivíduo X é apenas consumidor de 3ª ordem.

c) O indivíduo X é apenas consumidor de 1ª ordem.

d) O indivíduo X é apenas consumidor de 2ª ordem.

e) O indivíduo X é um decompositor.

29. (UNESP) Uma determinada espécie de camarão foi introduzida em um lago. A figura abaixo representa a variação nos tamanhos populacionais do camarão, de uma espécie de peixe e de uma espécie de ave que vivem no lago, observada nos anos seguintes, como consequência da introdução do camarão.

29

O esquema que melhor representa a inclusão da espécie de camarão na estrutura trófica desse lago é:

29B

 

30. (PUC-RIO) Em relação à transferência nutricional entre os seres vivos é correto afirmar:

a) Não existe perda de biomassa ao longo de uma cadeia alimentar.

b) A magnificação trófica é maior nos indivíduos autotróficos.

c) Os heterotróficos produzem O2 como subproduto de sua respiração.

d) Somente os indivíduos fotossintéticos podem ser autotróficos.

e) Os onívoros podem ocupar vários níveis tróficos de uma teia alimentar.

GABARITO

 

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
D E D D E VVVFF C C C C
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
B C A B A C D A B A
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
C C VVFVF D D B A E D E

 

 

Anúncios

Responses

  1. Não entendi a 04! Como assim letra d?
    Como pode ser possível a pirâmide B? a quantidade de energia de um nível trófico para outro sempre não é sempre menor? l

    • Prezado Eduardo
      – A questão não se refere à pirâmide de energia e sim à pirâmide de biomassa, como consta no enunciado (“… A pirâmide de biomassa é uma representação gráfica da quantidade de matéria orgânica acumulada nos diferentes níveis tróficos. Na figura abaixo, podemos observar duas dessas pirâmides. …”).
      – Atente para a explicação a seguir:
      * A PIRÂMIDE DE MASSA (BIOMASSA) PODE SER INVERTIDA
      Embora, geralmente, a massa dos produtores seja maior que a dos consumidores, há casos em que a pirâmide de massa se apresenta invertida, sendo a massa de produtor menor do que a dos consumidores primários. Esse tipo de pirâmide ocorre em alguns ecossistemas aquáticos, onde os produtores são constituídos pelo fitoplâncton, que serve de alimento, principalmente, para pequenos crustáceos que compõem o zooplâncton. A explicação para esse aparente contraste está relacionada com a capacidade de reprodução das algas e dos crustáceos. Enquanto elas se reproduzem com elevada rapidez, os crustáceos apresentam reprodução muito mais lenta. Dessa forma, em um determinado momento, a massa de algas da superfície pode se encontrar pequena, porque os crustáceos estão se alimentando delas. Elas, no entanto, devido ao seu elevado ritmo reprodutivo repõem rapidamente os indivíduos que são consumidos. Fica evidente que se a produtividade, que leva em conta o tempo, tivesse sido medida, e não a biomassa apenas, a pirâmide seria bem mais larga na base.
      – ALTERNATIVA CORRETA: D [“… A pirâmide representada pela letra B é de ambiente aquático (exemplo: oceano ou lago). …”]
      Um forte abraço
      Djalma Santos

  2. Na questão 27, não entendi porque as aves são consideradas como consumidores de 2 ordens. Para mim, pelo o que eu vejo no esquema, os peixes se alimentam de apenas peixes. então, algas(produtores) -> insetos(consumidores primários) -> peixes ( secundários ) -> Aves deveria ser, então, consumidores terciários. Mas porquê é considerado que eles são consumidores de segunda e terceira ordem? Para mim, é apenas a terceira ordem. Eu ficaria com o item c) =/

    • Prezado Theo
      ALTERNATIVA CORRETA: A (“Consumidores de segunda e terceira ordens.”)
      JUSTIFICATIVA
      – Consumidor de segunda ordem ao se alimentarem de moluscos.
      * Algas: produtores.
      * Moluscos: consumidores primários.
      * AVES: CONSUMIDORES SECUNDÁRIOS.
      – Consumidor de terceira ordem ao se alimentarem de peixes, com você afirma.
      Sucesso
      Djalma Santos

  3. afirmação 4 da questão 23 é falsa? Produtores não se caracterizam por possuirem uma grande quantidade de energia em seus tecidos?

    • Caro Marcelo
      Veja, a seguir, a explicação que você solicitou.
      ALTERNATIVA 4 4 (“Os organismos do nível trófico A caracterizam-se por armazenarem muita energia em seus tecidos.”) – INCORRETA
      – Embora, geralmente, a massa dos produtores seja maior que a dos consumidores, há casos em que a pirâmide de massa se apresenta invertida, sendo a massa dos produtores menor do que a dos consumidores primários (figura I da questão). Esse tipo de pirâmide ocorre em alguns ecossistemas aquáticos, onde os produtores são constituídos pelo fitoplâncton, que serve de alimento, principalmente, para pequenos crustáceos que compõem o zooplâncton. A explicação para esse aparente contraste está relacionada com a capacidade de reprodução das algas e dos crustáceos. Enquanto elas se reproduzem com elevada rapidez, os crustáceos apresentam reprodução muito mais lenta. Dessa forma, em um determinado momento, a massa de algas da superfície pode se encontrar pequena, porque os crustáceos estão se alimentando delas. Elas, no entanto, devido ao seu elevado ritmo reprodutivo repõem rapidamente os indivíduos que são consumidos.
      – Atente que na figura I a biomassa dos produtores (A) é menor que a dos consumidores primários (B). Como a energia está na biomassa, quanto menor a biomassa, menor a energia.
      Djalma Santos

      • Se a afirmação do senhor for correta, “quanto menor a biomassa, menor a energia”, então existiria piramide de energia invertida, mas não existe piramide de energia invertida. A piramide II da questão 23 mostra a quantidade de calorias por área, sendo (A) maior que os outras do níveis trófico, então tem mais energia com menos massa por área, pois na piramide I mostra menos massa por metro quadrado, só que com maior energia por metro quadrado, isso contradiz o que o senhor falou. Pode me explicar melhor?

      • Pirâmide ecológica: representação gráfica de uma cadeia alimentar, sendo formada por uma série de retângulos, representando os diversos níveis tróficos da cadeia. No estudo de um ecossistema, é importante que se estabeleça uma avaliação quantitativa que mostre os diversos níveis tróficos ocupados. Isso pode ser feito através de gráficos na forma de pirâmides. Uma pirâmide ecológica (trófica ou alimentar) é formada por uma série de retângulos superpostos, representando os diversos níveis tróficos de a cadeia alimentar. Na base das pirâmides, são representados, sempre, os produtores. Os decompositores são representados por uma linha lateral ou por um retângulo destacado da pirâmide.
        Tipos de pirâmides ecológicas: há três tipos de pirâmides ecológicas: pirâmide de número (ou frequência), pirâmide de massa (ou biomassa) e pirâmide de energia.
        I. Pirâmide de número: mostra o número de indivíduos em cada nível trófico. Ela é construída com a superposição de retângulos da mesma altura e comprimento proporcional ao número de indivíduos existentes em cada nível trófico. Na pirâmide típica, o número de indivíduos diminui a cada nível trófico. Nesse caso, são necessários muitos produtores para alimentar um pequeno número de herbívoros (consumidor primário) que, por sua vez, servirão de alimento a um número menor de carnívoros.
        O retângulo da base representa os produtores, sobre o qual se apoia o retângulo que representa os consumidores primários, seguido do retângulo que representa os consumidores secundários, terciários e assim sucessivamente. A pirâmide de número pode ser invertida. Uma única árvore, por exemplo, pode sustentar um grande número de insetos que, por sua vez, servem de alimento para um número ainda maior de protozoários parasitas. Essa pirâmide não possui muito valor descritivo. Ela apresenta o inconveniente de igualar os organismos, sem levar em conta seu tamanho e sem representar, de modo adequado, a quantidade de matéria orgânica existente nos diversos níveis.
        II. Pirâmide de massa (biomassa): mostra a biomassa contida em cada nível trófico de uma cadeia alimentar. Apesar de ser mais representativa do que a de número, ela apresenta o inconveniente de não levar em consideração o fator tempo, uma vez que as biomassas podem ter sido acumuladas em alguns dias ou em centenas de anos. Embora, geralmente, a massa dos produtores seja maior que a dos consumidores, há casos em que a pirâmide de massa se apresenta invertida, sendo a massa de produtor menor do que a dos consumidores primários. Esse tipo de pirâmide ocorre em alguns ecossistemas aquáticos, onde os produtores são constituídos pelo fitoplâncton, que serve de alimento, principalmente, para pequenos crustáceos que compõem o zooplâncton. A explicação para esse aparente contraste está relacionada com a capacidade de reprodução das algas e dos crustáceos. Enquanto elas se reproduzem com elevada rapidez, os crustáceos apresentam reprodução muito mais lenta. Dessa forma, em um determinado momento, a massa de algas da superfície pode se encontrar pequena, porque os crustáceos estão se alimentando delas. Elas, no entanto, devido ao seu elevado ritmo reprodutivo repõem rapidamente os indivíduos que são consumidos. Fica evidente que se a produtividade, que leva em conta o tempo, tivesse sido medida, e não a biomassa apenas, a pirâmide seria bem mais larga na base.
        III. Pirâmide de energia: representa a quantidade de energia disponível em cada nível trófico da cadeia alimentar. Ao contrário das pirâmides de número e de massa, a de energia nunca se mostra invertida, pois um nível trófico tem sempre maior quantidade de energia disponível que o nível seguinte, sendo, sem dúvida, a pirâmide que melhor representa a cadeia alimentar.
        Djalma Santos

  4. Na questão 21, qual o erro da alternativa D?

    • Aleixa
      Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA: C (“A figura 2 pode representar uma pirâmide de biomassa na cadeia alimentar fitoplâncton → zooplâncton.”)
      – A figura 2 pode representar uma pirâmide de biomassa na cadeia alimentar fitoplâncton → zooplâncton. É um exemplo característico de pirâmide de biomassa invertida, quando os produtores (fitoplâncton) reproduzem-se rapidamente de maneira a renovar continuamente o estoque de matéria orgânica disponível.
      COMPLEMENTO
      A PIRÂMIDE DE MASSA PODE SER INVERTIDA
      Embora, geralmente, a massa dos produtores seja maior que a dos consumidores, há casos em que a pirâmide de massa se apresenta invertida, sendo a massa de produtor menor do que a dos consumidores primários. Esse tipo de pirâmide ocorre em alguns ecossistemas aquáticos, onde os produtores são constituídos pelo fitoplâncton, que serve de alimento, principalmente, para pequenos crustáceos que compõem o zooplâncton. A explicação para esse aparente contraste está relacionada com a capacidade de reprodução das algas e dos crustáceos. Enquanto elas se reproduzem com elevada rapidez, os crustáceos apresentam reprodução muito mais lenta. Dessa forma, em um determinado momento, a massa de algas da superfície pode se encontrar pequena, porque os crustáceos estão se alimentando delas. Elas, no entanto, devido ao seu elevado ritmo reprodutivo repõem rapidamente os indivíduos que são consumidos. Fica evidente que se a produtividade, que leva em conta o tempo, tivesse sido medida, e não a biomassa apenas, a pirâmide seria bem mais larga na base.

      ALTERNATIVA A (“As figuras 1 e 4 podem representar pirâmides de energia.”) – INCORRETA
      * O fluxo de energia é decrescente e a pirâmide 4 representativa apresenta o vértice voltado para cima.
      COMPLEMENTO
      A pirâmide de energia representa a quantidade de energia disponível em cada nível trófico da cadeia alimentar. Ao contrário das pirâmides de número e de massa, a de energia nunca se mostra invertida, pois um nível trófico tem sempre maior quantidade de energia disponível que o nível seguinte, sendo, sem dúvida, a pirâmide que melhor representa a cadeia alimentar.
      ALTERNATIVA B (“A figura 1 é a única que pode representar uma pirâmide de biomassa.”) – INCORRETA
      * A pirâmide de biomassa, assim como a de energia, apresenta-se com o vértice voltado para cima, pois a biomassa dos produtores quase sempre é maior que a dos consumidores do nível acima. Contudo, em alguns casos, uma biomassa aparentemente pequena de produtores pode sustentar uma biomassa maior de consumidores primários. Isso ocorre quando os produtores se reproduzem rápida e continuamente, como no caso do fitoplâncton que se renova a um ritmo rápido o suficiente para garantir nutrientes para consumidores de maior biomassa (ver A PIRÂMIDE DE MASSA PODE SER INVERTIDA, mencionada a justificativa da alternativa C).
      ALTERNATIVA D (“A figura 3 é característica de uma pirâmide → macacos → piolhos.”) – INCORRETA
      * Quando o produtor é de grande porte e o consumidor primário é de porte maior que o consumidor secundário, caso da árvore → macacos → piolhos, a pirâmide apresenta-se com o vértice voltado para baixo (figura 4 e não a 3).
      ALTERNATIVA E (“A figura 4 pode representar uma pirâmide de energia na cadeia alimentar capim → ratos → cobras.”) – INCORRETA
      * Para a cadeia alimentar descrita (4), a figura poderia representar uma pirâmide de números, mas não de energia (ver COMPLEMENTO contido na justificativa da alternativa A).
      Djalma Santos

  5. Professor, você pode me explicar porque na questão 5 as alternativas A e C estão incorretas?

    • Veja, abaixo, a explicação que você solicitou.
      ALTERNATIVA A (“O fluxo de energia se desloca dos produtores para os consumidores, retornando para os produtores devido à ação dos decompositores.”) – INCORRETA
      ALTERNATIVA C (“Os fluxos de energia e matéria viabilizam a manutenção do metabolismo celular através de sua ação cíclica nos sistemas vivos.”) – INCORETA
      – O fluxo da matéria é cíclico, enquanto o fluxo da energia é acíclico.
      Djalma Santos

  6. Professor, eu não consigo entender por que a alternativa D da questão 19 está correta.

    • ALTERNATIVA D (“É esperado que os roedores retenham um percentual menor da energia adquirida na sua alimentação do que as cobras quando a temperatura ambiente é baixa.”) – CORETA
      – Em função do roedor ser homeotérmico, “gasta”, da sua alimentação, uma certa fração de energia para manter sua temperatura interna constante. Assim sendo, a maior parte da energia térmica presente no seu organismo é gerada a partir dos processos metabólicos. Em situação de desconforto térmico, os homeotérmicos ativam o sistema termorregulador. O mesmo não ocorre com a cobra, que é pecilotérmica. Dessa forma, o percentual de energia nos roedores é menor, considerando a energia adquirida na alimentação, do que nas cobras. Ver COMPLEMENTO, a seguir.
      COMPLEMENTO
      Os homeotérmicos conseguem manter sua temperatura corporal constante na presença de variações significativas de temperatura ambiente. Essa característica traz vantagens e desvantagens. Os homeotérmicos podem sobreviver em uma ampla variedade de ambientes e podem ficar ativos no inverno. Porém, eles precisam ingerir mais alimento que outros animais, pois para manter sua temperatura necessitam de processos metabólicos que demandam grande quantidade de energia.
      Djalma Santos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: