Publicado por: Djalma Santos | 22 de abril de 2011

Testes de histologia vegetal (2/4)

01. (UEL) A figura a seguir é uma fotomicrografia ao microscópio óptico de estômato de Tradescantia, em vista frontal:

01

Os estômatos são responsáveis pela regulação das trocas gasosas e pela transpiração nos vegetais. A concentração de CO2 e a temperatura atmosférica são fatores ambientais que influenciam no controle do mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos.

                           (Adaptado de: AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. Biologia dos Organismos. São Paulo: Moderna. 2004. v. 2, p. 232.)

Com base na figura, no texto e nos conhecimentos sobre o processo de abertura e fechamento de estômatos, assinale a alternativa que explica corretamente as razões fisiológicas pelas quais a luz influencia nesse processo.

a) Na ausência de luz, as células-guarda recebem íons Na+, perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se murchas e, como consequência, o ostíolo se fecha.

b) Na presença de luz, as células-guarda eliminam íons K+, perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se flácidas e, como consequência, o ostíolo se fecha.

c) Na ausência de luz, as células-guarda eliminam íons Na+, absorvem água por osmose, tornam-se túrgidas e, como consequência, o ostíolo se abre.

d) Na presença de luz, as células-guarda recebem íons K+, absorvem água por osmose, tornam-se túrgidas e, como consequência, o ostíolo se abre.

e) Na presença de luz, as células-guarda recebem íons Na+, perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se flácidas e, como consequência, o ostíolo se abre.

02. (UEPG) Sobre o que é correspondente à definição de meristema, assinale o que for correto.

I   II

0 0 – Todos os tecidos de um animal e de um vegetal se originam dos meristemas, por crescimento e diferenciação. A partir dessa diferenciação originam-se muitos tecidos permanentes, todos bastante especializados em uma única função.

1  1 – Os meristemas podem ser primários ou secundários, dependendo da sua capacidade de permanecer ou não realizando meioses. Nos meristemas primários essa capacidade é contínua, podendo ser constatada no alargamento de caules e raízes.

2  2 – Os tecidos permanentes mais comuns, provenientes da diferenciação dos meristemas, são: parênquimas, tecidos tegumentares, tecidos secretores, tecidos de sustentação e tecidos condutores.

3  3 – Nas regiões subterminais da ponta de caules e de raízes, pouco abaixo do meristema apical, fica uma zona de alongamento, com as células em distensão e também em início de diferenciação, pois já aparecem os pequenos vasos condutoresem formação. Essesdois meristemas apicais determinam, portanto, o crescimento longitudinal do caule e da raiz.

4 4 – Se os meristemas passam por um período sem meioses e depois promovem o crescimento das pontas dos caules e raízes, eles são chamados de meristemas secundários.

03.  (UFJF) Analise as afirmativas abaixo, sobre a origem e as características morfofuncionais da epidermenos vegetais.

I. Origina-se do meristema fundamental, localizado nas extremidades do caule e da raiz.

II. Além da função de revestimento, também está envolvida na realização da fotossíntese.

III. É substituída pela periderme em órgãos que desenvolvem crescimento secundário.

IV. Possui células especializadas para realização de trocas gasosas e secreção de substâncias diversas.

Estão corretas as afirmativas:

a) I e II.

b) I e III.

c) I e IV.

d) II e III.

e) III e IV.

04. (UEM) Com relação aos tecidos e aos órgãos vegetais, assinale o que for correto.

I    II

0  0 – As trocas gasosas que ocorrem no caule áspero e rugoso de uma planta com crescimento secundário são possíveis graças aos estômatos presentes na epiderme.

1  1 – A epiderme é substituída pela endoderme nos vegetais que apresentam súber na fase de crescimento secundário.

2  2 – Os pulgões, parasitas de plantas, são alimentados pela seiva retirada do floema, em que há substâncias orgânicas.

3  3 – Ao ser cortado o ápice de um caule, surgem ramos novos em decorrência da ação dos meristemas secundários (câmbio vascular e felogênio).

4  4 – Um ramo com flores brancas apresentou algumas pétalas coloridas ao ser colocado em um recipiente contendo água de cor vermelha. O xilema é o tecido envolvido diretamente nesse processo.

05. (UNICAMP) Devido ao calor e à seca no verão de 2003 na França, um carvalho que havia sido plantado em 1681 morreu e teve que ser cortado, restando apenas parte do seu tronco de 5,5 mde circunferência. Se não houvesse registros da data do seu plantio, a idade da árvore poderia ser estimada pelo número de anéis de crescimento presentes no tronco. Os anéis de crescimento são encontrados em dicotiledôneas e não em monocotiledôneas devido à:

a) Atividade do felogênio e porque as monocotiledôneas não têm crescimento secundário.

b) Variação na atividade do câmbio e porque as monocotiledôneas não formam câmbio.

c) Variação na atividade do câmbio e porque as monocotiledôneas não espessam o tronco.

d) Atividade do súber e porque as monocotiledôneas não formam câmbio.

06. (UEPB) Assim como os animais, os vegetais apresentam diversos tipos de tecidos em sua constituição. Entre os tecidos vegetais verificam-se os meristemas, primário e secundário, com células pouco diferenciadas e alto poder proliferativo, promovendo o crescimento das plantas. Tomando como base o meristema secundário, analise a figura abaixo e classifique as legendas, quanto a sua nomenclatura e sua função:

06

a) A – Súber, tecido morto, reveste raízes e caules; B – Felogênio, tecido vivo com poder proliferativo; C – Feloderme, parte da periderme constituída por camada(s) de células parenquimáticas, originadas por divisão das células do felogênio; D – Câmbio, principal responsável pelo crescimento da planta.

b) A – Súber, tecido morto, reveste apenas caules; B – Felogênio, tecido vivo de constituição; C – Feloderme, tecido originado do suber; D – Câmbio, principal responsável pelo crescimento da planta.

c) A – Súber, tecido morto, reveste apenas raízes; B – Felogênio, tecido vivo com poder proliferativo; C – Feloderme, tecido originado da periderme; D – Câmbio, principal responsável pelo crescimento da planta, pois forma o vaso lenhoso.

d) A – Súber, tecido vivo, reveste raízes e caules; B – Felogênio, tecido vivo com poder de substituição; C – Feloderme, parte da periderme originada por divisão das células do câmbio; D – Câmbio, principal responsável pelo crescimento da planta, pois forma o vaso lenhoso e o vaso liberiano.

e) A – Súber, tecido vivo, reveste raízes e caules; B – Felogênio, tecido vivo com poder proliferativo; C – Feloderme, parte da periderme originada por divisão das células do câmbio; D – Câmbio, principal responsável pelo crescimento da planta, pois forma apenas o vaso liberiano.

07. (UFJF) Alguns tecidos, as zonas da raiz e os tipos de crescimento em que ocorrem são apresentados abaixo:

I. Feloderme, presente na zona de maturação ou diferenciação celular, durante o crescimento secundário.

II. Protoderme, presente na zona de multiplicação ou divisão celular, durante o crescimento secundário.

III. Endoderme, presente na zona de maturação ou diferenciação celular, durante o crescimento primário.

IV. Epiderme, presente na zona de multiplicação ou divisão celular, durante o crescimento primário.

Indique a alternativa que apresenta todos os itens corretos.

a) I e III.

b) I e IV.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

08. (UPE) Uma planta vascularizada, ou seja, uma fanerógama cresceu por ação hormonal. Depois de adulta, sofreu uma podação, ou seja, os seus galhos foram cortados. Entretanto o seu caule e as suas folhas voltaram a crescer. O crescimento longitudinal e transversal num vegetal ocorre graças à ação do tecido:

a) Meristemático.

b) Parenquimatoso.

c) De sustentação.

d) De revestimento e transporte.

e) De proteção.

09. (UFPel) Ao avaliarem o comportamento de plantas de soja sob condições de alagamento, Pires et al. (2002) observaram, através de cortes anatômicos, a presença de aerênquima em raízes adventícias, como mostra a figura abaixo. Essa formação de aerênquima, segundo os autores, é semelhante ao que ocorre em arroz-irrigado.

09

            PIRES, J.L.F et al. Adaptações morfofisiológicas da soja em solo inundado. Pesquisa agropecuária brasileira, v.37, n.1, p.41-50, 2002. Disponível em:http://www.scielo.br/img/fbpe/pab/v37n1/7546f1.jpg [adapt.]

Com base em seus conhecimentos e nos textos, é correto afirmar que o aerênquima observado na soja é um tecido:

a) Parenquimático, composto por células mortas, que tem a função de conduzir o oxigênio para as raízes que estão em condições de alagamento.

b) Esclerenquimático, composto por células mortas, que tem a função de conduzir o oxigênio para as raízes que estão em condições de alagamento.

c) Esclerenquimático, composto por células vivas, que tem a função de dar sustentação para as raízes que estão em condições de alagamento.

d) Parenquimático, composto por células vivas, que tem a função de conduzir o oxigênio para as raízes que estão em condições de alagamento.

e) Vascular, composto por células vivas, que tem a função de conduzir a seiva elaborada para as raízes que estão em condições de alagamento.

10. (UFLA) Apresentam-se, a seguir, três proposições I, II e III. Cada proposição contém mais de uma afirmativa.

I. Os tecidos de sustentação da planta são o colênquima e o esclerênquima. As principais diferenças entre esses dois tecidos residem na estrutura das paredes celulares e nas condições do protoplasto.

II. Os meristemas apicais ocorrem nos ápices de raízes e caules das plantas vasculares. A atividade desses meristemas causa um aumento em espessura desses órgãos.

III. O sistema vascular das traqueófitas é constituído pelo xilema, que é o principal tecido condutor de água e íons minerais, e pelo floema, que é o tecido condutor de substâncias orgânicas elaboradas pela fotossíntese.

Assinale a alternativa na qual a(s) proposição(ões) indicada(s) apresenta(m) todas as afirmativas corretas.

a) Somente a proposição III é totalmente correta.

b) Somente as proposições I e II são totalmente corretas.

c) Somente as proposições I e III são totalmente corretas.

d) Somente as proposições II e III são totalmente corretas.

11. (PUC-RIO) A figura a seguir é uma fotomicrografia de um corte de caule em uma dicotiledônea.

11

A estrutura assinalada com a letra A pertence a um tecido de condução de seiva bruta, cujas células são caracteristicamente mortas. A descrição do tecido refere-se ao:

a) Floema.

b) Xilema.

c) Meristema.

d) Colênquima.

e) Esclerênquima.

12. (UDESC) Os tecidos vegetais fundamentais são aqueles encarregados de uma série de funções, como preenchimento e sustentação. A respeito desses tecidos, analise cada proposição e assinale a(s) correta(s).

I   II

0  0 – O parênquima de reserva está presente em sementes, frutos, raízes e rizomas e tem como função o armazenamento de substâncias nutritivas.

1  1 – parênquima clorofiliano é o principal tecido de preenchimento de folhas, tendo por função a realização da fotossíntese.

2  2 – colênquima é formado por células vivas e é responsável pela sustentação de folhas, frutos e caules.

3  3 – parênquima aquífero está presente em plantas aquáticas, auxiliando na flutuabilidade desses vegetais.

4  4 – O esclerênquima é formado por células mortas, impregnadas de lignina, e é responsável pela sustentação de caules em crescimento.

13.(UPE)As características abaixo fazem parte de um tipo de tecido vegetal. Analise-as.

I. É constituído de células vivas.

II. Confere flexibilidade nos caules jovens, ao pecíolo das folhas e ao pedúnculo das flores.

III. Promove a sustentação da planta.

Com base nesses dados, é correto afirmar que o tecido correspondente é

a) Colênquima.

b) Felogênio.

c) Esclerênquima.

d) Parênquima.

e) Meristema primário.

14. (PUC-PR) Qual das alternativas abaixo mostra a relação correta entre os tecidos vegetais (coluna I) e suas respectivas funções (coluna II)?

COLUNA I

1. Súber

2. Meristemas

3. Colênquima

4. Xilema

COLUNA II

(_) Crescimento vegetal

(_) Transporte de seiva mineral

(_) Proteção

(_) Sustentação

a) 1, 2, 3, 4.

b) 2, 4, 1, 3.

c) 4, 3, 2, 1.

d) 3, 2, 4, 1.

e) 1, 4, 3, 2.

15. (UFLA) As células meristemáticas, quando examinadas ao microscópio óptico, mostram:

a) Núcleo grande.

b) Vacúolos grandes.

c) Paredes celulares espessas.

d) Tamanho grande.

16. Nos vegetais a transpiração é um mecanismo importante para promover o crescimento. Leia e analise as proposições abaixo.

I. A transpiração nos vegetais é estomatar e cuticular.

II. A transpiração nos vegetais ocorre apenas através dos estômatos.

III. A intensidade luminosa, a concentração de gás carbônico e o suprimento hídrico na planta influenciam na abertura dos estômatos.

IV. A teoria da coesão-distensão explica a condução da seiva bruta em decorrência da transpiração.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.

17. (UFSCar) Em presença de luz, as células estomáticas realizam fotossíntese e consomem CO2, diminuindo a concentração desse gás e tornando o hialoplasma dessas células alcalino. Com isso, determinadas enzimas, como a fosforilase, entram em ação, conforme representado no esquema.

17

A transformação do amido em glicose nas células estomáticas:

a) É responsável pela neutralização do meio intracelular.

b) Torna essas células mais murchas e mais concentradas.

c) Provoca aumento de concentração das células vizinhas.

d) Promove o movimento de fechamento do estômato.

e) Causa o aumento da pressão osmótica dessas células.

18. (UINIRIO) Um ramo de cravos com pétalas brancas foi colocado no interior de um vaso que continha solução de azul de metileno. Após alguns minutos, observou-se que as pétalas ficaram com coloração azulada. Assinale a melhor opção que explica o fenômeno biológico do transporte de seiva observada no experimento.

a) A solução de azul de metileno é seiva elaborada e foi conduzida às pétalas pelo lenho.

b) A solução de azul de metileno é seiva elaborada e foi conduzida às pétalas pelo líber.

c) A solução de azul de metileno é seiva bruta e foi conduzida às pétalas pelo xilema.

d) A solução de azul e metileno é seiva elaborada e foi conduzida às pétalas pelos estômatos.

e) Os pelos absorventes de caule são os principais responsáveis pela condução da seiva elaborada às pétalas.

19. (UECE)                          ANALISE O TEXTO ABAIXO:

Um tecido é formado por células que apresentam unidade funcional. Nos vegetais, a função do periciclo é ____________, do câmbio é ______________________ e dos meristemas apicais é __________________.

Assinale a alternativa que contém as funções que completam corretamente e na ordem o texto anterior.

a) Formar raízes laterais; formar vasos liberianos para fora e lenhosos para dentro; formar o corpo primário das plantas.

b) Formar a endoderme; promover o crescimento primário do caule e da raiz; formar o corpo secundário em plantas herbáceas.

c) Formar a epiderme na raiz; formar a casca do caule e da raiz; formar o corpo primário das plantas lenhosas.

d) Formar a casca do caule; permitir o crescimento secundário do caule; formar o corpo secundário das plantas lenhosas.

20. (URCA) Considere os variados tipos de parênquimas:

I. Amilífero

II. Aquífero

III. Clorofiliano

IV. Aerífero

Desses tecidos, o que fabrica produtos orgânicos e o que armazena esses produtos são, respectivamente:

a) I e II.

b) I e III.

c) III e II.

d) III e I.

e) III e IV.

21. (PUC-MINAS) As madeiras para fins comerciais apresentam características marcantes, como cor, propriedades físicas relacionadas com peso, dureza e resistência. São muito utilizadas na produção, por exemplo, de móveis domésticos e de escritório. É incorreto afirmar:

a) A madeira utilizada na confecção de móveis é constituída por lenho, com vasos condutores funcionais e não funcionais.

b) O lenho é tecido predominante em caules de árvores adultas, com duas partes distintas: o cerne e o alburno.

c) O alburno é a parte mais nova, mais periférica, com vasos condutores vivos, onde ocorre o transporte de seiva bruta.

d) O cerne é a parte mais velha e morta, de cor forte e mais resistente, com função de sustentação e não de transporte.

22. (UEPA) Com relação aos tecidos vegetais, assinale a(s) correta(s).

I   II

0 0 – Os meristemas apicais originam os meristemas primários: protoderme, meristema fundamental e procâmbio.

1  1 – No tecido parenquimático, as células armazenam amido e outras substâncias de reserva, estando envolvidas nas atividades de fotossíntese, armazenamento e secreção.

2 2 – Na epiderme foliar, as trocas gasosas são realizadas, principalmente, por inúmeros estômatos presentes, via de regra, em maior quantidade na face inferior da folha.

3 3 – Traqueídes e elementos de vaso são células condutoras do floema, de paredes lignificadas que se formam a partir do procâmbio.

4  4 – Fibras e esclereídes são tipos celulares que apresentam suas paredes impregnadas de lignina e estão relacionadas com a sustentação de planta.

23. (UNICENTRO) Sobre os tecidos vegetais assinale a alternativa incorreta.

a) Os tecidos meristemáticos são aqueles que promovem o crescimento dos vegetais e originam novos tecidos.

b) A epiderme é o tecido de revestimento de órgãos em crescimento primário, sendo substituída pela periderme em raízes e caules em crescimento secundário.

c) O parênquima é um tecido que apresenta diversas funções no corpo do vegetal, como, por exemplo, armazenamento de substancias.

d) O xilema é o tecido responsável pelo transporte de água e nutrientes no corpo da planta, podendo também assumir a função de sustentação por conter células resistentes reforçadas com lignina.

e) O floema é o tecido responsável pela condução dos produtos do metabolismo sendo constituído de células em sua maioria mortas e com parede reforçada com lignina.

24. (PUC-CAMPINAS) Para responder esta questão considere o texto abaixo.

O crescimento e o desenvolvimento das plantas dependem do funcionamento adequado de suas células componentes. A sobrevivência dessas células, por seu turno, depende das interações de uma variedade de constituintes químicos. Alguns, como os íons potássio e a água são pequenos até em escala atômica. Outros são relativamente grandes e compostos de átomos de carbono interligados, formando longas cadeias.

(Peter H. Raven, Ray F. Evert & Susan E. Eichhorn. Biologia vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. p. 17)

As plantas vasculares crescem por mais de um mecanismo, incluindo o de divisões mitóticas. O tecido vegetal cuja principal função é produzir novas células é o:

a) Lenhoso.

b) Liberiano.

c) Epidérmico.

d) Parenquimático.

e) Meristemático.

25. (UNIMONTES) O controle de trocas gasosas entre as plantas e seu meio geralmente é feito, principalmente, por estruturas especializadas. A figura a seguir mostra aspectos relacionados a essas estruturas. Analise-a.

25

De acordo com a figura e o assunto abordado, analise as alternativas abaixo e assinale a associação correta.

a) V – ostíolo.

b) VI – saída de água.

c) I – núcleo.

d) IV – células-guarda.

26. (UECE) Em relação aos tecidos vegetais podemos afirmar, corretamente.

a) O colênquima e o esclerênquima são clorofilados e formados por longas células vivas na maturidade.

b) O colênquima é um tecido, composto por células de paredes finas e flexíveis, que permite o crescimento das plantas.

c) O esclerênquima é formado por longas células lignificadas que se organizam em fibras responsáveis pela sustentação e proteção das plantas.

d) O parênquima aquífero é principalmente encontrado em plantas aquáticas.

27. (UFLA) Os afídeos são insetos sugadores que atacam as partes tenras das plantas. Sua alimentação é, basicamente, a seiva elaborada, que o floema transloca para todas as partes da planta. Para obtê-la, o inseto introduz seu estilete bucal nos seguintes elementos:

a) Vasos espiralados.

b) Traqueídeos.

c) Vasos anelados.

d) Tubos crivados.

e) Vasos reticulados.

28. (UNIPAC)O sistema tegumentar abrange a epiderme e todas as suas estruturas anexas, responsáveis pela proteção dos vários órgãos da planta. Sobre o sistema tegumentar, marque a opção incorreta:
a) Acúleos são estruturas que lembram espinhos, presentes nos caules das roseiras.
b) Estômatos são estruturas epidérmicas que garantem as trocas gasosas entre os tecidos internos das folhas e o meio.
c) Os ostíolos têm importante função na proteção das folhas contra o excesso de transpiração.
d) Lenticelas são formações glandulares, geralmente associada às flores, que elaboram uma solução açucarada, o néctar.

29. (UERN) A figura abaixo ilustra o clássico experimento de Malpighi em 1675, que revela um importante aspecto da fisiologia vegetal.

29

O tecido diretamente envolvido no fenômeno observado é o:

a) Xilema.

b) Colênquima.

c) Floema.

d) Esclerênquima.

e) Parênquima.

30. (FUVEST) Enquanto a clonagem de animais é um evento relativamente recente no mundo científico, a clonagem de plantas vem ocorrendo já há algumas décadas com relativo sucesso. Células são retiradas de uma planta-mãe e, posteriormente, são cultivadas em meio de cultura, dando origem a uma planta inteira, com genoma idêntico ao da planta-mãe. Para que o processo tenha maior chance de êxito, deve-se retirar as células:

a) Do ápice do caule.

b) Da zona de pelos absorventes da raiz.

c) Do parênquima dos cotilédones.

d) Do tecido condutor em estrutura primária.

e) Da parede interna do ovário.

GABARITO 

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

D

FFVVF

E

FFVFV

B

A

A

A

D

C

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

B

VVVFF

A

B

A

D

E

C

A

D

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

C

VVVFV

E

E

A

C

D

D

C

A

Anúncios

Responses

  1. Olá, professor! Fiquei intrigada com o gabarito da questão 30. Por que “do ápice do caule” e não “da parede interna do ovário”? Já que os óvulos estão lá dentro…

    • 30. (FUVEST) Enquanto a clonagem de animais é um evento relativamente recente no mundo científico, a clonagem de plantas vem ocorrendo já há algumas décadas com relativo sucesso. Células são retiradas de uma planta-mãe e, posteriormente, são cultivadas em meio de cultura, dando origem a uma planta inteira, com genoma idêntico ao da planta-mãe. Para que o processo tenha maior chance de êxito, deve-se retirar as células:
      a) Do ápice do caule.
      b) Da zona de pelos absorventes da raiz.
      c) Do parênquima dos cotilédones.
      d) Do tecido condutor em estrutura primária.
      e) Da parede interna do ovário.
      Prezada Bárbara
      Para que a clonagem de plantas tenha maior chance de êxito deve ser usado tecido meristemático. Considerando as opções contidas nesta questão, esse tecido se encontra no ápice do caule (ALTERNATIVA A).
      Para maiores detalhes ver MERISTEMAS, matéria publicada neste blog no dia 29/03/2012.
      Um abraço
      Djalma Santos

  2. Professor poderia me explicar a questão 7?

    • ALTERNATIVA I (“Feloderme, presente na zona de maturação ou diferenciação celular, durante o crescimento secundário.”) – CORRETA
      – Felogênio: origina-se da desdiferenciação (CRESCIMENTO SECUNDÁRIO) de células adultas do córtex, que READQUIREM a capacidade proliferativa. Multiplicando-se, o felogênio produz células para fora e para dentro do corpo do vegetal. As células produzidas para fora se diferenciam e terminam constituindo o súber (ou felema), tecido morto que reveste as raízes e os caules de plantas arbustivas e arbóreas. AS CÉLULAS PRODUZIDAS PARA O LADO INTERNO FORMAM A FELODERMA (OU FELODERME), TECIDO VIVO com função de preenchimento. O conjunto formado pelo felogênio, súber e feloderma constitui a periderme.
      ALTERNATIVA II (“II. Protoderme, presente na zona de multiplicação ou divisão celular, durante o crescimento secundário.”) – INCORRETA
      – Meristema primário: começa a se desenvolver muito cedo, ainda no embrião ou plântula. Da proliferação de suas células, resultará o crescimento longitudinal (em extensão) dos caules e das raízes, que é conhecido como CRESCIMENTO PRIMÁRIO. Esse meristema se localiza na região apical dos caules e na região subapical das raízes. Através da diferenciação celular, as células MERISTEMÁTICAS PRIMÁRIAS originam outros tipos de célula, fazendo com que surjam os diversos tecidos do caule e da raiz. O MERISTEMA PRIMÁRIO COMPREENDE A PROTODERME (dermatogênio), o meristema fundamental, o procâmbio e o caliptrogênio. A protoderme forma a epiderme, tecido que envolve e protege todo o corpo da planta.
      ALTERNATIVA III (“Endoderme, presente na zona de maturação ou diferenciação celular, durante o crescimento primário.”) – CORRETA
      – O córtex da raiz é a região entre a epiderme e o cilindro vascular, e tem origem a partir do meristema fundamental (MERISTEMA PRIMÁRIO). Esta região é formada por células parenquimáticas, isodiamétricas de paredes delgadas, com numerosos espaços intercelulares. Nas plantas aquáticas ou naquelas que crescem em solos pantanosos pode haver a formação de um aerênquima na região cortical, para facilitar a aeração interna do órgão. O parênquima cortical da raiz é aclorofilado, exceto em raízes aéreas e em algumas espécies aquáticas. Frequentemente, as células do parênquima cortical apresentam amido como substância de reserva. A CAMADA INTERNA DO CÓRTEX, DIFERENCIA-SE EM UMA ENDODERME e, frequentemente, as raízes desenvolvem uma ou mais camadas de células diferenciadas, na periferia do córtex, que se forma logo abaixo da epiderme denominada de exoderme.
      ALTERNATIVA IV (“Epiderme, presente na zona de multiplicação ou divisão celular, durante o crescimento primário.”) – INCORRETA
      – O meristema primário compreende a protoderme, o meristema fundamental, o procâmbio e o caliptrogênio. A protoderme forma a epiderme, tecido que envolve e protege todo o corpo da planta. A epiderme defende a planta contra ataques microbianos, impede a perda excessiva de água e permite a troca de gases usados na respiração e na fotossíntese.
      – Epiderme: é a camada de células mais externa do corpo primário da planta, constituindo o sistema dérmico das folhas, dos órgãos florais, dos frutos e das sementes, bem como dos caules e das raízes até que eles sofram considerável crescimento secundário. Nos órgãos aéreos, as paredes das células epidérmicas são cobertas por uma cutícula, constituída pricipalmente por cutina e cera, substâncias de natureza lipídica que minimizam a perda de água e protegem o vegetal contra o excesso de luz. O “brilho” que certas folhas apresentam, principalmente na face superior, relaciona-se com o fato da cutícula refletir muito bem os raios luminosos. Lembramos que a cutícula é especialmente desenvolvida nas xerófitas, plantas que vivem em climas secos. Na maioria das plantas, a epiderme possui apenas uma camada de células, justapostas e achatadas. Há, entretanto, casos em que as células da protoderme dividem-se paralelamente à superfície do órgão da planta, formando um epiderme múltipla (dotada de várias camadas). Como exemplo de estruturas dotadas de epiderme múltipla, citamos as raízes de algumas monocotiledôneas, incluindo orquídeas e as folhas do fícus italiano ou falsa seringueira (Ficus elastica). Admite-se que essa epiderme atua como um tecido de reserva de água.
      Djalma Santos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: