Publicado por: Djalma Santos | 1 de julho de 2011

Testes de genética (4/5)

01. (UFPel) O quadro mostra os genótipos e fenótipos da geração F2, oriundos do cruzamento entre um camundongo preto (aaPP) e um branco (AApp). A geração F1 (AaPp) apresenta a cor aguti (castanho-acizentado,na figura representada pelo cinza claro).

01

Com base em seus conhecimentos e no texto, é correto afirmar que, para o caráter cor da pelagem em camundongo, ocorre:

a) Segregação independente dos genes, em que a presença de pigmento na pelagem é dominante sobre a ausência de pigmentação, o que é determinado pelo alelo A.

b) Pleiotropia, em que o alelo Pcondiciona tanto a coloração preta quanto a aguti, sem efeito sobre o gene A.

c) Um efeito epistático, em que o alelo Pcondiciona a presença de pigmento, seja aguti – na presença do alelo A– ou seja preto – na presença do alelo a.

d) Segregação independente dos genes, em que a cor aguti é dominante, a branca é recessiva e a preta representa o resultado de uma mutação gênica.

e) Um efeito epistático, em que o alelo Pcondiciona a cor aguti, o alelo aa cor preta e o alelo pa cor branca.

02. (UEPG) O fator Rh é uma proteína que pode ou não ocorrer nas hemácias humanas. Quando ocorre, o indivíduo é Rh positivo (Rh+), e quando não ocorre, o indivíduo é Rh negativo (Rh). No caso da herança genética do fator Rh consideramos a ocorrência de “um par de alelos” com relação completa de dominância. A respeito do fator Rh, assinale o que for correto.

I   II

0  0 – A produção do fator Rh é condicionada por um alelo dominante (R), e a ausência do fator Rh é condicionada pelo alelo recessivo (r). Assim, como R e r são alelos, os indivíduos podem apresentar três genótipos para esse caráter.

1  1 – Os genótipos RR e Rr condicionam o fenótipo Rh+, e o genótipo rr condiciona o fenótipo Rh. A herança do fator Rh caracteriza monoibridismo.

2  2 – Um homem Rh somente produz espermatozoides r (recessivos), o que o impede de ter filhos Rh+.

3  3 – Uma mãe heterozigótica pode produzir óvulos com o alelo R e óvulos com o alelo r; portanto, ela pode ter filhos RR, Rr ou rr, dependendo do genótipo do pai.

4  4 – Um casal de progenitores Rh+ heterozigóticos tem 25% de probabilidade de gerar um filho Rh.

03. (UFJF) Uma forma simples para identificar se uma característica é determinada por um gene autossômico recessivo é:

a) Observar se a característica aparece somente em machos.

b) Observar se o gene é pleiotrópico.

c) Observar se um casal que não apresenta a característica tem descendentes que a apresentam.

d) Analisar o resultado de cruzamentos até, no máximo, a geração F3.

e) Analisar se a característica em questão aparece em mais de uma espécie.

04. (UEPA) Para que uma transfusão se concretize, há necessidade de um conhecimento prévio da tipagem de sangue do receptor e do sangue do doador, pois são inviáveis as transfusões em que o sangue doado contenha aglutinogênios que encontrarão no receptor as aglutininas contrastantes.

         (Cleusa Boischilia. Minimanual Compacto de Biologia, 2003.)

Sobre os termos em destaque, no texto, afirma-se que:

I. O primeiro é encontrado nas hemácias e o segundo está presente no plasma.

II. O segundo reage com certos polissacarídeos da membrana plasmática das hemácias.

III. A produção do primeiro é feita pelos alelos IA e IB que determina os tipos Anti-A e Anti-B.

IV. O primeiro e o segundo estão relacionados com o sistema ABO, sendo este último, exemplo de polialelia.

De acordo com as afirmativas acima, a alternativa correta é:

a) II e III.

b) I, III e IV.

c) II, III e IV.

d) I, II e IV.

e) I, II, III e IV.

05. (UESPI) Marcos, ao cursar Medicina na Faculdade, suspeita que não é filho biológico de Alfredo, pois, diferente de seu suposto pai, não possui lóbulo solto das orelhas. Considerando que tal característica genética é determinada por um alelo dominante, sendo que o homozigótico recessivo tem os lóbulos presos, podemos afirmar:

a) Marcos não poderia ser filho de Alfredo.

b) Se a mãe de Marcos for heterozigótica, haveria até 100% de chance de que ele nascesse com o lóbulo da orelha solto, dependendo do genótipo paterno.

c) Se Alfredo fosse homozigoto, Marcos teria 25% de chance de nascer com os lóbulos das orelhas presos, independente do genótipo da mãe.

d) Se Marcos tivesse genótipo heterozigoto igual ao do pai, seus filhos teriam 50% de chance de nascer com o lóbulo preso, independente do genótipo da mãe.

e) Se Marcos tivesse um irmão, haveria 75% de chance de que nascesse com os lóbulos da orelha presos como os dele.

06. (UEPB) Um indivíduo X, de genótipo ignorado, foi cruzado com o birrecessivo cd/cd, produzindo os seguintes descendentes:

8% CD/cd

42% Cd/cd

42% cD/cd

8% cd/cd

Os resultados acima expostos permitem concluir que:

a)O genótipo do indíviduo X é CcDdCis.

b)A distância entre os loci c e d no mapa genético é de 84 morganídeos.

c)A distância entre os loci c e d no mapa genético é de 16 morganídeos.

d)Os gametas parentais formados pelo indivíduo X são CD e cd.

e)Os gametas recombinantes formados pelo indivíduo X são Cd e cD.

 07. (UNCISAL) Um casal heterozigoto apresenta uma doença X, a qual é herdada devido a um gene dominante N. A probabilidade de esse casal ter o primeiro filho portador dessa doença é de:

a) 0%.

b) 25%.

c) 50%.

d) 75%.

e) 100%.

08. (UEAP) Estudos realizados em uma dada espécie de mamífero roedor permitiram verificar que nestes animais a pelagem preta era determinada por um gene autossômico dominante, e a branca, pelo seu alelo recessivo. Do cruzamento de indivíduos heterozigóticos, obteve-se uma descendência de 360 filhotes. Teoricamente, é de se esperar que entre esses filhotes o número de heterozigotos seja de:

a) 300 filhotes heterozigotos de pelagem preta.

b) 90 filhotes heterozigotos de pelagem preta.

c) 250 filhotes heterozigotos de pelagem preta.

d) 45 filhotes heterozigotos de pelagem preta.

e)180 filhotes heterozigotos de pelagem preta.

09. (UFG) No homem, a acondroplasia é uma anomalia genética, autossômica dominante, caracterizada por um tipo de nanismo em que a cabeça e o tronco são normais, mas os braços e as pernas são curtos. A letalidade dessa anomalia é causada por um gene dominante em dose dupla. Dessa forma, na descendência de um casal acondroplásico, a proporção fenotípica esperada em F1 é:

a) 100% anões.

b) 100% normais.

c) 33,3% anões e 66,7% normais.

d) 46,7% anões e 53,3% normais.

e) 66,7% anões e 33,3% normais.

10. (UNEMAT) Maria possui a anomalia genética autossômica recessiva chamada galactosemia. Indivíduos galactosêmicos apresentam, entre outras manifestações, a incapacidade de degradar a lactose existente no leite. Maria casou-se com João, homem normal, cujo pai era galactosêmico. Este casal teve dois filhos do sexo masculino e normais. Maria está grávida da terceira criança e quer saber qual a probabilidade desta criança ser do sexo feminino e ter a galactosemia. Assinale a alternativa correta.

a) 1/2.

b) 1/8.

c) 1/4.

d) 3/8.

e) 3/4.

11. (IF-CE) Em uma população de 100.000 indivíduos, em equilíbrio de Hardy-Weimberg, que apresenta uma frequência de indivíduos com o fenótipo canhoto de 9%, sendo o gene C o alelo de c, e ambos se encontrarem em cromossomos somáticos, as frequências das classes genotípicas CC, Cc e cc serão:

a) 50%, 41% e 9%.

b) 79%%, 12% e 9%.

c) 70%, 21% e 9%.

d) 49%, 42% e 9%.

e) 61%, 30% e 9%.

12. (UEM) Considere que a composição genética de uma população pode ser conhecida calculando-se as frequências de seus alelos e as frequências de seus genótipos. Analise os dados de duas populações hipotéticas, fornecidos na tabela, e assinale o que for correto.

POPULAÇÃO 1

POPULAÇÃO 2

Genótipos

N

Genótipos

N

AA

3.200

AA

2.400

Aa

5.000

Aa

4.000

aa

1.800

aa

3.600

Total

10.000

Total

10.000

N= número de indivíduos

 A = alelo dominante

a = alelo recessivo.

I   II

0  0 – A frequência do alelo a da população 1 é de 36%.

1  1 –  A frequência do alelo A da população 1 é maior do que a frequência do alelo A da população 2.

2 2 – A frequência dos genótipos AA, Aa e aa da população 1 é de 32%, 50% e 18%, respectivamente.

3  3 – A frequência do genótipo heterozigoto da população 2 é de 60%.

4  4 – Na população 2, a frequência do alelo recessivo é 12% maior do que a frequência do alelo dominante.

13. (UFF) Apesar da série de polêmicas sobre os efeitos negativos da mestiçagem racial discutidos no século XIX e referidos no texto de Marta Abreu, atualmente a ciência já estabelece que a identidade genética é o que realmente determina a incidência de doenças e anomalias presentes nas populações. Assim, a miscigenação pode diminuir a incidência dessas doenças, ao diminuir estatisticamente o pareamento de genes recessivos naquelas populações. O heredograma abaixo mostra a ocorrência de uma determinada anomalia em uma família.

13

A condição demonstrada no heredograma é herdada como característica:

a) Dominante autossômica.

b) Recessiva autossômica.

c) Recessiva ligada ao cromossomo Y.

d) Recessiva ligada ao cromossomo X.

e) Dominante ligada ao cromossomo X.

14. (UFC) Uma mulher negra, de 27 anos, tem cinco filhos, três meninos e duas meninas. Ocorre que três crianças são albinas. Exames comprovaram que o albinismo é do tipo óculo-cutâneo de herança autossômica recessiva (Tipo 1 – deficiência de tirosinase). A partir da leitura do texto, podemos afirmar que:

a) As meninas não poderiam ser afetadas pela anomalia.

b) A doença está relacionada à deficiência do aminoácido tirosina.

c) O pai biológico dessas crianças, obrigatoriamente, deve ser albino.

d) Os pais biológicos têm que ser portadores do gene do albinismo Tipo 1.

e) A doença afeta apenas a área dos olhos, com pouca pigmentação da íris.

15. (UPE) Da família Silva nasceu um casal de gêmeos. O menino apresentou, logo na infância, sintomas da agamaglobulinemia, condição hereditária recessiva ligada ao cromossomo X, que afeta o sistema imunológico. A menina, de nome Sandra, era normal. Sandra casou-se com um homem normal, e seu primeiro filho, do sexo masculino, também nasceu afetado pela agamaglobulinemia. A probabilidade de Sandra e seu esposo, na próxima gravidez, terem uma menina com agamaglobulinemia é:

a) 100%.

b) 75%.

c) 50%.

d) 25%.

e) zero.

16. (UEA) Mônica e Eduardo não são daltônicos: enxergam todas as cores do espectro. Contudo, o pai de Mônica é daltônico para o verde, enquanto o pai de Eduardo é daltônico para o vermelho. O daltonismo para o verde e o daltonismo para o vermelho são determinados por alelos recessivos de dois genes localizados em loci diferentes e ligados ao sexo. Pode-se dizer que, no caso de Mônica ficar grávida de Eduardo, a probabilidade de a criança ser do sexo masculino e ter herdado a característica:

a) Do avô materno é de 25%.

b) Do avô paterno é de 25%.

c) De ambos os avôs é de 50%.

d) De pelo menos um dos avôs é de 50%.

e) De qualquer um dos avôs é de 0%.

17. (UEFS) Mendel elaborou os princípios básicos da herança em plantas durante um período de aproximadamente nove anos. Seu trabalho culminou com uma aula pública em 1865 e um detalhado documento publicado em 1866. O artigo de Mendel apareceu em uma revista que era recebida por 120 bibliotecas, e ele mandou cópias para vários professores importantes. Entretanto, sua teoria não foi aceita. De fato, ela foi ignorada […]. (PURVES, 2006, p. 177)

Um dos motivos considerado como crucial para que o trabalho de Mendel tivesse sido ignorado pelos cientistas da época foi:

a) A utilização da ervilha-de-cheiro como material biológico estudado, já que não era habitual a utilização de trabalhos com hibridização de plantas pelos estudiosos do século XIX.

b) O pouco rigor metodológico utilizado por Mendel em seus experimentos, o que gerou pouca credibilidade nos resultados encontrados.

c) A abordagem matemática utilizada por Mendel na análise dos resultados obtidos, pois essa prática não era comum em experimentos biológicos da época.

d) A análise simultânea de sete características genéticas da espécie pesquisada, que levou a erros de inferência nos resultados obtidos.

e) O longo tempo necessário para conclusão dos trabalhos devido ao pequeno número de descendentes obtidos por geração, resultante da incapacidade de autofecundação da espécie analisada.

18. (UNEMAT) O heredograma a seguir mostra a incidência de polidactilia (presença de dedos extras nas mãos ou nos pés) em um grupo familiar. Considere que a característica está sendo condicionada por um par de genes.

18

Sabendo-se que os indivíduos marcados em negrito apresentam polidactilia, assinale a alternativa incorreta.

a) Trata-se de uma característica genética dominante.

b) A probabilidade do casal 6 x 7 ter um filho normal é de 25%.

c) Os indivíduos 1, 2, 4, 6, 7 e 19 são polidáctilos com genótipo heterozigoto.

d) O casal 10 x 11 tem 25% de probabilidade de gerar um filho com polidactilia.

e) Se o indivíduo 9 casar-se com uma mulher com genótipo igual ao de sua mãe, a probabilidade deste casal gerar um filho polidáctilo será de 50%.

19. (IFGD) Maria (III.12), cujos avô materno e avó paterna eram albinos, estava preocupada com a possibilidade de transmitir o albinismo para seus filhos. Para solucionar tal dúvida, desejava saber qual era a probabilidade de ser portadora deste alelo. Qual das alternativas a seguir corresponde à resposta correta ao questionamento de Maria?

19

a) 0.

b) 2/3.

c) 1/2.

d) 1/3.

e) 3/4.

20. (UFG) Se nenhum fator evolutivo atuar sobre uma população, as frequências de seus alelos permanecerão inalteradas ao longo das gerações. Com base nesse princípio, suponha uma população em equilíbrio gênico com 5.000 indivíduos, na qual as frequências dos alelos A e a, não ligados ao sexo, são, respectivamente, 0,8 e 0,2. Considerando o exposto, quantos indivíduos dessa população poderiam ter o genótipo AA?

a) 200.

b) 400.

c) 800.

d) 1600.

e) 3200.

21. (OBJETIVO-SP) O fenótipo de um indivíduo não resulta apenas de seu genótipo. O genótipo e o ambiente interagem para de terminar o fenótipo de um organismo. Variações ambientais como a luz, a temperatura e a nutrição podem afetar a tradução de um genótipo para um fenótipo. Algumas vezes, é possível determinar a proporção de indivíduos em um grupo com um dado genótipo que verdadeiramente apresenta o fenótipo esperado. Essa proporção é chamada de penetrância de um genótipo. Na espécie humana, a característica campodactilia, estado em que um ou mais dedos se apresentam fletidos, é causada por um gene dominante (C) com 75% de penetrância. No cruzamento de um homem heterozigoto para campodactilia com uma mulher normal, a proporção esperada de indivíduos afetados pela anomalia é de:

a) 12,5%.

b) 25%.

c) 37,5%.

d) 50%.

e) 75%.

22. (COVEST) Os trabalhos de Mendel constituem a pedra fundamental da Genética, ciência que se tem desenvolvido bastante ultimamente. Muito se aprendeu sobre a hereditariedade e sua natureza química, sobre os mecanismos de transmissão e sobre a expressão fenotípica das características. Com relação a esse tópico, analise as proposições seguintes.

I   II

0  0 – A distribuição da geração F2, mostrada na figura abaixo, oriunda do cruzamento de plantas com espigas de 11,7 cm de comprimento, é indicativa de herança poligênica; dois pares de alelos determinam a característica em questão.

22

1   1 – Indivíduos de fenótipo (AB), retrocruzados com indivíduos de fenótipo (ab), originaram uma descendência composta por: 41,5% (AB): 41,5% (ab): 8,5% (Ab): 8,5% (aB), o que é indicativo da existência de ligação gênica entre os locos A e B; locos que distam de 17 unidades de mapa.

2   2 – Apenas aves com penas verdes foram obtidas na F1 produzida a partir do cruzamento de machos de penas verdes com fêmeas de penas brancas. Na F2, originada do cruzamento de indivíduos F1, foi observada a seguinte distribuição fenotípica: 9 verdes: 3 amarelas: 3 azuis: 1 branco, o que indica interação gênica entre dois pares de alelos.

3   3 – No heredograma abaixo, ilustra-se a ocorrência de uma anomalia determinada pela ação de um gene recessivo. Entre os indivíduos citados, apenas os genótipos de I3 e II5 não podem ser determinados, com exatidão.

22B

4  4 – Uma pessoa que apresenta um corpúsculo de Barr, atrofia testicular e esterilidade, geralmente grande estatura e cariótipo 47, XXY, tem síndrome de Klinefelter.

23. (UNCISAL) A polidactilia é condicionada por um gene autossômico dominante. Ela é caracterizada por indivíduos que apresentam um dedo extranumerário. Alguns indivíduos de uma determinada família apresentavam o caráter conforme a genealogia apresentada a seguir.

23

O casal III-2 e III-3 deseja ter uma criança e procurou um geneticista para saber se poderia ter uma menina com polidactilia. O geneticista respondeu que a chance disso acontecer é de:

a) 1/2.

b) 1/4.

c) 1/6.

d) 1/8.

e) 3/8.

24. (UFPB) O heredograma, a seguir, refere-se a uma característica genética determinada por um par de alelos.

24

Um estudante, ao analisar esse heredograma, concluiu que a característica é condicionada pelo alelo recessivo. Essa conclusão foi possível a partir da análise dos dados relativos às características do casal formado pelos indivíduos:

a) 1 e 2 e de seus filhos 5, 6 e 7.

b) 3 e 4 e de seus filhos 8, 9 e 10.

c) 3 e 4 e de seu filho 10.

d) 7 e 8 e de seus filhos 12 e 13.

e) 7 e 8 e de sua filha 11.

25. (UNIMONTES) Considerando a utilização de técnicas de genética clássica e molecular, verificou-se que um gene relacionado à visão está localizado no genoma mitocondrial. Indivíduos cegos possuem o gene mutado. Num casal em que o pai é cego e a mãe tem visão normal, será apresentada a seguinte prole:

a) Filhas normais e filhos cegos.

b) Todos os filhos cegos.

c) Todos os filhos normais quanto à visão.

d) Filhos normais e filhas cegas.

26. (UTFPR) Em determinada espécie de planta, o gene A condiciona frutos vermelhos e seu alelo a condiciona frutos amarelos; o gene B condiciona plantas altas e seu alelo b condiciona plantas baixas. Considerando que esses dois loci gênicos se segregam independentemente, assinale qual dos cruzamentos abaixo possibilitaria ter descendentes nas seguintes proporções:

25% plantas altas com frutos vermelhos;

25% plantas altas com frutos amarelos;

25% plantas baixas com frutos vermelhos;

25% plantas baixas com frutos amarelos.

a) BbAa x BbAa.

b) BBAA x bbaa.

c) BBaa x bbAA.

d) BbAA x Bbaa.

e) BbAa x bbaa.

27. (UFC)                        LEIA O TEXTO A SEGUIR.

ESTUDANTE DESCOBRE NÃO SER FILHA DOS PAISEM AULA DE GENÉTICA

Uma aula sobre genética tumultuou a vida de uma família que viveem Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Uma estudante descobriu que não poderia ser filha natural dos pais. Miriam Anderson cresceu acreditando que Holmes e Elisa eram os seus pais. Na adolescência, durante uma aula de genética, ela entendeu que o tipo sanguíneo dos pais era incompatível com o dela.

                            Jornal Hoje – Rede Globo, 29/09/08.

Considerando que o tipo sanguíneo de Miriam seja O, Rh, assinale a alternativa que apresenta o provável tipo sanguíneo do casal que confirmaria o drama descrito na reportagem, ou seja, que Holmes e Elisa não poderiam ter gerado Miriam.

a) Pai: AB, Rh+ e mãe: O, Rh.

b) Pai: A, Rh+ e mãe: B, Rh+.

c) Pai: B, Rh e mãe: B, Rh.

d) Pai: O, Rh e mãe: A, Rh+.

e) Pai: B, Rh+ e mãe: A, Rh+.

28. (UNIMONTES) A figura abaixo apresenta um esquema de possíveis doações de sangue, considerando o sistema ABO que é determinado pelos alelos IA, IB e i. Cada círculo representa um indivíduo com determinado tipo sanguíneo e, as setas, as possíveis doações. Observe-a.

28

Considerando a figura e o assunto relacionado com ela, analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa incorreta.

a) O indivíduo AB possui aglutininas A e B.

b) O genótipo do indivíduo A pode ser homozigoto ou heterozigoto.

c) O aglutinógeno B está presente em dois indivíduos do esquema.

d) O alelo ipode estar presente em três indivíduos do esquema.

 29. (UEPA) “O sistema interétnico norte-americano tem, como base, o chamado jus sanguini (direito de sangue). No estado do Mississipi, por exemplo, quem tiver 1/8 de sangue negro será considerado, legalmente, da raça negra. Logo, a classificação racial tem como princípio a ‘pureza’ da raça branca (…)’’

                                        (Texto de George Zarur. http://www. georgezarur. com.br/pagina.php/51)

Sobre a substância em destaque no texto, afirma-se que:

I. As transfusões ocorrem entre pessoas com tipos compatíveis.

II. O pré-natal realizado nos serviços de saúde pode prevenir a ocorrência de casos de eritroblastose fetal.

III. A incompatibilidade entre tipos diferentes deve-se a uma reação imunológica entre substâncias dissolvidas no plasma e substâncias presentes na membrana das hemácias.

De acordo com as afirmativas acima, a alternativa correta é:

a) I.

b) II.

c) III.

d) I e II.

e) I, II e III.

30. (UFPA) Analise o heredograma a seguir, que demonstra a segregação de uma característica hereditária considerada em indivíduos afetados:

30

Considerada a análise, é correto afirmar:

a) A característica das fêmeas e macho afetados é recessiva.

b) A característica dos indivíduos afetados é dominante ligada ao sexo.

c) Os indivíduos 2 e 4 são heterozigotos.

d) Os indivíduos enumerados de 5 a 8 são homozigotos dominantes e os indivíduos de 9 a 11 são heterozigotos.

e) Os indivíduos 12 a 14 são homozigotos recessivos portadores letais.

31. (UEL) A hemofilia é uma doença hereditária recessiva ligada ao cromossomo sexual X, presente em todos os grupos étnicos e em todas as regiões geográficas do mundo. Caracteriza-se por um defeito na coagulação sanguínea, manifestando-se através de sangramento espontâneo que vão de simples manchas rochas (equimoses) até hemorragias abundantes.

Com base no enunciado e nos seus conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar.

a) Casamento de consanguíneos diminui a probabilidade de nascimento de mulheres hemofílicas.

b) Pais saudáveis de filhos que apresentam hemofilia são heterozigotos.

c) A hemofilia ocorre com a mesma frequência entre homens e mulheres.

d) As crianças do sexo masculino herdam o gene da hemofilia do seu pai.

e) Mulheres hemofílicas são filhas de pai hemofílico e mãe heterozigota para esse gene.

32. (UFPB) Em ervilhas, a característica caule longo é condicionada pelo alelo L, dominante em relação ao alelo l, que condiciona caule curto.  A característica cor verde das vagens é condicionada pelo alelo V, dominante em relação ao alelo v, que condiciona cor amarela das vagens. Foi feito um cruzamento de uma planta duplo homozigótica de caule longo e vagens amarelas com uma planta, também duplo homozigótica de caule curto e vagens verdes, originando a geração F1.  Indivíduos da geração Fforam cruzados com plantas duplo homozigóticas recessivas e produziram a seguinte descendência:

– 170 plantas de caules longos e vagens verdes;

– 169 plantas de caules longos e vagens amarelas;

– 168 plantas de caules curtos e vagens verdes;

– 171 plantas de caules curtos e vagens amarelas.

De acordo com os resultados obtidos nos cruzamentos, assinale a(s) afirmativa(s) correta(s).

I    II

0  0 – Os  alelos  para  as  duas  características  em  questão  apresentam  segregação independente.

1   1 – Os alelos para as duas características em questão estão localizados em diferentes pares de cromossomos.

2  2 – Na formação dos gametas dos indivíduos parentais do último cruzamento realizado, ocorreu permutação entre os alelos para altura do caule e cor da vagem.

3  3 – As características altura do caule e cor da vagem são condicionadas por dois pares de alelos que apresentam segregação independente, o que evidencia um caso de epistasia recessiva.

4  4 – As características altura do caule e cor das vagens são condicionadas por dois pares de alelos que apresentam segregação independente, mas que interagem entre si.

33. (FUVEST) O heredograma abaixo mostra homens afetados por uma doença causada por um gene mutado que está localizado no cromossomo X.

33

Considere as afirmações:

I. Os indivíduos 1, 6 e 9 são certamente portadores do gene mutado.

II. Os indivíduos 9 e 10 têm a mesma probabilidade de ter herdado o gene mutado.

III. Os casais 3-4 e 5-6 têm a mesma probabilidade de ter criança afetada pela doença.

Está correto apenas o que se afirma em:

a) I.

b) II.

c) III.

d) I e II.

e) II e III.

34. (UESPI) Considerando um teste de sangue para reconhecimento de paternidade e maternidade de Carlinhos, que possui genótipo ii, podemos afirmar que, se a suposta mãe de Carlinhos:

a) Tem genótipo IAIB, e o suposto pai tem genótipo IBIB, a criança teria de ter genótipos do tipo IAIAou IBIB.

b) Tem genótipo IAi, e o suposto pai tem genótipo IBi, a chance de eles serem pais da criança é de 50%.

c) Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo IBIB, a criança teria de ter sangue do tipo A para ser considerada filha do casal.

d) Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo ii, a chance de Carlinhos ser doador universal, caso fosse filho do casal, seria de 100%.

e) Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo IBi, ambos não podem ser os pais da criança.

35. (UFPR) Num estudo sobre uma família, representada no heredograma abaixo, constatou-se que  Antonio é afetado por uma anomalia causada pelo alelo recessivo de um gene ligado à porção ímpar do cromossomo X.

35

Considerando essa informação, é correto afirmar que são, com certeza, portadores(as) do alelo em questão:

a) Elisa e Nancy.

b) Adélia e Cláudia.

c) Nancy e Maria.

d) Rogério e Fernando.

e) Elisa e Maria.

36.  (UFPR) A figura abaixo representa um cromossomo hipotético, em que estão assinaladas as posições de 5 genes (aqui chamados de able, binor, clang, ebrac e fong), e a tabela na sequência mostra a distância entre eles.

36

PAR DE GENES

DISTÂNCIA ENTRE ELES (UNIDADES DE RECOMBINAÇÃO – UR)

clang – binor

10,7

binor – able

2,8

able – fong

72,6

able – clang

13,5

fong – ebrac

8,4

fong – binor

75,4

fong – clang

86,1

ebrac – able

81,0

ebrac – binor

83,8

ebrac – clang

94,5

 Com base nos estudos sobre mapeamento genético, considere as seguintes afirmativas:

1. Depois de able, o gene mais próximo do centrômero é binor.

2. Os genes fong e ebrac estão no mesmo braço cromossômico.

3. Amaior chance de ocorrer uma permuta é entre os genes clang e binor.

4. Os genes identificados com os números 3 e 4 são, respectivamente, ebrac e binor.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa 4 é verdadeira.

b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.

37. (UEL) Na cultura de pepino, as características de frutos de cor verde brilhante e textura rugosa são expressas por alelos dominantes em relação a frutos de cor verde fosco e textura lisa. Os genes são autossômicos e ligados com uma distância de 30 u.m. (unidade de mapa de ligação). Considere o cruzamento entre plantas duplo heterozigotas em arranjo cis para esses genes com plantas duplo homozigotas de cor verde fosca e textura lisa. Com base nas informações se nos seus conhecimento sobre o tema, considere as afirmativas abaixo, com as proporções esperadas desses cruzamentos.

I. 15% dos frutos serão de cor verde fosco e textura rugosa.

II. 25% dos frutos serão de cor verde fosco e textura lisa.

III. 25% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura lisa.

IV. 35% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura rugosa.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e IV são corretas.

b) Somente as afirmativas II e III são corretas.

c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.

d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.

e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.

38. (PUC-MG) O esquema apresenta a composição de carboidratos dos aglutinogênios que determinam os grupos sanguíneos do Sistema ABO. A síntese do antígeno H depende da presença de pelo menos um gene autossômico dominante H no genoma do indivíduo e é indispensável para a adição do antígeno A e/ou do antígeno B, pelos produtos dos genes IA e IB, respectivamente. Indivíduos HH ii ou Hh ii pertencem ao grupo O.

38

A reação de determinação do grupo sanguíneo in vitro (com anticorpos anti-A e anti-B) dá resultado negativo para os indivíduos homozigotos recessivos (hh), mesmo que esses sejam portadores dos genes IA e/ou IB. Tais indivíduos são chamados de “Falsos O“.

Com base nas informações acima e em seus conhecimentos sobre o assunto, assinale a alternativa incorreta.

a) O cruzamento de dois indivíduos “Falso O” pode produzir descendentes receptores universais.

b) A chance de um casal Hh IAIB ter um descendente “Falso O” é de 25%.

c) Indivíduos Hh IAIA não podem doar sangue para indivíduos hh IAIA.

d) O cruzamento de um indivíduo “Falso O” com um indivíduo HH ii pode gerar descendentes dos grupos A ou B.

39. (PUC-SP) O esquema a seguir mostra a fecundação de um óvulo cromossomicamente anormal por um espermatozoide cromossomicamente normal. Do zigoto resultante, originou-se uma criança do sexo feminino com uma trissomia e daltônica, pois apresenta três genes recessivos (d), cada um deles localizado em um cromossomo X.

39

A criança em questão tem:

a) 46 cromossomos (2n = 46) e seus progenitores são daltônicos.

b) 46 cromossomos (2n = 46); seu pai é daltônico e sua mãe tem visão normal para as cores.

c) 47 cromossomos (2n = 47) e seus progenitores são daltônicos.

d) 47 cromossomos (2n = 47); seu pai é daltônico e sua mãe pode ou não ser daltônica.

e) 47 cromossomos (2n = 47); seu pai tem visão normal para as cores e sua mãe é daltônica.

40. (FGV-SP) Nas moscas-das-frutas (Drosophyla melanogaster), cromossomicamente os machos são XY e as fêmeas são XX. Duas moscas-das-frutas de aspecto normal foram cruzadas e produziram uma prole na qual havia 202 fêmeas e 98 machos. Considerando que o esperado seria uma proporção de 50% de machos e 50% de fêmeas, a mais provável explicação para esse resultado incomum é admitir que, no casal de moscas:

a) O macho é heterozigoto, portador de um alelo recessivo letal ligado ao sexo.

b) O macho é hemizigoto e a fêmea é heterozigota, ambos para um alelo recessivo ligado ao sexo.

c) O macho é hemizigoto para um alelo de herança restrita ao sexo.

d) A fêmea é homozigota para um alelo de herança restrita ao sexo.

e) A fêmea é heterozigota, portadora de um alelo recessivo letal ligado ao sexo.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

C

VVFVV

C

D

B

C

D

E

E

C

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

D

FVVFV

D

D

E

A

C

D

B

E

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

C

VVVFV

B

E

C

E

A

A

E

A

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

E

VVFFF

A

E

B

B

A

A

D

E

 

Anúncios

Responses

  1. Olá professor, fazendo questões daqui e de mais vestibulares surgiu uma dúvida que ninguém até agora conseguiu me responder…. a dúvida é como se faz a questao 40 de biologia desse link: http://antiga.coperve.ufsc.br/provas_ant/2012-1-violeta.pdf …. Caso o senhor possa resolvê-la e mandar para o email felipealmeidagoncalves ou para esse email registrado ai no site ficaria agradecido demais, abraço!

    • Caro Felipe Almeida
      Leia abaixo a explicação que você solicitou
      – Como você deve saber na herança restrita ao sexo, o gene está no cromossomo Y, enquanto na herança ligado ao sexo o gene se situa no cromossomo X.
      – Nesta questão, os resultados podem ser explicados admitindo-se que o gene está ligado ao sexo (ligado ao cromossomo X), e que um dos seus alelos é letal. A fêmea é, portanto, portadora de um alelo recessivo letal ligado ao cromossomo X, sendo, dessa forma, heterozigota. Neste caso, metade dos seus gametas carregará esse alelo letal. O resultado esperado do cruzamento seria 50% de machos e 50% de fêmeas, como consta do enunciado. Metade dos machos, entretanto, recebe um gene letal ligado ao X, proveniente da fêmea. Como os machos só possuem um cromossomo X e sendo este letal, ele não consegue sobreviver. Dessa forma, a razão entre as moscas vivas é de 2 fêmeas para 1 macho (2:1) e não 2 fêmeas e 2 machos (2:2).
      Um abraço
      Djalma Santos

      • Boa noite! Questao 26 por favor.. nao entendi pq nao seria a letra d?!

      • 26. (UTFPR) Em determinada espécie de planta, o gene A condiciona frutos vermelhos e seu alelo a condiciona frutos amarelos; o gene B condiciona plantas altas e seu alelo b condiciona plantas baixas. Considerando que esses dois loci gênicos se segregam independentemente, assinale qual dos cruzamentos abaixo possibilitaria ter descendentes nas seguintes proporções:
        25% plantas altas com frutos vermelhos;
        25% plantas altas com frutos amarelos;
        25% plantas baixas com frutos vermelhos;
        25% plantas baixas com frutos amarelos.
        a) BbAa x BbAa.
        b) BBAA x bbaa.
        c) BBaa x bbAA.
        d) BbAA x Bbaa.
        e) BbAa x bbaa.
        Caro Yuri
        Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
        ALTERNATIVA CORRETA: E (“BbAa x bbaa.”)
        JUSTIFICATIVA
        – Genes A e a (condicionam a cor do fruto) e B e b (condicionam a altura das plantas), como consta no enunciado (“… Em determinada espécie de planta, o gene A condiciona frutos vermelhos e seu alelo a condiciona frutos amarelos; o gene B condiciona plantas altas e seu alelo b condiciona plantas baixas. …”).
        – Os genes citados nesta questão não estão em “linkage”, como consta no enunciado (“… Considerando que esses dois loci gênicos se segregam independentemente, …”).
        – Alternativa E (“BbAa x bbaa.”) – CORRETA
        * Bb x bb = Bb + Bb + bb + bb [1/2 plantas altas (Bb) e 1/2 plantas baixas (bb)]
        * Aa x aa = Aa + Aa + aa + aa [1/2 frutos vermelhos (Aa) e 1/2 frutos amarelos (aa)]
        – Como os genes se segregam independentemente, os valores obtidos devem ser multiplicados [regra do “E” (A probabilidade de dois os mais eventos independentes ocorrerem juntos é igual ao produto das probabilidades com cada evento ocorre em separado).]
        * Plantas altas com frutos vermelhos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
        * Plantas altas com frutos amarelos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
        * Plantas baixas com frutos vermelhos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
        * Plantas baixas com frutos amarelos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
        – Os demais cruzamentos não geram essas proporções.
        Um abraço
        Djalma Santos

  2. Porque eu queria que o senhor respondesse a questao do link que eu mandei e nao dessa pagina. Vou repetir o link que eh esse —> http://antiga.coperve.ufsc.br/provas_ant/2012-1-violeta.pdf e apos ver a questao 40 de biologia deste link mandasse uma resposta para o meu email, entende? abraço !

    • Felipe
      Já enviei a resposta que você solicitou.
      Boa sorte

    • Caro Felipe Almeida
      A seguir se encontra a resolução da questão 40 constante do CONCURSO VESTITULAR-UFSC/2012 PROVA 1:VIOLETA
      link http://antiga.coperve.ufsc.br/provas_ant/2012-1-violeta.pdf
      Questão 40
      Um determinado gene hipotético possui dois alelos denominados A e a. Uma enzima de restrição é capaz de clivar (quebrar) o segmento de DNA que corresponde ao alelo A em duas partes de diferentes tamanhos medidos em pares de bases (pb). A mesma enzima não é capaz de clivar o segmento de DNA do alelo a. Foram colhidas células de três indivíduos (1, 2 e 3) e obtido o trecho do DNA que corresponde ao gene citado. Estes fragmentos foram então misturados com a enzima de restrição, e após o procedimento, o material foi submetido a uma eletroforese em gel de agarose. O resultado da digestão revelado pela eletroforese é representado esquematicamente abaixo. As faixas claras horizontais representam o tamanho dos fragmentos de DNA obtidos.

      Com base no resultado, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
      01. O indivíduo 03 possui um alelo A e um alelo a. CORRETA
      02. O indivíduo 02 possui duas cópias do alelo a. FALSA
      04. O indivíduo 01 possui duas cópias do alelo A. FALSA
      08. O indivíduo 02 possui um alelo A e um alelo a. FALSA
      16. O alelo A quando clivado origina 2 fragmentos com cerca de 700 pb. FALSA
      32. O alelo a possui um tamanho de aproximadamente 300 pb. FALSA
      64. Os fragmentos maiores do gene A ficam mais próximos do polo positivo. FALSA

      Considerando o que consta no enunciado da questão e na eletroforese obtida, podemos concluir:
      – A faixa 700 bp representa o tamanho do alelo a, que como consta no enunciado não sofre clivagem com a enzima de restrição usada.
      – A faixa 400 bp representa o fragmento maior do alelo A resultante da clivagem feita pela enzima de restrição utilizada.
      – A faixa 300 pb representa o fragmento menor do alelo A resultante da clivagem feita pela enzima de restrição empregada.
      – Perceba que o somatório dos fragmentos do alelo A (400 pb + 300pb) é igual ao tamanho do alelo a (700pb), o que era esperado, pois A e a são alelos.
      Com base nas considerações acima, podemos afirmar que:
      – O indivíduo 1 possui apenas o alelo a (700pb).
      – O indivíduo 2 possui apenas o alelo A (400pb e 300pb).
      – O indivíduo 3 possui o alelo a (700pb) e o alelo A (400pb e 300pb).
      Análise das alternativas:
      01 – CORRETA
      – Na pista correspondente ao indivíduo 3 há três fragmentos: 700pb (alelo a), 400pb (fragmento maior do alelo A) e 300pb (fragmento menor do alelo A).
      – O indivíduo 3 possui, portanto, um alelo A e um alelo a.
      02 – FALSA
      – Na pista correspondente ao indivíduo 2 há dois fragmentos: 400pb (fragmento maior do alelo A) e 300pb (fragmento menor do alelo A).
      – O indivíduo 2 possui, portanto, apenas o alelo A.
      04 – FALSA
      – Na pista correspondente ao indivíduo 1 existe apenas uma faixa (700pb), correspondente ao alelo a.
      – O indivíduo 1 a possui, portanto, apenas o alelo a.
      08 – FALSA
      – Na pista correspondente ao indivíduo 2 há dois fragmentos: 400pb (fragmento maior do alelo A) e 300pb (fragmento menor do alelo A).
      – O indivíduo 2 possui, portanto, apenas o alelo A.
      16 – FALSA
      – Como consta no enunciado da questão o alelo A quando clivado pela referida enzimas de clivagem gera dois fragmentos de tamanho diferentes, no caso 400pb e 300 pb e não com cerca de 700 pb, este valor corresponde ao tamanho total de cada um dos dois alelos (A e a).
      32 – FALSA
      – O alelo a, como mostramos acima possui um tamanho de 700pb e não 300pb.
      64 – FALSA
      – Os fragmentos maiores do alelo A (400pb) ficam mais próximos ao polo negativo, como mostra a eletroforese e não mais próximos ao polo positivo. Como se pode constatar na eletroforese são os fragmentos menores do alelo A (300pb) que ficam mais próximos do polo positivo.
      Apenas a alternativa 01 é correta, as demais são falsas.
      Um abraço
      Djalma Santos

  3. eu amo o seu blog,na minha opiniao,ele é o melhor do brasil nessa área!

    • Não entendi o cruzamento na 37.. porque que deu 35 % ?

      • 37. (UEL) Na cultura de pepino, as características de frutos de cor verde brilhante e textura rugosa são expressas por alelos dominantes em relação a frutos de cor verde fosco e textura lisa. Os genes são autossômicos e ligados com uma distância de 30 u.m. (unidade de mapa de ligação). Considere o cruzamento entre plantas duplo heterozigotas em arranjo cis para esses genes com plantas duplo homozigotas de cor verde fosca e textura lisa. Com base nas informações se nos seus conhecimento sobre o tema, considere as afirmativas abaixo, com as proporções esperadas desses cruzamentos.
        I. 15% dos frutos serão de cor verde fosco e textura rugosa.
        II. 25% dos frutos serão de cor verde fosco e textura lisa.
        III. 25% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura lisa.
        IV. 35% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura rugosa.
        Assinale a alternativa correta.
        a) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
        b) Somente as afirmativas II e III são corretas.
        c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
        d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
        e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
        Caro Yuri
        Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
        – Para efeito de raciocínio considere:
        * Verde brilhante (dominante) – F
        * Textura rugosa (dominante) – L
        * Verde fosco (recessivo) – f
        * Textura lisa (recessivo) – l
        – Planta duplamente heterozigota cis para verde brilhante e textura rugosa: FL/fl.
        – Planta duplamente homozigota para verde fosca e textura lisa: fl/fl.
        – Os genes estão ligados com uma distância de 30 u.m (unidade de mapa de ligação), conforme o enunciado.
        – Cruzamento FL/fl X fl/fl:
        * Fruto verde brilhante e textura rugosa (FL/fl) – não recombinante: 35%.
        * Fruto verde fosco e textura lisa (fl/fl) – não recombinante: 35%.
        * Fruto verde brilhante e textura lisa (Fl/fl) – recombinante: 15%.
        * Fruto verde fosco e textura rugosa (fL/fl) – recombinante: 15%.
        – OBSERVE: RECOMBINANTES 15 + 15 = 30 (DISTÂNCIA ENTRE OS GENES)
        – Afirmativas:
        * I. 15% dos frutos serão de cor verde fosco e textura rugosa. CORRETA
        * II. 25% dos frutos serão de cor verde fosco e textura lisa. FALSA
        * III. 25% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura lisa. FALSA
        * IV. 35% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura rugosa. CORRETA
        – ALTERNATIVA CORRETA: A
        Considerando suas dúvidas nos três comentários feitos nos dias 30/04/2015 e 01/05/2015, sugiro que você faça uma revisão envolvendo os conceitos básicos da genética.
        Um abraço
        Djalma Santos

  4. Olá professor, o senhor poderia explicar a resposta da questão 37? Ainda estou confusa quanto a resposta do gabarito.
    Grata

    • Prezada Heloisa
      Veja abaixo a explicação que você solicitou:
      – Para efeito de raciocínio considere:
      * Verde brilhante (dominante) – F
      * Textura rugosa (dominante) – L
      * Verde fosco (recessivo) – f
      * Textura lisa (recessivo) – l
      – Planta duplamente heterozigota cis para verde brilhante e textura rugosa: FL/fl.
      – Planta duplamente homozigota para verde fosca e textura lisa: fl/fl.
      – Os genes estão ligados com uma distância de 30 u.m (unidade de mapa de ligação), conforme o enunciado.
      – Cruzamento FL/fl X fl/fl:
      * Fruto verde brilhante e textura rugosa (FL/fl) – não recombinante: 35%.
      * Fruto verde fosco e textura lisa (fl/fl) – não recombinante: 35%.
      * Fruto verde brilhante e textura lisa (Fl/fl) – recombinante: 15%.
      * Fruto verde fosco e textura rugosa (fL/fl) – recombinante: 15%.
      – OBSERVE; RECOMBINANTES 15 + 15 = 30 (DISTÂNCIA ENTRE OS GENES)
      – Afirmativas:
      * I. 15% dos frutos serão de cor verde fosco e textura rugosa. CORRETA
      * II. 25% dos frutos serão de cor verde fosco e textura lisa. FALSA
      * III. 25% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura lisa. FALSA
      * IV. 35% dos frutos serão de cor verde brilhante e textura rugosa. CORRETA
      – ALTERNATIVA CORRETA: A
      Um forte abraço
      Djalma Santos

  5. Boa noite professor Djalma Santos! Seria possivel fazer uma verificação da questão 5. No meu entender existem dois gabaritos, b e d. Obrigado Luiz RJ

    • Prezado Luiz Carlos
      B É A ALTERNATIVA CORRETA.
      JUSTIFICATIVA
      – Lóbulos soltos é dominante (EE ou Ee)
      – Lóbulos presos é recessivo (ee) – Ver enunciado: “…sendo que o homozigótico recessivo tem os lóbulos presos, …”
      “b) Se a mãe de Marcos for heterozigótica, haveria até 100% de chance de que ele nascesse com o lóbulo da orelha solto, dependendo do genótipo paterno.”
      * Mãe de Marcos heterozigota (Ee) e sendo o pai de Marcos homozigoto dominante (EE), teremos: Ee X EE = EE e Ee (todos com o lóbulo da orelha solto), confirmando o contido na alternativa B.
      – Como se pode constatar a chance de 100% depende do genótipo paterno, pois essa chance não ocorre se o pai de Marcos tiver outro genótipo.
      ALTERNATIVA D ESTÁ INCORRETA.
      JUSTIFICATIVA
      “d) Se Marcos tivesse genótipo heterozigoto igual ao do pai, seus filhos teriam 50% de chance de nascer com o lóbulo preso, independente do genótipo da mãe.”
      # A expressão “independente do genótipo da mãe”, diz respeito à esposa de Marcos e não à mãe de Marcos.
      – Marcos Ee (alternativa d)
      – Esposa de Marcos (EE ou Ee ou ee)
      * Sendo a esposa de Marcos EE teríamos: Marcos Ee e sua esposa EE → Ee X EE = EE (1/2) e Ee (1/2) [todos com lóbulos soltos].
      * Sendo a esposa de Marcos Ee teríamos: Marcos Ee e sua esposa Ee → Ee X Ee = EE (1/4), Ee (2/4) e ee (1/4) [3/4 lóbulos soltos e 1/4 lóbulos presos].
      * Sendo a esposa de Marcos ee teríamos: Marcos Ee e sua esposa ee → ee X Ee = Ee (1/2) e ee (1/2) [50% lóbulos soltos e 50% lóbulos presos]
      – Como se pode constatar 50% de chance de nascer com o lóbulo preso depende do genótipo da mãe (esposa de Marcos), ao contrário do contido na alternativa d “independente do genótipo da mãe.”
      Um abraço
      Djalma Santos

  6. a resposta da 27

    • Cara Thais
      Veja abaixo a explicação que você solicitou.
      27. (UFC) LEIA O TEXTO A SEGUIR.
      ESTUDANTE DESCOBRE NÃO SER FILHA DOS PAIS EM AULA DE GENÉTICA
      Uma aula sobre genética tumultuou a vida de uma família que vive em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Uma estudante descobriu que não poderia ser filha natural dos pais. Miriam Anderson cresceu acreditando que Holmes e Elisa eram os seus pais. Na adolescência, durante uma aula de genética, ela entendeu que o tipo sanguíneo dos pais era incompatível com o dela.
      Jornal Hoje – Rede Globo, 29/09/08.
      Considerando que o tipo sanguíneo de Miriam seja O, Rh–, assinale a alternativa que apresenta o provável tipo sanguíneo do casal que confirmaria o drama descrito na reportagem, ou seja, que Holmes e Elisa não poderiam ter gerado Miriam.
      a) Pai: AB, Rh+ e mãe: O, Rh–.
      b) Pai: A, Rh+ e mãe: B, Rh+.
      c) Pai: B, Rh– e mãe: B, Rh–.
      d) Pai: O, Rh– e mãe: A, Rh+.
      e) Pai: B, Rh+ e mãe: A, Rh+.
      – No sistema ABO, o alelo i é recessivo em relação a seus alelos IA e IB, e só se manifesta em dose dupla. O único cruzamento que indica a impossibilidade de Miriam ser filha biológica do casal que a criou é o apresentado na alternativa A. Nesse caso, o pai apresenta tipo sanguíneo AB (IAIB) e os alelos presentes nos seus gametas (IA ou IB) se manifestam, pois são dominantes em relação ao alelo i, presente nos gametas da mãe, cuja constituição genética é ii. Dessa forma, este casal só pode ter filho A (IAi) ou B (IBi). A conclusão pode ser obtida analisando-se apenas o sistema ABO, pois, pelo fator Rh, todos os cruzamentos podem gerar um(a) filho(a) Rh–. Portanto, está correta a alternativa A.
      a) Pai: AB, Rh+ e mãe: O, Rh–. CORRETA
      b) Pai: A, Rh+ e mãe: B, Rh+. INCORRETA
      – Pai A e mãe B. Se ambos forem heterozigotos (IAi e IBi, respectivamente), podem ter filhos O (ii), caso de Miriam.
      c) Pai: B, Rh– e mãe: B, Rh–. INCORRETA
      – Pai B e mãe B. Se ambos forem heterozigotos (IBi), podem ter filhos O (ii), caso de Mirian.
      d) Pai: O, Rh– e mãe: A, Rh+. I
      – Pai O (ii) e mãe A. Se a mãe for heterozigota (IAi), o casal pode ter filhos O (ii), caso de Mirian.
      e) Pai: B, Rh+ e mãe: A, Rh+. INCORRETA
      – Pai B e mãe A. Se ambos forem heterozigotos (IBi e IAi, respectivamente), podem ter filhos O (ii), caso de Miriam.
      Um abraço
      Djalma Santos

  7. Gostaria de solicitar a resposta da questão 32

    • Karen
      A resposta da questão 32 é VVFFF, como consta na publicação.
      Um abraço
      Djalma Santos

  8. Parabéns pelo blog! Eu estudo e resolvo questões com ele. Tem sido de muita utilidade para mim e para muitos estudantes.

  9. Excelente o seu blog!!!

  10. alguem me faz a resolução da questão 6???

    • Cara Laura
      Veja a seguir a explicação que você solicitou:
      06. (UEPB) Um indivíduo X, de genótipo ignorado, foi cruzado com o birrecessivo cd/cd, produzindo os seguintes descendentes:
      8% CD/cd
      42% Cd/cd
      42% cD/cd
      8% cd/cd
      Os resultados acima expostos permitem concluir que:
      a) O genótipo do indíviduo X é CcDd – Cis.
      b) A distância entre os loci c e d no mapa genético é de 84 morganídeos.
      c) A distância entre os loci c e d no mapa genético é de 16 morganídeos.
      d) Os gametas parentais formados pelo indivíduo X são CD e cd.
      e) Os gametas recombinantes formados pelo indivíduo X são Cd e cD.
      – Em se tratando de “linkage”, que é o caso da questão em foco, o número de recombinantes é no máximo igual ao número de não recombinantes. No caso, os recombinantes são: CD/cd (8%) e cd/cd (8%), logo a distância entre os loci c e d é de 16 morganídeos (8 + 8).
      – Resposta correta: alternativa C (“c) A distância entre os loci c e d no mapa genético é de 16 morganídeos.”).
      Um abraço
      Djalma Santos

  11. Excelente o seu blog

    • Questao n 9 per favore.. Grazi

      • 09. (UFG) No homem, a acondroplasia é uma anomalia genética, autossômica dominante, caracterizada por um tipo de nanismo em que a cabeça e o tronco são normais, mas os braços e as pernas são curtos. A letalidade dessa anomalia é causada por um gene dominante em dose dupla. Dessa forma, na descendência de um casal acondroplásico, a proporção fenotípica esperada em F1 é:
        a) 100% anões.
        b) 100% normais.
        c) 33,3% anões e 66,7% normais.
        d) 46,7% anões e 53,3% normais.
        e) 66,7% anões e 33,3% normais.
        Prezado Yuri
        ALTERNATIVA CORRETA: E (“66,7% anões e 33,3% normais.”).
        JUSTIFICATIVA
        – Como consta no enunciado (“… A letalidade dessa anomalia é causada por um gene dominante em dose dupla. …”), indivíduos homozigotos para a acondroplasia (AA) não sobrevivem. Dessa forma, o casal acondroplásico referido na questão é Aa.
        – CRUZAMENTO
        * Aa x Aa = AA (1/4) + Aa (2/4) + aa (1/4).
        * AA não sobrevive.
        * Sobreviventes: Aa [anão (2/3)] + aa [normais (1/3)].
        * Anões = 2/3 = 66,7%.
        * Normais = 1/3 = 33,3%.
        Um abraço
        Djalma Santos

  12. qual é a resposta da questão 26 ,27

    • Nicholas
      Como consta na publicação a resposta da questão 26 é E e da questão 27 é A.
      Um abraço
      Djalma Santos.

  13. como se resolve a questão 26?

    • Prezado André
      Veja a seguir as explicações que você solicitou
      26. (UTFPR) Em determinada espécie de planta, o gene A condiciona frutos vermelhos e seu alelo a condiciona frutos amarelos; o gene B condiciona plantas altas e seu alelo b condiciona plantas baixas. Considerando que esses dois loci gênicos se segregam independentemente, assinale qual dos cruzamentos abaixo possibilitaria ter descendentes nas seguintes proporções:
      25% plantas altas com frutos vermelhos;
      25% plantas altas com frutos amarelos;
      25% plantas baixas com frutos vermelhos;
      25% plantas baixas com frutos amarelos.
      a) BbAa x BbAa.
      b) BBAA x bbaa.
      c) BBaa x bbAA.
      d) BbAA x Bbaa.
      e) BbAa x bbaa.*
      – Gene A e a (condicionam a cor do fruto) e B e b (condicionam a altura das plantas), como consta no enunciado (“… Em determinada espécie de planta, o gene A condiciona frutos vermelhos e seu alelo a condiciona frutos amarelos; o gene B condiciona plantas altas e seu alelo b condiciona plantas baixas. …”).
      – Os genes citados nesta questão não estão em “linkage”, como consta no enunciado (“…Considerando que esses dois loci gênicos se segregam independentemente, …”).
      – Alternativa E (“BbAa x bbaa.”) – CORRETA
      * Bb x bb = Bb + Bb + bb + bb [1/2 plantas altas (Bb) e 1/2 plantas baixas (bb)]
      * Aa x aa = Aa + Aa + aa + aa [1/2 frutos vermelhos (Aa) e 1/2 frutos amarelos (aa)]
      – Como os genes se segregam independentemente, os valores obtidos devem ser multiplicados [regra do “E” (A probabilidade de dois os mais eventos independentes ocorrerem juntos é igual ao produto das probabilidades com cada evento ocorre em separado).]
      * Plantas altas com frutos vermelhos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
      * Plantas altas com frutos amarelos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
      * Plantas baixas com frutos vermelhos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
      * Plantas baixas com frutos amarelos = 1/2 x 1/2 = 1/4 = 25%.
      – Os demais cruzamentos não geram essas proporções.
      Um forte abraço
      Djalma Santos

  14. como resolve 26?

    • Caro José
      Ver resposta ao comentário de André, no dia 05.11.2013, às 21:39.
      Sucesso
      Djalma Santos

  15. Olá Professor,
    Tenho o prazer de parabenizá-los pelo excelente trabalho, estou antecipando os estudos, pois este ano quero que seja diferente. Coloco uma dúvida na aula LinkAge que me intriga: é a questão da UEL resolvida no vídeo e colocada também na lista de exercícios.
    Resolvendo a questão entendi perfeitamente o que foi feito, porém não entendi porque não foi feito o crossing-over nos alelos Aa ou em ambos.
    Refiz a questão agora admitindo o crossing-over nos alelos Aa. Observei que os resultados são os mesmos independentemente dos cariótipos a eles atribuídos (rugoso fosco e brilhante liso), nas mesmas proporções esperadas anteriormente, apenas uma inversão no diagrama de Punnet.
    Admitindo a possibilidade de ocorrer o crossing-over em ambos os alelos Aa e Bb (nas aulas de Meiose há exemplos), observei que não ocorrem os resultados esperados anteriormente, mas sim variedades que se somam (e se confundem com) às parentais (fosco liso e brilhante rugoso). Se o objetivo do crossing-over/linkage é propiciar a variabilidade genética, este não foi o caso.
    Gostaria de saber se este meu raciocínio está equivocado e ou se a questão também admitiria esta possibilidade.
    Desde já agradeço
    Antonio Faria

    • Prezado Antônio Faria
      Ver resposta ao comentário de Heloisa no dia 05 de abril de 2013, às 02:40.
      Um forte abraço
      Djalma Santos

  16. ops errei. é a questão numero 8

    • Maurício Osband Neto
      A resposta é E, como consta na publicação.
      Djalma Santos

  17. resolução da questão 21

    • 21. (OBJETIVO-SP) O fenótipo de um indivíduo não resulta apenas de seu genótipo. O genótipo e o ambiente interagem para de terminar o fenótipo de um organismo. Variações ambientais como a luz, a temperatura e a nutrição podem afetar a tradução de um genótipo para um fenótipo. Algumas vezes, é possível determinar a proporção de indivíduos em um grupo com um dado genótipo que verdadeiramente apresenta o fenótipo esperado. Essa proporção é chamada de penetrância de um genótipo. Na espécie humana, a característica campodactilia, estado em que um ou mais dedos se apresentam fletidos, é causada por um gene dominante (C) com 75% de penetrância. No cruzamento de um homem heterozigoto para campodactilia com uma mulher normal, a proporção esperada de indivíduos afetados pela anomalia é de:
      a) 12,5%.
      b) 25%.
      c) 37,5%.*
      d) 50%.
      e) 75%.
      Prezado Thiago
      Veja abaixo a explicação que você solicitou.
      Alelos: C (campodactilia) e c (normal)
      Pais: Cc x cc
      F1: 50% Cc (afetados) e 50% cc (normais)
      Proporção de afetados: 75% de 50% = 37,5%.
      Um abraço
      Djalma Santos

  18. Olá! Gostei muito do seu blog. O senhor poderia explicar a questão 38? Obrigada desde já.

    • Prezada Vivianne
      – Veja a seguir a explicação que você solicitou.
      – Usaremos todos os dados fornecidos para facilitar o raciocínio.
      – A sequência dos genes é: clang (1), binor (2), able (indicada na figura), fong (3) e ebrac (4). A montagem dessa sequência é feita com base nos elementos contidos na tabela e na posição de able, que foi fornecida.
      * Entre ebrac – clang (94,5). Esses dois genes estão em posições extremas (aprestam a maior distância).
      * Entre able–clang (13,5), entre binor–able (2,8) e entre clang–binor (10,7), logo binor se encontra entre clang e able, pois 10,7 (clang-binor) mais 2,8 (binor-able) é igual a 13.5 (able -clang).
      * Entre fong–binor (75,4), entre able–fong (72,6) e entre fong–ebrac (8,4), entre fong–clang (86,1). fong se encontra entre able e ebrac, pois 72,6 (able-fong) mais 8,4 (fong–ebrac) é igual a 81,0 (ebrac–able). Para confirma, podemos recorrer à distância entre ebrac–binor (83,8), que é igual a 75,4 (fong – binor) mais 8,4 (fong – ebrac).
      – AFIRMATIVA 1 (“Depois de able, o gene mais próximo do centrômero é binor.”) – CORRETA
      * Pela sequencia dos genes [clang (1), binor (2), able, fong (3) e ebrac (4)”] e pelas distâncias, pode-se constatar que depois de able o gene mais próximo de centrômero é binor.
      – AFIRMATIVA 2 (“Os genes fong e ebrac estão no mesmo braço cromossômico.”) – CORRETA
      * Considerando os resultados obtidos, podemos constatar que os genes os genes fong (3) e ebrac (4) estão, realmente, no mesmo braço cromossômico.
      – AFIRMATIVA 3 (“A maior chance de ocorrer uma permuta é entre os genes clang e binor.”) – INCORRETA
      * Quanto mais distantes os genes se encontrarem no cromossomo, maior será a chance de que ocorra uma permuta entre eles. Assim sendo, a maior chance de permuta é entre os genes e ebrac e clang, cuja distância é 94,5 UR (unidades de recombinação) e não entre clang e binor, cuja distância é bem menor (10,7 UR).
      – AFIRMATIVA 4 (“Os genes identificados com os números 3 e 4 são, respectivamente, ebrac e binor.”) – INCORRETA
      * Os genes indicados por 3 e 4 são, respectivamente, fong e ebrac e não ebrac e binor.
      Um abraço
      Djalma Santos

  19. Gostaria da resolução da questão 12. Obrigado!!!

    • Prezada Mariellen
      Veja abaixo, a solução da questão que você solicitou.
      GABARITO
      FVVFV
      JUSTIFICATIVA
      – As duas populações constantes desta questão não obedecem ao princípio de Hardy-Weimberg, logo não estão em equilíbrio genético [ver GENÉTICA DE POPULAÇÕES (Princípio de Hardy-Weinberg), matéria publicada neste blog no dia 21/08/2013.
      POPULAÇÃO 1
      – 10.000 indivíduos diploides.
      – 20.0000 genes, considerando apenas os dois alelos (A e a) indicados nesta questão.
      – 3.200 AA (6.400 genes) – [0,32 (32%) da população].
      * 6.400 genes A.
      – 5.000 Aa (10.000 genes) – [0,5 (50%) da população].
      * 5.000 genes A.
      * 5.000 genes a.
      – 1.800 aa (3.600 genes) – [0,18 (18%) da população].
      * 3.600 genes a.
      – Total de genes A: 11.400 (0,57 = 57%).
      – Total de genes a: 8.600 (0,43 = 43%).
      POPULAÇÃO 2
      – 10.000 indivíduos diploides.
      – 20.000 genes, considerando apenas os dois alelos (A e a) indicados nesta questão.
      – 2.400 AA (4.800 genes) – [0,24 (24%) da população].
      * 4.800 genes A.
      – 4.000 Aa (8.000 genes) – [0,4 (40%) da população].
      * 4.000 genes A.
      * 4.000 genes a.
      – 3.600 aa (7.200 genes) – [0.36 (36%) da população].
      * 7.200 genes a.
      – Total de genes A: 8.800 (0,44 = 44%).
      – Total de genes a: 11.200 (0,56 = 56%)
      – ALTERNATIVA 0 0 (“A frequência do alelo a da população 1 é de 36%.”) – INCORRETA
      * Dos 20.000 genes [considerando apenas os dois alelos (A e a) indicados nesta questão] presentes na população 1, 8.600 são a (8.600/20.000 = 0,43 = 43%).
      – ALTERNATIVA 1 1 (“A frequência do alelo A da população 1 é maior do que a frequência do alelo A da população 2.”) – CORRETA
      * Frequência de alelos A na população 1 é 0,57 [11.400 genes em um total de 20.000 genes (11.400/20.000 = 0,57)].
      * Frequência de alelos A na população 2 é 0,44 [ 8.800 genes em um total de 20.000 genes (8.800/20.000 = 0,44 = 44%)].
      – ALTERNATIVA 2 2 (“A frequência dos genótipos AA, Aa e aa da população 1 é de 32%, 50% e 18%, respectivamente.”) – CORRETA
      * Frequência de genótipos AA na população 1 (3.200/10.000 = 0,32 = 32%).
      * Frequência de genótipos AA na população 1 (5.000/10.000 = 0,5 = 50%).
      * Frequência de genótipos aa na população 1 (1.800/10.000 = 0,18 = 18%).
      – ALTERNATIVA 3 3 (“A frequência do genótipo heterozigoto da população 2 é de 60%.”) – INCORRETA
      * A frequência de heterozigoto (Aa) na população 2 é 40% (4.000/10.000 = 0,4 = 40%) e não 60%, como consta nesta alternativa.
      – ALTERNATIVA 4 4 (“Na população 2, a frequência do alelo recessivo é 12% maior do que a frequência do alelo dominante.”) – CORRETA
      * Frequência do alelo recessivo (a) na população 2 é 0,56 [11.200 genes a em um universo de 20.000 genes (11.200/20.000 = 0,56 = 56%)].
      * Frequência do alelo dominante (A) na população 2 é 0,44 [8.800 genes A em um universo de 20.000 genes (8.800/20.000 = 0,44 = 44%)], 12% maior (0,56 – 0,44 = 0,12 = 12%).
      Sucesso
      Djalma Santos

  20. 34?

    • 34. (UESPI) Considerando um teste de sangue para reconhecimento de paternidade e maternidade de Carlinhos, que possui genótipo ii, podemos afirmar que, se a suposta mãe de Carlinhos:
      a) Tem genótipo IAIB, e o suposto pai tem genótipo IBIB, a criança teria de ter genótipos do tipo IAIA ou IBIB.
      b) Tem genótipo IAi, e o suposto pai tem genótipo IBi, a chance de eles serem pais da criança é de 50%.
      c) Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo IBIB, a criança teria de ter sangue do tipo A para ser considerada filha do casal.
      d) Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo ii, a chance de Carlinhos ser doador universal, caso fosse filho do casal, seria de 100%.
      e) Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo IBi, ambos não podem ser os pais da criança.
      Prezada Rayssa
      Veja, abaixo, a resolução da questão 34, que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA: E
      (“Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo IBi, ambos não podem ser os pais da criança.”)
      JUSTIFICATIVA
      – AFIRMATIVA A (“Tem genótipo IAIB, e o suposto pai tem genótipo IBIB, a criança teria de ter genótipos do tipo IAIA ou IBIB.”) – INCORRETA
      * Suposta mãe: IAIB
      * Suposto pai: IBIB
      * IAIB x IBIB = IAIB e IBIB
      * Como se pode constatar, a criança não teria genótipo IAIA, como consta nesta afirmativa.
      – AFIRMATIVA B (“Tem genótipo IAi, e o suposto pai tem genótipo IBi, a chance de eles serem pais da criança é de 50%.”) – INCORRETA
      * Suposta mãe: IAi
      * Suposto pai: IBi
      * IAi x IBi = IAIB + IAi + IBi + ii
      * Como se pode constatar, a chance de eles serem pais da criança não é de 50%, como consta nesta afirmativa.
      – AFIRMATIVA C (“Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo IBIB, a criança teria de ter sangue do tipo A para ser considerada filha do casal.”) – INCORRETA
      * Suposta mãe: IAIA
      * Suposto pai: IBIB
      * IAIA x IBIB = IAIB
      * Como se pode constatar, não há, neste caso, nascimento de criança com sangue tipo A, como consta nesta afirmativa.
      – AFIRMATIVA D (“Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo ii, a chance de Carlinhos ser doador universal, caso fosse filho do casal, seria de 100%.”) – INCORRETA
      * Suposta mãe: IAIA
      * Suposto pai: ii
      * IAIA x ii = IAi
      * Como se pode constatar, não há, neste caso, nascimento de criança ii (“doador universal”). Logo não seria 100%, como consta nesta afirmativa.
      – AFIRMATIVA E (“Tem genótipo IAIA, e o suposto pai tem genótipo IBi, ambos não podem ser os pais da criança.”) – CORRETA
      * Suposta mãe: IAIA
      * Suposto pai: IBi
      * IAIA x IBi = IAIB + IAi
      * Como se pode constatar, o casal proposto nesta afirmativa, não pode, realmente, ser pai da criança, que é ii, como consta no enunciado (“… Carlinhos, que possui genótipo ii, …”).
      Um forte abraço
      Djalma Santos

  21. questão 10

    • 10. (UNEMAT) Maria possui a anomalia genética autossômica recessiva chamada galactosemia. Indivíduos galactosêmicos apresentam, entre outras manifestações, a incapacidade de degradar a lactose existente no leite. Maria casou-se com João, homem normal, cujo pai era galactosêmico. Este casal teve dois filhos do sexo masculino e normais. Maria está grávida da terceira criança e quer saber qual a probabilidade desta criança ser do sexo feminino e ter a galactosemia. Assinale a alternativa correta.
      a) 1/2.
      b) 1/8.
      c) 1/4.
      d) 3/8.
      e) 3/4.
      Prezada Bruna
      Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
      – MARIA: gg (galactosêmica), como consta no enunciado (“Maria possui a anomalia genética autossômica recessiva chamada galactosemia. …”).
      – JOÃO: Gg [normal, cujo pai é gactosêmico (gg), como consta no enunciado].
      – CRUZAMENTO:
      * Gg (João) x gg (Maria) = Gg (normal heterozigoto) + Gg (normal heterozigoto) + gg (galactosêmico) + gg (galactosêmico).
      * 50% (1/2) normais e 50% (1/2) galactosêmico.
      – De ser do sexo feminino = 1/2.
      – Probabilidade de a terceira criança ser do sexo feminino e ter a galactosemia (“… Maria está grávida da terceira criança e quer saber qual a probabilidade desta criança ser do sexo feminino e ter a galactosemia. …”) é igual a 1/4 (1/2 de ser feminina x 1/2 de ter a galactosemia). ALTERNATIVA C (“1/4.”).
      Sucesso
      Djalma Santos

  22. Poderia explicar a questão 35?

    • Dedra
      Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
      – Genótipo de Antônio: XaY, como consta no enunciado “… Antonio é afetado por uma anomalia causada pelo alelo recessivo de um gene ligado à porção ímpar do cromossomo X.”).
      – Dessa forma:
      * Augusto, seu genitor, normal é XAY.
      * Adélia, sua genitora, é normal portadora: XAXa.
      * Cláudia, filha de Antônio, é normal portadora: XAXa.
      – Com base no exposto, podemos concluir que Adélia (XAXa) e Cláudia (XAXa) são, com certeza, portadoras do alelo em questão (ALTERNATIVA B).
      Um forte abraço
      Djalma Santos

  23. resolução da questão 7

    • 07. (UNCISAL) Um casal heterozigoto apresenta uma doença X, a qual é herdada devido a um gene dominante N. A probabilidade de esse casal ter o primeiro filho portador dessa doença é de:
      a) 0%.
      b) 25%.
      c) 50%.
      d) 75%.
      e) 100%.
      Caro Ed
      – ALTERNATIVA CORRETA D (“75%.”).
      JUSTIFICATIVA
      – Ambos os componentes do casal são Nn (doentes heterozigotos), como consta no enunciado (“Um casal heterozigoto apresenta uma doença X, a qual é herdada devido a um gene dominante N. …”).
      – Cruzamento
      * Nn x Nn = NN [1/4 (doente homozigoto)] + Nn [1/4 (doente heterozigoto)] + Nn [1/4 (doente heterozigoto)] + nn [1/4 (normal)].
      – Como se pode constatar, a probabilidade do casal em pauta ter o primeiro filho portador da doença em foco é 3/4 (75%): [1/4 (25% – doentes homozigotos) + 2/4 (50% – doentes heterozigotos)].
      Um abraço
      Djalma Santos

  24. Olá! Gostaria de solicitar a resolução da questão 38 sobre Falso O! .. Minha dúvida está na alternativa c. Não consigo entender porque ela está certa. Obrigada!

    • Prezada Julieta
      – ALTERNATIVA C (“Indivíduos Hh IAIA não podem doar sangue para indivíduos hh IAIA.”) – CORRETA
      JUSTIFICATIVA
      – Indivíduos Hh IAIA: SANGUE TIPO A.
      * Ver trecho “… Dessa forma, indivíduos HH ou Hh, que representam a quase totalidade da população humana, são capazes de expressar os genótipos IAIA ou IAi (sangue tipo A); IBIB ou IBi (sangue tipo B); e IAIB (sangue tipo AB). …”, contido em “Falso “O” (fenótipo Bombaim ou efeito Bombaim)”, matéria publicada neste blog em 23/02/2012.
      – Indivíduos hh IAIA: FALSO O.
      * Ver trecho “… Indivíduos de composição genética hh (genótipo muito raro), por outro lado, são incapazes de promover essa transformação, não expressando, como consequência, os referidos genótipos, caracterizando, portanto, os falsos “O”. Nele é sempre manifestado um fenótipo do tipo “O”, independentemente do seu verdadeiro genótipo. …”, contido na publicação referida acima.
      * Como você pode constatar, indivíduos de composição genética hh (ver alternativa C), sempre manifestam um fenótipo do tipo O.
      – Com base no exposto, podemos concluir que a alternativa C está, realmente, correta (indivíduos A não podem doar sangue para indivíduos O).
      Um abraço
      Djalma Santos

      • Professor ainda não entendi Pq a resposta A esta incorreta !! A meu ver , se os pais são falsos O, eles poderão ser de sangue A, B ou AB ok? Sendo de determinados fenótipos , Pq não poderão gerar descendentes AB?

      • Prezada Clarissa
        ALTERNATIVA A
        “O cruzamento de dois indivíduos “Falso O” pode produzir descendentes receptores universais.”
        – Pode, desde que não haja incompatibilidade em relação a outro fator sanguíneo, como o Rh.
        Djalma Santos

  25. Questao 33 por favor!

    • Prezada Adriana
      Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA: A (“I.”)
      JUSTIFICATIVA
      – O gene mutado é recessivo, o que pode ser observado através de uma análise do heredograma. Se o indivíduo 3 é afetado, significa que é portador do referido gene (no cromossomo X). Acontece, que sua filha (9), é normal. Como ela obrigatoriamente recebeu o cromossomo X de seu pai (que contém o gene mutado), o gene mutado nele presente é recessivo, pois, se fosse dominante, obrigatoriamente, 9 seria afetada.
      – De posse dessa conclusão, podemos afirmar que 1, 6 e 9 apresentam o gene (ITEM I VERDADEIRO).
      – O indivíduo 9 certamente é portadora do gene (herdado do pai), o que não se pode afirmar sobre 10 (ITEM II É INCORRETO).
      – O casal 3 x 4 tem genótipo: XmY x XMX-; o casal 5 x 6 tem genótipo XMY x XMXm (as mulheres podem ter recebido o cromossomo X com gene normal ou o com gene mutado da mãe). Assim, a probabilidade de nascer uma criança afetada pela doença é maior no casal 3×4 (ITEM III INCORRETO).
      Sucesso
      Djalma Santos

  26. Questão 12, por favor

    • Prezada Alice
      Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou
      GABARITO: FVVFV
      JUSTIFICATIVA
      – As duas populações constantes desta questão não obedecem ao princípio de Hardy-Weimberg, logo não estão em equilíbrio genético [ver GENÉTICA DE POPULAÇÕES (Princípio de Hardy-Weinberg), matéria publicada neste blog no dia 21/08/2013.
      POPULAÇÃO 1
      – 10.000 indivíduos diploides.
      – 20.0000 genes, considerando apenas os dois alelos (A e a) indicados nesta questão.
      – 3.200 AA (6.400 genes) – [0,32 (32%) da população].
      * 6.400 genes A.
      – 5.000 Aa (10.000 genes) – [0,5 (50%) da população].
      * 5.000 genes A.
      * 5.000 genes a.
      – 1.800 aa (3.600 genes) – [0,18 (18%) da população].
      * 3.600 genes a.
      – Total de genes A: 11.400 (0,57 = 57%).
      – Total de genes a: 8.600 (0,43 = 43%).
      POPULAÇÃO 2
      – 10.000 indivíduos diploides.
      – 20.000 genes, considerando apenas os dois alelos (A e a) indicados nesta questão.
      – 2.400 AA (4.800 genes) – [0,24 (24%) da população].
      * 4.800 genes A.
      – 4.000 Aa (8.000 genes) – [0,4 (40%) da população].
      * 4.000 genes A.
      * 4.000 genes a.
      – 3.600 aa (7.200 genes) – [0.36 (36%) da população].
      * 7.200 genes a.
      – Total de genes A: 8.800 (0,44 = 44%).
      – Total de genes a: 11.200 (0,56 = 56%)
      – ALTERNATIVA 0 0 (“A frequência do alelo a da população 1 é de 36%.”) – INCORRETA
      * Dos 20.000 genes [considerando apenas os dois alelos (A e a) indicados nesta questão] presentes na população 1, 8.600 são a (8.600/20.000 = 0,43 = 43%).
      – ALTERNATIVA 1 1 (“A frequência do alelo A da população 1 é maior do que a frequência do alelo A da população 2.”) – CORRETA
      * Frequência de alelos A na população 1 é 0,57 [11.400 genes em um total de 20.000 genes (11.400/20.000 = 0,57 = 57%)].
      * Frequência de alelos A na população 2 é 0,44 [ 8.800 genes em um total de 20.000 genes (8.800/20.000 = 0,44 = 44%)].
      – ALTERNATIVA 2 2 (“A frequência dos genótipos AA, Aa e aa da população 1 é de 32%, 50% e 18%, respectivamente.”) – CORRETA
      * Frequência de genótipos AA na população 1 (3.200/10.000 = 0,32 = 32%).
      * Frequência de genótipos AA na população 1 (5.000/10.000 = 0,5 = 50%).
      * Frequência de genótipos aa na população 1 (1.800/10.000 = 0,18 = 18%).
      – ALTERNATIVA 3 3 (“A frequência do genótipo heterozigoto da população 2 é de 60%.”) – INCORRETA
      * A frequência de heterozigoto (Aa) na população 2 é 40% (4.000/10.000 = 0,4 = 40%) e não 60%, como consta nesta alternativa.
      – ALTERNATIVA 4 4 (“Na população 2, a frequência do alelo recessivo é 12% maior do que a frequência do alelo dominante.”) – CORRETA
      * Frequência do alelo recessivo (a) na população 2 é 0,56 [11.200 genes a em um universo de 20.000 genes (11.200/20.000 = 0,56 = 56%)].
      * Frequência do alelo dominante (A) na população 2 é 0,44 [8.800 genes A em um universo de 20.000 genes (8.800/20.000 = 0,44 = 44%)], 12% maior (0,56 – 0,44 = 0,12 = 12%).
      Um abraço
      Djalma Santos

      • Professor, muito obrigada pelas justificativas
        Ajudou muito
        Boa noite

  27. Obrigado prof Djalma Santos por esclarecer minha dúvida. que o senhor tenha um bom dia.

  28. Tem como me explicar a questão 24?

    • Prezada Thallyta
      Veja, a seguir, a explicação que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA: E (“7 e 8 e de sua filha 11.”)
      – Observe que os indivíduos 7 e 8 não apresentam a referida característica genética, que é exibida, todavia, pela sua filha 11. Dessa forma, o gene responsável pela citada característica se encontra “escondido” nos seus genitores (7 e 8), que, são, portanto, Aa, sendo a filha (11) aa.
      – Do exposto, pode-se concluir, sem grandes dificuldades, que a característica em foco é condicionada por um gene recessivo (a).
      – Sugiro que você uma revisão envolvendo os conceitos básicos da genética, inclusive, dominância e recessividade.
      Djalma Santos

  29. Professor o senhor poderia Me explicar a questão 16?? Obrgd desde já!!!

    • 16. (UEA) Mônica e Eduardo não são daltônicos: enxergam todas as cores do espectro. Contudo, o pai de Mônica é daltônico para o verde, enquanto o pai de Eduardo é daltônico para o vermelho. O daltonismo para o verde e o daltonismo para o vermelho são determinados por alelos recessivos de dois genes localizados em loci diferentes e ligados ao sexo. Pode-se dizer que, no caso de Mônica ficar grávida de Eduardo, a probabilidade de a criança ser do sexo masculino e ter herdado a característica:
      a) Do avô materno é de 25%.
      b) Do avô paterno é de 25%.
      c) De ambos os avôs é de 50%.
      d) De pelo menos um dos avôs é de 50%.
      e) De qualquer um dos avôs é de 0%.
      Prezada Letícia
      Veja, a seguir, a resolução da questão acima.
      ALTERNATIVA CORRETA: A (“Do avô materno é de 25%.”)
      JUSTIFICATIVA
      – MÔNICA: XDXd (verde)
      * Não daltônica portadora do gene para daltonismo verde, proveniente do seu pai que é daltônico para o verde, como consta no enunciado.
      – EDUARDO: XDY
      * Não daltônico.
      * Lembramos que ele recebeu do pai o cromossomo Y que não tem gene para o daltonismo, haja vista que o caráter é ligado ao cromossomo X.
      CRUZAMENTO
      – XDXd (verde) x XDY = XDXD [filha não daltônica (25%)] + XDY [filho não daltônico (25%)] + XDXd
      (verde) [filha não daltônica portador do gene para daltonismo verde (25%)] + Xd(verde)Y {filho daltônico para verde [do avô materno] (25%)}.
      – O cruzamento acima mostra que a probabilidade de nascer uma criança do sexo masculino, portador do gene para daltonismo verde, como o avô paterno, é de 25% (ALTERNATIVA A).
      Um abraço
      Djalma Santos

  30. Olá alguém poderia me explicar a questão 05

    • 05. (UESPI) Marcos, ao cursar Medicina na Faculdade, suspeita que não é filho biológico de Alfredo, pois, diferente de seu suposto pai, não possui lóbulo solto das orelhas. Considerando que tal característica genética é determinada por um alelo dominante, sendo que o homozigótico recessivo tem os lóbulos presos, podemos afirmar:
      a) Marcos não poderia ser filho de Alfredo.
      b) Se a mãe de Marcos for heterozigótica, haveria até 100% de chance de que ele nascesse com o lóbulo da orelha solto, dependendo do genótipo paterno.
      c) Se Alfredo fosse homozigoto, Marcos teria 25% de chance de nascer com os lóbulos das orelhas presos, independente do genótipo da mãe.
      d) Se Marcos tivesse genótipo heterozigoto igual ao do pai, seus filhos teriam 50% de chance de nascer com o lóbulo preso, independente do genótipo da mãe.
      e) Se Marcos tivesse um irmão, haveria 75% de chance de que nascesse com os lóbulos da orelha presos como os dele.
      Caro Germano
      Veja, a seguir, a resolução da questão acima.
      ALTERNATIVA CORRETA: B (“Se a mãe de Marcos for heterozigótica, haveria até 100% de chance de que ele nascesse com o lóbulo da orelha solto, dependendo do genótipo paterno.”)
      JUSTIFICATIVA
      – Lóbulos soltos é dominante (EE ou Ee)
      – Lóbulos presos é recessivo (ee) – Ver enunciado: “…sendo que o homozigótico recessivo tem os lóbulos presos, …”
      * Mãe de Marcos heterozigota (Ee) e sendo o pai de Marcos homozigoto dominante (EE), teremos: Ee X EE = EE e Ee (todos com o lóbulo da orelha solto), confirmando o contido na alternativa B.
      – Como se pode constatar a chance de 100% depende do genótipo paterno, pois essa chance não ocorre se o pai de Marcos tiver outro genótipo.
      Um abraço
      Djalma Santos

  31. 39. (PUC-SP) O esquema a seguir mostra a fecundação de um óvulo cromossomicamente anormal por um espermatozoide cromossomicamente normal. Do zigoto resultante, originou-se uma criança do sexo feminino com uma trissomia e daltônica, pois apresenta três genes recessivos (d), cada um deles localizado em um cromossomo X.

    39

    A criança em questão tem:

    a) 46 cromossomos (2n = 46) e seus progenitores são daltônicos.

    b) 46 cromossomos (2n = 46); seu pai é daltônico e sua mãe tem visão normal para as cores.

    c) 47 cromossomos (2n = 47) e seus progenitores são daltônicos.

    d) 47 cromossomos (2n = 47); seu pai é daltônico e sua mãe pode ou não ser daltônica.

    • William
      Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA: D (“47 cromossomos (2n = 47); seu pai é daltônico e sua mãe pode ou não ser daltônica.”).
      JUSTIFICATIVA
      – A filha apresenta 47 cromossomos (2n = 47), sendo genotipicamente representada por 47, XdXdXd, como consta no enunciado (“ … criança do sexo feminino com uma trissomia e daltônica, pois apresenta três genes recessivos (d), cada um deles localizado em um cromossomo X.”). Essa criança é resultante da fecundação de um óvulo portador de uma dissomia (XdXd) e um espermatozoide portador de um cromossomo Xd, oriundo de um pai daltônico (XdY). Conclui-se, portanto, que seu pai é daltônico (XdY) e sua mãe é normal portadora (XDXd) ou daltônica (XdXd), na qual houve não disjunção cromossômica.
      – Do exposto, pode-se deduzir que os dois genitores não têm que ser daltônicos, como consta na alternativa C [“47 cromossomos (2n = 47) e seus progenitores são daltônicos.] e que a genitora pode não ser daltônica, como consta na alternativa D [“47 cromossomos (2n = 47); seu pai é daltônico e sua mãe pode ou não ser daltônica.], bastando, como vimos, que ela seja normal portadora para o daltonismo (XDXd).
      – Sugiro que veja ANÁFASE I e ANÁFASE II, em MEIOSE, matéria publicada neste blog no dia 21/08/2015.
      Djalma Santos

  32. A questão 18?

    • Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
      Atente que a questão solicita a alternativa incorreta (“ … assinale a alternativa incorreta.”).
      ALTERNATIVA INCORETA: D (“O casal 10 x 11 tem 25% de probabilidade de gerar um filho com polidactilia.”).
      JUSTIFICATIVA
      A questão trata de uma característica condicionada por um gene dominante, o que se pode constatar com base na prole do casal 1-2. Dessa forma, os indivíduos marcados no heredograma em preto são AA ou Aa, enquanto os não marcados são aa. Assim sendo, o casal 10-11 é aa. A probabilidade deste casal gerar filhos aa é 100%, não sendo capaz, portanto, de gerar um filho com polidactilia (AA ou Aa).
      Djalma Santos

  33. Boa noite, professor Djalma. Primeiramente, gostaria de parabenizar pelo excelente trabalho. Segundo, gostaria que se possível me tirasse uma dúvida: Na questão 38, sobre falso O, é pedido para marcar a alternativa incorreta. Entendi porque a alternativa A é incorreta, mas não entendi porque a B é correta. Poderia esclarecer, por favor? Muito obrigado.

    • ALTERNATIVA B (“A chance de um casal Hh IAIB ter um descendente “Falso O” é de 25%.”) – CORRETA
      – Casal Hh.
      – Cruzamento: Hh x Hh = HH + Hh + Hh + hh.
      – Constata-se que 25% são hh (falso O), embora possam ter IA e/ou IB.
      – Lembramos que indivíduos de composição genética hh sempre manifestam o fenótipo “O”, independentemente do seu verdadeiro genótipo. Ver FALSO “O” (FENÓTIPO BOMBAIM OU EFEITO BOMBAIM), matéria publicada neste blog no dia 23/02/2012.
      Djalma Santos

      • Obrigado, professor, não atentei para esse detalhe.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: