Publicado por: Djalma Santos | 9 de setembro de 2011

Testes de histologia vegetal (4/4)

01. (CEFET-MG) A figura abaixo representa o esquema de uma estrutura vegetal denominada estômato, cujo funcionamento associa-se aos mecanismos de transporte de seiva no vegetal.

01

Sobre essas estruturas, é correto afirmar que são:

a) Desprovidas de cloroplastos e ribossomos.

b) Encontradas principalmente nas raízes e brotos.

c) Constituídas por cinco tipos de células do parênquima lacunoso.

d) Controladas por fatores intracelulares, sem interferência de luminosidade.

e) Abertas, quando submetidas a baixas concentrações de gás carbônico.

02. (MACK) A figura a seguir mostra o corte transversal do caule de uma planta Angiosperma, na qual A e B representam os tecidos condutores.

02

Assinale a alternativa correta.

a) Trata-se de um caule de dicotiledônea, e A e B correspondem ao xilema e floema, respectivamente.

b) Trata-se de um caule de monocotiledônea, e A e B correspondem ao xilema e floema, respectivamente.

c) Trata-se de um caule de monocotiledônea, e A e B correspondem ao floema e xilema, respectivamente.

d) Trata-se de um caule de dicotiledônea, e A e B correspondem ao floema e xilema, respectivamente.

e) Pode ser um caule de uma monocotiledônea ou de uma dicotiledônea, e A e B correspondem ao floema e xilema, respectivamente.

03. (CEDERJ) A epiderme das partes aéreas dos vegetais apresenta uma estrutura, com abertura regulável, através da qual ocorrem as trocas gasosas entre a planta e o ar. Essa estrutura é denominada:

a) Xilema.

b) Plastos.

c) Estômato.

d) Estroma.

04. (IFSudeste-MG) Xilema e floema são os tecidos responsáveis pelo transporte de substancias nos vegetais. Analise as afirmações sobre esses tecidos e assinale a alternativa correta.

a) Insetos que parasitam folhas sugam alimento diretamente do xilema.

b) Plantas hemiparasitas sugam seiva elaborada do xilema.

c) Xilema é o tecido responsável pelo transporte de seiva elaborada da folha ate a raiz.

d) Floema é o tecido responsável pelo transporte de seiva bruta da folha ate a raiz.

e) Plantas holoparasitas sugam seiva elaborada do floema.

05. (UEL) Leia o texto a seguir e assinale a alternativa correta. O crescimento em espessura da raiz e do caule de vegetais dicotiledôneos e gimnospermas, denominado crescimento secundário, se deve fundamentalmente:

a) À hipertrofia das células do parênquima cortical.

b) À hipertrofia das células do parênquima medular.

c) À divisão celular verificada no câmbio e no felogênio.

d) À divisão celular verificada no periblema e no pleroma.

e) À atividade condutora do xilema e do floema.

06. (UFU) O esquema a seguir representa a organização básica de uma angiosperma. Observe as quatro estruturas assinaladas com os números 1, 2, 3 e 4.

06

Assinale a alternativa que indica corretamente, para cada estrutura numerada, uma de suas funções ou uma de suas características morfológicas.

a) 1 – formada por tecidos meristemáticos; 2 – pode ser transformada em espinho; 3 – protegem o ápice da raiz; 4 – tecido de reserva.

b) 1 – protege o meristema apical; 2 – geralmente clorofilada; 3 – responsáveis pela sustentação da planta; 4 – região de intensa divisão celular.

c) 1 – origina os ramos laterais; 2 – possui tecidos fotossintetizantes; 3 – são células epidérmicas; 4 – responsável pelo crescimento do órgão.

d) 1 – formada por tecidos meristemáticos; 2 – responsável pela formação das flores; 3 – são células epidérmicas; 4 – captação de água e nutrientes do solo.

07. (FGV) Uma rede para descanso foi estendida entre duas árvores, A e B, e amarrada com arame ao tronco da árvore A e a um galho mais resistente da árvore B. Contudo, devido ao peso dos que se deitavam nela e ao atrito, o arame cortou um círculo em torno da casca do tronco e da casca do galho. Pode-se dizer que:

a) Na árvore A, houve interrupção do fluxo de seiva bruta, enquanto na árvore B houve interrupção do fluxo de seiva elaborada.

b) Na árvore A, houve rompimento do floema, o que poderá provocar a morte da árvore. Na árvore B, houve rompimento do xilema e não haverá morte do galho.

c) Nas árvores A e B, houve rompimento do xilema, com consequente interrupção do fluxo descendente de seiva orgânica.

d) Nas árvores A e B, houve rompimento do floema, com consequente interrupção do fluxo descendente de seiva orgânica.

e) Ambas as árvores poderão morrer como consequência da interrupção do fluxo de seiva bruta e seiva elaborada.

08. (UEPB) Na estrutura de uma raiz, são encontrados diferentes tipos de tecidos: epidérmico, parenquimático, meristemático, condutor, entre outros. Os meristemas têm a função de:

a) Proteger a planta contra a desidratação.

b) Realizar as trocas gasosas no processo de respiração.

c) Promover o crescimento da raiz.

d) Absorver do solo água e nutrientes.

e) Proteger a raiz contra o desgaste produzido pelas partículas do solo.

09. (PUCCAMP) A utilização de fibras de bananeira para a fabricação de papelão é novidade no Brasil. Uma das primeiras fábricas de celulose do país produzia papel a partir do talo dessa planta. Plantas fibrosas, como o algodão, também já foram largamente aproveitadas no país para a produção de celulose.

(Adaptado de Ciência Hoje. v. 26. n. 152. p.44-5)

Os tecidos vasculares dos caules dos vegetais como os da bananeira, por exemplo, agrupam-se em unidades chamadas feixes. Cada feixe é constituído por elementos do xilema, do floema e, geralmente, por fibras do esclerênquima. Impregnação por lignina ocorre somente em células do:

a) Xilema.

b) Esclerênquima.

c) Floema e do xilema.

d) Floema e do esclerênquima.

e) Xilema e do esclerênquima.

10. (UNICAP)

I    II

0  0 – Alguns insetos sugadores alimentam-se de seiva elaborada pelas plantas; o tecido vegetal que produz essa seiva é o colênquima.

1  1 – O esclerênquima participa especificamente do transporte de água, sais minerais e determinados hormônios vegetais.

2  2 – A impregnação por cutina é tipicamente encontrada nas células do tecido vegetal meristemático.

3  3 – O xilema é um tecido vegetal que se localiza no caule e na raiz, não aparecendo nas folhas.

4  4 – A respiração, na célula vegetal, ocorre em qualquer célula viva da planta.

11. (UFLA) Assinale a alternativa que contém a relação incorreta entre o tecido vegetal e a sua característica.

a) Meristemas – células pequenas, isodiamétricas, homogêneas, sem espaços intercelulares, parede apenas primária e plastídios não diferenciados.

b) Periderme – tecido secundário protetor, que substitui a epiderme quando a raiz e/ou caule adquire(m) estrutura(s) secundária(s).

c) Colênquima – geralmente suas células não mantêm seus protoplastos vivos na maturidade e apresentam parede secundária lignificada (sistema de sustentação).

d) Floema – formado basicamente por elementos crivados (células crivadas e elementos tubo-crivados), células companheiras ou albuminosas, fibras floemáticas e célula de parênquima.

12. (PUC-CAMPINAS) As árvores possuem vários tipos de tecidos.

TECIDO

FUNÇÃO

LOCALIZAÇÃO NA  PLANTA

Esclerênquima Sustentação

I

Epiderme Revestimentoe impermeabilização Partes jovens da planta e folhas
Colênquima

II

Toda a planta

III

Condução de seiva bruta Das raízes até as folhas
Meristema primário

IV

Ápices de caules e raízes

Para completar corretamente a tabela acima, deve-se substituir I, II, III e IV, respectivamente, por:

a) Folhas e raízes, reserva energética, floema, multiplicação celular e crescimento.

b) Associado ao sistema condutor, sustentação, xilema, multiplicação celular e crescimento.

c) Caule, condução de seiva elaborada, parênquima, preenchimento de espaços internos.

d) Tronco, proteção e condução de seiva elaborada, meristema, reprodução assexuada.

e) Interior dos feixes liberianos, fotossíntese, lenho, reprodução.

13. (UFV) No caule de uma planta dicotiledônea, aparecem dois meristemas que fazem crescerem espessura. Um deles produz líber para fora e lenho para dentro; o outro, mais periférico, forma súber ou cortiça. Esses meristemas secundários são respectivamente:

a) Feloderma e esclerênquima.

b) Câmbio e felogênio.

c) Felogênio e endoderma.

d) Câmbio e esclerênquima.

e) Felogênio e câmbio.

14. (UNESP)A análise do líquido coletado pelo aparelho bucal de certos pulgões, que o inseriram no caule de um feijoeiro adulto, revelou quantidades apreciáveis de açúcares, além de outras substâncias orgânicas. Plântulas de feijão, recém-germinadas, que se desenvolveram sobre algodão, tiveram seus órgãos de reserva alimentar (folhas primordiais modificadas) sugadas por outros pulgões. A análise do líquido coletado dos aparelhos bucais desses pulgões revelou a presença de nutrientes orgânicos. Os resultados dessas análises indicam que os pulgões que sugaram o feijoeiro adulto e os que sugaram as plântula recém-germinadas inseriram seus aparelhos bucais, respectivamente, no:

a) Parênquima clorofiliano e súber.

b) Xilema e cotilédones.

c) Esclerênquima e xilema.

d) Floema e súber.

e) Floema e cotilédones.

15. (UFLA) Determinados órgãos vegetais quando adquirem estrutura secundária substituem a epiderme pela periderme. A denominação periderme é dada ao conjunto de:

a) Ritidoma, feloderma e felogênio.

b) Câmbio, súber e felogênio.

c) Felogênio, cilindro central e câmbio.

d) Colênquima, parênquima cortical e cortiça.

e) Súber, felogênio e feloderma.

16. (UFBA) Os pulgões têm seu aparelho bucal formado por delicadíssimos estiletes, os quais penetram nos tecidos das plantas e lhes sugam o alimento. (…..) periodicamente eles excretam pequenas gotas de um líquido açucarado, o qual é avidamente procurado por certas formigas. Aliás, estas chegam mesmo a cuidar dos afídeos, protegendo-os de seus predadores naturais (…..) ou transportando-os do chão para cima dos ramos das plantas.

O tecido vegetal de onde os pulgões retiram seu alimento é:

a) A epiderme.

b) O floema.

c) O xilema.

d) O colênquima.

e) O esclerênquima.

17. (UPE) Estabeleça a associação entre cada tecido vegetal listado na coluna I e as características apresentadas na coluna II.

COLUNA I

1. Periciclo

2. Xilema

3. Floema

4. Colênquima

5. Esclerênquima

COLUNA II

(  ) Tecido complexo formado por vários tipos de células, dentre elas os elementos de vasos e os traqueídeos.

(   ) Tecido de sustentação formado por células vivas, com paredes espessas, constituídas de celulose, pectina e outras substâncias.

(   ) Tecido responsável pela formação de raízes laterais.

(  ) Tecido mecânico de sustentação, constituído por células com paredes espessas, ricas em celulose e lignina.

(  ) Tecido complexo formado por vários tipos de células, dentre elas destacam-se as células com placas crivadas.

Assinale a alternativa que contempla a sequência correta das associações entre as colunas.

a) 3, 4, 1, 2, 5.

b) 5, 2, 3, 1, 4.

c) 2, 4, 1, 5, 3.

d) 2, 4, 3, 5, 1.

e) 5, 2, 3, 4, 1.

18. (PUC-MG) O súber é:

a) Um tecido de condução encontrado em vegetais superiores com crescimento primário e secundário.

b) Um tecido com função de proteção encontrado em vegetais superiores apenas com crescimento secundário.

c) Uma estrutura utilizada para armazenamento de amido primário, resultante da atividade da periderme.

d) Um pigmento que é responsável pela coloração das flores.

e) Um tecido de revestimento que permite o aumento ou decréscimo na transpiração da planta.

19. (VUNESP) São exemplos de tecido de sustentação, condução e proteção, respectivamente:

a) Súber – traqueídeos – esclerênquima.

b) Epiderme – esclerênquima – súber.

c) Súber – colênquima – fibras.

d) Esclerênquima – traqueídeos – súber.

e) Colênquima – xilema – traqueídeos.

20. (UNIOESTE) Com relação aos tecidos vegetais, escolha a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – O mesófilo foliar é composto por colênquima e esclerênquima.

1 1 – Protoderme, meristema fundamental e procâmbio são constituintes do meristema secundário.

2  2 – Felogênio é um tecido meristemático que origina a feloderme e o súber.

3  3 – A epiderme é formada por várias camadas de células justapostas clorofiladas.

4  4 – O parênquima é composto por células altamente lignificadas, sendo responsável pela sustentação.

21. (UDESC) Os tecidos vegetais são divididos em tecido de formação (meristemáticos) e tecidos adultos (permanentes ou diferenciados). Numere a coluna II de acordo com a coluna I.

COLUNA I

1. Meristema apical ou primário.

2. Parênquima paliçádico e parênquima lacunoso.

3. Tecido de revestimento e proteção.

4. Meristema lateral ou secundário.

5. Tecido de sustentação.

COLUNA II

(  ) Responsável pelo crescimento em espessura; localiza-se no interior da raiz e do caule das gimnospermas, de algumas monocotiledôneas (arbustos) e na maior parte das dicotiledôneas.

(  ) Esclerênquima e colênquima.

(  ) Responsável pelo crescimento em comprimento da planta; localiza-se na ponta da raiz e do caule.

(  ) Epiderme e súber.

(  ) Responsável pela assimilação (fotossíntese); localiza-se nas folhas e nos caules.

Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo.

a) 4 3 1 5 2.

b) 4 5 2 3 1.

c) 1 5 4 2 3.

d) 4 5 1 3 2.

e) 1 3 4 5 2.

22. (UFSC)Tal como sucede com os animais, também as plantas desenvolvidas apresentam as suas células com uma organização estrutural formando tecidos. Os tecidos vegetais se distribuem em dois grandes grupos: tecidos de formação e tecidos permanentes. Com relação aos tecidos vegetais, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

I   II

0  0 – Os meristemas e a epiderme são exemplos de tecidos de formação.

1 1 – Os parênquimas, quando dotados de células ricamente clorofiladas, são tecidos de síntese.

2 2 – As bolsas secretoras, presentes em nectários, juntamente com os canais laticíferos, existentes nas seringueiras, são exemplos de tecidos de secreção.

3 3 – Os tecidos de arejamento se destinam às trocas gasosas entre a planta e o meio ambiente, sendo o floema um dos seus principais exemplos.

4  4 – O xilema e o colênquima são tecidos permanentes.

23. (PUC-SP) As figuras abaixo representam o caule de uma planta após a retirada do anel cortical (anel de Malpighi). Em 2, podemos observar o aspecto apresentado pelo caule algumas semanas depois. Em mais algumas semanas, a planta morre.

23

Isso ocorre porque:

a) A seiva bruta não pode atingir as folhas.

b) A seiva elaborada não pode atingir as folhas.

c) A planta lesada não realiza fotossíntese.

d) A seiva elaborada não pode atingir as raízes.

e) A seiva bruta não atinge as raízes.

24. (UFSC) Muitas árvores apresentam o caule com uma casca muito grossa devido a camadas cada vez mais espessas de súber. Nessas árvores, à medida que o caule fica impermeabilizado pelo súber, as trocas gasosas com o meio continuam a ser realizadas:

a) Somente pelas folhas.

b) Somente pelas raízes e pelas folhas.

c) Somente pelas raízes.

d) Ainda pelo caule, através de hidatódios, que são estômatos modificados existentes no súber.

e) Ainda no caule, através de lenticelas, que são aberturas especiais do súber.

25. (UFUb-MG) Assinale a alternativa que contenha a relação incorreta entre tecido vegetal e sua característica:

a) Colênquima – células alongadas e mortas, paredes com reforço de lignina.

b) Meristema primário – localização nos ápices de caules e raízes, contendo células indiferenciadas.

c) Parênquima – preenchimento de espaços internos. Função de reservas de substâncias e fotossíntese.

d) Lenho – células alongadas e mortas. Paredes espessas, impregnadas de lignina, com reforços adicionais.

e) Líber – células alongadas que se dispõem em cordões desde as folhas até as raízes. Os elementos de tubos crivados apresentam citoplasma e grande vacúolo central.

26. (PUC-Campinas) No segundo ano de vida de uma planta dicotiledônea, depois de um período de descanso invernal, aparecem no caule dois meristemas que a fazem crescerem espessura. Umdeles se forma entre o floema e o xilema, dando o líber para fora e o lenho para dentro; o outro aparece perto da periferia, formando especialmente o súber ou cortiça. Esses meristemas secundários são, respectivamente:

a) Feloderma e esclerênquima.

b) Câmbio e esclerênquima.

c) Felogênio e endoderma.

d) Câmbio e felogênio.

e) Felogênio e câmbio.

27. (UFMG) Identifique as estruturas de 1 a 6 e verifique qual a alternativa errada.

27

a) 2 possui células alongadas, de paredes espessas, sem núcleo e sem citoplasma e também células vivas, sem paredes espessas.

b) 3 possui  células cujas membranas  transversais têm perfurações, através das quais cordões de citoplasma estendem-se entre as células vizinhas.

c) 2 e 3 ocorrem também em 5, que é revestida por  um tecido  portador de estruturas, através das quais ocorrem trocas gasosas com o ambiente.

d) Em 1, 4 e 6 ocorre tecido  não diferenciado, cujas  células têm  grande capacidade de se dividir por mitose.

e) A função de 2 é o transporte de nutrientes orgânicos, e a de 3 é o transporte de água e sais minerais.

28. (UPE) As afirmativas a seguir dizem respeito aos tecidos vegetais.

I   II

0 0 – O colênquima é um tecido formado por células mortas com paredes espessas, lignificadas, rígidas, permitindo aos outros tecidos suportar grandes pressões e tensões.

1  1 – Periderme, tecido  protetor que  ocorre nos caules e raízes, consiste de súber, formado de células vivas e feloderma constituído, geralmente, por células mortas.

2  2 – O xilema é formado  por diversos  elementos:  vasos lenhosos, parênquima lenhoso, fibras lenhosas, sendo os vasos lenhosos os principais.

3  3 – As membranas  transversais  das células  que formam  os vasos liberianos apresentam aberturas, formando as placas crivadas.

4  4 –  Dermatogênio é uma região de tecidos  meristemático  primário, observado num corte de embrião vegetal.

29. (PUC-RS) A figura a seguir representa três tipos de tecidos vegetais que, pelas características morfológicas e estruturais da suas células, são, de A para C, respectivamente:

29

a) Súber, esclerênquima e colênquima.

b) Epiderme, esclerênquima e parênquima paliçádico.

c) Colênquima, esclerênquima e parênquima lacunoso.

d) Súber, colênquima e parênquima conjuntivo.

e) Epiderme, súber e parênquima paliçádico.

30. (UERJ) O esquema abaixo representa a estrutura interna de uma folha.

30

O estômato, estrutura que garante as trocas gasosas entre a folha e o meio ambiente, está indicado, no esquema, pela seta de número:

a) 1.

b) 2.

c) 3.

d) 4.

e) 5.

31. (VUNESP)A tabela abaixo reúne estruturas e função de planta pertencente ao grupo das fanerógamas.

ESTRUTURA

FUNÇÃO

I. Parênquima paliçádico. 1. Transporte de seiva inorgânica.
II. Floema. 2. Absorção de água.
III. Pelos radiculares. 3. Fotossíntese.
IV. Xilema. 4.Transporte de seiva orgânica

Correlacione a estrutura com sua função correspondente e assinale a alternativa correta:

a) I-3, II-1, III-2, IV-4.

b) I-3, II-4, III-2, IV-1.

c) I-2, II-4, III-3, IV-1.

d) I-2, II-3, III-4, IV-1.

e) I-1, II-3, III-4, IV-2.

32. (FUVEST) Sabe-se que os estômatos têm movimentos hidroativos e fotoativos. Podem-se observar os primeiros quando as condições de luminosidade são constantes e varia o suprimento hídrico. Os segundos se observam quando, ao contrário, variam as condições de luminosidade, mantendo-se constante o suprimento hídrico. Com a umidade abrem-se os estômatos, bem como na presença de luz. Diante do exposto, diga o que ocorre quando, mantendo-se invariável o suprimento de água, coloca-se uma planta no escuro.

a) Os estômatos se abrem.

b) Os estômatos se fecham.

c) Os estômatos não alteram as suas estruturas.

d) Os estômatos se retraem internamente à epiderme.

e) Os estômatos se expandem para fora da epiderme.

33. (VUNESP) Das afirmativas abaixo, está correta:

a) Nas plantas, a perda de água nas folhas, sob a forma de vapor, é denominada sudação ou gutação.

b) A partir das raízes, a água alcança as folhas através do floema.

c) A abertura e o fechamento dos estômatos estão controlados por alterações na turgescência das células-guarda.

d) A partir das folhas, a seiva elaborada alcança as raízes através do xilema.

e) Os movimentos estomáticos não são afetados pelos fatores ambientais, tais como luz, temperatura e conteúdo hídrico.

34. (UFGO) Relacione os tecidos vegetais da coluna I com suas respectivas características e exemplos na coluna II.

COLUNA I

1. Parênquima clorofiliano.

2. Meristema primário.

3. Meristema secundário.

4. Colênquima.

5. Esclerênquima.

COLUNA II

(   ) O câmbio é um exemplo desse tecido.

(  ) Tecido  vegetal vivo, com  função  de sustentação,  caracterizado  por possuir  células com espessamento de celulose.

(   ) Constituinte do mesófilo foliar.

(   ) Forma os ápices dos caules e das raízes.

A sequência correta de números na coluna II, de cima para baixo, é:

a) 2, 5, 1 e 3.

b) 3, 4, 1 e 5.

c) 5, 2, 3 e 4.

d) 3, 4, 1 e 2.

e) 2, 5, 4 e 1.

35. (MACK) A figura abaixo representa um sistema, que serve para:

35

a) Conduzir a seiva bruta, composta de água e de sais minerais.

b) Conduzir gases como CO2, durante a fotossíntese.

c) Conduzir seiva orgânica, das folhas às raízes.

d) A transpiração.

e) A gutação, quando a planta perde água pelos hidatódios.

36. O esquema a seguir representa uma experiência que identifica, pela presença de radioatividade, o tecido que serve de transporte aos produtos da fotossíntese.

36

Surge radioatividade no:

a) Esclerênquima, formado por vasos com paredes espessas constituídas de celulose e de lignina.

b) Xilema, formado por vasos associados a células fibrosas com espessas paredes de lignina.

c) Colênquima, formado por um agrupamento compacto de células com espessamentos na parede de celulose.

d) Parênquima, formado por células dispostas irregularmente com grandes espaços intercelulares.

e) Floema, formado por células vivas com membranas de celulose atravessadas por pontes citoplasmáticas.

37. (UNIRIO) Associe as estruturas vegetais com suas funções:

1. Secreção celular.

2. Proteção.

3. Sustentação.

4. Condução.

(   ) Células crivadas.

(   ) Acúleos.

(   ) Nectários.

(   ) Hidatódios.

(   ) Esclereidos.

A associação correta é:

a) 1 2 1 – 3 4.

b) 3 1 2 4 3.

c) 4 1 3 3 2.

d) 4 2 1 – 1 2.

e) 4 2 1 1 3.

38. (UPE) Em relação a tecidos vegetais:

I   II

0 0 – As células dos tecidos parenquimáticos têm funções especiais, como a de se diferenciarem, formando os anexos epidérmicos.

1 1 – O colênquima é considerado um tecido  protetor,  que reveste  o vegetal, regulando o intercâmbio de substâncias entre a planta e o meio.

2 2 – Os  meristemas primários  são tecidos  embrionários ou formativos, que se caracterizam por promoverem o crescimento longitudinal da planta.

3 3 – O líber é um tecido complexo, constituído de vasos liberianos, que conduzem a seiva mineral ou inorgânica.

4 4 – O esclerênquima é considerado um tecido de sustentação, que promove a manutenção da forma do organismo.

39. (UNIVASF) Os estômatos são estruturas epidérmicas, responsáveis por trocas gasosas e transpiração nos vegetais. Com relação a essas estruturas, é incorretoafirmar que:

a) Nos estômatos, entre as células-guarda, células que apresentam cloroplastos, fica uma fenda, o ostíolo.

b) O grau de turgescência das células-guarda é fator determinante da abertura ou do fechamento dos estômatos.

c) Na ausência de luz e de altas concentrações de CO2 nos estômatos, as células-guarda recebem íons K+, absorvem água e tornam-se túrgidas.

d) Quando as células estão túrgidas, os ostíolos estão abertos; quando as células estão murchas, os ostíolos estão fechados.

e) Na maioria dos vegetais, os estômatos ficam na epiderme inferior das folhas; mas podem ocorrer também na epiderme superior.

40. (UFSM) Leia com atenção os conceitos:

Pulgão: inseto sugador alimenta-se de substâncias elaboradas pelos vegetais.

Cipó-chumbo: planta parasita, aclorofilada, emite raízes sugadoras para o interior da planta hospedeira.

Erva-de-passarinho: planta hemiparasita, clorofilada, emite raízes sugadoras para o interior dos tecidos de plantas hospedeira.

Baseando-se nesses conceitos, pode-se dizer que, provavelmente:

a) O pulgão introduz seu aparato bucal diretamente em vasos do xilema do hospedeiro.

b) O pulgão introduz seu aparato bucal em vãos do floema, de onde retira a seiva elaborada.

c) As raízes do cipó-chumbo buscam a seiva elaborada do hospedeiro, emitindo raízes até o xilema.

d) As raízes do cipó-chumbo retiram apenas água e sais minerais do hospedeiro, atingindo o floema.

e) A erva-de-passarinho, por ser hemiparasita, não realiza fotossíntese e retira os carboidratos do xilema do hospedeiro.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

E

D

C

E

C

C

D

C

E

FFFFV

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

C

B

B

E

E

B

C

B

D

FFVFF

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

D

FVVFV

D

E

A

D

E

FFVVV

B

B

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

B

B

C

D

C

E

E

FFVFV

C

B

 

Anúncios

Responses

  1. Eu gostaria de saber porque a penúltima proposição da questão 20 é incorreta.

    • 20. (UNIOESTE) Com relação aos tecidos vegetais, escolha a(s) alternativa(s) correta(s).
      I II
      0 0 – O mesófilo foliar é composto por colênquima e esclerênquima.
      1 1 – Protoderme, meristema fundamental e procâmbio são constituintes do meristema secundário.
      2 2 – Felogênio é um tecido meristemático que origina a feloderme e o súber.
      3 3 – A epiderme é formada por várias camadas de células justapostas clorofiladas.
      4 4 – O parênquima é composto por células altamente lignificadas, sendo responsável pela sustentação.
      Prezado Lucas
      Veja, a seguir, a explicação que você solicitou.
      ALTERANTIVA 3 3 (“A epiderme é formada por várias camadas de células justapostas clorofiladas.”) – INCORRETA
      JUSTIFICATIVA
      A epiderme é a camada de células mais externa do corpo primário da planta, constituindo o sistema dérmico das folhas, dos órgãos florais, dos frutos e das sementes, bem como dos caules e das raízes até que eles sofram considerável crescimento secundário. Nos órgãos aéreos, as paredes das células epidérmicas são cobertas por uma cutícula, constituída pricipalmente por cutina e cera, substâncias de natureza lipídica que minimizam a perda de água e protegem o vegetal contra o excesso de luz. O “brilho” que certas folhas apresentam, principalmente na face superior, relaciona-se com o fato da cutícula refletir muito bem os raios luminosos. Lembramos que a cutícula é especialmente desenvolvida nas xerófitas, plantas que vivem em climas secos. Na maioria das plantas, a epiderme possui apenas uma camada de células, justapostas e achatadas. Há, entretanto, casos em que as células da protoderme dividem-se paralelamente à superfície do órgão da planta, formando um epiderme múltipla (dotada de várias camadas). Como exemplo de estruturas dotadas de epiderme múltipla, citamos as raízes de algumas monocotiledôneas, incluindo orquídeas e as folhas do fícus italiano ou falsa seringueira (Ficus elastica). Admite-se que essa epiderme atua como um tecido de reserva de água. A epiderme, que é um tecido vivo, apresenta vários tipos de anexos, tais como estômatos (ver ÓRGÃOS DE AREJAMENTO VEGETAL, matéria publicada neste blog no dia 11/09/2010), acúleos e pelos que são estruturas filamentosas formadas por uma ou mais células. COM EXCEÇÃO DAS CÉLULAS QUE FORMAM OS ESTÔMATOS, AS CÉLULAS EPIDÉRMICAS SÃO DESPROVIDAS DE CLOROPLASTOS.
      Djalma Santos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: