Publicado por: Djalma Santos | 14 de setembro de 2014

ECOLOGIA NA UPE

01. (UPE-2014) Leia o texto a seguir:

No Egito e na Antiguidade clássica, vivia um belo e esplendoroso pássaro, de origem mítica, com uma plumagem escarlate e dourada e com um canto melodioso que encantava qualquer um. A Fênix, como era chamada, era dotada de uma capacidade extraordinária: tinha uma longevidade sem precedentes. À medida que sentia a morte se aproximar, ela mesma construía um ninho de ervas aromáticas e, com o próprio calor do corpo – cujas penas pareciam labaredas – ateava fogo a si própria e transformava-se em cinzas. Dessas cinzas, ressurgia outra ave Fênix e, assim, da mesma morte pelo fogo, surgia uma nova e promissora vida.

Fonte: Conecte Bio 1 – Sônia Lopes e Sérgio Rosso.

Essa lenda egípcia remete-nos a uma característica bastante peculiar de um bioma brasileiro.  Assinale a alternativa que indica o bioma o qual tem o fogo, produzido naturalmente, como mecanismo de manutenção da sua biodiversidade.

a) Amazônia.

b) Caatinga.

c) Campo Sulino.

d) Cerrado.

e) Mata Atlântica.

02. (UPE-2013) Um pesquisador levantou fotos antigas e atuais, entrevistou moradores, analisou imagens de satélites e visitou diversas áreas da Floresta Amazônica, procurando conhecer os diferentes estágios de sucessão em áreas degradadas e preservadas. Organizou as informações e propôs 3 etapas.

1ª ETAPA: ILUSTRAÇÃO DA DEGRADAÇÃO PROGRESSIVA

02

Fonte: Monitoramento da cobertura florestal da Amazônia

por satélites (2007-2008). http://www.obt.inpe.br/deter

2ª ETAPA: ATIVIDADE DEGRADADORA

I. Retirada de madeira e queimada.

II. Corte Raso.

III. Recorrência de queimada.

IV. Extração seletiva de Madeira.

3ª ETAPA: CARACTERÍSTICAS ECOLÓGICAS DA SUCESSÃO

A. Área em processo inicial de sucessão, com poucas espécies e espaço para ser colonizado por espécies pioneiras arbustivas ou rasteiras.

B. Permanência apenas das espécies do sub-bosque, com solo exposto para colonização por espécies pioneiras arbustivas ou rasteiras.

C. Área com redução de espécies da comunidade clímax, estimulando a sucessão secundária a partir de árvores jovens que compõem o sub-bosque.

D. Estágio, no qual permanecem algumas poucas espécies da comunidade clímax, predominando espécies do sub-bosque.

Assinale a alternativa que apresenta a correlação correta entre Ilustração, Atividade Degradadora e Características ecológicas da sucessão:

a) 1-I-A; 2-II-C; 3-III-B; 4-IV-D.

b) 1-IV-B; 2-II-A; 3-I-C; 4-III-D.

c) 1-III-B; 2-IV-A; 3-II-C; 4-I-D.

d) 1-I-D; 2-III-B; 3-IV-A; 4-II-C.

e) 1-IV-C; 2-I-D; 3-III-B; 4-II-A.

03. (UPE-2013) As cotias são roedores comuns na Floresta Amazônica e importantes dispersores de sementes, como a castanha-do-pará. Por sua vez, as castanheiras dependem principalmente das cotias para a abertura do fruto, com casca muito dura e espessa. A forma de dispersão das sementes praticada pelas cotias também é essencial para o recrutamento dessa espécie de árvore. Esse roedor enterra grande quantidade de sementes no solo, na intenção de guardá-las para uma próxima refeição. É correto afirmar, nesse caso, que se trata da interação animal-planta do tipo:

a) Mutualismo, que é uma relação entre indivíduos de espécies diferentes; as duas espécies envolvidas são beneficiadas, e a associação é necessária para a sobrevivência de ambas.

b) Protocooperação, que é uma relação na qual as duas espécies envolvidas são beneficiadas, embora vivam de modo independente, sem que isso as prejudique.

c) Inquilinismo, que é uma relação entre indivíduos da mesma espécie ou de espécies diferentes, ligados fisicamente entre si, ocorrendo ou não divisão de trabalho.

d) Simbiose, que é uma relação entre indivíduos de espécies diferentes, em que apenas uma delas se beneficia sem prejudicar ou beneficiar a outra.

e) Comensalismo, que é uma relação mantida entre indivíduos de espécies diferentes, em que apenas uma se beneficia sem prejudicar a outra. Nesse caso, a espécie beneficiada obtém abrigo ou, ainda, suporte no corpo da outra espécie.

04. (UPE-2012) Leia o texto a seguir:

A importância das florestas originais

Recuperar a variedade de plantas e animais de uma floresta é muito mais difícil do que se imaginava. Isso se, de fato, for realmente possível… Uma pesquisa publicada no site da revista Nature, no dia 14/09/11, analisou 2.200 comparações entre florestas primárias e secundárias feitas anteriormente, em 138 estudos, em 28 países de diferentes continentes, como América, Ásia, África e Oceania. Essa avaliação, possivelmente a mais ampla sobre o assunto, concluiu que as florestas primárias tropicais são praticamente insuperáveis em biodiversidade. “Esse padrão depende muito do histórico de perturbação e da paisagem onde as manchas de mata primária estão inseridas”, explica Carlos Peres, brasileiro, e um dos autores do estudo…. Regiões degradadas podem se recuperar sozinhas, mas reflorestar, usando espécies nativas ou de outros ambientes, é um trabalho lento, que pode durar séculos. “Áreas de mata atlântica secundárias com cerca de 400 anos no Paraná ainda não têm o perfil de espécies de plantas de regiões primárias”, alerta o pesquisador. …Foram analisados 12 tipos de interferências humanas que afetam de modo diferente os ambientes. A prática mais agressiva é o uso do fogo, muitas vezes para abrir espaço para a agricultura, enquanto a que oferece menos risco para a biodiversidade é o corte seletivo. A retirada de apenas 3% das árvores de uma floresta já afeta a variedade de espécies do local. A monocultura de árvores de crescimento rápido, como o eucalipto, também é um problema para a biodiversidade, principalmente em locais como a Ásia e o Brasil.

Fonte: adaptado de http://revistapesquisa.fapesp.br/index.php?art=71727&bd=2&pg=1&lg=

Dentre as alternativas, assinale a que apresenta corretamente dois fatores envolvidos na extinção de espécies de floresta e mencionados no texto.

a) Aumento do fluxo gênico e fragmentação das populações.

b) Introdução de espécies exóticas e perda de habitat.

c) Poluição e aumento da extensão da área de ocupação da floresta.

d) Resolução de incertezas taxonômicas e endogamia.

e) Tamanho populacional em progressão e detecção de hibridação.

05. (UPE-2011) A vida na Terra está baseada fundamentalmente no elemento carbono, que compõe a estrutura básica de todas as moléculas orgânicas. Em relação à química desse elemento, a seu ciclo e à dinâmica planetária, analise as proposições e conclua.

I   II

0  0 –  É a versatilidade do carbono, cujos átomos podem se ligar entre si e com átomos de outros  elementos químicos, que torna possível a existência da grande diversidade de moléculas orgânicas.

1  1 –  O ciclo do carbono consiste na fixação desse elemento pelos heterótrofos, por meio da  fotossíntese ou da respiração, processos que incorporam o carbono proveniente das  moléculas de gás carbônico (CO2) do meio a moléculas orgânicas, que ficam disponíveis para os produtores e, através da cadeia alimentar, para os consumidores e decompositores, que restituem o CO2 para o meio através da quimiossíntese ou da fermentação.

2  2 –  O carbono acumulado nos combustíveis fósseis não provém do período Quaternário – época  Recente, tendo sido retirado dos ecossistemas há muito tempo. Com a queima desses combustíveis, como o carvão mineral, o petróleo e o gás natural, ocorreu liberação desse elemento, o que tem contribuído para diminuir a quantidade de gás carbônico na atmosfera.

3  3 – A tectônica de placas desempenha um papel decisivo para a vida na Terra, participando  ativamente do ciclo do carbono. Parte do CO2 atmosférico dissolve-se nos lagos e oceanos, formando, juntamente com o cálcio, o composto carbonato de cálcio (CaCO3), que se deposita no fundo submerso. Nas zonas de colisão, esse composto se decompõe, liberando o CO2, que retorna à atmosfera e evita o aquecimento da Terra.

4   4 – Se não ocorresse a reciclagem de gás carbônico, ocorreria redução na taxa de fotossíntese, ocasionando uma diminuição na oferta de alimento para os seres heterotróficos.

06. (UPE-2011) Na tirinha abaixo, Calvin se reporta ao crocodilo (quadrinho 1), à camuflagem (quadrinho 2) e à predação (quadrinho 3). Embora saibamos que os crocodilos verdadeiros não vivem na Amazônia (quadrinho 1) e sim, na África, podemos fazer um paralelo com nossos jacarés, distribuídos por todo o Brasil, que são predadores, embora também convivam em colaboração com aves que entram em sua boca e se alimentam, removendo detritos e sanguessugas das suas gengivas.

06a

http://depositodocalvin.blogspot.com/search/label/Criaturas – tirinha 187

Na coluna à esquerda, estão relacionados alguns tipos de relação ecológica interespecíficas (representadas por algarismos romanos); na coluna à direita, estão relacionadas adaptações decorrentes da seleção natural (representadas por algarismos arábicos) e, na coluna do centro, as definições e/ou exemplos correspondentes [representada(os) por letras].

6b

Assinale a alternativa que mostra a correta associação entre tipo de relação e/ou adaptação e seus respectivos exemplos.

a) I-A, II-B, III-C, IV-D, 1-E, 2-F, 3-G, 4-H.

b) I-B, II-A, III-F, IV-H, 1-C, 2-D, 3-E, 4-G.

c) I-C, II-D, III-E, IV-G, 1-A, 2-B, 3-F, 4-H.

d) I-F, II-E, III-B, IV-D, 1-G, 2-H, 3-A, 4-C.

e) I-F, II-C, III-H, IV-D, 1-E, 2-B, 3-G, 4-A.

07. (UPE-2010)                                                                                                                                                                 SE UMBUZEIRO FALASSE

 07a7b

 Preencha corretamente as lacunas numeradas neste cordel referentes a (1) um determinado bioma nacional e (2) à região do país onde este é característico e assinale a alternativa correta. 

a) 1-Caatinga / 2-Nordeste

b) 1-Mata atlântica / 2-Sudeste

c) 1- Cerrado / 2-Norte

d) 1-Pampas / 2-Sul

e) 1-Pantanal / 2- Centro-oeste

08. (UPE-2009) Faça a associação entre as três colunas da tabela abaixo.

08

Assinale a alternativa que apresenta a associação correta.

a) I-1-B; II-4-D; III-3-C; IV-2-A.

b) I-2-D; II-3-B; III-4-C; IV-1-A.

c) I-4-A; II-3-C; III-1-B; IV-2-D.

d) I-3-D; II-1-B; III-4-A; IV-2-C.

e) I-4-C; II-2-B; III-3-D; IV-1-A.

09. (UPE-2009) Em determinado pomar de laranjas-cravo, foi aplicado DDT contra uma praga de lagartas que afetava os cultivares. Analise a teia alimentar encontrada na região e responda.

09

Qual nível trófico apresenta maior concentração do poluente em seus tecidos?

a) Laranjeiras.

b) Lagartas.

c) Sapos.

d) Cobras.

e) Corujas.

10. (UPE–2008) Todos os organismos buscam adaptar-se ao meio em que vivem, seja nos aspectos anatômicos, fisiológicos ou comportamentais. Analise os exemplos de adaptação abaixo.

I. A pelagem das raposas-do-ártico, que é branca durante o inverno e acinzentada em outras épocas do ano, quando não há neve.

II. As flores de orquídea Ophrys apifera, que se assemelham às fêmeas de uma espécie de abelhas e atraem zangões, que transportam o pólen, agindo como polinizadores.

III. A falsa-coral (Erithrolampus aesculapi), serpente sem dentes injetores de peçonha, e a coral-verdadeira (Micrurus coralinus) altamente peçonhenta.

IV. O inseto conhecido como bicho-pau, que se assemelha a gravetos.

Assinale a alternativa correta.

a) I, II e III são exemplos de mimetismo.

b) II e III são exemplos de mimetismo.

c) Todos são exemplos de camuflagem.

d) Apenas o IV é exemplo de camuflagem.

e) III e IV são exemplos de camuflagem.

11. (UPE–2008) Na sucessão ecológica, existe uma sequência ordenada e gradual de populações, que se instalam em determinado ambiente.

11Após observar o esquema da sucessão ilustrado acima, analise as cinco afirmações a seguir e conclua.

I  II

0  0 – Os liquens podem ser considerados facilitadores do processo de sucessão, pois eles vão gradualmente agregando matéria orgânica e melhorando as condições ambientais. São organismos pioneiros.

1  1 – A sucessão ilustrada acima é do tipo primária, caracterizada por sua maior rapidez em atingir o máximo de desenvolvimento e estabilidade, em comparação à sucessão secundária de um campo de cultivo abandonado.

2  2 – À medida que evolui o processo de sucessão ecológica, aumenta a biodiversidade, enquanto diminui a biomassa do ecossistema em formação.

3  3 – A sucessão que acontece nas dunas recém-formadas, pela ação constante dos ventos em regiões do litoral, representa sucessão secundária, e seu estágio de comunidade clímax sofre alterações estruturais constantes.

4  4 – O surgimento de novos nichos ecológicos, durante a sucessão ecológica, resulta em aumento da biodiversidade na comunidade.

12. (UPE–2008) O capítulo IV, da Constituição Federal do Brasil, referente ao meio ambiente, no Art. 225, afirma.

12Sobre o cumprimento deste artigo da nossa Constituição, analise as afirmativas abaixo.

I. Para evitar o efeito de eutrofização dos lagos, deve ser proibido o uso de pesticidas e herbicidas nas regiões circunvizinhas.

II. A retirada das espécies predadoras do meio ambiente é importante medida para o equilíbrio das cadeias alimentares nos ecossistemas.

III. Introdução de espécies mais competitivas e resistentes e retirada de espécies parasitas nas regiões de florestas e campos são ações positivas para o aumento da biodiversidade.

IV. Controle da emissão de gases poluentes, como o CO2 e CH4, o que contribui para a diminuição do efeito estufa.

Como mecanismos de ação efetiva para preservação do meio ambiente em território nacional e no mundo, somente está correto o que se afirma em:

a) I e II, apenas.

b) II e III, apenas.

c) III e IV, apenas.

d) I.

e) IV.

13. (UPE–2007) O almoço está na mesa! É assim o dia a dia nas nossas florestas. Uma anta, à margem do rio, alimenta-se de grama, enquanto, no seu pelo, carrapatos infestantes a deixam de mau humor. Um barulho chama sua atenção. É uma onça que a espreita, preparando-se para o bote certeiro. As relações ecológicas citadas no texto da anta com o vegetal, com o carrapato e com a onça podem ser caracterizadas como:

a) Herbivorismo, parasitismo e canibalismo.

b) Parasitismo vegetal, parasitismo animal e predatismo.

c) Herbivorismo, parasitismo e predatismo.

d) Uma relação harmônica e duas desarmônicas.

e) Comensalismo, pois tratam de relações para obtenção de alimentos.

14. (UPE-2007) A gralha-azul é a grande semeadora de pinheiros em uma formação fitogeográfica, onde predomina o Pinheiro-do-Paraná, em meio a arbustos, gramíneas e outras árvores, como canela e erva-mate. Estende-se pelo Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. Assinale a alternativa que contempla o bioma típico dessa descrição.

a) Cerrado.

b) Floresta de Cocais.

c) Floresta de Araucárias.

d) Floresta Atlântica.

e) Floresta Amazônica.

15. (UPE–2006) Sobre as interferências do homem no meio ambiente e suas consequências negativas, analise as afirmativas.

I   II

0   0 – A queima de combustíveis fósseis, a exemplo do óleo diesel, libera, na atmosfera, o dióxido de enxofre (SO2) e o dióxido de nitrogênio (NO2). Esses gases reagem com o vapor de água da atmosfera, originando o ácido sulfúrico e o ácido nítrico, precipitando-se, como chuva ácida, que pode alterar o pH da água de lagos e gerar a mortalidade de peixes.

1   1 – O lançamento de esgoto doméstico diretamente nos rios é uma das principais causas de eutroficação, que reduz os nutrientes e o O2 na água, favorecendo a proliferação de bactérias anaeróbicas na água e causando a morte de outros organismos aeróbicos.

2   2 – A utilização da água de lagos e mares no resfriamento dos reatores em usinas nucleares provoca a elevação da temperatura dessas águas, favorecendo o desenvolvimento de fungos e bactérias, que causam doenças em peixes e outros organismos, geralmente elevando a taxa de mortalidade dessas populações.

3   3 – O derramamento de petróleo no mar afeta diretamente os animais marinhos, pois se impregna na superfície de seus corpos, matando-os por intoxicação ou asfixia. Nas aves marinhas, o petróleo adere às suas penas, impossibilitando seu voo e, nos peixes, adere-se às brânquias, impedindo sua respiração.

4   4 – No fenômeno da inversão térmica, que ocorre principalmente nas metrópoles e nos grandes centros urbanos, durante o inverno, o ar quente fica preso às camadas mais próximas do solo, e o ar frio, mais denso, sobrepondo-se a essa camada, onde existe concentração de poluentes.

16. (UPE–2006) Os recifes são elementos da paisagem litorânea do Estado de Pernambuco, que deram o nome à sua capital. Essa designação foi registrada, pela primeira vez, no Diário de Pero Lopes de Souza, em 1532. Os recifes representam um dos ecossistemas marinhos de maior importância, por fornecer abrigo, alimento e condições propícias à reprodução para uma rica biodiversidade. Nesses ambientes, os organismos encontram-se em relações ecológicas de:

I   II

0   0 – Protocooperação – existente entre peixes de diferentes espécies que se beneficiam mutuamente, como no caso dos “peixes limpadores”, que se alimentam de parasitas que se desenvolvem entre as escamas da epiderme de outros peixes maiores.

1   1 – Competição – em que organismos bentônicos, como dois corais de espécies distintas que competem por espaço e por alimento nas superfícies do recife, numa relação interespecífica com prejuízo recíproco.

2  2 – Sociedade – entre a anêmona-do-mar e o caranguejo-ermitão, o conhecido paguro, que vivem numa relação harmônica, em que o paguro transporta a anêmona-do-mar, oferecendo-lhe maior disponibilidade de alimentos em troca de proteção.

3  3 – Inquilinismo – uma relação desarmônica que pode ser exemplificada por um pequeno peixe, o fierasfer, que vive protegido dentro do corpo do pepino-do-mar, de onde sai apenas para se alimentar.

4  4 – Amensalismo – em que as substâncias secretadas por dinoflagelados, responsáveis pelo fenômeno “maré vermelha”, podem determinar a morte da fauna marinha.

17. (UPE-2004) Esta questão está relacionada com o texto a seguir.

17Sobre a dinâmica da população de pombos, analise as afirmativas.

I   II

0  0 – A solução apresentada pela bióloga reduz a densidade populacional de pombos, pois, conforme o potencial biótico, há uma diminuição da taxa de natalidade, alterando o traçado da curva de crescimento de exponencial para sigmoide.

1  1 – A redução dos locais de abrigo nos prédios e o fim da prática de fornecer alimento aos pombos são fatores que aumentam a resistência ambiental, contribuindo para manter a população controlada.

2  2 – A falta de alimento aumenta a taxa de dispersão, causada pela imigração de pombos, diminuindo, assim, a sua densidade populacional.

3  3 – A introdução dos falcões pode conter o crescimento exagerado da população de pombos, a exemplo do que ocorre entre as populações de lebres e linces, que ocupam um mesmo nicho ecológico, obedecendo, assim, ao princípio de Gause.

4 4 – As alternativas adotadas pelos prefeitos europeus e pelos moradores da vila do IPSEP provocam um aumento da taxa de natalidade em relação à de mortalidade.

18. (UPE-2004) Um agricultor aplicou um defensivo agrícola sobre a sua plantação, afetando os organismos abaixo. Complete a cadeia alimentar estabelecendo o fluxo de matéria e energia, identificando os níveis tróficos ocupados pelos organismos.

18

Assinale o organismo que apresenta maior concentração do pesticida.

a) A planta.

b) O gafanhoto.

c) O sapo.

d) A cobra.

e) O gavião.

19. (UPE-2002) Analisando o esquema representativo do ciclo do nitrogênio na natureza, o que você conclui?

19

I    II

0    0 – A fixação do nitrogênio, que é mediada por cianobactérias e bactérias do solo, por ação da nitrogenase, é representada pelas etapas D, no esquema.

1   1 – Uma associação de mutualismo, verificada entre leguminosas e bactérias do gênero Rhizobium, garante produção de amônia como resultado da fixação do nitrogênio atmosférico pela bactérias.

2   2 – A etapa F, conhecida por nitrificação, é a principal fonte de nitratos do solo que são produzidos por descargas elétricas atmosféricas.

3   3 – A decomposição de restos orgânicos – plantas, animais e dejetos – representada na etapa C do esquema, resulta em amônia, numa reação conhecida por desnitrificação.

4   4 – Nitrosação, realizada por bactérias quimiossintéticas, corresponde à transformação de amônia em nitratos e destes em nitrogênio livre, quer é lançado na atmosfera e reaproveitado pelas plantas durante a respiração.

20. (UPE-2001) Associação entre organismos.

I    II

0  0 – O fenômeno da maré vermelha, causado por certas espécies de algas marinhas planctônicas, que eliminam substâncias tóxicas e provocam a morte da fauna local, representa um caso de Amensalismo, uma relação interespecífica desarmônica.

1   1 – A viúva negra (Latrodectus) foi assim denominada pelo fato de que a fêmea devora o macho após o ato sexual, fenômeno esse chamado de Canibalismo, pois um animal mata e devora o outro da mesma espécie.

2  2 – As orquídeas e as bromélias são exemplos clássicos de plantas epífitas, ou seja, vegetais de pequeno porte, que vivem sobre árvores, buscando retirar alimentos e captar a luz solar.

3  3 – As plantas insetívoras representam os raros casos de Predatismo vegetal, aprisionamento e digestão de insetos de pequeno porte, o que caracteriza uma relação desarmônica interespecífica.

4   4 – As hienas acompanham, a distância, os leões e alimentam-se dos restos da caça desses ativos predadores e representam um exemplo de Comensalismo, uma relação harmônica intraespecífica, pois não há prejuízo para nenhum dos indivíduos da associação.

gab

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: