Publicado por: Djalma Santos | 5 de agosto de 2015

TESTES DE PERMEABILIDADE CELULAR (3)

01. (INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO) Uma espécie de alga unicelular foi colocada em um tubo de ensaio (I) contendo uma determinada solução salina e o seu volume vacuolar foi analisado. Após certo tempo, as algas foram transferidas para outro tubo de ensaio (II) e o seu volume vacuolar foi novamente analisado. E, em seguida, elas foram transferidas para outro tubo de ensaio (III) e repetiu-se a análise. As variações de volume foram ilustradas em um gráfico.

01

Pode-se concluir que os diferentes tubos de ensaio (I, II e III) continham, respectivamente, soluções:

a) Hipotônica, isotônica e hipertônica.

b) Hipertônica, hipotônica e isotônica.

c) Isotônica, hipertônica e hipotônica.

d) Isotônica, hipotônica e hipertônica.

e) Hipotônica, hipertônica e isotônica.

02. (UFSC) A membrana plasmática contém e delimita o espaço interno da célula, “isolando-o” do ambiente ao seu redor. Sua composição lipoproteica e estrutura lhe conferem uma de suas propriedades fundamentais: a permeabilidade seletiva. Numere a coluna 2 identificando o tipo de transporte de membrana indicado na coluna 1.

COLUNA 1

I. Transporte Ativo

II. Difusão

III. Osmose

COLUNA 2

(   ) Transporte com “gasto” de energia

(   ) Transporte de soluto do meio hipotônico para o meio hipertônico

(   ) Transporte de soluto do meio hipertônico para o meio hipotônico

(   ) Transporte de solvente do meio hipotônico para o meio hipertônico

(   ) Bomba de sódio e potássio

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

a) I – II – I – I – II.

b) II – II – III – II – I.

c) II – I – III – III – I.

d) I – II – II – I – II.

e) I – I – II – III – I.

03. (IFSul) Nossas células utilizam a glicose como fonte de energia, consumindo-a constantemente através dos processos oxidativos. Verifica-se frequentemente que as células absorvem essa substância mesmo quando sua concentração intracelular é maior que a extracelular e, portanto, contra um gradiente de concentração. Entre os mecanismos de transporte através da membrana celular, identifique aquele que caracteriza a absorção da glicose pelas células, considerando as informações contidas no texto.

a) Difusão facilitada que ocorre sem “gasto” de energia.

b) Transporte ativo que ocorre com “gasto” de energia.

c) Osmose que ocorre sem “gasto” de energia.

d) Fagocitose que ocorre com “gasto” de energia.

04. (CEFET-MG) O processo de osmose, caracterizado pela passagem de solvente de um meio hipotônico (menos concentrado) para um meio hipertônico (mais concentrado) ajuda a controlar a diferença na concentração de sais em todas as células vivas. Sabe-se que o consumo superior a 2g de sódio por pessoa ao dia é prejudicial à saúde, pois causa a(o):

a) Hemólise das hemácias.

b) Acúmulo de colesterol nas artérias.

c) Aumento do volume do sangue circulante.

d) Interferência na transmissão do impulso nervoso.

e) Intensa eliminação de urina com altas taxas de sal.

05. (UFU) A análise bioquímica do conteúdo iônico de células de um mamífero revelou diferentes concentrações de sódio e potássio nos meios intra e extracelular. Após o tratamento dessas células com determinada droga, observa-se que as concentrações desses íons se igualam dentro e fora das mesmas. De acordo com o enunciado, é correto afirmar que a droga em questão teve maior atividade funcional:

a) No processo de tradução.

b) No processo de transcrição.

c) Na cadeia transportadora de elétrons.

d) No transporte de Cloro.

06. (UFPB) Anualmente, em todo o mundo, grandes áreas de plantio são perdidas devido à salinização do solo, o que impossibilita a sobrevivência de vegetais. Grande parte desse problema ocorre devido à entrada excessiva do íon sódio nas células, levando à morte celular, pela sua alta toxicidade. Diversos estudos buscam solucionar esse problema utilizando diferentes estratégias. Uma estratégia que pode ser utilizada para minimizar a alta toxicidade dos íons sódio na célula vegetal, sem prejudicar o seu funcionamento, é:

a) Aumentar o número de proteínas do tipo bombas de efluxo de íons sódio.

b) Aumentar a rigidez da membrana plasmática.

c) Aumentar a disponibilidade de água para a célula vegetal.

d) Impedir a expressão gênica de todas as permeases da célula, visto que essas proteínas realizam a difusão facilitada.

e) Impedir a osmose, fazendo com que a célula não perca água para o meio externo.

07. (UFPA) Numerosos exemplos de atividade de transporte pela membrana são vistos durante a atividade fisiológica dos rins. Por exemplo: o HCO3 formado intracelularmente é devolvido por difusão para a circulação sistêmica por um transportador Cl/HCO3, na região basolateral da célula renal, enquanto o H+ entra no lúmen do túbulo renal por uma das duas bombas de prótons apicais, H+/ATPase ou H+-K+/ATPase. Sobre os solutos transportados e seus transportadores e estas atividades direcionadas através da membrana plasmática da célula renal, é correto afirmar:

a) O transporte direcionado de HCO3 e de H+ na membrana plasmática da célula renal consome ATP.

b) H+/ATPase é uma bomba iônica de atuação similar à Na+-K+/ATPase, e ambas atuam a favor do gradiente de concentração dos solutos.

c) O transportador Cl/HCO3 regula a alcalose metabólica por transporte ativo.

d) A difusão do HCO3 pela membrana da célula ocorre a favor do gradiente de concentração do soluto.

e) A atuação da H+/ATPase ou da H+-K+/ATPase na célula renal gera despolarização de membrana.

08. (UEFS) A figura abaixo sequencia esquematicamente a dinâmica de um processo de transporte transmembrana, evidenciando alterações conformacionais inerentes ao processo.

08

Com base em princípios da fisiologia celular, a análise da ilustração subsidia a compreensão de que:

a) A ação da proteína representada caracteriza o mecanismo de transporte transmembrana identificado como simporte.

b) O mecanismo ilustrado é uma estratégia celular que assegura a isotonia das concentrações dos íons sódio e potássio, entre os meios intracelular e extracelular.

c) A organização da membrana como uma bicamada lipídica é uma adaptação que, por si só, estabeleceu um meio favorável à difusão de íons.

d) A mudança conformacional da ATPase, resultante da fosforilação pelo ATP, contextualiza o transporte ativo sódio-potássio.

e) O processo de transporte dos íons sódio e potássio envolve, simultaneamente, ações de cinco ATPases.

09. (UEPG) As células vivas estão sujeitas a sofrer osmose. Ao longo do processo evolutivo, os animais adaptaram-se a diversos mecanismos para regular o processo osmótico a que estão sujeitos. Com relação a esse controle de osmorregulação e excreção dos mais diversos animais, assinale o que for correto.

01. Animais aquáticos, em geral, não conseguem suportar variações pronunciadas na salinidade do meio onde vivem. São os chamados de estenoalinos. Porém, existem animais aquáticos bem adaptados a sobreviver em ambientes onde a salinidade varia muito, como nas regiões de estuário. A esses últimos denominam-se eurialinos.

02. A maioria dos invertebrados aquáticos e peixes ósseos de água doce excretam amônia (amoniotélicos), substância tóxica e solúvel, que demanda grande quantidade de água para ser eliminada.

04. Os túbulos de Malpighi são os órgãos excretores dos insetos e de alguns outros artrópodos. Os túbulos de Malpighi absorvem substâncias da hemolinfa, lançando-as em seguida no intestino, onde se misturam com as fezes. Água e sais são reabsorvidos no reto intestinal, e os excretas, principalmente constituídos por ácido úrico, são eliminados com as fezes.

08. O rim pronefro localiza-se na região anterior do corpo. Esse tipo de rim é formado por néfrons tubulares, dotados de um funil ciliado que se abre na cavidade celômica. Os excretas retirados do fluido celômico são lançados em dutos excretores que os levam para fora do corpo.

16. Nos humanos, a reabsorção da água pelos rins está sob controle do hormônio antidiurético (ADH). Esse hormônio é sintetizado no hipotálamo e liberado pela glândula hipófise. O ADH atua sobre os túbulos renais, provocando o aumento da reabsorção de água do filtrado glomerular.

Soma das alternativas corretas:

10. (UDESC) Analise as proposições em relação ao problema osmótico nos peixes.

I. Os peixes ósseos marinhos possuem o sangue com pressão osmótica superior à da água do mar. Sendo assim, os peixes ganham água e perdem sais minerais por osmose.

II. Os peixes de água doce perdem sais minerais por difusão nas brânquias, pelo fato de a pressão osmótica ser menor na água doce do que a pressão do sangue dos peixes. Sendo assim, a água entra, por osmose, no sangue dos peixes.

III. Para que as hemácias do sangue dos peixes de água doce não sofram hemólise, eles eliminam muita urina diluída.

IV. Os peixes ósseos marinhos não bebem muita água, pelo fato de a pressão osmótica do sangue ser superior à da água do mar.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

11. (PUC-PR) A seiva elaborada é transportada por um tecido especializado denominado floema. A hipótese mais aceita para explicar a condução de seiva elaborada é a hipótese de Munch (1926). Munch associou o transporte de seiva ao gradiente de pressão. Existe diferença de pressão de turgescência entre o local de carregamento (produção de seiva) e o local de descarregamento (local de acúmulo de seiva). Para explicar a condução de seiva, pode-se fazer uso do osmômetro de Munch. Observe o esquema a seguir.

11

Os osmômetros 1 e 2 estão ligados por um tubo 3 e mergulhados em um recipiente com água pura ligados entre si por um tubo 4. No osmômetro 1 a solução de sacarose é mais concentrada que a solução do osmômetro 2. A água flui do recipiente para dentro dos osmômetros (1 e 2). Entra água com mais intensidade no osmômetro 1 do que no 2, pois a solução em 1 possui maior concentração de sacarose que a 2, sendo maior a pressão osmótica em 1. Essa diferença de entrada de água vai gerar uma corrente no sentido osmômetro 1 → osmômetro 2. Os osmômetros 1 e 2 são formados por membranas semipermeáveis. Comparando-se o sistema descrito com uma planta viva, é possível afirmar.

a) O osmômetro 2 representa as folhas ou órgãos de reserva com grande concentração de açúcares ( sacarose), local de carregamento de material orgânico.

b) O osmômetro 1 representa as folhas ou órgãos de reserva com grande concentração de açúcares ( sacarose), local de carregamento de material orgânico.

c) O tubo 3 representa os vasos do xilema e o tubo 4 representa os vasos do floema.

d) O fluxo de seiva bruta ocorre unicamente por carregamento no sentido folha raiz.

e) O osmômetro 1 representa os vasos do xilema e o osmômetro 2 os vasos do floema.

12. (CEFET-MG) Analise a figura a seguir.

12

As hemácias e células vegetais, quando colocadas em meios hipotônicos, comportam-se de forma diferente devido a:

a) Porosidade da membrana celular dos dois tipos celulares.

b) Inexistência de núcleo das hemácias representadas em A.

c) Presença de cloroplastos no tipo de célula indicado por B.

d) Existência de parede celulósica nas células vegetais mostradas em B.

e) Diferença de funcionamento da membrana plasmática entre os tipos celulares A e B.

13. (UEA) Hemácias obtidas em uma única coleta de sangue foram distribuídas em três tubos de ensaio. O esquema abaixo representa o início da experiência.

13

Alguns minutos depois foram feitas as seguintes observações:

Tubo I: volume das hemácias inalterado.

Tubo II: volume das hemácias reduzido.

Tubo III: presença de hemoglobina dissolvida na água.

A experiência permite concluir corretamente que as hemácias:

a) São hipertônicas em relação à solução do tubo I.

b) São hipertônicas em relação à solução do tubo II.

c) Sofreriam plasmoptise (hemólise) numa solução de NaCl em água, mais concentrada do que a do tubo II.

d) Têm pressão osmótica igual à da solução do tubo I.

e) Arrebentaram no tubo III porque são isotônicas em relação à água destilada.

14. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA.) Quando, através de uma membrana celular (plasmalema), é realizado o transporte simultâneo de duas diferentes substâncias em uma mesma direção, caracteriza-se esse tipo de proteína carreadora, bem como o mecanismo de transporte ativo por ela possibilitado, como um:

a) Antiporte.

b) Uniporte.

c) Simporte.

d) Transporte.

15. É prática comum temperarmos a salada com sal, pimenta-do-reino, vinagre e azeite, porém, depois de algum tempo, observamos que as folhas vão murchando. Isso acontece porque:

a) O meio é mais concentrado que as células.

b) O meio é menos concentrado que as células.

c) O meio apresenta concentração igual à das células vegetais.

d) As células do vegetal ficam túrgidas quando colocadas em meio hipertônico.

e) Por uma razão diferente das citadas acima.

16. (PUC-SP) Duas células vegetais, designadas por A e B, foram mergulhadas em meios diferentes. Logo após, notou-se que a célula A apresentou considerável aumento de volume vacuolar, enquanto a célula B apresentou retração de seu vacúolo e de seu citoplasma. A partir desses resultados, pode-se afirmar que as células A e B foram mergulhadas em soluções, respectivamente:

a) Isotônica e hipertônica.

b) Isotônica e hipotônica.

c) Hipotônica e isotônica.

d) Hipotônica e hipertônica.

e) Hipertônica e hipotônica.

17. (UEMG) Observe a figura abaixo. A representa hemácias mergulhadas em um meio isotônico. Ao serem mergulhadas no meio B, sofreram hemólise.

17

Em relação ao fenômeno ocorrido, pode-se afirmar que:

a) o meio B é hipotônico em relação às hemácias.

b) as hemácias são hipotônicas em relação ao meio B.

c) ocorreu difusão de solutos das hemácias para o meio.

d) a hemólise é provocada pelo transporte ativo de solvente e não tem relação com a tonicidade das soluções.

18. (ENADE) Hemácias humanas foram imersas em duas soluções das substâncias I e II, marcadas com um elemento radioativo, para estudar a dinâmica de entrada dessas substâncias na célula. Os resultados estão apresentados no gráfico abaixo.

18

Com base nesses resultados, pode-se concluir que as substâncias I e II foram transportadas para dentro da célula, respectivamente, por:

a) Transporte ativo e difusão simples.

b) Difusão facilitada e transporte ativo.

c) Difusão simples e transporte ativo.

d) Fagocitose e pinocitose.

e) Osmose e difusão facilitada.

19. (UFSM) Hemácias humanas foram colocadas em um meio com concentrações diferentes. Pelo formato das células I, II e III, sabe-se que os meios se classificam, respectivamente, como:

19

a) Isotônico – hipotônico – hipertônico.

b) Hipertônico – isotônico – hipotônico.

c) Hipotônico – hipertônico – isotônico.

d) Hipotônico – isotônico – hipertônico.

e) Isotônico – hipertônico – hipotônico.

20. (COVEST) Em relação aos transportes através da membrana, não é correto afirmar que:

a) A diferença entre difusão simples e difusão facilitada é que a primeira é um processo passivo, enquanto a segunda é um tipo de transporte ativo.

b) Transporte passivo refere-se ao movimento do soluto da região de maior concentração para a de menor concentração.

c) Transporte ativo é caracterizado por ocorrer contra um gradiente de concentração e “consumir” energia.

d) A osmose é um transporte passivo.

e) A fagocitose é um processo que envolve a ingestão de materiais sólidos em bloco, pela célula.

gab

Anúncios

Responses

  1. Professor! vc pode explicar a questão 18?

    • Caro Rafael
      Veja, abaixo, a resolução da questão que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA: A (“Transporte ativo e difusão simples.”).
      – O gráfico contido na figura evidencia diferenças entre os transportes que não dependem de proteínas carreadoras (DIFUSÃO SIMPLES e transporte mediado por canais proteicos), representado por II, e os dependentes de carreadores (difusão facilitada e TRANSPORTE ATIVO), representado por I. Para os não mediados por carreadores (II), constata-se que, à medida que a concentração das moléculas transportadas aumenta, a velocidade de transporte aumenta proporcionalmente. Nas formas de transporte mediado por proteínas carreadoras (I), por outro lado, percebe-se que, com o aumento da concentração de moléculas transportadas, a velocidade de transporte aumenta apenas até certo ponto de saturação (velocidade máxima). Nesse ponto, todos os carreadores presentes na membrana estão participando do transporte de substância.
      COMPLEMENTO
      I. Proteínas de canal: respondem pela formação de canais hidrofílicos através dos quais certos íons (Na+, K+, Cl-, Ca++) e moléculas podem atravessar a membrana plasmática. Em face de nesses canais não ocorrer ligação entre os solutos e as proteínas que o compõem, o transporte através deles é relativamente rápido, sendo diretamente proporcional à concentração do soluto. Esses canais são dotados de uma elevada seletividade, decorrente de características próprias, tais como seu diâmetro e a disposição de cargas elétricas ao longo deles. Para se ter uma ideia da importância das proteínas canais, a falta de canais de cloro, por exemplo, causa uma doença autossômica recessiva denominada fibrose cística. Essa doença se caracteriza pelo acúmulo crônico de um muco anormal no interior dos dutos do pâncreas (afetando a produção de enzimas digestivas) e das vias respiratórias, resultando em alterações pulmonares e infecções persistentes, bem como uma perda excessiva de sal pelo suor. As aquaporinas, que formam canais de passagem para as moléculas de água através das biomembranas, pertencem ao grupo das proteínas de canal.
      II. Proteínas carreadoras: estas proteínas ligam-se, especificamente, a pequenas moléculas (glicose, aminoácidos, nucleotídeos, etc.), sofrem alterações conformacionais e liberam as moléculas no outro lado da membrana. Elas funcionam, dessa forma, como enzimas, facilitando o transporte de moléculas específicas através da membrana. Ressaltamos que a translocação de moléculas mediada por carreadores tende a ser mais rápida do que nos canais proteicos. O transporte mediado por carreadores, entretanto, apresenta uma velocidade máxima, que é atingida quando todos os carreadores presentes na membrana estão “trabalhando” em atividade máxima.
      III. Difusão simples: é o processo através do qual as partículas de soluto se movimentam de um meio hipertônico para a um meio hipotônico, através de uma membrana permeável, até que seja atingido o equilíbrio entre os dois compartimentos. A velocidade da difusão depende da solubilidade dos solutos em relação aos lipídios e do tamanho das moléculas. Quanto maior a solubilidade das moléculas nas membranas, maior será a permeabilidade e mais rápido o transporte. Moléculas com a mesma solubilidade, terão, via de regra, o tamanho como fator limitante. Dessa forma, as que forem menores permeiam mais facilmente através da membrana. Como exemplo de difusão simples, citamos as trocas gasosas que ocorrem entre as células e o ambiente
      IV. O transporte ativo, da mesma forma que a difusão facilitada, é mediado por proteínas carreadoras. No ativo, ao contrário da difusão facilitada, o carreador “consome” energia para promover o transporte de substâncias contra gradiente de concentração ou contra gradiente eletroquímico.
      Sucesso
      Djalma Santos

  2. Vc poderia me explicar a questão 1

    • Prezado Matheus
      Veja, a seguir, a resolução da questão que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA: C (“Isotônica, hipertônica e hipotônica.”).
      JUSTIFICATIVA (ACOMPANHE O RACIOCÍNIO UTILIZANDO O GRÁFICO)
      – Tubo 1:
      * Não houve alteração do volume.
      * SOLUÇÃO ISOTÔNICA.
      – Tubo 2:
      * Houve redução do volume.
      * SOLUÇÃO HIPERTÔNICA.
      – Tubo 3:
      * Houve aumento do volume.
      * SOLUÇÃO HIPOTÔNICA.
      – Sugiro que você faça uma revisão envolvendo permeabilidade celular:
      I. Soluções isotônica, hipotônica e hipertônica.
      II. Transporte passivo:
      IIa. Diálise (difusão simples).
      IIb. Difusão facilitada
      IIc. Osmose (animal e vegetal).
      III. Transporte ativo.
      IV. Transporte mediado por vesículas (transporte em bloco ou em massa):
      IVa. Endocitose (fagocitose e pinocitose).
      IVb. Exocitose.
      Um abraço
      Djalma Santos

  3. poderia explicar a 13? Obrigada!

    • Aline
      Veja, abaixo, a resolução da questão que você solicitou.
      ALTERNATIVA CORRETA D (“Têm pressão osmótica igual à da solução do tubo I.)
      JUSTIFICATIVA
      Interpretando o esquema
      – Tubo I: volume das hemácias não alterada (inalterado).
      * Meio isotônico em relação às hemácias.
      – Tubo II: volume das hemácias reduzido.
      * Meio hipertônico em relação às hemácias, logo hemácias hipotônicas em relação ao meio.
      – Tubo III: presença de hemoglobina dissolvida na água (hemólise).
      * Meio “hipotônico” em relação às hemácias, logo hemácias “hipertônicas em relação ao meio.
      ALTERNATIVA A (“São hipertônicas em relação à solução do tubo I.”) – INCORRETA
      – Hemácias isotônicas em relação à solução.
      ALTERNATIVA B (“São hipertônicas em relação à solução do tubo II.”) – INCORRETA
      * Hemácias hipotônicas em relação à solução.
      ALTERNATIVA C (“Sofreriam plasmoptise (hemólise) numa solução de NaCl em água, mais concentrada do que a do tubo II.”) – INCORRETA
      * Sofreriam hemólise em uma solução menos concentrada que a contida no tubo II.
      ALTERNATIVA D (“Têm pressão osmótica igual à da solução do tubo I.”) – CORRETA
      * Como vimos em “Interpretando o esquema”, a solução do tubo I é isotônica (pressão osmótica igual) em relação à hemácia.
      ALTERNATIVA E (“Arrebentaram no tubo III porque são isotônicas em relação à água destilada.”) – INCORRETA
      * Ver “Interpretando o esquema” acima.
      Djalma Santos

  4. Boa noite,professor o senhor poderia me explicar porque na questão 8 a alternativa A está errada?

    • ALTERNATIVA A (“A ação da proteína representada caracteriza o mecanismo de transporte transmembrana identificado como simporte.”) – INCORRETA
      – Ver PROTEÍNAS DA MEMBRANA, matéria publicada neste blog no dia 05/09/2015.
      – Todas as proteínas de canal e algumas proteínas transportadoras são uniporte, ou seja, transportam um único soluto de um lado para outro da membrana. Outras proteínas transportadoras, dotadas de cinética mais complexa, funcionam em sistemas de co-transporte, no qual a transferência de um soluto depende da transferência simultânea ou sequencial de um segundo soluto. Esse pode ser transportado na mesma direção que o primeiro (simporte) ou na direção oposta (antiporte ou trocador).
      – Observando a figura contida na questão (bomba de Na+-K+), constata-se que não se trata de um transporte do tipo simporte, como consta nesta alternativa.
      – Transporte ativo: é o transporte que se faz contra um gradiente de concentração (de uma região de menor concentração para outra de maior concentração) e requer energia para que ocorra. Ao contrário do transporte passivo, o transporte ativo leva ao acúmulo de um soluto acima do ponto de equilíbrio. Ele é termodinamicamente desfavorável (endergônico) e ocorre apenas quando acoplado a um processo exergônico. Esse transporte é energizado, via de regra, pelo ATP (transporte ativo primário). No transporte ativo primário, a reação de hidrólise do ATP libera energia que impulsiona o movimento do soluto contra um gradiente eletroquímico. A exemplo do que ocorre com a difusão facilitada (ver DIFUSÃO FACILITADA, matéria publicada neste blog no dia 07/05/2017), o transporte ativo também apresenta um ponto de saturação, que é atingido quando todos os carreadores da membrana estiverem trabalhando em atividade máxima. O exemplo mais comum de transporte ativo é a bomba de Na+-K+, que transporta, ativamente, íons Na+ do interior da célula para fora e íons K+ do meio extracelular para o citoplasma. Ressaltamos que a bomba de sódio-potássio é mediada pelo carreador Na+/k+-ATPase. Essa bomba permite que a célula execute uma série de funções relacionadas com a membrana plasmática, como a condução de impulsos ao longo das células nervosas. A bomba de sódio-potássio é eletrogênica (gera potencial elétrico), porque são bombeadas mais cargas positivas para fora do que para dentro da célula (3 Na+ para o exterior em troca de 2 K+ para o interior), deixando um déficit real de íons positivos no interior.
      Djalma Santos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: