Publicado por: Djalma Santos | 19 de maio de 2016

TESTES SOBRE GRUPOS SANGUÍNEOS (II)

01. (UFPR) Jorge, portador de grupo sanguíneo AB Rh, e Júlia, que é AB Rh+, têm uma filha, Joana, que aos 3 anos de idade necessita de uma transfusão sanguínea. Os exames laboratoriais por hemaglutinação dão os seguintes resultados: mistura aglutinação:

01

Em face dos dados apresentados, assinale a alternativa correta.

a) Joana pode ser homozigota para B.

b) Joana não pode ser filha natural de Júlia.

c) Joana não pode receber sangue O Rh.

d) Jorge não pode ser o pai natural de Joana.

e) Joana pode receber sangue AB Rh.

02. (IFSC) Landsteiner foi um cientista que, ao observar muitos acidentes em transfusões, provou entre 1900 e 1901 que a espécie humana possui grupos sanguíneos diferentes. Notou-se em testes que as hemácias do doador, em alguns casos, aglutinavam em contato com plasma do sangue do paciente. A partir disso, foi possível relacionar o fenômeno das reações entre anticorpos e antígenos.

FONTE: http://educacao.globo.com/biologia/assunto/hereditariedade/grupos-sanguineos.html. Acesso: 02 ago. 2014.

Em relação aos grupos sanguíneos, Sistema ABO e Fator Rh, assinale a soma da(s) proposição(ões) correta(s).

01. O Grupo A possui antígeno chamado aglutinogênio B e o Grupo B, possui antígeno chamado aglutinogênio A.

02. Antígenos são todas as substâncias que nosso organismo entende ser um “invasor”, podendo ser uma proteína ou um polissacarídeo; os anticorpos são proteínas encontradas no plasma sanguíneo e têm a função de neutralizar ou destruir a substância invasora.

04. O Grupo AB possuem os dois antígenos, aglutinogênio A e B; O Grupo O não possuem nenhum dos dois antígenos.

08. Quando se procede a uma transfusão sanguínea é necessário verificar se o receptor tem Rh negativo, pois, se assim for, ele não poderá receber sangue do tipo Rh positivo, uma vez que, seu sistema imune produzirá anticorpos anti-Rh.

16. A eritroblastose fetal ocorre quando uma mãe de Rh positivo que já tenha tido uma criança com Rh negativo (ou que tenha tido contato com sangue Rh positivo, numa transfusão de sangue que não tenha respeitado as regras devidas) dá à luz uma criança com Rh positivo. Depois do primeiro parto, ou da transfusão acidental, o sangue da mãe entra em contato com o sangue do feto e cria anticorpos contra os antígenos presentes nas hemácias caracterizadas pelo Rh positivo.

32. A pessoa portadora do tipo de sangue O negativo é tida como sendo doador universal: seu sangue serve para qualquer paciente, mas no caso de transfusão, o ideal é o paciente receber sangue do mesmo tipo que o seu. A pessoa portadora do sangue AB positivo é tida como receptor universal, podendo receber transfusão de qualquer tipo de sangue, mas só pode fazer doação para quem tem sangue do mesmo tipo (e esse é considerado um dos sangues mais raros que existe).

Soma das alternativas corretas:

03. (UNCISAL) Luiza sempre apresentou um leve cansaço e, algumas vezes, ficava tonta ao se levantar. Na festa de seu noivado, ela se sentiu muito fraca, desmaiou e foi levada à emergência do hospital. Os exames mostraram uma grave anemia e os médicos a submeteram a uma transfusão com duas bolsas de sangue O negativo. Luiza casou-se, tem Lucas de um ano e dois meses e faz um mês que chegou a pequena Maria, que nasceu com icterícia – bilirrubina no sangue. Dadas as assertivas sobre doenças hemolíticas:

I. Luiza foi sensibilizada na transfusão, pois o Rh do sangue doado é negativo e o seu positivo.

II. Maria sofreu uma anemia hemolítica conhecida por eritroblastose fetal.

III. Luiza tomou antissoro anti-Rh, para evitar aborto espontâneo na segunda gestação.

IV. Anticorpos da anemia hemolítica de Luiza atravessaram a barreira placentária e provocaram a eritroblastose em Maria.

V. Lucas não apresentou nenhuma das doenças hemolíticas, pois estas acometem mais as mulheres.

Verifica-se que está(ão) correta(s) apenas:

a) III.

b) I e V.

c) II e III.

d) II, IV e V.

e) I, II, IV e V.

04. (IFPE) O casal Gilberto e Ana Lúcia tem quatro filhos. Um deles, Thiago, pertence ao tipo sanguíneo “AB”, enquanto Ricardo e Júlia têm o tipo sanguíneo “A”. Ana Maria é a outra filha do casal. Sabendo-se que o pai de Ana Lúcia possui sangue do tipo “B” e tanto a mãe de Gilberto como a de Ana Lúcia possuem sangue do tipo “O”, a probabilidade de que Ana Maria tenha o tipo sanguíneo “O”, igual, portando, ao de suas avós, é de:

a) 1/4.

b) 1/2.

c) 3/4.

d) 1/8.

e) 1.

05. (UEM) Ricardo tem o tipo sanguíneo A e seus pais o tipo AB. Ricardo teve com sua esposa, Lívia, um filho com o tipo sanguíneo A. Os pais de Lívia têm o tipo sanguíneo B, seu avô paterno tem o tipo AB, sua avó paterna o tipo A e os avós maternos o tipo AB. Com base nas informações acima e nos conhecimentos de Genética, assinale o que for correto.

01. Ricardo é homozigoto (IAIA) e transmitiu um gene IA para o seu filho.

02. A avó paterna de Lívia é heterozigota.

04. O tipo sanguíneo dos pais de Ricardo apresenta aglutininas anti-A e anti-B.

08. Lívia é heterozigota, recebeu o gene i de seu pai, e o transmitiu a seu filho.

16. Lívia não pode receber sangue do marido, pois ele possui aglutinogênio A, que reagiria com as aglutininas do sangue dela.

Soma das alternativas corretas:

06. (MACK) Uma mulher pertencente ao tipo sanguíneo A teve uma criança pertencente ao tipo B que sofreu eritroblastose fetal ao nascer. O pai da criança é receptor universal e também teve eritroblastose fetal. A probabilidade desse casal ter uma criança com o mesmo genótipo da mãe é de:

a) 1/2.

b) 1/8.

c) 3/4.

d) 1/4.

e) 0.

07. (IFMG) Para se fazer uma transfusão de sangue entre duas pessoas, o sangue precisa ser cuidadosamente analisado, assegurando a compatibilidade. Se o paciente receber um sangue que não combina com o seu, seu próprio sangue pode reagir com o intruso fazendo as hemácias se aglutinarem. E isso pode causar a morte do paciente. O esquema mostra as possíveis transfusões, considerando o sistema ABO:

07

Sobre o sistema ABO, não se pode afirmar que:

a) O tipo sanguíneo O é considerado doador universal.

b) O tipo sanguíneo A não pode doar para B, pois apresenta aglutinogênios B em suas hemácias.

c) O tipo sanguíneo AB é considerado receptor universal.

d) O tipo sanguíneo O não apresenta aglutinogênios A e B em suas hemácias.

08. Em casos de transfusões de sangue pode ocorrer a incompatibilidade, isto é, aglutinação entre os glóbulos vermelhos. Isto se deve a presença de diferentes tipos de aglutinogênios nas hemácias e aglutininas no plasma. Porém, no sistema ABO, há um tipo sanguíneo que poderá receber sangue de qualquer tipo, sendo chamado de receptor universal. Qual é o tipo de sangue e a que se deve esta propriedade? Assinale a alternativa que contém a resposta correta.

a) Tipo A, ausência de anti-B.

b) Tipo B, ausência de anti-A.

c) Tipo O, ausência de qualquer tipo de aglutinina.

d) Tipo AB, ausência de aglutininas anti-A e anti-B.

e) Tipo O, presença dos dois tipos de aglutinogênios.

09. (FCM-PB) A Doença Hemolítica do Recém Nascido (DHRN), provocada pelo fator Rh, é caracterizada pela destruição das hemácias do feto ou do recém-nascido. A DHRN só ocorre quando:

a) Mulheres Rh+ têm filho Rh+, o que pode acontecer quando o pai é Rh.

b) A DHRN ocorre somente quando mulheres Rh tem filho Rh+, o que pode acontecer quando o pai é Rh+.

c) A DHRN ocorre quando durante a gestação anticorpos anti-A passam através da placenta.

d) A DHRN ocorre somente quando mulheres Rh têm filho Rh+, o que pode acontecer quando o pai é Rh.

10. (MACKENZIE) Uma mulher pertencente ao tipo sanguíneo A, Rhcasa-se com um homem pertencente ao tipo B, Rh+, que nasceu com eritroblastose fetal. O casal tem uma filha pertencente ao tipo O e que também nasceu com eritroblastose fetal. Se essa menina se casar com um homem com o mesmo genótipo do pai dela, a probabilidade de ter uma criança doadora universal é de:

a) 1/8.

b) 1/4.

c) 1/2.

d) 1/6.

e) 3/4.

11. Uma mulher casou-se com um homem que possui o fator Rh. Sabe-se que seu marido teve eritroblastose fetal ao nascer, assim como o primogênito desse casal. Diante desse fato, conclui-se que:

a) O filho é Rh negativo e suas hemácias foram lisadas pelos anticorpos da mãe.

b) Os alelos para o fator Rh estão localizados no cromossomo X do pai.

c) Todos os filhos que esse casal vier a ter, desenvolverão a mesma doença.

d) A mãe foi sensibilizada antes da gravidez por hemácias que apresentavam o fator Rh.

e) Há 50% de chance de nascer uma menina com a mesma doença.

12. (IFMG) Ana apresenta sangue do grupo A, e seu irmão João possui sangue do grupo O. O pai de Ana possui sangue do grupo A e sua mãe apresenta sangue do grupo B. As afirmativas abaixo sobre esta família estão corretas, exceto:

a) O pai de Ana é heterozigoto.

b) Se Ana se casar com um homem com fenótipo igual ao do seu irmão, poderá ter filhos dos grupos sanguíneos A, B ou O.

c) O pai e a mãe de Ana poderiam ter filhos dos grupos sanguíneos A, B, AB ou O.

d) Caso se case com uma mulher doadora universal, o irmão de Ana poderá ter filhos apenas do grupo O.

13. (UFOP) Um homem C, cujo sangue possui aglutininas anti–A e anti–B é casado com uma mulher B, que possui aglutinogênios A e B. As seguintes pessoas poderão receber sangue de pelo menos um dos filhos desse casamento, exceto:

a) De pessoas do grupo A.

b) De pessoas do grupo B.

c) Dos filhos do cruzamento de pessoas dos grupos O com AB.

d) Do homem C.

e) Da mulher B.

14. (IFPE) Com relação aos grupos sanguíneos dos sistema ABO e ao fator Rh, é correto afirmar que:

a) O grupo AB é chamado de receptor universal por não apresentar antígenos A e B.

b) Na doença hemolítica do recém-nascido (DHRN), o pai apresenta Rh negativo e a mãe fator Rh positivo.

c) Os anticorpos (aglutininas) são encontrados no sangue do doador e as aglutininas (antígenos) no sangue do receptor.

d) No grupo sanguíneo B, encontramos o aglutinogênio B e a aglutinina anti-A.

e) No cruzamento IAi x IBi, a chance de nascer uma criança AB é de 50%.

15. (UNIOESTE) Na determinação dos grupos sanguíneos de seis pessoas de uma firma, foi possível a construção do quadro abaixo, onde o sinal + significa “aglutina” e o sinal – significa “não aglutina”.

15a

Quanto à probabilidade de transfusão sanguínea sem “problemas” de aglutinação nem sensibilização ao fator Rh, considera(m)-se a(s) seguinte(s) transfusão(ões):

01. Maria → Marta → Paulo.

02. José → João → José → Marta.

04. João → Maria.

08. Maria → Luiza.

16. Luiza → Marta.

Soma das alternativas corretas:

16. Existe na espécie humana um tipo de grupo sanguíneo chamado MN, determinado por dois

alelos IM e IN entre os quais há codominância. Assim, as pessoas com genótipos IMIM pertencem ao grupo sanguíneo M, as pessoas com genótipos ININ pertencem ao grupo sanguíneo N e as pessoas heterozigotas IMIN pertencem ao grupo sanguíneo MN. Um casal MN quer saber qual a probabilidade, em percentagem, de nascer uma criança com sangue N.

a) 25%.

b) 50%.

c) 75%.

d) 100%.

e) Nula.

17. (CENTEC) As substâncias que determinam o tipo sanguíneo, no sistema ABO, são glicoproteínas localizadas na superfície celular. Em indivíduos do grupo O, a membrana das hemácias se caracteriza pela:

a) Ausência das proteínas antigênicas características do sistema ABO.

b) Ausência de anticorpos específicos do sistema ABO.

c) Presença do antígeno A e do anticorpo anti-B.

d) Presença do antígeno B e do anticorpo anti-A.

e) Presença dos antígenos A e B.

18. (MACK) O exame para tipagem sanguínea de um casal apresentou o seguinte resultado:

18

Sabendo que a mulher teve eritroblastose fetal ao nascer e seu pai pertencia ao grupo O, a probabilidade de esse casal ter uma criança AB, Rh+ é de:

a) 1/4.

b) 1/2.

c) 1/8.

d) 3/4.

e) zero.

19. (FEI) Durante uma aula preparatória de cursinho pré-vestibular, uma aluna ficou chocada com as explicações do professor acerca da herança dos grupos sanguíneos. Ela tinha certeza de que era do tipo A+ e de que seu pai era O e sua mãe, O+. A reação da aluna pode ser explicada porque:

a) Se seu pai era negativo para o fator Rh e sua mãe era positiva, certamente ela deveria ser negativa.

b) A partir de dois genitores recessivos no sistema ABO não há probabilidade de haver descendentes naturais com um alelo IA.

c) A probabilidade de haver a expressão de i é de 75% quando ambos os genitores têm alelos ii.

d) A probabilidade de haver a expressão de IA é de 25% quando ambos os genitores têm alelos ii.

e) Não há interdependência entre os sistemas ABO e fator Rh.

20. O sangue de um determinado casal foi testado com a utilização dos soros anti-A, anti-B e anti-Rh (anti-D). Os resultados são mostrados abaixo. O sinal + significa aglutinação de hemácias e – significa ausência de reação.

20

Esse casal tem uma criança pertencente ao grupo O e Rh negativo. Qual a probabilidade de o casal vir a ter uma criança que apresente aglutinogênios (antígenos) A, B e Rh nas hemácias?

a) 1/2.

b) 1/4.

c) 1/8.

d) 1/16.

e) 3/4.

gab


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: