Publicado por: Djalma Santos | 1 de setembro de 2016

TESTES SOBRE GRUPOS SANGUÍNEOS (III)

01. (MACK) Considere o heredograma abaixo, que mostra a tipagem ABO e Rh dos indivíduos. Sabendo que o casal 5 × 6 já perdeu uma criança com eritroblastose fetal, a probabilidade de nascer uma menina do tipo O, Rh+ é de:

01

a) 1/16.

b) 1/8.

c) 1/2.

d) 1/4.

e) 1/3.

02. (UEPG) João, filho de Rodrigo e Ana, teve eritroblastose fetal ao nascer. Sabendo-se que Rodrigo também teve eritroblastose fetal, assinale o que for correto.

I   II

0  0 – João e Rodrigo têm seguramente o mesmo genótipo para o fator Rh.

1  1 – Se Rodrigo tivesse um irmão, haveria 25% de chance de esse irmão também apresentar eritroblastose, se o pai deles fosse Rh+.

2  2 – A mãe de Rodrigo é Rh e o pai Rh+.

3  3 – Ana é Rh+.

4  4 – Existe no máximo 25% de chance de Rodrigo e Ana terem outro filho com eritroblastose fetal.

03.  A doença hemolítica do recém-nascido é um problema causado pela incompatibilidade sanguínea entre mãe e feto. Analise a alternativa que contém a família na qual é possível a ocorrência da citada doença.

03

04. José, tipo O, Rh+, e Luci, A, Rh, tiveram três filhos: Antônio, Maria e Teresa, todos do grupo A, Rh+. Antônio casou-se com Luísa, do grupo O, Rh, e tiveram Isa, que é A, Rh. Teresa, casando-se com Carlos, que é doador universal ideal, teve Vera, que é A, Rh. A probabilidade de Teresa e Carlos terem, numa segunda gestação, uma criança do sexo masculino com o mesmo genótipo de Carlos é de:

a) 6,25%.

b) 12,5%.

c) 25%.

d) 50%.

e) 75%.

05. (UNESP) No romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, Bentinho vive uma incerteza: Ezequiel, seu filho com Capitu, é mesmo seu filho biológico ou Capitu teria cometido adultério com Escobar? O drama de Bentinho começa quando, no velório de Escobar, momentos houve em que os olhos de Capitu fitaram o defunto, quais os da viúva. Escobar havia sido o melhor amigo de Bentinho e fora casado com Sancha, com quem tivera uma filha. Suponha que, à época, fosse possível investigar a paternidade usando os tipos sanguíneos dos envolvidos. O resultado dos exames revelou que Bentinho era de sangue tipo O Rh, Capitu era de tipo AB Rh+ e Ezequiel era do tipo A Rh. Como Escobar já havia falecido foi feita a tipagem sanguínea de sua mulher, Sancha, que era do tipo B Rh+, e da filha de ambos, que era do tipo AB Rh.Com relação à identificação do pai biológico de Ezequiel, a partir dos dados da tipagem sanguínea, é correto afirmar que:

a) Permaneceria a dúvida, pois os tipos sanguíneos de Sancha e de sua filha indicam que Escobar ou tinha sangue tipo O Rh+, e nesse caso ele, mas não Bentinho, poderia ser o pai, ou tinha sangue tipo AB Rh, o que excluiria a possibilidade de Escobar ser o pai de Ezequiel.

b) Permaneceria a dúvida, pois os tipos sanguíneos dos envolvidos não permitem excluir a possibilidade de Bentinho ser o pai de Ezequiel, assim como não permitem excluir a possibilidade de Escobar o ser.

c) Permaneceria a dúvida, pois, no que se refere ao sistema ABO, os resultados excluem a possibilidade de Escobar ser o pai e indicam que Bentinho poderia ser o pai de Ezequiel; mas, no que se refere ao sistema RH, os resultados excluem a possibilidade de Bentinho ser o pai e indicam que Escobar poderia sê-lo.

d) Seria esclarecida a dúvida, pois, tanto no sistema ABO quanto no sistema RH, os resultados excluem a possibilidade de Bentinho, mas não de Escobar, ser o pai de Ezequiel.

e) Seria esclarecida a dúvida, pois os tipos sanguíneos de Ezequiel e da filha de Sancha indicam que eles não poderiam ser filhos de um mesmo pai, o que excluiria a possibilidade de Escobar ser o pai de Ezequiel.

06. Em uma transfusão de sangue, um indivíduo AB, Rh+ recebe sangue de um indivíduo B, Rh. Nessa transfusão, espera-se que:

a) Não ocorra choque, pois o soro do doador não possui aglutininas incompatíveis com os aglutinogênios do receptor.

b) Não ocorra choque, pois as hemácias do receptor são indiferentes às aglutininas anti-B do soro do doador.

c) Não ocorra choque, pois o soro do receptor não possui aglutininas e o doador não possui o fator Rh.

d) Ocorra choque, pois o soro do doador contém aglutinina anti-B, que aglutinará as hemácias do receptor.

e) Ocorra choque, pois as hemácias do doador possuem aglutinogênio B e o receptor possui o fator Rh.

07. Póvis tem um irmão com eritroblastose fetal. Póvis e Paty decidem se casar e realizam a tipagem sanguínea para o sistema ABO e Rh. Os resultados estão expressos na tabela abaixo.

07

A mãe de Póvis é doadora universal. Pode-se afirmar que a chance de o casal gerar uma criança receptora universal e com eritroblastose fetal é de:

a) 12,5%.

b) 25%.

c) 30%.

d) 37,5%.

e) 40%.

08. (PUC-RS) Amostras de manchas de sangue humano encontra­das em um local de crime foram levadas ao laboratório para análise. Ao testar o sangue coletado com os anticorpos Anti-A, Anti-B e Anti-Rh, o resultado foi, respectivamente, aglutinou, aglutinou, não aglutinou. O perito concluiu que o sangue era do tipo:

a) AB positivo.

b) AB negativo.

c) A ou B positivo.

d) A ou B negativo.

e) O positivo ou negativo.

09. (UPF) Num banco de sangue estavam estocados:

– 5 litros de sangue com os aglutinogênios A e B, fator Rh.

– 6 litros com ambas as aglutininas do sistema ABO, Rh+.

– 3 litros com o aglutinogênio A, Rh.

– 3 litros de sangue com o aglutinogênio B, Rh+.

Um hospital necessitou de sangue para dois pacientes: Fernando, do grupo AB, Rh, e Rogério, do grupo B, Rh+. Quantos litros de sangue para estes pacientes o banco de sangue dispunha?

a) 9 litros para Fernando e 3 para Rogério.

b) 11 litros para Fernando e 9 para Rogério.

c) 8 litros para Fernando e 9 para Rogério.

d) 12 litros para Fernando e 9 para Rogério.

e) 6 litros para Fernando e 9 para Rogério.

10. (MACK) Uma mulher casa-se com um homem que apresentou eritroblastose fetal ao nascer. O parto do primeiro filho transcorre normalmente, mas o segundo filho apresenta eritroblastose. A respeito dessa situação, são feitas as seguintes afirmações:

I. Essa mulher é certamente Rh.

II. A segunda criança é Rh+.

III. O pai das crianças é Rh+.

IV. A primeira criança pode ter provocado a sensibilização da mãe.

Assinale:

a) Se todas as afirmativas forem corretas.

b) Se somente as afirmativas I e II forem corretas.

c) Se somente as afirmativas II, III e IV forem corretas.

d) Se somente as afirmativas I e IV forem corretas.

e) Se somente as afirmativas III e IV forem corretas.

11. (UFSJ) Rosa tem sangue O. Seu bebê nasceu com sangue B+. O atual namorado de Rosa, Pedro, tem sangue AB+. Pedro diz não ser pai do bebê, pois só namora Rosa há noves meses e alega que, quando iniciou o namoro, Rosa já estava grávida de Felipe, seu ex-namorado. Felipe, que tem sangue O+, afirma não ser o pai e levanta a possibilidade de o bebê ter sido trocado na maternidade. Considerando a situação apresentada, é correto afirmar que:

a) O filho não pode ser de Pedro. Considerando que Pedro é um receptor universal e Rosa doadora universal, um filho oriundo desse cruzamento será obrigatoriamente receptor universal, pois essa condição é dominante em relação ao sangue O e fator Rh, que sempre são recessivos.

b) O filho pode ser de Felipe, pois seu pai, o possível avô da criança, possui sangue B+. Felipe, portanto, possui os genes para o sangue B. Nesse caso, a paternidade só poderá ser descartada após exame de DNA.

c) O bebê não pode ser filho de Rosa, pois a mesma tem sangue com fator Rh. O fator Rh está ligado ao cromossomo X, sendo um importante mecanismo natural para evitar a rejeição do embrião no momento da implantação.

d) O filho não pode ser de Felipe, pois, se assim fosse, o bebê teria que ter sangue O. Pedro poderia ter filhos com sangue A ou B com Rose, porém nunca um filho de sangue O ou AB.

12. (OBJETIVO-SP) A eritroblastose fetal pode ocorrer quando uma criança é filha Rh+ de uma mulher Rh. O fator Rh é um caráter dominante condicionado por um gene Rh. Assim o fenótipo Rh+ é determinado pelos genótipos RhRh e Rhrh. Normalmente a circulação materna e a fetal estão completamente separadas pela barreira placentária, mas, quando ocorrem rupturas nesta fina membrana, pequenas quantidades de sangue fetal atingem a circulação sanguínea materna. As hemácias do feto Rh+ possuem o antígeno (fator Rh) que determina a formação de anticorpos (anti-Rh) no sangue materno. Os anticorpos atravessam a placenta e atingem o sangue do feto onde promovem a destruição das hemácias. Diante disso, pode-se afirmar:

a) O sangue do feto desenvolve fatores que promovem a aglutinação das hemácias da mãe.

b) Quando a mãe tem a primeira gestação, a eritroblastose fetal é mais frequente em razão da maior fragilidade da placenta.

c) A doença só se desenvolve no feto quando o seu genótipo é rhrh.

d) Na primeira gestação, a quantidade de sangue que passa do feto para a mãe é escassa em razão de pequenas hemorragias; por isso, a eritroblastose é menos frequente nessas condições.

e) No aparecimento da eritroblastose, é importante que os genótipos do pai, da mãe e do feto sejam, respectivamente: Rhrh ou RhRh, rhrh ou rhRh e RhRh.

13. (IFSul) Se considerarmos que os tipos sanguíneos de um casal de gêmeos bivitelinos e de sua mãe são:

– Menina: A, Rh

– Menino: B, Rh+

– Mae: B, Rh

A que tipo(s) sanguíneo(s) e fator Rh poderá pertencer o pai dessas crianças?

a) Grupo A ou AB e fator Rh+.

b) Grupo B e fator Rh.

c) Grupo O ou AB e fator Rh+.

d) Grupo A, B ou AB e fator Rh.

14. (PUC-SP) Em Belo Horizonte, ocorreu um caso raro: uma mulher deu à luz quadrigêmeos, uma menina e três meninos, sem ter feito tratamento para engravidar. Outra raridade, segundo os médicos, está no fato de cada bebê apresentar um tipo sanguíneo distinto, pertencendo um deles ao grupo AB, outro ao A, outro ao B e outro ao O. A partir dessas informações é possível afirmar que os gêmeos em questão são:

a) Univitelinos e que um dos genitores pertence ao grupo A e o outro ao grupo B, sendo ambos heterozigóticos.

b) Fraternos e que um dos genitores pertence ao grupo A e o outro ao grupo B, sendo ambos heterozigóticos.

c) Univitelinos e que um dos genitores pertence ao grupo A e o outro ao grupo B, sendo ambos homozigóticos.

d) Fraternos e que um dos genitores pertence ao grupo A e o outro ao grupo B, sendo ambos homozigóticos.

e) Fraternos e que um dos genitores pertence ao grupo AB e o outro ao grupo O.

15. (UNICENTRO) Uma criança abandonada foi adotada por uma família. Um ano mais tarde, um casal, dizendo serem seus pais verdadeiros, solicitaram a guarda da filha. No intuito de comprovar a veracidade dos fatos, foi exigido um exame do tipo sanguíneo dos supostos pais, bem como da criança. Os resultados foram:

– Suposto pai: A, Rh+

– Suposta mãe: O, Rh

– Criança: O, Rh

Considerando o resultado é possível afirmar que:

a) A criança pode ser filha da mulher, mas não do homem.

b) A criança com certeza não é filha do casal.

c) A criança é com certeza filha do casal.

d) A criança pode ser filha do homem, mas não da mulher.

e) Existe a possibilidade de a criança ser filha do casal, mas não se pode afirmar com certeza.

16. (IFNMG) No sistema ABO, distinguem-se quatro grupos sanguíneos: grupo A, grupo B, grupo AB e grupo O. Usando o esquema abaixo e seus conhecimentos sobre compatibilidade para transfusão sanguínea, marque a opção errada:

16

a) Grupo B doa para B e AB e recebe de B e O.

b) Grupo AB doa para AB e recebe de A, B, AB,O.

c) Grupo O doa para O, A, B, AB e recebe de O.

d) Grupo A doa para A e B e recebe de A e O.

17. (UFAM) Um homem está processando sua esposa e exigindo o divórcio alegando infidelidade. Suas crianças são do tipo sanguíneo O e AB, 1º e 2º nascimento, respectivamente. Não há discussão a respeito dessas. É sob a terceira criança, tipo B, que recai a acusação. Outro teste foi realizado com o sistema sanguíneo MN. A criança em questão foi do tipo M. O homem foi do tipo N. Em relação ao 1º e 2º teste, respectivamente, a alegação do homem tem fundamento?

a) Não há como usar tais dados de forma alguma.

b) Não para o sistema ABO; Não para o sistema MN.

c) Não para o sistema ABO; Sim para o sistema MN.

d) Sim para o sistema ABO; Sim para o sistema MN.

e) Sim para o sistema ABO; Não para o sistema MN.

18. (UFSJ) Dois casais desconfiaram que seus bebês foram trocados na maternidade e entraram em contato com um especialista em genética para saber como poderiam ter certeza da troca. Fez-se então uma tipagem sanguínea quanto ao sistema ABO, que chegou ao seguinte resultado.

18

Com base nesses resultados é correto afirmar que:

a) O bebê número 1 é necessariamente filho do casal Sr. A e Sra. B.

b) Não é possível, com o teste proposto, ser conclusivo sobre o parentesco dos bebês em questão.

c) O bebê de número 2 é necessariamente filho do casal Sr. B e Sra. B.

d) O bebê de número 1 não pode ser filho do Sr. A com a Sra. A.

19. (MACKENZIE)

19

A probabilidade do casal 5 x 6 ter uma criança pertencente ao tipo O, Rh é de:

a) 1.

b) 1/2.

c) 1/4.

d) 1/8.

e) 1/6.

20. (UNCISAL) Pessoas acidentadas ou submetidas a cirurgias podem precisar de transfusão de sangue para repor o sangue perdido. Sem transfusão correm risco de vida. O sangue atualmente armazenado em hospitais e bancos de sangue é, geralmente, insuficiente. Por isso é preciso conscientizar a população da necessidade de doar sangue. No ato da doação o doador recebe o resultado para uma série de exames (anemia, sífilis, hepatite etc.) além de ajudar a salvar vidas. O Hemocentro de Alagoas (HEMOAL) tem investido nas redes sociais para captar doadores voluntários de sangue e o sucesso do projeto é grande, assim como a resposta obtida. Sobre o assunto, marque a opção incorreta.

a) Nas transfusões sanguíneas, a aglutinação das hemácias do doador ocorre quando ela apresenta na membrana plasmática uma substância que funciona como antígeno, ao mesmo tempo em que há no soro do receptor, um anticorpo correspondente.

b) As pessoas do Grupo O, por terem dois antígenos, podem receber apenas sangue tipo O; no entanto, por não terem anticorpos, elas podem doar sangue para indivíduos de qualquer grupo: são os doadores universais.

c) Se introduzirmos sangue Rh+ num receptor Rh, que ainda não tenha recebido nenhuma transfusão de sangue, não ocorrerá aglutinação das hemácias, pois o anticorpo anti-Rh não existe naturalmente em seu plasma.

d) Os quatro fenótipos do sistema ABO – A, B, AB e O são determinados por um gene com três formas alélicas “Alelos Múltiplos”.

gab

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: