Publicado por: Djalma Santos | 21 de abril de 2018

TESTES DE ECOLOGIA (XIV)

01. (UPE) Leia o texto a seguir:

Um estudo realizado por pesquisadores do Projeto Conservação Recifal, de Pernambuco, revelou que os habitats artificiais estuarinos, como ancoradouros e pontes, abrigam diferentes populações de peixes em comparação com habitats naturais, como raízes de mangues, localizadas no mesmo estuário. Além disso, a estrutura trófica das comunidades de peixes nos habitats artificiais estuarinos se assemelha aos recifes de coral adjacentes, em mar aberto. Raízes de mangue eram habitadas principalmente por carnívoros juvenis, enquanto o habitat artificial era, em sua maioria, habitada por comedores de invertebrados sésseis e herbívoros errantes.

Sobre ele, assinale a alternativa correta.

a) Habitats artificiais e recifes de coral são abrigos para espécies juvenis de consumidores primários e secundários.

b) Habitats artificiais reproduzem condições para abrigar peixes de níveis tróficos superiores.

c) Habitats artificiais representam componentes estruturais heterotróficos.

d) Recifes de coral possuem espécies de peixes predominantemente de níveis tróficos primários e secundários.

e) Os manguezais possuem espécies de peixes de todos os níveis tróficos, e os juvenis carnívoros se abrigam nas raízes.

02. (UNESP) Leia os três excertos que tratam de diferentes métodos para o controle da lagarta da espécie Helicoverpa armigera, praga das plantações de soja.

Texto 1

Produtores de soja das regiões da BA e MT começam os trabalhos de combate à praga. Um dos instrumentos para isso é a captura das mariposas. O trabalho é feito com uma armadilha. As mariposas são atraídas pela luz, entram na armadilha e ficam presas em uma rede.

(Lagarta helicoverpa atrapalha produção de soja no MT e na BA.http://g1.globo.com)

Texto 2

A INTACTA RR2 PRO, nova soja patenteada pela multinacional Monsanto, passa a ser comercializada na safra 2013/2014 no país. A inovação da nova semente é a resistência às principais lagartas que atacam o cultivo. Um gene inserido faz a soja produzir uma proteína, que funciona como inseticida, matando a lagarta quando tenta se alimentar da folha.

(www.abrasem.com.br. Adaptado.)

Texto 3

A lagarta que está causando mais de um bilhão de prejuízo nas lavouras no país pode ser controlada por minúsculas vespas do gênero Trichogramma, segundo pesquisador da Embrapa.

(Pesquisador da Embrapa aposta no controle biológico contra lagartahelicoverpa. http://www.epochtimes.com.br)

Sobre os três métodos apresentados de controle da praga, é correto afirmar que o método referido pelo texto:

a) 2, conhecido como transgenia, tem a desvantagem de trazer riscos à população humana, uma vez que a soja resistente é obtida utilizando-se elementos radioativos que induzem as mutações desejadas na plantação.

b) 2 baseia-se na utilização de grandes quantidades de inseticida resultando, em curto prazo, na diminuição da população de lagartas, porém faz com que, em longo prazo, as lagartas adquiram resistência, o que exigirá a aplicação de mais inseticida.

c) 1, conhecido como controle biológico de pragas, utiliza procedimentos mecânicos para diminuir a população de lagartas na plantação e, deste modo, além de promover o rápido extermínio da praga, não traz prejuízos à saúde.

d) 3 baseia-se nas relações tróficas, utilizando um consumidor secundário que, ao controlar a população do consumidor primário, garante a manutenção da população que ocupa o primeiro nível trófico.

e) 3 é ecologicamente correto, pois permite o crescimento do tamanho populacional de todos os organismos envolvidos, assegurando ainda que as vespas soltas na lavoura promovam a polinização necessária à produção dos grãos de soja.

03. (FUVEST) A cobra-coral (Erythrolamprus aesculapii) tem hábito diurno, alimenta-se de outras cobras e é terrícola, ou seja, caça e se abriga no chão. A jararaca (Bothrops jararaca) tem hábito noturno, alimenta-se de mamíferos e é terrícola. Ambas ocorrem, no Brasil, na floresta pluvial costeira. Essas serpentes:

a) Disputam o mesmo nicho ecológico.

b) Constituem uma população.

c) Compartilham o mesmo hábitat.

d) Realizam competição intraespecífica.

e) São comensais.

04. (PUC-RIO) Em relação ao que chamamos de recursos renováveis, assinale a alternativa correta.

a) Seu uso não provoca poluição.

b) Não podem ser repostos pelo homem.

c) Incluem o biodiesel, a energia eólica e o petróleo.

d) Podem ser repostos pelos seres humanos ou pelos ciclos naturais.

e) Não produzem energia, o que é feito apenas por recursos não renováveis, como petróleo e carvão mineral.

05. (UEM) Nos últimos dez anos, o Brasil registrou um prejuízo de cerca de 27 bilhões de dólares na produção de soja apenas em dois dos mais importantes estados produtores de oleaginosas: Rio Grande do Sul e Paraná, por deixarem de produzir mais de 55 milhões de toneladas. O motivo foi a falta de água para que as plantas pudessem se desenvolver plenamente. Por isso, pesquisadores especialistas em ecofisiologia vegetal da Embrapa Soja (Londrina, PR) estão em busca de uma planta capaz de resistir às intempéries do clima que podem se repetir com mais severidade nos próximos anos.

(https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/2271249/umasojaparaenfrentaraseca, acessado em 15/04/2015).

Sobre o assunto, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01. Por meio de técnicas de manipulação do DNA os pesquisadores introduziram um gene Y de outra planta na soja tornando-a mais tolerante à seca. Essa técnica é denominada clonagem.

02. A engenharia genética constitui o ramo da Biologia que estuda o melhoramento vegetal.

04. Sem as condições ambientais favoráveis (disponibilidade de água, temperatura e luminosidade), a semente não germina e fica em estado de dormência.

08. Diferentes variedades de soja podem ser obtidas com a utilização de outros genes, por meio da reprodução assexuada.

16. A água é indispensável às plantas, pois atua como solvente permitindo que gases, minerais e outros componentes entrem nas células e circulem pela planta, e tem papel importante na manutenção e na condução de calor.

Soma das alternativas corretas:

06. (UEG) Em 1988, após um período de seca severa, um incêndio destruiu uma grande área no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. Similar a este acontecimento, em diferentes estados brasileiros, inclusive no estado de Goiás, em 2015, nesse período seco, o Parque Estadual Serra de Caldas Novas também sofreu queimadas e ficou altamente destruído. Após a ocorrência das queimadas em ambos os locais, foi evidenciado que raízes e rizomas de algumas plantas sobreviveram e, aos poucos, originaram novas plantas. Com o tempo, sementes de plantas de lugares próximos, trazidas pelos ventos e por animais, germinaram. De início, apareceram pequenas plantas herbáceas no meio das árvores queimadas. Esses processos ocorrentes nos dois parques demonstram a ocorrência de:

a) Comunidade clímax.

b) Regeneração vegetacional.

c) Sucessão ecológica.

d) Recuperação vegetacional.

07. (ACEFE) Brasil pode enfrentar falta de água

Dono do maior potencial hídrico do planeta, o Brasil corre o risco de, em 2015, ter problemas de abastecimento de água em mais da metade dos municípios. O diagnóstico esta no Atlas Brasil – Abastecimento Urbano de Água, lançado pela Agencia Nacional de Aguas (ANA). O levantamento mapeou as tendências de demanda e oferta de água nos 5.565 municípios brasileiros e estimou em R$ 22 bilhões o total de investimentos necessários para evitar a escassez. (Adaptada)

Fonte: O Progresso, 16/05/2015 Disponível em: http://www.progresso.com.br/caderno-a/brasil-mundo

Sobre o tema, analise as afirmações a seguir e marque com V as verdadeiras e com F as falsas.

( ) A poluição orgânica proveniente dos centros urbanos e atividades agropecuárias geram uma variedade de efeitos sobre os recursos hídricos continentais, os quais são fundamentais para o abastecimento público das populações. Isso resulta na deterioração da qualidade da água, causada pelo fenômeno da eutrofização.

( ) Com relação aos recursos hídricos, a legislação brasileira é uma das mais inovadoras em todo o mundo. Porém, o uso irracional (desperdício), contaminação e poluição, aliado ao crescimento populacional mundial são agravantes em relação aos problemas de abastecimento da água.

( ) A água é indispensável para a vida humana, representando cerca de 60% a 65% do peso de um adulto e tendendo a aumentar esta proporção com o aumento da idade. Essa porcentagem varia em cada tipo de tecido, dependendo do metabolismo celular.

( ) Dentre as principais funções da água no corpo humano, pode-se destacar sua participação em reações químicas, no controle da temperatura do corpo e no transporte de nutrientes.

( ) A maioria das doenças transmitidas pela água é causada por organismos presentes em reservatórios de água doce, habitualmente após contaminação dos mesmos por fezes humanas ou de animais. A transmissão do agente infeccioso através da água pode ocorrer pelo contato com a pele durante o banho ou pela ingestão da mesma.

A sequência correta, de cima para baixo, e:

a) F – V – V – F – F.

b) V – F – V – F – V.

c) V – V – F – V – V.

d) F – V – F – V – F.

08. (UFSC) Um pesquisador interessado em estudar dinâmica populacional monitorou, em uma determinada área e por um período de tempo, as densidades populacionais de cobras e ratos, obtendo como resultado o gráfico abaixo:

Gráfico com densidades populacionais (Foto: Reprodução/UFSC)

Com respeito ao gráfico e aos fatores que influenciam as densidades populacionais, assinale a(s) proposição(ões) correta(s):
01. O crescimento da população de ratos não influencia o crescimento da população de cobras.
02. As duas espécies ocupam o mesmo hábitat e nicho ecológico.
04. Se duas espécies ocupam o mesmo nicho ecológico, ocorre mutualismo entre elas, o que pode levar ao desaparecimento de uma delas da área.
08. As densidades populacionais representadas sofreram variações ao longo do tempo.
16. O parasitismo, os intemperismos, a disponibilidade de alimentos e espaço são fatores que influenciam na densidade das populações.
32. Por serem autótrofas, não são observados mecanismos de controle da densidade populacional nas espécies vegetais.
64. A territorialidade (estabelecimento de territórios) de algumas espécies animais é fator influente na densidade populacional de uma área.
Soma das alternativas corretas:

09. (PUC-GO)

Ao mar

Choveu dias e depois amanheceu. Joel chegou à janela e olhou o quintal: estava tudo inundado! Joel vestiu-se rapidamente, disse adeus à mãe, embarcou numa tábua e pôs-se a remar. Hasteou no mastro uma bandeira com a estrela de David…

O barco navegava mansamente. As noites se sucediam, estreladas. No cesto de gávea Joel vigiava e pensava em todos os esplêndidos aventureiros: Krishna, o faquir que ficou cento e dez dias comendo cascas de ovo; Mac-Dougal, o inglês que escalou o Itatiaia com uma das mãos amarradas às costas; Fred, que foi lançado num barril ao golfo do México e recolhido um ano depois na ilha da Pintada. Moma, irmão de sangue de um chefe comanche; Demócrito que dançava charleston sobre fios de alta tensão…

— A la mar! A la mar! – gritava Joel entoando cânticos ancestrais. Despertando pela manhã, alimentava-se de peixes exóticos; escrevia no diário de bordo e ficava a contemplar as ilhas. Os nativos viam-no passar – um ser taciturno, distante, nas águas, distante do céu. Certa vez – uma tempestade! Durou sete horas. Mas não o venceu, não o venceu!

E os monstros? Que dizer deles, se nunca ninguém os viu?

Joel remava afanosamente; às vezes, parava só para comer e escrever no diário de bordo. Um dia, disse em voz alta: “Mar, animal rumorejante!” Achou bonita esta frase; até anotou no diário. Depois, nunca mais falou.

À noite, Joel sonhava com barcos e mares, e ares e céus, e ventos e prantos, e rostos escuros, monstros soturnos. Que dizer destes monstros, se nunca ninguém os viu?

— Joel, vem almoçar! – gritava a mãe.

Joel viajava ao largo; perto da África.

(SCLIAR, Moacyr. Melhores contos. Seleção de Regina Zilbermann. São Paulo: Global, 2003. p. 105/106.)

“— A la mar! A la mar! – gritava Joel entoando cânticos ancestrais. Despertando pela manhã, alimentava-se de peixes exóticos; escrevia no diário de bordo e ficava a contemplar as ilhas.”

Nesse trecho do Texto acima é feita menção a peixes exóticos. Leia atentamente os itens a seguir e marque a única alternativa correta:

a) Um animal exótico é aquele nativo de uma região ou bioma e que somente pode ser encontrado em sua região de origem.

b) A introdução de peixes exóticos como o bagre africano, não constitui ameaça à diversidade de uma região, pois existe uma rápida adaptação dos animais nativos.

c) Os animais exóticos, quando em contato com um novo ambiente, podem alterar as relações ecológicas de uma região.

d) Quando uma espécie exótica se adapta e se reproduz em novo ambiente, sua descendência não é mais considerada exótica, mas nativa da região.

10. (UFSCar) A figura mostra uma voçoroca localizada no alto da bacia do rio Araguaia, no estado de Goiás.

(www.opopular.com.br)

Trata-se de um grave impacto ambiental, responsável por sérios danos aos rios e às suas nascentes formadoras. O surgimento de uma voçoroca tem relação direta com:

a) O desmatamento da vegetação nativa, intensificando o assoreamento dos rios.

b) A precipitação de chuvas ácidas em decorrência da utilização de agrotóxicos.

c) A inversão térmica gerada pela concentração de poluentes na atmosfera.

d) A mineração ilegal, tais como os garimpos de ouro e diamante, nas margens dos rios.

e) A construção de açudes para a irrigação e o abastecimento de água para a população.

11. (UCPel) Os decompositores são os seres que, para obter energia, decompõem a matéria orgânica dos seres mortos e também utilizam as substâncias contidas nos resíduos e excreções dos animais. São eles os seguintes:

a) Certos fungos e musgos.

b) Certos fungos e bactérias.

c) Certas amebas e bactérias.

d) Certos protozoários e vírus.

e) Certas algas e vírus.

12. (PUC-RS) O Brasil tem 1/5 da biodiversidade mundial, e cada espécie tem um papel funcional e fundamental para a manutenção do ecossistema e o desenvolvimento de recursos em prol da sustentabilidade. A biodiversidade abrange diferentes componentes da natureza, mas não abarca a variedade:

a) De animais, vegetais e outros macro e microrganismos.

b) De teorias sobre a origem da evolução da vida no planeta.

c) Da estrutura genética dentro das populações e das espécies.

d) De comunidades, habitats e ecossistemas formados pelos organismos.

e) De funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas.

13. (UEG) O cultivo de cana-de-açúcar a cada ano vem aumentando em larga escala em diferentes estados brasileiros. As queimadas nessas regiões de plantio são frequentes e, durante essa queima, vários efeitos destrutivos da temperatura do solo ocorrem, dentre eles:

a) A elevação da taxa respiratória e fotossintética dos microrganismos do solo.

b) A manutenção do sistema radicular e o ganho da parte aérea da vegetação local.

c) A perda parcial dos microrganismos necessários para síntese e degradação da matéria orgânica.

d) A incorporação do carbono em compostos inorgânicos que são produzidos em altas temperaturas.

14. (UNAMA) Leia o texto abaixo para responder esta questão.

Segundo a reportagem de Marco Túlio Pires e Elida Oliveira sobre a Perda de habitat deve acelerar extinção na Amazônia. O desmatamento é uma bomba-relógio para o futuro dos animais vertebrados da Amazônia, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Science. Pesquisadores da Universidade Rockfeller, nos Estados Unidos, e do Imperial College London, da Inglaterra, criaram um método que prevê o impacto da perda de habitat para espécies de mamíferos, anfíbios e aves. Como resultado, os cientistas conseguiram apontar quantos animais podem desaparecer em cada área, conforme o avanço do desmatamento. Quando uma espécie desaparece de uma localidade, ela ainda pode se refugiar em outro local, mas a biodiversidade já estará comprometida. Caso a espécie tenha somente aquela região por área de vida, sua extinção já pode ser esperada. Isso cria o que os pesquisadores chamam de “débito de extinção”. Essa “dívida” ocorre quando as espécies de plantas e animais perdem seu habitat, mas não desaparecem. A extinção da espécie às vezes leva várias gerações, mesmo após a perda de seu ambiente natural.

(Adaptado http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/perda-de-habitat-deve-acelerar-extincao-na-amazonia. Acesso: 12/04/2014).

O desmatamento nos ecossistemas naturais, a exemplo da Amazônia, como menciona o texto acima, tem interferido nos habitats naturais de várias espécies. Em relação às consequências do desmatamento, é correto afirmar que:

a) A expansão das terras cultivadas e o crescimento das cidades têm causado somente impactos na vida florística, pois se desmatam as florestas para que as terras sejam utilizadas para a agricultura.

b) O desmatamento é uma bomba relógio para os animais vertebrados da Amazônia, mas estes podem futuramente buscar outros habitats diferentes que não irá afetar a biodiversidade.

c) O desmatamento tem interferido nos habitats naturais, alterando o equilíbrio dos ecossistemas, além de levar “comunidades de espécies” à extinção.

d) Com a retirada da cobertura vegetal, o solo fica desprotegido, perdendo suas camadas férteis e seus minerais levados pelas chuvas, deixando-o mais produtivo.

15. (CEUB) A evolução das populações de seres vivos já foi objeto de várias discussões e, até hoje, as teorias evolutivas provocam polemicas. De acordo com a teoria da evolução por seleção natural, os indivíduos de uma população não são idênticos entre si e é enorme a diversidade de seres. Podem-se encontrar, em uma mesma região, seres fotossintetizantes; seres com intestino longo, ceco e apêndice vermiforme desenvolvidos; seres carnívoros com coração de três camarás, os quais convivem com microrganismos saprófitas, formando uma cadeia alimentar. Para a teoria da evolução por seleção natural, a quantidade de nascimentos de indivíduos é maior que a capacidade que pode ser suportada pelo ambiente, o que promove, ao longo do tempo, modificações na população. O meio, nesse contexto, é um agente que seleciona naturalmente os indivíduos com características que lhes conferem mais adaptação a determinada condição.

A partir do texto acima, julgue os itens a seguir a respeito de aspectos por ele suscitados.

01. A região a que se refere o texto representa o nicho ecológico dos seres vivos descritos.

02. Os saprófitas são componentes abióticos do ecossistema descrito no texto.

04. A cadeia alimentar e a teia alimentar compreendem uma relação de transferência de matéria e energia entre seres vivos.

08. Na cadeia alimentar, entre os seres mencionados no texto, o fluxo de energia e bidirecional.

16. Em uma cadeia alimentar que apresente seres fotossintetizantes, o fluxo de matéria orienta-se no seguinte sentido: dos produtores para os consumidores e de ambos para os decompositores.

Soma das alternativas corretas:

16. (MACK) A presença de liquens em uma região é um testemunho da boa qualidade do ar. Sua ausência pode indicar que o ar está poluído. Eles são sensíveis aos poluentes porque não são capazes de excretar as substâncias tóxicas absorvidas. A respeito dos liquens, é correto afirmar que são formados por dois tipos de indivíduos:

a) Autótrofos.

b) Heterótrofos.

c) Um autótrofo e outro heterótrofo.

d) Procariontes.

e) Decompositores.

17. (CESPE) Para que os navios cargueiros naveguem em segurança quando estão com pouca ou sem carga, e para que mantenham suas hélices propulsoras submersas, é utilizado um peso líquido em tanques localizados nos porões — a água de lastro. Ela garante a estabilidade do navio, evitando danos e impedindo, inclusive, que a embarcação se parta ao meio e venha a naufragar em casos de tempestades. A água de lastro é coletada em portos e estuários de forma inversamente proporcional a quantidade de carga, ou seja, quanto menos carga, mais água de lastro. Assim, ao ser descarregado, o navio enche seus porões com a água do litoral onde se encontra e, ao serem estocadas novas mercadorias, essa água é despejada. A água de lastro pode causar problemas ambientais e de saúde publica, uma vez que pode conter esgoto e materiais tóxicos, além de espécies animais e vegetais endêmicos. Essas últimas, como não têm predadores naturais, podem se reproduzir rapidamente e competir com espécies nativas. Bacilos ou outras formas de organismos patogênicos também podem ser carregados de uma região para outra junto com a água de lastro despejada no mar. Como o trafego de navios cargueiros é significante, inclusive em rotas internacionais, essa água pode espalhar contaminantes pelo mundo inteiro, já que são movimentadas, por ano, aproximadamente 10 bilhões de toneladas de água de lastro no mundo e, no Brasil, aproximadamente 80 milhões anuais (sendo, em nosso país, cerca de 95% do comercio exterior realizado por via marítima).

Internet: <www.brasilescola.com> (com adaptações).

Tendo como referência o texto e os vários aspectos a ele relacionados, assinale a opção correta.

a) A conservação, a redução e o aumento do número de indivíduos de uma população independem da resistência do meio e da capacidade potencial de a população aumentar por reprodução, ou seja, do seu potencial biótico.

b) A troca da água de lastro em alto mar e o tratamento da água de lastro por meio da filtração ou irradiação por raios ultravioletas são exemplos de medidas preventivas para impedir a bioinvasão de espécies exóticas e a disseminação de microrganismos patogênicos em um novo ecossistema.

c) A dificuldade para se desenvolver em água salgada impede que o vibrião colérico, transportado pela água de lastro, se instale em um novo habitat e cause impactos ambientais e problemas à saúde de uma população.

d) Considerando que algumas esponjas foram transportadas pela água de lastro de navios, é correto afirmar que, devido a sua reprodução ser exclusivamente assexuada, esses animais são incapazes de se instalarem em águas brasileiras.

18. (UNEAL) Por volta da década de 1950, o conceito de ecossistema deu origem a um novo ramo da ecologia, “a ecologia de ecossistema”, focalizada na ciclagem da matéria e da energia associada através dos ecossistemas. Eugene P. Odum desenvolveu um modelo “universal” de fluxo de energia através dos ecossistemas, como o representado na ilustração abaixo.

Com base em conhecimentos sobre energia e matéria nos sistemas ecológicos e na interpretação da ilustração, é correto afirmar:

01. A energia ingerida pelos organismos em cada nível trófico é somada pela respiração e excreção, tal que mais energia se torna disponível para consumo pelo próximo nível trófico.

02. Diferente da energia, a maioria da qual entra nos ecossistemas como luz e sai como calor, os nutrientes são poucos regenerados ou retidos dentro do sistema.

04. A energia primária é aproveitada através de um ecossistema após ter sido assimilada em formas inorgânicas por organismos heterótrofos.

08. A transferência de energia bidirecional entre os seres vivos quando estes se alimentam e servem de alimento para outros organismos forma uma cadeia alimentar.

16. Parte da matéria é passada para a cadeia alimentar, mas toda ela, por fim, retorna às formas inorgânicas pelo processo da decomposição.

Soma das alternativas corretas:

19. As Cracas são crustáceos que se fixam às rochas nas regiões entre marés. Nessas regiões, os organismos estão adaptados às flutuações diárias da maré e, consequentemente, a todas as mudanças físicas que ocorrem. A figura abaixo mostra a distribuição de duas espécies de cracas, “Balanus balanoides” e “Chtamalus stellatus” em uma zona entremarres. Pode-se observar que os adultos dessas duas espécies ocupam duas zonas horizontais distintas, com uma pequena área de superposição. É interessante notar, ainda, que se removermos experimentalmente a espécie “B. balanoides”, a espécie “C. stellatus” ocupará toda a região rochosa. Contudo, se removermos a espécie “C. stellatus”, a espécie “B. balanoides” continuará ocupando apenas as áreas mais baixas ao longo dessa região.

Com base nas informações acima, pode-se afirmar que:

a) A situação apresentada é um caso típico de competição intraespecífica.

b) Na evolução dessas espécies houve uma tendência à especialização dos nichos como uma resposta a fatores físicos como a dessecação, sendo que cada espécie passou a ocupar uma região delimitada da rocha.

c) Os adultos de “C. stellatus” não ocupam todo o nicho potencial, devido à competição com “B. balanoides”.

d) A distribuição das populações de “B. balanoides” é limitada pela competição interespecífica.

20. (PUC-SP) (…) Para começo de conversa, o coral duro da espécie “Acropora millepora” está morto: é só uma lembrança literalmente desbotada do organismo coletivo que vicejava sobre o exoesqueleto calcário que restou. Desbotamento (bleeching), de fato, é o nome da praga associada ao aquecimento global que ameaça o maior e mais famoso conjunto de corais do mundo, os 2.000 Km da Grande Barreira a leste da Austrália (…) Outro grande flagelo dos corais é a coroa-de-espinho (“Acanthaster planci”), uma espécie de estrela-do-mar, o único predador natural especializado nesses condomínios de pólipos que enfeitam o mar (…) A coroa-de-espinho consome o tecido mole do coral, rico em carboidratos, dos quais o coral retira 80% de sua energia e que são produzidos por fotossíntese por algas dinoflageladas do tipo “Zooxanthellae”. (…) Essas algas marrons são organismos unicelulares que cada pólipo de coral duro abriga dentro de suas próprias paredes (…) a alga sintetiza alimento (amido) usando energia da luz solar, e o coral lhe dá abrigo e substâncias contendo carbono que servem de matéria-prima para o microrganismo realizar a fotossíntese. (…) As “Zooxanthellae” são muito sensíveis à mudança de temperatura. Basta uma variação de 1ºC ou 2ºC para que abandonem as paredes do pólipo coralino, provocando a morte do parceiro. Sem as algas para lhe dar cor, o coral desbota – daí o fenômeno do bleeching.

(LEITE, Marcelo. Flagelo de Corais. Folha de S.Paulo – Caderno Mais! – 27 de junho de 2004, adaptado.)

A partir da leitura do texto, é incorreto afirmar que:

a) a poluição térmica compromete a sobrevivência do cnidário colonial da espécie “Acropora millepora”.

b) o coral e a “Zooxanthellae” mantêm uma relação de mutualismo.

c) “Acropora millepora” é presa de “Acanthaster planci”.

d) o coral não sobrevive sem a presença das algas dinoflageladas.

e) o coral é predador das “Zooxanthellae”.

 


Responses

  1. Porque o item 02 da questão 5 está errado, professor Djalma?

    • – Ver CLONAGEM GÊNICA, matéria publicada neste blog no dia 26/02/2011.
      Djalma Santos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: