Publicado por: Djalma Santos | 13 de abril de 2012

Testes de sistema digestório

01. (UFMS) Habilidoso, o homem representou todo o corpo humano em desenhos para estudá-lo. O esquema a seguir representa o processo de deglutição. Sobre esse processo, e correto afirmar:

01

a) O bolo alimentar, constituído por alimento mastigado e misturado a saliva, e empurrado pela língua para o fundo da faringe, rumo ao esôfago.

b) Durante a deglutição, entra em ação um mecanismo que fecha a faringe, canal que conduz ar aos pulmões, evitando que o alimento ingerido penetre nas vias respiratórias.

c) Para não haver passagem do alimento em direção ao sistema respiratório, a epiglote abre a glote e orienta a passagem do alimento para o esôfago.

d) A deglutição ocorre com a passagem do alimento da epiglote para a traqueia e depois para o esôfago.

e) Após devidamente umedecido e lubrificado pela saliva, o bolo alimentar passa pela laringe e vai para o esôfago.

02. (IFPE) A digestão consiste na quebra de moléculas complexas, convertendo-as em moléculas simples para serem absorvidas. Na espécie humana, essa quebra se dá pela ação de enzimas hidrolíticas liberadas durante o percurso do bolo alimentar pelo tubo digestivo. A sincronização entre a passagem do alimento e a liberação de enzimas nos humanos é feita pela ação de alguns hormônios. Sobre esses hormônios e suas respectivas ações, assinale a única afirmativa correta.

a) O hormônio secretina é produzido no duodeno, conduzido até ao estômago, estimulando a secreção do suco gástrico.

b) O hormônio gastrina é produzido no estômago e atua na vesícula biliar estimulando a liberação de bile.

c) O duodeno libera o hormônio secretina que, levado ao pâncreas, estimula a liberação de suco pancreático.

d) É o hormônio enterogastrona que, produzido no intestino delgado, é transportado ao estômago onde estimula a liberação do suco gástrico.

e) O hormônio colecistocinina produzido no fígado estimula as contrações da vesícula biliar e, consequentemente, a liberação de bile para o duodeno.

03. (UERJ) A atividade das enzimas no organismo humano varia em função do pH do meio. Observe o gráfico:

03

A curva que representa a variação da atividade da quimiotripsina, enzima proteolítica encontrada no suco duodenal é a identificada pela seguinte letra:

a) W.

b) X.

c) Y.

d) Z.

04. (UFRN) Os tumores desenvolvidos nas vias biliares podem provocar diferentes sintomas de acordo com a localização específica. Um indivíduo acometido por um tumor que obstrua o ducto comum (indicado com um círculo na figura abaixo) terá como consequência:

04

a) A evacuação de fezes com grande quantidade de gordura.

b) O comprometimento da digestão de gorduras e proteínas.

c) O prejuízo na absorção de aminoácidos.

d) A lesão das células do duodeno.

05. (UFPR) Considere a figura abaixo, que apresenta as principais porções do sistema digestório. A tabela mostra o gradiente de pH e a biomassa bacteriana em algumas dessas porções, listadas em ordem aleatória.

05

A partir das informações apresentadas, é correto afirmar:

a) O pH mais ácido favorece a proliferação bacteriana.

b) A porção 12 apresenta o menor número de células bacterianas por mL.

c) Ao longo do trajeto pelo tubo digestório, o alimento é exposto a um gradiente decrescente de pH.

d) O maior número de células bacterianas por mL é encontrado nas porções 10 e 11.

e) O número de células bacterianas por mL encontrado na porção 7 é maior do que o encontrado na porção 4.

06. (UEM) Sobre o sistema digestório, assinale o que for correto.

I    II

0  0  As vilosidades intestinais, ricamente supridas por capilares sanguíneos e linfáticos, têm como principal função aumentar a superfície de contato, favorecendo a absorção dos nutrientes.

1  1 – Em ruminantes, a obtenção de glicose dos alimentos é favorecida por bactérias e protozoários simbiontes que vivem em seus estômagos produzindo enzimas para a digestão de celulose.

2  2 – O pâncreas é uma glândula que, além de secretar enzimas digestivas, secreta também os hormônios insulina e glucagon.

3  3 – Após uma cirurgia de emergência, uma pessoa teve sua vesícula biliar retirada. Dessa forma, espera-se que essa pessoa deixe de produzir a bile.

4  4 – No intestino delgado do homem, as células das paredes internas secretam vários tipos de fluidos, entre os quais, a pepsina e o ácido clorídrico.

07. (FUVEST) No Egito, muitos artefatos de pedra são vendidos como provenientes dos tempos dos faraós são falsificados. O processo de fabricação consiste em esculpir pequenas pedras e misturá-las com a comida oferecida às galinhas. Atravessando todo o tubo digestório da galinha, as pedras adquirem o aspecto de objetos antigos e desgastados pelo uso. Esse processo de “envelhecimento mecânico” deve-se à ação:

a) Do bico.

b) Do papo.

c) Do estômago químico.

d) Da moela.

e) Do intestino.

08. (PUC-CAMPINAS)

Atenção: Para responder esta questão considere o texto apresentado abaixo.

Nossa dieta é bastante equilibrada em termos de proteínas, carboidratos e gorduras, mas deixa a desejar em micronutrientes e vitaminas. “O brasileiro consome 400 miligramas de cálcio por dia, quando a recomendação internacional é de 1 200 miligramas,”(…). É um problema cultural, mais do que socioeconômico, já que os mais abastados, das classes A e B, ingerem cerca da metade de cálcio que deveriam.

(Revista Pesquisa Fapesp, junho de 2010, p. 56)

No processo digestivo dos seres humanos, moléculas de proteínas, carboidratos e gorduras são quebrados em moléculas menores, respectivamente, pelos sucos:

a) Entérico, gástrico e pancreático.

b) Salivar, salivar e entérico.

c) Salivar, entérico e gástrico.

d) Gástrico, gástrico e entérico.

e) Gástrico, salivar e pancreático.

09. (FEI) A enzima pepsina começa a decompor as proteínas em cadeias muito menores de aminoácidos quando o alimento chega ao estômago. Assinale alternativa que explica o motivo pelo qual a pepsina não destrói as proteínas que compõem o trato digestivo:

a) Porque a pepsina é secretada na forma inativa, chamada pepsinogênio.

b) Porque a pepsina é secretada na forma ativa, chamada pepsinogênio.

c) Porque a pepsina é secretada na forma inativa, chamada tripsinogênio.

d) Porque a pepsina é secretada na forma ativa, chamada tripsinogênio.

e) Porque a pepsina é secretada na forma ativa, chamada enteroquinase.

10. (UECE) O hormônio envolvido no controle da digestão, que é produzido no intestino delgado — estimulado pela acidez do quimo presente no interior deste órgão — e que age (I) no estômago, inibindo a secreção de suco gástrico; (II) no intestino, reduzindo a sua mobilidade e induzindo a secreção de suco entérico; (III) no pâncreas, estimulando a secreção de suco pancreático rico em bicarbonatos; e (IV) no fígado, estimulando a produção de bile é o(a):

a) Secretina.

b) Gastrina.

c) Colecistoquinina.

d) Inibidor gástrico.

11. (UNIMONTES) Quem está de dieta precisa ficar de olho não só no que come, mas também no que bebe. Nos EUA, especialistas em nutrição elaboraram uma espécie de guia sobre bebidas, no qual declaram que 21% das calorias ingeridas por um americano, por dia, vêm daquilo que ele bebe. O esquema a seguir mostra várias opções de líquidos que estão relacionados com esse assunto. Observe-o.

11

De acordo com o esquema apresentado e o assunto abordado, analise as afirmativas abaixo e assinale a que representa uma relação correta com o líquido indicado.

a) V – Fornece apenas proteínas.

b) IV – Não acrescenta calorias e nutrientes à dieta.

c) III – Ingerir a sua matéria-prima é mais recomendado.

d) II – Não tem caloria, mas pode lesar o organismo humano.

12. (PUC-SP) “Após o processo de digestão, moléculas de glicose são armazenadas no ….I…. na forma de glicogênio. Daí, a glicose é encaminhada para o sangue, sendo sua taxa controlada pela insulina, hormônio produzido no ….II…. .”

No trecho acima, as lacunas I e II devem ser preenchidas, correta e respectivamente, por:

a) fígado e duodeno.

b) fígado e pâncreas.

c) pâncreas e fígado.

d) pâncreas e duodeno.

e) duodeno e pâncreas.

13. (COVEST) Observe as proposições abaixo sobre o processo digestivo dos animais:

I  II

0 0 – Os artrópodes e moluscos  são os  primeiros  animais na  escala evolutiva a apresentarem glândulas como fígado e pâncreas, que secretam grandes quantidades de enzimas digestivas.

1 1 – O início  da digestão dos  alimentos nos  seres humanos se dá na boca, onde o amido é transformado em fragmentos menores e maltose, por ação da amilase salivar.

2 2 – No estômago dos seres humanos, o ácido clorídrico ativa o tripsinogênio, transformando-o em tripsina que degrada proteínas em peptídeos e aminoácidos.

3 3 – Nos seres  humanos, o  quimo,  quando  entra  em contato  com a parede intestinal, estimula a produção de colecistocinina e secretina que agem sobre o pâncreas e a vesícula biliar, estimulando-os a lançar no duodeno o suco pancreático e a bile, respectivamente.

4 4 – A finalização  do processo  digestivo  ocorre, nos seres humanos, no intestino grosso por ação do suco intestinal que contém maltase, sacarase, lactase, erepsina, aminopetidases e lipases.

14. (MACK) Assinale a alternativa correta a respeito do processo digestivo.

a) A digestão enzimática de carboidratos só se inicia no duodeno.

b) O pH ácido do estômago inativa todas as enzimas digestivas.

c) A retirada da vesícula biliar pode provocar dificuldade de digestão de lipídios, devido à falta de enzimas.

d) A superfície interna do jejuno-íleo apresenta dobras para facilitar a absorção de nutrientes.

e) As bactérias presentes no intestino grosso são parasitas, mas só provocam sintomas quando seu número se eleva muito.

15. (FEI) A moela, porção do sistema digestório de alguns animais, é uma estrutura muito musculosa que atua fragmentando os alimentos duros. Na moela, podem ser encontradas pedras ingeridas pelo animal. Assinale a alternativa que apresenta representantes portadores de moela:

a) Aves e mamíferos.

b) Minhocas e mamíferos.

c) Moluscos e minhocas.

d) Minhocas e aves.

e) Aves e moluscos.

16. (COVEST) No Brasil o número de adeptos do vegetarianismo estrito, ou seja, aqueles que somente admitem vegetais na dieta vêm crescendo nos últimos anos. Considerando este tipo de dieta e o processo de digestão dos alimentos realizado pelos órgãos ilustrados abaixo, considere as afirmativas a seguir:

16

I   II

0  0 – Dietas vegetarianas são ricas em vitaminas, tais como Riboflavina (B2) e Filoquinona (K), que são importantes na respiração celular e na coagulação sanguínea, respectivamente.

1 1 – O consumo estrito de legumes, frutas, verduras e cereais não fornece todos os aminoácidos essenciais, necessários à constituição de proteínas e enzimas.

2 2 – Proteínas vegetais ingeridas são degradadas por ação da pepsina, produzida pelo órgão “1”, e da quimotripsina e tripsina, secretadas pelo órgão “2”no intestino.

3  3 – A ausência do órgão “3”, não compromete a capacidade de digerir gorduras vegetais, mas a ausência do órgão “4”, impede a secreção de enzimas tais como a RNAse, DNAse e Lipase.

4 4 – A redução cirúrgica do tamanho do órgão “1”em pessoas com obesidade mórbida, diminui a produção de gastrina, o que leva a redução de peso de forma semelhante a quem somente ingere vegetais.

17. (UPE)

17

“A pior experiência recente em que a interferência humana se provou desastrosa aconteceu na criação de vacas e bois. Esses animais são vegetarianos estritos. Os criadores europeus, para apressar e aumentar a engorda transformaram-nos em carnívoros ao alimentá-los com rações produzidos com restos de outros animais. O uso de animais doentes para alimentar sadios gerou a atual epidemia vaca louca….”

Revolução dos Bichos – Revista Veja 18/04./01

Quais informações abaixo confirmam ou não a adaptação desses animais ao hábito alimenta herbívoro?

I   II

0   0 – O alimento é deglutido e conduzido diretamente ao rúmen ou pança, uma das pastes do estômago que apresenta 3 outros compartimentos, denominados: retículo ou barrete, omaso ou folhoso e abomaso ou coagulador.

1   1 – A digestão ocorre pela ação de microrganismo presentes no rúmen e no retículo, que produzem celulase, uma enzima que digere a celulose.

2  2 – A associação entre os microrganismos e esses animais estabelece uma interdependência fisiológica característica do mutualismo obrigatório, um exemplo de relação harmônica interespecífica.

3  3 – No coagulador, conhecido como estômago químico, a ação do ácido clorídrico e da pepsina, ai produzidos, causa a fermentação do alimento ingerido e consequente digestão das proteínas e lipídios, liberando ácidos graxos, metano e dióxido de carbono.

4  4 – Apresentam intestino mais curto em relação aos animais carnívoros do mesmo tamanho, razão pela qual a maior parte do processo de digestão acontece nos compartimentos do estômago.

18. (UECE) Ruminantes são mamíferos herbívoros que se diferenciam de outros mamíferos por serem capazes de digerir a celulose ingerida na alimentação. Esses animais são capazes de digerir a celulose dos vegetais porque:

a) Em seu intestino existem glândulas capazes de produzir enzimas que hidrolisam a celulose.

b) Em sua saliva existem fungos capazes de digerir a celulose durante os períodos de ruminação.

c) Em suas câmaras gástricas existem vermes que se alimentam do vegetal e defecam o material digerido e preparado para a absorção.

d) Ao longo do seu aparelho digestivo, existem bactérias e protozoários que realizam a digestão do polissacarídeo presente na parede celulósica dos vegetais.

19. (UEL)Durante o processo de digestão da celulose por alguns microrganismos presentes no estômago dos ruminantes, há a produção de gás metano.

Com base no enunciado e nos seus conhecimentos sobre o sistema digestório dos artiodáctilos ruminantes, assinale a alternativa correta.

a) Os microrganismos celulolíticos se multiplicam na câmara chamada coagulador.

b) O estômago dos ruminantes é dividido em cinco câmaras.

c) Os microrganismos metanogênicos pertencem ao grupo das bactérias.

d) O suco gástrico é secretado na câmara denominada barrete.

e) Um papo ou proventrículo precede o estômago desses animais.

20. Em três tubos de ensaio foram colocadas as seguintes misturas:

Tubo 1:clara de ovo, saliva, hidróxido de sódio.

Tubo 2:macarrão, suco gástrico, ácido acético.

Tubo 3:batata, suco pancreático, hidróxido de amônio.

Todos esses tubos foram mantidos por quatro horas a uma temperatura de 37oC. Após esse tempo, onde poderia ser encontrada maltose?

a) No tubo 1, apenas.

b) Nos tubos 1 e 2, apenas.

c) Nos tubos 1 e 3, apenas.

d) Nos tubos 2 e 3, apenas.

e) No tubo 3, apenas.

21. (COVEST) Observe o diagrama abaixo e assinale a alternativa que indica os órgãos que produzem enzimas proteolíticas:

21

a) 1 e 2.

b) 4 e 5.

c) 3, 5 e 6.

d) 1, 2 e 3.

e) 2 e 3.

22. (UNICENTRO) Os mamíferos ruminantes possuem trato digestivo especializado para a digestão da celulose. Considerando aspectos anatômicos e fisiológicos, pode-se apontar, como uma característica dos ruminantes:

a) A regurgitação do bolo alimentar para eliminação de substâncias fibrosas e indigestas pela boca.

b) A presença de bactérias e protozoários que fazem respiração aeróbica para acidificar o abomaso.

c) A relação de simbiose com leveduras especializadas na degradação de celulose e outras fibras vegetais.

d) A produção de saliva que serve como meio de fermentação para manter bactérias e protozoários no rúmen.

e) O estômago ser seguido por um único compartimento, o rúmen, onde a celulose é absorvida pelo organismo.

23. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I  II

0 0 – Da secreção de certa região do tubo digestivo de um cachorro foi purificada certa enzima, a qual foi distribuída por quatro tubos de ensaio contendo as substâncias especificadas na figura a seguir. Após duas horas, à temperatura de 38oC, ocorreu digestão apenas no tubo 2. Com base no resultado obtido, podemos afirmar que a citada enzima foi retirada do estômago do animal.

23

1 1 – A existência  de  uma doença degenerativa no pâncreas prejudicará a digestão de proteínas, lipídios e açúcares.

2 2 – Considerando o sistema digestivo humano, os aminoácidos passam para a corrente sanguínea no intestino delgado.

3 3 – Com relação ao processo nutricional, podemos afirmar que a assimilação antecede a digestão.

4  4 – Dos sucos digestivos, o mais rico em enzima é o suco gástrico.

24. (UFOP) Para certo experimento, quatro tubos de ensaio foram montados da seguinte maneira:

Tubo 1 – solução de água e açúcar de cana

Tubo 2 – emulsão que contém triacilgliceróis

Tubo 3 – solução de caseína

Tubo 4 – solução de amido

Para que ocorra reação enzimática com formação específica de produtos, a ordem correta de enzimas adicionadas deverá ser a seguinte:

a) Lipase, sacarase, tripsina e amilase.

b) Sacarase, lipase, tripsina e amilase.

c) Amilase, tripsina, lipase e sacarase.

d) Sacarase, tripsina, lipase e amilase.

25. (CESGRANRIO) O esquema a seguir representa interações hormonais que auxiliam na liberação de secreções no sistema digestivo humano.

25

Assinale a única opção que não está de acordo com o processo digestivo no homem.

a) A colecistocinina desencadeia o esvaziamento da vesícula biliar no duodeno.

b) A secretina estimula a liberação do suco pancreático no duodeno.

c) A gastrina propicia o aumento das secreções gástricas com seu conteúdo proteolítico.

d) A vesícula biliar libera suas enzimas lipolíticas estimulada pela colecistocinina.

e) O pâncreas, estimulado pela secretina, possibilita a alcalinização do intestino delgado.

26. (UEM) Assinale o que for corretosobre a alimentação e o sistema digestório de vertebrados.

I   II

0  0 – Desde a fase larval até a fase adulta, as lampreias são ectoparasitas de peixes, cuja boca tem forma de ventosa e sua glândula salivar produz uma substância anticoagulante.

1  1 – A função da válvula espiral em condrictes é a de retardar o trânsito dos alimentos, dando mais tempo à digestão, além de aumentar a área intestinal de absorção de nutrientes.

2  2 – Os actinopterígios têm sistema digestório incompleto, semelhante ao dos condrictes, inclusive com válvula espiral.

3  3 – Os anuros adultos são carnívoros, alimentando-se, em geral, de insetos, vermes e outros invertebrados.

4  4 – O estômago das aves, independente do hábito alimentar, é dividido em três partes: papo, proventrículo e moela.

27. (COVEST) Para que haja absorção de nutrientes pelo organismo humano, é necessário que os alimentos sejam digeridos e metabolizados. Em relação à digestão, pode-se afirmar que:

I   II

0   0 – Secretina é um hormônio lançado na circulação após estimulação da parede do duodeno pelo quimo ácido. Atinge o pâncreas, estimulando-o a produzir uma secreção rica em bicarbonato de sódio.

1   1 – O suco pancreático é um importante suco digestivo composto por várias enzimas, entre elas a tripsina, que atua sobre as proteínas.

2  2 – O intestino delgado também produz enzimas digestivas que agem sobre lipídios e carboidratos, sendo a pepsina intestinal o principal agente atuante sobre as proteínas.

3   3 – Ácido clorídrico e pepsina são substâncias fundamentais na digestão de alimentos. Eles são produzidos pelo estômago.

4  4 – O hormônio enterogastrona atua estimulando a contração da vesícula biliar, que determina a expulsão da bile.

28. (CEFET-SP) O processo da digestão humana consiste na transformação de macromoléculas em micromoléculas para que possam ser assimiladas e aproveitadas pelas células. A respeito de dois nutrientes, X e Y, sabe-se que depois de ingeridos, o primeiro é parcialmente digerido na boca, enquanto o segundo não sofre modificação no aparelho digestivo. Os nutrientes X e Y são, respectivamente:

a) As vitaminas e as proteínas.

b) Os carboidratos e as vitaminas.

c) Os lipídeos e as proteínas.

d) Os lipídeos e os carboidratos.

e) Os sais minerais e as vitaminas.

29. (F. F. O. Diamantina) Quando o alimento chega ao I, estimula a secreção de II, que, em seguida, é levado pelo sangue, provocando então a alta secreção de III. As palavras que substituem corretamente os números I, II e III são, respectivamente:

a) Duodeno, secretina, ptialina.

b) Estômago, gastrina, suco gástrico.

c) Fígado, colecistoquinina, suco pancreático.

d) Estômago, tripsina, ácido clorídrico.

e) Pâncreas, colecistoquinina, suco pancreático.

30. (PUCCAMP)

A MÁQUINA A VAPOR: UM NOVO MUNDO, UMA NOVA CIÊNCIA.

1. As primeiras utilizações do carvão mineral verificaram-se esporadicamente até o século Xl; ainda que não fosse sistemática, sua exploração ao longo dos séculos levou ao esgotamento das jazidas superficiais (e também a fenômenos de poluição atmosférica, lamentados já no século XIII). A necessidade de se explorarem jazidas mais profundas levou logo, já no século XVII, a uma dificuldade: a de ter que se esgotar a água das galerias profundas. O esgotamento era feito ou à força do braço humano ou mediante uma roda, movida ou por animais ou por queda d’água. Nem sempre se dispunha de uma queda d’água próxima ao poço da mina, e o uso de cavalos para este trabalho era muito dispendioso, ou melhor, ia contra um princípio que não estava ainda formulado de modo explícito, mas que era coerentemente adotado na maior parte das decisões produtivas: o princípio de se empregar energia não alimentar para obter energia alimentar, evitando fazer o contrário. O cavalo é uma fonte de energia melhor do que o boi, dado que sua força é muito maior, mas são maiores também suas exigências alimentares: não se contenta com a celulose – resíduo da alimentação humana-, mas necessita de aveia e trevos, ou seja, cereais e leguminosas; compete, pois, com o homem, se considera que a área cultivada para alimentar o cavalo é subtraída da cultivada para a alimentação humana; pode-se dizer, portanto, que utilizar o cavalo para extrair carvão é um modo de utilizar energia alimentar para obter energia não alimentar. Daí a não economicidade de sua utilização, de modo que muitas jazidas de carvão que não dispunham de uma queda d’água nas proximidades só puderam ser exploradas na superfície. Ainda hoje existe  certo perigo de se utilizar energia alimentar para se obter energia não alimentar: num mundo que conta com um bilhão de desnutridos, há quem pense em colocar álcool em motores de automóveis. Esta será uma solução “econômica” somente se os miseráveis continuarem miseráveis.

2. Até a invenção da máquina a vapor, no fim do século XVII, o carvão vinha sendo utilizado para fornecer o calor necessário ao aquecimento de habitações e a determinados processos, como o trato do malte para preparação da cerveja, a forja e a fundição de metais. Já o trabalho mecânico, isto é, o deslocamento de massas, era obtido diretamente de  outro trabalho mecânico: do movimento de uma roda d’água ou das pás de um moinho a vento.

3. Aaltura a que se pode elevar uma massa depende, num moinho a água, de duas grandezas: o volume d’água e a altura de queda. Uma queda d’água de cinco metros de altura produz o mesmo efeito quer se verifique entre 100 e 95 metrosde altitude, quer se verifique entre 20 e 15 metros. As primeiras considerações sobre máquinas térmicas partiram da hipótese de que ocorresse com elas um fenômeno análogo, ou seja, que o trabalho mecânico obtido de uma máquina a vapor dependesse exclusivamente da diferença de temperatura entre o “corpo quente” (a caldeira) e o “corpo frio” (o condensador). Somente mais tarde o estudo da termodinâmica demonstrou que tal analogia com a mecânica não se verifica: nas máquinas térmicas, importa não só a diferença temperatura, mas também o seu nível; um salto térmico entre 50°C e 0°C possibilita obter um trabalho maior do que o que se pode obter com um salto térmico entre 100°C e 50°C. Esta observação foi talvez o primeiro indício de que aqui se achava um mundo novo, que não se podia explorar com os instrumentos conceituais tradicionais.

4. O mundo que então se abria à ciência era marcado pela novidade prenhe de consequências teóricas: as máquinas térmicas, dado que obtinham movimento a partir do calor, exigiam que se considerasse um fator de conversão entre energia térmica e trabalho mecânico. Aí, ao estudar a relação entre essas duas grandezas, a ciência defrontou-se não só com um princípio de conservação, que se esperava determinar, mas também com um princípio oposto. De fato, a energia, a “qualquer coisa” que torna possível produzir trabalho – e que pode ser fornecida pelo calor, numa máquina térmica, ou pela queda d’água, numa roda/turbina hidráulica, ou pelo trigo ou pela forragem, se são o homem e o cavalo a trabalhar – a energia se conserva, tanto quanto se conserva a matéria. Mas, a cada vez que a energia se transforma, embora não se altere sua quantidade, reduz-se sua capacidade de produzir trabalho útil. A descoberta foi traumática: descortinava um universo privado de circularidade e de simetria, destinado à degradação e à morte.

5. Aplicada à tecnologia da mineração, a máquina térmica provocou um efeito de feed-back positivo: o consumo de carvão aumentava a disponibilidade de carvão. Que estranho contraste! Enquanto o segundo princípio da termodinâmica colocava os cientistas frente à irreversibilidade, à morte, à degradação, ao limite intransponível, no mesmo período histórico e graças à mesma máquina, a humanidade se achava em presença de um “milagre”. Vejamos como se opera este “milagre”: pode-se dizer que a invenção da máquina a vapor nasceu da necessidade de exploração das jazidas profundas de carvão mineral; o acesso às grandes quantidades de carvão mineral permitiu, juntamente com um paralelo avanço tecnológico da siderurgia – este baseado na utilização do coque (de carvão mineral) – que se construíssem máquinas cada vez mais adaptáveis a altas pressões de vapor. Era mais carvão para produzir metais, eram mais metais para explorar carvão. Este imponente processo de desenvolvimento parecia trazer em si uma fatalidade definitiva, como se, uma vez posta a caminho, a tecnologia gerasse por si mesma tecnologias mais sofisticadas e as máquinas gerassem por si mesmas máquinas mais potentes. Uma embriaguez, um sonho louco, do qual só há dez anos começamos a despertar.

6. “Mais carvão se consome, mais há à disposição”. Sob esta aparência inebriante ocultava-se o processo de decréscimo da produtividade energética do carvão: a extração de uma tonelada de carvão no século XIX requeria, em média, mais energia do que havia requerido uma tonelada de carvão extraída no século XVIII, e esta requererá mais energia do que uma tonelada de carvão extraída no século XVII. Era como se a energia que se podia obter da queima de uma tonelada de carvão fosse continuamente diminuindo.

7. Começava a revelar-se uma nova lei histórica, a lei da produtividade decrescente dos recursos não renováveis; mas os homens ainda não estavam aptos a reconhecê-la.

(Laura Conti. Questo pianeta, Cap.10. Roma: Editori Riuniti, 1983. Traduzido e adaptado por Ayde e Veiga Lopes)

O texto compara o cavalo com o boi como fonte de energia para o trabalho. Sobre esses dois animais, fizeram-se as seguintes afirmações:

I. São mamíferos ruminantes.

II. Seus sucos digestivos não contêm celulase.

III. A digestão de celulose é efetuada por microorganismos simbiontes em ambos os animais.

IV. No cavalo, os microrganismos localizam-se no ceco intestinal, enquanto que no boi localizam-se no estômago.

São corretas:

a) I, II e III, somente.

b) I, II e IV, somente.

c) I, III e IV, somente.

d) II, III e IV, somente.

e) I, II, III e IV.

31. (MACK) A nutricionista Valéria Ribeira, da Universidade Federal de Viçosa,em Minas Gerais, avaliou o padrão alimentar de 185 calouros da instituição, dos quais 85% moram sozinhos ouem repúblicas. Comprovouo desmazelo típico da fase dos 18 anos. A maioria deles despreza alguma refeição principal (57%), rejeita hortaliças (79%) e só 25% consomem frutas cinco ou mais vezes por semana. Cerca de 57% levam vida sedentária e a maioria consome álcool.

                                                 (Revista Época – 26/03/2003)

Esse modo de vida pode provocar várias alterações no equilíbrio do organismo. Dentre essas alterações não se pode citar:

a) O aumento do risco de infarto, pela combinação de ingestão de álcool e hábito sedentário.

b) A desnutrição, por não realizar refeições principais regularmente.

c) A diminuição dos movimentos peristálticos, por falta de fibras vegetais obtidas das hortaliças.

d) As hipovitaminoses, como consequência da falta de frutas, importantes fontes de vitaminas.

e) A diminuição da massa muscular, por falta de proteínas obtidas dos vegetais.

32. (UEL) “A maior parte dos nutrientes encontrados nos alimentos apresentam-se na forma de grandes moléculas que não podem ser absorvidas pelo intestino, devido ao seu tamanho ou pelo fato de não serem solúveis. O sistema digestório humano é responsável por reduzir essas moléculas em unidades que são prontamente absorvidas. Os mecanismos absortivos e de transporte são cruciais para a liberação de produtos de digestão para as unidades celulares. Mesmo na presença de uma dieta adequada, os desarranjos deste sistema podem resultar em desnutrição.”

(Adaptado de: MAHAM, L.K.; ESCOTT-STUMP, S. “Alimentos, nutrição e dietoterapia”. 9. ed. São Paulo: Roca. 1998.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa correta.

a) A água, os dissacarídeos e os polissacarídeos são absorvidos na sua forma original, ao passo que os monossacarídeos, vitaminas e minerais precisam ser degradados para serem absorvidos.

b) A absorção é um processo simples, no qual os nutrientes passam através das células mucosas para dentro da corrente sanguínea pelo processo de transporte ativo.

c) O contato do quimo com a mucosa intestinal estimula a liberação de enteroquinase, uma enzima que transforma o tripisinogênio pancreático ativo em tripisina ativa, a qual tem por função ativar outras enzimas proteolíticas.

d) A enzima ptialina hidrolisa o amido e os ácidos graxos em dextrinas e maltoses. Esta reação se dá no estômago quando em contato com o ácido clorídrico, pois a hidrolisação dessas substâncias se dá em meio de pH baixo.

e) A celulose, hemicelulose, pectinas e outras formas de fibras são parcialmente digeridas pelos humanos através da ação das amilases salivar e pancreática, pois as mesmas degradam as paredes celulares.

33. (COVEST) A motilidade e as secreções do sistema digestivo são controladas por mecanismos neurais e hormonais que garantem a perfeita digestão e a absorção do alimento. Sobre esse assunto, analise as afirmativas abaixo.

I   II

0   0 – A secreção salivar começa a ser estimulada pela presença do alimento na cavidade oral.

1  1 – A presença de alimento no estômago estimula a secreção do hormônio gastrina, que induz a produção do suco gástrico, rico em ácido clorídrico e pepsina.

2  2 – A acidez do quimo que chega ao duodeno estimula a produção de secretina, que é levada pelo sangue ao pâncreas, estimulando, assim, a secreção de bicarbonato de sódio.

3  3 – A presença de gorduras no alimento estimula a produção de colecistoquinina, que vai inibir a secreção pancreática e a liberação de bile pela vesícula.

4 4 – A função da enterogastrona é estimular o esvaziamento gástrico pelo aumento dos movimentos peristálticos.

34. (UECE) Assinale a alternativa em que há uma correspondência correta da segunda coluna com o enunciado da primeira coluna:

Primeira Coluna

I. Tem função no processo digestivo e armazena glicogênio

II. Digestão de proteínas

III. Tripsina

IV. Absorção de sais

V. Ptialina

Segunda Coluna

(   ) Intestino grosso

(   ) Boca

(   ) Pâncreas

(   ) Fígado

(   ) Estômago

a) IV, II, III, I e V.

b) IV, V, III, I e II.

c) II, IV, III, V e I.

d) V, IV, III, I e II.

35. (PUCCAMP) Na época de Colombo, a batata era cultivada nas terras altas da América do Sul e se tornou um dos mais importantes alimentos da Europa durante dois séculos, fornecendo mais do que duas vezes a quantidade de calorias por hectare do que o trigo. Atualmente, se o convidarem para saborear um belo cozido português, certamente a última coisa que experimentará entre as iguarias do prato será a batata, pois ao ser colocada na boca sempre parecerá mais quente. … Mas será que ela está sempre mais quente, uma vez que todos os componentes do prato foram cozidos juntos e saíram ao mesmo tempo da panela?

(Adaptado de P. H. Raven, et all: Biologia Vegetal. Guanabara: Koogan-2001 e Anibal Figueiredo e Maurício Pietrocola. “Física – um outro lado – Calor e temperatura”. São Paulo: FTD, 1997)

Quando se come um cozido, as batatas e a carne começam a ser digeridas, respectivamente:

a) No estômago e na boca.

b) Na boca e no estômago.

c) Na boca e no duodeno.

d) No estômago e no duodeno.

e) no duodeno e no estômago.

36.  Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I  II

0  0 – A vesícula biliar produz uma substância que emulsiona as gorduras.

1  1 – O suco pancreático é levado ao duodeno pelo colédoco e a bile, pelo canal de Wirsung.

2 2 – A válvula  espiral,  encontrada no tubo  digestivo de certos peixes corresponde, funcionalmente, à moela das aves e à bolsa denominada coagulador, do estômago dos ruminantes.

3 3 – Os açúcares, as gorduras, a água e as proteínas são considerados nutrientes essencialmente energéticos.

4  4 – O estômago químico das aves é a moela, onde tem início a digestão das proteínas.

37. (PUC-CAMPINAS) “A reação comum na digestão é a ….X…. na qual proteínas são convertidas em ….Y…., hidratos de carbono em monossacarídeos e gorduras em ácidos carboxílicos e ….Z…. . A reação desses substratos com a água é catalisada por ….W…. que são proteínas”.

Completa-se corretamente o texto acima substituindo-se X, Y, Z e W, respectivamente, por:

a) oxidação, aminoácidos, etanol e vitaminas.

b) hidrólise, vitaminas, glicerol e enzimas.

c) redução, aminoácidos, glicerol e vitaminas.

d) hidrólise, aminoácidos, glicerol e enzimas.

e) oxidação, vitaminas, etanol e enzimas.

38. (PUC-MG) A seguir estão representados os tubos digestórios de dois diferentes animais.

38

De acordo com seus conhecimentos sobre nutrição e sistemas digestórios de vertebrados, é incorreto afirmar:

a) A digestão de proteínas, de origem animal ou vegetal, inicia-se no estômago e deve terminar no intestino delgado, onde ocorre a absorção dos aminoácidos.
b) No intestino grosso dos dois animais, ocorre reabsorção de água e de alguns sais.
c) O grande tamanho do ceco do herbívoro quando comparado ao do carnívoro relaciona-se com o aproveitamento da celulose.
d) Devido à grande quantidade de fibras vegetais na sua dieta, os herbívoros representados são ruminantes.

39. (PUCCAMP) Uma determinada enzima, retirada de um órgão do aparelho digestivo de um mamífero, foi distribuída igualmente em 8 tubos de ensaio. O tipo de alimento e o pH de cada tubo estão informados na tabela a seguir.

Tubos de ensaio

Alimentos adicionados

pH

I

Pão

12,0

II

Pão

7,0

III

Carne

3,0

IV

Carne

7,0

V

Arroz

12,0

VI

Arroz

3,0

VII

Ovo

12,0

VIII

Ovo

7,0

Os tubos de ensaio foram mantidos a37°C e após 10 horas observou-se digestão do alimento apenas no tubo III. Com base nesses dados, é possível concluir que a enzima utilizada e o órgão de onde foi retirada são, respectivamente:

a) Amilase pancreática e intestino.

b) Maltase e estômago.

c) Tripsina e intestino.

d) Ptialina e boca.

e) Pepsina e estômago.

40. (PUCCAMP) Celulose, amido e glicogênio são polissacarídeos que fazem parte de muitos alimentos. Ruminantes e outros herbívoros utilizam como nutrientes esses três polissacarídeos. Isso porque são capazes de transformar (I) e (II) em glicose e, nos seus tubos digestivos vivem, em associação mutualística, microrganismos capazes de digerir (III). Para completar essa frase corretamente, basta substituir I, II e III, respectivamente, por:

a) Amido, glicogênio e celulose.

b) Amido, celulose e glicogênio.

c) Glicogênio, celulose e amido.

d) Celulose, glicogênio e amido.

e) Celulose, amido e glicogênio.

41. (PUC-PR) Com o nome de laterna-de-aristóteles, conhece-se o órgão animal que ocorre:

a) No olho de certos peixes que habitam o fundo dos oceanos.

b) No sistema ovopositor de certos crustáceos.

c) No sistema sensorial dos rotíferos.

d) Nas antenas dos aracnídeos.

e) No sistema digestivo de equinodermos, mais propriamente no ouriço-do-mar.

42. Ao ingerirmos um sanduíche (pão, alface, queijo, carne e tomate), introduzimos substâncias que são essenciais para o nosso organismo. Sobre esse assunto é incorreto afirmar que:

a) Como o pão contém amido, um carboidrato, ele vai começar a ser “quebrado” na boca pela saliva que contém a enzima ptialina.

b) A alface contém fibras que auxiliam na formação do bolo fecal.

c) O queijo contém muita gordura que é classificada como carboidrato.

d) As proteínas da carne são digeridas no estômago pela pepsina.

e) O tomate é rico em caroteno, licopeno, sais minerais e vitaminas.

43. (COVEST) Tarde da noite, estudando para o vestibular, Luís fez uma pausa para um lanche. Foi à cozinha e se serviu de um pão com queijo e um copo de leite. Enquanto comia, aproveitou para revisar mentalmente uma das lições que havia estudado. Aplicando o que havia aprendido ao alimento que estava consumindo, concluiu que:

I   II

0  0 – O bolo alimentar formado na boca, umedecido pela saliva, era empurrado pela língua para a faringe, seguindo para o esôfago, de onde, por ação da gravidade, passava para o estômago.

1  1 – No estômago, as proteínas e a gordura do queijo irão sofrer a ação das enzimas pepsina e lipase, respectivamente.

2  2 – A ação da pepsina é favorecida pelo ácido clorídrico, contido no suco gástrico, que mantém o pH adequado para a atuação desta enzima.

3  3  – Os peptídeos resultantes da degradação das proteínas, no estômago, serão convertidos em ácidos graxos e glicerol no intestino delgado.

4 4  – A lactase, enzima encontrada no estômago atuará sobre a lactose do leite, transformando-a em sacarose.

44. (UNIRIO) O esquema a seguir apresenta partes do aparelho digestivo humano com órgãos numerados de I a V.

44

Em relação à bile, podemos afirmar corretamente que é produzida no órgão:

a) I e armazenada no órgão II.

b) I e secretada para o órgão IV.

c) I e contém enzimas que digerem as gorduras.

d) II e armazenada no órgão I.

e) II e secretada para o órgão IV.

45. (PUC-RJ) “Quando os alimentos passam pelo esôfago, uma espécie de tampa de cartilagem fecha a traqueia. Com a idade, a perda progressiva do tônus muscular leva a um fechamento menos perfeito, aumentando o risco da entrada de alimentos líquidos ou sólidos na traqueia”.

    Adaptado de Scientific American – Brasil, no 4, setembro de 2002.

Em relação ao texto acima, indique a opção que apresenta o nome correto dessa tampa protetora do tubo respiratório, e a condição que justifica sua existência.

a) Glote, em função de a boca ser um órgão comum de passagem tanto do aparelho digestório como do respiratório.

b) Proglote, em função de o esôfago ser um órgão comum de passagem tanto do aparelho digestório como do respiratório.

c) Epiglote, em função de a faringe ser um órgão comum de passagem tanto do aparelho digestório como do respiratório.

d) Glote, em função de a faringe ser um órgão comum de passagem tanto do aparelho digestório como do respiratório.

e) Epiglote, em função de a boca ser um órgão comum de passagem tanto do aparelho digestório como do respiratório.

46. (CEFET-PR) “POR QUE SALIVAMOS DIANTE DE UMA COMIDA APETITOSA?”

Isso acontece porque o organismo já está se preparando antecipadamente para a digestão. A visão do prato e seu cheiro estimulam o cérebro que, por sua vez, aciona as glândulas produtoras de saliva, secreção que tem a função de ajudar o aparelho digestivo a decompor a comida ingerida. Essa reação é um exemplo de reflexo condicionado.

(Superinteressante, ed .177, julho 2002, pág. 31)

A pergunta acima foi enviada à revista, e a respeito desse assunto poderíamos complementar a resposta correta afirmando o seguinte:

a) A ação da ptialina ocorre em meio com pH ácido, tanto na boca quanto no estômago.

b) A saliva contém uma enzima, a ptialina, que inicia a digestão do amido formando maltose.

c) A digestão do amido realiza-se exclusivamente na boca.

d) A saliva contém enzimas, como as lípases, que digerem gorduras.

e) A ptialina presente na saliva realiza a digestão das proteínas.

47. (MARCK) Num experimento, uma quantidade de margarina foi colocada em um tubo de ensaio contendo soro fisiológico. A esse tubo foi adicionada certa quantidade de uma secreção digestiva. Após alguns minutos, em estufa a 37oC, verificou-se que havia inúmeras gotículas gordurosas, mas não havia ocorrido digestão química. Indique a alternativa que apresenta o nome dessa secreção e o órgão de onde ela foi retirada.

a) Saliva; boca.

b) Bile; vesícula biliar.

c) Suco pancreático; intestino grosso.

d) Suco gástrico; estômago.

e) Suco entérico; duodeno.

48. (UEL) Muitos vertebrados apresentam notáveis modificações estruturais no aparelho digestório, de forma que seja possível aproveitar mais eficientemente os recursos alimentares. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir:

I. O papo do pardal é uma parte dilatada do estômago no qual ocorrem acúmulo e digestão química do alimento, permitindo, desta forma, servi-lo já digerido aos seus filhotes.

II. O intestino do tubarão-branco é relativamente curto, mas, para aumentar a superfície de absorção de nutrientes por esse órgão, apresenta uma estrutura conhecida como válvula espiral.

III. A ausência de dentes nas aves restringe a exploração de diferentes itens alimentares, limitando o número de grupos tróficos nessa classe, ao contrário do que ocorre nos mamíferos, que apresentam dentes.

IV. Carneiros apresentam estômago dividido em quatro câmaras e uma associação mutualística com microrganismos produtores de celulase.

A alternativa que contém todas as afirmativas corretas é:

a) I e II.

b) I e III.

c) II e IV.

d) I, II e IV.

e) II, III e IV.

49. (UNIMONTES)  Aparelho digestivo ou sistema digestório, como recomenda a nova nomenclatura, é composto de uma série de órgãos tubulares interligados, formando um único tubo que se estende desde a boca até o ânus. Alguns órgãos que compõem esse sistema estão evidenciados na figura abaixo. Observe-a:

49

Considerando a figura e o assunto abordado, analise as alternativas abaixo e assinale a que representa o órgão em que é produzida a enzima pepsina.

a) II.

b) III.

c) IV.

d) I.

50. (UFPR) Seja uma refeição composta de arroz, salada de folhas verdes e um pedaço de carne com uma grande camada de gordura. Sobre o processo de digestão dos alimentos apresentados, considere as seguintes afirmativas:

1. A carne é digerida principalmente pela pepsina, no estômago, e depois pela tripsina, no duodeno.

2. A celulose proveniente das folhas verdes é digerida pela boca, originando glicose e maltose.

3. O arroz é rico em carboidratos, que são degradados principalmente pela enzima amilase salivar.

4. A camada de gordura da carne é degradada, principalmente, no duodeno, pela enzima lipase, secretada pelo pâncreas.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.

b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.

e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

51. (UNIFOR) Uma pessoa fez uma refeição da qual constavam as substâncias I, II e III. Durante a digestão ocorreram os seguintes processos: na boca iniciou-se a digestão de II; no estômago iniciou-se a digestão de I e a de II foi interrompida; no duodeno ocorreu digestão das três substâncias. Com base nesses dados, é possível afirmar corretamente que I, II e III são, respectivamente:

a) Carboidrato, proteína e lipídio.

b) Proteína, carboidrato e lipídio.

c) Lipídio, carboidrato e proteína.

d) Carboidrato, lipídio e proteína.
e)  Proteína, lipídio e carboidrato.        

52. (UPE) Os alimentos gordurosos estimulam a parede do duodeno a produzir um hormônio que, levado pelo sangue ao fígado e à vesícula biliar, provoca fortes contrações na musculatura lisa da vesícula, determinando a expulsão da bile. Dentre as alternativas abaixo, assinale a que apresenta corretamente o hormônio citado.

a) Gastrina.

b) Enterogastrona.

c) Secretina.

d) Colecistocinina.

e) Mucina.

53. (UFMT) Sobre o processo digestório, assinale a afirmativa correta.

a) Nos organismos menos complexos, como as esponjas, o alimento em suspensão na água é capturado por pseudópodos e a digestão se dá no interior das células.

b) A ação das enzimas sobre os alimentos transforma moléculas complexas em moléculas menores capazes de serem absorvidas pelas células.

c) Os produtos da digestão intracelular em seres humanos são absorvidos pelas microvilosidades da parede interna do intestino grosso.

d) No pâncreas, são produzidas apenas enzimas como insulina e glucagon.

e) No estômago, o bolo alimentar é misturado ao suco gástrico que é uma solução aquosa, rica, principalmente em hormônio secretina.

54. (CESGRANRIO) As enzimas atuam de forma mais eficiente quando o pH do meio é ideal. O gráfico a seguir representa a ação de três enzimas.

54

Pode-se afirmar que a enzima.

a) A é produzida sob a forma de zimogênio.

b) A desdobra polissacarídeos em dissacarídeos.

c) B desdobra lipídios em ácidos graxos.

d) B é produzida sob estímulo da gastrina.

e) C inicia a digestão de protídios.

55. (UFU) O processo de digestão nos humanos é composto por duas fases: uma mecânica, na qual a correta mastigação é essencial, e outra enzimática, controlada por hormônios da digestão. Sobre esses hormônios, analise as afirmações a seguir e marque a alternativa correta.

a) As gorduras parcialmente digeridas, presentes no quimo, estimulam as células do duodeno a liberarem o hormônio secretina, que provoca a eliminação da bile pela vesícula biliar.
b) A acidez do quimo, que chega ao duodeno, estimula certas células da parede intestinal a liberar, especialmente, o hormônio colecistoquinina, que agirá no pâncreas, estimulando-o a liberar, principalmente, bicarbonato de sódio.
c) A secreção do suco gástrico é estimulada por impulsos nervosos e pelo hormônio gastrina, produzido no estômago.
d) A digestão de proteínas inicia-se no estômago e completa-se no duodeno por ação de três proteases secretadas pelo pâncreas: enteroquinase, pepsina e procarboxipeptidase.

56. (VUNESP) Em um laboratório, quatro ratos foram submetidos a cirurgias experimentais no pâncreas, conforme descrição a seguir:

Rato I: remoção total do pâncreas.

Rato II: obstrução total dos canais pancreáticos.

Rato III: destruição das células de Langerhans.

Rato IV: abertura do abdome, mas o pâncreas permaneceu intocado.

Após as cirurgias, provavelmente:

a) Os ratos I e II serão prejudicados apenas no processo digestivo.

b) Os ratos II e III terão insuficiência de apenas determinados hormônios produzidos pelo pâncreas.

c) Os ratos III e IV não receberão determinados hormônios e desenvolveram diabetes mellitus.

d) Os ratos I e III deixarão de receber certas enzimas digestivas e ficarão privados de determinados hormônios.

e) Apenas o rato I ficará prejudicado em suas funções digestivas e hormonais.

57. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I    II

0  0 – A pepsina e a secretina (no estômago), a tripsina e a quimotripsina (no intestino) são enzimas envolvidas na digestão das proteínas.

1  1 – Os alimentos gordurosos estimulam à parede do duodeno a produzir um hormônio (colecistoquinina) o qual é levado pelo sangue ao fígado e à vesícula biliar, havendo a liberação de bile.

2   2 – A bile, produzida por células hepáticas e armazenada na vesícula biliar, é uma solução que contém pigmentos e sais biliares, água e colesterol, mas não contém enzimas.

3  3 – As principais artérias que saem do intestino levam o sangue, primeiramente, ao baço, que metaboliza as substâncias tóxicas (função antitóxica), e, só depois, vai para a circulação geral.

4   4 – Os produtos finais da digestão ficam em solução e em condições de serem absorvidos pela mucosa do intestino, e enquanto aminoácidos e açúcares simples caem na circulação sanguínea, os ácidos graxos caem na circulação linfática.

58. (CESGRANRIO) Assinale a afirmação correta relativa à digestão e absorção de substâncias no homem.

a) O amido é digerido pela ptialina existente na saliva e o produto da digestão é absorvido, principalmente, na boca e esôfago.

b) As proteínas são digeridas pela pepsina, produzida nas glândulas gástricas e sua absorção ocorre, principalmente, no estômago.

c) Os lipídios são digeridos pela lipase produzida na vesícula biliar e sua absorção ocorre, principalmente, no intestino grosso.

d) A celulose é absorvida integralmente no intestino grosso, sem necessidade de sofrer a ação de enzimas digestivas.

e) A glicose não necessita de desdobramento por enzimas digestivas e sua absorção ocorre, principalmente, no intestino delgado.

59.  (UFGD) Na praça de alimentação de um Shopping Center, um jovem casal resolveu lanchar. O rapaz comeu um sanduíche de carne bovina, ovo frito, bacon e queijo e tomou um refrigerante. A moça comeu um pedaço de pizza de rúcula e tomou suco natural. Analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa que indica as corretas.

I. O pão do sanduíche do rapaz começou a ser digerido quimicamente no estômago.
II. O processo digestivo da refeição da moça teve início na boca, pois era rica em carboidratos.
III. O rapaz necessitou de maiores quantidades de pepsina e tripsina para concluir a sua digestão.
IV. O intestino delgado não é o local que ocorre o final da digestão das proteínas, lipídios e carboidratos.

a) I e III.

b) I, III e IV.

c) II e III.

d) II, III e IV.

e) III e IV.

60. (UNISA-SP) O esquema a seguir apresenta um conjunto de órgãos, numerados, do aparelho digestivo. As funções de absorção de água e produção de bile são realizadas, respectivamente, por:

60

a) V e I.

b) IV e I.

c) II e III.

d) V e II.

e) I e II.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

A

C

B

A

E

VVVFF

D

E

A

A

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

C

B

VVFVF

D

D

VFFVF

VVVFF

D

C

E

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

C

D

VVVFF

B

D

FVFVF

VVFVF

B

B

D

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

E

C

FVVFF

B

B

FFFFF

D

D

E

A

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

E

C

FFVFF

A

C

B

B

C

B

D

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

B

D

B

A

C

E

FVVFV

E

C

A

 

Publicado por: Djalma Santos | 6 de abril de 2012

Testes sobre sistema sanguíneo ABO (1/3)

01. (UFPEL) Três irmãos (João, José e Maria) realizaram um exame de sangue em laboratório para identificar os seus tipos sanguíneos, com o objetivo de verificar a possibilidade de doarem sangue ao pai, que necessitaria de uma transfusão após uma cirurgia. Um deles (João) ficou surpreso ao descobrir seu tipo sanguíneo – O – e achou que não era filho biológico do casal que o criou. Seu pai e o irmão apresentam sangue do tipo A e sua mãe e a irmã apresentam sangue do tipo B. Todos são Rh+. Com base no texto e em seus conhecimentos sobre a herança dos tipos sanguíneos, é correto afirmar que:

a) João não pode ser filho biológico do casal, pois de acordo com a herança genética possível do tipo sanguíneo, os filhos somente poderiam apresentar sangues dos tipos A, B e AB. Dos filhos biológicos, somente José pode doar sangue ao pai, pois as hemácias de seu sangue apresentam aglutinogênio A.

b) João pode ser filho biológico do casal, desde que pelo menos um dos pais seja heterozigoto e apresente o alelo responsável pela presença de aglutininas anti-A e anti-B no plasma. O pai não pode receber sangue de Maria, pois seu sangue apresenta aglutinina anti-B.

c) João não pode ser filho biológico do casal, assim como seus dois irmãos, pois de acordo com a herança genética possível do tipo sanguíneo, os filhos somente poderiam apresentar sangues dos tipos AB. O pai pode receber sangue de João e José, pois o sangue dele apresenta aglutinina anti-A, assim como o de seus filhos.

d) Se Maria engravidar de um homem com o mesmo genótipo para o tipo sanguíneo de seu irmão João, existe a probabilidade de 100% de seu filho ter sangue do tipo B. Porém, se ela engravidar de um homem com o mesmo genótipo para o tipo sanguíneo de seu irmão José, existe a probabilidade de 50% de seu filho ter sangue do tipo AB, 25% do tipo A e 25% do tipo B.

e) João pode ser filho biológico do casal, desde que ambos os pais sejam heterozigotos e apresentem o alelo responsável pela ausência de aglutinogênio. João pode doar sangue para seu pai, pois as hemácias do seu sangue não apresentam aglutinogênios.

02. (UFLA) Observe o heredograma abaixo. As letras simbolizam os grupos sanguíneos do sistema ABO e os números indicam os indivíduos.

02

Em relação às afirmativa abaixo.

I. O genótipo do indivíduo 3 pode ser tanto BB (IBIB) como BO (IBi).

II. O genótipo do indivíduo 4 só pode ser AO (IAi).

III. Do cruzamento do indivíduo 5 com o indivíduo 6, poderiam surgir indivíduos do tipo sanguíneo AB (IAIB).

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa II está correta.

b) Somente a afirmativa III está correta.

c) Somente a afirmativa I está correta.

d) Somente as afirmativas I e II estão corretas.

03. (UNIFOR) Na espécie humana, os alelos que determinam sangue do tipo A (IA) e do tipo B (IB) são có-dominantes. Esses dois alelos, porém, são dominantes sobre o alelo responsável por sangue do tipo O (i). Assim, se uma mulher com tipo sanguíneo A tem um filho com tipo sanguíneo B, o sangue do pai da criança pode ser do tipo:

a) B ou O.

b) A, B, AB ou O.

c) AB ou B.

d) A ou B.

e) A, B ou AB.

04. (UFPI) O esquema abaixo indica o tipo sanguíneo dos integrantes de uma família.

04

A probabilidade de os indivíduos I e II terem sangue do tipo O é, respectivamente:

a) Zero e zero.

b) Zero e 0,5.

c) 0,5 e 0,5.

d) 0,5 e 0,75.

e) 1 e 1.

05. (FUVEST) Uma mulher de sangue tipo A, casada com um homem de sangue tipo B, teve um filho de sangue tipo O. Se o casal vier a ter outros 5 filhos, a chance deles nascerem todos com sangue do tipo O é:

a) Igual à chance de nascerem todos com sangue do tipo AB.

b) Menor que a chance de nascerem todos com sangue do tipo AB.

c) Maior que a chance de nascerem todos com sangue do tipo AB.

d) Menor que a chance de nascerem sucessivamente com sangue do tipo AB, A, B, A e B.

e) Maior que a chance de nascerem sucessivamente com sangue do tipo AB, B, B, A e A.

06. (UFSCAR) A transfusão de sangue tipo AB para uma pessoa com sangue tipo B:

a) Pode ser realizada sem problema, porque as hemácias AB não possuem antígenos que possam interagir com anticorpos anti-A presentes no sangue do receptor.

b) Pode ser realizada sem problema, porque as hemácias AB não possuem antígenos que possam interagir com anticorpos anti-B presentes no sangue do receptor.

c) Pode ser realizada sem problema, porque, apesar de as hemácias AB apresentarem antígeno A e antígeno B, o sangue do receptor não possui anticorpos contra eles.

d) Não deve ser realizada, pois os anticorpos anti-B presentes no sangue do receptor podem reagir com os antígenos B presentes nas hemácias AB.

e) Não deve ser realizada, pois os anticorpos anti-A presentes no sangue do receptor podem reagir com os antígenos A presentes nas hemácias AB.

07. (PUC-CAMPINAS) O heredograma a seguir mostra os diferentes tipos sanguíneos existentes em uma família.

07

Assinale a alternativa que contém, respectivamente, o fenótipo e o genótipo do indivíduo II.2.

FENÓTIPOS

GENÓTIPOS

a

O

ii

b

A

IAi

c

A

IAIA

d

B

IBi

e

AB

IAIB

08. (UPE) Ao receber a tipagem sanguínea AB e B, respectivamente, de seus gêmeos bivitelinos recém-nascidos, um homem questiona a equipe médica sobre uma possível troca de bebês, visto ele ser do grupo sanguíneo A e sua mulher, do tipo O. Além disso, o casal possuía duas filhas de quatro e três anos com tipos sanguíneos O e A, respectivamente. Os médicos alegaram não ter ocorrido troca, pois, naquele dia, apenas o casal havia gerado meninos, enquanto as demais crianças eram meninas.A equipe médica realizou, então, uma bateria de testes com o casal e os bebês, obtendo os seguintes resultados:

1. Após teste de DNA, foi revelado que os bebês pertenciam ao casal.

2. A mãe dos bebês possui o fenótipo Bombaim.

As proposições abaixo estão relacionadas a esses fatos. Analise-os e conclua.

I   II

0  0 – Os antígenos A e B são sintetizados a partir de uma substância H, devido a um gene H que se manifesta apenas em heterozigose.

1  1 – O sangue dos indivíduos de genótipo hh não produz a substância H, e, portanto, estes não poderão expressar antígenos A e/ou B, mesmo que possuam o genótipo para produzi-los.

2  2 – O genótipo da mãe dos bebês é IBIBhh, o que justifica ela ser um falso O e poder ter crianças com antígeno B ou sem antígenos na superfície das hemácias.

3 3 – Como o casal possui filhas com tipos O e A, o genótipo do pai dos bebês é, obrigatoriamente, IAIA HH.

4 4 – A mãe, falso O, por ter o alelo IB, poderá transmiti-lo aos seus descendentes, que poderão manifestar o fenótipo tipo B, por possuírem um gene H recebido do pai.

09. Genes IA, IB e i, são representados pela letra I, devido à palavra isoaglutinação, fazendo assim, uma associação com o fenômeno da aglutinação. Este fenômeno é verificado quando são efetuadas transfusões de sangue entre pessoas que têm incompatibilidade sanguínea, correspondente ao sistema ABO. Em relação ao sistema ABO o efeito Bombaim é um caso raro, onde menos de 1% da população, mesmo sendo fenotipicamente classificada como do Grupo O, podem gerar filhos do tipo A, B ou AB. O efeito Bombaim é explicada por seus portadores:

a) Produzirem uma enzima inativa que impede a síntese do antígeno H precursor dos antígenos A e B e, por isso, serem classificados como falsos O.
b) Produzirem os antígenos A e B, mas estes são desativados na presença das enzimas produzidas pelo gene H e, por isso, serem classificados como falsos A ou falsos B.
c) Produzirem enzimas no locus H, que induzem a produção do antígeno H, que, por sua vez, inativa a produção de antígenos A ou B e, por isso, serem classificados como falsos O.
d) Passarem a ter seus genes IA e IB transformados em gene i recessivo, e, por isso, serem classificados como falsos A ou falsos B.
e) Deixarem de produzir antígenos de qualquer natureza, o que acarreta a morte dos descendentes, por isso esses genes são classificados como genes letais.

10. (UFSCAR) Em relação ao sistema sanguíneo ABO, um garoto, ao se submeter ao exame sorológico, revelou ausência de aglutininas. Seus pais apresentaram grupos sanguíneos diferentes e cada um apresentou apenas uma aglutinina. Os prováveis genótipos dos pais do menino são:

a) IBi – ii.

b) IAi – ii.

c) IAIB – IAi.

d) IAIB – IAIA.

e) IAi – IBi.

11. (PUC-RIO) A análise de grupos sanguíneos é uma maneira simples de se esclarecer casos de paternidade duvidosa. Esse tipo de teste permite provar, em alguns casos, que determinada pessoa não pode ser o pai de uma criança, o que ocorre em apenas uma das situações abaixo:

a) Mulher do grupo A, homem do grupo A, criança do grupo O.

b) Mulher do grupo A, homem do grupo B, criança do grupo O.

c) Mulher do grupo B, homem do grupo AB, criança do grupo O.

d) Mulher do grupo AB, homem do grupo A, criança do grupo B.

e) Mulher do grupo O, homem do grupo A, criança do grupo A.

12.(UFAM) Os grupos sanguíneos ABO nos humanos são determinados por 3 (três) alelos. Quantos genótipos são possíveis para esses fenótipos?

a) 3.

b) 4.

c) 5.

d) 6.

e) 8.

13. (UNCISAL) O casal Erick e Suzana tinha três filhos, Júlia, Pedro e Nina. Cada qual pertencia a um grupo sanguíneo diferente um do outro. Fizeram os testes para detectar a presença de aglutinogênios em todos da família e os resultados foram:

Erick – apresenta aglutinogênio B.

Suzana – apresenta aglutinogênio A.

Júlia – apresenta aglutinogênio A.

Pedro – apresenta aglutinogênio B.

Nina – apresenta aglutinogênios A e B.

Pode-se afirmar que

a) Esse casal não poderia gerar um filho do grupo O.

b) Júlia poderia doar sangue para o seu pai e para sua irmã.

c) Suzana poderia doar sangue para todos os seus filhos.

d) Nina poderia doar sangue para todos os seus familiares.

e) Pedro poderia receber sangue apenas de seu pai.

14. (UNEAL) Apesar de os indivíduos diploides possuírem apenas dois alelos de cada tipo de gene, é possível existir mais de duas formas alélicas de um gene na população: são os alelos múltiplos. A herança dos tipos sanguíneos do Sistema ABO constitui um exemplo de alelos múltiplos na espécie humana. Existem quatro grupos sanguíneos geneticamente identificados no sistema ABO (A, B, AB e O), sendo três os alelos envolvidos. No caso, existem duas proteínas presentes nas hemácias que atuam como antígenos e são chamadas aglutinogênios (A e B). No plasma existem proteínas denominadas aglutininas (anti-A e anti-B), que atuam como anticorpos e já se encontram sintetizadas no plasma. Sobre o Sistema ABO dos grupos sanguíneos aponte com a letra V as afirmações verdadeiras e com a letra F as falsas.

(  ) Pessoas do Grupo Sanguíneo A possuem aglutinogênio A nas hemácias e aglutinina anti-B no plasma.

(  ) Pessoas do Grupo AB não tem aglutinogênio nas hemácias, mas possuem as duas aglutininas, anti-A e anti-B no plasma.

(  ) Pessoas do Grupo O não tem aglutinogênios nas hemácias, mas possuem as duas aglutininas, anti-A e anti-B no plasma.

(  ) Pessoas do Grupo sanguíneo B possuem aglutinogênio B nas hemácias e aglutininas anti-A no plasma.

(  ) As aglutinações que caracterizam as incompatibilidades sanguíneas do Sistema ABO acontecem quando uma pessoa possuidora de determinada aglutinina recebe sangue com o aglutinogênio correspondente.

Indique a opção que apresenta a sequência correta das afirmativas verdadeiras (V) ou falsas (F), de cima para baixo.

a) F V V V V.

b) V V F V V.

c) V F V V V.

d) V F F V F.

e) F F V V V.

15.  (UEMA) Em uma família de quatro filhos, a mãe é do grupo sanguíneo O, o pai é do grupo sanguíneo B e as crianças são dos grupos O, AB, B e A. Quais das crianças são filhas biológicas do casal, de acordo com o sistema ABO?

a) As dos grupos B e O.

b) As dos grupos AB e B.

c) As dos grupos O e A.

d) As dos grupos O e AB.

e) As dos grupos A e AB.

16. (UEPB) Um homem (1) do tipo sanguíneo A, cujos pais têm sangue AB, casou-se com uma mulher (2) de tipo sanguíneo ignorado, gerando um filho (3) de tipo sanguíneo A. O indivíduo (3) casou-se com uma mulher (4) cujos pais têm sangue tipo B, e os avós paternos desta (4) sangue tipo AB e A, e os maternos tipo AB. Após análise dos dados, podemos afirmar que:

a) A esposa (4) é do tipo B e poderá receber transfusão sanguínea do marido.

b) A esposa (4) é do tipo O e não poderá receber transfusão sanguínea do marido.

c) A esposa (4) é do tipo A e poderá receber transfusão, do tipo A.

d) A esposa (4) é do tipo B e não poderá receber transfusão sanguínea do marido.

e) A esposa (4) é do tipo B e poderá receber transfusão de qualquer tipo sanguíneo.

17. (UNIVASF) Uma mulher do grupo sanguíneo (A), casada com um homem do grupo sanguíneo (B), deu à luz, em uma única gestação, a duas crianças, uma do tipo sanguíneo (AB) e a outra do tipo sanguíneo (B). Com relação a esse assunto, analise as proposições abaixo.

1. As duas crianças são gêmeas univitelinas, oriundas da fecundação de um óvulo por dois espermatozoides.

2. Trata-se de um caso de gêmeos fraternos, devendo ter ocorrido a fecundação de dois óvulos por dois espermatozoides.

3. Trata-se de gestação gemelar univitelínica, na qual ocorreu a fertilização de dois óvulos por dois espermatozoides.

4. Enquanto a mulher apresenta o genótipo IAIA, o esposo é genotipicamente heterozigótico IBi.

5. A probabilidade de a mulher em questão formar gametas contendo o alelo IA é de 50%.

Estão corretas apenas:

a) 1, 2 e 3.

b) 2, 3 e 4.

c) 4 e 5.

d) 2 e 3.

e) 2 e 5.

18. (UEPG) Os grupos sanguíneos, que foram descobertos há pouco mais de cem anos, são determinados geneticamente, como um caráter mendeliano. A respeito dessa temática, assinale o que for correto.

I    II

0  0 – De acordo com o sistema de grupos sanguíneos ABO, são possíveis oito genótipos diferentes.

1 1 – Em relação ao sistema sanguíneo ABO, no cruzamento A com B podem ocorrer descendentes sem anticorpos (aglutininas) no plasma.

2  2 – Nas transfusões de sangue, o aglutinogênio presente nas hemácias (antígeno) do doador deve ser compatível com a aglutinina presente no plasma (anticorpo) do receptor.

3  3 – Existem diferentes grupos sanguíneos na espécie humana, reunidos no sistema ABO. Quando gotas de sangue de pessoas distintas são misturadas sobre uma lâmina de vidro, pode haver ou não aglutinação das hemácias. A aglutinação é característica da reação antígeno-anticorpo.

4  4 – Um homem do grupo sanguíneo AB e uma mulher cujos avós paternos e maternos pertencem ao grupo sanguíneo O poderão ter apenas filhos do grupo O.

19. (UECE) Sabe-se que na herança de grupos sanguíneos do sistema ABO temos um caso de polialelia associada à co-dominância.  Analise as afirmações abaixo.

I. O doador universal é um fenótipo puro, pois só concorre para sua expressão um tipo de alelo.

II. Tanto o fenótipo do doador universal, quanto do receptor universal refletem a razão 1:3 encontrada na dominância completa, em relação aos fenótipos tipo “A” e tipo “B”.

III. Um casal de doadores universais poderá ter um filho receptor universal e, inversamente, um casal de receptores universais poderá ter um filho doador universal.

É (são) correta(s):

a) I.

b) II.

c) III.

d) I, II, III.

20. (UFAC) Uma mulher do grupo sanguíneo B, casada com um homem do mesmo grupo sanguíneo, tem uma criança do grupo sanguíneo O. O marido, desconfiado, acusa um indivíduo do grupo sanguíneo AB de ser o pai da criança. De acordo com o sistema sanguíneo ABO, assinale a alternativa correta.

a) A acusação é válida, pois o homem AB possui o gene IA.

b) A acusação é válida, pois o homem AB possui o gene IB.

c) A acusação não é válida, pois o homem AB possui o genótipo ii.

d) A acusação não é válida, pois o homem AB não possui o gene i.

21. (UEPB) Dois pacientes, em um hospital, têm as seguintes características de sangue:

PACIENTE 1: apresenta tanto anticorpos Anti-A como Anti-B no sangue.

PACIENTE 2: não apresenta anticorpos Anti-A nem Anti-B no sangue.

Pode-se afirmar que:

a) O paciente 2 é do tipo doador universal.

b) O paciente 1 pode receber sangue do paciente 2.

c) O paciente 1 só pode receber sangue A.

d) O paciente 2 só pode receber sangue AB.

e) O paciente 2 pode receber sangue A, B, AB ou O.

22. (UFLA) Um homem do grupo AB casou-se com uma mulher do grupo sanguíneo O. Qual a probabilidade desse casal ter um filho do grupo sanguíneo AB?

a) 50%.

b) 25%.

c) 100%.

d) 0%.

e) 75%.

23. (UFF) Mulher branca, submetida à inseminação artificial, deu à luz gêmeos de cor negra. O fato causou polêmica, já que o pai também é branco. A grande dúvida é saber se houve troca de embriões ou apenas de um dos gametas. Considere o fato relatado e suponha que a mãe tenha sangue tipo A e seja filha de pai e mãe com sangue tipo AB. Nesse caso, o tipo sanguíneo dos gêmeos poderia ser:

                            Adaptado do Jornal do Brasil, 1º de agosto de 2002.

a) A ou O.

b) A ou AB.

c) B ou O.

d) B ou A.

e) AB ou O.

24. (UNIFOR) Com relação ao sistema ABO, é possível originarem-se descendentes sem aglutininas antiA e anti-B no plasma a partir de casais do tipo sanguíneo:

a) A x B.

b) A x O.

c) B x O.

d) AB x O.

e) O x O.

25. (UFAC) Em decorrência de certos antígenos na superfície dos glóbulos vermelhos, a espécie humana apresenta quatro grupos sanguíneos: A, B, AB e O. Em relação ao grupo A, as pessoas que a ele pertencem possuem um antígeno chamado de aglutinogênio:

a) A.

b) B.

c) AB.

d) Anti-A.

e) Anti-B.

26. (UECE) Um homem e uma mulher, ambos do grupo sanguíneo “A” têm o primeiro filho do grupo sanguíneo “O”. A probabilidade do segundo filho desse casal ser do grupo sanguíneo “A” é:

a) zero.

b) 1/4.

c) 3/4.

d) 1/2.

27. (UFC) Num casal, o homem e a mulher possuem o sangue do mesmo tipo (AB). Qual a probabilidade de os filhos possuírem o mesmo tipo sanguíneo dos pais?

a) 1.

b) 3/4.

c) 1/2.

d) 1/4.

c) zero.

28. (UFMS) Com relação à hereditariedade dos tipos sanguíneos A, B, O, é correto afirmar que:

I   II

0  0 – Casais onde o homem possui sangue tipo AB e a mulher tipo O poderão ter filhos com sangue tipos A e B.

1  1 – Casais onde o homem possui sangue tipo B e a mulher tipo AB poderão ter filhos com sangue tipos A, B e O.

2  2 – Casais onde o homem e a mulher possuem o sangue tipo AB poderão ter filhos com sangue tipos A, B e AB.

3  3 – Casais onde o homem e a mulher possuem o sangue tipo A poderão ter filhos com sangue tipos A e AB.
4  4 – Casais onde o homem possui sangue tipo A e a mulher tipo B poderão ter filhos com sangue tipos A, B, AB e O.

29. (UFJF) Além do teste de DNA, há exames mais simples que podem ajudar a esclarecer dúvidas sobre paternidade. Por exemplo, o teste de tipagem sanguínea do sistema ABO permite determinar quem não pode ser o pai. Assinale a alternativa que apresenta uma situação em que esse exame assegura a exclusão da paternidade:

a) O filho é do tipo O, a mãe do tipo O e o suposto pai do tipo A.

b) O filho é do tipo AB, a mãe do tipo AB e o suposto pai do tipo O.

c) O filho é do tipo AB, a mãe do tipo A e o suposto pai do tipo B.

d) O filho é do tipo B, a mãe do tipo B e o suposto pai do tipo O.

e) O filho é do tipo A, a mãe do tipo A e o suposto pai do tipo B.

30. (UFSM) Para os grupos sanguíneos do sistema ABO, existem três alelos comuns na população humana. Dois (alelos A e B) são co-dominantes entre si e o outro (alelo O) é recessivo em relação aos outros dois. De acordo com essas informações, pode(m)-se afirmar:

I. Se os pais são do grupo sanguíneo O, os filhos também serão do grupo sanguíneo O.

II. Se um dos pais é do grupo sanguíneo A e o outro é do grupo sanguíneo B, todos os filhos serão do grupo sanguíneo AB.

III. Se os pais são do grupo sanguíneo A, os filhos poderão ser do grupo sanguíneo A ou O.

Está(ão) correta(s)

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas I e III.

e) I, II e III.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

E

A

C

B

A

E

E

FVFFV

A

E

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

C

D

E

C

A

D

E

FVVVF

A

D

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

E

D

B

A

A

C

C

VFVFV

B

D

 

Publicado por: Djalma Santos | 29 de março de 2012

Meristemas

Os meristemas (tecidos meristemáticos ou embrionários), encontrados em todas as plantas, são responsáveis pela formação de todos os tecidos vegetais. Eles são constituídos por células indiferenciadas (células meristemáticas), possuidoras de uma elevada capacidade de divisão (grande potencial mitótico). Esses tecidos respondem, em última análise, pelo crescimento da planta em comprimento e em espessura. Em termos gerais, suas células (figura abaixo) são pequenas e justapostas; dotadas de parede celular delgada e muito elástica (parede celular primária); citoplasma abundante; plastídios não diferenciados (proplastídios); numerosos vacúolos pequenos, que às vezes não são facilmente visíveis no interior da célula e núcleo proporcionalmente grande, situado na região central. Elas também são conhecidas por células indiferenciadas (não possuem uma função definida).

01.DEFINIDO

A multiplicação das células meristemáticas está diretamente relacionada com a ação de substâncias especialmente produzidas nos meristemas, que são os fitormônios (hormônios vegetais). Nos meristemas, as células são capazes, via de regra, de se dividirem repetidamente. Após a divisão, há células-filhas que permanecem indiferenciadas no meristema, enquanto outras crescem e se diferenciam, tornando-se células do corpo da planta. As que permanecem no meristema são denominadas células iniciais (células-tronco) e as que são acrescentadas ao corpo do vegetal são chamadas células derivadas (figura a seguir). As derivadas podem se dividir várias vezes antes de começarem a se diferenciar em um tipo específico de célula, formando os diversos tecidos permanentes. A diferenciação celular é, em última análise, um processo complexo que envolve alterações químicas, morfológicas e fisiológicas, capazes de transformar células meristemáticas semelhantes entre si, em estruturas diversas. Dessa forma, o meristema inclui as células iniciais e suas derivadas imediatas.

02.IMED

Lembramos que os tecidos vegetais permanentes ou adultos (proteção e arejamento; sustentação; absorção e condução; síntese e armazenamento; secreção), que derivam dos meristemas, são formados por células especializadas na execução de determinadas funções.

A figura a abaixo mostra um tecido meristemático visto ao microscópio. Observa-se que a maioria das células se encontra em divisão, por se tratar, como mostraremos a seguir, de um tecido responsável pelo crescimento da planta.

03.PLANTA

Podemos distinguir, em uma planta, dois tipos básicos de meristema, denominados meristemas primário (ou apical) e secundário (ou lateral).

I. Meristema primário: começa a se desenvolver muito cedo, ainda no embrião ou plântula, descendendo, portanto, diretamente das primeiras células embrionárias presentes na semente.  Da proliferação de suas células, resultará o crescimento longitudinal (em extensão) do corpo do vegetal, que é conhecido como crescimento primário, durante o qual são formados os tecidos primários. A região do corpo vegetal formada por esses tecidos é denominada corpo primário vegetal ou estrutura primária do vegetal. Através da diferenciação celular, as células meristemáticas primárias, encontradas nas extremidades dos sistemas caulinares e das raízes originam outros tipos de célula, fazendo com que surjam os diversos tecidos do caule e da raiz. Lembramos que, ao contrário dos animais, as plantas continuam a crescer ao longo de toda a sua vida.  Dessa forma, as raízes estão sempre alcançando novas fontes de água e sais minerais (seiva bruta ou inorgânica), e a regiões fotossintetizantes estão continuamente crescendo em direção à luz. A multiplicação das células desse meristema leva à formação dos tecidos adultos primários do vegetal.

O meristema primário, que, como vimos acima, forma a estrutura primária da planta, compreende a protoderme ou dermatogênio (posicionado externamente), o meristema fundamental ou periblema (de posição mediana), o procâmbio ou pleroma (posicionado internamente) – como mostra a figura abaixo – e o caliptrogênio. Nas samambaias – plantas do grupo das pterifódifitas, sem sementes e com vasos condutores de seiva – e nas plantas herbáceas como a beterraba, o milho e a cenoura, por exemplo, só há meristema primário. Dessa forma, essas plantas crescem apenas em comprimento. Outras plantas, dotadas de meristema secundário, como veremos adiante, crescem também em espessura.

04.ESP

Ia. Protoderme (dermatogênio): origina a epiderme, tecido que envolve e protege o corpo primário da planta. A epiderme (figura a seguir) é a camada de células mais externa do corpo primário da planta e constitui seu sistema dérmico até que ela sofra, se for o caso, considerável crescimento secundário. A epiderme é, geralmente, formada por uma única camada de células, embora possa ser pluriestratificada, como na folha da falsa-seringueira (Ficus elástica) e nas orquídeas. Ela defende a planta contra ataque microbiano, impede a perda excessiva de água e permite a troca de gases usados na respiração e na fotossíntese. As células epidérmicas dos órgãos aéreos são cobertas por uma cutícula, composta, principalmente, de cutina e cera, que minimiza a referida perda de água.

05.ÁGUA

Com exceção das células que formam os estômatos, denominadas células estomáticas ou células-guardas (figura abaixo), as células epidérmicas são desprovidas de cloroplastos. Lembramos que os estômatos se abrem e se fecham em resposta a sinais ambientais ou fisiológicos, e, dessa forma, auxiliam as plantas a manter o balanço entre a perda de água e suas necessidades de oxigênio e gás carbônico (ver “órgãos de arejamento vegetal”, matéria publicada neste blog em 11.09.2010).

06.2010

Ib. Meristema fundamental (periblema): origina células dos diversos parênquimas (tecidos parenquimáticos), do colênquima e do esclerênquima, que são tecidos permanentes.  Os parênquimas executam várias funções como preenchimento de espaços, realização de fotossíntese (parênquima palicádico e parênquima lacunoso ou esponjos) e armazenamento de substâncias [parênquima aquífero (plantas suculentas, como as cactáceas e as bromeliáceas); parênquima aerífero (plantas como a Nymphaea e a aguapé) e parênquima amilífero (raiz tuberosa, rizoma, sementes e frutos)]. Os parênquimas que realizam fotossíntese são denominados parênquimas clorofilianos ou clorênquima e são abundantes nas folhas (figura a seguir).

07.SEGUIR

O colênquima, dotado de grande flexibilidade, é formado por células vivas, clorofiladas, enquanto esclerênquima é constituído, em sua maior parte, por células mortas, com paredes celulares ricasem lignina. Colênquima e esclerênquima (figura abaixo) constituem o sistema de sustentação denominado estereoma. As células desse sistema, transformadas em fibras, formam feixes capazes de sustentar o caule em posição ereta, bem como responde pelo grande porte alcançado por muitos vegetais.

08.VEGET

Ic. Procâmbio (pleroma): origina o sistema vascular primário, representado pelo xilema ou lenho (xilema primário) e pelo floema ou líber (floema primário), formando os feixes liberolenhosos ou vasculares, presentes no cilindro central. Como veremos adiante, o xilema e o floema podem ser de origem secundária (xilema e floema secundários), sendo, neste caso, derivados do câmbio vascular (câmbio interfascicular) e não do procâmbio.

Id. Caliptrogênio: encontrado apenas nas raízes. Dá origem à coifa, também conhecida como caliptra. A coifa (figura a seguir), estrutura em forma de capuz, constituída por células vivas, protege a zona meristemática da raiz (ponto vegetativo) e ajuda a penetração da raiz no solo. Devido à presença da coifa, pode-se fazer referência ao meristema radicular, como sub-apical e o caliptrogênio, como apical. A consistência mucilaginosa de suas células protege a raiz à medida que ela cresce e se aprofunda, evitando o desgaste provocado pelo atrito com partículas do solo.

09.SOLO

II. Meristema secundário: formado a partir de células diferenciadas, geralmente parenquimáticas, que readquirem a capacidade mitótica, fenômeno denominado desdiferenciação celular, estando esse processo intimamente associado a estímulos hormonais. O meristema secundário é responsável pelo crescimento em espessura (diametral ou transversal) das plantas, que é conhecido como crescimento secundário. Esse tipo de crescimento decorre do fato de as células desse meristema se dividirem periclinalmente, fazendo com que sejam adicionadas camadas e mais camadas, sempre se sobrepondo aos tecidos já existentes. O meristema secundário é encontrado nas gimnospermas (plantas com sementes, mas sem fruto, como o pinheiro) e nas angiospermas (plantas com flor e fruto) lenhosas (arbustos e árvores). Esse meristema compreende o câmbio vascular (situado no centro da raiz e do caule) e o felogênio (câmbio da casca ou súber da casca), localizado na periferia da raiz e do caule. O câmbio vascular, como veremos mais adiante, é, na realidade, um meristema misto, quanto a sua origem, e não apenas um meristema secundário, como o felogênio.

IIa. Câmbio vascular: origina-se da desdiferenciação de células do cilindro central. As células do câmbio vascular se multiplicam diferenciando-se em vasos lenhosos (lenho) secundários, que compõem o xilema secundário (no lado interno) e em vasos liberianos secundários (líber) que compõem o floema secundário (no lado externo), como mostra a figura a seguir. Dessa forma, o câmbio vascular organiza o sistema de transporte nas plantas que apresentam crescimento secundário. O conjunto formado pelo câmbio vascular, lenho e líber toma o nome de paquita (do grego pakhis, “grosso”).

10.GROSSO

Ressaltamos que a porção do câmbio situada dentro dos feixes vasculares é denominada câmbio fascicular (intrafascicular), enquanto a que se localiza nas regiões interfasciculares (ou raios medulares), formando arcos entre os feixes liberolenhosos, em continuidade com o câmbio fascicular, é conhecida como câmbio interfascicular (figura abaixo). A ligação entre esses dois câmbios, formar um anel completo de células meristemáticas que produzem, como vimos acima, o líber e o lenho. O câmbio fascicular, também conhecido como intrafascicular, é um meristema primário, pois tem origem no procâmbio enquanto o interfascicular é um meristema secundário, pois surge a partir do parênquima das regiões interfasciculares. Dessa forma, o câmbio, como mencionamos acima, tem origem dupla: parte é meristema primário e parte é meristema secundário.

11.SEC

IIb. Felogênio: origina-se da desdiferenciação de células adultas do córtex, que readquirem a capacidade proliferativa. Ao contrário do câmbio vascular (situado na região mais interna da planta), o felogênio surge logo abaixo da epiderme. Multiplicando-se, o felogênio produz células para fora e para dentro do corpo do vegetal (figura a seguir). As células produzidas para fora se diferenciam e terminam constituindo o súber (felema ou cortiça), tecido protetor morto que reveste as raízes e os caules de plantas arbustivas e arbóreas, sendo mais espesso em vegetais que vivem em ambientes quentes e secos. O súber substitui a epiderme, que, como vimos acima, tem sua origem a partir da protoderme (meristema primário), durante o crescimento das referidas plantas. Generalizando, podemos dizer que órgãos dotados de estrutura primária são revestidos pela epiderme, enquanto os que apresentam estrutura secundária possuem o súber. As células produzidas para o lado interno formam a feloderma (ou feloderme), tecido vivo com função de preenchimento. O conjunto formado pelo felogênio, súber e feloderma constitui a periderme.

12.PER

Uma estrutura comum na periderme, e que é formada pelo felogênio, é a lenticela (figura abaixo), que geralmente se instala na região do estômato e permite, a exemplo dos estômatos, trocas gasosas entre a planta e o meio externo. As lenticelas apresentam, portanto, função semelhante aos estômatos da epiderme (ver “órgãos de arejamento vegetal”, matéria publicada neste blog em 11.09.2010).

13.2010

O súber (tecido morto), que sofre renovação graças à atividade do felogênio, secreta suberina (impermeabilizante lipídico que impregna o tecido) e atua na impermeabilização, na proteção mecânica e no isolamento térmico dos vegetais. Ele possui várias camadas de células mortas e ocas, reduzidas apenas a uma parede bem reforçada pela suberina (figura a seguir).

14.SEGUIR

A figura abaixo mostra a estrutura secundária da planta, após a atividade do tecido meristemático secundário. Nela, evidenciamos o súber ou felema (origninário do felogênio); o floema ou líber, dotado de vasos condutores que transportam a seiva elaborada ou orgânica, que contém matéria orgânica (produzida durante a fotossíntese) dissolvida em água, das folhas ou de outras regiões fotossintetizantes às demais partes da planta; o câmbio e o xilema ou lenho, que contém os vasos condutores que transportam a seiva bruta ou inorgânica, composta por água e sais minerais, absorvidos do solo, das raízes até as folhas ou outras partes que realizam fotossíntese. Além de condutor de seiva bruta, o xilema também está envolvido na sustentação do vegetal. O sistema eficiente de transporte, formado pelo floema e pelo xilema, deu nome ao maior de grupo de plantas (plantas vasculares ou traqueófitas), formado pelas pteridófitas (samambaias, avencas…), pelas gimnospermas (pinheiros, ciprestes, sequóias…) e angiospermas (plantas produtoras de fruto).

15.FRUTO

Lembramos que a maioria das dicotiledôneas tem meristema secundário, ausente na maioria das monocotiledôneas. Apenas algumas monocotiledôneas lenhosas, que formam arbustos, têm meristema secundário e podem crescer em espessura. Um caso curioso é o das palmeiras, que embora façam parte do grupo das monocotiledôneas lenhosas, não possuem meristema secundário. O grande porte que elas geralmente apresentam se deve ao fato do seu meristema apical produzir tecidos primários que se espalham para baixo do caule, aumentando a sua espessura. Isso permite uma maior base de sustentação, conferindo maior altura para a planta, como no caso da carnaubeira.

O descascamento das raízes e dos caules tem lugar na ocasião em que essas estruturas crescem e rompem o “súber epidérmico”, constituído, como vimos acima, por células mortas. O conjunto de súber e de fragmentos de outros tecidos que se soltam da casca por ocasião descamação, recebe o nome de ritidoma (figura a seguir).

16.SEGUIR

Ressaltamos que o crescimento do corpo da planta envolve divisão e expansão celular. O tamanho das células aumenta à medida que há progressão dos tecidos meristemáticos mais jovens para os mais velhos. Em determinadas regiões da raiz, do caule e da folha, o fator principal envolvido no aumento do tamanho é a expansão celular.

O quadro abaixo resume as principais atividades dos meristemas primário e secundário.

17.SEC

Publicado por: Djalma Santos | 22 de março de 2012

Testes de síntese proteica

01. (UFV) A sequência de nucleotídeos 5′ …… UACCUAAUC …… 3′ de um mRNA irá codificar para qual peptídio?

01

a) –Tir–Leu–Ile–.

b) –Leu–Ile–His–.

c) –Cis–Leu–Ile–.

d) –Cis–Ile–His—.

02. (UFV) A sequência de nucleotídeos 3′ …… UACCUAAUC …… 5′ de um mRNA irá codificar para qual peptídeo?

02

a) –Tir–Leu–Ile–.

b) –Leu–Ile–His–.

c) –Cis–Leu–Ile–.

d) –Cis–Ile–His—.

03. (UFMS) O código genético é perfeitamente conhecido, ou seja, os códons do DNA que codificam os aminoácidos presentes nas proteínas a serem sintetizadas, bem como algumas trincas que não codificam nenhum aminoácidos, são conhecidos. Na tabela a seguir, são mostrados alguns exemplos do código genético.

SEQUÊNCIA DO DNA

AMINOÁCIDO

GAA

Leucina (Leu)

TAA

Isoleucina (Ile)

AGA

Serina (Ser)

TAC

Metionina (Met)

CAC

Valina (Val)

GGG

Prolina (Pro)

AAA

Fenilalanina (Fen)

CGA

Alanina (Ala)

CCG

Glicina (Gli)

ATA

Tirosina (Tir)

TGA

Treonina (Tre)

TTA

Asparagina (Asn)

GTA

Hisitidina (His)

CTA

Ácido aspártico (Asp)

GTT

Glutamina (Gln)

GCA

Arginina (Arg)

CTC

Ácido glutâmico (Glu)

ACA

Cisteína (Cis)

TTC

Lisina (Lis)

ACC

Triptofano (Trp)

ATT

Sem sentido

ACT

Sem sentido

Considerando a relação DNA/RNA mensageiro e os dados da tabela acima, é correto afirmar que:

I   II

0  0 – Se a substituição da décima base nitrogenada de um DNA, que tem a sequência de bases correspondentes à sequência de aminoácidos Leu-Pro-Gli-Val-Ile, levou à substituição de um desses aminoácidos pela metionina, o aminoácido substituído foi a valina.

1  1 – Se a substituição da base intermediária em um determinado códon do gene para hemoglobina normal leva também à substituição do aminoácido original, esses aminoácidos podem corresponder ao ácido glutâmico (na hemoglobina normal) e à valina (na hemoglobina alterada).

2  2 – A substituição da vigésima-quarta base nitrogenada na sequência de códons AAA CGA TGA GTA GTA GTT CTC ATA ACC TTC CTC, por um base timina, resultará na produção de um polipeptídio Fen-Ala-Tre-His-His-Gln-Glu.

3  3 – A tradução de um RNA mensageiro com a sequência de bases GGC CGU CUU UCU UUU GAG GAU UGU UGG AUU resultará no polipeptídio composto pelos aminoácidos Gli-Arg-Leu-Ser-Fen-Glu-Asp-Cis-Trp-Ile.

4  4 – O número de aminoácidos presentes em um polipeptídio depende do número de códons do RNA mensageiro que o sintetiza.

04. (UEMA) O código genético é um sistema de informações bioquímicas que permite a produção de proteínas, as quais determinam a estrutura das células e controlam todos os processos metabólicos. Marque a alternativa correta em que se encontra a estrutura do código genético.

a) Uma sequência aleatória de bases nitrogenadas A, C, T, G.

b) Uma sequência de trincas de bases do DNA indica uma sequência de nucleotídeos que devem se unir para formar uma proteína.

c) Uma sequência de trincas de bases do RNA indica uma sequência de aminoácidos que devem se unir para formar uma proteína.

d) Uma sequência aleatória de bases nitrogenadas A, C, U, G.

e) Uma sequência de trincas de bases do DNA indica uma sequência de aminoácidos que devem se unir para formar uma proteína.

05. (UFPB) Os antibióticos são de extrema importância para o combate a muitas doenças causadas por bactérias. No entanto, o seu uso indiscriminado pode trazer graves problemas de saúde pública, a exemplo do surgimento das bactérias multirresistentes, como a KPC. Uma classe muito importante de antibióticos tem sua eficácia por agir no ribossomo da célula bacteriana, impedindo o funcionamento correto desse componente celular. Diante do exposto, é correto afirmar que essa classe de antibiótico é eficaz porque:

a) Impede a transcrição gênica.

b) Modifica o código genético.

c) Destrói a membrana plasmática.

d) Impede a síntese de proteínas.

e)Provoca mutações gênicas.

06. (MACK) Os códons UGC, UAU, GCC e AGC codificam, respectivamente, os aminoácidos cisteína, tirosina, alanina e serina; o códon UAG é terminal, ou seja, indica a interrupção da tradução. Um fragmento de DNA, que codifica a sequência serina – cisteína – tirosina – alanina, sofreu a perda da 9a base nitrogenada. Assinale a alternativa que descreve o que acontecerá com a sequência de aminoácidos.

a) O aminoácido tirosina será substituído por outro aminoácido.

b) O aminoácido tirosina não será traduzido, resultando numa molécula com 3 aminoácidos.

c) A sequência não será traduzida, pois essa molécula de DNA alterada não é capaz de comandar esse processo.

d) A tradução será interrompida no 2o aminoácido.

e) A sequência não sofrerá prejuízo, pois qualquer modificação na fita de DNA é imediatamente corrigida.

07. (FUVEST) Uma mutação, responsável por uma doença sanguínea, foi identificada numa família. Abaixo estão representadas sequências de bases nitrogenadas, normal e mutante; nelas estão destacados o sítio de início da tradução e a base alterada.

07

 

O ácido nucleico representado acima e o número de aminoácidos codificados pela sequência de bases, entre o sítio de início da tradução e a mutação, estão corretamente indicados em:

a) DNA; 8.

b) DNA; 24.

c) DNA; 12.

d) RNA; 8.

e) RNA; 24.

08. (UFT) As atividades celulares são orientadas pelas informações contidas no DNA, que são decodificadas em proteínas através dos mecanismos de transcrição e tradução. O que faz uma baleia parecer uma baleia são suas proteínas. Assim, as proteínas determinam as funções vitais da baleia, como de todos os seres vivos. Para ditar o desenvolvimento de um organismo, a informação do DNA deve, de algum modo, ser convertidaem proteínas. Essaconversão ocorre porque o DNA contém um código genético para os aminoácidos que compõem as proteínas. Nesse código, cada aminoácido é representado por uma sequência de pares de bases, e essa sequência é refletida na sequência de aminoácidos reunidos em uma cadeia proteica. Assim, traduzir o código genético significa passar o código de sequência de bases para uma sequência de aminoácidos. Desse modo, o DNA é decodificado na forma de uma proteína estrutural ou enzimática que, por sua vez, é responsável por uma característica do organismo.

Podemos afirmar que:

I. Essa decodificação se faz através da leitura de sequências de três nucleotídeos, chamados códons, que especificam aminoácidos.

II. Os códons diferem entre diferentes táxons de seres vivos; há códons que não codificam aminoácidos.

III. A decodificação ocorre no citoplasma celular, em estruturas chamadas ribossomos, a partir de uma fita simples de DNA que deixa momentaneamente o núcleo somente para tal função.

IV. Cada códon traduz apenas um aminoácido.

V. Alguns aminoácidos são codificados por mais de um códon. A isto chamamos degeneração do código, o que possivelmente traz maior estabilidade contra mutações no DNA.

Indique a alternativa em que todas as afirmativas são falsas.

a) I e III.

b) II, III e IV.

c) II e III.

d) II, III e V.

09. (URCA)Observe o esquema abaixo relativo ao processo de saída de informações genéticas do núcleo para o citoplasma e o processo de síntese proteica e responda corretamente:

09

a) I é o DNA e A é o processo de tradução.

b) II é o RNA e C é o processo de transcrição.

c) III é uma proteína e D é o processo de tradução.

d) IV é uma proteína e C é o processo de síntese.

e) I é uma proteína e A é o processo de duplicação do DNA.

10. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0 0 – Utilizando bacteriófago  cujo ácido  nucleico  estava  marcado com P32 e cujos constituintes proteicos estavam marcados com S35, foi  demonstrado que a proteína não tem função genética.

1 1 – Admitindo-se que as duas cadeias de uma molécula de DNA separem-se e que cada uma delas seja utilizada como molde para a formação de uma molécula de RNA mensageiro, teremos a síntese de duas cadeias proteicas diferentes.

2 2 – A produção  de uma  proteína específica,  numa célula normal, é regulada diretamente pelo RNAr.

3 3 – O RNAm tem  a propriedade  de reconhecer a informação genética contida no RNAr, para a síntese de uma dada proteína, sendo este fenômeno que permite a associação do RNAm aos ribossomos.

4 4 – O RNAt, após se ligar  ao aminoácido  que lhe corresponde,  reconhece no RNAr a sequência que o codifica.

11. (UNCISAL) Observe o esquema que representa de forma resumida uma etapa da síntese proteica que ocorre em uma célula eucariótica.

11

Pode-se afirmar que a molécula indicada pela letra X corresponde ao:

a) DNA e a sua sequência de códons seria ATG GTG TCG.

b) DNA e a sua sequência de códons seria AUG GUG UCG.

c) RNA mensageiro e a sua sequência de códons seria ATG GTG TCG.

d) RNA mensageiro e a sua sequência de códons seria AUG GUG UCG.

e) RNA transportador e a sua sequência de anticódons seria UAG GUG UCG.

12. (PUCCAMP) O esquema a seguir representa a sequência de aminoácidos de um trecho de uma cadeia proteica e os respectivos anticódons dos RNA transportadores.

12

Assinale a alternativa que contém a sequência de códons do RNA mensageiro que participou dessa tradução.

a) UUU CGT TTG UGC GUC.

b) UUU CGA AAG UGC GUC.

c) TTT CGT TTC TGC GTC.

d) TTT CGA AAG TGC GTC.

e) CCC TAC CCA CAT ACT.

13. (UFPI) Com relação à síntese de proteínas em uma célula, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – Todas as células sintetizam os mesmos tipos de proteínas, nas mesmas proporções.

1 1 – A sequência de bases nitrogenadas, ao longo da molécula de RNAm determina a sequência dos aminoácidos incorporados na cadeia polipeptídica.

2  2 – Durante a síntese proteica, o RNAt tem por função levar os aminoácidos às mitocôndrias.

3  3 – As mitocôndrias não têm relação alguma com a síntese de proteínas, já que ocorre nos ribossomos.

4  4 – Um RNAm sintético que contenha apenas um determinado tipo de códon em sequência, condicionará a síntese de uma cadeia polipeptídica com um único tipo de aminoácido.

14. (CEFET-CE) A tabela abaixo representa a sequência de aminoácidos de um trecho de uma cadeia proteica e os respectivos anticódons dos RNA transportadores.

AAG

AAC

AUG

GGA

GCG

Trecho do RNA-t

Fen

Leu

Tir

Pro

Arg

Trecho da cadeia proteica

A altenativa que contém a sequência de códon do RNA mensageiro que participou dessa tradução é:

a) UUC UUG UAC CCU CGC.

b) UUA AAC AUG CCA AGA.

c) TTG TTC TTC CCT TCT.

d) TTC TTG TAC CCT UCU.

e) AAG AAC AUG GGA GCG.

15. (CEDERJ) Os polissomos são formados basicamente por uma molécula de RNAm (RNA mensageiro), associada a um determinado número de ribossomos. Nas células eucarióticas, os polissomos podem ser encontrados livres no citoplasma ou ligados à membrana do retículo endoplasmático. Quantos tipos de proteína, em um polissomo livre formado com oito ribossomos, serão sintetizados nos eucariotos?

a) Um.

b) Dois.

c) Quatro.

d) Oito.

16. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0 0 – No esquema abaixo, os fenômenos de transcrição e tradução estão representados, respectivamente, pelos números 1 e 2.

16

1 1 – As ligações existentes  entre os aminoácidos ocorrem entre o grupo amino de um aminoácido e o grupo carboxílico do outro aminoácido.

2  2 – Um peptídeo que apresente cem aminoácidos terá cem ligações peptídicas.

3 3 – Considerando uma proteína formada  por 150  aminoácidos, o RNA mensageiro envolvido na sua síntese deverá conter, pelo menos, 300 nucleotídeos.

4  4 – A ocitocina é um polipeptídio constituído por oito aminoácidos, dispostos na sequência abaixo:

16.4.4

Pressupondo-se que os RNAt que atuam na síntese desse hormônio tenham a seguinte codificação:

Tirosina – UAC

Ácido glutâmico – GAG

Cisteína – UGC

Prolina  – CCU

Ácido aspártico – GAU

Leucina – UUA

Glicina  – GGU

Isoleucina  – AUG

O DNA responsável pela síntese da ocitocina deve apresenta a seguinte sequência de triplets: TAC – CCT – GAG – GAT – GGT – TGC – TTA – ATG.

17. (UNIMEP-SP) Foram analisadas duas proteínas, X e Y, extraídas de órgãos diferentes de um macaco. Verificou-se que X apresenta 12 alaninas, 5 ácidos glutâmicos, 8 fenilalaninas, 2 lisinas e 10 glicinas, enquanto Y apresenta 12 alaninas, 5 ácidos glutâmicos, 8 fenilalaninas, 2 lisinas e 10 glicinas. Com relação a essa análise, podemos afirmar que:

a) X e Y são iguais, pois ambas possuem 37 aminoácidos.

b) X e Y são iguais, pois pertencem ao mesmo animal.

c) X e Y são diferentes, pois pertencem a órgãos diferentes.

d) X e Y são iguais, pois possuem os mesmos aminoácidos nas mesmas proporções.

e) Com esses dados não podemos dizer se X e Y são iguais ou diferentes.

18. (COVEST) As proposições a seguir são relativas ao processo de síntese de proteínas nas células vivas.

I   II

0  0 –  A molécula de DNA transcreve no núcleo uma molécula de RNA mensageiro (RNAm) com várias sequências de três bases – os códons.

1  1 –  Cada códon do RNA mensageiro determinará a colocação de um aminoácido específico na cadeia polipeptídica.

2  2 – No local onde houver um ribossomo, pequenas moléculas de RNA transportador (RNAt), ligadas a aminoácidos, unem-se ao RNAm por uma sequência de três bases – o anticódon.

3  3 – O processo de síntese de proteínas ao nível do citoplasma é também conhecido como transcrição genética.

4  4 – Os diversos aminoácidos unem-se através de ligações do tipo éster, dando formação, ao final da leitura do RNAm, a uma proteína funcional.

19. (UFRN) Uma proteína X codificada pelo gene Xp é sintetizada nos ribossomos, a partir de um RNAm. Para que a síntese aconteça, é necessário que ocorram, no núcleo e no citoplasma, respectivamente, as etapas de:

a) Iniciação e transcrição.

b) Iniciação e terminação.

c) Tradução e terminação.

d) Transcrição e tradução.

20. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0 0 – Na síntese  proteica,  o RNA  mensageiro tem por função, levar do núcleo aos ribossomos, o padrão de orientação para síntese.

1 1 – Na presença de estreptomicina a célula produz enzimas e outras proteínas que não funcionam, devido à introdução de erros de interpretação a partir de códons do RNA mensageiro, ao nível dos ribossomos. Com base no exposto, podemos dizer que a estreptomicina determina erros na transcrição do código genético.

2 2 – Cada espécie produz aminoácidos específicos, o que lhe permite sintetizar proteínas específicas.

3 3 – Considerando-se: síntese de RNA mensageiro (I), síntese de celulose (II) e síntese de proteínas (III), a sequência dos três eventos é IIIIII.

4 4 – Em se tratando de um vírus cujo  material  genético é  o RNA, este ácido nucleico induz o DNA da célula parasitada a produzir proteínas e ácidos nucleicos dos vírus.

21. (COVEST) O fenômeno mostrado na figura abaixo é denominado:

21

a) Duplicação do DNA.

b) Transcrição gênica.

c) Tradução do RNA viral.

d) Permutação genética.

e) Reparo do DNA viral.

22. (UNIP-SP) No desenho abaixo aparece uma das etapas da síntese de proteínas.

22

Assinale a alternativa que, corretamente, identifica as estruturas numeradas de 1 a 5:

 

RIBOSSOMO

AMINOÁCIDO

CÓDON

RNAm

ANTICÓDON

a

1

2

3

4

5

b

1

5

4

2

3

c

1

5

3

2

4

d

5

1

2

4

3

e

2

1

3

5

4

23. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – No esquema a seguir, os fenômenos 1, 2 e 3, representam, respectivamente, duplicação, transcrição e tradução.

23

1 1 – Um RNAt transporta sempre um determinado  aminoácido. Este aminoácido, qualquer que seja ele, pode ser transportado por diferentes RNAt.

2  2 – A RNA polimerase participa da quebra das pontes de hidrogênio na molécula de DNA.

3  3 – O número de  aminoácidos  presentes em  um peptídeo  depende do número de códons do RNAm que o sintetiza.

4 4 – Sintetizando-se in vitro uma molécula de  proteína,  nas mesmas condições que o processo ocorre nas células, utilizando-se ribossomos obtidos de células de rato, RNAm de células de sapos, RNAt de células de coelhos e aminoácidos ativados de células bacterianas, a proteína produzida teria a estrutura primária idêntica a da bactéria.

24. (UEL) Para síntese de uma determinada proteína, são necessários RNA mensageiro, RNA ribossômico, RNA transportador e aminoácidos. Sobre o assunto, considere as seguintes afirmativas:

I. A tradução ocorre no citoplasma da célula.

II. O RNA transportador carrega a mensagem para a produção da proteína.

III. Cada 3 nucleotídeos do RNA mensageiro determinam a colocação de um aminoácido específico na proteína.

IV. Moléculas de RNA transportador, ligadas a aminoácidos, unem-se ao RNA ribossômico por um sequência de 3 bases.

V. Enquanto o ribossomo se desloca sobre a fita de RNA mensageiro, outros RNA transportadores se encaixam, trazendo novos aminoácidos.

Assinale a alternativa correta.

a) Apenas as afirmativas I e II são corretas.

b) Apenas as afirmativas I, III e V são corretas.

c) Apenas as afirmativas II e V são corretas.

d) Apenas as afirmativas I, II, IV e V são corretas.

e) Apenas as afirmativas III e V são corretas.

25. (UNESP) Considere o diagrama abaixo, que resume as principais etapas da síntese proteica que ocorre numa célula eucarionte.

25

Os processos assinalados como 1 e 2 e a organela representados no diagrama referem-se, respectivamente, a:

a) Transcrição, tradução e ribossomo.

b) Tradução, transcrição e lisossomo.

c) Duplicação, transcrição e ribossomo.

d) Transcrição, duplicação e lisossomo.

e) Tradução, duplicação e retículo endoplasmático.

26. (UERJ) A biossíntese de proteínas pode ser estudada in vitro, com o emprego de extratos bacterianos. Em uma experiência deste tipo, após rotura das bactérias e adição de ADNase (visando destruir o DNA bacteriano) acrescentou-se ATP, GTP (guanosina-trifosfato) e leucina C14. Em seguida, foi adicionado um tipo de RNA mensageiro, sendo iniciadas as marcações de tempo (instante zero do gráfico abaixo). Mediu-se o acréscimo de radioatividade na fração de proteínas sintetizadas após adição dos mensageiros e, quando a síntese de proteínas começou a parar (no instante assinalado pela seta), adicionou-se mais RNA mensageiro, continuando-se a medir o acréscimo de radioatividade na proteína.

26

Como você interpretaria esta experiência?

a) A síntese de proteínas parou, antes da adição de mais RNA mensageiro, como consequência do esgotamento do aminoácido marcado.

b) A síntese de proteínas é independente da quantidade de mensageiro, só dependendo da adição de ATP, GTP e aminoácidos marcados.

c) A velocidade de formação de proteínas decresce à proporção que o RNA mensageiro sofre degradação.

d) Todas as moléculas de RNA mensageiro perdem sua atividade biológica em menos de um minuto.

e) O bloqueio da formação de proteínas é consequência da destruição dos ribossomos.

27. (COVEST) No esquema abaixo, relativo à síntese proteica, I, II, III e IV representam, respectivamente:

27

a) RNAt, RNAm, anticódon, códon.

b) Códon, anticódon, RNAt, RNAm.

c) RNAm, RNAt, anticódon, códon.

d) RNAt, RNAm, anticódon, códon.

e) RNAm, polimerase, códon, anticódon.

28. (UPE) O esquema a seguir, representa a maquinaria celular de síntese proteicaem funcionamento. Porsua análise, podemos chegar a algumas conclusões. Assinale, na coluna I, aquelas que estão corretas e, na coluna II, as que estão erradas.

28

I    II

0   0 – O ribossomo B está iniciando o processo de tradução, portanto, a síntese está correndo da direita para a esquerda, sob ação da RNA polimerase.

1  1 – Os RNAt do complexo B são reconhecidos pelo RNAm devido a seus anticódons AAA e UGU.

2 2 – Sendo a sequência dos aminoácidos, no polipeptídio neoformado, correspondente à sequência de códons no RNAm, o oitavo aminoácido a entrar na cadeia será a SERINA.

3  3 – O segmento  de RNAm apresentado no esquema resultou da transcrição de um segmento de DNA – 5’AAATGTGGGGGGTTTTTTUGUGAG3′.

4  4 – Os aminoácidos fenilalanina, treonina  e prolina  são  especificados por mais de um códon no RNAm, logo reconhecidos por mais de um RNAt. Concluímos daí, que o produto do complexo B poderá ser diferente daquele produzido pelo complexo A.

29. (UNIFICADO) Admitamos que pesquisadores tenham verificado que um ácido nucleico, formado por 1.000 nucleotídeos, de uma espécie de vírus, modela a síntese de duas proteínas diferentes, uma com 300 aminoácidos e outra com 200 ácidos aminados. A explicação provável para o que acontece é a seguinte:

a) Nesta espécie de vírus, cada tipo de aminoácido é reconhecido por um par de nucleotídeos.

b) Nesta espécie de vírus, cada tipo de ácido aminado é reconhecido por determinado tipo de nucleotídeo, podendo, portanto, o seu ácido nucleico modelar ainda outras proteínas.

c) Nesta espécie de vírus, as proteínas são modeladas pelo ácido nucleico e também por outras proteínas do próprio vírus.

d) Nesta espécie de vírus, um dado trecho de ácido nucleico pode servir para sintetizar duas proteínas, uma vez que os pontos de partida das sínteses são diferentes.

e) O ácido nucleico desse vírus não é estável, podendo, por isso, um dado trecho modelar mais de um tipo de proteínas.

30. (COVEST) Observando a figura abaixo, que representa o processo de síntese de uma proteína, avalie as proposições e assinale a(s) correta(s).

30

I   II

0  0 – O RNA-m (R) foi transcrito no núcleo, a partir de um segmento de DNA que corresponde a uma determinada proteína (segmento chamado cístron) e migrou para o citoplasma associando-se a um ribossomo (r).

1  1 – As trincas de  nucleotídeos  na fita de  DNA que deram  origem  às duas moléculas de fenilalanina, com certeza, são formadas pelas sequências de bases AAA e AAG; enquanto os códons do RNA-m que codificam para esses aminoácidos são TTT e TTC, respectivamente.

2  2 – Conforme o  códon que possui,  o RNA-t (N)  transporta um  aminoácido específico.

3  3 – A partir  da sequência  de bases  nas moléculas  de RNA-t de fenilalanina podemos concluir que o código genético é degenerado.

4  4 – Ao conjunto de eventos  representados, que ocorre  em nível do ribossomo, chamamos tradução.

31. (FATEC-SP) Alguns antibióticos, como a eritromicina e o cloranfenicol, são utilizados no tratamento de doenças infecciosas, pois têm a capacidade de bloquear a síntese de proteínas nas bactérias, sem interferir nas células afetadas ou contaminadas. Com base nessas informações, é correto concluir que esses antibióticos atuam nas bactérias:

a) Provocando a plasmólise das células.

b) Impedindo a transcrição do DNA nuclear.

c) Impedindo a transcrição ou a tradução no hialoplasma.

d) Como agentes mutagênicos do DNA mitocondrial.

e) Impedindo que os ribossomos aderidos ao retículo endoplasmático atuem na montagem das proteínas.

32. Três tipos de RNA participam da síntese de uma proteína específica: RNA mensageiro (m-RNA), RNA ribossomal (r-RNA) e RNA transportador (t-RNA). O estudo de suas funções permite afirmar que:

a) O r-RNA não é codificado pelo DNA.

b) Devem existir, pelo menos, tantas espécies de t-RNA quantas são as espécies de aminoácidos encontrados nas proteínas celulares.

c) O m-RNA tem a propriedade de reconhecer a informação genética para a síntese de proteínas contida no r-RNA, o que permite sua associação aos ribossomas.

d) O t-RNA, após receber o ácido aminado que lhe corresponde, reconhece, no r-RNA, a sequência que o codifica.

e) Há acima mais de um item correto.

33. (UNEB) Dada uma lista de ácidos nucleicos e outra com suas funções são corretas as associações:

I. RNA-t

II. RNA-m

III. RNA-r

IV. DNA

A. Comanda todo o funcionamento da célula; transmite a informação genética para as outras células.

B. Transporta os aminoácidos unindo o seu anticódon ao códon de um dos tipos de RNA.

C. Através da sequência de suas bases, determina a posição dos aminoácidos nas proteínas.

D. Combina-se com um dos tipos de RNA para formar os polirribossomos.

a) I-B; II-C; III-A; IV-D.

b) I-C; II-D; III-A; IV-B.

c) I-D; II-B; III-A; IV-C.

d) I-C; II-B; III-D; IV-A.

e) I-B; II-C; III-D; IV-A.

34. (UEG) Estudando o processo de síntese proteica in vitro, Chapeville e colaboradores verificaram que, por tratamento químico do complexo aminoácido-RNAt correspondente à cisteína (cisteinil-RNAt), é possível transformar este aminoácido em alanina, sem dissociá-lo do RNAt e sem afetar as características intrínsecas deste RNA. Obtém-se, dessa maneira, um complexo “híbrido” que, adicionado ao sistema de síntese de proteínas in vivo, promove a incorporação de alanina, no lugar da cisteína, no polipeptídeo sintetizado. A experiência é interpretada como indicativa de que:

a) A seleção do ácido aminado a ser integrado na sequência polipeptídica é determinada pela constituição química do ácido aminado.

b) O RNAt serve apenas como transportador do ácido aminado e não intermediário de sua integração correta na sequência polipeptídica.

c) Qualquer tipo de complexo aminoacil-RNAt pode se associar ao ribossoma, em qualquer etapa da síntese do polipeptídeo.

d) O reconhecimento, pelo RNAt, de um determinado códon do RNA mensageiro não depende do aminoácido.

e) O anti-códon do RNAt para cisteína é idêntico ao anti-códon do RNAt para alanina.

35. (PUC-SP) Duas espécies (A e B) apresentam a seguinte diferença na porção terminal de uma dada proteína, envolvendo três aminoácidos:

ESPÉCIE A

ESPÉCIE B

 ARGININA-LEUCINA-PROLINA  LEUCINA-LEUCINA-LEUCINA

Analisando o RNA mensageiro codificador dessa proteína, pode-se supor que a espécie A se diferencia da B em relação a:

a) 2 códons.

b) 3 códons.

c) 9 códons.

d) 3 bases nitrogenadas.

e) 9 bases nitrogenadas.

36. (CESGRANRIO) Os ribossomos, partículas citoplasmáticas de 15 a 25 nm de diâmetro, compostas de ARN e proteínas estão envolvidos diretamente na síntese de proteínas citoplasmáticas e de proteínas para exportação pela célula. As três afirmativas abaixo se referem à estrutura e à função dessas organelas.

I. Os ribossomos são formados por três subunidades compostas por ARN e proteínas de diferentes pesos moleculares.

II. No processo de síntese e transferência de proteínas para o retículo endoplasmático granular, o ribossomo se prende, à membrana do mesmo, através da subunidade menor.

III. Os polissomos, formados por ribossomos e ARN mensageiro, representam formas ativas no processo de síntese proteica.

Assinale:

a) Se somente I for correta.

b) Se somente II for correta.

c) Se somente III for correta.

d) Se somente II e III forem corretas.

e) Se I, II e III forem corretas.

37. (UERJ)O bacteriófago T2 tem como material genético uma molécula de DNA com cerca de 3.600 nucleotídeos, que compreendem três genes. Admitindo-se que esses três genes tenham aproximadamente as mesmas dimensões e que a massa molecular média dos aminoácidos seja igual a 120, cada uma das proteínas por eles codificados deve ter uma massa molecular aproximada de:

a) 4.800.

b) 24 x 103.

c) 4 x 102.

d) 12.000.

e) 144 x 103.

38. (COVEST) A molécula de RNAm é sintetizada no núcleo, transcrevendo a sequência de bases de uma cadeia de DNA. O RNAmno citoplasma se liga ao ribossomo, onde se dá a produção de cadeias peptídicas. Considerando esse tema, analise a figura e as proposições a seguir.


38I   II

0  0 – O aminoácido metionina (I) é trazido ao ribossomo pelo RNAt cujo anticódon é UAC (II), complementar ao códon AUG do RNAm.

1  1 – Na etapa seguinte da tradução, um segundo RNA(III), cujo anticódon é complementar ao segundo códon do RNAm geralmente onde há uma trinca UAA, UAG ou UGA, encaixa-se no sítio destinado à entrada de aminoácidos na cadeia peptídica.

2  2 – Quando se estabelece uma ligação peptídica entre os dois primeiros aminoácidos, o RNAtdo primeiro aminoácido é liberado (IV) no citoplasma.

3  3 – O final da tradução ocorre quando, na leitura da mensagem genética, se chega a um códon de parada (V), a saber, UUG, UUA ou GUA, para os quais não há aminoácido correspondente.

4 4 – 61 códons correspondem aos aminoácidos que compõem as proteínas. Sabendo-se que os códons 5 e 6 trazem a informação para um mesmo aminoácido, para o qual existe apenas uma trinca de codificação, podemos afirmar que os códons 5 e 6 codificam, ou para a metionina ou para o triptofano.

39. (CESCEA) Na interfase, uma nova fita complementar de DNA é formada a partir de uma antiga, que apresenta a seguinte sequência de bases nitrogenadas: CATGCTTAC. Admitindo-se que a transcrição é feita da nova cadeia para o RNA mensageiro, este deverá apresentar a seguinte sequência de bases:

a) GTACGAATG.

b) GATGCTTAC.

c) CTUGCUUTC.

d) CAUGCUUAC.

e) GUACGAAUG.

40. (COVEST) As proposições a seguir referem-se à síntese proteica. Analise-as.

I   II

0  0  – O RNAr transmite a informação genética às células.

1  1  – Na mitocôndria ocorre síntese proteica.

2  2 – O RNAm, através da  sequência  de suas  bases,  determina  a posição dos aminoácidos nas proteínas.

3  3 – As sequências  de aminoácidos, na cadeia polipeptídica, são identificadas pelo RNAr.

4  4 – Os polissomos constituem formas ativas no processo da síntese proteica.

41. (UNIFOR) “O RNA mensageiro é produzido no ____I___  e, ao nível ____II___ , associa-se a ____IIII___  participando das síntese de ____IV___ .” Para completar corretamente essa frase, I, II, III e IV devem ser substituídos, respectivamente, por:

a) ribossomo – citoplasmático – mitocôndrias – energia.

b) ribossomo – citoplasmático – mitocôndrias – DNA.

c) núcleo – citoplasmático – mitocôndrias – proteínas.

d) citoplasma – nuclear – ribossomos – DNA.

e) núcleo – citoplasmático – ribossomos – proteínas.

42. (Olimpíada de Biologia)Um RNAm de bactéria com exatos 360 nucleotídeos de tamanho irá codificar uma proteína de:

a) Aproximadamente 360 aminoácidos.

b) Aproximadamente 1080 aminoácidos.

c) Exatos 120 aminoácidos.

d) Menos do que 120 aminoácidos.

e) Mais do que 120 aminoácidos.

43. (FUVEST) O código genético está todo decifrado, isto é, sabe-se quais trincas de bases no DNA correspondem a quais aminoácidos nas proteínas que se formarão.

SEQUÊNCIA DO DNA

AMINOÁCIDO

AGA

serina (SER)

CAA

valina (VAL)

AAA

fenilalanina (FEN)

CCG

glicina (GLI)

AAT

leucina (LEU)

GAA

leucina (LEU)

Com base na tabela acima, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I  II

0  0 – Se  um RNAm tem  sequência de trincas UUAUUUCUUGUUUCUGGC, a sequência dos aminoácidos no polipeptídeo correspondente será: LEU – FEN – LEU – VAL – SER – GLI.

1  1 – Os anticódons dos RNAt da leucina serão AAU e GAA.

2  2 – O anticódon do RNAt da glicina será GGC.

3  3 – O anticódon do RNAt da valina será CAA.

4  4 – O anticódon do RNAt da serina será UCU.

44.  (UFOP) Com relação à síntese de proteínas em uma célula, é incorreto afirmar:

a) Todas as células sintetizam sempre os mesmos tipos de proteínas, nas mesmas proporções.

b) A sequência de bases nitrogenadas ao longo da molécula de RNA mensageiro determina a sequência dos aminoácidos incorporados na cadeia polipeptídica.

c) Para a formação da proteína, não basta a atividade do RNAm; é necessária a participação dos RNAt e dos ribossomos.

d) Ao longo de um DNA, há segmentos que atuam diretamente na síntese de proteínas, os éxons, e os que parecem inativos nesse processo, os íntrons.

45. (FUND.CARLOS CHAGAS)  O números 1, 2, 3 e 4 correspondem ao ARNm (mensageiro) e as letras A, B, C, D, E, F e G correspondem aos respectivos ARNt (transportador), indicando, resumidamente, um dos passos na síntese de proteínas.

45

Qual das alternativas abaixo expressa corretamente o mecanismo genético acima?

a) 1 – C, 2 – B, 3 – G, 4 – A.

b) 1 – D, 2 – A, 3 – F, 4 – C.

c) 1 – A, 2 – C, 3 – B, 4 – E.

d) 1 – B, 2 – D, 3 – A, 4 – F.

e) 1 – F, 2 – A, 3 – D, 4 – G.

46. (UFV) Com base no esquema abaixo, que mostra alguns passos necessários à síntese proteica, bem como algumas moléculas e estruturas nela envolvidas, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

46

I   II

0  0 – I representa o nucléolo.

1  1 – A etapa III é denominada transcrição.

2  2 – O complexo resultante da união de IV com V é chamado polirribossomo.

3  3 – VI atua no transporte dos aminoácidos.

4  4 – II está relacionado com a formação de V e de VI.

47. (PUC-SP) A rifampicina é um antibiótico que inibe a atividade da enzima responsável pela transcriçãoem bactérias. Seuma célula for tratada com esse antibiótico, deverá apresentar inibição:

a) Exclusivamente da produção de DNA.

b) Exclusivamente da produção de proteínas.

c) Da produção de DNA e de proteínas.

d) Da produção de RNA e de proteínas.

e) Da produção de DNA, de RNA e de proteínas.

48. A figura abaixo resume o processo de transcrição. A sequência de bases orgânicas do RNAm recém produzido é (de cima para baixo):

48

a) TAG – CCT – ATC.

b) TUC – CUT – AGA.

c) AUC – GGA – UAG.

d) ATC – UCT – TAG.

e) AUA – UAU – AAU.

49. (UECE) No processo de síntese proteica:

I. Há uma interrelação do núcleo com o citoplasma.

II. Os aminoácidos do citoplasma são selecionados pelo RNA-t (transportador) e vão formar o códon.

III. No mecanismo de tradução ou decodificação é imprescindível a participação dos ribossomos.

Assinale a alternativa

a) Se apenas I e III estiverem corretas.

b) Se apenas III estiver correta.

c) Se apenas I e II estiverem corretas.

d) Se I, II e III estiverem corretas.

50. (UEG) Vamos admitir que as duas cadeias de uma molécula de ADN separam-se e que cada uma delas vai servir de molde para a formação de uma molécula de ARN mensageiro. Se ocorrer, teremos o seguinte resultado:

a) Uma das moléculas de ARN mensageiro dirigirá a formação de um tipo de proteína e a outra molécula, um tipo diferente de proteínas.

b) As duas moléculas de ARN mensageiro dirigirão a formação de proteínas iguais.

c) As duas proteínas são iguais, mas não têm a mesma sequência de ácidos aminados.

d) As duas proteínas terão a mesma sequência de ácidos aminados, porque cabe aos ARN de transferência colocar os aminoácidos nos devidos lugares.

e) As duas proteínas serão diferentes, porque os ribossomos interpretarão corretamente as mensagens contidas nas moléculas de ARN mensageiro.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

A

B

VVVVV

E

D

D

D

C

D

VVFFF

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

D

B

FVFFV

A

A

VVFFV

E

VVVFF

D

VFFVF

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

B

C

VFFVF

B

A

C

C

FVVFF

D

VFFVV

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

C

B

E

D

A

C

B

VFVFV

D

FVVFV

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

E

D

VVFVF

A

A

VVVVV

D

C

A

A

 

Publicado por: Djalma Santos | 15 de março de 2012

Testes de mitose (2/5)

01. (UEPA)         Leia o texto abaixo para responder esta questão.

Vários radioisótopos são utilizados na preparação de radiofármacos, entre os quais o tecnécio-99m (99mTc), que apresenta características físicas ideais para aplicaçãoem Medicina Nuclear Diagnóstica.O tecnécio-99m é produto do decaimento radioativo do molibdênio-99 (99Mo). A equação abaixo descreve o processo de decaimento.

01

Quando a finalidade é terapêutica, o efeito deletério da radiação é utilizado para destruir células tumorais. Nesse caso, os radiofármacos são formados por radionuclídeos emissores de radiação particulada, que possuem pequeno poder de penetração, mas são altamente energéticas, ionizando o meio que atravessam e causando uma série de efeitos que resultam na morte das células tumorais.

(Extraído e adaptado de: ARAÚJO, Elaine Bortoleti. A utilização do elemento Tecnécio – 99m no diagnóstico de patologias e disfunções dos seres vivos. In: Cadernos temáticos de Química Nova na escola. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/ qnesc24/ccd2.pdf. Acessado em: 08/09/11)

Sobre as células a que se refere o trecho em destaque, no texto, afirma-se que:

I. Dividem-se descontroladamente por meiose originando células com 46 cromossomos.

II. Dividem-se descontroladamente por mitose originando outras células diploides.

III. Sofrem ação dos radioisótopos que inibem suas meioses.

IV. Sofrem ação dos radioisótopos que causam mutações no seu material gênico.

De acordo com as afirmativas acima, a alternativa correta é:

a) I e II.

b) I e III.

c) II e IV.

d) III e IV.

e) I, II, III e IV.

02. (UFV) Se ocorrer mitose numa célula com genótipo AaBb onde os dois locos gênicos estão em cromossomos diferentes, quais serão os genótipos das células resultantes?

a) AB ab.

b) AB Ab aB aa.

c) AABB aabb.

d) AaBb.

03. (UEG) A mitose, embora seja um processo contínuo, é divididaem fases. Afase da mitose em que os cromossomos são observados com maior nitidez e grau de condensação e em que geralmente é utilizada no estudo de cariótipos é a:

a) Anáfase.

b) Metáfase.

c) Prófase.

d) Telófase.

04. (UERN) “A base biológica do câncer está fundamentada na perda da capacidade normal de a célula regular sua divisão. As células cancerígenas não param de se multiplicar. Com isso, crescem sobre outras células e invadem tecidos sadios, formando massas celulares que são os tumores malignos. Elas têm a capacidade de se espalhar pelo corpo todo, originando as chamadas metástases. Vários fatores podem desencadear essa disfunção da capacidade de divisão das células. Existem causas genéticas (câncer de mama) e até mesmo causas virais (o câncer do colo do útero pode ser causado pelo papiloma vírus HPV e o de fígado, pelo vírus da hepatite B). A formação dos tumores se deve ao descontrole da divisão mitótica. Esse processo de divisão celular vai gerar, em condições normais, células com o mesmo número de cromossomos da célula inicial. É o tipo de divisão realizado quando há reprodução assexuada e que ocorre para o crescimento dos organismos multicelulares. Nos vegetais superiores, a mitose possui características próprias se comparada à mitose das células dos vertebrados. Uma das diferenças permite dizer que a mitose das células desses vegetais é acêntrica e anastral, e a das células animais é cêntrica e astral.”

Assinale a seguir o conceito correto:

a) A mitose das células vegetais e acêntrica devido à presença do centríolo durante a formação do áster.

b) A mitose das células animais e cêntrica devido à presença do centríolo, e anastral devido à ausência do áster.

c) A mitose das células vegetais e acêntrica e anastral devido à ausência de centríolo e áster.

d) A mitose das células animais e acêntrica devido à ausência de centríolo, e astral devido à presença do áster.

05. (UNIFOR) Na figura abaixo está representada uma das fases da mitose. A fase logo a seguir é a:

05

a) Intérfase.

b) Prófase.

c) Metáfase.

d) Anáfase.

e) Telófase.

06. (UESPI) Sobre o ciclo celular abaixo representado são feitas algumas afirmativas:

06

1. “x” simboliza a quantidade de DNA por célula durante o ciclo celular.

2. o tipo celular representa um gameta em meiose.

3. o tipo celular representado é uma célula somática.

4. “II” indica meiose.

5. “x” representa a quantidade de síntese proteica durante o ciclo celular.

6. “I” indica interfase.

Assinale a afirmativa correta:

a) 125.

b) 12 4.

c) 356.

d) 13 6.

e) 246.

07. (UPE) A figura abaixo representa um corte histológico de raiz de cebola, na qual estão enumeradas diferentes fases do ciclo celular.

07

http://www.mundoeducacao.com.br/upload/conteudo

legenda/46bb800fb7c29b4228969b92cbdbc1b5.jpg

Assinale a frase que identifica corretamente a fase 5 (cinco) e a estrutura apontada com uma seta.

a) A interfase está subdividida nas fases S, G1 e G2. A estrutura apontada é o cloroplasto.

b) Na metáfase, os cromossomos estão alinhados na placa equatorial. A estrutura apontada é o cloroplasto.

c) Na metáfase, os cromossomos estão alinhados na placa equatorial. A estrutura apontada é a parede celular.

d) Na telófase, ocorre a descondensação dos cromossomos e a citocinese centrípeta. A estrutura apontada é o fragmoplasto.

e) Na telófase, ocorre a descondensação dos cromossomos e a citocinese centrífuga. A estrutura apontada é o fragmoplasto.

08. (UFMG) O diagrama a seguir representa o ciclo de vida de uma célula somática humana, onde X representa o conteúdo de DNA.

08

Com base nas afirmações do diagrama e em seus conhecimentos, é incorreto afirmar que:

a) A fase de menor duração do ciclo é a mitose.

b) A fase F do ciclo corresponde à intérfase.

c) Em G1 a célula é haploide.

d) Em S ocorre a duplicação dos cromossomos.

09. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA) O fuso da divisão é formado por microtúbulos. Estes desempenham funções importantes, além da participação na divisão celular. Sabe-se que a divisão pode ser bloqueada por drogas que impedem a polimerização dos microtúbulos (ex: colchicina), bem como a sua despolimerização (ex: taxol). Em termos de divisão celular, as únicas células que não teriam prejuízos se tratadas com colchicina seriam:

a) Células epiteliais.

b) Zigotos.

c) Células procariotas.

d) Células da medula óssea.

e) Células cancerosas.

10. (UFRN) A recuperação da pele queimada ocorre em função da maior proliferação das células epiteliais. Uma característica da multiplicação dessas células é:

a) O número de cromossomos ser reduzido com o aumento do número de células.

b) A divisão do citoplasma ocorrer por “estrangulamento” da membrana plasmática.

c) A formação do fuso mitótico não influenciar na migração dos cromossomos.

d) O conteúdo de DNA da célula ser aumentado durante a fase G1 da interfase.

11. (UFV) Uma célula com 10 pares de cromossomos sofre mitose. Quantas células serão geradas e quantos cromossomos existirão por célula?

a) 4 e 10.

b) 2 e 10.

c) 2 e 20.

d) 4 e 20.

12. Quantas cromátides estarão presentes, em cada célula humana, na prófase e na telófase da mitose?

PRÓFASE

TELÓFASE

a

46

23

b

46

46

c

92

46

d

92

92

13. (SANTA CASA-SP) No gráfico abaixo, a mitose propriamente dita, corresponde ao período:

13

a) 1 a 3.

b) 4 a 6.

c) 2 a 5.

d) 2 a 4.

e) 1 a 6.

14. (UFRS) As figuras a seguir representam a citocinese de dois tipos de células.

14

Os exemplos de organismos cujas células representam de maneira correta as figuras A e B são, respectivamente:

a) Alface e minhoca.

b) Homem e lesma.

c) Peixe e rato.

d) Macaco e trigo.

e) Grama e tomate.

15. (UNIFESP) Leia as quatro afirmações seguintes sobre a divisão de uma célula somática em um animal adulto.

I. Após a citocinese, o núcleo de uma das células resultantes apresenta sobrecarga de atividade, pois deve produzir novamente todas as organelas citoplasmáticas, uma vez que elas ficaram no citoplasma da outra célula formada.

II. Caso não haja formação de actina e de miosina pela célula, tanto a mitose quanto a citocinese serão comprometidas.

III. Não apenas o DNA nuclear é replicado na interfase. O mesmo acontece com o DNA das mitocôndrias, que sofrerão um processo de divisão muito semelhante ao que ocorre nas bactérias.

IV. As membranas nucleares das duas células resultantes provêm de partes da membrana plasmática que se rompem durante a citocinese e envolvem os dois conjuntos de cromossomos.

Estão corretas somente:

a) I e II.

b) I e IV.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

16. A sequência de eventos cromossômicos que ocorrem na duplicação de uma célula somática animal está representada nos desenhos abaixo.

16

I   II

0  0 – A duplicação do DNA ocorre na interfase, representada pela fase 2.

1  1 – Considere o caráter autossômico, em que o individuo é homozigoto (gg). Em 2, 3 e 4, cada célula contém duas copias do gene “g”. Na fase 5, cada célula contém uma cópia do gene “g”.

2  2 – Na fase 2, há formação do fuso acromático.

3  3 – A divisão dos centrômeros ocorre no final da fase 3.

4  4 – Cada célula originada na fase 5 possui mesma quantidade de DNA da célula anterior.

17. (UFPA) Se adicionarmos colchicina, uma substância que impede a formação do fuso mitótico, a um grupo de células que estão sendo divididas, todas deverão estacionar a divisão em:

a) Prófase.

b) Metáfase.

c) Anáfase.

d) Telófase.

e) Intérfase.

18. A figura abaixo representa varia células em diferentes estágios do ciclo de vida. A duplicação do material genético e o rompimento dos centrômeros ocorrem, respectivamente, em:

18

a) I e V.

b) V e III.

c) II e V.

d) II e III.

e) III e IV.

19. (UFPA) Os desenhos abaixo mostram, na divisão mitótica em uma célula de cebola, as seguintes fases, respectivamente:

19

a) Prófase, metáfase, anáfase.

b) Anáfase, metáfase, telófase.

c) Telófase, metáfase, anáfase.

d) Anáfase, telófase, metáfase.

e) Metáfase, telófase, anáfase.

20. (UDESC) Com base na figura abaixo assinale a alternativa correta..

20

a) No estágio representado pela letra C ocorre duplicação de DNA.

b) No estágio representado pela letra A ocorre duplicação de centrômeros.

c) Considerando um gene autossômico B, ao final do estágio representado pela letra A, existe apenas uma cópia desse gene.

d) Na fase representada pela letra C existe apenas um cromossomo.

e) Cada cromonema indicado na figura é formado por duas moléculas de DNA.

21. Os esquemas numerados abaixo com algarismos romanos representam fases da mitose. Assinale a alternativa que indica a sequência correta das fases desse tipo de divisão celular.

21

a) I, IV, II, III.

b) II, IV, I, III.

c) I, IV, III, II.

d) IV, II, I, III.

e) III, II, I, IV.

22. (IFMT) Nos últimos capítulos da novela Insensato Coração, foi revelada toda a angústia do personagem André, interpretado pelo ator Lázaro Ramos, ao ser diagnosticado com câncer de testículo. Na vida real, o ator Reynaldo Gianecchini afirmou: “estou pronto para a luta”, ao também ser diagnosticado com câncer, só que linfático. Com relação a este assunto, é correto afirmar que:

a) Biologicamente analisado, o câncer é resultante da transformação de células normais, que passam a se dividir anormalmente por mitose.

b) Biologicamente analisado, o câncer é resultante da transformação de células normais, que passam a se dividir anormalmente por meiose.

c) Biologicamente, o câncer resulta de duplicação anormal do material genético na fase G1 da interfase.

d) Biologicamente, o câncer resulta de duplicação anormal do material genético na fase S da interfase.

e) Biologicamente, o câncer resulta de duplicação anormal do material genético na fase G2 da interfase.

23. O diagrama a seguir esquematiza o ciclo vital de uma célula. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

23

I    II

0   0 – Na metáfase os cromossomos apresentam duas cromátides unidas pelo centrômero.

1   1 –  As células nucleadas não apresentam este ciclo.

2   2 – A organização do  núcleo mantém-se inalterada durante o ciclo de divisão da célula.

3  3 – Na  prófase, torna-se  mais evidente  a duplicação  do material genético ocorrida no período S.

4  4 – Na telófase, o nucléolo é reconstituído.

24. (FATEC) Considere os seguintes eventos que ocorrem durante a mitose:

I. Desespiralização dos cromossomos.

II. Desaparecimento da carioteca.

III. Desaparecimento do fuso acromático.

IV. Separação das cromátides-irmãs.

V. Reaparecimento do nucléolo.

Assinale a alternativa que reúne os eventos que caracterizam a telófase.

a) I III V.

b) I II IV.

c) I II III.

d) II III IV.

e) III IV V.

25. (UNIRIO) A figura abaixo representa o ciclo celular e um diagrama da duração das diferentes etapas desse ciclo em determinadas células.

25

Quanto tempo é necessário para que essas células dupliquem o seu DNA?

a) 2 horas e 30 minutos.

b) 3 horas.

c) 4 horas.

d) 6 horas e 30 minutos.

e) 9 horas.

26. (MACK) A respeito da figura abaixo, que representa uma célula em mitose, identifique os itens verdadeiros ou falsos.

26

I    II

0   0  – II envolve a região do centro celular (centrossomos), responsável pela formação do fuso acromático.

1  1 – III indica fibra do fuso, responsável pelo deslizamento dos cromossomos durante a anáfase.

2  2 – Nos animais, II apresenta um par de centríolos (diplossomo), que está ausente nos vegetais superiores.

3  3 – Os filamentos de DNA contidos em I são idênticos entre si.

4  4 – Na etapa anterior à representada na figura ocorreu a duplicação do DNA.

27. Acoluna relacionada em romanos descreve fenômenos que ocorrem na mitose; a coluna em arábico relaciona fases da mitose. Correlacione-as.

I. Desorganização da carioteca e do nucléolo.

II. Migração de cada um dos cromossomos-filhos para um dos polos da célula.

III. Estado máximo de espiralização dos cromossomos.

IV. reorganização da carioteca e do nucléolo.

1. Prófase.

2. Metáfase.

3. Anáfase.

4. Telófase.

a) 1 – I; 2 – II; 3 – III; 4 – IV.

b) 1 – I; 2 – III; 3 – II; 4 – IV.

c) 1 – I; 2 – IV; 3 – II; 4 – III.

d) 1 – II; 2 – I; 3 – III; 4 – IV.

e) 1 – II; 2 – III; 3 – IV; 4 – I.

28. (UFES) Uma célula humana com cariótipo de 46 cromossomos e quantidade de DNA equivalente a 5,6 picogramas (pg) apresentará na fase inicial da metáfase da mitose, respectivamente, um cariótipo e uma quantidade de DNA correspondentes a:

a) 23 e 5,6 pg.

b) 23 e 11,2 pg.

c) 46 e 11,2 pg.

d) 92 e 5,6 pg.

e) 92 e 11,2 pg.

29. (PUC-RS) Uma célula somática com 8 cromossomos durante a fase G1 da interfase, ao entrar na divisão mitótica, apresentará na metáfase ________ cromossomos metafásicos, cada um com ________.

a) 4 – 1 cromátide.

b) 4 – 2 cromátides.

c) 8 – 1 cromátide.

d) 8 – 2 cromátides.

e) 16 – 2 cromátides.

30. (UFRS) Considerando que a ilustração a seguir, referente à divisão de uma célula somática hipotética, apresenta um erro, assinale a alternativa que apresenta a situação que tornaria o desenho correto.

30

a) A célula-mãe deveria ter apenas 2 cromossomos, e as células filhas deveriam ter 4 cromossomos, pois têm origem após a duplicação dos cromossomos.

b) A célula-mãe deveria ter 4 cromossomos, e as células filhas deveriam ter 2 cromossomos, pois foram originadas por mitose.

c) A célula-mãe deveria ter 4 cromossomos, e as células filhas deveriam ser 4 e ter cada uma 2 cromossomos, pois seria o resultado de uma meiose.

d) A célula-mãe deveria ter 4 cromossomos, e cada célula filha 4 cromossomos, pois seria o resultado de uma mitose.

e) A célula-mãe deveria ter 2 cromossomos, e as células filhas 2 cromossomos, pois seria o resultado de uma meiose.

31. (CESGRANRIO) Sobre o esquema a seguir que representa o ciclo celular, são feitas 3 afirmativas:

31

I. A duplicação do ADN acontece no período S.

II. A síntese de proteínas é mais intensa durante a mitose.

III. As células resultantes da mitose diferem da célula-mãe, devido ao fenômeno do crossing-over.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s):

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas I e III.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III.

32. (UNIPAC) O desenho abaixo representa uma fase da divisão celular – Mitose. Nesta fase está ocorrendo:

32

a) Alinhamento dos cromossomos na placa equatorial.
b) Início da espiralização dos cromossomos.
c) Separação da cromátides em cromossomos filhos.
d) Deslocamento dos centríolos para os polos.

33. (COVEST) Em relação ao ciclo celular.

33

I   II

0  0 – A fase G1 do ciclo celular é o período durante o qual o DNA é duplicado.

1  1 – A fase G2 é o principal período de crescimento do material citoplasmático inclusive das organelas.

2  2 – Durante a prófase, os centríolos  se distanciam e formam-se as fibras do fuso.

3  3 – Na anáfase, ocorre a citocinese.

4  4 – A desespiralização dos cromossomos ocorre na metáfase.

34. (UEL) Considere as seguintes fases da mitose:

I. Telófase

II. Metáfase

III. Anáfase

Considere também os seguintes eventos:

a. As cromátides-irmãs movem-se para os polos opostos da célula.

b. Os cromossomos alinham-se no plano equatorial da célula.

c. A carioteca e o nucléolo reaparecem.

Assinale a alternativa que relaciona corretamente cada fase ao evento que a caracteriza.

a) I – a; II – b; III – c.

b) I – a; II – c; III – b.

c) I – b; II – a; III – c.

d) I – c; II – a; III – b.

e) I – c; II – b; III – a.

35. (FATEC) Mitose é um processo de divisão celular pelo qual uma célula origina duas outras com o mesmo número de cromossomos. Com relação à divisão celular, podemos afirmar que:

a) Na mitose a célula-mãe diploide origina células-filhas haploides.

b) A interfase caracteriza-se pela pouca atividade metabólica desempenhada pela célula.

c) A mitose é precedida de uma duplicação de material genético.

d) Durante a divisão celular a organização do núcleo mantém-se inalterada.

e) No período de mitose a quantidade de DNA mantém-se constante.

36. (UNICENTRO)A colchicina, o alcaloide ativo do narciso-de-outono (Colchicum automnalle), é um dos mais antigos medicamentos conhecidos.No ano de 1763, o médico Anton Sturck introduziu-a naterapêutica médica. Por anos, a gota foi tratada com colchicina,até que se encontram outras utilizações para o alcaloide, taiscomo as análises citogenéticas.Sobre o modo de ação da colchicina em células em divisão,pode-se afirmar que esse alcaloide:

a) Estabiliza a célula na fase de prófase, ao causar despolimerização das proteínas do citoesqueleto celular.

b) Impede, temporariamente, a formação de novas células, por interromper a citocinese.

c) Age sobre as proteínas microtubulares, inviabilizando a formação das fibras do fuso mitótico, mantendo, desse modo, as células em metáfase.

d) Reduz o processo de compactação dos filamentos cromossômicos, impedindo a divisão equitativa das cromátides-irmãs durante a anáfase.

e) Favorece a rápida desintegração da carioteca, levando à prematura liberação dos cromossomos no citoplasma.

37. (UNIRIO) O esquema abaixo representa o ciclo mitótico de células em larva de Drosophila (mosca-de-fruta).

37

A etapa delimitada pelo retângulo ocorre por diversas vezes seguidas durante um mesmo ciclo celular. Como consequência disso, a condensação cromossômica revelará a presença de um núcleo com a(o):

a) Metade da quantidade de material genético do núcleo original.

b) Mesma quantidade de material genético do núcleo original.

c) Quantidade de material genético original multiplicada várias vezes.

d) Número de cromossomas do núcleo original aumentado duas vezes.

e) Número de cromossomas do núcleo original reduzido à metade.

38. (UFRN) A mosca de frutas (Drosophila melanogaster) apresenta 08 cromossomos nas células somáticas. É correto afirmar, portanto, que uma célula somática do referido inseto apresenta.

a) 04 cromátides em G1.

b) 08 cromátides em G2.

c) 32 centrômeros na metáfase.

d) 16 cinetócoros na prófase.

39. (CENTEC-BA) Durante a prófase, a cromatina, originalmente com uma estrutura filamentosa extremamente longa e delgada, passa por um processo de compactação que culmina, na metáfase, com a formação de corpúsculos bem definidos em número e forma – os cromossomos. O significado biológico dessa compactação é:

a) Garantir a integridade e a mobilização do material genético, condicionando a sua distribuição equitativa entre as células-filhas.

b) Determinar as características citológicas de cada espécie.

c) Promover a duplicação da molécula de DNA, possibilitando a transmissão dos caracteres herdados.

d) Facilitar a transcrição das informações contidas na molécula de DNA.

e) Favorecer a ocorrência de variações no material genético.

40. (PUCCAMP) Uma pessoa com câncer foi submetida a um tratamento quimioterápico, após o qual não houve formação de novas células tumorais. Considerando-se somente essa informação, é possível inferir que, nas células tumorais, os agentes quimioterápicos atuam sobre:

a) A membrana plasmática, tornando-as impermeáveis a qualquer substância.

b) As mitocôndrias, impedindo que realizem respiração aeróbica.

c) Os peroxissomos, bloqueando a produção de catalase.

d) Algum ponto do ciclo celular, fazendo cessar as mitoses.

e) O ciclo celular, acelerando as mitoses.

41. (UNIT-MG) “Fãs da ficção cientifica estão sendo confrontados com a engenharia de tecidos biológicos. Em vez de vermos filmes com seres construídos a partir de órgãos de outros indivíduos, como Dr. Frankenstein, poderemos, muito em breve, ver uma revolução no tratamento de pacientes que necessitam de transplantes ou vitimas graves de acidentes. Esses pacientes serão tratados com órgãos ou tecidos produzidos em laboratório a partir de células que serão estimuladas com substâncias especificas, os fatores de crescimento. As células poderão associar-se tomando a forma e a função do órgão desejado. A criação de ”neo-órgãos” é possível graças ao conhecimento básico de biologia adquirido nas duas últimas décadas”.

(Scientific American, out, 1999 – com adaptações)

Vemos que a ciência e a tecnologia estão tão desenvolvidas que é possível, hoje, manter células de um organismo artificialmente. Também é possível que essas células cultivadas sejam induzidas a formar tecidos e órgãos, como, por exemplo, a pele.

41

Isto é possível porque, dentre as diversas propriedades celulares, a que permite cultivo celular é a capacidade de:

a) Sofrer necrose.

b) Divisão mitótica.

c) Divisão meiótica.

d) Degeneração.

e) Regeneração.

42. (UCDB-MT) As figura I e II mostram, respectivamente:

42

a) Anáfase e telófase.

b) Metáfase e anáfase.

c) Telófase e metáfase.

d) Telófase I e telófase II.

e) Anáfase e metáfase.

43. (UnB-DF) Com o auxilio do diagrama e do gráfico abaixo, relativos ao ciclo celular, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

43

I   II

0  0 – O gráfico representa um processo importante para o aumento da variabilidade genética.

1  1 – Na fase I, ocorre síntese de RNA.

2  2 – Na fase III, a célula tem o dobro do DNA que tem na fase I.

3  3 – Nas células A, está ausente o envoltório nuclear.

4  4 – Na fase III, a célula tem o dobro dos cromossomos que tem na fase I.

44. (UFRS)  À medida que a célula cresce, seu volume aumenta muito mais rapidamente que sua superfície. Como todas as trocas vitais da célula com o meio ambiente realizam-se através da membrana, suas funções vitais se tornam cada vez menos eficientes, levando a célula a:

a) Dividir-se.

b) Morrer.

c) Regenerar.

d) Atrofiar-se.

e) Encistar-se.

45. (FACENS-SP) O uso de colchicina na cultura de linfócitos humanos in vitro provoca o acúmulo de metáfase porque ela interfere na:

a) Formação das fibras cromossômica.

b) Condensação cromossômica.

c) Separação das cromátides.

d) Persistência do nucléolo.

e) Migração dos centríolos.

46. (FUVEST) Uma célula somática que tem 4 cromossomos, ao se dividir, apresenta na metáfase:

a) 4 cromossomos distintos, cada um com uma cromátide.

b) 4 cromossomos distintos, cada um com duas cromátides.

c) 4 cromossomos pareados2 a2, cada um com duas cromátides.

d) 4 cromossomos pareados2 a2, cada um com uma cromátide.

e) 2 cromossomos, cada um com duas cromátides.

47. (UFSE) A quantidade de DNA de uma célula em metáfase mitótica é X. Células do mesmo indivíduo, mas, nas fases G1e G2, devem apresentar uma quantidade de DNA respectivamente igual a:

a) X/2 e X.

b) X e X/2.

c) 2X e X.

d) X e 2X .

e) X/2 e 2X.

48. (PUC-RS) Nas células somáticas da espécie humana, os fenômenos de duplicação do DNA e a separação dos centrômeros ocorrem na:

a) Prófase e anáfase.

b) Metáfase e telófase.

c) Intérfase e telófase.

d) Intérfase e anáfase.

e) Metáfase e prófase.

49. (CESGRANRIO) Nos desenhos mostrados abaixo, numerados com algarismos romanos, estão representadas fases da mitose. Assinale, nas opções abaixo, a sequência correta das fases deste tipo de divisão celular.

49

a) I, IV, III, II.

b) II, IV, I, III.

c) IV, II, I, III.

d) II, III, I, IV.

e) I, IV, II, III.

50. (PUC-RS) Na figura abaixo está esquematizada a fase da mitose que os biologistas denominam:

50

a) Telófase.

b) Metáfase.

c) Anáfase.

d) Prometáfase.

e) Prófase.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

C

D

B

C

D

D

E

C

C

B

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

C

C

B

D

C

FFVVF

B

B

B

D

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

B

A

VFFVV

A

C

VVVVF

B

C

D

D

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

A

A

FFVFF

E

C

C

C

D

A

D

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

B

B

FVVVF

A

A

B

A

D

B

C

Publicado por: Djalma Santos | 10 de março de 2012

Testes sobre a biosfera (4/4)

01. (UFV) Associe as tabelas de maneira que as características correspondam aos respectivos biomas.

CARACTERÍSTICAS

I

Folhas reduzidas ou modificadas em espinhos

II

Casca grossa e galhos retorcidos

III

Raízes escoras e respiratórias

IV

Raízes tabulares e folhas largas

BIOMAS

A

Cerrado

B

Manguezal

C

Mata Atlântica

D

Caatinga

A sequência correta é:

a) IA; IIC; IIID; IVB.

b)  ID; IIA; IIIB; IVC.

c) IB; IID; IIIA; IVC.

d) IB; IIA; IIIC; IVD.

e) ID; IIA; IIIC; IVB.

02. (UEPA)            Leia o texto abaixo para responder esta questão.

O lobo-guará é um animal solitário que habita o cerrado brasileiro. Alimenta-se de roedores, rãs, aves e répteis. O lobo-guará é um canídeo muito perseguido. Há aqueles que, inspirados em lendas e crendices, o matam apenas para extrair seus olhos para confecção de patuás de boa sorte. Na verdade, o guará é um animal útil. Além de atuar como regulador da população de ratos, preás e gafanhotos, ele dissemina as sementes de inúmeros frutos silvestres, através de suas fezes.

(Adaptado de Paulino, W. R. Ecologia Atual. São Paulo, 1991).

Sobre o canídeo referido no texto, analise as afirmativas:

I. Exerce o predatismo.

II. Tem hábito alimentar carnívoro.

III. Ocupa todos os níveis tróficos da cadeia alimentar.

IV. Vive no bioma brasileiro com características de savana, com vegetação arbórea esparsa formada por pequenas árvores e arbustos.

V. O bioma em que vive apresenta vegetação exuberante, com árvores de grande porte, cujas folhas não caem.

De acordo com as afirmativas acima, a alternativa correta é:

a) I, II e IV.

b) II, III e V.

c) II, IV e V.

d) III, IV e V.

e) I, II, III, IV e V.

03. (UFPR) Sobre as principais regiões fitogeográficas do Brasil, é correto afirmar.

I   II

0 0 – As duas principais áreas florestadas do país são denominadas Floresta Amazônica e Floresta Atlântica. Ambas apresentam alta diversidade, tanto de espécies vegetais quanto animais.

1  1 – A Floresta com Araucária é uma formação artificial, já que o seu principal elemento, a Araucaria angustifolia, é uma espécie introduzida pelo homem.

2  2 – Os Campos Cerrados e os Pampas são formações vegetais onde há predomínio de plantas lenhosas, com caules tortuosos, de cascas espessas.

3  3 – O Manguezal é vegetação que se desenvolve em regiões onde os rios encontram-se com o mar. Caracteriza-se pelas plantas adaptadas a uma condição de excesso de água.

4  4 – A Caatinga é um tipo de vegetação que ocorre em regiões onde as chuvas são irregulares e as secas prolongadas. Caracteriza-se pela presença de cactáceas e de árvores e arbustos que perdem as folhas durante os períodos de seca.

04.  (UEMA) Sítios RAMSAR correspondem às zonas úmidas estabelecidas por meio de critérios criados durante a Convenção Internacional de Áreas Úmidas em 1971 na cidade de Ramsar, Irã, cujos objetivos implicam sua conservação e uso sustentável. Dentre os oito sítios brasileiros, destacam-se os maranhenses: Área de Proteção Ambiental das Reentrâncias Maranhenses, onde se encontra o Oceano Atlântico; Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense, onde se encontra o Lago de Viana, e Parque Nacional Marinho Parcel de Manuel Luiz, onde se encontram grandes recifes de corais. Quando destacamos essas áreas, estamos tratando respectivamente dos biociclos:

a) Talassociclo, talassociclo e limnociclo.

b) Talassociclo, limnociclo e talassociclo.

c) Limnociclo, talassociclo e limnociclo.

d) Epinociclo, talassociclo e limnociclo.

e) Talassociclo, limnociclo e limnociclo.

05. (UFPR)                            Leia atentamente o artigo.

Resultados preliminares de um estudo feito por quatro pesquisadores brasileiros e um norte-americano indicam que 97% das espécies de bactérias identificadas nas folhas das árvores da Mata Atlântica são desconhecidas pela ciência. A identificação das bactérias foi por um método de reconhecimento de trechos específicos de DNA. Os dados sugerem que, apenas nesse bioma, pode haver até 13 milhões de espécies de bactérias, ou quase três mil vezes mais do que o total conhecido hoje – e isso porque só restam 8% da superfície original da Mata Atlântica. O artigo publicado na Science relata apenas as primeiras conclusões da equipe. No momento, eles já começaram o levantamento bacteriológico em um número maior de espécies de plantas em outras áreas da Mata Atlântica. “Um dos objetivos futuros do trabalho é explorar essas comunidades bacterianas. Cultivá-las, investigar se elas produzem alguma substância de interesse farmacêutico ou agrícola e determinar seu papel ecológico”, diz Lambais. “As possibilidades são tantas que, quanto mais dados obtemos, mais se abre o leque de aproveitamento desses microrganismos”.

(VERJOVSKY. Marina. Diversidade insuspeita: árvores da Mata Atlântica podem abrigar milhões de espécies de bactérias desconhecidas. Ciência Hoje on line, 29 jun. 2006 – Adaptado.)

Com base nas informações do texto e em seus conhecimentos sobre biologia, assinale a alternativa correta.

a) O número expressivo de espécies de bactérias obtido com apenas 8% da cobertura vegetal restante indica que o número de espécies deveria ser muito superior ao estimado de 13 milhões caso a floresta estivesse mais conservada.

b) Além da Mata Atlântica ser conhecida pela grande biodiversidade de vegetais e animais, o estudo destaca a riqueza de espécies do reino protista presente nas folhas das árvores.

c) O texto indica que toda a rica biodiversidade de bactérias, além de ser espantosa pelo número, possui imenso potencial de aplicação imediata já identificado na pesquisa.

d) O interesse da pesquisa sobre as bactérias da Mata Atlântica é determinar o papel ecológico que as substâncias que produzem executam no ecossistema, para que essas bactérias possam ser combatidas.

e) Para um número tão grande de espécies a serem descritas, o sistema binomial de classificação de Lineu não é suficiente e deve ser substituído por outro sistema de classificação molecular.

06. (PUC-RIO) Assinale a alternativa que indica o que é correto afirmar sobre a diversidade de espécies.

I. As florestas temperadas apresentam maior diversidade de espécies do que as florestas tropicais.

II. As savanas apresentam maior diversidade de espécies do que as florestas tropicais.

III. Com o aumento da altitude, aumenta a diversidade de espécies.

IV. Com o aumento da latitude, aumenta a diversidade de espécies.

a) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.

b) Apenas as afirmativas I e III estão corretas.

c) Apenas as afirmativas II e IV estão corretas.

d) Apenas as afirmativas III e IV estão corretas.

e) Nenhuma afirmação está correta.

07. Qual das alternativas a seguir traz uma associação incorreta?

a) Pradaria – Plantas epífitas.

b) Deserto – Xeromorfismo.

c) Floresta temperada – Árvores caducifólias.

d) Tundra – Seca fisiológica.

08. (UEFS) A expansão das atividades humanas afeta os ambientes naturais e a biodiversidade, ocasionando a fragmentação de hábitats em florestas tropicais. Acredita-se que, por conta da intervenção humana, restem apenas 7% da Mata Atlântica original. Com relação aos efeitos da ação humana sobre a Mata Atlântica, analise as alternativas a seguir, identificando com V as verdadeiras e com F, as falsas.

( ) Os pequenos fragmentos florestais gerados a partir da intervenção humana sobre o ambiente florestal tornam-se, cada vez mais, internamente homogêneos quanto à composição de espécies e grupos ecológicos.

(  ) Nas bordas dos fragmentos florestais, ocorre a redução da variedade de espécies de árvores, sendo que as árvores pioneiras proliferam e as típicas de florestas entram em declínio.

(  ) As alterações microclimáticas decorrentes da formação de fragmentos florestais são insuficientes para intervir na taxa reprodutiva dos animais e desequilíbrio populacional.

(  ) Um dos principais problemas da formação de fragmentos florestais advém da total incapacidade de regeneração de florestas tropicais, após a perturbação humana.

A alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo, é a:

a) F F F V.

b) V V F F.

c) F V F V.

d) V V F V.

e) V F V F.

09. (IFMT) “Situado no Centro Geodésico da América do Sul, Mato Grosso possui grande parte de cada um dos três mais importantes ecossistemas da América do Sul e do mundo: Amazônia, Cerrado e Pantanal. Amazônia, um caldeirão de biodiversidade, onde já foram identificadas 30.000 espécies de plantas. Cerrado, com sua paisagem agreste, árvores de pequeno porte e retorcidas em terrenos aparentemente áridos e sem vida. Pura ilusão! Sua biodiversidade é imensa, são 10.000 espécies de plantas diferentes, exóticas e, principalmente, medicinais. Pantanal, um ecossistema único, em uma das regiões mais fascinantes do planeta. São230.000 kmde vida silvestre, dos quais grande parte está dentro do estado de Mato Grosso, onde nasce e se forma. Além dessas riquezas, ainda temos a região do Araguaia, de uma beleza ímpar, cuja flora e fauna caracterizamse pela transição entre dois grandes ecossistemas brasileiros, o cerrado e a floresta amazônica.”

(REVISTA MATO GROSSO QUATRO ESTAÇÕES, QUATRO REGIÕES, MIL EMOÇÕES! Cuiabá: Sedtur, p. 20, 2011.)

A respeito dos ecossistemas presentesem Mato Grossoé correto afirmar que:

a) A floresta amazônica, localizada ao norte de Mato Grosso, apresenta predomínio de formação vegetal típica das regiões de clima equatorial, quente e úmido, caracterizada pela enorme variedade de espécies em diferentes estratos arbóreos, apesar do solo pobre em nutrientes.

b) O pequeno porte das árvores do Cerrado, bem como os caules retorcidos e com cascas grossas, pode ser explicado pela escassez de água e excesso de alumínio no solo.

c) essa região de transição, presente na região do Araguaia, recebe a denominação de biótopo pela Ecologia.

d) Nas áreas alagadas do Pantanal, a vegetação aquática que se desenvolve é unicamente flutuante, representada pelo aguapé e erva-de-santa-luzia, enquanto que, nas áreas secas, o predomínio é de gramíneas, arbustos e áreas de cerrado nas regiões baixas e de densas áreas de floresta nas regiões altas.

e) O Cerrado e o Pantanal são ecossistemas únicos, não existindo biomas que se assemelhem a eles em nenhuma outra parte do mundo.

10. (UPE) O manguezal é um ecossistema costeiro de transição entre os ambientes marinho e terrestre. É considerado no Brasil como de preservação permanente, inserido em diversos dispositivos constitucionais. Estende-se ao longo do litoral brasileiro, existindo, em Pernambuco, uma área de cerca de 270km2. O mangue urbano de nossa cidade – Parque dos Manguezais e manguezal do entorno de Suape têm sido temas de debates veiculados pela imprensa em relação ao valor ambiental, desenvolvimento sustentável e ameaças de desmatamento e destruição de ambientes naturais. Sobre as características dos manguezais, analise as afirmativas e conclua.

I    II

0  0 – Baixa disponibilidade de nutrientes e matéria orgânica faz do mangue uma região de produtividade baixa, com vegetação composta por poucas espécies, limitada por fatores edáficos.

1  1 – As plantas do manguezal apresentam elevado potencial osmótico em suas células. É uma adaptação fisiológica do vegetal para, por osmose, retirar água do solo salgado.

2  2 – Rhizophora mangle e Avicennia tomentosa são espécies vegetais características do manguezal. A avicênia possui pneumatóforos ou raízes respiratórias, uma adaptação ao solo encharcado, pobre em oxigênio.

3  3 – Sobre a vegetação arbórea, é possível encontrar bromélias e orquídeas epífitas. No solo alagado, as garças alimentam-se de peixes e pequenos vertebrados, que caçam usando seus bicos. A orquídea é uma planta parasita, e a garça, uma ave predadora.

4  4 – No solo lodoso, constantemente alagado e pouco aerado, vivem bactérias anaeróbicas produtoras de gases, que conferem a esse bioma um cheiro característico.

11. Observe o mapa a seguir onde estão representadas paisagens brasileiras.

11

Plantas com as partes aéreas adaptadas para diminuir a perda d’água e árvores de pequeno porte com raízes muito profundas são elementos característicos da vegetação, nas regiões:

a) 4 e 7.

b) 6 e 2.

c) 3 e 6.

d) 2 e 7.

e) 4 e 2.

12. O conjunto de todos os ecossistemas da Terra forma:

a) A biosfera.

b) Um hábitat.

c) Uma comunidade.

d) Um bioma.

e) Um nicho ecológico.

13. (UFMS)Em sua grande extensão territorial, o Brasil apresenta grande variedade de climas e solos, o que permite a configuração de vários tipos de biomas, característicos das diferentes regiões brasileiras. Sobre os biomas brasileiros, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – A Floresta Amazônica é composta por uma vegetação muito densa, formando diversos estratos.

1 1 – As árvores do Cerrado geralmente apresentam casca grossa e troncos retorcidos, provavelmente devido ao excesso de nutrientes minerais no solo.

2 2 – No Pantanal Mato-Grossense, formam-se grandes agregações de aves aquáticas, principalmente durante o período de águas rasas na região.

3  3 – A Caatinga caracteriza-se por apresentar árvores de grande porte entremeadas com plantas xeromórficas.

4  4 – A vegetação do manguezal está adaptada à zona de transição entre a terra firme e o mar.

14. (UCPel) Ao longo do processo evolutivo, regiões que diferem em solo e clima desenvolveram comunidades adaptadas às condições locais. A Terra é ocupada por um mosaico de ecossistemas aquáticos e terrestres. Os biomas são os que mais chamam atenção por serem grandes e terrestres. O bioma que recebe muito calor e chuva situa-se entre os trópicos e apresenta uma enorme biodiversidade é:

a) A floresta de coníferas.

b) A floresta tropical.

c) A savana.

d) A caatinga.

e) O pinheiral.

15. (UCS-RIO) O bioma terrestre, cuja vegetação típica é composta de musgos, liquens, plantas herbáceas e, em alguns casos, pequenos arbustos, pois a temperatura não ultrapassa os 10oC, é denominado:

a) Taiga.

b) Tundra.

c) Floresta temperada.

d) Campo.

e) Deserto.

16. (UPE) Acerca dos biomas brasileiros, representados no mapa a seguir, analise as afirmativas a seguir:

16

OBSERVAÇÃO

1. CAATINGA

2. PAMPA

3. FLORESTA AMAZÔNICA

4. CERRADO

5. MATA ATLÂNTICA

6. PANTANAL

I   II

0  0-O bioma (4) que cobre a maior parte do Nordeste brasileiro apresenta vegetação com caules retorcidos, uma adaptação ao intenso calor local. Suas raízes são profundas para retirar água do lençol freático. O solo é ácido, com grande quantidade de sais de alumínio.

1  1- Os Pampas (1) e a Caatinga (5) são biomas que apresentam a água como fator limitante. As chuvas são escassas e, por isso, a vegetação é pouco desenvolvida, o que lhes habilita à classificação de Campos. São pouco degradados pela ação do homem.

2  2- O Cerrado (4) e a Caatinga (1) são biomas onde encontramos caracterização vegetal de xeromorfismo devido à falta de água no local. As queimadas são fenômenos naturais nesses locais, não causando prejuízo à vida ou ao solo.

3  3 – A Mata Atlântica (2) é bastante distinta da Floresta Amazônica em termos de fauna e, principalmente, de flora. O solo da Floresta Amazônica (3) é rico em nutrientes, ao contrário da Mata Atlântica que é ácido e muito lixiviado.

4 4- O Pantanal (6) ou Complexo Pantanal é uma grande planície alagável. É possível encontrar vegetação característica de Cerrado em locais de raras inundações. Há plantas típicas de brejos em partes que ficam constantemente alagadas.

17. (IFTO) Em um ecossistema bem diversificado como o bioma Amazônia é possível ver plantas que produzem caju, cupuaçu, açaí e castanha-do-pará e animais como guariba, tucano, galo-da-serra e peixes, a exemplo do pirarucu e tucunaré. A respeito desses organismos, tem-se como correta a seguinte proposição:

a) A castanheira-do-pará, como as demais plantas, possui parênquima clorofiliano. Este tecido é responsável pela fotossíntese nas mesmas e assim é importante tanto para o desenvolvimento desses vegetais quanto para a manutenção do ciclo da água nesse bioma.

b) Provavelmente, as angiospermas (Ex: cajueiro) surgiram por volta de 10 mil anos atrás e os mamíferos (Ex: guariba), 570 milhões de anos atrás.

c) Nos peixes condrictios como o tucunaré a respiração é branquial, já nas aves (tucano e galo-da-serra) é pulmonar.

d) Ao se alimentarem dos filhotes do galo-da-serra, um tucano desenvolve uma relação de inquilinismo com tal espécie.

e) O guariba é um eucarionte, com meiose gamética e pertence ao Sub-reino Archaea.

18. A popular seringueira (Hevea brasiliensis) é típica de qual bioma?

a) Caatinga.

b) Cerrado.

c) Floresta Amazônica.

d) Floresta Atlântica.

e) Floresta de Cocais.

19. (FUVEST) As formações fitogeográficas brasileiras típicas das áreas assinaladas no mapa abaixo, são:

19

a) I – Floresta Amazônica; II – Caatinga; III – Pantanal.

b) I – Cerrado; II – Caatinga; III – Mata das Araucárias.

c) I – Floresta Amazônica; II – Cerrado; III – Caatinga.

d) I – Pantanal; II – Zona dos Cocais; III – Mata das Araucárias.

e) I – Cerrado; II Floresta Amazônica; III – Pantanal.

20. (UFMS) O Cerrado, que é o segundo maior Bioma brasileiro, ocupa aproximadamente 2 milhões de hectares e apresenta grande biodiversidade, devido principalmente à influência de outros biomas com os quais mantém contato (Floresta Amazônica, Floresta Atlântica, Caatinga, Matas Secas e Pantanal). Entretanto, o Cerrado vem sofrendo com grandes desmatamentos desde a década de 70, uma vez que não é protegido por lei, e sua área plana fez com que fosse considerado o local ideal para o desenvolvimento de grandes culturas e pastagens. Assim, o Cerrado sempre foi visto como uma fronteira agropastoril, onde, através da correção do solo ácido, tudo se produz. Com relação ao aspecto geral da vegetação do Cerrado, é correto afirmar:

I   II

0  0 – Apresenta árvores altas, de tronco retilínio e com casca lisa.

1  1 – As folhas são pequenas e coriáceas, para evitar a transpiração excessiva.

2  2 – As folhas são grandes e membranáceas, para realizar maior quantidade de fotossíntese.

3  3 – Apresenta árvores baixas, com tronco retorcido e casca grossa como proteção ao fogo.

4  4 – As raízes são superficiais para facilitar a sua fixação.

21. (F.E.E. Queiroz-CE) O esquema abaixo representa a estratificação na zona profunda de uma floresta.

21

Maior luminosidade e maior concentração de matéria orgânica em decomposição ocorrem, respectivamente, nos estratos:

a) I e IV.

b) I e III.

c) I e II.

d) II e III.

e) III e IV.

22. (COVEST) A biosfera pode ser dividida em 3 partes, ou biociclos: o epinociclo, o talassociclo e o limnociclo. Estabeleça a relação entre esses ciclos e os seres da 2a coluna:

BIOCICLOS

I. Epinociclo

II. Talassociclo

III. Limnociclo

SERES (2ª COLUNA)

(  ) Tubarão

(  ) Minhoca

(  ) Vaca

(  ) Néctons

(  ) Seres do Distrito Abissal

A sequência correta na 2a coluna (de cima para baixo) é:

a) III, I, II, III, II.

b) II, I, I, II, II.

c) I, III, III, II, II.

d) II, III, I, II, II.

e) III, I, I, III, II.

23. (UFSC)O Brasil possui uma enorme extensão territorial, com grandes variações climáticas, e uma ampla diversidade de tipos de solo.  Em função dessas características, há uma evidente diversidade de biomas, definidos sobretudo pelo tipo de cobertura vegetal.Com relação à distribuição dessa cobertura vegetal no Brasil, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

I   II

0 0 – A Floresta Amazônica tem uma grande extensão e se espalha pelas regiões Norte, Centro-Oeste e parte da região Sudeste.

1  1 – A zona de Cocais se distribui, principalmente, na costa nordestina.

2  2 – Os manguezais preenchem uma faixa larga e descontínua, paralela ao litoral do país.

3  3 – A caatinga é uma formação exclusiva do Brasil central.

4  4 – Tanto o pampa como a Mata de Araucárias são formações vegetais exclusivas da região Sul.

24. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA) A Mata Atlântica é considerada uma das grandes prioridades para a conservação de biodiversidade em todo o continente americano. Em estado crítico, sua cobertura florestal acha-se reduzida a cerca de 7,6% da área original, que perfazia uma extensão de aproximadamente 1.306.421 km2.

24

            Distribuído por mais de 17 estados brasileiros, este bioma é composto de uma série de fitofisionomias bastante diversificadas, determinadas pela proximidade da costa, relevo, tipos de solo e regimes pluviométricos. Essas características foram responsáveis pela evolução de um rico complexo biótico de natureza florestal. Apesar da devastação acentuada, a Mata Atlântica ainda contém uma parcela significativa da diversidade biológica do Brasil, com altíssimos níveis de endemismo (fonte: http://www.mataatlantica.org.br).

Marque das alternativas abaixo a que confere explicação incorreta para a devastação ocorrida na Mata Atlântica.

a) A exploração do pau-brasil, cana e café foram fatores historicamente importantes para a devastação deste bioma.

b) A monocultura de soja é fator predominante na devastação atual da Mata Atlântica.

c) A ocupação costeira do território nacional favoreceu a destruição da Mata Atlântica, restingas e manguezais.

d) A utilização de madeira para alimentação de fornos e produção de carvão agridem a Mata Atlântica.

e) Fatores naturais, como secas prolongadas, podem acelerar sua degradação.

25. Rizóforos e pneumatóforos são adaptações ao solo encharcado, salgado e pouco consistente do bioma conhecido como:

a) Caatinga.

b) Cerrado.

c) Mata Atlântica.

d) Floresta Amazônica.

e) Manguezal.

26. (VUNESP) Assinale a alternativa que representa, em ordem crescente, os ecossistemas com maior diversidade de vida.

a) Floresta tropical pluvial, tundra, taiga, floresta temperada caducifólia.

b) Tundra, taiga, floresta tropical pluvial, floresta temperada caducifólia.

c) Taiga, tundra, floresta tropical pluvial, floresta tropical caducifólia.

d) Taiga, floresta temperada caducifólia, tundra, floresta tropical pluvial.

e) Tundra, taiga, floresta temperada caducifólia, floresta tropical pluvial.

27. (COVEST) A biosfera representa a parte do planeta que contém vida e é, em última análise, o conjunto de todos os ecossistemas da terra. Neste contexto, analise as proposições apresentadas quanto à correção:

I  II

0  0 – Os grandes padrões  de vida que existem na terra estão sistematizados em três biociclos, o epinociclo, o limnociclo e o talassociclo, os quais se reportam, respectivamente, à vida em terra firme, vida na água doce e vida no mar.

1  1 – Um biociclo  comporta  subdivisões  tanto  que, no  biociclo  terrestre, existem os biócoros floresta, campo e deserto.

2  2 – As fronteiras entre dois ou mais ecossistemas não são bem definidas ou rígidas, sendo as zonas entre eles, os ecótonos, possuidores de uma grande variedade de vida (efeito de borda) já que o número de nichos ecológicos neles é grande.

3  3 – Nos ecossistemas de água salgada existem animais de, praticamente, todos os grandes grupos, incluindo miriápodas (lacraias e centopéias) e alguns insetos  e anfíbios, sendo o número de espécies maior no mar do que na terra.

4  4 – Entre as subdivisões  ecológicas do mar, quanto à profundidade, há de se destacar o sistema nerítico (zona de marés, com muita luz, O2, alimentos e grande quantidade de algas e animais fixos às rochas) e o sistema abissal (águas profundas de 200 até mais ou menos2.000 metros, rico em plâncton).

28. (UFSCar) No mapa abaixo, constituído de acordo com o Conselho Nacional de Geografia e modificado por Ferri, 1, 2, 3 e 4 correspondem, respectivamente, a:

28

a) Floresta Amazônica, Mata das Araucárias, Caatinga e Cerrado.

b) Floresta Amazônica, Caatinga, Cerrado e Mata das Araucárias.

c) Mata das Araucárias, Cerrado, Caatinga e Floresta Amazônica.

d) Floresta Amazônica, Cerrado, Caatinga e Mata das Araucárias.

e) Cerrado, Floresta Amazônica, Mata das Araucárias e Caatinga.

29. (UDESC) As florestas cobrem 31% de toda a área terrestre do planeta e têm responsabilidade direta na garantia da sobrevivência de 1,6 bilhões de pessoas e de 80% da biodiversidade terrestre. Pela importância que têm para o planeta, elas merecem ser mais preservadas e valorizadas, por isso a ONU declarou 2011 o Ano Internacional das Florestas. Analise as proposições abaixo, em relação às florestas:

I. A Floresta Atlântica é uma floresta tropical de clima quente e úmido distribuída ao longo do litoral brasileiro.

II. A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo e está situada no norte da América do Sul.

III. A Mata de Araucárias é um tipo de floresta subtropical onde predomina o pinheiro-do paraná.

IV. Na Floresta Atlântica há o predomínio de cactáceas e gramíneas de pequeno porte, e poucas árvores e arbustos.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.

e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

30. (UFSC) Sobre as formações fitogeográficas ou Biomas existentes no Brasil, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

I   II

0  0 – O Cerrado é uma formação fitogeográfica caracterizada por uma floresta tropical que cobre cerca de 40% do território brasileiro, ocorrendo na Região Norte.

1  1 – O Mangue ocorre desde o Amapá até Santa Catarina e desenvolve-se em estuários, sendo utilizados por vários animais marinhos para reprodução.

2  2 – A Caatinga é caracterizada por ser uma floresta úmida da região litorânea do Brasil, hoje muito devastada.

3 3  – O Pantanal ocorre nos estados do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso, caracterizando-se como uma região plana que é alagada nos meses de cheias dos rios.

4  4  – A Floresta Amazônica está localizada nos estados do Maranhão e do Piauí e as árvores típicas dessa formação são as palmeiras e os pinheiros.

31. (UEL) Plantas do genro Rhizophora com raízes-escoras, que permitem melhor fixação em solo lodoso, e do gênero Avicennia com raízes respiratórias, que possibilitam obtenção de oxigênio em solo alagado, são características:

a) Do Cerrado.

b) Do Pantanal.

c) Dos Manguezais.

d) Da Mata Atlântica.

e) Da Floresta Amazônica.

32. (UEL) O fenômeno de queda das folhas que caracteriza as árvores de florestas decíduas no hemisfério norte é uma proteção contra:

a) As variações bruscas de temperatura.

b) O peso da neve sobre os limbos foliares.

c) O excesso de chuva que ocorre no inverno.

d) A velocidade crescente dos ventos do inverno.

e) A baixa umidade relativa do ar que predomina durante o inverno.

33. São mamíferos típicos da fauna dos cerrados do Brasil:

a) Ema, lobo-guará, onça-pintada.

b) Tamanduá-bandeira, lobo-guará, tatu-canastra.

c) Veado-campeiro, zebra, tamanduá-bandeira.

d) Onça-pintada, ema, tamanduá-bandeira.

e) Veado-campeiro, avestruz, tatu-canastra.

34.  (UECE) Os manguezais são considerados ecossistemas extremamente produtivos e de grande importância, pois contribuem para a biodiversidade do planeta e asseguram a integridade ambiental da faixa costeira, além de serem responsáveis pelo fornecimento dos recursos e serviços ambientais relacionados a diversas atividades econômicas. Sobre os manguezais, analise as seguintes afirmações:

I. Esse tipo de ecossistema se desenvolve onde há água salobra, e toda sua dinâmica está relacionada às gamboas que permitem a troca entre água doce e salgada.

II. Seu solo é bastante pobre, de aspecto lodoso, sendo habitado por plantas que desenvolvem estruturas denominadas pneumatóforos, para possibilitar as trocas gasosas.

III. Os manguezais são grandes berçários de animais marinhos, fundamentais para diversas espécies que se reproduzem, crescem e se alimentam entre as raízes das plantas.

IV. Dentre as estratégias reprodutivas para sobreviver nos manguezais, muitas plantas produzem sementes compridas e pontudas, que caem como lanças apontadas para baixo, vindo a enterrar-se na lama na baixa mar.

Está correto o que se afirma em:

a) I, II, III e IV.

b) I, II e III, apenas.

c) I, III e IV, apenas.

d) II e IV, apenas.

35. Entre as diversas formações vegetais brasileiras, a que apresenta a mais alta frequência de Gimnospermas é conhecida como:

a) Mata pluvial de coníferas.

b) Campos cerrados.

c) Floresta pereniforme de encosta.

d) Mata de araucárias.

e) Mata amazônica.

36. (VUNESP) Observe a figura abaixo.

36

O bioma representado é conhecido como:

a) Mata Atlântica.

b) Tundra.

c) Taiga.

d) Cerrado.

e) Floresta decídua temperada.

37. (PUC-SP) A biomassa aquática pode ser dividida em três grupos:

I. Organismos que nadam ativamente.

II. Organismos flutuadores ou que se deslocam passivamente na água.

III. Organismos do fundo, que podem ser fixos ou rastejantes.

Os grupos I, II e III são denominados, respectivamente:

a) Plâncton, nécton e bentos.

b) Plâncton, bentos e nécton.

c) Bentos, plâncton e nécton.

d) Bentos, nécton e plâncton.

e) Nécton, plâncton e bentos.

38. (UFRS)                    LEIA O TEXTO A SEGUIR:

“Subindo sempre, os campos misturados com pinhais se adiantam até a orla exterior. De vez em quando, vastas porções planas são inteiramente brejosas, revestidas de uma vegetação palustre estranha, entre a qual assoma em toda a parte, os tufos purpúreos de Sphagnum, o musgo das turfeiras.”

(RAMBO, Balduíno S. J.. A fisionomia do Rio Grande do Sul. Ed. Unisinos, 1994)

As comunidades fisionomicamente descritas no texto acima estão associadas a que tipo de vegetação natural do Rio Grande do Sul?

a) À vegetação de dunas.

b) À mata com araucária.

c) À mata de restinga.

d) A campos da campanha.

e) A banhados litorâneos.

39. (UESPI) São características observadas nos biomas da Caatinga, do Cerrado e dos Manguezais, respectivamente:

a) Baixo índice pluviométrico; árvores com diversidade de epífitas; plantas com pneumatóforos.

b) Plantas xeromórficas; planícies inundadas; plantas com rizóforos.

c) Árvores com folhas perenes; temperatura moderada; alto índice pluviométrico.

d) Prevalência de gramíneas; amplas planícies; solo salgado.

e) Plantas caducifólias; clima quente; solo lodoso.

40. (UEM) Sobre os biomas brasileiros, assinale o que for correto.

I  II

0  0 – O pantanal mato-grossense ou complexo do pantanal é uma vasta planície inundada que abriga uma das mais ricas reservas de vida selvagem do mundo.

1  1 – O estrato ou andar superior das Florestas Amazônica, Atlântica e de Araucária é composto pelas mesmas espécies de árvores.

2  2 – A vegetação da Caatinga é formada por plantas com marcante adaptação ao clima seco, como aquelas cujas folhas se transformaram em espinhos.

3  3 – Os manguezais podem penetrar vários quilômetros no continente, seguindo o curso de rios, cujas águas se misturam com o mar durante as marés cheias.

4  4 – O cerrado – situado, por exemplo,em Minas Gerais– é um tipo de Savana, geralmente com árvores de troncos retorcidos.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

B

A

VFFVV

B

A

E

A

B

A

FVVFV

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

E

A

VFVFV

B

B

FFFFV

A

C

B

FVFVF

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

A

B

FFFFV

B

E

E

VVVFF

D

C

FVFVF

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

C

E

B

C

D

C

E

B

E

VFVVV

Publicado por: Djalma Santos | 1 de março de 2012

Testes de meiose (2/5)

01. (UESPI) A reprodução sexuada gera variabilidade genética dentre os seres vivos. Para tanto, durante a formação dos gametas sexuais, um processo de meiose forma células filhas com metade do número de cromossomos da célula mãe. Sobre este processo, ilustrado na figura abaixo, é correto afirmar que:

01

a) Em “1”, é mostrada a prófase I, onde a condensação dos cromossomos os torna visíveis ao microscópio ótico.

b) Na fase de diplóteno da Meiose I, os cromossomos homólogos iniciam sua separação, cujas cromátides se cruzam originando quiasmas.

c) Na anáfase I, os pares de cromossomos homólogos prendem-se ao fuso acromático dispondo-se na região equatorial da célula.

d) Na metáfase II, os microtúbulos do fuso acromático puxam as cromátides-irmãs para os polos opostos da célula.

e) Na telófase II, desaparecem os nucléolos e a célula se divide (citocinese II).

02. (OBJETIVO-SP) Suponha um ser vivo que contenha 4 cromossomos em suas células somáticas; algumas destas células encontram-se em mitose e outras, nas gônadas, em meiose.

02

As figuras 1, 2 e 3 representam, respectivamente:

a) Anáfase I da meiose, anáfase II da meiose, anáfase da mitose.

b) Anáfase da mitose, anáfase II da meiose, anáfase da meiose.

c) Anáfase I da mitose, anáfase II da mitose, anáfase da meiose.

d) Anáfase I da mitose, anáfase da mitose, anáfase II da meiose.

e) Anáfase II da meiose, anáfase I da meiose, anáfase da mitose.

03. (UFPR) Às vezes, pessoas são afetadas por anomalias cromossômicas numéricas que podem surgir de diversas causas. Em uma delas, a divisão meiótica anormal pode resultar na produção de gametas numericamente anormais. Estes, ao participarem de uma fecundação, originarão indivíduos com:

1. 47 cromossomos (2n+1 = trissomia).

2. 46 cromossomos (2n = diploides).

3. 23 cromossomos (n = haploides).

4. 45 cromossomos (2n-1 = monossomia).

Estão corretos os itens:

a) 1 e 2, apenas.

b) 1, 2 e 4, apenas.

c) 2 e 3, apenas.

d) 1 e 4, apenas.

e) 2, 3 e 4, apenas.

04. (UFMS) Os erros de replicação do DNA ocorrem antes mesmo da prófase. Na figura abaixo, estão representadas fases da divisão celular meiótica de uma planta.

04

  AMABIS e MARTHO. Biologia das Células. São Paulo: Moderna, 2006.

As letras B, D, G e H correspondem, respectivamente, às fases da meiose:

a) Metáfase I – telófase I – anáfase II – telófase II.

b) Anáfase I – metáfase II – telófase I – telófase II.

c) Metáfase I – telófase I – anáfase I – telófase I.

d) Anáfase I – metáfase I – anáfase I – anáfase II.

e) Metáfase II – telófase I – anáfase I – metáfase I.

05. (IFAL) O esquema abaixo representa uma das fases da divisão de uma célula de um organismo que tem n =2. A fase representada é a:

05

a) Prófase I da mitose.

b) Prófase I da meiose.

c) Metáfase I da mitose.

d) Metáfase I da meiose.

e) Metáfase II da meiose.

06. (UFSCar)Observe a figura abaixo, que representa uma célula germinativa em divisão celular.

06

Pode-se afirmar corretamente que a célula está em:

a) Anáfase I.

b) Anáfase II.

c) Metáfase I.

d) Metáfase II.

e) Prófase II.

07. (UFAM) Identifique o estágio meiótico representado em cada um dos seguintes diagramas de células isoladas de uma linhagem germinativa de um indivíduo com um par de cromossomos metacêntricos e um par de cromossomos submetacêntricos.

07

A afirmativa que contem a sequência correta é:

a) (1) anáfase I; (2) metáfase I; (3) prófase II ou final da telófase I; (4) anáfase II; (5) prófase I; (6) telófase II.

b) (1) anáfase II; (2) metáfase II; (3) telófase II; (4) anáfase II; (5) prófase I; (6) telófase I.

c) (1) anáfase II; (2) metáfase II; (3) prófase I ou final da telófase I; (4) prófase II; (5) prófase I; (6) telófase II.

d) (1) metáfase II; (2) anáfase II; (3) prófase II; (4) telófase II; (5) prófase I; (6) telófase I

e) (1) anáfase I; (2) metáfase I; (3) prófase II ou final da telófase I; (4) anáfase I; (5) prófase I; (6) telófase I.

08. (UFV) Qual destes eventos ocorre somente na meiose?

a) Formação de cromátides.

b) Formação de fuso.

c) Condensação de cromossomos.

d) Pareamento de cromossomos homólogos.

09. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA)A figura abaixo mostra célula animal em importante fase da sua divisão celular. Sobre essa fase pode-se afirmar que:

09

a) Através dela é gerada variabilidade genética na produção de esporos vegetais.

b) Ela é importante para o início da reprodução assexuada de microrganismos procariontes.

c) Devemos encontrar células nesta fase em nossa pele e em tecidos meristemáticos vegetais.

d) Ela corresponde a uma anáfase meiótica.

e) Ela é importante para o início da produção de gametas em vegetais.

10. (UNIMONTES) A meiose é a divisão celular que ocorre com o objetivo de formar gametas ou alguns tipos de esporos, havendo a redução do número de cromossomos à metade. Considerando uma célula humana em que o número de cromossomos da espécie é igual a 46, serão encontrados, na fase denominada de anáfase I:

a) 23 cromossomos duplos.

b) 46 cromossomos simples.

c) 46 cromossomos duplos.

d) 23 cromossomos simples.

11. (PUC-PR) Quando uma célula conclui a sua primeira divisão meiótica, resultam:

a) 2 células diploides.

b) 4 células diploides.

c) 4 células haploides.

d) 2 células haploides.

e) 2 células somáticas.

12. (UFV) Pareamento estrito dos cromossomos homólogos refere-se a:

a) Crossing-over.

b) Sinapse.

c) Permuta.

d) Quiasma.

13. Os esquemas a seguir resultam de observações realizadas ao microscópio, de células de certo órgão animal e mostram diferentes fases de um mesmo processo de divisão celular.

13

Com base nos esquemas acima e nos seus conhecimentos, podemos afirmar:

I   II

0  0 – Com certeza, trata-se de uma meiose.

1  1 – A sequência temporal correta das figuras representadas deve ser 3 2 4  1.

2  2 – O número cromossômico diploide da espécie considerada é igual a 6.

3  3 – A figura 1 é de uma célula (n=3) passando por uma anáfase mitótica.

4 4 – Um processo semelhante a esse, com as mesmas fases apresentadas, poderia estar ocorrendo no tecido ovariano de uma “mulher”.

14. (UFV) Uma célula com 10 pares de cromossomos sofre meiose. Quantas células serão geradas e quantos cromossomos existirão por célula?

a) 4 e 20.

b) 2 e 10.

c) 2 e 0.

d) 4 e 10.

15. A meiose caracteriza-se pela ocorrência de apenas uma duplicação do material genético para cada duas divisões nucleares, e é responsável pela formação de células haploides a partir de células diploides. Em relação a esse tipo de divisão celular assinale a alternativa correta.

a) O crossing-over ocorre na prófase da meiose I e caracteriza-se pela permuta entre os segmentos das cromátides irmãs do mesmo cromossomo.

b) A redução, pela metade, do número cromossômico confere à meiose II uma importância fundamental na manutenção do número constante de cromossomos da espécie.

c) A meiose sempre ocorre durante o processo de produção das células reprodutivas e possibilita o aumento da variabilidade genética dos seres vivos que a realizam.

d) A primeira divisão meiótica é equacional, enquanto a segunda é reducional, já que a partir delas são formadas duas células diploides e quatro células haploides, respectivamente.

e) Na metáfase I, os pares de cromossomos homólogos duplicados encontram-se na placa equatorial da célula.

16. (CESGRANRIO) No órgão reprodutor de um animal, há 1000 (mil) células, em cujos núcleos estão os cromossomos, como mostra o desenho a seguir:

16

Se em todas as células ocorrer crossingover entre os genes A e B, e se cada uma originar 4 (quatro) gametas, podemos afirmar que:

a) Todos os gametas formados conterão as combinações resultantes crossing.

b) A proporção de gametas com as formas não crossing seria maior do que a de gametas com as formas crossing.

c) A ocorrência do crossing não altera a sequência dos genes nos cromossomos, porque só as cromátides irmãs são envolvidas.

d) As proporções entre os tipos de gametas seriam iguais às que ocorrem quando os genes estão em cromossomos diferentes.

e) Não é possível calcular essas proporções, porque os gametas recebem cromossomos ao acaso.

17. (UFV) Considere uma célula de um organismo diploideem metáfase II. Existemquantos alelos de um loco gênico autossômico?

a) 1.

b) 2.

c) 3.

d) 4.

18. (PUC-SP) Certa espécie animal tem número de cromossomos igual a 8 (2n=8). Uma célula de um indivíduo dessa espécie encontra-se em divisão e apresenta 4 cromossomos simples sendo puxado par cada polo. A partir dessa informação, pode-se afirmar que a referida célula se encontra:

a) Na metáfase da mitose.

b) Na anáfase da mitose.

c) Na metáfase da 1ª divisão da meiose.

d) Na anáfase da 1ª divisão da meiose.

e) Na anáfase da 2ª divisão da meiose.

19. (UER) Pela análise dos cromossomos, é possível detectar a anomalia que caracteriza a síndrome de Down. O esquema a seguir apresenta quatro eventos da divisão celular.

19

Os eventos possíveis da meiose que levam à síndrome de Down são os de número:

a) 1 e 4.

b) 1 e 3.

c) 2 e 3.

d) 2 e 4.

20. (UFV) Fase da divisão celular na qual é possível observar a sinapse (pareamento de cromossomos homólogos), quando são realizadas observações importantes no estudo das aberrações cromossômicas:

a) Prófase.

b) Metáfase.

c) Prófase II.

d) Prófase I.

21. (UFRN)                                     CAROS CANDIDATOS

Vocês estão convidados a fazer um passeio numa área de Mata Atlântica, onde verão um maravilhoso ecossistema. Nesse passeio, vocês estarão em contato com a natureza, verão de perto a diversidade da fauna e da flora, compreenderão como as espécies se inter-relacionam, se reproduzem e como se dão alguns fenômenos biológicos nos seres que vivem ali e até naqueles que visitam esse ambiente. Vocês terão a oportunidade de verificar de que maneira o homem pode interferir nesse meio, alterando-o, e quais as consequências disso. Também serão convocados a responder a questões básicas no campo da Biologia. Para tanto, contarão com a companhia de Ribossomildo, um experiente pesquisador, que lhes servirá de guia. Ele dispõe de material para ilustrar, quando necessário, essa atividade de campo. Fiquem tranquilos: vocês estão preparados, e o passeio será muito proveitoso, pois Ribossomildo só lhes dará informações cientificamente corretas. Vamos lá?!!!

Como você já devem ter percebido, é grande a variabilidade de espécies, comportamentos, e adaptações na Mata Atlântica. Essa variabilidade fenotípica está relacionada à constituição genética do indivíduo e pode ser observada até dentro da mesma espécie. Segundo Ribossomildo, etapas da divisão celular como as representadas nas figuras abaixo justificam essa variabilidade.

21

Marque a opção em que se relaciona adequadamente a figura ao evento biológico.

a) Na figura I, a segregação independente dos cromossomos contribui para o aumento da diversidade dos gametas.

b) Na figura II, a formação de quiasma eleva a probabilidade de ocorrência de mutação dos genes.

c) Na figura I, a migração das cromátides-irmãs para polos opostos eleva a recombinação gênica.

d) Na figura II, a permutação entre cromossomos heterólogos aumenta a variabilidade genética.

22. (UPE) Relacione os itens da coluna I com os da coluna II. Em seguida, marque a alternativa que indica a sequência correta.

COLUNA I

1. Prófase I

2. Metáfase I

3. Anáfase I

4. Anáfase II

5. Telófase II

COLUNA II

(   ) Divisão do citoplasma.

(   ) Terminalização do quiasma.

(   ) Quiasma.

(   ) Migração dos cromossomos homólogos.

(   ) Crossing-over.

(   ) Divisão longitudinal dos centrômeros.

(   ) Migração dos cromossomos irmãos.

(   ) Sinapse.

a) 5, 2, 2, 4, 4, 1, 3, 1.

b) 4, 2, 1, 3, 1, 2, 1, 1.

c) 3, 1, 1, 3, 2, 4, 4, 2.

d) 3, 1, 2, 2, 3, 4, 2, 1.

e) 5, 1, 1, 3, 1, 4, 4, 1.

23. Considere os seguintes eventos:

I. Permutação ou “crossing-over”.

II. Disjunção de cromátides irmãs.

III. Pareamento de cromossomos homólogos.

IV. Disjunção de cromossomos homólogos.

A ordem em que esses eventos ocorrem no processo meiótico é.

a) I   II    III   IV.

b) II   I   III   IV.

c) III   I   IV   II.

d) III   IV   I   II.

e) IV III → II I.

24. (MACK) A figura a seguir representa ………, que ocorre na ……… e tem como consequência ……… .

24

A alternativa que preenche correta e respectivamente os espaços anteriores é:

a) o crossing-over; metáfase da mitose; a variabilidade genética.

b) o pareamento de cromátides-irmãs; anáfase I da meiose; a troca de genes alelos.

c) o crossing-over; prófase I da meiose; a variabilidade genética.

d) o segregação de cromossomos homólogos; anáfase I da meiose; a formação de células haploides.

e) o pareamento de cromossomos homólogos; metáfase da mitose; a formação de gametas.

25. (UNIOESTE) Com relação ao processo denominado permutação ou crossing over, é correto afirmar:

I   II

0  0 – É o processo responsável pela variabilidade genética entre organismos de uma mesma espécie.

1  1 – É o pareamento de cromossomos homólogos de modo a se tornarem bivalentes.

2  2 – É um processo que ocorre necessariamente durante a mitose.

3  3 – É o processo que origina novos arranjos gênicos resultantes de trocas de fragmentos de cromátides homólogas.

4  4 – É o processo de duplicação dos cromossomos para garantir a manutenção da espécie.

26. (PUC-RS) As ilustrações abaixo representam duas células durante a divisão celular de um organismo com número diploide de cromossomos igual a oito (2n = 8).

26

Ao analisar ambas as células, conclui-se que as células A e B se encontram, respectivamente, na anáfase da:

a) Meiose I e meiose II.

b) Meiose I e mitose.

c) Mitose e meiose I.

d) Mitose e meiose II.

e) Meiose II e mitose.

27. (UEL) Numa dada fase de um processo de divisão celular, os cromossomos homólogos migram para polos opostos da célula. Essa fase é a:

a) Metáfase da mitose.

b) Anáfase da mitose.

c) Metáfase da meiose I.

d) Anáfase da meiose I.

e) Anáfase da meiose II.

28. (PUCCAMP) Um organismo tem constituição cromossômica em suas células somáticas mostrada à esquerda na figura adiante.

28

Nesse organismo, os conjuntos de cromossomos nas células resultantes da primeira e da segunda divisão meiótica estão representados, respectivamente, em:

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

29. (PUC-MG) Uma espécie de pernilongo possui 2n = 6 cromossomos. A seguir estão representados fenômenos meióticos pelos quais passam as células gaméticas desse pernilongo.

29

Marque a alternativa que contém a sequência correta dos eventos meióticos.

a) A, B, C, D, E.

b) E, A, D, C, B.

c) C, E, A, D, B.

d) B, D, A, C, E.

e) D, A, C, E, B.

30.  Qual dos seguintes processos ocorre exclusivamente na meiose?

a) Divisão do centrômero.

b) Duplicação dos cromossomos.

c) Migração dos cromossomos.

d) Pareamento dos cromossomos.

e) Espiralização dos cromossomos.

31. As fases da prófase da primeira divisão meiótica, em sequência correta, são:

a) Paquíteno, leptóteno, diplóteno, zigóteno, diacinese.

b) Paquíteno, diacinese, leptóteno, zigóteno, diplóteno.

c) Leptóteno, zigóteno, paquíteno, diplóteno, diacinese.

d) Leptóteno, paquíteno, zigóteno, diacinese, diplóteno.

e) Diacinese, zigóteno, leptóteno, paquíteno, diplóteno.

32. (FAAP) No processo de meiose há um fenômeno importante e responsável pela evolução das espécies com reprodução sexuada. O nome do processo e a fase em que ocorre:

a) É o crossing-over e a fase é a prófase I.

b) É o crossing-over e a fase é a prófase II.

c) É a mutação e a fase é a metáfase I.

d) É a mutação e a fase é a metáfase II.

e) Recombinação genética e a fase é a anáfase I.

33. (COVEST) Tratando-se de meiose, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – A prófase da divisão I é longa e dividida em subfases, o mesmo ocorrendo com a prófase da divisão II.

1  1 – Durante a prófase da divisão II, ocorre o “crossing-over”, com trocas de alelos entre cromossomos homólogos.

2  2 – Durante a anáfase I, ocorre a separação das cromátides irmãs para os polos opostos da célula e, na anáfase II, a separação dos cromossomos homólogos.

3  3 – Na anáfase I, ocorre a separação dos cromossomos homólogos para os polos opostos da célula e, na anáfase II, a separação de cromátides irmãs.

4  4 – O pareamento dos cromossomos homólogos sempre ocorre no início da divisão II da meiose.

34. (UFGO) Relacione as subfases meióticas (coluna I) com os respectivos fenômenos (coluna II).

COLUNA I

FASES

COLUNA II

FENÔMENOS

1. Zigóteno ( ) Migração dos cromossomos homólogos para os polos
2. Paquíteno ( ) Pareamento dos homólogos
3. Diplóteno ( ) Migração dos cromossomos irmãos para os polos
4. Anáfase I ( ) Visualização dos quiasmas

5. Anáfase II

( ) Ocorrência do crossing-over ou permuta entre cromátides homólogas

A sequência correta, de cima para baixo, na coluna II é:

a) 4, 1, 2, 3, 5.

b) 4, 1, 5, 2, 3.

c) 4, 1, 5, 3, 2.

d) 4, 1, 3, 2, 5.

e) 4, 2, 5, 1, 3.

35. (FUVEST) Os produtos imediato da meiose de uma abelha e de uma samambaia são:

a) Esporos e gametas, respectivamente.

b) Gametas e esporos, respectivamente.

c) Gametas e zigotos, respectivamente.

d) Esporos em ambos os casos.

e) Gametas em ambos os casos.

36. (UCDB-MT) Na meiose, durante o crossing-over, ocorre(m):

a) Perda de parte dos cromossomos.

b) Duplicação do número de cromossomos que se tornam poliploide.

c) Trocas de partes entre cromossomos homólogos.

d) Fusão de material proveniente de espécies diferentes.

e) Formação da parede celular.

37. (MACK)

I. A ocorrência de crossing-over durante a meiose I é um dos principais fatores responsáveis pela variabilidade genética em uma espécie.

II. O crossing-over ocorre na prófase I, após o pareamento dos cromossomos homólogos.

III. Os centrômeros representam os locais onde houve a quebra e troca de fragmentos de cromossomos.

IV. Em condições normais, não há separação de cromátides-irmãs durante a meiose I.

Estão corretas apenas as afirmações:

a) I, II e IV.

b) I e IV.

c) II, III e IV.

d) II e III.

e) I, II e III.

38. (PUC-RS) Responda esta questão com base nas afirmativas sobre a divisão celular.

I. Quando fazemos um corte no dedo, a cicatrização envolve um processo de divisão celular denominado meiose.

II. Durante a meiose ocorre um evento chamado permuta ou crossing-over, que recombina partes dos cromossomos homólogos.

III. A meiose é uma divisão celular que ocorre em órgãos especiais, como os ovários, na qual se formam quatro células a partir de uma célula-mãe.

IV. Prófase, metáfase, anáfase e telófase são fases da mitose.

Pela análise das afirmativas, está correta a alternativa:

a) I e III.

b) I e IV.

c) I, II e IV.

d) II, III e IV.

e) II e IV.

39. (UFPA) Em um organismo com 2n =4, afigura abaixo significa:

39

a) Paráfase.

b) Metáfase da mitose.

c) Anáfase.

d) Metáfase I da meiose.

e) Metáfase II da meiose.

40. Na anáfase I, os cromossomos que migram para os polos opostos da célula são:

a) Homólogos, cada um com duas cromátides.

b) Irmãos, cada um com duas cromátides.

c) Irmãos, cada um com uma cromátide.

d) Homólogos, cada um com uma cromátide.

e) Homólogos, sem cromátides.

41. Um pesquisador fez o seguinte desenho de uma célula observada ao microscópio óptico. Pode tratar-se de uma célula de:

41

a) Ovário.

b) Sangue.

c) Linfa.

d) Medula óssea.

e) Pele.

42. (UFMG) Consideremos a segregação de dois pares de alelos AB/ab durante a meiose. Supondo-se que não houve crossing-over entre os dois cromossomos, os gametas formados são:

a) 50% Ab; 50% Ba.

b) 25% A; 25% B; 25% a; 25% b.

c) 100% AaBb.

d) 50% AB; 50% ab.

e) 50% Aa; 50% Bb.

43. (CESGRANRIO) Considerando-se células da linhagem germinativa de um indivíduo que possui dois pares de cromossomos assinale a alternativa que representa a anáfase da segunda divisão meiótica.

43

 44. (FUVEST) Considerando as figuras abaixo que representam um grupo de células do mesmo tecido em processo de divisão, assinale a alternativa correta.

44

a) As células estão em processo de mitose.

b) A figura 1 está representando a anáfase da mitose.

c) A sequência de números que indica a ordem em que acontecem as etapas sucessivas no processo da divisão é 34125.

d) Na figura 4 observa-se o crossing-over em que cromátides homólogas trocam segmentos entre si, produzindo recombinações gênicas.

e) A figura 5 mostra a separação de cromossomos homólogos, consequência da duplicação dos centrômeros.

45. (UFSC) A meiose caracteriza-se pela ocorrência de apenas uma duplicação do material genético para cada duas divisões nucleares, e é responsável pela formação de células haploides a partir de células diploides. Em relação a esse tipo de divisão celular, assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

I   II

0   0 – A meiose ocorre durante o processo de produção das células reprodutivas e possibilita o aumento da variabilidade genética dos seres vivos que a realizam.

1  1 – Na anáfase I, ocorre a separação dos pares de homólogos, havendo a migração polar dos cromossomos duplicados.

2  2 -Na metáfase I, os pares de cromossomos homólogos duplicados encontram-se na placa equatorial da célula.

3  3 – A primeira divisão meiótica é reducional, enquanto a segunda é equacional, já que a partir delas são formadas duas células diploides e quatro células haploides, respectivamente.

4   4 – As anáfases I e II são semelhantes entre si, à medida que os centrômeros se dividem, e as cromátides de cada díade migram para os polos da célula.

46. (COVEST) Observe as figuras abaixo, relativas aos processos mitótico e meiótico de divisão celular, analise as alternativas apresentadas e assinale a correta.

46

a) Tanto na mitose quanto na meiose, a célula duplicará o seu material genéticoem interfase. Issoocorre apenas uma vez em cada divisão mitótica e duas vezes na meiótica.

b) O fenômeno da recombinação genética, típico da meiose, ocorre na 2a divisão celular, quando são formadas quatro células gaméticas.

c) As células produzidas em A apresentarão maior variabilidade genética do que as produzidas em B, devido ao fato de conservarem toda a variabilidade contida na célula da qual se originaram.

d) O pareamento de cromossomos homólogos e a recombinação genética ocorrem na prófase da 1a divisão meiótica.

e) Embora seja um evento menos frequente, a recombinação genética pode ocorrer na mitose (A) e na interfase da meiose (B).

47. (FEEQ-CE) As afirmativas abaixo estão relacionadas com os processos de mitose e meiose:

I. A meiose ocorre em dois estágios que implicam duas divisões sucessivas e resultam em quatro núcleos novos em vez de dois.

II. Enquanto a mitose produz dois núcleos, que são idênticos entre si e idênticos ao núcleo inicial, a meiose resulta em quatro, que são necessariamente idênticos entre si.

III. No início da meiose (e não na mitose), os cromossomos se dispõem em pares homólogos.

Assinale:

a) Se somente II é correta.

b) Se somente I é correta.

c) Se somente II e III são corretas.

d) Se I, II e III são corretas.

d) Se somente I e III são corretas.

48. (UPE) As figura abaixo são de divisão celular (2n = 4).

48

I. A representa a metáfase da mitose, onde se observa os cromossomos arrumados na placa equatorial.

II. B representa a anáfase I da meiose, onde os cromossomos homólogos estão migrando para os polos opostos da célula.

III. C indica a metáfase I da meiose e veja que os cromossomos estão no seu máximo de condensação.

IV. D é a anáfase II da meiose, nela observam-se as cromátides migrando para os polos opostos da célula.

V. As figura B e D são da mitose e as A e C são da meiose.

Sobre elas, assinale a alternativa correta:

a) I, II e III.

b) II e IV.

c) II, IV e V.

d) III e IV.

e) IV e V.

49. (UFSM) A figura abaixo representa a:

49

(AMABIS e MARTHO. Fundamentos da Biologia Moderna. São Paulo: Moderna, 1997. p. 499)

a) Mitose e explica a separação dos cromossomos durante a divisão.

b) Meiose e explica a segregação independente dos genes previstos pela segunda lei de Mendel.

c) Mitose e explica a segregação dos genes demonstrando a dominância e a recessividade.

d) Meiose, que é um processo de formação de gametas, mas que não tem nenhuma relação com as leis de Mendel.

e) Mitose, que é um processo de divisão celular mas que não tem nenhuma relação com as leis de Mendel.

50. (UNIRIO) Suponha que 100 células germinativas entram em meiose e que essas células tenham o seguinte genótipo:

50

Quantos gametas recombinantes serão formados se 20 das 100 células apresentarem permutação na meiose?

a) 20.

b) 40.

c) 80.

d) 160.

e) 180.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

B

E

D

A

D

B

A

D

A

C

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

D

B

VVVFF

D

E

D

B

E

C

D

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

A

E

C

C

VFFVF

A

D

D

B

D

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

C

A

FFFVF

C

B

C

A

D

D

A

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

A

D

D

C

VVVFF

D

D

B

B

B

Publicado por: Djalma Santos | 24 de fevereiro de 2012

Testes sobre a origem da vida (3/3)

01. (UFSC) Evidências indicam que a Terra tem aproximadamente 4,5 bilhões de anos de idade. A partir de sua formação até o aparecimento de condições propícias ao desenvolvimento de formas vivas, milhões de anos se passaram. Sobre a origem da vida e suas hipóteses, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

I   II

0  0 – O aparecimento da fotossíntese foi muito importante, pois através deste fenômeno alguns seres vivos passaram a ter capacidade de formar moléculas energéticas.

1  1 – Segundo a hipótese heterotrófica, os primeiros seres vivos obtinham energia através de processos químicos bem simples como a respiração aeróbica.

2  2 – Os processos químicos nos seres vivos ocorrem dentro de compartimentos isolados do meio externo, em função da existência de uma membrana citoplasmática.

3  3 – Em 1953, Stanley L. Miller, simulando as prováveis condições ambientais da Terra no passado, comprovou a possibilidade da formação de moléculas complexas como proteínas e glicídios.

4  4 – A capacidade de duplicar moléculas orgânicas foi uma etapa crucial na origem dos seres vivos.

02. (UESPI) O planeta abriga uma imensa diversidade biológica, cuja origem possivelmente ocorreu em lagos e oceanos na Terra primitiva. Considerando que a formação de coacervados, ilustrada abaixo, poderia fornecer uma explicação para o surgimento da vida, há bilhões de anos atrás, analise as afirmativas abaixo.

02

1. Caso houvesse disponibilidade de metano, amônia, hidrogênio e água na atmosfera da Terra primitiva, tais compostos seriam prováveis fontes de aminoácidos necessários à formação de coacervados.

2. Os coacervados eram células eucariontes primitivas envoltas por uma película de água e com funções básicas intracelulares, como absorção e excreção.

3. Nos coacervados, as reações químicas eram promovidas com energia de ativação fornecida pela radiação solar e pelas descargas elétricas.

Está(ão) correta(s) apenas:

a) 1 e 2.

b) 1 e 3.

c) 1.

d) 2.

e) 2 e 3.

03. (UNICENTRO) Até meados do século XVII, a maioria das pessoas acreditava que uma entidade divina havia criado intencionalmente os seres humanos e os animais mamíferos. Admitia-se também que seres considerados mais simples, como moscas, sapos, peixes e vermes, entre outros, podiam ser gerados espontaneamente a partir da matéria sem vida, ou mesmo pela transformação de outros seres vivos.

                                                        (AMABIS & MARTHO, 2008, p. 11).

Relacionado às Teorias de Origem da vida e as descobertas que as refutaram, é correto afirmar:

a) A Hipótese da Panspermia ditava que os seres vivos originaram-se de substâncias inorgânicas precursoras, provenientes do centro do planeta Terra.

b) O surgimento dos microrganismos sobre a matéria orgânica em decomposição era perfeitamente explicado pela teoria da abiogênese.

c) As descobertas atuais evidenciam que a vida se originou a partir de uma evolução química em que compostos inorgânicos se combinaram originando moléculas orgânicas.

d) Um dos principais experimentos científicos sobre a origem dos seres vivos validou o surgimento espontâneo de larvas de vermes sob a carne em putrefação.

e) A hipótese autotrófica resultou da análise de uma lenta e gradual modificação de moléculas orgânicas que interagiriam, originando as unidades básicas de formação do seres vivos.

04. (UPE) Como surgiu a vida? Essa pergunta sempre inquietou os seres humanos e, para ela, há algumas respostas. As figuras ilustram algumas dessas ideias. Observe-as.

04

Assinale a alternativa que contém a associação correta das figuras com as hipóteses e sua descrição.

a) A I 1/ B II 2/ C III 3.

b) A III 2 / B I 3 / C II 1.

c) A II 3 / B I 2 / C III 1.

d) A II 1 / B III 2 / C I 3.

e) A I 3 / B III 1 / C II 2.

05. (UECE) Baseado na teoria da evolução química podemos afirmar corretamente que, dentre os requisitos básicos para a formação dos seres vivos, a Terra já apresentava há mais de 3,5 bilhões de anos atmosfera:

a) Oxidante, com o oxigênio livre proveniente da atividade das cianobactérias.

b) Redutora, semelhante às de Vênus e de Marte, com mais de 90% de gás carbônico.

c) Redutora, com carbono, oxigênio, hidrogênio e nitrogênio presentes, principalmente, no metano, no vapor d’água e na amônia.

d) Oxidante, já que há indícios que comprovam que todo o ferro existente na crosta terrestre encontrava-se em estado férrico.

06.  (UEFS) A busca de evidências da existência de vida em outros planetas conduz o ser humano à análise das condições iniciais no planeta Terra. Diante dos conhecimentos atuais, propostos por Oparin e Haldane e relacionados à primeira forma de vida existente na Terra e às condições da sua atmosfera primitiva, pode-se inferir que os primeiros seres vivos possuíam modo de vida:

a) Autotrófico, habitando uma atmosfera redutora diferente da atmosfera atual.

b) Autotrófico, sobrevivendo em uma atmosfera rica em gases complexos, tais como metano e gás carbônico.

c) Heterotrófico anaeróbico, habitando uma atmosfera redutora, possivelmente devido à combinação do oxigênio com outros elementos químicos, formando determinados compostos.

d) Heterotrófico anaeróbico, habitando uma atmosfera oxidante, semelhante às condições atuais da atmosfera terrestre.

e) Heterotrófico aeróbico, sobrevivendo em uma atmosfera altamente oxidante.

07. (PUC-CAMPINAS)

Atenção: Para responder esta questão considere o texto apresentado abaixo.

Cientistas sabem da existência de fontes termais submarinas desde a década de 70. Os sistemas conhecidos como chaminés negras, ou fumarolas, são os mais comuns. (…) Nessas chaminés, a água pode atingir temperaturas superiores a 400oC, devido à proximidade de rochas magmáticas. Com pH semelhante ao do suco de limão, ela libera sulfetos, ferro, cobre e zinco, à medida que se infiltra nas rochas vulcânicas abaixo do solo marinho. Quando

esse fluido ebuliente e ácido sobe novamente à superfície, é expelido pelas chaminés na água gelada das profundezas do mar, onde os sulfetos de metal dissolvidos resfriam rapidamente e precipitam, produzindo uma mistura escura, parecida com nuvens de fumaça negra. (…) Apesar da agressiva composição química da água ao seu redor, há uma profusão de animais exóticos, como os gigantescos vermes tubiformes (Riftia), desprovidos de boca e intestinos. Essas criaturas florescem graças a uma associação simbiótica com bactérias internas, que consomem o venenoso gás sulfeto de hidrogênio que emana dos orifícios.

                    (Revista Scientific American Brasil, janeiro de 2010, p. 42)

As fontes termais submarinas constituem um ambiente favorável para o estudo da origem da vida em nosso planeta.

I. Para alguns pesquisadores, essas condições se assemelham ao ambiente inicial, que foi favorável à formação e integridade de moléculas orgânicas, e que existiu nos primórdios da evolução biológica.

II. Para outros pesquisadores, a água rica em gás sulfeto de hidrogênio seria uma fonte de nutrientes e energia para que os primeiros organismos produzissem seu alimento.

As informações acima estão relacionadas com duas hipóteses distintas sobre a origem da vida. Sobre isso, assinale a alternativa correta.

a) I refere-se à hipótese autotrófica, segundo a qual organismos fotossintetizantes convertiam H2O e CO2 em compostos orgânicos mais complexos e ricos em energia química.

b) II refere-se à hipótese heterotrófica, segundo a qual os primeiros organismos se alimentavam de compostos orgânicos formados de forma abiótica a partir de compostos simples.

c) I está relacionado à panspermia, hipótese segundo a qual a vida teria surgido fora do planeta e semeada aqui por meteoritos vindos do espaço sideral.

d) II relaciona-se a hipótese autotrófica, segundo a qual organismos quimiossintetizantes produzem alimento com energia obtida por reações químicas inorgânicas.

e) I está associado à hipótese simbiótica segundo a qual organismos eucarióticos primitivos incorporaram bactérias que passaram a funcionar como mitocôndrias e cloroplastos.

08. (UPE) A teoria da abiogênese foi contestada por diversos cientistas, que, por meio de experimentos, validaram a teoria da biogênese, em que um ser vivo se origina, apenas, de outro ser vivo. A coluna 2 relaciona os pesquisadores das duas correntes de pensamento, e a coluna 1, os experimentos. Enumere a 2ª coluna de acordo com a .

2ª COLUNA

1. Jan Baptist van Helmont

2. Francesco Redi

3. John T. Needham

4. Lazzaro Spallanzani

5. Louis Pasteur

1ª COLUNA

( ) Surgimento de microrganismos – distribuiu caldo nutritivo em  balões de vidro “pescoço de cisne”, submetendo-os à fervura e à esterilização. Após alguns dias, o caldo nutritivo estava livre de micróbios, mas, se o gargalo é quebrado, surgem microrganismos no caldo.

( ) Surgimento de microrganismos – distribuiu caldo nutritivo  fervido por 30 minutos, em diversos frascos e vedou com  rolhas de cortiça. Após alguns dias, os caldos estavam cheios de micróbios.

( ) Aparecimento de vermes – depositou animais mortos em dois frascos de boca larga; um tampado com gaze e outro aberto. No frasco vedado, não surgiram vermes.

( ) Surgimento de microrganismos – distribuiu caldo nutritivo em balões de vidro, fechando-os hermeticamente e submetendo-os à fervura por 1 hora. Após alguns dias, ao se abrirem os frascos e se observar o caldo ao microscópio, não havia microrganismos.

( ) Produção de ratos – colocou camisa suja misturada com grãos de trigo em local sossegado e pouco iluminado. Em vinte e um dias, surgiram ratos.

Marque a alternativa que apresenta a sequência correta.

a) 1, 2, 3, 4, 5.

b) 2, 1, 3, 5, 4.

c) 3, 1, 5, 4, 2.

d) 4, 5, 2, 1, 3.

e) 5, 3, 2, 4, 1.

09. (UECE) Precedendo a origem da vida, formaram-se os sistemas moleculares orgânicos que possibilitaram reunir principalmente nos seres vivos 4 (quatro) elementos químicos. Esses elementos são:

a) Carbono, oxigênio, nitrogênio e cálcio.

b) Oxigênio, hidrogênio, fósforo e enxofre.

c) Carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio.

d) Oxigênio, cálcio, fósforo e enxofre.

10. (UFMS) O cérebro humano evoluiu e, ainda nos primórdios da civilização, nossos hipotéticos ancestrais já poderiam viver, como certos microrganismos quimiolitoautotróficos atuais, ao redor de fendas vulcânicas submersas, onde há liberação contínua de gás sulfídrico (H2S). Segundo a hipótese autotrófica, os outros tipos de seres vivos teriam se originado a partir dos primeiros seres quimiolitoautotróficos, na seguinte ordem:

a) Primeiro, os que realizavam fermentação; depois, os fotossintetizantes; por fim, os que respiravam oxigênio (aeróbios).

b) Primeiro, os fotossintetizantes; depois, os que realizavam fermentação; por fim, os que respiravam oxigênio (aeróbios).

c) Primeiro, os fotossintetizantes; depois, os que respiravam oxigênio (aeróbios); por fim, os que realizavam fermentação.

d) Primeiro,os que respiravam oxigênio (aeróbios); depois, os que realizavam fermentação; por fim, os fotossintetizantes.

e) Primeiro, os que respiravam oxigênio (aeróbios); depois, os fotossintetizantes; por fim, os que realizavam fermentação.

11. (UFSC) “O russo Alexandr I. Oparin, em 1936, propôs um modelo de como a vida poderia ter surgido. É interessante notar que, naquela época, não se conhecia ainda a relação entre os ácidos nucleicos e o material genético.”

Assinale a(s) alternativa(s) que corresponde(m) à(s) ideia(s) de Oparin.

I   II

0  0 – A terra tem mais de 4,5 bilhões de anos.

1  1 – A atmosfera primitiva tinha uma composição muito semelhante à atual.

2 2 – O calor das rochas fazia com que as substâncias reagissem entre si, possibilitando a formação de moléculas pequenas.

3 3 – Os coacervatos eram grupos de moléculas orgânicas unidas e tinham certa estabilidade.

4  4 – Os coacervatos foram os primeiros seres vivos primitivos.

12. (UEFS) A vida como a conhecemos é extremamente diversificada e adaptável, permitindo que organismos existam em alguns dos lugares mais inóspitos do planeta. Mas a “vida” tende a se basear em uma matriz, recombinando seis elementos básicos e deixando aberta a possibilidade de outras combinações que compõem tipos totalmente diferentes de atividades biológicas. A vida como a conhecemos pode não ser tudo o que existe, tanto para a biologia terrestre quanto extraterrestre. Essa possibilidade parece agora mais promissora à luz de um novo estudo sobre uma bactéria isolada do lago Mono, na Califórnia, que usa arsênio, geralmente venenoso à vida, como um dos seus principais nutrientes. (A VIDA como…, 2010).

O estudo realizado por cientistas americanos modificou a compreensão sobre a origem de vida na Terra, devido:

a) À substituição do carbono pelo arsênio para formação das moléculas orgânicas essenciais à vida, tais como açúcares e lipídios.

b) À incorporação do arsênio às biomoléculas do microrganismo analisado, substituindo o fósforo na composição da molécula de DNA.

c) À utilização de um elemento químico tóxico para sobrevivência celular, sendo essa via metabólica apenas compatível com formas de vida extraterrestre descobertas no planeta Marte.

d) Ao armazenamento de arsênio em vesículas intracelulares, servindo, assim, como elemento químico capaz de fornecer energia independentemente das condições nutricionais do meio ambiente.

e) Ao fortalecimento da hipótese de que os organismos descendem de um mesmo ancestral que possuía capacidade de internalização de arsênio.

13. (UECE) Podemos afirmar corretamente que os aglomerados de proteínas que se formam espontaneamente em soluções aquosas com certo grau de acidez e salinidade e que inspiraram Oparin a formular sua teoria para a origem da vida estão reunidos em:

a) Coacervados.

b) Micoplasmas.

c) Microsferas.

d) Arqueobactérias.

14.  (UFPI) Dentre as várias hipóteses formuladas para explicar a origem da vida na Terra, uma delas é a hipótese heterotrófica, proposta pelo bioquímico russo A. I. Oparin, em 1938, que tenta explicar o surgimento da vida como uma evolução dos processos bioquímicos com o surgimento e a evolução dos organismos responsáveis por estes processos. Os três principais processos bioquímicos estão enumerados a seguir:

1. Respiração aeróbica.

2. Fotossíntese.

3. Fermentação.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta de surgimento desses processos, de acordo com a hipótese heterotrófica.

a) 1, 2, 3.

b) 2, 1, 3.

c) 3, 1, 2.

d) 1, 3, 2.

e) 3, 2, 1.

15. (URCA) Quanto à hipótese sobre a origem da vida, o meio científico “aceita” que:

a) A atmosfera primitiva era composta por gás butano.

b) Os primeiros seres vivos eram formados apenas por água e sais minerais.

c) Os heterótrofos foram os primeiros seres a colonizarem os mares.

d) As “algas azuis” foram os primeiros seres a existirem no planeta.

16. (UFLA) O surgimento de organismos autótrofos na Terra não apenas propiciou a produção de moléculas orgânicas complexas a partir de moléculas simples, como também gerou uma condição ambiental imprescindível para o aparecimento de seres vivos mais eficientes no que diz respeito à obtenção de energia. O novo tipo de ser vivo e a condição criada são, respectivamente:

a) Heterótrofo aeróbico e diminuição dos níveis de gás carbônico na atmosfera.

b) Heterótrofo aeróbico e aumento dos níveis de oxigênio na atmosfera.

c) Heterótrofo anaeróbico e diminuição dos níveis de oxigênio na atmosfera.

d) Heterótrofo anaeróbico e aumento dos níveis de gás carbônico na atmosfera.

e) Heterótrofo anaeróbico e aumento dos níveis de matéria orgânica.

17. (UPE) No planeta Terra, há aproximadamente quatro bilhões de anos, gerou-se a vida atendendo a seu imperativo autopoético em um universo que obedecia a leis termodinâmicas. A origem da vida se baseia em diferentes hipóteses. Assinale a afirmativa que correlaciona adequadamente a teoria relativa à origem dos seres vivos ao exemplo correspondente.

a) Teoria da Abiogênese – no século V a.C., o cientista grego Anaxágoras lançou a ideia de que a vida, dispersa sob a forma de sementes por todo o universo, havia pousado na Terra.

b) Teoria do Big Bang – “Ser uma entidade distinta do ambiente exige uma barreira à difusão livre. A necessidade de isolar um subsistema termodinamicamente é uma condição irredutível da vida. É o fechamento de uma membrana anfifílica de duas camadas, sob a forma de uma vesícula, que representa a transição clara da não vida para a vida.” (Harold Morowitz)

c) Teoria da Biogênese – os seres vivos se originam a partir de outro pré-existente, sendo assim não podem surgir por outros mecanismos que não a reprodução. Assim Lewis Thomas destaca “O aparecimento dessas células, foi um grande acontecimento da evolução planetária, e levou diretamente, linhagem por linhagem, a nosso eu complexo, com o cérebro e tudo o mais.”

d) Teoria do Mundo de RNA – “Quando se espreme uma roupa de baixo suja, um fermento drenado da roupa e transformado pelo cheiro do cereal reveste o próprio trigo com sua pele e o transforma em camundongos.” (Jan Baptiste Van Helmont)

e) Teoria da Panspermia – segundo Gilbert, a reprodução e o metabolismo das primeiras formas de vida dependiam das atividades catalíticas e replicativas do RNA, e que tanto o DNA quanto as proteínas teriam assumido suas funções atuais posteriormente.

18. (UNICENTRO) Segundo a teoria de Oparin, a vida na Terra poderia ter sido originada a partir de substâncias orgânicas formadas pela combinação de moléculas, como metano, amônio, hidrogênio e vapor de água, que compunham a atmosfera primitiva da Terra. A esse processo seguiram-se a síntese proteica nos mares primitivos, a formação dos coacervados e o surgimento das primeiras células. Considerando-se os processos de formação e as formas de utilização dos gases oxigênio e dióxido de carbono, a sequência mais provável dos primeiros seres vivos na Terra foi:

a) Autotróficos, heterotróficos anaeróbicos e heterotróficos aeróbicos.

b) Heterotróficos anaeróbicos, heterotróficos aeróbicos e autotróficos.

c) Autotróficos, heterotróficos aeróbicos, heterotróficos anaeróbicos.

d) Heterotróficos anaeróbicos, autotróficos, heterotróficos aeróbicos.

e) Heterotróficos aeróbicos, autotróficos, heterotróficos anaeróbicos.

19. (UFERSA) Qual das afirmativas está incorreta?

a) A vida surgiu a partir de matéria inerte.

b) O resíduo da fotossíntese (O2) mudou radicalmente a atmosfera da Terra.

c) A multicelularidade permitiu a especialização das células.

d) A reprodução sexuada reduziu a adaptação dos organismos.

20. (UFPA) Em 1953, Miller submeteu à ação de descargas elétricas de alta voltagem uma mistura de vapor de água, amônia, metano e hidrogênio. Obteve, como resultado, entre outros compostos, os aminoácidos glicina, alanina, ácido aspártico e ácido aminobutírico. Com base nesse experimento, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I    II

0   0 – Ficou demonstrada a hipótese da geração espontânea.

1   1 – Não se pode produzir proteínas artificialmente; elas provêm necessariamente dos seres vivos.

2  2 – Formam-se moléculas complexas em condições  semelhantes às da  atmosfera primitiva.

3 3 – A vida tem origem sobrenatural, que não pode ser descrita em termos físicos nem químicos.

4  4 – Compostos orgânicos podem se formar em condições abióticas.

21. (UPE) Sobre os primeiros seres vivos e as condições da atmosfera primitiva, analise as afirmativas.

I  II

0  0 – Os primeiros seres vivos surgidos em um ambiente sem oxigênio e com muita substância orgânica dissolvida na água eram heterótrofos.

1 1 – Os organismos eram estruturalmente simples e, através de reações químicas elementares, conseguiam obter energia para sua sobrevivência, absorvendo matéria orgânica do meio e degradando-a em substâncias mais simples, na presença de oxigênio.

2  2 – Os primeiros heterótrofos eram tanto anaeróbicos quanto aeróbicos, desse modo utilizavam os mecanismos de fermentação e de fotossíntese para obterem energia.

3  3 – A temperatura na superfície do planeta era muito elevada, mas, em virtude do contato com o espaço cósmico muito frio, ocorreu o resfriamento, que tornou possível as ligações químicas entre os elementos, nas camadas superficiais da Terra.

4  4 – A elevada temperatura da superfície da Terra provocava a evaporação das substâncias líquidas, gerando vapores de água, que resfriavam em contato com as camadas mais frias da atmosfera, provocando violentas tempestades e descargas elétricas.

22. Aobservação das formas atuais de vida demonstra que até mesmo o mais simples dos seres vivos com organização celular é um sistema complexo, no qual se destacam duas classes de moléculas: as proteínas e os ácidos nucleicos. É possível imaginar que, nos oceanos primitivos, existiam sistemas organizados de reações enzimáticas, do tipo coacervados. Mas como esses sistemas se perpetuariam e evoluiriam sem um código genético? Os ácidos nucleicos também poderiam ter surgido nas condições da Terra primitiva. Mas como formariam um sistema complexo e organizado sem interagir com o aparato proteico/enzimático? A total interdependência entre essas moléculas essenciais remete a uma das principais questões ligadas à origem da vida, que poderia ser comparada ao dilema do ovo e da galinha.

ANDRADE, L. A. e SILVA, E. P. O que é vida? In: Ciência Hoje, v. 32, n.º 191, 2003, p. 16-23 (com adaptações).

Considerando que as hipóteses acerca da origem da vida na Terra mencionadas no texto acima não são as únicas, responda: o que surgiu primeiro, os ácidos nucleicos ou as proteínas?

a) O DNA pode ter sido o precursor dos demais compostos, pois estoca e replica informação genética, é dotado de atividade catalítica e é facilmente degradado por hidrólise, o que facilita a reutilização de seus monômeros e, portanto, a colonização da Terra com polímeros primordiais de DNA.

b) Existe a possibilidade de o RNA ter sido o precursor das demais moléculas, visto que certas sequências de RNA, chamadas íntrons, são capazes de acelerar reações químicas e, além disso, mostraram capacidade de fazer cópias de si mesmas.

c) Admitindo-se a possibilidade de a Terra primitiva conter nucleotídios livres, o calor poderia ter sido a fonte de energia disponível para a formação de ligações covalentes entre eles, com a consequente formação de proteinoides, que, por sua vez, deram origem a microsferas, estruturas que poderiam ser precursoras das células primitivas.

d) O estudo de aminoácidos que contêm grupos tiol (tioésteres) fornece argumentos a favor da precedência de proteínas na origem da vida, entre os quais se incluem a abundância de sulfeto de hidrogênio (H2S) no ambiente primitivo e a alta concentração de oxigênio na atmosfera primitiva, que favoreceria a respiração aeróbica.

23. De acordo com a Teoria Heterotrófica, as primeiras células que surgiram no planeta:

a) Eram semelhantes às eucarióticas atuais, porém sem mitocôndrias ou cloroplastos.

b) Eram obrigatoriamente parasitas, pois descenderam de estruturas semelhantes aos vírus.

c) Eram fotossintetizantes, já que não existiam nutrientes orgânicos disponíveis.

d) Eram fermentadoras, já que na época do surgimento dessas células não havia O2 na atmosfera.

e) Possuíam metabolismo aeróbico, pois é um processo com grande rendimento energético.

24. (UFU) Receita de Jean Baptiste van Helmont, seculo XVII: “Colocar uma camisa suja de suor e um pouco de germe de trigo em um canto escuro e sossegado. O suor funciona como princípio ativo e dentro de 21 dias a partir da camisa e do trigo nascerão vários camundongos”. O texto exemplifica a:

a) Teoria da Biogênese.

b) Teoria da Abiogênese.

c) Teoria pré-formista.

d) Hipótese Heterotrófica.

e) Hipótese Autotrófica.

25. (UEL) Charles Darwin, além de postular que os organismos vivos evoluíam pela ação da seleção natural, também considerou a possibilidade de as primeiras formas de vida terem surgido em algum lago tépido do nosso Planeta. Entretanto, existem outras teorias que tentam explicar como e onde a vida surgiu. Uma delas, a panspermia, sustenta que:

a) As primeiras formas de vida podem ter surgido nas regiões mais inóspitas da Terra, como as fontes hidrotermais do fundo dos oceanos.

b) Compostos orgânicos simples, como os aminoácidos, podem ter sido produzidos de maneira abiótica em vários pontos do planeta Terra.

c) Bactérias ancestrais podem ter surgido por toda a Terra, em função dos requisitos mínimos necessários para a sua formação e subsistência.

d) A capacidade de replicação das primeiras moléculas orgânicas foi o que permitiu que elas se difundissem pelos oceanos primitivos da Terra.

e) A vida se originou fora do Planeta Terra, tendo sido trazida por meteoritos, cometas ou, então, pela poeira espacial.

26. (UEG) Todos os seres vivos são formados por células, ou seja, compartimentos envolvidos por membranas, preenchidos com uma solução aquosa concentrada de substâncias químicas. As primeiras células vivas provavelmente surgiram na Terra por volta de 3,5 bilhões de anos atrás, por reações “espontâneas” entre moléculas que estavam longe do equilíbrio químico. Sobre a formação das moléculas biológicas em condições pré-bióticas, é incorreto afirmar:

a) Moléculas orgânicas simples podem associar-se para a formação de polímeros. Um aminoácido pode juntar-se a outro pela formação de uma ligação fosfodiester, e dois nucleotídeos podem associar-se por meio de uma ligação peptídica.

b) No primeiro bilhão de anos da Terra, existia pouco ou nenhum oxigênio, com absoluta ausência de camada de ozônio para absorver a radiação ultravioleta do Sol. A ação fotoquímica da radiação ultravioleta pode ter ajudado a manter a atmosfera rica em moléculas reativas e também longe do equilíbrio químico.

c) Se uma mistura de gases, como CO2‚ CH4, NH3 e H2, é aquecida com água e energizada por uma descarga elétrica ou por radiação ultravioleta, os elementos reagem entre si e formam pequenas moléculas orgânicas, tais como aminoácidos, açúcares, purinas e pirimidinas.

d) Os polinucleotídeos possuem limitada capacidade catalítica, mas podem dirigir a formação de cópias exatas de suas próprias sequências por pareamento complementar dos nucleotídeos.

27. (UEL) Analise o esquema a seguir.

27

Com base no esquema e nos conhecimentos sobre a origem da vida, considere as afirmativas a seguir.

I. O esquema representa a origem abiótica da vida, em conformidade com a teoria de Oparin-Haldane.

II. Os organismos primitivos – microrganismos – foram precedidos, em nosso planeta, por uma longa evolução dos compostos químicos.

III. Os organismos mais complexos portamem seu DNAmuitas informações dos organismos que lhes antecederam na Terra.

IV. As moléculas de proteínas e de ácidos nucleicos dos organismos atuais são estruturalmente distintas daquelas presentes em organismos primitivos.

Estão corretas apenas as afirmativas:

a) I e III.

b) I e IV.

c) II e IV.

d) I, II e III.

e) II, III e IV.

28. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA)

             Se os estoques de átomos são inexauríveis,

Maiores que o poder de contar dos seres vivos,

Se também houvesse o mesmo poder criativo da natureza

Para unir os átomos –– assim como agora estão unidos,

Ora então é preciso confessar

Que existem outros mundos em outras regiões do céu,

E diferentes tribos de homens, outros tipos de animais selvagens.”

(LUCRÉCIO, poeta–filósofo romano)

(…) Lucrécio raciocinava que, se o universo era composto de átomos idênticos sujeitos às leis universais da natureza, os mesmos processos que produziram a vida na Terra também deveriam produzir a vida em outros mundos. (…)

(…) Um átomo de carbono na galáxia de Andrômeda, por exemplo, é idêntico a um desses átomos aqui na Terra. Cinco elementos químicos desempenham papéis de destaque na biologia terrestre: o carbono, o oxigênio, o hidrogênio, o nitrogênio e o fósforo. (…) O carbono é o elemento verdadeiramente vital. Tem direito à primazia por causa de uma propriedade química única: os átomos de carbono podem se ligar para formar moléculas de cadeias extensas, ou polímeros, de infinita variedade e complexidade. As proteínas e o DNA são dois exemplos dessas moléculas de cadeias longas. (…)

Na próxima vez em que olhar para o seu corpo, reflita na longa e acidentada história de seus átomos, e lembre-se de que a carne que você está vendo e os olhos com que você enxerga são literalmente feitos de poeira das estrelas. (DAVIES, p. 174-7)

A partir da leitura do texto, conhecendo-se a química da vida e as supostas condições da Terra primitiva, inferências sobre a origem da vida devem considerar:

a) Os átomos dos gases presentes na atmosfera primitiva teriam se combinado, resultando em compostos, como aminoácidos, bases nitrogenadas e açúcares — blocos construtivos da vida.

b) A formação dos primeiros agregados moleculares reduziu drasticamente as fontes disponíveis dos elementos mais abundantes no Universo, aprisionando-os definitivamente.

c) As primeiras formas de vida teriam sido organismos autótrofos, capazes de converter a energia do Sol em energia química de moléculas orgânicas.

d) As informações disponíveis a respeito do Universo tornam irrelevantes quaisquer hipóteses que admitam a existência de vida fora da Terra.

e) A panspermia confirma-se como hipótese mais plausível a origem da vida na Terra

29. (UNESP) Uma vez que não temos evidências por observação direta de eventos relacionados à origem da vida, o estudo científico desses fenômenos difere do estudo de muitos outros eventos biológicos. Em relação a estudos sobre a origem da vida, apresentam-se as afirmações seguintes.

I. Uma vez que esses processos ocorreram há bilhões de anos, não há possibilidade de realização de experimentos, mesmo em situações simuladas, que possam contribuir para o entendimento desses processos.

II. Os trabalhos desenvolvidos por Oparin e Stanley Miller ofereceram pistas para os cientistas na construção de hipóteses plausíveis quanto à origem da vida.

III. As observações de Oparin sobre coacervatos ofereceram indícios sobre um processo que se constituiu, provavelmente, em um dos primeiros passos para a origem da vida, qual seja, o “isolamento” de macromoléculas do meio circundante.

Em relação a essas afirmações, podemos indicar como corretas:

a) I, apenas.

b) II, apenas.

c) I e II, apenas.

d) II e III, apenas.

e) I, II e III.

30. (UEL) Teorias a respeito da evolução celular indicam que as primeiras células surgiram em um ambiente inóspito, pobre em oxigênio, conhecido com sopa pré-biótica, onde ocorria síntese “espontânea” de biomoléculas complexas. Considerando a baixa complexidade das primeiras células, é correto afirmar que elas caracterizavam-se como:

a) Procariontes heterotróficas, por se alimentarem de outros organismos.

b) Eucariontes heterotróficas, por se alimentarem de compostos orgânicos do meio.

c) Eucariontes autotróficas, por conseguirem energia do Sol por meio da fotossíntese.

d) Procariontes heterotróficas, por se alimentarem de compostos orgânicos do meio.

31. (UnB-DF) Organismos atuais carregam suas informações genéticas em moléculas de ácidos nucleicos (DNA e RNA) e usam essencialmente o mesmo código genético, que especifica a sequência de aminoácidos de todas as proteínas. Entretanto, sabe-se que a síntese de ácidos nucleicos ocorre somente com a participação de proteínas, e a fabricação destas depende da ação dos ácidos nucleicos. Aparentemente, não se pode ter uma dessas substâncias sem a outra. Tal questão encerra um paradoxo: como, durante a origem da vida, surgiu esse sistema interdependente de proteínas e ácidos nucleicos? Pode-se mesmo pensar que a vida não poderia ter-se originado por meios químicos. (…) No final da década de 60, Carl Woese, Francis Crick e Leslie Orgel sugeriram, independentemente, uma maneira de resolver essa situação. Eles propuseram que o RNA poderia ter aparecido primeiro e estabelecido o que é chamado “mundo do RNA”, um mundo no qual o RNA catalisaria todas as reações necessárias para que os organismos ancestrais sobrevivessem e se replicassem. Para que isso tivesse acontecido, esses autores observaram que o RNA pré-bioquímico deveria ter duas propriedades que não existem hoje: a capacidade de se replicar sem auxilio de proteínas e a habilidade de catalisar cada passo da síntese proteica.

(L. Orgel, The origin of life on the earth. In: Scientific American. Out/94. p.271-4 – com adaptações)

Com base no texto acima, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0   0 – A vida não se originou a partir de compostos químicos, pois os ácido nucleicos precisam das proteínas para se formar e vice-versa.

1   1 – As ideias de Woese, Crick e Orgel contrariam os experimentos de Stanley Miller, nos quais se demonstrou que os aminoácidos formaram-se a partir da atmosfera primitiva.

2   2 – No citado “mundo do RNA”, os organismos primitivos usariam moléculas de RNA para diminuir a energia necessária para a realização de reações químicas.

3   3 – Se a hipótese do RNA como primeira molécula de hereditariedade for comprovada, será correto afirmar que os retrovírus, que têm o RNA como material genético, são os organismos mais antigos do planeta.

4   4 – As informações contidas no texto não excluem a hipótese de meteoritos terem trazido compostos orgânicos para a Terra, os quais, encontrando condições favoráveis, deram origem à vida.

32. (F. VISCONDE DE CAIRU-BA) “As perguntas sobre a origem da vida são tão velhas quanto o Gênesis e tão jovens como cada manhã”. Para os cientistas ainda não existem respostas definitivas. Contudo, apesar das divergências, os cientistas podem concordar, quando se considera que seria fundamental para o estabelecimento da vida, que as primeiras formas vivas fossem capazes de:

a) Reconhecer o ambiente e realizar movimentos.

b) Realizar síntese do seu próprio alimento.

c) Crescer e manter sua organização.

d) Reproduzir-se e transmitir informações.

e) Obter energia das moléculas orgânicas, usando o oxigênio.

33. (USU-RJ) Em seu famoso experimento, Stanley Miller submeteu em 1953 uma mistura de metano, amônia, hidrogênio e vapor de água em alta temperatura à ação de descargas elétricas dentro de um balão de vidro. Com isso, pretendia demonstrar a hipótese de que:

a) As proteínas são formadas de aminoácidos.

b) Moléculas orgânicas complexas formaram-se na atmosfera terrestre primitiva.

c) É possível, no laboratório, formarem-se produtos complexos a partir de gases simples.

d) O carbono e o hidrogênio são constituintes dos compostos orgânicos.

e) As proteínas têm ação catalítica.

34. (UFPI) Nas condições da atmosfera primitiva, faça uma simulação do experimento histórico e típico de Stanley Lloyd Miller, que teria reproduzido o surgimento das moléculas orgânicas essenciais à vida. Use o desenho esquemático abaixo para responder às indagações:

34

I. Quais os gases que simulavam a mistura submetida às descargas elétricas (3), no experimento de Miller? Coloque-os no compartimento 1.

II. Qual a substância que foi colocada no compartimento 2, para aquecimento (4)?

III. Quais as prováveis moléculas orgânicas simples que poderiam ter representantes retidos no espaço 5?

Marque a alternativa que contém somente dados corretos, seguindo a sequência das indagações.

a) I – CO2, CH4, NH2, H2

    II – H2O2

    III – Amido, nucleotídeos, glicogênio e polipeptídios.

b) I – CO2, CH3, NH2, H3

    II – H2O2

    III – Amônia, proteínas, ácidos nucleicos e vitaminas.

c) I – CO2, CH4, NH2, H2

    II – H2O

    III – Coacervados, proteínas, ácidos nucleicos e polipeptídios.

d) I – CO2, CH3, NH2, H2

    II – H2O

    III– Sacarose, coacervados, aminoácidos e proteínas.

e) I – CH4, H2, NH3

    II – H2O

    III – Glicina, alanina, sarcosina, purinas e pirimidinas.

35. (PUC-RS) Nos primórdios da vida em nosso planeta, ocorreram dois fatos que se encontram intimamente relacionados. São eles:

a) Quimiossíntese e aparecimento dos vírus.

b) Formação dos mares e extinção dos anaeróbios.

c) Fotossíntese e vida aeróbia.

d) Formação de argilas e origem das algas.

e) Coacervação e evolução dos poríferos.

36. (UNIT-MG) “Na ausência de evidências fósseis dos sistemas que originaram os seres vivos, tenta-se montar modelos químicos plausíveis, ou seja, compatíveis com as condições da Terra primitiva. Hoje, acredita-se que a molécula-fundadora teria sido o RNA, porque possui atividade enzimática e auto-replicativa. O DNA seria um análogo do RNA, mais estável e acrescentado posteriormente ao sistema. Propõe-se também que as ribozimas (enzimas feitas de RNA) atuais seriam remanescentes dos RNAs primitivos.”

(Ciência Hoje, set.1999)

O texto acima propõe que o RNA tenha surgido primeiro e que possuía capacidade de síntese de proteína. Supondo que esta afirmação fosse correta e que fosse possível obter fósseis da vida primitiva datados da origem da Terra, a prova seria encontrar traços da base nitrogenada:

a) Adenina.

b) Guanina.

c) Citosina.

d) Timina.

e) Uracila.

37. (UESC) A busca por vida extraterrestre deve prestar atenção à vida além da forma como a conhecemos. É o que um grupo de cientistas aconselhou à NASA que geralmente procura formas de vida, a exemplo daqueles que existem na Terra, baseadas em água, carbono e DNA. […] Especialistas em genética, química, biologia, entre outros — recomendaram que a NASA considerasse a chamada “vida bizarra”. Por exemplo, experiências em biologia sintética desenvolveram moléculas que codificaram informações genéticas, mas têm mais nucleotídeos do que o DNA e ou RNA. Em vez de água, os alienígenas poderiam empregar amônia ou ácido sulfúrico como base para suas reações bioquímicas vitais. Os novos organismos podem usar minerais como catalisadores no lugar de enzimas.

(CHOI, 2007, p. 15.)

A hipótese de uma “vida bizarra” ter surgido em algum outro sistema planetário, considerando o pressuposto de que o material genético apresentasse maior diversidade de nucleotídeos e que a água fosse substituída pela amônia, permite prever que, nessa organização vital:

a) Deveria ocorrer a presença de elementos químicos inexistentes em outros sistemas planetários.

b) A amônia poderia se utilizada como doadora de hidrogênio no processo de utilização de energia luminosa para a síntese biológica primária.

c) A organização do material hereditário apresentaria um menor potencial de diversidade.

d) Os processos vitais estariam subordinados a leis físico-químicas específicas.

e) Estariam ausentes elementos químicos necessários à síntese de ácidos graxos.

38. (UFRGS) O desenho abaixo representa, de forma esquemática, o aparelho que Miller usou em suas experiências, em 1953, para testar a produção de aminoácidos a partir de uma mistura de metano, hidrogênio, amônia e água, submetida a descargas elétricas.

38

Abaixo são feitas quatro afirmações:

I. Com esta experiência, Miller demonstrou que havia produção de aminoácidos em condições semelhantes às que havia na atmosfera primitiva da Terra.

II. Como a circulação do material por dentro do aparelho está completamente isolado do meio externo, não houve possibilidade alguma de contaminação com outras substâncias.

III. As substâncias resultantes das reações químicas acumularam-se em C e em D.

IV. Com esta experiência, Miller também descobriu a composição química da atmosfera primitiva da Terra.

São corretas as afirmações:

a) I e II.

b) II e IV.

c) III e IV.

d) I e III.

e) II e III.

39. (PUC-SP) Os esquemas abaixo mostram, de maneira simplificada, três processos que ocorrem nos seres vivos:

39

Admita que os primeiros seres vivos eram heterótrofos anaeróbicos e que, liberando gás carbônico para o meio, permitiram o aparecimento de um grupo de organismos autótrofos, cuja atividade proporcionou o aparecimento de um terceiro grupo, constituído de heterótrofos aeróbicos. Considerando a hipótese acima, pode-se prever que a ordem de aparecimento desses processos na natureza foi:

a) I → II → III.

b) II  I  III.

c) II  III  I.

d) III  I  II.

e) III → II → I.

40. (UNEB-BA) O conceito chave de “sopa primitiva”, “caldo primordial” ou “caldo pré-biótico” aparece com frequência no discurso de cientistas que estudam o problema da origem da vida. A formação desse “caldo” pressupõe a existência de água em estado líquido na superfície da Terra. A vida ocorre em uma fase aquosa porque a água:

I   II

0  0 – Tem mínima capacidade de absorver calor do meio circundante.

1  1 – Evita a auto-organização de moléculas de gorduras em películas.

2  2 – Substitui, com menor dispêndio energético, as enzimas.

3  3 – Constitui o meio para transporte de nutrientes e remoção de resíduos do metabolismo.

4  4 – Bloqueia a formação de pontes de hidrogênio entre moléculas.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

VFVFV

B

C

C

C

C

D

E

C

A

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

FFVVF

B

A

E

C

B

C

D

D

FFVFV

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

VFFVV

B

D

B

E

A

D

A

D

D

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

FFVFV

D

B

E

C

E

B

A

C

FFFVF

Publicado por: Djalma Santos | 23 de fevereiro de 2012

Falso “O” (fenótipo Bombaim ou efeito Bombaim)

Embora, a primeira vista, não pareça ser possível genitores “O” terem filhos A, B ou AB, isto pode ocorrer se os pais forem falso “O”, tipo sanguíneo presente em uma pequena porcentagem (menos que 1%) da população. A expressão dos genótipos do sistema sanguíneo ABO está relacionada com o lócus gênico denominado H, existente em um dos cromossomos, onde está o alelo H (funcional) ou h (não funcional). O alelo H (dominante) produz uma enzima (enzima H) que transforma uma substância precursora em antígeno H, que, por sua vez, é transformado em antígeno A ou B por ação, respectivamente, de enzimas sintetizadas sob o comando dos alelos IA ou IB. Sendo inativo, o alelo i não promove qualquer transformação no antígeno H, que, inalterado, permanece presente nas hemácias dos indivíduos do verdadeiro sangue tipo “O” (esquema abaixo).

01

O alelo h (recessivo), por outro lado, não tem esta capacidade em face de não produzir a enzima H, que transforma a substância precursora em antígeno H. Dessa forma, indivíduos HH ou Hh, que representam a quase totalidade da população humana, são capazes de expressar os genótipos IAIA ou IAi (sangue tipo A); IBIB ou IBi (sangue tipo B); e IAIB (sangue tipo AB). Indivíduos de composição genética hh (genótipo muito raro), por outro lado, são incapazes de promover essa transformação, não expressando, como consequência, os referidos genótipos, caracterizando, portanto, os falsos “O”. Nele é sempre manifestado um fenótipo do tipo “O”, independentemente do seu verdadeiro genótipo.

A denominação fenótipo Bombaim ou efeito Bombaim, se deve ao fato de ele ter sido observado pela primeira vez, em 1952, por Bhende e colaboradores, na cidade de Bombaim, Índia. Falsos “O” (hh), sempre identificados como do grupo “O”, através das técnicas tradicionais de determinação dos grupos sanguíneos, são, em última análise, indivíduos IAIA, IAi, IBIB, IBi ou IAIB desprovidos da enzima que transforma a substância precursora em antígeno H. Neste caso, os genes IA e IB ficam inoperantes, não sendo formados os antígenos A ou B, nos seus eritrócitos, mesmo que a pessoa tenha os genes IA e/ou IB, alelos referentes à síntese desses antígenos. Nessas técnicas, são determinadas a presença dos antígenos A e B.  Desse modo, nos indivíduos HH ou Hh, esses testes fornecem resultados corretos. O mesmo não ocorre com os indivíduos hh, que não formam os antígenos A ou B, mesmo que possuam os alelos IA e/ou IB.

O paciente que receber sangue contendo um antígeno que jamais esteve no seu próprio sangue  terá uma reação imune. Dessa forma, os indivíduos com o fenótipo Bombaim podem doar sangue para A, B ou AB (salvo se houver incompatibilidade em relação a outro fator sanguíneo, como o Rh). Eles não podem, entretanto, receber sangue de nenhuma outra pessoa do sistema ABO (cujo sangue contém sempre um ou mais antígenos A, B e H), inclusive do “O” verdadeiro, que não possui anticorpo anti-H. Receberão apenas sangue de indivíduos com o fenótipo de Bombaim. Assim sendo, esse fenótipo, que ocorre em uma frequência de 1 para 10.000 indivíduos na Índia e 1 para 1.000.000 na Europa, podendo variar sua frequência em populações específicas, constitui um problema sério para os homoterapeutas.

O teste para detectar se uma pessoa é realmente “O” ou falso “O” é feito aplicando-se o anticorpo anti-H em uma gota de sangue (figura abaixo). Se houver aglutinação, o indivíduo é um “O” verdadeiro (ii). Não ocorrendo aglutinação, ele é um falso “O”, podendo ser AIA, IAi, IBIB, IBi ou IAIB.

02.TESTE

O quadro a seguir mostra os diferentes genótipos e fenótipos relacionados com os loci ABO e H.

GENÓTIPOS

FENÓTIPOS

H_ IAIA ou H_ IAi

A

H_ IBIB ou H_ IBi

B

H_ IAIB

AB

H_ ii

O

hh ­_ _

Falso O

Publicado por: Djalma Santos | 16 de fevereiro de 2012

Testes sobre evolução (5/5)

01. (URCA) A convergência adaptativa é uma evidência de que o meio seleciona as formas mais aptas de seres a ocuparem um determinado habitat. Ao longo do tempo, grupos de seres vivos podem assumir formas bastante diferentes dos seus parentes de grupos próximos geneticamente. Com exemplo de convergência adaptativa, podemos citar a forma de:

a) Golfinhos semelhantes a tubarões.

b) Borboletas semelhantes a pássaros.

c) Rêmoras semelhantes a peixes.

d) Pata de cavalo igual embriologicamente a das baleias.

e) Homens semelhantes aos macacos antropomorfos.

02. (UFC) Até meados do século XVIII, discutiam-se os papéis, hoje plenamente esclarecidos, do homem e da mulher na formação de um novo indivíduo. Analise as afirmações a seguir, que apresentam a evolução do conhecimento sobre esse tema.

I. O pré-formismo defendia que nos gametas havia miniaturas de seres humanos – os homúnculos.

II. O esclarecimento sobre este tema deu-se com o estabelecimento da teoria celular.

III. Atualmente, sabe-se que a estrutura celular provém da célula germinativa masculina, e a ativação do metabolismo, que inicia o processo de cariogamia e clivagem, é desempenhada pelo gameta feminino.

Assinale a alternativa que apresenta todas as afirmações verdadeiras.

a) Apenas II e III.

b) Apenas III.

c) Apenas II.

d) Apenas I e II.

e) Apenas I e III.

03. (UFC) Evidências moleculares, baseadas em sequências de RNA, sugerem o parentesco entre moluscos e anelídeos. Esses dados reforçam a hipótese de que esses grupos apresentam um ancestral comum. O parentesco entre esses grupos pode ser evidenciado também se levando em consideração características biológicas tais como:

a) Protostomia, cordão nervoso dorsal e desenvolvimento direto.

b) Metameria, presença de celoma e desenvolvimento indireto.

c) Presença de celoma, simetria bilateral e clivagem espiral.

d) Pseudoceloma, simetria bilateral e respiração branquial.

e) Protostomia, clivagem espiral e metameria.

04. (UEPA) De Thomas Malthus, estudioso da demografia, Darwin adotou uma ideia crucial: nem todos os indivíduos que nascem conseguem sobreviver e reproduzir, em função das limitações de alimento e espaço. Malthus preocupava-se com as sociedades humanas, mas Darwin estendeu o conceito para todas, as espécies.

(Adaptado de Revista National Geographic Brasil, novembro/2004, David Quammen)

O trecho em destaque relaciona uma série de processos ecológicos presentes nos mecanismos de sobrevivência e reprodução dos seres vivos, num determinado ambiente. Nesse sentido:

I. A superabundância de filhotes numa população dá origem à competição intraespecífica.

II. A competição tem uma função importante na regulação populacional.

III. As populações tendem a crescer num determinado potencial, influenciadas por forças ambientais, bióticas e abióticas.

IV. As espécies possuem etapas de desenvolvimento reguladas por taxas de natalidade e mortalidade, sujeitas a alterações de fatores ambientais.

De acordo com as afirmativas acima, a alternativa correta é:

a) III.

b) I e II.

c) I e IV.

d) II, III e IV.

e) I, II, III e IV.

05. (UEM) Identifique o que for corretosobre a evolução biológica das espécies.

I   II

0  0 – As mutações não ocorrem para adaptar o indivíduo ao ambiente, elas podem ocorrer por acaso e serem mantidas ou eliminadas.

1 1 – No mimetismo, uma ou mais características corporais se assemelham ao ambiente, dificultando a localização do organismo pelas demais espécies com as quais convive.

2  2 – Estruturas análogas são aquelas que derivam de estruturas presentes em um mesmo grupo ancestral comum, refletindo, portanto, parentesco evolutivo.

3  3 – A ação da seleção natural aumenta a variabilidade genética de uma população.

4 4 – Estruturas que desempenham função similar, mas têm origem embrionária e estrutura anatômica diferentes são produzidas por um processo de divergência adaptativa.

06. (UECE) Asas de aves e asas de insetos possuem origem embrionária diferentes e exercem a mesma função. Portanto, são consideradas órgãos:

a) Vestigiais.

b) Análogos.

c) Homólogos.

d) Miméticos.

07. (CEFET-PI) Quando nos deparamos com as diferentes espécies encontradas na natureza, geralmente nos vêm à mente questões sobre a origem de tal diversidade. Sobre a frase abaixo e sobre os mecanismos da evolução propostos por Lamarck e Darwin, é correto afirmar que:

“Os répteis desenvolveram espessas cascas em seus ovos para proteger os embriões contra a dessecação”.

A frase acima representa um pensamento:

a) Lamarquista, pois deixa implícita a ideia do uso e desuso.

b) Lamarquista, pois deixa implícita a ideia de explicação da evolução por intermédio dos fósseis.

c) Darwinista, pois deixa implícita a ideia do aparecimento de um grupo de répteis que apresentava tal característica e que por esse motivo foi selecionado positivamente.

d) Darwinista, pois deixa implícita a ideia de uma adaptação passiva já que o meio apenas selecionou os indivíduos com tais características.

e) Darwinista, pois deixa implícita a ideia de uma adaptação ativa, já que uma mudança do ambiente também obriga o indivíduo a se modificar.

08. (UFPI)                                LEIA O TRECHO A SEGUIR

“Devido ao grande potencial reprodutivo dos seres vivos, as populações naturais de todas as espécies tendem a crescer rapidamente. Entretanto, o tamanho das populações naturais mantém-se relativamente constante ao longo do tempo, pois, a cada geração, morre um grande número de indivíduos e muitos não deixam descendentes. Disso se pode concluir que a maior parte das características de uma geração é herdada dos genitores, e os indivíduos que sobrevivem e se reproduzem possuem características adaptadas às condições ambientais”.

Essa conclusão resume:

a) As ideias evolucionistas de Lamarck.

b) A teoria criacionista.

c) O conceito darwinista de seleção natural.

d) O conceito malthusiano.

e) O fixismo.

09. (UEPB) A forma hidrodinâmica dos corpos de um golfinho, de um atum, de um pinguim e de um Ictiossauro (réptil aquático) desenvolveu-se independentemente nesses animais como adaptação ao meio aquático. Trata-se, portanto, de um caso de:

a) Seleção artificial.

b) Variabilidade genética.

c) Divergência evolutiva.

d) Convergência evolutiva.

e) Mimetismo.

10. (UEPA) “O sequenciamento do genoma do camundongo revelou cerca de 30 mil genes, 99% dos quais possuíam equivalentes diretos em seres humanos.”

(Revista National Geographic, novembro/2004, por David Quammen)

As semelhanças entre os genes humanos e os do camundongo revelam:

a) Outro tipo de evidência de um processo evolutivo, as homologias, como aquela entre mãos e patas com cinco dedos.

b) Mecanismos de evolução convergente, influenciados por pressões do ambiente.

c) Inúmeros cruzamentos entre camundongos e humanos, promovendo a recombinação gênica.

d) Evidências que não caracterizam ancestralidade comum entre os vertebrados citados.

e) Populações de camundongos que surgiram de populações humanas.

11. (UDESC)Órgãos que exercem as mesmas funções em espécies diferentes, mas que possuem origem embrionária distinta; e órgãos ou estruturas atrofiadas, sem função evidente, são chamados, respectivamente, de:

a) Órgãos análogos e órgãos homólogos.

b) Órgãos vestigiais e órgãos homólogos.

c) Órgãos homólogos e órgãos vestigiais.

d) Órgãos análogos e órgãos vestigiais.

e) Órgãos homólogos e órgãos análogos.

12. (UFLA) Sobre as Teorias da Evolução, assinale a alternativa que apresenta uma ideia comum ao Lamarckismo e ao Darwinismo.

a) A adaptação resulta da modificação de certas características herdadas geneticamente ao longo das gerações.

b) A adaptação resulta do uso e desuso de estruturas anatômicas.

c) A adaptação está associada a sucessos reprodutivos diferenciais.

d) A adaptação é resultado da interação dos organismos com o ambiente.

13. (UFTM) Um estudante do ensino médio, ao ler sobre o tegumento humano, fez a seguinte afirmação ao seu professor: o homem moderno não apresenta tantos pelos como os seus ancestrais, pois deixou de usar esses anexos como isolante térmico. Isso só foi possível porque o homem adquiriu uma inteligência que permitiu a confecção de roupas, protegendo-o do frio.

Diante dessa informação dada pelo aluno, o professor explicou que isso:

a) Não ocorreu e a informação está de acordo com a teoria evolutiva de Lamarck, que pressupõe que estruturas do corpo que não são solicitadas desaparecem e essas características adquiridas são transmitidas aos descendentes.

b) Não ocorreu e a informação está de acordo com a teoria evolutiva de Lamarck, que pressupõe que existe variação genotípica entre indivíduos, sendo que aqueles portadores de características adaptativas conseguem sobreviver e deixar descendentes.

c) Não ocorreu e a informação está de acordo com a teoria evolutiva de Stephen Jay Gould, que pressupõe que os seres vivos não se modificam por interferência ambiental, mas sim por alterações genéticas intrínsecas.

d) Ocorreu de fato e a informação está de acordo com a teoria evolutiva de Darwin, que pressupõe que os seres vivos com características adaptativas favoráveis têm maiores chances de viver.

e) Ocorreu de fato e a informação está de acordo com a teoria evolutiva de Darwin, que pressupõe que os seres vivos por necessidade vão se modificando ao longo do tempo.

14. (UNIMONTES) Evolução pode ser considerada como um processo de mudança permanente para transformar a vida na Terra, desde o seu princípio mais simples até a sua diversidade existente. A figura a seguir ilustra aspectos relacionados a esse processo. Observe-a.

14

De acordo com a figura e o assunto relacionado a ela, analise as alternativas abaixo e assinale a que representa o evento que melhor explica a evolução observada entre os indivíduos III e IV.

a) Seleção natural.

b) Crossing over.

c) Mutação induzida.

d) Isolamento geográfico.

15. (UFSC) Existem várias provas da evolução e entre elas podemos citar as embriológicas. Sobre o tema, é corretoafirmar que:

I    II

0  0 – As nadadeiras dos golfinhos, assim como braço e mão humanos, são ditos órgãos homólogos e são herdados de um ancestral comum.

1  1 – As nadadeiras dos golfinhos e as asas das aves têm a mesma origem embrionária e diferentes funções, decorrentes da adaptação a diferentes modos de vida, processo conhecido como divergência evolutiva.

2  2 – As nadadeiras dos golfinhos e as nadadeiras das tainhas são órgãos de diferentes origens embrionárias e têm a mesma função, o que é chamado de convergência evolutiva.

3  3 – As asas dos insetos e as asas das aves são ditos órgãos homólogos, pois têm a mesma origem embrionária.

4  4 – As nadadeiras dos golfinhos, as asas dos morcegos e os braços e as mãos dos humanos têm origem embrionária diferente.

16. (UFJF) Um pesquisador, interessado em estudar mecanismos da evolução animal, fez o seguinte experimento:

“cortou pela metade as orelhas de 10 coelhos (5 machos e 5 fêmeas) e cruzou-os entre si. Quando nasceram os filhotes, cortou-lhes também as orelhas pela metade e cruzou-os entre si. O pesquisador repetiu esse procedimento (corte das orelhas pela metade e cruzamento dos coelhos) por 15 gerações, nas mesmas condições experimentais”.

Na 16ª geração, constatou que os coelhos apresentavam orelhas tão longas quanto às da primeira geração. A partir dos resultados desse experimento, é correto afirmar que:

a) A hipótese de Malthus sobre a modificação de uma população, após várias gerações, foi comprovada.

b) A teoria mendeliana sobre a segregação independente dos alelos está correta.

c) A hipótese de Lamarck sobre a herança de caracteres foi comprovada.

d) Os seres vivos somente se modificam quando há mudanças nas condições ambientais.

e) Os caracteres adquiridos não são transmitidos à descendência.

17. (UFG) Quando Darwin chegou ao arquipélago de Galápagos, em 1835, durante viagem a bordo do navio H. M. S. Beagle (1831-1837), observou pássaros da família Fringillidae (tentilhões) e ficou impressionado com as treze espécies dessas aves nas diferentes ilhas. Uma explicação para o surgimento dessas espécies é a irradiação adaptativa, na qual os tentilhões:

a) Apresentavam características semelhantes e hereditárias que surgiram a cada geração por acaso e não em resposta às necessidades adaptativas dos indivíduos.

b) Surgiram a partir de um ancestral comum que emigrou do continente para as ilhas, ocupando-as, enquanto os diversos ambientes insulares selecionaram as aves mais adaptadas.

c) Adquiriram características em consequência do uso mais ou menos acentuado de uma parte do organismo.

d) Foram capazes de gerar descendentes férteis em resposta a uma competição entre os machos de uma mesma espécie em disputa pelas fêmeas.

e) Surgiram em decorrência de uma barreira física que proporcionou um isolamento geográfico e causou a origem de aves diferenciadas.

18. (UFES) O Naturalismo teve forte influência das concepções da Teoria da Evolução. Segundo essa teoria, a morfologia e a função de uma estrutura refletem a adaptação do indivíduo ao meio ambiente. Porém, em alguns casos, apesar de diferentes organismos possuírem determinadas estruturas com morfologias semelhantes, a origem embrionária dessas estruturas não é comum. Esse processo é chamado de:

a) Convergência adaptativa.

b) Homologia.

c) Irradiação adaptativa.

d) Recombinação.

e) Seleção natural.

19. (FGV)

A RESPEITO DA TENDÊNCIA DAS ESPÉCIESEM FORMAR VARIEDADES EDA PERPETUAÇÃO DAS VARIEDADES E ESPÉCIES POR MEIOS NATURAIS DE SELEÇÃO.

Assim começava a leitura dos trabalhos de Charles Darwin e Alfred Russel Wallace, há 150 anos, na noite de 1o de julho de 1858, em uma reunião da Sociedade Lineana, em Londres.

Desde então, muito se pesquisou sobre os mecanismos evolutivos e estabeleceu-se que a sequência de eventos que explica a mudança evolutiva da população é:

a) Alteração do fenótipo → mutação → alteração do genótipo → seleção.

b) Mutação → variabilidade de genótipos → variabilidade de fenótipos → seleção.

c) Seleção → alteração do fenótipo → produção de novos alelos → mutação.

d) Variabilidade de fenótipos → variabilidade de genótipos → mutação → seleção.

e) Variabilidade de fenótipos → produção de novos alelos →  seleção → mutação.

20. (UFES) Neste ano de 2009, completam-se 150 anos da publicação da Teoria da Evolução. Essa teoria revolucionou a Biologia e influenciou o pensamento nas mais diversas áreas do conhecimento humano. A referida teoria postula que:

a) As características adquiridas por um indivíduo ao longo da sua vida são transmitidas para seus descendentes e se acumulam ao longo das gerações, gerando novas espécies.

b) Apenas os indivíduos mais aptos para enfrentar as condições ambientais sobrevivem a cada geração e passam suas características para seus descendentes.

c) O ambiente influencia o maior ou o menor desenvolvimento de determinadas estruturas e órgãos de cada indivíduo, e essas alterações são transmitidas para seus descendentes, gerando novas espécies.

d) A permanência das características que tornam os indivíduos mais aptos às condições ambientais é favorecida ao longo das gerações sucessivas, tornando-as mais frequentes nas populações.

e) A sobrevivência dos mais aptos depende exclusivamente da capacidade reprodutiva de cada  espécie.

21. (UNESP) A figura abaixo apresenta uma proposta de relações evolutivas entre diferentes grupos de organismos.

21

Pode-se dizer que a presença de núcleo delimitado por membrana e a formação de tecidos verdadeiros apareceram, respectivamente, em:

a) 1 e 2.

b) 1 e 3.

c) 2 e 4.

d) 3 e 4.

e) 4 e 5.

22. (UNESP)No filme Espanta Tubarões (Estúdios DreamWorks, 2004), Lenny, um tubarão vegetariano que deseja a amizade dos outros peixes, disfarça-se em golfinho e consegue enganar até mesmo outros tubarões. No filme, a transformação não é muito difícil: Lenny coloca um focinho falso e um pouco de maquiagem. Embora o filme veicule uma série de incorreções biológicas, uma vez que se trata de uma fantasia, na biologia a semelhança fenotípica entre tubarões e golfinhos é explicada como resultado de um processo conhecido:

a) Camuflagem.

b) Mimetismo.

c) Divergência adaptativa.

d) Convergência adaptativa.

e) Homologia.

23.  (FUVEST)Em 2009, comemoram-se os 150 anos da publicação da obra A origem das espécies, de Charles Darwin. Pode-se afirmar que a história da biologia evolutiva iniciou-se com Darwin, porque ele:

a) Foi o primeiro cientista a propor um sistema de classificação para os seres vivos, que serviu de base para sua teoria evolutiva da sobrevivência dos mais aptos.

b) Provou, experimentalmente, que o ser humano descende dos macacos, num processo de seleção que privilegia os mais bem-adaptados.

c) Propôs um mecanismo para explicar a evolução das espécies, em que a variabilidade entre os indivíduos, relacionada à adaptação ao ambiente, influi nas chances de eles deixarem descendentes.

d) Demonstrou que mudanças no DNA, ou seja, mutações são fontes da variabilidade genética para a evolução das espécies por meio da seleção natural.

e) Foi o primeiro cientista a propor que as espécies não se extinguem, mas se transformam ao longo do tempo.

24. (PUC-MG) A evolução biológica poderia ser definida simplesmente como “descendência com modificação”. A hipótese básica da teoria evolucionista é que os organismos vivos de hoje são formas modificadas dos seus ancestrais, tendo sido selecionados por acaso ou por valor adaptativo. Assim a anatomia e a fisiologia comparadas podem fornecer evidências da evolução da vida na Terra. Sobre esse assunto, é incorreto afirmar:

a) Estruturas homólogas são aquelas que, apesar de desempenharem funções diferentes, apresentam estrutura semelhante e a mesma posição relativa no organismo, indicando mesma origem embriológica e ancestralidade comum.

b) Estruturas que desempenham função similar, mas têm origem embrionária e estrutura anatômica diferentes são produzidas por um processo de divergência adaptativa.

c) A deriva genética produz oscilação das frequências gênicas, principalmente em populações pequenas e isoladas, e independe da seleção natural.

d) Os ossos da asa dos pássaros, da pata dianteira do cavalo e da nadadeira da baleia são semelhantes e com mesma origem embrionária, tendo sido selecionados por divergência adaptativa.

25. (PUC-CAMPINAS) Para responder esta questão considere o texto abaixo.

POLUIÇÃO

A poluição atmosférica tem se mostrado nociva para os seres humanos e animais. Por um lado, pode reduzir o peso dos bebês quando as gestantes são expostas a níveis elevados de monóxido de carbono e partículas inaláveis no primeiro trimestre de gestação. Por outro lado, os anfíbios também têm sofrido os efeitos desses poluentes: a chuva ácida é uma ameaça para embriões e larvas. Outra ameaça são os clorofluorcarbonos, que permitem o aumento das radiações UV-B, retardando as taxas de crescimento e causando problemas em seu sistema imunológico.

Além disso, nas áreas agrícolas que usam extensivamente fertilizantes e inseticidas, tem-se observado um aumento de deformidades em rãs, sapos e salamandras.

Adaptado de Evangelina A. Vormittag. Diversidade de Impactos na Saúde Pública. Scientific American Brasil, ano 6, n. 74, julho/2008. p. 78 e de Carlos Roberto Fonseca et alli. Metamorfose Ambulante. Scientific American Brasil, ano 6, n. 72, maio/2008. p. 88.

Recém-nascidos com peso reduzido apresentam maior taxa de mortalidade, o que também é observado naqueles com peso aumentado em relação à média de peso na espécie humana. Isto indica que o peso ao nascer é uma característica sob seleção natural:

a) Direcional.

b) Disruptiva.

c) Purificadora.

d) Estabilizadora.

e) Somática.

26. (PUC-MG) Durante o período de 21 dias de desenvolvimento embrionário, ocorre variação da massa de um ovo de galinha, de 60 g para 51 g.

26

Analisando a figura acima e com base em seus conhecimentos sobre o mecanismo fisiológico em ovos, é incorreto afirmar:

a) O surgimento do ovo com casca possibilitou a conquista do ambiente terrestre.

b) A perda de água por evaporação pode ser compensada pelo processo de respiração celular.

c) As excretas nitrogenadas produzidas são retidas dentro do ovo.

d) A principal fonte de energia para o desenvolvimento embrionário encontra-se na clara.

27.  (UFPR) Apesar de bastante criticadas na época em que foram postuladas, as ideias propostas por Charles Darwin sobre o processo evolutivo dos seres vivos são hoje amplamente aceitas, uma vez que outras evidências colhidas corroboram a Teoria da Evolução. Assinale a alternativa que não expressa uma evidência dessa teoria.

a) O estudo dos fósseis ao longo dos tempos geológicos mostra um aumento da complexidade das formas de seres vivos.

b) As características apresentadas por sucessivas gerações, dentro de uma espécie, são herdadas das gerações antecessoras.

c) Algumas estruturas corporais desenvolvem-se quando muito utilizadas ou atrofiam-se quando não utilizadas, como por exemplo, a musculatura dos animais.

d) Quando se estudam os genomas, observa-se uma grande semelhança entre espécies muito próximas, como o homem e o chimpanzé.

e) O funcionamento bioquímico das células de todos os organismos é semelhante, sugerindo que todos tiveram um ancestral comum.

28. (CEFET-CE) “O meio ambiente cria a necessidade de uma determinada estrutura em um organismo. Este se esforça para responder a essa necessidade. Como resposta a esse esforço, há uma modificação na estrutura do organismo. Tal modificação é transmitida aos descendentes.”

O texto sintetiza as principais ideias relacionadas ao:

a) Fixismo.

b) Darwinismo.

c) Mendelismo.

d) Criacionismo.

e) Lamarckismo.

29. (PUC-CAMPINAS) Para responder esta questão considere o texto abaixo.

A ação de seres vivos como bactérias, fungos e leveduras na descontaminação ambiental é um processo químico chamado de biorremediação. A remediação também pode ser feita por algumas espécies de plantas. Essa técnica, chamada de fitorremediação, tem se revelado útil na remoção de metais pesados e poluentes orgânicos de solos e sedimentos contaminados.

(Adaptado de Discutindo Ciência. p. 34)

Pesquisas vêm sendo feitas na tentativa de retirar do solo, empregando fitorremediação, resíduos do herbicida tebuthiuron, que permanece no solo anos após a sua aplicação. Um pesquisador realizou experimentos com o objetivo de avaliar a capacidade de diversas espécies de plantas eliminarem tais resíduos, cultivando-as em vasos contendo diversas concentrações do herbicida. Dentre dez espécies testadas, duas conseguiram se desenvolver no solo contaminado. Nesses experimentos o herbicida atuou como agente:

a) De fitorremediação.

b) Indutor de mutações.

c) De seleção de espécies tolerantes.

d) De eliminação dos resíduos do solo.

e) De controle de ervas daninhas.

30. (UNICENTRO) Órgãos vestigiais identificados em muitas espécies animais constituem dados que subsidiam estudos da evolução porque:

a) Atuam nas novas gerações com funções diferentes.

b) Fortalecem a hipótese de que o uso e o desuso de um órgão aumentam ou diminuem, respectivamente, o seu tamanho.

c) Podem ser indicadores de ancestralidade comum entre espécies.

d) Permitem o estabelecimento de comparações entre as teorias de Darwin e de Lamarck.

e) Possibilitam o estabelecimento de relações idênticas entre as funções em organismos diferentes.

31. (UFTM)Algumas espécies de aves, como os patos, apresentam os pés palmados, nos quais os dedos estão interligados por uma membrana, o que lhes facilita a locomoção na água. De acordo com a teoria da evolução de Darwin, nas populações ancestrais desses animais, alguns indivíduos:

a) Foram condicionados a desenvolver essas estruturas para sobreviver, e foram favorecidos pela seleção natural.

b) Foram estimulados a sofrer mutações que resultassem na formação de membranas, estas lhes favoreceram no ambiente aquático, com isso permitindo a propagação dessa característica.

c) Nasceram com primórdios de membranas interdigitais, as quais lhes favoreceram no ambiente aquático, e nas gerações seguintes, conseguiram sobreviver sob pressão seletiva.

d) Sobreviveram graças à ocorrência de mutações direcionadas pelo esforço repetitivo na água.

e) Tiveram a sorte de desenvolver membranas interdigitais, devido à ocorrência de mutações induzidas pelo meio aquático.

32. (UFV) Considere as afirmativas abaixo, que apresentam conceitos relacionados ao processo evolutivo.

1. Denomina-se “seleção estabilizadora” o processo de seleção natural que reforça a tendência de favorecer a média dos indivíduos bem adaptados às condições ambientais, selecionando negativamente indivíduos que apresentam características extremas.

2. Quando uma população consegue se ajustar às mudanças ambientais ao longo de sucessivas gerações, transformando alguma característica do conjunto de indivíduos da população, considera-se que houve “adaptação evolutiva”.

3. Fala-se em “seleção direcional” quando ocorrem mudanças ambientais e um fenótipo antes desfavorável ou indiferente passa a ser favorecido, como pode ocorrer na seleção de linhagens de insetos resistentes a determinados inseticidas.

4. “Seleção disruptiva” é aquela que favorece os indivíduos portadores de características extremas, em relação a uma curva normal, enquanto os indivíduos médios levam desvantagem, o que conduz à diversificação da população.

Está correto o que se afirma em:

a) 1, 2, 3 e 4.

b) 1 e 4, apenas.

c) 1 e 3, apenas.

d) 2 e 4, apenas.

e) 1, 2 e 4, apenas.

33.  (UFOP) Em 1859, Charles Robert Darwin publicou seu livro mais famoso, “A Origem das Espécies”. Entre os conceitos considerados por Darwin para a elaboração de sua teoria sobre a evolução biológica das espécies, podemos citar:

I. Seleção natural.

II. Lei do uso e desuso.

III. Mutação.

IV. Adaptação ao meio.

Estão corretas as opções:

a) Somente I e III.

b) Somente I e IV.

c) Somente II e III.

d) Somente III e IV.

34. (PUC-PR) Na evolução animal, a conquista definitiva do ambiente terrestre ocorre:

a) Nos anfíbios, com a respiração pulmonar na fase adulta.

b) Nas aves, com a possibilidade do voo.

c) Nos répteis, com a formação do ovo terrestre.

d) Nos mamíferos marsupiais, com o desenvolvimento do marsúpio.

e) Nos placentários, com o desenvolvimento do útero.

35. (UNIVASF) Considerando diferentes hipóteses evolucionistas, analise as afirmações abaixo e as respectivas justificativas.

1. O GAFANHOTO É VERDE PORQUE VIVE NA GRAMA! Seguindo esse raciocínio, por viver na grama, o gafanhoto passa a produzir pigmentos verdes que o ajudam a se confundir com o ambiente, passando essa característica para os descendentes.

2. O GAFANHOTO VIVE NA GRAMA PORQUE É VERDE! Segundo esse raciocínio, por ser verde, o gafanhoto fica protegido dos predadores. Consequentemente, pode gerar descendentes, aos quais transfere suas características.

As afirmações 1 e 2 podem ser atribuídas, respectivamente, a:

a) Lamarck e Darwin.

b) Hardy-Weinberg e Lamarck.

c) Pasteur e Redi.

d) Spallanzani e Hooke.

e) Oparin e Miller.

36. (PUC-CAMINAS) Um pesquisador mantém, em laboratório, uma linhagem de gafanhotos com o terceiro par de pernas curtas. Na natureza, no entanto, animais adultos com esta característica nunca são encontrados pois:

a) Apenas no laboratório as pernas atrofiam por falta de uso.

b) Na natureza as pernas se desenvolvem pelo seu uso contínuo.

c) Mutações para perna sempre são reparadas.

d) Mutações nas pernas nunca ocorrem na natureza.

e) Mutantes com pernas curtas sofrem seleção.

37. (FGV-SP) Um pesquisador obteve várias sementes de uma mesma planta, sementes essas com diferentes pesos. Na figura abaixo, a curva 1 representa a distribuição de peso dessas sementes. Dentre essas sementes, as mais leves foram plantadas e originaram novas plantas cujas sementes eram, em média, mais leves que as da geração anterior. A curva 2 representa a distribuição de peso dessas novas sementes. O mesmo ocorreu com as sementes mais pesadas que, plantadas, originaram novas plantas cujas sementes eram, em média, mais pesadas que as da geração anterior, como representado na curva 3. O valor X, peso em g, é o mesmo nas três curvas.

37

Sabendo-se que o plantio das sementes e o desenvolvimento das novas plantas deram-se sob as mesmas condições ambientais (composição do solo, luz, temperatura e umidade), pode-se supor corretamente que a variação no peso das sementes é:

a) Geneticamente determinada. Se fosse determinada por fatores ambientais, as descendentes das sementes mais leves deveriam apresentar a mesma distribuição de peso das descendentes das sementes mais pesadas.

b) Geneticamente determinada. Se fosse determinada por fatores ambientais, as descendentes das sementes mais leves deveriam apresentar distribuição de peso indicando serem estas mais leves que as descendentes das sementes mais pesadas.

c) Geneticamente determinada. Se fosse determinada por fatores ambientais, as descendentes das sementes mais leves deveriam apresentar distribuição de peso indicando serem estas mais pesadas que as descendentes das sementes mais pesadas.

d) Devida a fatores ambientais. Se fosse geneticamente determinada, as descendentes das sementes mais leves deveriam apresentar a mesma distribuição de peso das descendentes das sementes mais pesadas.

e) Devida a fatores ambientais. Se fosse geneticamente determinada, as descendentes das sementes mais leves deveriam apresentar distribuição de peso indicando serem estas mais leves que as descendentes das sementes mais pesadas.

38. (UFC)Em muitos animais verificamos algumas estruturas semelhantes em sua anatomia ou função. Um exemplo disso são as asas das aves e dos insetos, ambas usadas para voo. Essas estruturas são conhecidas como:

a) Homólogas, assim como os pelos dos mamíferos e as penas das aves.

b) Homólogas, assim como as nadadeiras das baleias e dos tubarões.

c) Análogas, assim como as asas dos morcegos e o braço humano.

d) Análogas, assim como as patas anteriores do cão e do cavalo.

e) Análogas, assim como as patas dos caranguejos e dos répteis.

39. (FGV) “Assim, a forma do corpo e os membros em forma de barbatanas são caracteres puramente semelhantes quando se compara a baleia com os peixes, porque constituem, nas duas classes, uma adaptação especial em virtude do modo de locomoção aquática.”

(Charles Darwin, in “A origem das Espécies”)

No trecho acima, ao comparar os caracteres citados, Darwin está se referindo a uma situação hoje conhecida por:

a) Convergência adaptativa, resultante da ação da seleção natural em ambientes com as mesmas características.

b) Convergência adaptativa, resultante da ação da seleção natural em ambientes com características distintas.

c) Divergência adaptativa, resultante da ação da seleção natural em ambientes com as mesmas características.

d) Divergência adaptativa, resultante da ação da seleção natural em ambientes com características distintas.

e) Irradiação adaptativa, resultante da competição entre diferentes espécies em um dado ambiente.

40. (UFPR) O gráfico abaixo apresenta a variação da população de uma espécie de inseto considerada praga numa cultura. As setas indicam a aplicação de agrotóxico contra o inseto, sendo que a espessura da seta indica a quantidade de agrotóxico usada.

40

Sobre o comportamento da população de insetos e o uso de agrotóxico representados nesse gráfico, assinale a alternativa correta.

a) A primeira aplicação de agrotóxico não levou a uma imediata alteração da densidade de pragas, por isso houve nova aplicação de agrotóxico.

b) A terceira aplicação só teve sucesso na diminuição da praga porque a dose de inseticida foi maior que as duas primeiras.

c) A magnificação trófica no ecossistema está assegurada, pois a praga só será controlada com doses maiores de agrotóxico.

d) As aves que se alimentam de insetos mortos por agrotóxicos sofrem maior efeito do agrotóxico do que o predador dessas aves.

e) Na terceira aplicação, o agricultor resolveu aplicar maior quantidade de inseticida em função da segunda não ter surtido o efeito desejado, pois restaram os insetos resistentes àquela quantidade de inseticida.

41. (CEFET-SP) A filogenia de alguns animais é baseada nas diferenças entre as sequências dos aminoácidos na molécula da proteína citocromo C. O citocromo C é uma proteína presente em todos os seres vivos que fazem respiração aeróbica, sendo constituída por 104 aminoácidos encadeados. O percentual de cada tipo de aminoácido presente nessa proteína varia nas diferentes espécies de organismos e está relacionada com a proximidade evolutiva entre as espécies. Essa filogenia é coerente com a que foi obtida através do estudo dos fósseis. Pela análise da filogenia são feitas quatro afirmativas.

41

I. A proteína citocromo C do homem e a do macaco indica que eles são evolutivamente, parentes próximos.

II. O atum é evolutivamente mais parente do homem do que o canguru.

III. O pombo é evolutivamente mais parente do pato do que o porco.

IV. Todos os vertebrados tiveram um ancestral comum.

Em relação às frases, pode-se afirmar que:

a) Apenas I, II e IV são verdadeiras.

b) Apenas I, III e IV são verdadeiras.

c) Apenas II e III são verdadeiras.

d) Apenas III e IV são verdadeiras.

e) I, II, III e IV são verdadeiras.

42. (PUC-MG) O esquema abaixo apresenta três possíveis tipos de respostas (gráficos B, C e D) em termos da alteração na distribuição de frequência para o caráter coloração em uma espécie de caracol, decorrentes de três diferentes tipos de seleção natural: estabilizadora (B), direcional (C) e disruptiva (D). A distribuição das frequências na população original é apresentada no gráfico A. Em B, C e D as linhas pontilhadas representam a composição populacional inicial e as linhas contínuas, a composição final.

42

Com base no esquema e em seus conhecimentos sobre o assunto, assinale a afirmativa incorreta.

a) Na seleção disruptiva, o tipo médio é reduzido com o objetivo de impedir a competição entre os tipos desviantes extremos.

b) Em B o aumento da pressão seletiva pode favorecer o tipo fenotípico médio, que é mais bem adaptado, em detrimento dos tipos desviantes.

c) O gráfico C pode refletir variações no meio ambiente e a seleção da camuflagem para se esconder de possíveis predadores.

d) A seleção natural está atuando sobre uma população original (gráfico A) mesmo quando não observamos alterações na distribuição das frequências fenotípicas.

43. (UNEMAT)

I. O ambiente provoca modificações no fenótipo, que não são transmitidas à descendência e, por isso, participam do processo evolutivo.

II. As consequências de mutações somáticas não são importantes em termos de evolução, já que não são transmitidas aos seus descendentes.

III. A mutação gênica faz surgir genes que não existiam em nossos ancestrais.

IV. Por meio das migrações é estabelecido um fluxo gênico que tende a diminuir as diferenças genéticas entre as populações da mesma espécie.

Analisando as afirmativas acima, assinale a alternativa correta.

a) Somente I, II e III são corretas.

b) Somente I, II e IV são corretas.

c) Somente II, III e IV são corretas.

d) Somente II e III são corretas.

e) Somente II e IV são corretas.

44. (UFU) Os braços humanos, as nadadeiras das baleias e as asas dos morcegos têm estruturas ósseas muito parecidas, sugerindo uma ancestralidade comum e as mesmas origens embriológicas. As asas das aves e as dos insetos são estruturas semelhantes quanto à função, mas têm origens evolutiva e embrionária diferentes. De acordo com os estudos relacionados com a biologia do desenvolvimento e com a evolução das espécies, marque a alternativa correta.

a) As asas dos morcegos e as asas dos insetos são órgãos análogos. O processo evolutivo responsável por essa analogia é a irradiação adaptativa.

b) Os braços humanos, as nadadeiras das baleias e as asas dos morcegos são órgãos análogos. O processo evolutivo responsável por essa homologia é a convergência adaptativa.

c) As asas dos morcegos e as asas dos insetos são órgãos homólogos. O processo evolutivo responsável por essa homologia é a convergência adaptativa.

d) Os braços humanos, as nadadeiras das baleias e as asas dos morcegos são órgãos homólogos. O processo evolutivo responsável por essa homologia é a irradiação adaptativa.

45. (CEFET-SP) Em fevereiro de 2006, arevista americana Fortune publicou uma matéria com o título de “Climate collapse, the Pentagon’s weather nigthmare” (Colapso climático, o pesadelo do Pentágono). Na matéria, o articulista David Stipp afirma, sobre as mudanças climáticas profundas que a Terra experimentará dentro de pouco tempo, que “há poucos anos tais mudanças pareciam ser sinais de possíveis problemas para nossos filhos e netos, mas hoje anunciam que pode não esperar convenientemente que já tenhamos passado à história”. Stipp ainda diz que, em menos de uma década, o clima do mundo pode virar “como uma canoa que se inclina pouco até emborcar de repente”. A previsão é que essa virada brusca ocorra entre os anos de 2.010 e 2.020. A reportagem faz um alerta porque:

a) As mudanças climáticas favorecem a evolução, pois somente os mais aptos sobrevivem.

b) Gerações futuras não serão afetadas pelas mudanças climáticas.

c) Havendo mutações, é possível direcionar a formação de novas espécies através da seleção natural.

d) Todos os habitantes da Terra desaparecerão, pois o clima tornará a sobrevivência das espécies impossível.

e) Essas mudanças climáticas podem ser direcionadas e suas consequências não afetará a vida no planeta.

46. (PUC-CAMPINAS) Para responder esta questão considere o texto abaixo.

Uma espécie de lagarto libera, de algumas glândulas, uma secreção que exala compostos (feromônios) atraentes para outros indivíduos da espécie.

(Adaptado de Pesquisa Fapesp. n. 135. Maio 2007. p. 37)

Essa espécie de lagarto ocorre desde a América Central até o sul da América do Sul. As diferentes populações são consideradas como pertencentes à mesma espécie porque:

a) São todas intercruzantes.

b) Ocorrem em habitats semelhantes.

c) Possuem glândulas nos mesmos locais do corpo.

d) Apresentam os mesmos feromônios.

e) São morfologicamente semelhantes.

47. (UFC)                            LEIA O TEXTO A SEGUIR.

O mamífero-símbolo da Idade do Gelo provavelmente tinha dois tipos de pelagem: castanho-escuro e loiro. A inferência vem diretamente do DNA do mamute-lanoso (Mammuthus primigenius), de exemplares mortos há 43 mil anos na Sibéria. É uma das primeiras vezes em que os genes de um animal extinto dão pistas sobre características suas em vida. Mamutes podem ter tido pelo “loiro”, sugere análise de DNA.

                                         Folha de São Paulo, 07/07/2006.

Em relação às características genéticas desse mamífero, é possível afirmar corretamente que:

a) Seus genes estavam dispostos em cromossomos circulares.

b) Seu DNA era composto por bases nitrogenadas, ribose e fosfato.

c) Seus genes estavam organizados nos plasmídeos.

d) Suas moléculas de DNA apresentavam estrutura helicoidal.

e) Seus genes para o tipo de pelagem localizavam-se no DNA mitocondrial.

48. (UFPB) O quadro, a seguir, apresenta duas colunas: a primeira contém frases incompletas relativas à Teoria Moderna da Evolução, e a segunda apresenta duas opções de complemento para cada frase. Complete-as corretamente:

1ª Coluna

2ª Coluna

I

Uma importante consequência do fenômeno de mutação é a… 1. limitação da diversidade biológica.2. criação de novas variantes de seres vivos.

II

A variabilidade genética é gerada pela… 3. mutação gênica e pela recombinação gênica.4. seleção natural.

III

A força responsável pelo direcionamento do processo evolutivo é a… 5. recombinação gênica.6. seleção natural.

As frases I, II e III são complementadas, respectivamente, pelas opções identificadas pelos números:

a) 1, 4, 5.

b) 2, 3, 6.

c) 2, 3, 5.

d) 1, 3, 5.

e) 1, 4, 6.

49. (UFAC) Assinale a alternativa correta após associar as colunas, de cima para baixo.

1. O desenvolvimento ou a atrofia de estruturas como consequência de seu uso ou desuso resulta como uma característica hereditária.

2. Asobrevivência dos seres vivos mais adaptados permite que esses evoluam no decorrer do tempo.

3. Mutações e recombinações genéticas produzem a variabilidade dos seres vivos.

(   ) Neodarwinismo.

(   ) Darwinismo.

(   ) Lamarckismo.

a) 1, 2, 3.

b) 1, 3, 2.

c) 2, 1, 3.

d) 2, 3, 1.

e) 3, 2, 1.

50. (PUC-CAMPINAS) A enguia elétrica ou poraquê (Eletrophorus eletricus), peixe da região amazônica, tem eletroplacas. Essas eletroplacas podem gerar uma tensão de até 600V e uma corrente de 2,0A, em pulsos que duram cerca de 3,0 milésimos de segundo, descarga suficiente para atordoar uma pessoa e matar pequenos animais.

(Adaptado de Alberto Gaspar. Física. v. 3. São Paulo: Ática, p. 135)

Se uma população de Eletrophorus eletricus ficar isolada por muito tempo, a ponto de não mais gerar descendentes férteis com a população original, ocorrerá:

a) Uma nova espécie de Eletrophorus eletricus.

b) Um novo gênero de eletricus.

c) Uma nova espécie do gênero Eletrophorus.

d) Uma raça de Eletrophorus eletricus.

e) Um novo gênero de Eletrophorus eletricus.

GABARITO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

A

D

C

E

VFFFF

B

A

C

D

A

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

D

D

A

A

VVVFF

E

B

A

B

D

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

D

D

C

B

D

D

C

E

C

C

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

C

A

B

C

A

E

A

E

A

E

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

B

A

D

D

A

A

D

B

E

C

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 412 outros seguidores