Publicado por: Djalma Santos | 27 de agosto de 2015

TESTES DE SISTEMA DIGESTÓRIO (II)

01. (UEA) Para responder esta questão tome por base o fragmento abaixo. A Castanheira A castanheira (Bertholletia excelsa), também conhecida como castanha-do-Brasil, é a mais famosa espécie de árvore nativa da Amazônia e as maiores concentrações estão na Amazônia Brasileira. Árvore de grande porte, a castanheira chega a atingir até 60 metros de altura e diâmetro, na base, superior a 4 metros. Os frutos, conhecidos como ouriços, são lenhosos e esféricos, atingindo entre 10 e 15 centímetros de diâmetro, pesando até 1,5 kg, e contendo até 25 sementes. Diversas espécies de fauna, incluindo pássaros e mamíferos (como roedores e primatas), utilizam-se dessas sementes para seu alimento, inclusive o homem. A castanha (semente da castanheira) é um alimento muito rico. Quando desidratada, possui cerca de 17% de proteína e seu teor de gordura chega a 67%.

(www.greenpeace.org. Adaptado.)

A castanha ingerida por uma pessoa deverá passar pela digestão para que as proteínas e lipídios armazenados em seus tecidos possam ser aproveitados. Sobre a digestão dessas substâncias, pode-se afirmar que:

a) A boca é o local ideal, pois as enzimas presentes na saliva têm sua maior atividade em meio neutro.

b) A digestão das proteínas se inicia no estômago, sendo finalizada no intestino delgado; a digestão dos lipídios ocorre principalmente no intestino delgado.

c) A digestão das proteínas se inicia na boca, sendo finalizada no intestino delgado; o fígado produz a bile, substância responsável pela digestão dos lipídios.

d) A digestão dos lipídios inicia e termina no estômago devido ao ambiente ácido e propício à ação das lipases, enquanto as proteínas são totalmente digeridas no intestino delgado.

e) As proteínas serão totalmente digeridas no estômago, liberando os aminoácidos devido ao meio ácido proporcionado pelo HCl; os lipídios serão digeridos a partir do duodeno sob a ação da bile.

02. (IFSul) O conjunto de sistemas de um organismo funciona de forma a garantir a manutenção da vida, mantendo a capacidade de autorregulação dos seres, através da realização de diferentes funções. Nas diferentes etapas e processos do sistema digestório humano, é correto afirmar que:

a) Quimo é a massa de alimento mastigado e misturado à saliva, que é empurrado através do esôfago até chegar ao estômago.

b) A pepsina é a principal enzima ativa presente no suco gástrico, e sua função está relacionada à digestão de diversas proteínas.

c) Bolo alimentar é uma massa branca acidificada e semilíquida, que pode permanecer no estômago por horas até ser liberada para o duodeno.

d) A bile é a secreção produzida pelo pâncreas, sem enzimas digestivas, e responsável pela emulsificação e quebra de lipídios e vitaminas.

03. (UDESC) Analise as proposições quanto à fisiologia da digestão.

I. As glândulas salivares secretam enzimas digestivas que atuam exclusivamente na boca digerindo os lipídios.

II. O pâncreas secreta enzimas digestivas que agem na degradação de glicídios, lipídios e proteínas.

III. A bile, secretada pelo fígado, é essencial para absorção normal de proteínas digeridas.

IV. A vesícula biliar armazena a bile.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.

e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

04. (UPF) A digestão no ser humano se inicia na boca com a mastigação e a atividade da ___________, que atua sobre os ____________. A massa formada pelo alimento mastigado e insalivado é chamada de bolo alimentar. Por ação da língua, esse bolo é empurrado para a _________________, de onde passa para o____________ e deste para o ______________. O que completa correta e respectivamente a frase se encontra na alternativa:

a) ptialina / lipídeos / faringe / esôfago / intestino.

b) pepsina / carboidratos / laringe / estômago / intestino.

c) pepsina / protídeos / laringe / esôfago/ estômago.

d) amilase / carboidratos / faringe / esôfago / estômago.

e) amilase / amidos / laringe / estômago / intestino.

05. (PUC-SP) Uma pessoa apresenta uma rara doença que provoca alterações significativas em suas funções hepáticas. Assinale o mecanismo abaixo que poderia ser diretamente afetado no organismo dessa pessoa.

a) Digestão de proteínas no estômago.

b) Digestão de carboidratos no duodeno.

c) Produção de suco pancreático.

d) Produção de bile.

e) Produção de suco gástrico.

06. (CEDERJ) A figura abaixo mostra uma sequência do tubo digestório humano e alguns órgãos anexos.

06

Na figura, os algarismos romanos – I, II, III, IV e V – correspondem respectivamente a:

a) Estômago, pâncreas, intestino, vesícula e fígado.

b) Fígado, pâncreas, intestino, vesícula e estômago.

c) Fígado, vesícula, intestino, pâncreas e estômago.

d) Estômago, fígado, intestino, vesícula e pâncreas.

07. (IFSul) O conjunto de processos pelos quais os componentes dos alimentos são transformados em substâncias assimiláveis pelas células denomina-se digestão. Esses processos são intermediados pela presença de diversas enzimas, que executam diferentes funções. A principal enzima ativa no suco gástrico, que atua na digestão de proteínas, quebrando as ligações peptídicas entre certos aminoácidos é a:

a) Tripsina.

b) Pepsina.

c) Aminopeptidase.

d) Dipeptidase.

08. (UNAMA) Embora os alimentos que consumimos percorram o mesmo caminho dentro do tubo digestório, a digestão de seus componentes (nutrientes) ocorre a partir de enzimas produzidas em diferentes órgãos e em diferentes momentos. Os diferentes tipos de nutrientes, que devem existir em nossa alimentação diária, são tratados durante o percurso no tubo digestório em cada momento específico. Alguns alimentos não são digeridos pelas enzimas digestivas humanas, como as fibras, no entanto, sua presença é muito importante no funcionamento da digestão, e responsáveis por questões fora do âmbito digestivo. (Adaptado de http://corpohumanointegradoecomplexo.blogspot.com/2009/04/enzimas-digestivas.html. Acesso 15.10.2011).

Sobre o processo descrito no texto, é correto afirmar que:

a) O amido é um nutriente que sofre digestão em todo o percurso do trato digestório.

b) A celulose, encontrada em células vegetais, por ser um carboidrato, é digerida ao nível da boca e do intestino delgado. c) Como exemplo da substância em destaque no texto, a bile produzida no fígado, é responsável pela digestão das gorduras.

d) A substância em destaque facilita a absorção e a utilização das propriedades nutritivas de cada tipo de alimento.

09. (UFG) Leia o texto a seguir.

Um estudo recente mostrou que ratas alimentadas, durante o período gestacional, com dieta pobre em proteína obtiveram filhotes que possuíam as carboidrases, como exemplo a lactase, mais ativas. Os transportadores presentes nas membranas das células intestinais, responsáveis pelo transporte ativos de glicose e peptídios também aumentaram.

HUTFLESZ, Yuri. Ecos de uma dieta pobre. In: Ciência Hoje, n. 296, v. 50, set. 2012, p. 45. (Adaptado).

Esses resultados permitem concluir que a dieta administrada causa na geração F1 um aumento na:

a) Digestão intracelular.

b) Digestão de lipídios.

c) Produção de suco pancreático.

d) Absorção de glicídios.

e) Emulsificação.

10. (UECE) A digestão transforma as moléculas grandes e complexas dos alimentos em outras, pequenas, simples e solúveis. O alimento degradado é o provedor da energia necessária a todo trabalho realizado pelo organismo, inclusive o da digestão. Partindo-se da premissa de que esse mecanismo (mecânico e químico) é imprescindível à vida, assinale a opção correta quanto ao processo da fisiologia da digestão humana.

a) Um polissacarídeo, como o amido, só pode ser utilizado após ser desdobrado em muitas moléculas de glicose. As proteínas, que são macromoléculas, devem ser desdobradas até seus aminoácidos constituintes.

b) A digestão abrange processos mecânicos e químicos. Os primeiros correspondem à preparação e à mistura dos alimentos com carboidratos para a efetivação da digestão química e às etapas químicas de digestão, que dependem da produção e da ação de complexos lipídios e de outras substâncias auxiliares.

c) Ao longo do intestino delgado ocorrem as etapas finais do desdobramento das substâncias pela ação do suco entérico, que contém várias glucidases (lactose, maltose, sacarose), além de lipases e peptidases. São estas últimas que desdobram os peptídeos em proteínas.

d) A chegada de alimento ao estômago faz com que células da sua mucosa produzam um hormônio, a pepsina, a qual, por via sanguínea, é levada às glândulas gástricas, estimulando-as a produzir suco gástrico.

11. (UCS) O sistema digestório das aves apresenta algumas estruturas características, que tornam a maioria desses animais onívoros, capazes de ingerir diferentes tipos de alimentos. Considere as seguintes proposições em relação ao sistema digestório das aves.

I. A moela é um local de digestão enzimática, semelhante ao estômago humano.

II. A abertura externa, no final do sistema digestório, é a cloaca, por onde também são eliminados os produtos finais do sistema excretor e do sistema reprodutor.

III. O papo é uma região dilatada do intestino delgado, responsável pelo amolecimento de alimentos duros, como sementes e partes vegetais.

Das proposições acima, é correto afirmar que:

a) Apenas I está correta.

b) Apenas II está correta.

c) Apenas II e III estão corretas.

d) Apenas I e III estão corretas.

e) I, II e III estão corretas.

12. (FATEC) Um dado preocupante, quando se analisa o hábito alimentar da população brasileira, principalmente nos grandes centros urbanos, é que em geral se verifica uma baixa ingestão de alimentos ricos em fibras. As fibras estão presentes em maior quantidade em vários alimentos de origem vegetal, tais como, verduras, legumes, frutas e cereais integrais. A ingestão dos alimentos ricos em fibras é importante porque:

a) Estimula a produção de enzimas gástricas.

b) Facilita a ação da bile na digestão das proteínas.

c) Fornece a energia necessária às atividades vitais.

d) Acelera a passagem do bolo fecal pelo intestino.

e) Permite a absorção da celulose pelo corpo.

13. (MACK) A respeito das glândulas anexas do tubo digestório, é correto afirmar que:

a) Todas produzem enzimas digestivas.

b) O alimento passa pelo interior delas para receber sua secreção.

c) A secreção das glândulas salivares é responsável por iniciar a digestão de proteínas.

d) A secreção do fígado se relaciona à digestão de carboidratos.

e) O pâncreas produz a maior parte das enzimas digestivas.

14. (UEPG) Na fisiologia humana a ação enzimática é imprescindível em diversos processos. Com relação às atividades enzimáticas e seu local de ação, assinale o que for correto.

01. O suco pancreático produz, entre outras enzimas, a tripsina e a quimiotripsina que digerem proteínas e peptonas, transformando-as em moléculas menores.

02. A renina está presente em grande quantidade no suco gástrico de recém-nascidos e de crianças e, em pequena quantidade, no estômago de pessoas adultas. Sua função é provocar a coagulação da caseína, a principal proteína do leite, fazendo com que ela permaneça por mais tempo no estômago e seja mais bem digerida.

04. A pepsina é a principal enzima ativa no suco gástrico e atua na quebra de ligações sacarídicas.

08. Ao penetrar na hemácia, o gás carbônico reage com a água e produz o ácido carbônico. Essa reação é acelerada pela enzima anidrase carbônica.

Soma das alternativas corretas:

15. (PUC-GO) Use o texto abaixo para responder esta questão.

A lauta ceia há muito está pronta, esperando. O séquito, com seu apetite e gula, só não vai servir-se de comida fria porque as panelas de ferro, de pedra e de barro são enormes e seguram o calor por um tempo bastante esticado. Também porque a criadagem, vendo que o imbróglio do preto velho pode atrasar sem tanto o inicio da refeição, cuidam de deixar um fogo manso por debaixo das ditas panelas, que embrulhado em cinzas dorme, insuficiente para queimar a comida, mas o bastante para incutir nela o desejável calor, naquele ponto em que para quem for comer, será preciso soprar. Soprar não é coisa que alimenta o estômago, mas é ritual que alimenta o apetite, fazendo a comida que seja boa ficar ainda melhor. Com isso a criadagem acaba lucrando, pois o melhor que há do arroz com palmito amargo, um dos pratos que será servido, e a rapa que fica grudada no fundo e nas paredes da panela e quanto mais fica chocando sobre a febre da lenha, mais a rapa prospera e mais cheirosa fica. Como aos escravos sempre cabem os rebotalhos, a cartilagem, a pele, os miúdos e as rapas das panelas, hoje também haverão de banquetear-se com tal fartura e gosto que muitos hão de achar estranho.

Sem a patroa que achou por bem ficar conduzindo a criadagem, o dono da casa, por resto, senta-se a mesa, com o capitão-general a seu, lá dele, lado direito, e o secretário do capitão-general a sua esquerda, que é assim que os bons modos recomendam a um anfitrião atento, desde que a oração do creio em deus padre deu conta de que o Deus-filho está sentado ao lado direito de Deus-pai Todo-Poderoso, que há de vir julgar os vivos e os mortos e esquecer os distraídos, por certo.

(LOURENÇO, Edival. Naqueles morros, depois da chuva: o jogo do Diabolo. São Paulo: Hedra, 2011. p. 87-88.)

“Soprar não é coisa que alimenta o estômago, mas é ritual que alimenta o apetite, fazendo a comida que seja boa ficar ainda melhor”

O trecho acima, extraído do texto, menciona o estômago, importante órgão envolvido no processo digestivo. Sobre esse processo, analise as alternativas abaixo e marque a verdadeira:

a) A entrada do bolo alimentar no estômago estimula a produção do hormônio gastrina, aumentando a secreção do suco gástrico.

b) Após a saída do bolo alimentar do estômago, o próximo destino e o íleo, no intestino delgado, que produz o suco entérico.

c) A absorção de nutrientes ocorre fundamentalmente no intestino grosso, que também promove a egestão.

d) A bile produzida no pâncreas contem diversas enzimas que atuam na digestão.

16. (UPE) De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 500 milhões de pessoas sofrem de obesidade. A cirurgia bariátrica tem sido utilizada no tratamento da obesidade mórbida, que acomete pessoas com o índice de massa corporal (IMC) superior a 40. Uma das técnicas desse tipo de cirurgia é denominada de Capella, que liga o estômago ao fim do intestino delgado.

16

Disponível em: http://www.clinicag.com.br

Qual das alternativas abaixo apresenta justificativa correta quanto ao procedimento denominado Capella?

a) O alimento que chega ao intestino já foi completamente digerido no estômago.

b) Ao se diminuir o percurso no intestino delgado, limita-se a absorção dos alimentos que acontece principalmente nessa região.

c) A ação do suco pancreático é otimizada pelo menor tamanho do intestino delgado.

d) A proximidade com o intestino grosso promoverá uma maior recuperação d’água no bolo alimentar e consequentemente maior sensação de saciedade.

e) A absorção de carboidratos no estômago é preservada, no entanto a absorção no intestino grosso é eliminada.

17. (UNAMA) Ela habita uma região hostil onde poucos seres vivos ousariam viver. Cercada por ácidos e enzimas capazes de transformar o bife mais duro em nutrientes microscópicos, a bactéria Heliobacter pylori (H. pylori para os mais íntimos), vista como uma das grandes vilãs do sistema digestivo, é capaz de sobreviver na inóspita mucosa gástrica, podendo, também, estar envolvida na falta de ferro no organismo e ainda trazer sérias dores de cabeça, ou melhor, de barriga. (Revista Saúde. Abril/2006).

Assim, é correto afirmar sobre o alimento em destaque no texto:

a) Sofre ação da ptialina na boca, desdobrando as proteínas em maltose.

b) As enzimas que atuam sobre esse alimento são produzidas pela pylori.

c) As enzimas que atuam sobre ele são a pepsina e o ácido clorídrico.

d) A pepsina é a enzima que atua sobre as proteínas desse alimento, no estômago.

18. (UNIV.CATÓLICA-SC) Leia o texto a seguir para responder esta questão. “A passagem do colesterol do fígado para a bile deve ser acompanhada pela secreção simultânea de fosfolipídeos e sais biliares. Se a secreção conjunta desses lipídeos for prejudicada e entrar bile mais colesterol do que pode ser solubilizado pelos sais biliares e lecitina, o colesterol precipita na vesícula biliar, iniciando a colelitíase – ou a formação das chamadas pedras de colesterol na vesícula. Essa doença é causada pela diminuição dos ácidos biliares na bile, que pode ter origem: 1) na deficiência de absorção de ácidos biliares no intestino, observada em paciente com doença grave no íleo; 2) na obstrução do trato biliar, com interrupção da circulação entero-hepática…”

Fonte: CHAMPE. P. Bioquímica ilustrada. p. 226.

A bile é liberada no duodeno a partir da estimulação do hormônio colecistoquinina produzido pelo próprio duodeno. Considerando que uma determinada pessoa não libere bile no duodeno isso poderá acarretar:

a) Dificuldade na digestão de lipídios, uma vez que a bile emulsifica gorduras facilitando a ação da lípase pancreática.

b) Dificuldade na digestão de lipídios, uma vez que a bile possui enzimas que digerem gorduras.

c) Dificuldade em manter o pH ácido no duodeno, uma vez que a acidez acelera a quebra de lipídios.

d) Dificuldade na secreção de enzimas pancreáticas, uma vez que, se a bile não é liberada, não há estimulação para liberar suco pancreático.

e) Retardo na digestão de proteínas que dependem das enzimas biliares para serem digeridas.

19. (UCPel) O local de produção da enzima lactase é:

a) O intestino delgado.

b) O pâncreas.

c) O intestino grosso.

d) A boca.

e) O fígado.

20. (PUC-MG) Nosso sistema digestório é requisitado a entrar em ação várias vezes por dia, a cada refeição que fazemos. Mesmo quando não estamos comendo, ele continua trabalhando para garantir a nutrição de todas as células do nosso corpo. Por ser tão exigido, é de esperar que o sistema digestório seja um dos que apresentam o maior índice de perturbações ou doenças. Sobre esse assunto, assinale a afirmativa incorreta.

a) A opção de seguir uma dieta balanceada pode reduzir o risco de aparecimento de doenças nesse sistema, mas outros fatores como o sistema nervoso podem influenciar fortemente o trato digestório.

b) Certas bactérias que vivem na boca humana alimentam-se dos restos de comida que ficam nos dentes e podem produzir ácidos que corroem o esmalte dos dentes causando cáries.

c) Apesar de a saliva conter substâncias bactericidas e de o suco gástrico destruir a maior parte dos microrganismos ingeridos, alguns deles podem sobreviver e se multiplicar no sistema digestório, originando infecções intestinais.

d) Em condições anormais, o pâncreas retém suco pancreático cujas enzimas podem causar lesões e uma inflamação denominada apendicite sendo uma das principais causas o alcoolismo.

21. (CEFET-MG) Os processos digestivos são controlados pelo sistema nervoso autônomo e por hormônios como gastrina que estimula o(a):

a) Secreção de suco pancreático.

b) Produção de HCl pelo estômago.

c) Liberação da bile pela vesícula biliar.

d) Aumento do peristaltismo pelo intestino.

e) Secreção de ptialina pelas glândulas salivares.

22. (IFMG) A celulose é um carboidrato, um polissacarídeo com função estrutural. É um componente presente em todos os alimentos de origem vegetal. Os seres humanos não são capazes de digerir as fibras de celulose; porém, elas são importantes, pois:

a) Fornecem energia para o corpo.

b) Formam estruturas esqueléticas importantes.

c) São fontes de vitaminas.

d) Facilitam a formação e eliminação das fezes.

23. (UFT) A digestão humana é realizada por diversas enzimas que compõem os diferentes sucos digestórios. Observe o quadro a seguir e assinale a alternativa que corresponde corretamente aos numerais I, II, III e IV, respectivamente:23

a) Saliva, sacarose, glicose e tripsina.

b) Bile, proteínas, aminoácidos e sacarase.

c) Saliva, proteínas, ácidos graxos e maltase.

d) Suco pancreático, peptonas, glicose e lípase.

e) Suco gástrico, maltose, aminoácidos e maltase.

24. Sobre a digestão nos diferentes grupos animais, assinale a alternativa incorreta:

a) É intracelular nas amebas e ocorre no interior dos vacúolos digestórios.

b) É intracelular nas esponjas e ocorre no interior de células especiais denominadas coanócitos.

c) Começa extracelular, na cavidade digestória, e termina no interior das células nas hidras.

d) Na minhoca e em outros invertebrados complexos é totalmente intracelular.

e) Nos vertebrados é extracelular e ocorre inteiramente na cavidade do tubo digestório.

25. (UNCISAL) A digestão dos alimentos inicia-se na boca com a mastigação. Ao longo do sistema digestivo ou digestório, os alimentos são transformados pela ação de enzimas específicas presentes nas secreções digestivas da boca, do estômago e do intestino delgado. Estruturas anexas do sistema digestivo são as glândulas salivares, o pâncreas, o fígado e a vesícula biliar. Os órgãos do sistema digestivo possuem, nas suas paredes, sua musculatura, que ao se contrair, promove os movimentos peristálticos. O peristaltismo faz com que o alimento seja propagado pelo interior do tubo digestivo, da boca ao ânus. Marque a opção que complementa corretamente o quadro apresentado abaixo.

25

a) Estômago (1) – ptialina (2) – suco pancreático (3) – intestino delgado (4) – pâncreas (5) – pepsina (6).

b) Pâncreas (1) – tripsina (2) – suco pancreático (3) – intestino delgado (4) – pâncreas (5) – amilase salivar (6).

c) Estômago (1) – pepsina (2) – suco pancreático (3) – intestino delgado (4) – fígado (5) – ptialina (6).

d) Intestino delgado (1) – pepsina (2) – suco pancreático (3) – fígado (4) – pâncreas (5) – ptialina (6).

e) Estômago (1) – tripsina (2) – suco pancreático (3) – fígado (4) – pâncreas (5) – amilase salivar (6)

26. (UFSC) Após ler o parágrafo abaixo, numere a coluna 2 relacionando com os termos da coluna 1. Nos animais, o alimento é obtido através de uma diversidade de métodos, em relação aos tipos de estruturas corpóreas que auxiliam na tomada de alimento.

26

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

a) I – I – II – II.

b) II – II – I – I.

c) I – I – I – II.

d) II – I – II – II.

e) II – I – I – II.

27. (UPE) Baseando-se na relação de cada uma das alternativas com a figura e a funcionalidade de cada órgão, assinale a correta.

27

Fonte adaptada de http://srec.azores.gov.pt/dre/sd/115132020201/ESA/downloads/O%20SISTEMA%20DIGESTIVO.htm.

a) O estômago (I) sofre a ação da secretina, que, ao entrar em contato com o alimento, estimula a secreção do suco pancreático e o aumento da acidez estomacal.

b) A vesícula biliar (II) possui a função de armazenamento da bile, responsável pela saponificação da gordura proveniente dos alimentos.

c) O duodeno (III) secreta a enterogastrona, que atua na inibição da secreção do suco gástrico e da motilidade gástrica, tornando o esvaziamento do estômago mais lento.

d) O pâncreas (IV) secreta as enzimas encontradas no suco pancreático, que atuam diretamente, no intestino delgado.

e) O fígado (V) não possui uma função que o ligue diretamente à digestão, mas apenas à destruição e excreção de metabólitos, como o álcool e os medicamentos.

28. (ENADE) Em um ambiente universitário, as refeições não são feitas adequadamente, muitas vezes por falta de tempo. A fome acaba sendo suprida com alimentos do tipo fast food. Suponha que um estudante universitário tenha ingerido, como sua refeição principal do dia, um sanduíche de pão francês, manteiga, carne, queijo, acompanhado de um copo de suco de laranja sem açúcar. Para os constituintes dessa refeição, as enzimas que atuarão na digestão dos alimentos, na ordem em que foram apresentados, são:

a) Sacarase, amilase, lipase, pepsina, amilase.

b) Pepsina, sacarase, amilase, lipase, lipase.

c) Pepsina, amilase, lipase, sacarase, sacarase.

d) Amilase, lipase, pepsina, pepsina, sacarase.

e) Lipase, pepsina, sacarase, amilase, amilase.

29. (UNICENTRO) Considere as ilustrações em A e em B.

29

Após uma análise cuidadosa desse esquema e com base nos conhecimentos sobre o sistema digestório, assinale com V as afirmações verdadeiras e com F, as falsas.

( ) O álcool etílico, alguns sais e a água podem ser absorvidos diretamente no estômago, porém, em sua maioria, os nutrientes são absorvidos pela mucosa do intestino delgado, de onde passa para a corrente sanguínea.

(  ) O início do intestino grosso chama-se duodeno, que é o local onde o suco intestinal e a bílis transformam o bolo alimentar em quimo.

( ) No intestino delgado, a absorção dos nutrientes ocorre nas vilosidades intestinais, que facilitam a absorção, pois aumentam a superfície de absorção.

( ) Na absorção, os nutrientes passam do tubo digestivo para a corrente sanguínea e daí para todas as células do corpo.

( ) O intestino grosso absorve a água lentamente, de modo que o material alimentar demora a tomar a consistência típica do bolo fecal.

A alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo, é:

a) F F V V F.

b) F V V F V.

c) V F V V F.

d) V V V F F.

e) F V F F V.

30. (UNAMA) Nos seres humanos, a digestão é um processo que envolve um conjunto das transformações mecânicas e químicas que os alimentos orgânicos sofrem ao longo do sistema digestório, para se converterem em compostos menores hidrossolúveis e absorvíveis. Sobre esse processo, analise e relacione as colunas:

1. Boca

2. Faringe

3. Estômago

4. Intestino delgado

(  ) Ocorre a deglutição

(  ) Ocorre a mastigação

(  ) Ocorre quebra de proteínas e carboidratos

(  ) A ptialina atua sobre o amido

(  ) Ocorre quebra de proteínas

A sequência correta de cima para baixo é:

a) 2, 3, 4, 1, 1.

b) 2, 1, 4, 1, 3.

c) 3, 4, 1, 2, 1.

d) 3, 1, 4, 1, 2.

gab

Publicado por: Djalma Santos | 21 de agosto de 2015

MEIOSE

CONSIDERAÇÕES GERAIS

A meiose, simbolizada por R!, é um tipo de divisão que forma quatro células filhas, com metade do número de cromossomos presentes na célula mãe (figura abaixo), sendo por isso considerada, ao contrário da mitose, uma divisão reducional. Nela, ocorre apenas uma duplicação de DNA, para duas divisões celulares, denominadas meiose I (divisão I da meiose) e meiose II (divisão II da meiose). Na mitose, por outro lado, cada duplicação de DNA é seguida por uma divisão celular.

1

Observando, ainda, a figura acima, constata-se que na primeira divisão, na qual não há duplicação de centrômeros, ocorre separação de homólogos, e na segunda, na qual há duplicação de centrômeros, ocorre separação das cromátides-irmãs. Ressaltamos que a meiose tem início depois de uma interfase que não difere muito daquela que antecede a mitose (ver CICLO CELULAR, matéria publicada neste blog no dia 13/08/2015).

Considerando o número de cromossomos, a primeira divisão é reducional (reduz esse número à metade) e a segunda, a exemplo da mitose, é equacional (o número de cromossomos das células formadas é o mesmo da célula que iniciou a divisão II). Assim sendo, a partir de uma célula diploide (2n), por exemplo, como mostra a figura anterior, formam-se, após a meiose I, duas células haploides (n), com cromossomos duplicados (formados por duas cromátides-irmãs, unidas pelo centrômero). Cada uma dessas, após a meiose II, produz duas células haploides (n), cujos cromossomos são representados por uma única cromátide (cromossomos não duplicados). Levando em consideração, entretanto, o teor de DNA nuclear, ambas são reducionais, como se pode constatar, também, na figura acima. Tomando como referência a citada figura, percebe-se que antes de iniciar a meiose I, a célula apresenta 4 cromátides (dois cromossomos duplicados). Em função de cada cromátide, de acordo com a teoria uninêmica (ver CICLO CELULAR, matéria publicada neste blog no dia 13/08/2015), apresentar uma única dupla-hélice contínua de DNA, a célula que inicia a primeira da meiose possui 4 DNAs e cada uma de suas filhas são constituídas por 2 DNAs (um único cromossomo, com duas cromátides). Houve, portanto, redução do número de DNAs, que passou, na divisão I, de 4 para 2. Cada uma das células resultantes da divisão II, por seu turno, apresenta um único cromossomo não duplicado (uma única cromátide), portanto, apenas uma molécula de DNA. Dessa forma, houve nova redução na meiose II, haja vista que o número de DNA passou de 2 para 1. A figura a seguir mostra as variações do conteúdo de DNA e do número de cromossomos durante a meiose. Com base no exposto e na figura, podemos concluir que, considerando DNA, as meioses I e II são reducionais e considerando cromossomo, a meiose I é reducional e a II é equacional.

2

OBJETIVO DA MEIOSE

A meiose representa um mecanismo fundamental do ciclo de reprodução sexuada, em face de ela contrabalançar o fato de o número de cromossomos dobrar por ocasião da fecundação. Imaginando-se uma situação de ausência de meiose, toda vez que ocorresse uma fecundação, o número de cromossomos duplicaria, o que terminaria por inviabilizar a espécie. Neste contexto, se os gametas humanos, por exemplo, fossem dotados de 46 cromossomos, a fusão deles (fecundação) resultaria em células com 92 cromossomos. Dessa forma, a meiose tem como objetivo manter, constante, o número de cromossomos das espécies, e não formar, obrigatoriamente, gametas. Dentre as meioses [gamética ou final; zigótica ou inicial e espórica ou intermediária (ver TIPOS DE MEIOSE, matéria publicada neste blog no dia 10/10/2010)], a única que produz gameta é a final.

PROCESSO GERAL DA MEIOSE

Muitos dos fenômenos que ocorrem na mitose (formação do fuso acromático, desaparecimento dos nucléolos, desintegração da carioteca, movimento dos cromossomos para o meio da célula e, em seguida, para os polos. …), também se repetem na meiose. Por causa disso, ela pode ser estudada através das mesmas fases (prófase, metáfase, anáfase e telófase), adotadas na mitose. Uma diferença entre os dois processos é que, na meiose, como mencionamos acima, há uma duplicação de DNA para duas divisões celulares, denominadas meiose I e meiose II, levando à formação de quatro células filhas, para cada uma que inicia o processo. Isso explica a redução do padrão cromossomial de 2n para n. Na mitose, ao contrário, há apenas uma divisão celular, para cada duplicação de DNA. Outra característica importante da meiose é que as células produzidas não são, via de regra, geneticamente iguais, como ocorre na mitose. Esse fato aumenta a variedade genética dos indivíduos formados através da reprodução sexuada. A figura abaixo mostra, resumidamente, o esquema geral da meiose, que analisaremos e a seguir.

3

PRIMEIRA DIVISÃO DA MEIOSE (MEIOSE I): compreende prófase I, metáfase I, anáfase I e telófase I.

I. PRÓFASE I: é a mais longa e mais complexa de todas as fases da meiose. Nela, ocorrem eventos que não são observados na mitose, tais como o emparelhamento [sinapse cromossômica (mostrada a seguir, em zigótene)] dos cromossomos homólogos (um fornecido pelo pai e outro pela mãe, que convivem nas células diploides) e a troca de pedaços entre cromátides homólogas [“crossing-over” (permutação ou recombinação gênica)], formando cromátides recombinadas, como mostra a figura a seguir.

4

Devido a sua importância e a sua complexidade, essa fase é dividida em 5 subfases: leptóteno (do grego, “leptos”, fino, delgado; “tainia”, fita, filamento), zigóteno (do grego, “zygon”, emparelhamento, ligação), paquíteno (do grego, “pachys”, grosso, espesso), diplóteno (do grego, “diploos”, duplo) e diacinese (do grego, “dia”, através de; “kinesis”, movimento).

Ia. LEPTÓTENO OU LEPTÓTENE

Nesta subfase, os cromossomos se apresentam distendidos, assemelhando-se a longos e finos filamentos (figura abaixo). Embora estejam duplicados (dotados de duas cromátides), desde a interfase (ver CICLO CELULAR, matéria publicada neste blog no dia 13/08/2015), eles “aparecem” como estruturas simples, em vez de duplas, não se distinguindo, ainda, as cromátides-irmãs. Nesse período, os cromossomos podem apresentar uma polarização definida, formando alças onde os telômeros (ver TELÔMERO, matéria publicada neste blog no dia 16/09/2011) estão ligados ao envoltório nuclear, na região próxima aos centríolos. Esse arranjo dentro do núcleo é denominado disposição em buquê e, às vezes, só pode ser visto no estágio seguinte. No leptóteno, percebem-se regiões mais condensadas, denominadas cromômeros, que apresentam a mesma distribuição ao longo dos cromossomos homólogos. Nessa subfase, tem início o processo de espiralização dos cromossomos, que continua por toda a prófase I.

5

Ib. ZIGÓTENO OU ZIGÓTENE

Esta subfase se caracteriza pelo pareamento entre os cromossomos homólogos, fenômeno denominado sinapse cromossômica ou sinapse cromossomial (figura a seguir), que não ocorre na mitose. Esses cromossomos partilham, em última análise, segmentos de DNA iguais ou semelhantes que são necessários para a sinapse. Todos os homólogos são “parecidos”, ou seja, possuem o mesmo comprimento, a mesma localização centromérica e o mesmo padrão de bandas quando corados. O referido pareamento ocorre, ponto por ponto, gene a gene, ao longo de toda extensão dos citados cromossomos. No final do zigóteno, todos os homólogos, ainda parecendo ser únicos (parecendo não duplicados), encontram-se pareados. Lembramos que na zigótene ainda não é possível visualizar, com facilidade, as quatro cromátides desses cromossomos emparelhados, em face de elas estarem pouco condensadas e intimamente associadas. Esse conjunto, chamado tétrade ou bivalente, torna-se bem visível na paquítene, subfase seguinte.

6

A microscopia eletrônica mostrou que as sinapses cromossômicas ocorrem graças à formação de uma estrutura, de natureza proteica, denominada complexo sinaptonêmico (figura abaixo). Essa estrutura, descoberta por Moses em 1956, é formada por dois braços laterais e um elemento central (medial ou axial). Esse elemento, considerado a base estrutural do pareamento, está interposto entre os cromossomos homólogos (um paterno e um materno), associando-os como se fosse um “zíper”. O complexo sinaptonêmico garante que o emparelhamento seja altamente específico, de modo que cada ponto de um cromossomo fique exatamente ao lado do ponto correspondente em seu homólogo, permitindo a ocorrência de “crossing-over” entre as cromátides homólogas. Desse modo, a sinapse ocorre ponto a ponto, cromômero a cromômero, de forma bastante precisa.

7

Ic. PAQUÍTENO OU PAQUÍTENE

Nesta subfase, completa-se a sinapse cromossômica. Em face de cada cromossomo ser constituído por duas cromátides-irmãs, cada par de homólogo fica com quatro cromátides, constituindo uma tétrade (figura a seguir). No paquíteno, as cromátides que se originam de um mesmo cromossomo são denominadas irmãs, enquanto as que provêm de cromossomos homólogos são chamadas homólogas.

8

Entre o paquíteno e o diplóteno (subfase seguinte), verificam-se, frequentemente, fraturas nas cromátides homólogas emparelhadas, seguidas de soldaduras de reparação. Essas soldaduras, muitas vezes, ocorrem em posição trocada, levando a que uma cromátide se ligue ao fragmento de sua homóloga e vice-versa (figura abaixo). Esse fenômeno, que leva à combinação de genes ligados ou em “linkage” (genes que estão no mesmo cromossomo), promovendo alterações na constituição gênica das cromátides, é conhecido como “crossing-over” (permutação ou recombinação gênica) e consiste, basicamente, na troca de informação de um cromossomo de origem materna com outro de origem paterna. Uma vez que a permutação ocorre, via regra, ao acaso, há várias possibilidades de trocas de pedaços entre os cromossomos, fazendo surgir um grande número de novas combinações gênicas. Por aumentar a variabilidade genética das células, o “crossing-over” é importante para o processo evolutivo das espécies, sendo considerado um fator da evolução. É bom lembrar que pode haver também quebra e união entre cromátides-irmãs, mas isso não tem consequências genéticas, em face de elas serem geneticamente idênticas. Ressaltamos que quanto mais perto dois genes se encontrarem no mesmo cromossomo, menos provável é que se recombinem com os genes do cromossomo homólogo.

9

Id. DIPLÓTENO OU DIPLÓTENE

Nesta subfase, ocorre o término do “crossing-over”, iniciado no fim do paquíteno, bem como tem início a separação dos cromossomos, ainda unidos nos pontos das cromátides onde ocorreram as permutações. Esses pontos, evidenciados em forma de X (figura a seguir), são denominados quiasmas (do grego, “khiasma”, cruzamento). Apesar de as recombinações gênicas terem início no paquíteno, os quiasmas só são visíveis no diplóteno.

10

Os quiasmas (figura abaixo) indicam os locais onde as permutações ocorreram e seu número fornece a frequência com que elas se processam.

11

Ie. DIACINESE

A diacinese se caracteriza pelo aumento da repulsão entre os cromossomos homólogos, continuando a separação dos homólogos iniciada na diplótene. O afastamento leva ao deslocamento dos quiasmas para as extremidades dos cromossomos, fenômeno chamado terminalização dos quiasmas (figura a seguir). Durante essa subfase, os quiasmas ainda são mantidos, o que é importante para a distribuição correta dos cromossomos entre as células filhas. Sua falta pode acarretar uma segregação incorreta dos cromossomos homólogos. No final da diacinese, a carioteca se desintegra, e os pares de homólogos, ainda “associados”, migram para a região “equatorial” da célula.

12

As descrições acima, acerca da prófase I, referem-se, direta ou indiretamente, aos cromossomos. Além disso, é possível notar que à medida que as subfases evoluem, os nucléolos e a carioteca sofrem desintegração, como na prófase mitótica. No citoplasma, ocorrem migração dos centríolos duplicados para os polos da célula e formação das fibras do fuso. Os centríolos atingem os referidos polos na diacinese. A exemplo da mitose, alguns biólogos consideram o fim da prófase I como sendo uma fase denominada prometáfase I. Ela representa, em última análise, um curto período de transição entre a prófase I e a metáfase I. Os principais fenômenos que ocorrem na prometáfase I (união dos cromossomos às fibras cinetocóricas e sua migração para o “equador” da célula) costumam ser englobados na prófase I.

II. METÁFASE I

Nesta fase (figura abaixo), os cromossomos homólogos pareados (tétrades) dispõem-se na zona equatorial da célula, formando a placa equatorial ou placa metafásica. Os cromossomos atingem sua máxima condensação, e cada componente do par de homólogos se encontra ligado, pelo seu centrômero, às fibras cromossômicas que “emergem” de centríolos opostos.

13

Para efeito de comparação, a figura a seguir mostra, esquematicamente, a disposição dos cromossomos na metáfase mitótica (à esquerda) e na metáfase I (à direita). Na mitose, os homólogos duplicados não estão pareados na placa metafásica, sendo cada um deles formado por duas cromátides-irmãs, unidas pelo centrômero. Na meiose I, por outro lado, eles se encontram pareados, formando as tétrades ou bivalentes. Além das cromátides-irmãs e homólogas, a figura também evidencia o quiasma, o cinetócoro e as fibras cinetócoricas (fibras cromossômicas).

14

III. ANÁFASE I

Esta fase se caracteriza pela migração dos homólogos duplicados (constituídos por duas cromátides), para os polos da célula (figura abaixo), fenômeno que se deve ao encurtamento das fibras cromossômicas, causado pela despolimerização dos microtúbulos  que compõem essas fibras. Convém lembrar que, ao contrário da mitose e da divisão II, na meiose I, não ocorre duplicação dos centrômeros. Por essa razão, na divisão II e na mitose, os cromossomos que migram são irmãos e simples, formados por apenas uma cromátide.

15

Como cada par de cromossomos homólogos contém um cromossomo materno e um paterno, e como só o acaso, normalmente, determina qual o membro de um par que vai para um determinado polo, os genes de cromossomos não homólogos migram para cada polo independentemente uns dos outros.  Esse processo é denominado segregação independente.

IV. TELÓFASE I

Caracteriza-se pela chegada dos homólogos aos polos da célula, graças ao encurtamento das fibras cromossômicas, como mencionamos acima; pela desespiralização (descondensação) dos cromossomos e pela reorganização do nucléolo e da carioteca. Após a reorganização nuclear (figura a seguir), ocorre a primeira citocinese [citodiérese ou plasmodiérese (divisão citoplasmática)], fazendo surgir duas células haploides, sendo por essa razão que a meiose I é considerada uma divisão reducional. Não devemos esquecer que, embora o número de cromossomos tenha sido reduzido à metade, cada um deles está duplicado. Assim sendo, as células filhas haploides, ao final da meiose I, possuem duas cópias de cada molécula de DNA. Com a segunda divisão da meiose, essa situação irá se modificar.

16

17

Segue-se um curto intervalo de tempo entre a primeira e a segunda divisão, chamado de intercinese, ao longo do qual não há duplicação de DNA (não há período S). Devido à ausência de replicação de DNA nesse intervalo, ele não é considerado uma interfase típica.

SEGUNDA DIVISÃO DA MEIOSE (MEIOSE II): é muito semelhante à mitose, sendo, inclusive, uma divisão equacional, considerando o número de cromossomos, como destacamos acima. Durante a meiose II, ocorre a separação das cromátides que constituem as díades. Por essa razão, é que se torna possível formar células haploides (dotadas de n cromossomos simples), a partir de outras células haploides, estas dotadas de n cromossomos, porém duplicados. Como não existem, nessa fase, cromossomos homólogos nas mesmas células, não há sinapse cromossômica, como se verifica na meiose I (subfase zigóteno). A divisão II compreende prófase II, metáfase II, anáfase II e telófase II.

I. PRÓFASE II

As duas células resultantes da divisão I entram em prófase II (figura a seguir). Nessa fase, que é muito breve, verifica-se a condensação dos cromossomos duplicados; a migração dos centríolos, duplicados, para os polos da célula; o desaparecimento gradativo dos nucléolos e a desintegração das cariotecas, que marca o fim da prófase II.

18

A exemplo da mitose e da meiose I, alguns biólogos consideram o fim da prófase II como sendo uma fase denominada prometáfase II. Nela, os cromossomos duplicados se ligam às fibras do cinetócoro e migram para o “equador” da célula, fenômenos que costumam ser englobados na prófase II.

II. METÁFASE II

Nesta fase (figura abaixo), verifica-se a disposição dos cromossomos duplicados na região equatorial da célula, estando cada cromossomo ligado às fibras cromossômicas, pelo cinetócoro. A metáfase II termina quando os centrômeros começam a se duplicar e as cromátides-irmãs, que irão constituir os cromossomos irmãos, iniciam sua separação e migração para os polos da célula.

19

III. ANÁFASE II

Esta fase (figura a seguir) se caracteriza, fundamentalmente, pela duplicação dos centrômeros e migração dos “cromossomos irmãos” (ex-cromátides irmãs) para os polos da célula.

20

A figura abaixo destaca as diferenças marcantes entre anáfase II/anáfase mitótica e anáfase I. Na meiose II e na mitose há duplicação de centrômero, acarretando separação de cromátides-irmãs. Na meiose I, por outro lado, não há duplicação de centrômero o que acarreta separação de homólogos.

21

Ratificamos que quando houver duplicação de centrômero (anáfase II e anáfase da mitose), há separação de cromátides-irmãs. Não havendo duplicação de centrômero (anáfase I), ocorre separação de homólogos.

IV. TELÓFASE II

Nesta fase, ocorre a desespiralização dos cromossomos, bem como a reorganização do nucléolo e da carioteca, formando dois núcleos filhos, em cada célula (figura a seguir). A telófase II termina com a segunda citocinese, levando à formação de duas células filhas, para cada célula que iniciou a divisão II.

22

Do exposto, podemos concluir que, a partir de cada célula diploide, que inicia a meiose, formam-se duas células haploides, com cromossomos duplicados (dotados de duas cromátides-irmãs), após a divisão I e quatro células haploides, com cromossomos não duplicados (dotados de uma única cromátide) após a segunda citocinese. Em face das recombinações gênicas, que ocorrem na prófase I, as quatro células resultantes da meiose são geneticamente diferentes. A figura abaixo evidencia a importância do “crossing-over”. Constata-se que ele permitiu, tendo por base o contido nessa figura, o surgimento de dois cromossomos com combinações genéticas diferentes [Ab e aB (cromossomos recombinados)], que não existiam na célula original. Nota-se, portanto, que o “crossing-over” (intercâmbio de segmento entre os cromossomos) aumenta a variabilidade genética das células resultantes da meiose, fator importante para o mecanismo evolutivo, visto que quanto maior a variabilidade gerada na meiose, maiores serão as chances para a ação seletiva do meio.

23

24

A figura a seguir mostra, para melhor compreensão, algumas diferenças básicas entre a mitose (divisão equacional) e a meiose (divisão reducional). Percebe-se, como vimos antes, que na mitose há uma duplicação de DNA para uma divisão celular. Na meiose, por outro lado, há uma duplicação de DNA, a exemplo da mitose, para duas divisões celulares, denominadas meiose I (primeira divisão meiótica) e meiose II (segunda divisão meiótica), já descritas anteriormente.

25

TIPOS DE MEIOSE

De acordo com o ciclo de vida que ocorre nos seres eucariotos de reprodução sexuada, a meiose pode ser de três tipos: gamética, zigótica e espórica (ver TIPOS DE MEIOSE, matéria publicada neste blog no dia 10/10/2010).

Publicado por: Djalma Santos | 19 de agosto de 2015

TESTES DE BOTÂNICA (V)

01. (UFSCar) A figura abaixo ilustra raízes e ramos com folhas os quais brotam a partir de uma batata. Dessa forma, tal órgão vegetal pode ser utilizado tanto para o plantio agrícola como para o plantio visando à decoração de um ambiente doméstico.

01

(http://noticias.bol.uol.com.br)

A capacidade de gerar novas porções vegetais sejam ramos, folhas ou raízes, indica que a batata é:

a) Uma raiz com gemas laterais capazes de se desenvolverem.

b) Uma raiz cujos tecidos mais centrais são capazes de se desenvolverem.

c) Um caule com gemas laterais capazes de se desenvolverem.

d) Um caule cujos tecidos mais centrais são capazes de se desenvolverem.

e) Um fruto cuja semente é capaz de se desenvolver.

02. (IFSul) A ausência de vasos de transportes nas briófitas e nas algas, além de limitar o seu crescimento, também influi no desempenho desses seres com relação ao ambiente terrestre. Devido a essa característica as briófitas vivem restritas a ambientes:

a) Úmidos e sombreados.

b) Úmidos e ensolarados.

c) Secos e sombreados.

d) Marinhos.

03. (URCA) A reprodução dos vegetais é baseada na alta capacidade de dispersão do material genético, pois de uma maneira geral, esse grupo de seres vivos é séssil. O fruto foi um avanço reprodutivo importante dentro da vida das plantas. A respeito dessa estrutura é incorreto afirmar:

a) É originado a partir do ovário da flor.

b) Aumenta a capacidade dispersiva das sementes.

c) Pode conter uma ou mais sementes.

d) Alguns usam o vento como meio dispersivo.

e) Pode ser encontrado em todas as plantas com semente.

04. (UFRN) A maniçoba, espécie nativa na caatinga e da qual se extrai látex, é um exemplo de planta que apresenta uma estrutura tuberosa e subterrânea. Essa estrutura armazena água e substâncias de reserva para que a planta possa se adaptar bem ao ambiente com restrição de água. Essa modificação especial é conhecida por:

a) Rizóforo.

b) Cladódio.

c) Filocládio.

d) Xilopódio.

05. (UECE) Atente para as dicas abaixo.

I. Apresento raízes fasciculadas, folhas paralelinérveas e flores trímeras.

II. Produzo sementes em ramos reprodutivos denominados estróbilos.

III. A fase dominante do meu ciclo reprodutivo é o gametófito.

IV. Sou um esporófito ramificado, mas não produzo sementes.

A sequência que corresponde corretamente à descrição dos itens I, II, III e IV é:

a) Dicotiledônea, araucária, pteridófita, monocotiledônea.

b) Monocotiledônea, pteridófita, hepática, gimnosperma.

c) Dicotiledônea, gimnosperma, musgo, samambaia.

d) Monocotiledônea, pinheiro, musgo, samambaia.

06. (UNEASPAR) A fisiologia vegetal explica porque determinadas plantas são capazes de viver em ambientes inóspitos enquanto outras espécies só sobrevivem em ambientes ricos em matéria orgânica e umidade. Considerando seus conhecimentos de fisiologia vegetal, assinale a alternativa correta:

a) A teoria de Munch explica como a seiva bruta é puxada a partir das folhas por coesão-tensão.

b) A teoria de Dixon é denominada de teoria do fluxo por pressão e explica a condução nos vasos do floema.

c) A transpiração vegetal corresponde á perda de água sob a forma líquida, sendo a transpiração cuticular responsável por até 90% da perda de água total.

d) A fotossíntese é um processo endotérmico e anabólico que pode sofrer interferência da temperatura, intensidade luminosa e concentração de dióxido de carbono no ar atmosférico.

e) As auxinas não determinam o alongamento celular, não estimulam a divisão celular e nem a formação de frutos partenocárpicos.

07. (IFNMG)

07

Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfJX0AB/sistema-absorcao-2.

Acesso: 06 mai. 2014. Adaptado.

O sistema radicular tem importante função tanto na fisiologia de absorção quanto na sustentação do vegetal. Em relação à morfofisiologia da estrutura representada na figura e aos seus conhecimentos, pode-se afirmar que:

a) Trata-se de uma raiz pivotante, presente em monocotiledôneas.

b) Elevados teores de sais no solo comprometem a absorção de água pela estrutura Z.

c) A região Y é responsável pela ramificação secundária da raiz.

d) A estrutura X apontada na figura representa a zona de crescimento onde ocorre o alongamento celular.

08. (UNICENTRO) Com base nas características morfológicas de uma espécie vegetal, pode-se inferir o ambiente no qual a espécie vegetal habita e o seu respectivo agente polinizador. Considerando que a espécie I possui flores brancas com glândulas odoríferas, folhas largas com cutícula fina e com estômatos na região superior e que a espécie II possui flores com pétalas pequenas e grande produção de pólen, folhas estreitas com cutícula espessa e estômatos na região inferior, assinale a alternativa que apresenta, correta e respectivamente, a característica do habitat e o agente polinizador das espécies I e II.

a) A espécie I habita região árida e é polinizada por insetos, enquanto a espécie II habita região de alta pluviosidade e é polinizada pelo vento.

b) A espécie I habita região árida e é polinizada por morcegos, enquanto a espécie II habita região de alta pluviosidade e é polinizada por insetos.

c) A espécie I habita região árida e é polinizada pelo vento, enquanto a espécie II habita região de alta pluviosidade e é polinizada por insetos.

d) A espécie I habita região de alta pluviosidade e é polinizada por morcegos, enquanto a espécie II habita região árida e é polinizada pelo vento.

e) A espécie I habita região de alta pluviosidade e é polinizada pelo vento, enquanto a espécie II habita região árida e é polinizada por morcegos.

09. (CEFET-MG) Na época de Natal é comum ornamentar as portas das casas com guirlandas dos mais diferentes tipos, como mostra a ilustração seguinte.

09

As estruturas vegetais presentes nesse enfeite correspondem a:

a) Folhas jovens de pteridófitas.

b) Flores agrupadas de dicotiledôneas.

c) Porções fotossintetizantes de briófitas.

d) Frutos em espiga de monocotiledôneas.

e) Estruturas reprodutivas de gimnospermas.

10. (UEG) À medida que as plantas crescem e se tornam mais velhas, a região mais interna dos caules, formada basicamente pelo lenho, eventualmente deixa de ser funcional. Entretanto, nem todo lenho se torna não funcional, visto que esta estratégia é para evitar a morte da planta. Assim, a parte mais externa do lenho e mais próxima do câmbio permanece ativa e denomina-se:

a) Tilos.

b) Alburno.

c) Periciclo.

d) Periderme.

11. (PUC-GO) Use o texto a seguir para responder esta questão

Hermano não falava nunca de sua casa. Alegava não compreender muito bem porque o homem devia ter um lar. O homem, diziam-lhe sempre, era o ser livre. Nem Deus o quis privar da liberdade. E Deus era o manda-chuva do mundo. E seu criador. Um dia, entediado, ele começou a brincar com barro, na sua olaria. Nos quintais do céu, Jeová havia mandado construir uma, para fabricar telhas e com elas consertar goteiras no purgatório. Brincando, suas mãos infinitamente idosas fizeram uma travessura digna de boa surra. Criaram o Homem! Um boneco de barro, metido a muita cousa. Mas Jeová se arrependeu da brincadeira. Vendo o que faria o boneco, saído de si em momento de tédio, atirou-o num monte enorme de barro. E lá o deixou. Livre.

Deus não fez como seu Manoel açougueiro que criou a Regina e o Chiquinho – um casal de bonecos pretos – e nunca mais os largou.

Hermano achava que o tal homem seria verdadeiramente livre se não tivesse todos os dias que ir a casa para almoçar. Para tomar banho. Para dormir. E mexer numa tulha cheia de problemas mesquinhos. Falta de feijão; educação, futuro, contas do padeiro, baratas e trabalho. Dogmas, normas, inibições. Para ele, o homem não era livre. Livre, sim, era o burro. Um burro come onde encontra capim. Não tem que voltar, tarde da noite, para uma cama no quarto de uma casa, numa rua de cidade. Quanta limitação! Qual, o homem não era livre.

[…]

(LEÃO, Ursulino. Maya. 2. ed. Goiânia: Kelps, 1975, p. 13. Adaptado.)

No Texto, o trecho “Falta de feijão; educação, futuro, contas do padeiro, baratas e trabalho”, menciona feijão, elemento importante na dieta dos brasileiros e fonte de essenciais nutrientes. Com relação a esse alimento, analise os itens a seguir:

I. É fonte de proteínas e apresenta, em sua composição, carboidrato, vitaminas do complexo B, minerais como potássio, fósforo, magnésio, zinco, ferro, cálcio, além de fibras solúveis e insolúveis, que colaboram para um bom trabalho intestinal e contribuem para o controle dos níveis de colesterol no sangue.

II. No feijão, a retomada do crescimento e da diferenciação do embrião, denominada germinação, depende de fatores como disponibilidade de água e oxigênio, e de temperatura adequada.

III. O feijão pertence à família das leguminosas e apresenta, como característica típica, a ocorrência do fruto do tipo legume, também conhecido como vagem, exclusivo desse grupo.

De acordo com os itens analisados, marque a alternativa que contém apenas proposições corretas:

a) I e II.

b) I, II e III.

c) I e III.

d) II e III.

12. (IFMT) O texto abaixo é a base para responder esta questão

Agrônomo explica que alguns tipos de bananas podem ter sementes

A telespectadora Jardélia Aparecida da Costa, que mora em Papagaios, Minas Gerais, diz que encontrou nos frutos de uma penca algo parecido com uma semente, do tamanho de um grãozinho de feijão, apenas um em cada banana. O Globo Rural foi investigar essa ocorrência inusitada com o agrônomo da Embrapa, Edson Amorim. Ele afirma que é possível encontrar sementes na banana. “Dependendo da situação, observamos a presença de sementes em algumas bananas. Não é um fato comum, normalmente encontramos em tipos selvagens da fruta”, explica. Esse evento raro acontece normalmente após algum período de estresse. “Por exemplo, falta de água, frio, calor excessivo. A planta sente que vai morrer e que precisa deixar uma descendência, precisa sobreviver, então ela desenvolve sementes para perpetuar a espécie”, diz Amorim.

http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2013/07/agronomo-explica-que-alguns tipos-de-bananas-podem-ter-sementes.html.Acessado em 09.04.2014 13h20min

A afirmação do agrônomo da Embrapa “não é um fato comum” pode ser explicada pelo fato de as bananas consumidas no nosso dia a dia serem:

a) Frutos simples, originados do desenvolvimento do pedúnculo ou do receptáculo de uma única flor.

b) Frutos compostos, originados do desenvolvimento do receptáculo de uma única flor, porém com muitos ovários.

c) Infrutescências, frutos originados do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma mesma inflorescência, os quais crescem unidos.

d) Frutos partenocárpicos, originados do desenvolvimento do ovário da flor sem que haja fecundação.

e) Frutos múltiplos, originados do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma mesma inflorescência, os quais crescem separados.

13. (UPE) A evolução das angiospermas passa pelo sucesso na conquista do ambiente terrestre, sem depender da água para diversas funções, ainda que esta seja vital para a sobrevivência de qualquer espécie. Mas, para tal sucesso, houve a evolução reprodutiva e, sem dúvida alguma, a redução progressiva da fase haploide foi uma tendência importante. Quanto ao gametófito, é correto afirmar que:

a) Armazena substâncias nutritivas e se transforma no endosperma primário cuja função é nutrir o embrião durante o desenvolvimento.

b) Diminui sensivelmente o tempo entre a polinização e a maturação da semente e evita o desperdício na produção de tecidos de reserva, na incerteza de uma fertilização do óvulo.

c) Aumenta o tempo de contato entre as células espermáticas e a oosfera, conservando o processo de fertilização e viabilizando a formação do zigoto.

d) Facilita o transporte de anterozoides para perto dos arquegônios, em que os gametas masculinos nadam ativamente nas superfícies umedecidas e penetram nos arquegônios.

e) Mantém preservados os grãos de pólen por tempo suficiente para que o óvulo amadureça, sincronizando a fase masculina com a fase feminina, garantindo a fertilização.

14. (FPS) Na figura abaixo, estão evidenciadas as estruturas de uma flor em um corte transversal. Observe-a e identifique a que se refere as figuras de 1 a 4.

14

( ) Pétala.

( ) Estame.

( ) Sépala.

( ) Carpelo.

A sequência correta, de cima para baixo, é:

a) 4, 3, 2 e 1.

b) 3, 1, 2 e 4.

c) 2, 3, 1 e 4.

d) 1, 2, 4 e 3.

e) 2, 4, 1 e 3.

15. (CEFET-MG) Observe a estrutura vegetal abaixo.

15

Fonte:<http://www.linkflowcanada.com/Linkflow/images&gt;

Acesso em: 19 abr. 2011.

Sobre essa estrutura, é correto afirmar que:
a) Sustenta a antera.

b) Atrai insetos polinizadores.
c) Transporta o grão de pólen.

d) Armazena nutrientes para o embrião.

16. (UCS) Apesar de as plantas serem organismos que não se deslocam sobre o substrato como muitos animais, elas apresentam algumas formas de movimentos. Em relação aos movimentos das plantas, assinale a alternativa correta.

a) O tropismo negativo ocorre quando a planta cresce em direção a um estímulo.

b) As plantas trepadeiras, que crescem em contato com algum objeto, executam um movimento chamado nástico.

c) O geotropismo é o crescimento influenciado pela gravidade. No caso das raízes, elas normalmente apresentam geotropismo positivo.

d) O fototropismo negativo é o processo de uma planta movimentando-se em direção a uma fonte de luz.

e) O tigmotropismo é o movimento ocasionado por um toque, como é o caso das plantas sensitivas.

17. (CEFET-MG) Na figura a seguir, as porções aéreas das plantas 1, 2 e 3 foram completamente iluminadas, enquanto 4, 5 e 6 tiveram apenas algumas partes com luz, conforme indicado pelos retângulos brancos.

17

Disponível em: <http://www.euita.upv.es&gt; Acesso em 09 jan. 2014.(Adaptado).

Todas essas plantas foram submetidas ao mesmo tempo de iluminação, sendo que a planta 2 não floresceu. Dessa forma, conclui-se que a floração depende da incidência de luz sobre as (os):

a) Nós.

b) Brotos.

c) Pecíolos.

d) Entrenós.

e) Lâminas foliares.

18. (PUC-RIO) Os estudos apontam que as primeiras plantas terrestres surgiram de um grupo ancestral de algas verdes. Os longos períodos de seca oriundos do Siluriano podem ter sido um fator de seleção natural que favoreceu as plantas com adaptações ao meio terrestre. Dentre as novidades evolutivas que auxiliaram nas adaptações necessárias à sobrevivência das plantas no ambiente terrestre, estão o desenvolvimento:

I. Da capacidade de realizar fotossíntese.

II. Da capacidade de retirar água e sais minerais do solo.

III. De cutícula impermeável no organismo e nos esporos.

IV. De um embrião pluricelular no interior de um gametângio.

Assinale a alternativa correta:

a) I, II e III.

b) I, II e IV.

c) II, III e IV.

d) II e III.

e) I e II.

19. (FACTO) Um grão de pólen pode fecundar o óvulo da própria planta, processo chamado de autofecundação. No entanto, algumas plantas desenvolveram estratégias para que isso não ocorra. Em uma dessas estratégias, as plantas amadurecem os estames primeiro em um fenômeno chamado de:

a) Heterostilia.

b) Dicogamia.

c) Autofertilização.

d) Protoginia.

e) Protandria.

20. (UNEAL) Em relação ao desenvolvimento dos quatro grupos do Reino Plantae, é correto afirmar:

01. No processo evolutivo, as angiospermas são o primeiro grupo a apresentar flor, estrutura reprodutiva que se forma a partir do desenvolvimento do óvulo.

02. Nas briófitas, o gametófito haploide é a geração mais desenvolvida e predominante.

03. O fato de as briófitas não atingirem grande tamanho deve-se à dependência de água para reprodução.

04. As pteridófitas caracterizam-se por não formar sementes e por ser o único grupo a apresentar os tecidos de condução xilema e floema.

05. Evolutivamente, o grão de pólen, as flores e os frutos surgem nas angiospermas.

Soma das alternativas corretas:

gab

 

 

 

 

 

 

Publicado por: Djalma Santos | 13 de agosto de 2015

CICLO CELULAR

CICLO CELULAR

O ciclo celular ou ciclo de divisão celular compreende os processos que ocorrem desde a formação de uma célula até sua própria divisão, originando as células-filhas. Ele é, em última análise, o conjunto de interfase (G1, S e G2), na qual a célula não está se dividindo, mais divisão celular (prófase, metáfase, anáfase e telófase), como mostra a figura abaixo. Ao longo do ciclo celular ocorre um conjunto de eventos moleculares específicos que coordenam a produção das células-filhas.

ciclo

Nesse ciclo ocorrem o crescimento celular, a duplicação do DNA e a divisão celular, que é apenas a fase final do processo, já que antes que ela ocorra, seus pirincipais componentes já se duplicaram. Células que não se dividem com frequência assumem um estado pausado ou quiescente denominado Go (ver CONTROLE DA PROGRESSÃO DO CICLO CELULAR, matéria publicada neste blog no dia 13/09/2010), variante do período G1, em vez de seguirem para o perído S, podendo permanecer nesse estado por longo tempo sem se dividirem. Conquanto, em condições normais, o ciclo celular seja contínuo, a divisão em período ou fases [G1, S e G2 (interfase) e prófase, metáfase, anáfase e telófase (divisão celular)] é usada para nos auxiliar a comprrender as diversas modificações que se processam durante o referido ciclo.

A duração do ciclo varia de acordo com o tipo de célula considerado e com o estado funcional em que ela se encontra. Em algumas células, ele pode ser completado em pouco mais de 30 minutos. Em outras, pode durar vários dias. No embrião, por exemplo, as divisões celulares ocorrem com grande rapidez.

INTERFASE

É o intervalo entre duas divisões celulares sucessivas e representa, via de regra, cerca de 95% do tempo de duração do ciclo celular. Nesse período, a célula se encontra em grande atividade metabólica, realizando, praticamente, todos os processos de síntese necessários ao seu desenvolvimento. Nele, ocorre a duplicação do material genético (DNA), a transcrição gênica (síntese de RNA), a produção de proteínas e uma série de atividades vitais. Durante a interfase, os filamentos cromossômicos (“cromossomos interfásicos”), que constituem a cromatina, apresentam-se bastante alongados e emaranhados no interior do núcleo, não sendo facilmente distinguíveis. Utilizando-se marcadores radioativos, constata-se que eles se duplicam no período S da interfase. Desse modo, onde havia um fio cromossônico (cromátide), passam a existir dois, unidos por um único ponto denominado centrômero (sequencia especial de nucleotídeos), formando, consequentemente, um “cromossomo” duplicado.

PERÍODOS DA INTERFASE: tomando como base a duplicação do DNA, a interfase apresenta três períodos, denominados G1, S e G2 (figura a seguir). Ao contrário do que ocorre na divisão celular, ao longo da interfase, não são observadas, com facilidade, diferenças morfológicas significativas. Por causa disso, até a década de 1970, com exceção da descrição da fase S, era dispensada pouca atenção à interfase.

interfase

PERÍODO G1: antecede à duplicação do DNA, indo, dessa forma, do final da divisão celular até o início da duplicação do DNA. Nele, cada “cromossomo” é formado por apenas uma dupla hélice de desoxirribonucleotídeos (DNA) denominada, como vimos acima, cromátide, na qual se encontram enfileirados centenas ou milhares de genes. Lembramos que de acordo com a teoria uninêmica, a cromátide apresenta uma única dupla-hélice contínua de DNA, como mostra a figura abaixo.

unim

No período G1, que tem lugar, como vimos acima, após a divisão celular e antes do período S, ocorre crescimento acentuado da célula, intensa síntese de RNA (transcrição) e de proteínas diversas. A produção de RNA mensageiro, que irá determinar a produção de proteínas (ver SÍNTESE PROTEICA, matéria publicada neste blog no dia 16/07/2014), permitirá o referido crescimento da célula. São, ainda, produzidas substâncias que estimulam ou inibem a duplicação do DNA, determinando a ocorrência ou não da divisão celular (ver CONTROLE DA PROGRESSÃO DO CICLO CELULAR, matéria publicada neste blog no dia 13/09/2010). Nele, vários inibidores e mutações são capazes de bloquear a proliferação. O período G1 é o mais variável na maioria das células de animais e vegetais e, via de regra, ocupa muitas horas, durante as quais as células crescem, como mencionamos acima. Ele pode, em última análise, variar individualmente de célula a célula, em face de ser o que mais sofre influencia de fatores extracelulares. Há, entretanto, ciclos como os da Tetrahymena sp. e da Amoeba proteus, em que esse e período é “ausente”, e o G2 é o mais longo. Outro caso, em que o período G1 é “ausente” ou tem pequena duração, é o das células embrionárias iniciais, que começam a se dividir logo após a fecundação. Nesse caso, entretanto, não ocorre crescimento celular entre as divisões.

PERÍODO S: intervalo no qual ocorre a duplicação do DNA (ver DUPLICAÇÃO DO DNA, matéria publicada neste blog no dia 31/10/2010), processo fundamental para a divisão celular, já que garante que as células-filhas recebam todas as informações genéticas responsáveis pelas suas características. Em função dessa duplicação, cada “cromossomo interfásico” fica, como vimos anteriormente, constituído por duas cromátides (cromátides-imãs), unidas pelo centrômero. Lembramos que cada uma delas possui uma única molécula de DNA (ver teoria uninêmica, mencionada acima). Essa condição, duplicada, permanece durante a divisão célula até a metáfase, quando, na anáfase, em função da duplicação do centrômero, ocorre a separação das cromátides-irmãs, como mostra a figura a seguir.

S

A síntese de DNA é periódica, ficando restrita ao período S, como se pode constatar no gráfico abaixo, que mostra a variação do teor de DNA nuclear, representado por C, ao longo do ciclo celular. Nele, percebe-se que esse teor é duplicado, passando de 2C para 4C, durante o referido período. Dessa forma, do ponto de vista do DNA nuclear, durante o período S, uma célula diploide passa a tetraploide.

graf

PERÍODO G2: ocorre após a síntese de DNA e antes da divisão celular [entre a duplicação do DNA (período S) e o inicio da divisão celular]. Embora ocorra crescimento da célula durante esse período, ele é menos intenso do que no G1. Durante o período G2, a célula sintetiza, principalmente, moléculas relacionadas diretamente com a divisão, como as fibras do fuso acromático, que exercem importante papel na duplicação celular.

Ressaltamos que, ao contrário da síntese de DNA, que é periódica, como vimos acima, as sínteses de RNA e de proteína ocorrem continuamente durante toda a interfase. A síntese de RNA é mais intensa no G1 e no início de S, quando cerca de 80% dos RNAs sintetizados são representados por RNAr (RNA ribossômico). Os RNAs extranucleolares (RNAm e RNAt) são elaborados em picos durante os períodos G1 e G2. No que concerne às proteínas, embora sejam elaboradas continuamente, diferem em quantidade e em qualidade, em cada período da interfase.

Publicado por: Djalma Santos | 5 de agosto de 2015

TESTES DE PERMEABILIDADE CELULAR (3)

01. (INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO) Uma espécie de alga unicelular foi colocada em um tubo de ensaio (I) contendo uma determinada solução salina e o seu volume vacuolar foi analisado. Após certo tempo, as algas foram transferidas para outro tubo de ensaio (II) e o seu volume vacuolar foi novamente analisado. E, em seguida, elas foram transferidas para outro tubo de ensaio (III) e repetiu-se a análise. As variações de volume foram ilustradas em um gráfico.

01

Pode-se concluir que os diferentes tubos de ensaio (I, II e III) continham, respectivamente, soluções:

a) Hipotônica, isotônica e hipertônica.

b) Hipertônica, hipotônica e isotônica.

c) Isotônica, hipertônica e hipotônica.

d) Isotônica, hipotônica e hipertônica.

e) Hipotônica, hipertônica e isotônica.

02. (UFSC) A membrana plasmática contém e delimita o espaço interno da célula, “isolando-o” do ambiente ao seu redor. Sua composição lipoproteica e estrutura lhe conferem uma de suas propriedades fundamentais: a permeabilidade seletiva. Numere a coluna 2 identificando o tipo de transporte de membrana indicado na coluna 1.

COLUNA 1

I. Transporte Ativo

II. Difusão

III. Osmose

COLUNA 2

(   ) Transporte com “gasto” de energia

(   ) Transporte de soluto do meio hipotônico para o meio hipertônico

(   ) Transporte de soluto do meio hipertônico para o meio hipotônico

(   ) Transporte de solvente do meio hipotônico para o meio hipertônico

(   ) Bomba de sódio e potássio

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

a) I – II – I – I – II.

b) II – II – III – II – I.

c) II – I – III – III – I.

d) I – II – II – I – II.

e) I – I – II – III – I.

03. (IFSul) Nossas células utilizam a glicose como fonte de energia, consumindo-a constantemente através dos processos oxidativos. Verifica-se frequentemente que as células absorvem essa substância mesmo quando sua concentração intracelular é maior que a extracelular e, portanto, contra um gradiente de concentração. Entre os mecanismos de transporte através da membrana celular, identifique aquele que caracteriza a absorção da glicose pelas células, considerando as informações contidas no texto.

a) Difusão facilitada que ocorre sem “gasto” de energia.

b) Transporte ativo que ocorre com “gasto” de energia.

c) Osmose que ocorre sem “gasto” de energia.

d) Fagocitose que ocorre com “gasto” de energia.

04. (CEFET-MG) O processo de osmose, caracterizado pela passagem de solvente de um meio hipotônico (menos concentrado) para um meio hipertônico (mais concentrado) ajuda a controlar a diferença na concentração de sais em todas as células vivas. Sabe-se que o consumo superior a 2g de sódio por pessoa ao dia é prejudicial à saúde, pois causa a(o):

a) Hemólise das hemácias.

b) Acúmulo de colesterol nas artérias.

c) Aumento do volume do sangue circulante.

d) Interferência na transmissão do impulso nervoso.

e) Intensa eliminação de urina com altas taxas de sal.

05. (UFU) A análise bioquímica do conteúdo iônico de células de um mamífero revelou diferentes concentrações de sódio e potássio nos meios intra e extracelular. Após o tratamento dessas células com determinada droga, observa-se que as concentrações desses íons se igualam dentro e fora das mesmas. De acordo com o enunciado, é correto afirmar que a droga em questão teve maior atividade funcional:

a) No processo de tradução.

b) No processo de transcrição.

c) Na cadeia transportadora de elétrons.

d) No transporte de Cloro.

06. (UFPB) Anualmente, em todo o mundo, grandes áreas de plantio são perdidas devido à salinização do solo, o que impossibilita a sobrevivência de vegetais. Grande parte desse problema ocorre devido à entrada excessiva do íon sódio nas células, levando à morte celular, pela sua alta toxicidade. Diversos estudos buscam solucionar esse problema utilizando diferentes estratégias. Uma estratégia que pode ser utilizada para minimizar a alta toxicidade dos íons sódio na célula vegetal, sem prejudicar o seu funcionamento, é:

a) Aumentar o número de proteínas do tipo bombas de efluxo de íons sódio.

b) Aumentar a rigidez da membrana plasmática.

c) Aumentar a disponibilidade de água para a célula vegetal.

d) Impedir a expressão gênica de todas as permeases da célula, visto que essas proteínas realizam a difusão facilitada.

e) Impedir a osmose, fazendo com que a célula não perca água para o meio externo.

07. (UFPA) Numerosos exemplos de atividade de transporte pela membrana são vistos durante a atividade fisiológica dos rins. Por exemplo: o HCO3 formado intracelularmente é devolvido por difusão para a circulação sistêmica por um transportador Cl/HCO3, na região basolateral da célula renal, enquanto o H+ entra no lúmen do túbulo renal por uma das duas bombas de prótons apicais, H+/ATPase ou H+-K+/ATPase. Sobre os solutos transportados e seus transportadores e estas atividades direcionadas através da membrana plasmática da célula renal, é correto afirmar:

a) O transporte direcionado de HCO3 e de H+ na membrana plasmática da célula renal consome ATP.

b) H+/ATPase é uma bomba iônica de atuação similar à Na+-K+/ATPase, e ambas atuam a favor do gradiente de concentração dos solutos.

c) O transportador Cl/HCO3 regula a alcalose metabólica por transporte ativo.

d) A difusão do HCO3 pela membrana da célula ocorre a favor do gradiente de concentração do soluto.

e) A atuação da H+/ATPase ou da H+-K+/ATPase na célula renal gera despolarização de membrana.

08. (UEFS) A figura abaixo sequencia esquematicamente a dinâmica de um processo de transporte transmembrana, evidenciando alterações conformacionais inerentes ao processo.

08

Com base em princípios da fisiologia celular, a análise da ilustração subsidia a compreensão de que:

a) A ação da proteína representada caracteriza o mecanismo de transporte transmembrana identificado como simporte.

b) O mecanismo ilustrado é uma estratégia celular que assegura a isotonia das concentrações dos íons sódio e potássio, entre os meios intracelular e extracelular.

c) A organização da membrana como uma bicamada lipídica é uma adaptação que, por si só, estabeleceu um meio favorável à difusão de íons.

d) A mudança conformacional da ATPase, resultante da fosforilação pelo ATP, contextualiza o transporte ativo sódio-potássio.

e) O processo de transporte dos íons sódio e potássio envolve, simultaneamente, ações de cinco ATPases.

09. (UEPG) As células vivas estão sujeitas a sofrer osmose. Ao longo do processo evolutivo, os animais adaptaram-se a diversos mecanismos para regular o processo osmótico a que estão sujeitos. Com relação a esse controle de osmorregulação e excreção dos mais diversos animais, assinale o que for correto.

01. Animais aquáticos, em geral, não conseguem suportar variações pronunciadas na salinidade do meio onde vivem. São os chamados de estenoalinos. Porém, existem animais aquáticos bem adaptados a sobreviver em ambientes onde a salinidade varia muito, como nas regiões de estuário. A esses últimos denominam-se eurialinos.

02. A maioria dos invertebrados aquáticos e peixes ósseos de água doce excretam amônia (amoniotélicos), substância tóxica e solúvel, que demanda grande quantidade de água para ser eliminada.

04. Os túbulos de Malpighi são os órgãos excretores dos insetos e de alguns outros artrópodos. Os túbulos de Malpighi absorvem substâncias da hemolinfa, lançando-as em seguida no intestino, onde se misturam com as fezes. Água e sais são reabsorvidos no reto intestinal, e os excretas, principalmente constituídos por ácido úrico, são eliminados com as fezes.

08. O rim pronefro localiza-se na região anterior do corpo. Esse tipo de rim é formado por néfrons tubulares, dotados de um funil ciliado que se abre na cavidade celômica. Os excretas retirados do fluido celômico são lançados em dutos excretores que os levam para fora do corpo.

16. Nos humanos, a reabsorção da água pelos rins está sob controle do hormônio antidiurético (ADH). Esse hormônio é sintetizado no hipotálamo e liberado pela glândula hipófise. O ADH atua sobre os túbulos renais, provocando o aumento da reabsorção de água do filtrado glomerular.

Soma das alternativas corretas:

10. (UDESC) Analise as proposições em relação ao problema osmótico nos peixes.

I. Os peixes ósseos marinhos possuem o sangue com pressão osmótica superior à da água do mar. Sendo assim, os peixes ganham água e perdem sais minerais por osmose.

II. Os peixes de água doce perdem sais minerais por difusão nas brânquias, pelo fato de a pressão osmótica ser menor na água doce do que a pressão do sangue dos peixes. Sendo assim, a água entra, por osmose, no sangue dos peixes.

III. Para que as hemácias do sangue dos peixes de água doce não sofram hemólise, eles eliminam muita urina diluída.

IV. Os peixes ósseos marinhos não bebem muita água, pelo fato de a pressão osmótica do sangue ser superior à da água do mar.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

11. (PUC-PR) A seiva elaborada é transportada por um tecido especializado denominado floema. A hipótese mais aceita para explicar a condução de seiva elaborada é a hipótese de Munch (1926). Munch associou o transporte de seiva ao gradiente de pressão. Existe diferença de pressão de turgescência entre o local de carregamento (produção de seiva) e o local de descarregamento (local de acúmulo de seiva). Para explicar a condução de seiva, pode-se fazer uso do osmômetro de Munch. Observe o esquema a seguir.

11

Os osmômetros 1 e 2 estão ligados por um tubo 3 e mergulhados em um recipiente com água pura ligados entre si por um tubo 4. No osmômetro 1 a solução de sacarose é mais concentrada que a solução do osmômetro 2. A água flui do recipiente para dentro dos osmômetros (1 e 2). Entra água com mais intensidade no osmômetro 1 do que no 2, pois a solução em 1 possui maior concentração de sacarose que a 2, sendo maior a pressão osmótica em 1. Essa diferença de entrada de água vai gerar uma corrente no sentido osmômetro 1 → osmômetro 2. Os osmômetros 1 e 2 são formados por membranas semipermeáveis. Comparando-se o sistema descrito com uma planta viva, é possível afirmar.

a) O osmômetro 2 representa as folhas ou órgãos de reserva com grande concentração de açúcares ( sacarose), local de carregamento de material orgânico.

b) O osmômetro 1 representa as folhas ou órgãos de reserva com grande concentração de açúcares ( sacarose), local de carregamento de material orgânico.

c) O tubo 3 representa os vasos do xilema e o tubo 4 representa os vasos do floema.

d) O fluxo de seiva bruta ocorre unicamente por carregamento no sentido folha raiz.

e) O osmômetro 1 representa os vasos do xilema e o osmômetro 2 os vasos do floema.

12. (CEFET-MG) Analise a figura a seguir.

12

As hemácias e células vegetais, quando colocadas em meios hipotônicos, comportam-se de forma diferente devido a:

a) Porosidade da membrana celular dos dois tipos celulares.

b) Inexistência de núcleo das hemácias representadas em A.

c) Presença de cloroplastos no tipo de célula indicado por B.

d) Existência de parede celulósica nas células vegetais mostradas em B.

e) Diferença de funcionamento da membrana plasmática entre os tipos celulares A e B.

13. (UEA) Hemácias obtidas em uma única coleta de sangue foram distribuídas em três tubos de ensaio. O esquema abaixo representa o início da experiência.

13

Alguns minutos depois foram feitas as seguintes observações:

Tubo I: volume das hemácias inalterado.

Tubo II: volume das hemácias reduzido.

Tubo III: presença de hemoglobina dissolvida na água.

A experiência permite concluir corretamente que as hemácias:

a) São hipertônicas em relação à solução do tubo I.

b) São hipertônicas em relação à solução do tubo II.

c) Sofreriam plasmoptise (hemólise) numa solução de NaCl em água, mais concentrada do que a do tubo II.

d) Têm pressão osmótica igual à da solução do tubo I.

e) Arrebentaram no tubo III porque são isotônicas em relação à água destilada.

14. (OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA.) Quando, através de uma membrana celular (plasmalema), é realizado o transporte simultâneo de duas diferentes substâncias em uma mesma direção, caracteriza-se esse tipo de proteína carreadora, bem como o mecanismo de transporte ativo por ela possibilitado, como um:

a) Antiporte.

b) Uniporte.

c) Simporte.

d) Transporte.

15. É prática comum temperarmos a salada com sal, pimenta-do-reino, vinagre e azeite, porém, depois de algum tempo, observamos que as folhas vão murchando. Isso acontece porque:

a) O meio é mais concentrado que as células.

b) O meio é menos concentrado que as células.

c) O meio apresenta concentração igual à das células vegetais.

d) As células do vegetal ficam túrgidas quando colocadas em meio hipertônico.

e) Por uma razão diferente das citadas acima.

16. (PUC-SP) Duas células vegetais, designadas por A e B, foram mergulhadas em meios diferentes. Logo após, notou-se que a célula A apresentou considerável aumento de volume vacuolar, enquanto a célula B apresentou retração de seu vacúolo e de seu citoplasma. A partir desses resultados, pode-se afirmar que as células A e B foram mergulhadas em soluções, respectivamente:

a) Isotônica e hipertônica.

b) Isotônica e hipotônica.

c) Hipotônica e isotônica.

d) Hipotônica e hipertônica.

e) Hipertônica e hipotônica.

17. (UEMG) Observe a figura abaixo. A representa hemácias mergulhadas em um meio isotônico. Ao serem mergulhadas no meio B, sofreram hemólise.

17

Em relação ao fenômeno ocorrido, pode-se afirmar que:

a) o meio B é hipotônico em relação às hemácias.

b) as hemácias são hipotônicas em relação ao meio B.

c) ocorreu difusão de solutos das hemácias para o meio.

d) a hemólise é provocada pelo transporte ativo de solvente e não tem relação com a tonicidade das soluções.

18. (ENADE) Hemácias humanas foram imersas em duas soluções das substâncias I e II, marcadas com um elemento radioativo, para estudar a dinâmica de entrada dessas substâncias na célula. Os resultados estão apresentados no gráfico abaixo.

18

Com base nesses resultados, pode-se concluir que as substâncias I e II foram transportadas para dentro da célula, respectivamente, por:

a) Transporte ativo e difusão simples.

b) Difusão facilitada e transporte ativo.

c) Difusão simples e transporte ativo.

d) Fagocitose e pinocitose.

e) Osmose e difusão facilitada.

19. (UFSM) Hemácias humanas foram colocadas em um meio com concentrações diferentes. Pelo formato das células I, II e III, sabe-se que os meios se classificam, respectivamente, como:

19

a) Isotônico – hipotônico – hipertônico.

b) Hipertônico – isotônico – hipotônico.

c) Hipotônico – hipertônico – isotônico.

d) Hipotônico – isotônico – hipertônico.

e) Isotônico – hipertônico – hipotônico.

20. (COVEST) Em relação aos transportes através da membrana, não é correto afirmar que:

a) A diferença entre difusão simples e difusão facilitada é que a primeira é um processo passivo, enquanto a segunda é um tipo de transporte ativo.

b) Transporte passivo refere-se ao movimento do soluto da região de maior concentração para a de menor concentração.

c) Transporte ativo é caracterizado por ocorrer contra um gradiente de concentração e “consumir” energia.

d) A osmose é um transporte passivo.

e) A fagocitose é um processo que envolve a ingestão de materiais sólidos em bloco, pela célula.

gab

Publicado por: Djalma Santos | 26 de julho de 2015

TESTES DE CITOLOGIA (1)

01. (UEPG) A figura abaixo ilustra o modelo de mosaico fluido para a membrana plasmática. Com relação à estrutura e funcionamento dessa estrutura, assinale o que for correto.

01

Fonte: Linhares, S.; Gewandsznajder, F. Biologia hoje.

15a ed. Volume 1. São Paulo: Editora Ática. 2010.

01. Em 3 são mostradas as proteínas integrais de membrana e em 4 as proteínas periféricas. Algumas dessas proteínas podem atuar no transporte de substâncias para dentro ou para fora da célula. Outras são moléculas receptoras que se ligam a substâncias extracelulares, desencadeando alguma atividade dentro da célula.

02. Em 1 está representada a parte polar do fosfolipídio e em 2 a parte apolar.

04. A estrutura de bicamada lipídica apresentada em 1 e em 2 é totalmente impermeável ao oxigênio (O2) e gás carbônico (CO2).

08. Os glicídios, mostrados em 5, são formados por pequenas cadeias de monossacarídeos e estão localizados na face externa da membrana. Alguns se ligam a lipídios, formando glicolipídios, enquanto outros se ligam às proteínas, constituindo as glicoproteínas.

Soma das alternativas corretas:

02. (UNCISAL) Células-tronco hematopoiéticas estão envolvidas diariamente com a diferenciação de um grupo de células que formam o tecido sanguíneo e o sistema imune. O processo é desencadeado por meio de sinalizações, que envolvem receptores de membrana plasmática, ligantes e moléculas citoplasmáticas. Isso leva a mudanças no padrão de expressão de genes. Todo esse processo assemelha-se ao que ocorre nas células-tronco embrionárias para o desenvolvimento dos organismos. Moléculas de membrana plasmática, como as adesivas, participam desse processo. Para isso, a concentração delas bem como o tipo de molécula adesiva vão determinar a posição daquela célula dentro de um tecido/órgão. Dadas as assertivas sobre moléculas de adesão dentro do processo descrito:

I. Participam na formação de tecidos/órgãos e na disposição das células nos tecidos.

II. Participam nos mecanismos de migração, como de leucócitos em transmigração endotelial.

III. As caderinas são proteínas de membrana plasmática que participam de junções desmossomiais e adesivas.

IV. As integrinas são proteínas de membrana plasmática que participam de adesões focais e hemidesmossomiais.

Verifica-se que está(ão) correta(s):

a) I, apenas.

b) I e II, apenas.

c) III e IV, apenas.

d) II, III e IV, apenas.

e) I, II, III e IV.

03. (UEG) As células animais apresentam membrana plasmática composta por uma dupla camada de fosfolipídeos, onde são inseridos o colesterol, glicoproteínas e outras proteínas. Sobre a função dessas moléculas na membrana plasmática animal, tem-se o seguinte:

a) Proteínas transmembranares conferem ao citoplasma livre fluxo aquoso.

b) Fosfolipídeos delimitam moléculas aquosas por diferença de afinidade.

c) Glicoproteínas compõem a estrutura rígida e fluida da parede celular.

d) Colesterol atua como fonte de energia para uso da própria célula.

04. (UniEvangélica) Leia o texto a seguir.

As regiões hidrofílicas e hidrofóbicas das moléculas lipídicas comportam-se distintamente. Se em contato com a água, as moléculas lipídicas agregam-se espontaneamente mergulhando suas caudas hidrofóbicas no interior da gota lipídica e expondo suas cabeças hidrofílicas na água.

ALBERTS, Bruce et al. Biologia molecular da célula. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 620.

A importância biológica do fenômeno descrito tem relação direta com a construção:

a) Da bicamada da membrana plasmática.

b) Dos genes, pois formará a dupla cadeia do DNA.

c) Dos feixes de actina e miosina da contração muscular.

d) Das cadeias polipeptídicas, precursoras proteicas.

05. (FACTO) Observe o modelo proposto para a membrana celular a seguir:

05

A presença do colesterol na membrana celular dos organismos eucariotos é responsável por:

a) Manutenção da estabilidade da propriedade de “barreira de permeabilidade” da dupla camada de fosfolípides.

b) Participar do processo de transporte transmembrânico, utilizando ligações com as proteínas carregadoras.

c) Promover aumento na fluidez da membrana plasmática.

d) Participar do deslocamento flip-flop dos lipídios da membrana plasmática.

e) Tornar a bicamada de fosfolípides menos fluida.

06. (MACK) A respeito da membrana plasmática, é correto afirmar que:

a) As moléculas de fosfolipídios são completamente apolares.

b) A fluidez da membrana permite a movimentação das proteínas que fazem parte dessa membrana.

c) Os canais de transporte permanecem abertos o tempo todo.

d) A difusão facilitada é um processo que independe da participação de proteínas.

e) A organização da membrana plasmática é diferente da membrana que forma as organelas celulares.

07. (CEDERJ) Leia e avalie as afirmativas sobre as especializações de membrana.

I. As interdigitações aumentam a área de absorção celular.

II. As microvilosidades aumentam a comunicação entre as células.

III. Os estereocílios são cílios sem mobilidade.

IV. Os desmossomos têm a função de aumentar a adesão entre células vizinhas.

Após a leitura, conclui-se que:

a) Apenas uma afirmativa é correta.

b) Apenas duas afirmativas são corretas.

c) Apenas três afirmativas são corretas.

d) Todas as afirmativas são corretas.

08. (IFMT) Analise os dados apresentados no gráfico a seguir.

08

Uma das alternativas para tratar casos de obesidade tem sido as cirurgias, dentre elas a que torna o intestino delgado mais curto, visando diminuir a superfície de absorção de nutrientes. A capacidade de absorção de nutrientes pelo epitélio intestinal está diretamente ligada a especializações das membranas plasmáticas das células, que o constituem, denominadas:

a) Glicocálix.

b) Microvilosidades.

c) Invaginações.

d) Interdigitações.

e) Desmossomos.

09. (UniEvangélica) Analise a figura e leia o texto.

09

A membrana plasmática é a principal responsável por manter a identidade química da célula; é ela que controla constantemente o tipo de substância que entra ou sai. A membrana plasmática possuí entre 7 e 9 nm de espessura e se caracteriza por ser flexível e fluida, formada pelo que parecem ser três camadas distintas, onde uma camada mais clara está em meio a duas camadas mais escuras. Qualquer tentativa de explicar a estrutura da membrana em termos das moléculas que a compõem equivale a um modelo dessa membrana.

SADAVA, David et al. Vida: ciência da biologia. Vol. 1: célula e hereditariedade. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. p. 98.

Assinale a alternativa que apresenta a descrição do “modelo do mosaico fluido”, proposto por Singer e Nicholson, plenamente aceito pelos cientistas hoje em dia.

a) A membrana é constituída por uma bicamada lipídica na qual estão imersas moléculas de proteínas.

b) A membrana apresenta um gradiente de concentração; assim a célula não gasta energia para o transporte.

c) A membrana apresenta uma bicamada proteica, intercalada por fosfolipídios.

d) A membrana é formada por vesículas que se fundem a elas, possibilitando que seu conteúdo seja lançado para dentro da célula.

10. (ACAFE) A superfície celular sofre algumas diferenciações importantes para o bom desenvolvimento de suas funções e melhor associação com as células vizinhas num mesmo tecido. Nesse contexto, os plasmodesmos são:

a) Estruturas originadas a partir do centríolo com função de motilidade celular.

b) Saliências e reentrâncias que a membrana celular, juntamente com certa porção do citoplasma, descreve para se encaixar perfeitamente à célula vizinha.

c) Expansões digitiformes do citoplasma e membrana plasmática, que aumentam a área de absorção celular.

d) Pequenas aberturas na estrutura das membranas celulares que permitem a comunicação ou a continuidade do citoplasma entre células contíguas, atravessando a parede celular.

11. A membrana plasmática das hemácias humanas é revestida externamente por proteínas e glicídios que atuam no reconhecimento celular dos diferentes tipos de sangue pertencentes ao sistema ABO. Tais moléculas compõem uma região denominada:

a) Desmossomo.

b) Citoesqueleto.

c) Glicocálix.

d) Parede celulósica.

e) Microvilosidade.

12. (UNIOESTE) Relativo aos envoltórios celulares e às diferenciações da membrana plasmática, é correto afirmar.

01. A parede celular em células vegetais é composta por proteínas e está relacionada diretamente com a fotossíntese.

02. O envoltório externo da mitocôndria é descontínuo e contém os tilacoides que são responsáveis pela respiração celular.

04. A membrana nuclear ou carioteca “separa” o núcleo do citoplasma e é constituída por duas camadas lipoproteicas.

08. Através da membrana celular, o transporte ativo de substâncias ocorre contra o gradiente de concentração e com “gasto” de energia.

16. Desmossomos são diferenciações que ocorrem nas membranas de células vizinhas, com a finalidade de aumentar a adesão entre as mesmas.

32. Microvilosidades são diferenciações da membrana celular relacionadas com a eliminação de substâncias em qualquer tipo de célula vegetal.

64. Osmose é o processo que ocorre através da membrana plasmática, onde há passagem de solutos do meio hipotônico para o hipertônico.

Soma das alternativas corretas:

13. (UNINASSAU) As duplas capas lipídicas são o fundamento de todas as membranas biológicas e sua estrutura se ajusta ao modelo de mosaico fluido de Singer e Nicholson (1972).

13

A imagem anterior representa o modelo do mosaico fluido. Sobre a morfologia e o funcionamento da membrana plasmática, identifique a alternativa correta a seguir.

a) A bicamada de fosfolipídios permite a passagem de substâncias indiscriminadamente através de sua estrutura.

b) As proteínas inseridas na bicamada lipídica permitem a passagem de substâncias lipossolúveis (Ex.: glicose) pela membrana.

c) O glicocálix é formado por polissacarídeos ligados a proteínas ou lipídios e tem como uma de suas funções permitir a passagem de substâncias da parte interna para a parte externa da célula.

d) A bicamada lipídica tem uma região polar ou hidrofílica, voltada para periferia da membrana, e uma região hidrofóbica ou apolar, localizada na região central da membrana.

e) O colesterol é componente encontrado em todas as membranas celulares promovendo a elasticidade das mesmas.

14. (UEPG) Com relação à membrana plasmática, assinale o que for correto.

01. Por meio da fagocitose, a célula emite expansões do citoplasma (pseudópodes), as quais envolvem a partícula a ser englobada e a coloca em uma cavidade no interior da célula, denominada de fagossomo.

02. Os protozoários são exemplos de organismos que utilizam a fagocitose em seu processo de alimentação, já nos vertebrados, esse processo é utilizado por algumas células de defesa do organismo contra corpos estranhos.

04. Restos de digestão intracelular podem ser eliminados da célula por meio da pinocitose, quando pequenas bolsas citoplasmáticas (pinossomos) são formadas e expelem para a corrente sanguínea o material não utilizado pela célula.

08. O glicocálice (ou glicocálix) trata-se de um envoltório externo à membrana de células vegetais, constituído por algumas proteínas que formam uma malha protetora, as quais fornecem resistência a esse tipo celular.

16. As microvilosidades são especializações da membrana plasmática, presentes em células do intestino, que funcionam no processo de adesão e comunicação entre as células.

Soma das alternativas corretas:

15. (FCM-PB) As células animais apresentam em sua superfície especializações e envoltórios responsáveis por diversas funções. As especializações de membrana constituem-se em elementos altamente dinâmicos e reguláveis da membrana celular. A disfunção de algumas dessas junções, pode contribuir na etiologia de processos fisiopatológicos. Conhecendo as características dessas especializações, faça a associação entre as estruturas e as características apresentadas no quadro abaixo:

15

Baseado no exposto assinale a alternativa que expõe a associação correta:

a) 1, 2, 3.

b) 2, 1, 3.

c) 3, 2, 1.

d) 3, 1, 2.

e) 2, 3, 1.

16. (UFAM) A figura a seguir mostra uma representação de uma seção transversal de uma membrana plasmática e parte da matriz extracelular. Considere as observações feitas:

16

I. A letra (A) pode indicar uma proteína da matriz extracelular, por exemplo, colágeno, interagindo com uma proteína da superfície celular.

II. A letra (B) pode indicar um pequeno polímero de ácidos graxos formando um polissacarídeo ligado à superfície de uma proteína de membrana.

III. As letras (C) e (D) com certeza indicam as caudas de ácidos graxos dos fosfolipídeos formadores da bicamada lipídica.

IV. A letra (E) pode indicar um conjunto de íons atravessando a bicamada lipídica por osmose.

V. A letra (F) pode indicar um receptor de membrana, pois se trata de uma proteína integral.

Assinale a alternativa correta:

a) Somente as afirmativas I e IV estão corretas.

b) Somente as afirmativas I e V estão corretas.

c) Somente as afirmativas II, III e V estão corretas.

d) Todas as afirmativas estão corretas.

e) Todas as afirmativas estão incorretas.

17. (FPS) Segundo a figura, assinale a alternativa onde se encontram corretamente nomeadas as estruturas da membrana celular.

17

a) (1) glicídios; (2) proteína de membrana; (3) glicoproteína.

b) (1) Fosfolipídio; (2) glicocálix; (3) proteína transmembranar.

c) (1) região hidrofóbica; (2) aminoácidos; (3) proteína multipasso.

d) (1) proteína de membrana; (2) fosfolipídios; (3) glicídio.

e) (1) colesterol; (2) aminoácidos; (3) proteína transmembranar.

18. (UECE) Sobre o modelo mosaico fluido das membranas celulares, é correto afirmar-se que:

a) Os componentes mais abundantes da membrana são fosfolipídios, proteínas e aminoácidos livres.

b) A membrana tem constituição glicoproteica.

c) Lipídios formam uma camada única e contínua, no meio da qual se encaixam moléculas de proteína.

d) A dupla camada de fosfolipídios é fluida, possui consistência oleosa, e as proteínas mudam de posição continuamente, como se fossem peças de um mosaico.

19. (ACAFE) A superfície celular sofre algumas diferenciações importantes para o bom desenvolvimento de suas funções e melhor associação com as células vizinhas num mesmo tecido. Neste contexto, analise o que segue.

PRIMEIRA COLUNA

I. Plasmodesmos

II. Interdigitações

III. Cílios e Flagelos

IV. Microvilosidades

SEGUNDA COLUNA

A. Expansões digitiformes do citoplasma e membrana plasmática, que aumentam a área de absorção celular.

B. Pequenas aberturas na estrutura das membranas celulares que permitem a comunicação ou a continuidade do citoplasma entre células contíguas, atravessando a parede celular.

C. Saliências e reentrâncias que a membrana celular, juntamente com certa porção do citoplasma, descreve para se encaixar perfeitamente à célula vizinha.

D. Estruturas originadas a partir do centríolo, com função de motilidade celular.

A associação que descreve corretamente a primeira coluna com a segunda é:

20

20. (UNITAU) As membranas biológicas são estruturas altamente seletivas e demarcam limites celulares e subcelulares. Pequenas moléculas neutras podem penetrar e atravessar essas membranas por simples difusão, mas a maioria das moléculas e íons dependem de transportadores altamente seletivos para atravessarem as membranas biológicas. Considerando a composição das membranas biológicas, podemos afirmar que a especificidade dos sistemas de transporte está intimamente relacionada com a presença de:

a) Lipídeos.

b) Carboidratos.

c) Proteínas.

d) Porfirinas.

e) Terpenos.

 gab

 

Publicado por: Djalma Santos | 14 de julho de 2015

TESTES DE BOTÂNICA (IV)

01. (UEM) Com relação à fisiologia das plantas, assinale o que for correto.

01. A sensibilidade das células às auxinas é diferente nos vários órgãos das plantas. Assim, os caules são menos sensíveis que as raízes.

02. Em uma peroba com 30 m de altura, a água absorvida chega até à copa por capilaridade.

04. A transpiração estomática é um processo relacionado tanto à fotossíntese (entrada de CO2) quanto ao resfriamento das plantas, mas nunca ao transporte de seiva pelo xilema.

08. Em intensidade luminosa acima do ponto de compensação fótico, a taxa de respiração é menor que a taxa de fotossíntese.

16. Na fotossíntese, a absorção da energia luminosa é realizada por pigmentos localizados no estroma do cloroplasto.

Soma das alternativas corretas:

02. No protonema de um musgo, as células possuem 10 cromossomos. Quantos cromossomos existirão, respectivamente, no cauloide e na cápsula?

a) 10 e 5.

b) 5 e 10.

c) 10 e 10.

d) 10 e 20.

e) 20 e 10.

03. (UECE) Sementes são óvulos fertilizados e desenvolvidos que, embora apresentem diferenças morfológicas entre si, têm como função primordial a perpetuação e a multiplicação das espécies. Atente para as seguintes afirmações a respeito das sementes.

I. A presença de substâncias nutritivas na semente é um fator que favorece a propagação dos vegetais.

II. A semente é uma estrutura vegetal importante, mas no caso das ervas daninhas, a plântula resultante da germinação estabelece uma relação de competição imediata e nociva com a planta-mãe.

III. As sementes são elementos essenciais para uma maior dispersão das espécies.

IV. Somente as sementes produzidas em frutos secos realizam a proteção mecânica do embrião.

Está correto o que se afirma apenas em:

a) I e IV.

b) II e III.

c) I e III.

d) III e IV.

04. (OBJETIVO-SP) A lavoura arrozeira na planície costeira da região sul do Brasil comumente sofre perdas elevadas devido à salinização da água de irrigação, que ocasiona prejuízos diretos, como a redução de produção da lavoura. Solos com processo de salinização avançado não são indicados, por exemplo, para o cultivo de arroz. As plantas retiram a água do solo quando as forças de embebição dos tecidos das raízes são superiores às forças com que a água é retirada no solo.

(H. L. Winkel e M. Tschiedel. Cultura do arroz: salinização de solos em cultivos de arroz. Disponível em: <http://agropage.tripod.com/saliniza.html&gt;.Acesso em: 25 jun. 2010. Adaptado.)

A presença de sais na solução do solo faz com que seja dificultada a absorção de água pelas plantas, o que provoca o fenômeno conhecido por seca fisiológica, caracterizado pelo(a):

a) Aumento da salinidade, em que a água do solo atinge uma concentração de sais maior que a das células das raízes das plantas, impedindo, assim, que a água seja absorvida.

b) Aumento da salinidade, em que o solo atinge um nível muito baixo de água e as plantas não têm força de sucção para absorver a água.

c) Diminuição da salinidade, que atinge um nível no qual as plantas não têm força de sucção, fazendo com que a água não seja absorvida.

d) Aumento da salinidade, que atinge um nível no qual as plantas têm muita sudação, não tendo força de sucção para superá-la.

e) Diminuição da salinidade, que atinge um nível no qual as plantas ficam túrgidas e não têm força de sudação para superá-la.

05. (UFPel) Além do número de cotilédones presentes na semente, as angiospermas monocotiledôneas e as dicotiledôneas apresentam outras características que podem diferenciá-las. Observa as figuras abaixo.

05

Com base nos textos e em seus conhecimentos, é correto afirmar que a sequência de figuras 1 – 2 – 3 – 4 corresponde respectivamente a plantas:

a) Dicotiledôneas – monocotiledôneas – monocotiledôneas – dicotiledôneas.

b) Monocotiledôneas – dicotiledôneas – monocotiledôneas – dicotiledôneas.

c) Dicotiledôneas – dicotiledôneas – monocotiledôneas – monocotiledôneas.

d) Monocotiledôneas – dicotiledôneas – dicotiledôneas – monocotiledôneas.

e) Monocotiledôneas – monocotiledôneas – dicotiledôneas – dicotiledôneas.

06. (PUC-CAMPINAS) Leia o texto abaixo para responder esta questão.

O etanol produzido a partir do sorgo vem suprir uma lacuna na plantação de cana em que a colheita acontece entre abril e novembro. A falta de etanol entre dezembro e março, eleva o preço na entressafra e afasta o consumido que possui carros tipo flex desse combustível. De período curto de crescimento, no máximo em 120 dias, ele é plantado e colhido. O sorgo é uma cultura que pode ser semeada justamente entre novembro ou dezembro, ocupando áreas de renovação da terra na plantação de cana ou na constituição de novas lavouras. Outra vantagem para o sorgo é que o caldo extraído de seus colmos se adapta bem ao processo industrial das usinas de cana onde o etanol é produzido.

(Revista Pesquisaq FAPESP. n. 194, 2012. p. 63)

O sorgo é uma planta cujos feixes libero-lenhosos estão distribuídos irregularmente no caule. Essa característica permite prever que a planta de sorgo também apresenta:

a) Raízes pivotantes e flores trímeras.

b) Folhas com nervuras reticuladas e embrião com 2 cotilédones.

c) Raízes axiais e folhas com bainha desenvolvida.

d) Raízes fasciculadas e endosperma bem desenvolvido.

e) Folhas pecioladas e frutos com 2 ou 5 carpelos.

07. (MACKENZIE) Existem plantas que apresentam autofecundação, mas a maioria tem fecundação cruzada. Considere as afirmações abaixo:

I. Em termos evolutivos, a autofecundação é mais vantajosa do que a fecundação cruzada, pois garante a pureza das características.

II. A polinização por insetos é importante na fecundação cruzada.

III. A fecundação cruzada permite maior variabilidade genética.

IV. A fecundação cruzada só acontece em plantas dioicas (de sexos separados).

Estão corretas, apenas:

a) I e II.

b) I e III.

c) I e IV.

d) II e III.

e) II e IV.

08. (IFNMG) Os nutrientes minerais presentes no solo são absorvidos pelas raízes das plantas em soluções aquosas, por meio dos pelos absorventes. Em plantas herbáceas, as regiões mais velhas das raízes também fazem absorção de água, o mesmo acontecendo em zonas parcialmente suberificadas das raízes de arbustos e árvores. Feita a absorção pela raiz, na zona pilífera ou não, as soluções com os solutos minerais seguem até o lenho, onde iniciam um deslocamento vertical para chegar à copa.

08

Com base no texto e em seus conhecimentos, é correto afirmar que:

a) Os deslocamentos das soluções aquosas podem ocorrer através dos espaços intercelulares (A) ou pelos plasmodesmos de célula a célula (B). As soluções atingem as células de passagem na endoderme (C) e então passam para os vasos do xilema (D).

b) O deslocamento das soluções aquosas pode ocorrer tanto fora (A) quanto dentro (B) das células até a sua chegada aos vasos do xilema em (D), para, a partir daí, seguir rumo à copa da árvore.

c) Entre as células da endoderme (C), existem as estrias de Caspary, que facilitam o fluxo das soluções aquosas por fora das células.

d) Tanto o caminho por entre as células (A) quanto o por dentro das células (B) conseguem levar as soluções aquosas até as células de passagem na endoderme (C). E, a partir daí, para as regiões internas dos vasos do floema (D), que vão se encarregar de enviá-las à copa da árvore.

09. (UNIOESTE) “A polinose é uma doença alérgica estacional devido à sensibilização por grãos de polens alergizantes. Estes encontram-se no ar, durante a época de polinização de determinadas plantas, produzindo rino-conjuntivite e/ou asma brônquica. Em geral, estes polens incitam a doença nos indivíduos sensibilizados em uma concentração aproximada de 50 grãos por m3 de ar. O pólen de gramíneas é, basicamente, a principal causa de rinite estacional na Europa e, também, no sul do Brasil durante os meses da primavera. A introdução de gramíneas com potencial alergizante, que crescem desordenadamente em terrenos abandonados dentro e na periferia das cidades, contribui para o agravamento da doença.”

Texto adaptado. http://www.asbai.org.br/impressao.asp?s=81&id=300.

Com relação aos grãos de pólen, é incorreto afirmar que:

a) Nas angiospermas são produzidos nos estames da flor.

b) Possibilitaram a conquista definitiva do ambiente terrestre pelas plantas.

c) São células que possuem núcleos diploides, resultantes do processo de fecundação.

d) O pistilo é o local da flor onde os grãos de pólen são depositados no processo de polinização.

e) São liberados no meio e podem ser transportados pelo vento ou por animais, processo conhecido como polinização.

10. (PUC-CAMPINAS) De cada um dos troncos de árvores de uma pequena alameda foi retirado um anel completo de sua casca. Depois de certo tempo verificou-se que essas árvores morreram. O primeiro efeito, após a retirada do anel de casca, foi a:

a) Interrupção do fluxo de seiva elaborada para as raízes.

b) Interrupção do fluxo de seiva bruta para as folhas.

c) Morte das raízes por falta de nutrientes orgânicos.

d) Cessação de absorção devido à morte das raízes.

e) Cessação da fotossíntese devido à falta de “matéria-prima”.

11. (UEM) Um pesquisador (biólogo) realizou o levantamento da flora de uma Reserva Biológica. Para melhor compreensão da distribuição da vegetação, ele dividiu a área em três blocos. Os resultados encontrados foram tabulados na tabela a seguir.

11

Com base nos dados da tabela e nos conhecimentos sobre o assunto, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01. As plantas avasculares contribuíram com 30% dos indivíduos amostrados.

02. A média entre os blocos de espécies que não produzem sementes, na área amostrada, foi maior do que 10.

04. O número de indivíduos que produzem frutos, amostrados, respectivamente, nos blocos A, B e C, representa uma progressão aritmética.

08. As plantas que produzem sementes foram representadas por 270 indivíduos.

16. Não pode haver mais do que 22 coníferas nos três blocos.

Soma das alternativas corretas:

12. (PUC-PR) Aproximadamente 95% da água perdida por uma planta é via estômato; o restante da perda de água se dá por transpiração cuticular. Transpiração é a perda de água na forma de vapor. O gráfico a seguir ilustra sucessivas pesagens de uma folha de cidreira recém-destacada do caule. O objetivo das pesagens é avaliar a água perdida por transpiração. Após análise do gráfico, é correto afirmar:

12

a) Em B, os estômatos estão fechados. A partir deste ponto, a transpiração é unicamente estomática, o processo é lento e contínuo na planta, levando a uma pequena inclinação da curva no trecho BC.

b) Em C os estômatos estão abertos e a transpiração estomática é mais intensa que no ponto A.

c) Entre os pontos A e B, a transpiração estomática é principal responsável pela rápida perda de massa da folha.

d) Entre os pontos B e C ocorre redução da transpiração cuticular, mas não da transpiração estomática.

e) Já no primeiro minuto é possível observar que a massa da folha fica estável.

13. (UNISINOS) As plantas terrestres se reproduzem por meio de um processo chamado “alternância de gerações”, que é caracteriza do por uma geração esporofítica, que produz esporos (fase diploide), e uma gametofítica, produtora de gametas (fase haploide). A fase gametofítica é formada por um gametófito que produz, por mitose, gametas masculinos, femininos ou ambos. O esporófito é um organismo diploide que produz esporos por divisão meiótica. Esse ciclo reprodutivo ocorre de acordo com o esquema abaixo:

13

Sobre o processo de alternância de gerações, é correto afirmar que:

a) A formação de gametas através da mitose provoca uma redução no número cromossômico, formando células haploides.

b) A alternância no número cromossômico entre as fases haploides e diploides é determinada pela fecundação e pela meiose.

c) A fecundação é o processo pelo qual indivíduos diploides formam novos indivíduos haploides.

d) O esporófito é um organismo haploide que produz, através de meiose, esporos.

e) A formação de gametas ocorre em todos os organismos que possuem forma de reprodução assexuada.

14. (MACK) A respeito das plantas representadas abaixo, são feitas as seguintes afirmações:

14

I. B e D representam as fases esporofíticas, formadas por células diploides (2n).

II. A e C representam as fases gametofíticas, formadas por células haploides (n).

III. B e C são originadas a partir do zigoto.

IV. Anterozoide e oosfera são produzidos por meiose.

Estão corretas, apenas:

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) I e IV.

e) III e IV.

15. (UEA) Leia o texto.

Vitória-régia ou vitória amazônica

Vitória amazônica, uma das mais lindas plantas aquáticas do mundo, da família das Ninfeáceas tem a folha de formato circular e mede até 1,80 m de diâmetro. Sua flor de cor branca com o centro rosado alcança até 30 cm. Elas possuem várias camadas de pétalas e, no meio, um botão circular onde ficam as sementes. As flores só se abrem de noite e podem ter até 30 centímetros de diâmetro.

(www.portalamazonia.globo.com. Adaptado.)

Esse movimento reversível de abertura e fechamento das flores da vitória-régia é chamado de:

a) Nastismo, e também ocorre na dormideira (Mimosa pudica) que fecha os seus folíolos quando tocados.

b) Tropismo, e pode ser comparado aos movimentos das gavinhas de uma trepadeira, que se enrolam em um suporte.

c) Tactismo, e pode ser comparado ao movimento da flor do girassol, que acompanha a direção de incidência dos raios solares.

d) Vernalização, e é semelhante ao movimento que ocorre na flor da tulipeira, que abre suas pétalas quando a temperatura é alta e fecha quando a temperatura é baixa.

e) Hidrotropismo, e ocorre também nas raízes secundárias de um vegetal que tem seu crescimento orientado em direção a uma fonte de água.

16. (URCA) A figura abaixo apresenta o esquema de uma planta nos primeiros estágios de desenvolvimento. As regiões de produção de novas células e de distensão celular estão representadas, respectivamente em:

16

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

17. (UECE) Leia o texto abaixo:

“Ontem floriste como por encanto, sintetizando toda a primavera; mas tuas flores, frágeis entretanto, tiveram o esplendor de uma quimera. Como num sonho, ou num conto de fada, se transformando em nívea cascata, tuas florzinhas, em sutil balada, caíam como se chovesse prata…”

Sílvio Ricciardi

Fonte: http://epoca.globo.com/especiais/rev500anos/planta.htm

Durante a primavera, a floração de diversas espécies promove um grande espetáculo para os que transitam nas cidades, pois é nessa estação que ocorre uma explosão de cores e formas. Analise as seguintes afirmações sobre a estrutura das flores:

I. O androceu é o verticilo reprodutor masculino, formado por folhas modificadas denominadas estames, cuja função é a produção dos grãos de pólen.

II. O grão de pólen é um micrósporo e representa a função de gameta masculino do vegetal, sendo assim denominado anterozoide.

III. Flores díclinas possuem os dois sexos e por isso são denominadas hermafroditas.

IV. O posicionamento dos óvulos na parede interna do ovário corresponde à posição que ficarão as sementes quando este se transformar no fruto.

Está correto o que se afirma em:

a) I, II, III e IV.

b) I e II apenas.

c) II e IV apenas.

d) I e IV apenas.

18. Que motivo, relativo à reprodução, está relacionado ao fato de as bananas (frutos) não apresentarem sementes?

a) As bananeiras só se reproduzem sexuadamente e seus frutos são partenocárpicos.

b) As bananeiras só se reproduzem sexuadamente e seus frutos são estolhos.

c) As bananeiras só se reproduzem assexuadamente e seus frutos são rizoides.

d) As bananeiras só se reproduzem assexuadamente e seus frutos são partenocárpicos.

e) As bananeiras só se reproduzem assexuadamente e seus frutos são pseudofrutos compostos.

19. (UFG) Leia o texto e observe a figura a seguir, para responder esta questão.

O berimbau é um instrumento musical de origem africana, muito tocado no Brasil em rodas de capoeira. Em sua obra Viagem pitoresca e histórica ao Brasil Jean-Baptiste Debret descreveu o berimbau como segue: “Este instrumento musical se compõe da metade de uma cabaça presa a um arco curvo de bambu, com um fio de latão, sobre o qual se bate ligeiramente. Pode-se conhecer o instinto musical do tocador, que apoia a mão sobre a frente descoberta da cabaça a fim de obter, pela vibração, um som grave e harmonioso”.

Disponível em: <http://www.redetec.org.br/inventabrasil/berimb.htm&gt;. Acesso em: 7 fev. 2012.

19

As estruturas vegetais obtidas da cabaceira, Cucurbita sp., e do bambu, Bambusea sp., utilizadas para fabricar o instrumento musical descrito são, respectivamente:

a) Pseudofruto e estipe.

b) Fruto composto e haste.

c) Fruto verdadeiro e colmo.

d) Infrutescência e tubérculo.

e) Fruto partenocárpico e tronco.

20. (FURG) Uma espécie de determinada família do reino vegetal apresenta raiz axial tuberosa, caule volúvel, folhas pinadas, flores com cálice de 5 sépalas, corola de 5 pétalas, com androceu, gineceu e fruto do tipo drupa. De acordo com essas características podemos afirmar que:

I. A raiz apresenta eixo principal engrossado.

II. As folhas são compostas.

III. As flores são unissexuadas.

IV. O fruto apresenta 1 (uma) semente.

V. A família pertence à classe monocotiledônea da divisão angiosperma.

Quais afirmativas estão corretas?

a) Apenas as alternativas I, II, IV.

b) Apenas as alternativas I, III, IV.

c) Apenas as alternativas I, III, V.

d) Apenas as alternativas I, II, IV, V.

e) Apenas as alternativas II, III, IV, V.

21. (UEM) Existem milhares de espécies de plantas na Terra, diversas delas apresentam adaptações que permitem sua sobrevivência em determinadas condições ambientais. Sobre as adaptações morfológicas, assinale o que for correto.

01. Plantas que apresentam raízes do tipo haustório vivem em ambientes úmidos e necessitam dessa adaptação, que auxilia no processo de respiração.

02. Os caules subterrâneos, classificados em rizoma, tubérculo e bulbo, acumulam reservas nutritivas.

04. Cladódio é um tipo de folha, encontrada em plantas hidrófilas, com função de reservar água.

08. Brácteas são folhas modificadas, encontradas na base das flores ou nas inflorescências, com função de atrair animais polinizadores.

16. Sâmara é um tipo de fruto seco e alado com dispersão por anemocoria.

Soma das alternativas corretas:

22. (UECE) Em um laboratório, sementes de feijão de corda foram embebidas em água destilada e colocadas para germinar em papel germitest, também embebido em água destilada, mantendo-se adequadas as condições de temperatura, umidade relativa do ar e luminosidade. Alguns dias depois, todas as sementes germinaram e produziram plântulas. Cinco dessas plântulas foram, então, transferidas para cinco vasos contendo uma mistura proporcional de terra e adubo, e as outras cinco foram mantidas no papel germitest. Todas permaneceram nas mesmas condições de luminosidade e umidade relativa do ar, sendo aguadas com água destilada. Considerando que as plantas foram mantidas e observadas por algumas semanas nessas condições, assinale a opção que pode explicar corretamente os resultados obtidos.

a) Todas as plantas cresceram em uniformidade, pois são capazes de obter, por meio da fotossíntese, os micronutrientes necessários para sua manutenção até a reprodução.

b) Somente as plantas mantidas em vaso desenvolveram-se, pois, além das substâncias obtidas por meio da fotossíntese, absorveram da mistura de terra e adubo, os macro e micronutrientes necessários para sua manutenção até a reprodução.

c) Todas as plantas (as que estavam no papel germitest somente com água e as que estavam nos vasos com terra e adubo) desenvolveram-se uniformemente, pois absorveram dos seus respectivos meios aos quais foram acondicionadas, os macro e micronutrientes necessários para sua manutenção, via fotossíntese.

d) Somente as plantas em papel germitest cresceram e se desenvolveram, pois apenas nessa condição elas são capazes de obter os micronutrientes necessários para sua manutenção até a reprodução.

23. (UFPel) O Reino Plantae apresenta uma grande diversidade de espécies, que estão divididas em 12 filos. Entre os grupos de plantas mais conhecidos,  podemos citar as Briófitas, as Pteridófitas, as  Gimnospermas e as Angiospermas, que estão  representadas nas figuras abaixo.

AMABIS, J.M.; MARTHO, G.R. Conceitos de Biologia. V.2. São Paulo: Ed. Moderna, 2001 [adapt.].

23

Com base nos textos e em seus conhecimentos, analise as seguintes afirmativas.

I. A fase predominante no ciclo de vida das plantas do grupo B é a gametofítica (haploide), enquanto nas do grupo D é a esporofítica (diploide). O esporo produzido por esse grupo (D), ao germinar, forma o prótalo (gametófito).

II. As plantas do grupo A apresentam como estruturas reprodutivas os estróbilos. Nos microsporângios dos estróbilos masculinos são formados os micrósporos haploides, que se diferenciam originando os grãos-de-pólen.

III. Todos os grupos apresentam alternância de gerações. Entretanto, as plantas dos grupos B e D diferenciam-se das dos grupos A e C por não apresentarem vasos condutores, nem formarem sementes.

IV. As plantas do grupo C diferenciam-se daquelas dos demais grupos por apresentarem dupla fecundação, em que uma célula espermática fecunda o óvulo, formando o embrião (2n), e a outra se une com as células sinérgides e as antípodas, formando o endosperma (3n).

Estão corretas apenas as afirmativas:

a) III e IV.

b) II e III.

c) I e II.

d) I e IV.

e) II e IV.

24. (UEA) A figura apresenta parte da folha de uma planta, vista em corte transversal.

24

Sobre a folha representada na figura, pode-se afirmar que, pertence à uma planta:

a) Aquática, cujas folhas flutuam sobre a água, como a vitória-régia, uma vez que apresenta estômatos na face inferior.

b) De áreas sombreadas ou de penumbra, uma vez que não apresenta parênquimas clorofilados ou vasos transportadores de produtos da fotossíntese.

c) De áreas onde não há restrição hídrica, uma vez que apresenta cutícula na face superior, estrutura responsável por favorecer a perda de água por evaporação.

d) De regiões pantanosas, uma vez que apresenta parênquima paliçádico e parênquima lacunoso bastante desenvolvidos.

e) De regiões áridas, uma vez que apresenta cutícula na face superior e estômatos na face inferior.

25. (PUC-CAMPINAS) A figura abaixo representa o ciclo de vida de certos grupos de seres vivos.

25

Nas faixas de transição entre o mangue e a terra firme, além de árvores ocorrem também samambaias, como a samambaia do mangue. Representando por R uma árvore e por S a samambaia, é correto afirmar que o ciclo de vida acima é válido para:

a) R somente, uma vez que ele ocorre apenas em gimnospermas e angiospermas.

b) S somente, uma vez que ele ocorre apenas em briófitas e pteridófitas.

c) S somente, uma vez que ele é exclusivo para pteridófitas.

d) R e S, uma vez que ele ocorre somente em plantas vasculares.

e) R e S, uma vez que ele ocorre em todos os grupos de vegetais.

26. (UFOP) O abacaxi, o figo, a amora e a jaca são considerados:

a) Frutos simples, pois se originam do ovário de uma flor após a fecundação.

b) Frutos simples partenocárpicos, pois se formam independentemente da fecundação.

c) Frutos, pois se originam do óvulo fecundado.

d) Infrutescências, pois se originam da concrescência de diversos ovários de flores de uma inflorescência.

e) Infrutescências, pois têm origem partenocárpica.

27. (UFSC) As Briófitas, as Pteridófitas, as Gimnospermas e as Angiospermas apresentam em comum um ciclo de vida que ocorre através de alternância de gerações (metagênese), em que uma geração haploide alterna-se com outra diploide. Com relação a esse ciclo e considerando o esquema a seguir, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

27

I   II

0  0 – O esquema representa um ciclo de vida haplobionte diplonte, típico dos vegetais.

1 1 – Os eventos que ocorrem em I e III do esquema correspondem, respectivamente, à meiose e à mitose.

2 2 – Nas gimnospermas  e  nas  angiospermas,  o  esporófito  é originado pela fusão dos gametas masculino e feminino que são, respectivamente, o androceu e o gineceu.

3 3 – Os eventos II e IV  do  esquema  correspondem, respectivamente, à  fecundação  e à germinação.

4 4 – Nas briófitas e nas pteridófitas, a fase gametofítica é duradoura e evidente, e a fase esporofítica, ao contrário, é reduzida e pouco evidente.

28. (UFTPR) Um aluno, durante uma aula prática de microscopia, desenhou células estomáticas túrgidas representadas a seguir. Sobre estas células é incorreto afirmar que:

28

a) Estão presentes nas folhas.

b) Permitem a perda de água sob a forma de vapor.

c) Estão relacionados com a transpiração cuticular.

d) Permitem a entrada de CO2 e a saída de O2 no processo fotossintético.

e) Sua abertura e fechamento estão relacionados com fatores como luminosidade e suprimento hídrico.

29. (COVEST) Os caules subterrâneos e aéreos, ilustrados em 1, 2, 3, 4 e 5, são observados, respectivamente, em plantas de:

29

a) Morango, banana, gengibre, maracujá e cana-de-açúcar.

b) Banana, morango, maracujá, cana-de-açúcar e milho.

c) Milho, batata, banana, maracujá e morango.

d) Morango, gengibre, batata, banana e milho.

e) Maracujá, gengibre, batata, morango e cana-de-açúcar.

30. (UNESP) Analisando os processos sexuados e ciclos de vida das plantas, considere as informações seguintes.

I. Fase gametofítica muito desenvolvida.

II. Fase esporofítica independente da planta haploide.

III. Fase gametofítica muito reduzida.

IV. Fase esporofítica cresce sobre a planta haploide.

V. Sementes não abrigadas.

Pode-se afirmar corretamente que

a) I e II ocorrem nas briófitas e pteridófitas.

b) III e V ocorrem nas angiospermas, mas não nas pteridófitas.

c) IV ocorre apenas nas briófitas.

d) I e V ocorrem nas gimnospermas.

e) II ocorre nas briófitas, mas não nas angiospermas.

gab

 

 

 

Publicado por: Djalma Santos | 26 de junho de 2015

SEGMENTAÇÃO

Denomina-se segmentação ou clivagem o processo específico de divisão mitótica que ocorre no início do desenvolvimento embrionário, durante o qual se verifica aumento do número de células, sem que haja aumento do volume total do embrião. Durante esse período, no qual o embrião vive à custa do vitelo, o zigoto se divide em duas células (primeira clivagem), que se dividem em quatro (segunda clivagem), em seguida em oito (terceira clivagem) e assim sucessivamente. As células resultantes, denominadas blastômeros, são embrionárias, tornam-se menores a cada divisão e o conjunto maciço dos primeiros blastômeros é conhecido como mórula (figura abaixo).

01

 A segmentação não é a mesma para os diversos tipos de ovos, uma vez que a quantidade de vitelo (substância “inerte”), de certa forma, dificulta a clivagem. De uma maneira geral, podemos dizer que a segmentação é tanto mais rápida e mais fácil, quanto menor for a quantidade de vitelo. Assim sendo, nos ovos de distribuição desigual de vitelo, o polo animal (pobre em vitelo) se segmenta mais rapidamente e mais facilmente que o polo vegetativo (rico em vitelo). Nem sempre, também, a clivagem atinge o ovo como o todo. O que define como se processa a segmentação é, em última análise, a quantidade de vitelo, que em excesso pode dificultar e até mesmo impedir a segmentação do ovo, e a sua distribuição no interior do zigoto. Em função disto, podemos considerar dois tipos básicos de segmentação: holoblástica ou total e meroblástica ou parcial.

I. Holoblástica

É aquela em que o zigoto se segmenta completamente (figura a seguir) e ocorre nos ovos alécitos, isolécitos e heterolécitos (ver tipos de ovos, matéria publicada neste blog no dia 30/04/2015).

02

De acordo com o tamanho das células formadas, essa segmentação pode ser subdividida em três grupos:

Ia. Holoblástica igual: quando os blastômeros formados apresentam o mesmo tamanho (figura abaixo), em face de o vitelo ser distribuído de modo homogêneo. Ela ocorre nos ovos alécitos e isolécitos.

03

Ib. Holoblástica desigual: quando as células resultantes apresentam tamanhos diferentes (figura a seguir), em face de o vitelo ser mais concentrado em um polo ovular. Neste caso, os blastômeros são maiores na região do polo vegetativo (mais rico em vitelo), tomando o nome de macrômeros e menores, denominados micrômeros, na região do polo germinativo ou  animal (menos rico em vitelo). Lembramos que o polo animal se divide mais rapidamente.  Esse tipo de clivagem ocorre nos ovos heterolécitos.

04

Ic. Holoblástica subigual: neste caso ocorre a formação de micrômeros e macrômeros. A diferença, entretanto, não é tão acentuada (figura abaixo) como no caso da segmentação total desigual. Esse tipo intermediário de clivagem ocorre nos anfioxos, que apresentam ovos isolécitos.

05

II. Meroblástica

Nos ovos muito ricos em vitelo, a clivagem não atinge as regiões em que ele está concentrado, dai o ovo se clivar parcialmente. Esse tipo de segmentação (figura abaixo) ocorre nos ovos telolécitos e centrolécitos (ver tipos de ovos, matéria publicada neste blog no dia 30/04/2015), que apresentam o vitelo em abundância dificultando a clivagem completa do ovo.

06

Há dois subtipos de clivagem parcial: parcial discoidal e parcial superficial.

IIa. Parcial discoidal: encontrada nos ovos telolécitos. Neste caso, a clivagem se limita a um disco de citoplasma, denominado cicatrícula ou disco germinativo (figura a seguir), contido na região do polo animal, onde não há vitelo. Dessa forma, nem todo o zigoto sofre mitose.

07

IIb. Parcial superficial: observada nos ovos centrolécitos. Neste caso, o núcleo central se divide, e os núcleos resultantes migram para a superfície do ovo (figura abaixo), daí o nome superficial, onde se envolvem de membranas celulares (delimitação das células, pela divisão do citoplasma). Como consequência, forma-se, no citoplasma periférico, uma massa multinucleada, denominada blastoderme periférica, o que caracteriza a periblástula. Em última análise, percebe-se, nesse tipo de segmentação, uma camada de células que fica em torno do vitelo, que permanece no centro. Como se pode constatar, as células embrionárias se dispõem na superfície do ovo.

08

Publicado por: Djalma Santos | 19 de junho de 2015

TESTES DE GENÉTICA MOLECULAR (2)

01. (UECE) A pedra fundamental para a relação funcional entre genes e enzimas foi assentada em 1902 por William Bateson. O estudo do metabolismo da fenilalanina está inserido nesse contexto científico e pessoas que apresentam a fenilcetonúria, ou PKU (de phenyl ketonura) são aquelas acompanhadas de grave retardamento mental e físico. Pessoas com genótipo PP não conseguem produzir a enzima fenilalanina-hidroxilase, o que resulta no acúmulo de fenilalanina no sangue e, por conseguinte, o quadro clínico citado (BURNS; BOTTINO, 1991). Ao ser diagnosticado um bebê com PKU, o procedimento correto a ser feito é:

a) Suprir o bebê com fenilalanina exógena

b) Induzir a excreção da phenyl ketonura.

c) Submeter o bebê a uma dieta pobre em fenilalanina.

d) Submeter o bebê a uma dieta rica em fenilalanina.

02. (UPE) Leia o texto e observe a imagem a seguir:

Entre os mil genes, aproximadamente, que em camundongos abrigam o código para receptores de odorantes (são cerca de 400 em humanos), apenas um está ativo num determinado neurônio, e apenas uma das duas cópias do gene, ou alelos, está ativa. Essa especialização é essencial para o mapeamento dos odores no cérebro – todos os neurônios, que têm sua superfície salpicada por um determinado tipo de receptor, mandam projeções para uma mesma região do cérebro, que reconhecerá o aroma correspondente. Para entender a regulação dos genes responsáveis pela construção dos receptores para moléculas de odor, é necessário analisar, no núcleo dos neurônios, o local onde o material genético tem uma organização espacial precisa, a cromatina, na qual se localizam as duas cópias de cada gene. A heterocromatina constitutiva, concentrada no miolo do núcleo, abriga, pelo menos, um dos alelos em grande parte das células. A heterocromatina facultativa, que, nos neurônios do olfato, também se concentra numa área central do núcleo, compõe uma estrutura em forma de chapéu, em torno da constitutiva. Assim, a organização das heterocromatinas e da eucromatina pode ser diferente para cada tipo de célula, com um impacto importante na atividade genética.

02

Essas informações apontam para aspectos relacionados à regulação dos odores. É correto afirmar, nos termos do texto e com base na figura, que:

a) A forma tridimensional do material genético determina, a cada ciclo celular de cada neurônio olfatório, a formação de diferentes tipos de receptores para moléculas odorantes.

b) A inatividade da eucromatina e a atividade da heterocromatina constitutiva determinam quais RNA transportadores formarão as proteínas receptoras específicas para cada neurônio olfatório.

c) A organização da cromatina é responsável pela capacidade de cada neurônio olfatório produzir, apenas, um tipo de receptor para moléculas odorantes.

d) Cada neurônio olfatório tem, na superfície celular, uma grande diversidade de receptores, capazes de reconhecer moléculas em seu entorno, determinados pela grande compactação da heterocromatina facultativa dos autossomos.

e) No núcleo dos neurônios olfatórios, os cromossomos metafásicos permitem o acesso à transcrição de um dos alelos, de forma aleatória, a cada formação de RNA mensageiros.

03. (UEM) Sobre os ácidos nucleicos, assinale o que for correto.

01. As cadeias de RNA mensageiros são formadas por enzimas que complementam a sequência de bases de um segmento da cadeia do DNA.

02. Uma cadeia polipeptídica é sintetizada por um ribossomo que se desloca sobre o RNA mensageiro desde um códon AUG até um códon de parada.

04. A duplicação do DNA é considerada conservativa uma vez que cada molécula filha é formada pelos filamentos antigos.

08. Todas as fases do processo de síntese proteica ocorrem no interior do nucleoplasma.

16. As ligações existentes entre os nucleotídeos para formação dos polinucleotídeos ocorrem entre a amina de uma unidade e a carboxila de outra.

Soma das alternativas corretas:

04. (FAMERP) A análise bioquímica de uma molécula de DNA de um microrganismo indicou a presença de 35% de nucleotídeos contendo timina. Nessa mesma molécula, as porcentagens dos nucleotídeos contendo guanina, citosina e adenina são, respectivamente:

a) 35%, 15% e 35%.

b) 35%, 15% e 15%.

c) 15%, 15% e 35%.

d) 35%, 35% e 15%.

e) 15%, 35% e 35%.

05. (UEA) A figura ilustra um trecho de uma molécula de DNA.

05

É correto afirmar que:

a) Neste trecho de DNA estão ilustrados oito nucleotídeos, contendo, cada um, uma base nitrogenada, uma pentose e um fosfato.

b) Neste trecho de DNA estão representados quatro códons, cada um responsável por um aminoácido.

c) A transcrição de uma das fitas deste trecho de DNA produzirá um RNAm completamente diferente da transcrição da outra fita.

d) Este trecho de DNA representa um segmento pertencente a um eucarionte, uma vez que nos procariontes o DNA é de fita simples.

e) Este trecho de DNA é considerado um gene, pois contém uma informação completa para a síntese de uma proteína.

06. (UPE) Observe a figura a seguir e as respostas dadas pelos amigos do Menino Maluquinho.

06

Assinale a alternativa que apresenta os itens que respondem corretamente à pergunta do Menino Maluquinho.

a) I e II.

b) I, III e IV.

c) II, III e IV.

d) II e V.

e) III, IV e V.

07. (UEPG) As características morfológicas e fisiológicas de um ser vivo dependem dos tipos de proteínas do seu organismo. Ao comandar a fabricação das proteínas, o ácido desoxirribonucleico (DNA) consegue regular a atividade das células. A informação gênica do DNA é transcrita em ácido ribonucleico (RNA) e posteriormente é traduzida na proteína. Com relação a esses processos e biomoléculas, assinale o que for correto.

01. O RNA é formado por uma única fita polinucleotídica. Nessa fita, a pentose é sempre a ribose e as bases nitrogenadas são a adenina, citosina, guanina e uracila.

02. No processo de duplicação semiconservativo do DNA, a enzima DNA-ligase faz as ligações do tipo pontes de hidrogênio para unir a duas fitas do DNA.

04. O RNA transportador ou de transferência (RNA-t) transporta aminoácidos até o local da síntese da proteína.

08. O RNA ribossômico (RNA-r) carreia os códons (trinca de bases) que serão decodificados em aminoácidos.

16. Em eucariotos, o RNA é fabricado no núcleo, tendo como molde um setor da molécula do DNA (gene), e migra para o citoplasma, onde desempenha sua função na síntese da proteína.

Soma das alternativas corretas:

08. (UDESC) Com base na figura abaixo, em relação à reprodução viral, assinale (V) para verdadeira e (F) para falsa.

08

(  ) A figura representa o ciclo lisogênico de um vírus.

(  ) No ciclo lítico e lisogênico o DNA viral é incorporado ao DNA da célula hospedeira.

(  ) Na etapa 2, o vírus insere seu material genético interrompendo o metabolismo bacteriano.

(  ) Na etapa 3, ocorre a síntese de proteínas que irão compor os capsídeos.

(  ) O ciclo lítico sempre resulta na morte da célula hospedeira.

Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo.

a) V – F – F – V – V.

b) F – V – V – V – F.

c) F – F – V – V – V.

d) F – V – V – F – V.

e) V – F – V – F – V.

09. (PUC-RIO) Considere o código genético apresentado na figura abaixo:

09

Fonte: SNUSTAD, D. ; SIMMONS, M. Fundamentos de genética. 5.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

A sequência abaixo representa a fita codificante de um trecho de DNA procariótico totalmente transcrito e que codifica um peptídeo. Considerando a sequência abaixo e o código genético, o RNA mensageiro e o peptídeo são, respectivamente, compostos por:

5-GTGTACATGAAGTATAGTGCCTTAAAGATCGTACATTAATTT-3

a) 2 nucleotídeos e 14 aminoácidos.

b) 42 nucleotídeos e 11 aminoácidos.

c) 33 nucleotídeos e 10 aminoácidos.

d) 42 nucleotídeos e 10 aminoácidos.

e) 33 nucleotídeos e 11 aminoácidos.

10. (UECE) Atente para a seguinte afirmação, de onde foram extraídas algumas palavras: “As bases nitrogenadas são constituídas por anéis que contêm nitrogênio, uma ___________ e um fosfato. As cinco principais bases nitrogenadas são: adenina, ___________, citosina, ___________ e uracila. As duas primeiras são ___________, e as demais são classificadas como bases ___________.” Assinale a opção que contém as palavras que completam corretamente o enunciado acima.

a) carboxila, guanina, timina, pirimídicas, púricas.

b) pentose, guanina, timina, púricas, pirimídicas.

c) pentose, timina, guanina, pirimídicas, púricas.

d) carboxila, timina, guanina, púricas, pirimídicas.

11. A figura abaixo representa as mutações ocorridas no aminoácido 211 da triptofano sintetase de uma E. coli. Analise-a.

11

Considerando a figura e o assunto relacionado com ela, analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta.

a) O número de substituições é proporcional à funcionalidade da proteína.

b) Serão encontradas bases púricas nos DNAs dos mutantes.

c) O mutante trpA23 apresenta bases nitrogenadas contendo dois anéis.

d) A maioria das substituições ocorridas é de uma base púrica por uma pirimídica.

12. Troca de mitocôndria

Pesquisadores nos Estados Unidos desenvolveram uma técnica experimental com potencial para prevenir distúrbios hereditários passados de mãe para filho por meio do DNA mitocondrial. O estudo foi publicado na quarta-feira (26/8) na edição on-line da revista Nature. De acordo com os autores, da Universidade de Ciência e Saúde do Oregon (OHSU, na sigla em inglês), a técnica deverá resultar no desenvolvimento de uma terapia genética. O objetivo desse tipo de terapia é prevenir doenças sérias em crianças antes do nascimento. “Achamos que essa descoberta em primatas poderá ser em breve transformada em terapias para humanos, com a finalidade de prevenir distúrbios passados de mãe para filho pelo DNA mitocondrial, como certas formas de câncer, diabetes, infertilidade, miopatias e doenças degenerativas”, explicou Shoukhrat Mitalipov, pesquisador da Divisão de Ciências Reprodutivas do Centro Nacional do Oregon de Pesquisa em Primatas da OHSU. “Atualmente, há cerca de 150 doenças conhecidas causadas por mutação do DNA mitocondrial. Aproximadamente uma de cada 200 crianças nasce com mutações mitocondriais”, disse. As mitocôndrias são estruturas encontradas em todas as células, cuja função principal é fornecer energia para o crescimento e metabolismo celular – e, por isso, são frequentemente chamadas de “usinas de energia” da célula. As organelas, que produzem energia para cada célula, individualmente, também carregam em seu interior seu próprio material genético. O novo método desenvolvido pelo grupo norte-americano transfere os cromossomos da mãe para um óvulo doado cujos cromossomos foram removidos, mas que tem mitocôndrias saudáveis, impedindo que a doença passe de mãe para filho. Sobre a mitocôndria, marque a alternativa correta:

a) Uma mutação envolvendo o DNA mitocondrial altera a sequência de nucleotídeos, mas não o código genético da organela.

b) A herança mitocondrial afeta somente filhas de mães portadoras de caráter afetado.

c) O DNA mitocondrial é policistrônico e sofre splicing na transcrição do RNA mensageiro maduro.

d) As mitocôndrias dependem dos ribossomos citoplasmáticos para sintetizarem todas as suas proteínas

13. Leia o quadrinho abaixo.

13

Adaptado de: <http://clubedamafalda.blogspot.com&gt;. Acesso em: 8 jan. 2006

Considere o enunciado abaixo, referente ao significado da resposta de Mafalda, e as três propostas para completá-lo. A expressão direção 5′3′ refere-se:

1. À ligação entre fosfato e açúcar no processo de replicação do DNA.

2. À atividade da enzima RNA polimerase no processo de transcrição do RNA.

3. À união entre os aminoácidos no processo de tradução das proteínas.

Quais propostas estão corretas?

a) Apenas 1.

b) Apenas 2.

c) Apenas 3.

d) Apenas 1 e 2.

e) 1, 2 e 3.

14. Um antibiótico que atua nos ribossomos mata:

a) Bactérias por interferir na síntese de proteínas.

b) Bactérias por provocar plasmólise.

c) Fungos por interferir na síntese de lipídios.

d) Vírus por alterar DNA.

e) Vírus por impedir recombinação gênica.

15. (FCM-PB) A vida pode ser definida como um conjunto de reações químicas organizadas de um modo a permitir que esse conjunto se reproduza. Para dar continuidade de uma geração para a seguinte, o DNA tem que ser quimicamente estável e copiado com precisão durante a replicação. A sequência codificadora de um gene é: 5 – GCGATGCCATCA – 3. Qual é a sequencia da fita complementar desta molécula de DNA?

a) 3 – TACTCCGGTACT – 5.

b) 3 – UACTCCGGTCGT – 3.

c) 5 – TCCGGTCGTUCT – 3.

d) 3 – ACGTGCGGAACT – 5.

e) 3 – CGCTACGGTAGT – 5.

16. (UECE) No mecanismo da transcrição, uma das fitas do DNA (a fita molde) é transcrita em RNA mensageiro pela ação de:

a) Um peptídeo sinalizador iniciador.

b) Dois RNAs ribossômicos acoplados.

c) Uma enzima denominada RNA polimerase dependente de DNA.

d) Uma associação de RNAs ribossômicos com vários RNAs transportadores.

17. (COVEST) Um grupo de cientistas japoneses descobriu mutações em borboletas expostas à radiação na área em torno da central atômica de Fukushima, epicentro da crise nuclear de 2011. A liberação em massa de material radioativo no meio ambiente causou “danos fisiológicos e genéticos” às borboletas Zizeeria sp., comuns no Japão. Este tipo de borboletas tem um ciclo de vida aproximado de um mês, e são excelentes “indicadores ambientais”. Quanto à replicação do material genético e às mutações ocorridas, podemos afirmar o que segue.

I   II

0  0 – A radiação de Fukushima induziu mutações rapidamente nas células de borboletas apenas por se tratar de um animal de curto ciclo reprodutivo.

1  1 – Assim como ocorreu em Fukushima, as mutações sempre são provocadas pelos agentes mutagênicos como a radiação e provocam alterações deletérias.

2  2 – A DNA-polimerase também atua na correção de erros de duplicação.

3  3 – A DNA-polimerase atua de forma unidirecional sobre a dupla hélice de DNA.

4  4 – As mutações do tipo “inserção” ocorrem por inclusão de nucleotídeos na cadeia original, o que pode mudar significativamente o produto final.

18. (UNISSINOS)

18

(Disponível em http://static.hsw.com.br/gif/mutacao-dna-1.jpg. Acesso em 24 set. 2013.)

O ácido desoxirribonucleico (DNA) é um com­posto orgânico cujas moléculas contêm as informações genéticas que coordenam o de­senvolvimento e o funcionamento dos seres vivos, além de transmitirem suas característi­cas hereditárias. A estrutura do DNA é forma­da por um longo polímero de nucleotídeos, cuja cadeia principal é formada por molécu­las de ……………………… e fosfato, intercaladas e unidas por ligações fosfodiéster. Ligada à molécula de açúcar, está uma de quatro ba­ses nitrogenadas (adenina, ………………………, guanina e ………………………). A dupla hélice do DNA é estabilizada por pontes de hidrogênio entre as bases presas às duas cadeias.

As lacunas são corretamente preenchidas, respec­tivamente, por:

a) lipídios – citosina – uracila.

b) açúcares – citosina – timina.

c) proteínas – uracila – timina.

d) lipídios – citosina – timina.

e) açúcares – citosina – uracila.

19. (CEDERJ) Nas células de tecidos em que está ocorrendo uma intensa síntese proteica, é possível visualizar, através de um microscópio eletrônico, uma grande quantidade de estruturas denominadas polissomos, que são formadas pela interação de:

a) RNA transportador e membrana.

b) Proteínas histonas e DNA genômico.

c) Proteínas e complexo de Golgi.

d) RNA mensageiro e ribossomos.

20. (UNIOESTE) A dupla hélice como modelo de estrutura tri-dimensional do DNA foi proposta por Watson e Crick em 1953. Relativo a esta estrutura, é correto afirmar:

01. Que os dois filamentos de DNA estão unidos um ao outro por ligações fosfodiéster.

02. Que a quantidade de bases púricas é igual à quantidade de bases pirimídicas.

04. Que a seqüência de nucleotídeos de um filamento é sempre idêntica à sequência de nucleotídeos do filamento complementar.

08. Que, em uma dupla fita de DNA com 200 pares de nucleotídeos, encontram-se 400 desoxirriboses, 400 grupos fosfatos, 200 bases púricas e 200 bases pirimídicas.

16. Que bases púricas e bases pirimídicas possuem 1 e 2 anéis, respectivamente.

32. Que citosina e timina são bases pirimídicas; guanina e adenina são bases púricas.

Soma das alternativas corretas:

gab

 

 

 

 

Publicado por: Djalma Santos | 11 de junho de 2015

TESTES DE BIOTECNOLOGIA (II)

01. (PUC-RS) Com a participação de pesquisadores da PUC-RS, um projeto de biotecnologia permitiu o nascimen­to da primeira cabra clonada e transgênica da América Latina. Chamada pelos cientistas de Gluca, ela possui uma modificação genética que deverá fazer com que produza em seu leite uma proteína humana chamada glucocerebrosidase, usada no tratamento da doença de Gaucher. A técnica da _________ foi realizada introdu­zindo um _________ humano no núcleo de uma célula de cabra, para que o animal passasse a sintetizar uma proteína humana.

a) clonagem; gene

b) clonagem; RNA

c) clonagem; DNA

d) transgenia; RNA

e) transgenia; gene

02. (CEFET-MG) Para tratar um paciente com leucemia que contraiu AIDS, os médicos fizeram transplantes sucessivos de células-tronco retiradas da medula óssea de um doador imune ao HIV. Esse doador produz células de defesa sem os receptores para a infecção viral. Após o tratamento, o paciente continuou apresentando o câncer, mas não a AIDS.

                      Disponível em: <http://noticias.r7.com&gt;. Acesso em: 06 jan. 2014 (Adaptado).

Nesse caso, a cura mencionada foi atribuída à:

a) Recuperação das defesas do organismo pelo transplante.

b) Impossibilidade de penetração dos vírus nos novos linfócitos T.

c) Ausência de receptores de membrana em células-tronco indiferenciadas.

d) Ocupação dos sítios de proliferação do HIV pelas partículas cancerosas.

e) Reposição dos leucócitos mortos na infecção pela proliferação do câncer.

03. (UNIMONTES) Nos últimos anos, empresas tem investido na comercialização de insetos para controle de pragas. A BUG Agentes Biológicos tem representado o pioneirismo nessa área e se destacado como uma das maiores empresas inovadoras do mundo. O esquema abaixo mostra, resumidamente, como o processo funciona. Analise-o.

03

Considerando o assunto abordado e o esquema apresentado, analise as afirmativas a seguir e assinale a incorreta.

a) As vespas matam a larva da praga antes que nasça e promova uma infestação na cana-de-açúcar.

b) A morte das vespas apos 10 dias de nascimento evita desequilíbrio ambiental.

c) Como esse processo não reduz o uso de inseticidas, os benefícios para o meio ambiente e para o consumidor são pouco significativos.

d) Outras culturas, além da cana-de-açúcar, podem utilizar esse processo no controle de suas pragas.

04. (UFPA) A biotecnologia da fertilização in vitro humana abrange muitos aspectos biológicos e éticos sobre os quais é possível afirmar:

I. É necessária a multiplicação in vitro de espermatozoides e óvulos, separadamente, para que posteriormente, ambas as células germinativas sejam cultivadas juntas em um mesmo recipiente possibilitando a fertilização.

II. Numerosos embriões, obtidos in vitro são implantados no útero da mulher receptora para garantir que ocorra a gravidez por pelo menos um dos embriões implantados.

III. O descarte ou destruição dos embriões excedentes é polêmico, causando conflitos éticos, religiosos e jurídicos, sendo comparados muitas vezes ao aborto.

IV. Esta tecnologia gera a possibilidade de criação de seres humanos programados geneticamente, como, por exemplo, para a seleção de sexo.

V. No Brasil, a Lei nº 11.105/05, Lei de Biossegurança, permite pesquisas com células–tronco embrionárias usando-se embriões excedentes congelados.

Considerando estes aspectos, estão corretas as seguintes assertivas:

a) I, II e IV.

b) II, III e V.

c) II, III, IV e V.

d) I, III, IV e V.

e) Todas as assertivas.

05. (UNEAL) Leia os textos I e II para responder esta questão.

Texto I

Atualmente, as doenças ainda são, em sua maior parte, tratadas de forma ampla, sem considerar as diferenças genéticas entre os indivíduos. Além disso, os tratamentos não levam em conta que uma mesma doença, como o câncer de mama, pode estar associada a genes variados.

Texto II

O biólogo israelense Aaron Ciechanover, laureado com o Nobel de Química de 2004, por elucidar processo de degradação e reciclagem de proteínas, batizou o crescente uso dos testes genéticos para orientar o tratamento de doenças. (ATUALMENTE, …2014).

Marque com V as afirmativas verdadeiras e com F, as falsas.

De acordo com o biólogo israelense Aaron Ciechanover, vivemos a terceira revolução da medicina, que nos levará a um modelo em que as características únicas dos pacientes e das doenças ajudarão a definir seus tratamentos. Sob a luz da biotecnologia e da engenharia genética, essa nova tendência possui vantagens e desvantagens, tais como:

(  ) Tendência à personalização, previsão, prevenção e participação.

(  ) Emprego de tecnologia de sequenciamento genético mais rápida, de alto custo, contanto que seja capaz de sequenciar a totalidade do genoma humano.

(  ) Identificação e caracterização de marcadores moleculares para as várias doenças, assim como o desenvolvimento de drogas que modulem a atividade desses alvos biológicos.

(  ) Dificuldade de se realizarem experimentos em humanos e a ausência de modelos animais confiáveis são considerados obstáculos para o desenvolvimento do uso desse novo método de tratamento.

A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é a:

a) F F V F.

b) F V F V.

c) V V F F.

d) V F V V.

e) V F V F.

06. (UCB) Todos os dias, é possível observar os avanços tecnológicos na área da ciência, tais como a descoberta de pó que pode gerar osso, da celulose de bactéria para regeneração de dentes e das plantas transgênicas, para citar alguns exemplos. Acerca da engenharia genética e da biotecnologia, julgue os itens a seguir.

I    II

0  0 – Entre os objetivos da manipulação genética em plantas cultivadas, está o desenvolvimento de plantas resistentes a insetos.

1   1 – A técnica do DNA recombinante utiliza plasmídios de bactérias e enzimas ligases.

2   2 – Um organismo transgênico é assim chamado, pois recebeu genes de outra espécie.

3   3 – O Projeto Genoma Humano permite constatar o parentesco das espécies, avaliando as diferenças entre seus genes.

4  4 – A terapia gênica atua na correção de defeitos genéticos, substituindo os genes defeituosos, assim como na produção de vacinas.

07. (UniEvangélica-Anápolis) Leia as afirmações a seguir.

I. Todos os organismos que têm reprodução assexuada formam clones.

II. A tecnologia do DNA recombinante consiste, basicamente, em “enxertar” no genoma de um organismo um gene de outra espécie, produzindo um organismo transgênico.

              GRIFFITS, Anthony J. F. et al. Introdução à genética. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. p. 351

A diferença básica entre um organismo clone e um organismo transgênico é a seguinte:

a) O organismo transgênico possui toda a informação gênica dos ancestrais e o clone possui somente a metade.

b) O clone pode se reproduzir constantemente e o transgênico não pode ter seguidas reproduções.

c) As células dos clones se dividem por mitose, a partir da célula inicial, e os transgênicos apenas por meiose.

d) Os clones são geneticamente idênticos ao organismo ancestral e os transgênicos são geneticamente diferentes dos ancestrais.

08. (X OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA)

O infográfico abaixo descreve de forma simplificada a aplicação da terapia gênica. Analise a figura e responda esta questão:

08

Identifique a alternativa que contenha uma doença metabólica que poderia ser combatida através desta terapia:

a) AIDS.

b) Escorbuto.

c) Miopia.

d) Diabetes mellitus.

e) Beribéri.

09. (UEG) As técnicas de engenharia genética podem ser consideradas ferramentas que possibilitam a identificação de pessoas com base na análise do DNA, além de propiciar aconselhamentos genéticos e resolver casos de paternidade desconhecida e problemas criminais. Sobre essas técnicas e sua importância, é correto afirmar:

a) O aconselhamento genético é indicado para casais normais e consanguíneos, em que um dos cônjuges recebeu irradiação ionizante ou fez ingestão de drogas mutagênicas.

b) A terapia gênica, também conhecida como geneterapia, consiste em introduzir genes anormais e recombinantes em pessoas que tenham o alelo que causa uma determinada doença.

c) A identificação de pessoas com base na análise do DNA possibilita um nível de certeza similar ao utilizado nas impressões digitais, ambas as técnicas são conhecidas como DNA fingerprint.

d) A engenharia genética permite alterar a composição gênica dos indivíduos num intervalo de tempo maior, visto que a reprodução seletiva não permite a manipulação de genes.

10. (CEFET-MG) Os avanços na biotecnologia permitem ao homem criar seres transgênicos através da manipulação do material genético. Sobre esses organismos, é correto afirmar que:

a) Possuem ciclo de vida anormal.

b) Causam grande desequilíbrio ambiental.

c) Produzem substâncias de outras espécies.

d) Oferecerem riscos confirmados a saúde humana.

11. (CESGRANRIO) A Lei de Biossegurança tenta regulamentar duas questões polêmicas no Brasil e no mundo: a produção e comercialização de organismos geneticamente modificados e a pesquisa com células-tronco. A esse respeito, analise as afirmações a seguir.

I. Células-tronco são células neutras que ainda não possuem características que as diferenciem como uma célula especializada de um determinado tecido e que podem ser usadas para gerar outro órgão.

II. Os transgênicos são aqueles produtos acrescidos de um novo gene ou fragmento de DNA para que desenvolvam uma característica em particular, como mudanças do valor nutricional ou resistência a pragas.

III. Muitos ambientalistas e alguns pesquisadores receiam que alimentos transgênicos possam prejudicar a saúde humana e modificar o meio ambiente.

IV. O principal objetivo das pesquisas com células-tronco é o seu uso para recuperar tecidos danificados por doenças cardiovasculares, neurovegetativas, diabetes, acidentes cerebrais, traumas na medula espinhal, dentre outras.

Está correto o que se afirma em:

a) I e II, apenas.

b) III e IV, apenas.

c) I, II e III, apenas.

d) I, III e IV, apenas.

e) I, II, III e IV.

12. (UFPB) A tecnologia do DNA recombinante abriu novas perspectivas no melhoramento genético dos organismos. Essa técnica consiste na inserção de um segmento de DNA de uma espécie em outra e, para o seu desenvolvimento, diversas enzimas são utilizadas. Com base na literatura sobre a tecnologia do DNA recombinante, é correto afirmar:

a) As enzimas de restrição identificam o segmento de DNA que será inserido na célula alvo.

b) Os plasmídeos são enzimas importantes para unir as moléculas de DNA.

c) A enzima DNA ligase é importante para inserir o DNA na célula alvo.

d) As enzimas de restrição são utilizadas para cortar a molécula de DNA.

e) O uso de plasmídeos diminui a eficiência das técnicas de manipulação do DNA.

13. (PUCCAMP) Os avanços biotecnológicos fazem-se notar sobretudo no setor agrícola. A cada ano são anunciados os resultados de novos experimentos, tais como manipulação genética para obtenção de sementes mais produtivas e criação de novas linhagens de plantas, levando a um grande aumento na produção de alimentos. Todavia, o problema da fome persiste no mundo. Por que? Em uma discussão sobre o assunto, surgiram as seguintes respostas:

I. Não há igualdade de distribuição de alimentos entre países e dentro de um mesmo país.
II. Em muitas regiões, o aumento da população sobrepuja o aumento na produção de alimento.
III. Pragas atacam e apodrecem alimentos armazenados, impedindo que sejam distribuídos às populações carentes.
IV. A má distribuição de renda deixa boa parte da população humana impossibilitada de comprar alimento.
Estão corretas
a) I e II, somente.
b) I e III, somente.
c) II e III, somente.
d) I, II e III, somente.
e) I, II, III e IV.

14. (UFSM) Bioma é uma região com o mesmo tipo de clima, possui plantas e animais característicos [Planeta Terra: Ecossistemas, 2008]. Mas, como a interferência do homem na natureza é constante, os cientistas criaram uma nova espécie de mosquito da malária modificado geneticamente para não transmitir essa doença e o introduziram na Amazônia. Então, é correto afirmar que:

a) Modificar geneticamente um mosquito não significa alterar o seu DNA.

b) Modificar um organismo geneticamente significa cruzar espécies diferentes.

c) A modificação genética dos mosquitos pode ser feita pelo cruzamento dos mosquitos da malária com outros tipos de insetos, gerando novas combinações.

d) Os ambientalistas defendem o uso da engenharia genética, pois os seus efeitos são totalmente previstos e controlados, não trazendo perigo para a humanidade.

e) Transgenia significa a inserção de um gene de uma espécie diferente em outra espécie.

15. O diabetes tipo I era letal até 1621, quando se descobriu o papel da proteína insulina na regulagem do nível de açúcar no sangue. Desde então, a produção dessa proteína tornou-se um negócio industrial. No início, ela era obtida de animais domésticos, pois difere apenas ligeiramente da insulina humana; numa cadeia com 51 aminoácidos, os porcos diferem em um aminoácido e as vacas em três. Essa pequena diferença, às vezes, é suficiente para provocar efeitos adversos em alguns pacientes, como alergia. A utilização da tecnologia do DNA recombinante, por meio do processo esquematizado a seguir, resolveu esse problema para os diabéticos.

15

De acordo com o texto, o esquema e os seus conhecimentos, é correto afirmar que:

a) A insulina produzida pela bactéria é idêntica à insulina de porcos e vacas, no entanto é mais pura.

b) Os efeitos adversos eram mais comuns quando se administrava aos pacientes a insulina suína.

c) A tradução da insulina humana utilizou aminoácidos, ribossomos e RNAt da bactéria.

d) A insulina produzida pela bactéria é idêntica à obtida em animais como os porcos e as vacas.

e) O processo esquematizado não é possível, pois DNA humano e bacteriano não se recombinam.

16. (UFPEL) O esquema a seguir mostra uma clonagem reprodutiva humana. Nesse processo, o núcleo de uma célula somática de um tenista é retirado, (1), é removido o núcleo de um ovócito, (2) e finalmente é introduzido o núcleo da célula do atleta no ovócito enucleado, (3). Essa nova célula, (4), é transferida para um útero para que se desenvolva e forme um embrião. O embrião se desenvolverá, e o adulto (5) terá praticamente as mesmas características fenotípicas do indivíduo que doou o núcleo, uma vez que o fenótipo é resultado do genótipo (DNA) mais as influências do ambiente. Por muito tempo, o núcleo foi considerado uma organela que apresentava as seguintes estruturas: um envoltório, o material genético (DNA, RNA), o nucléolo e enzimas. Em 1997, porém, cientistas britânicos descobriram uma nova estrutura nuclear, que foi denominada de retículo nucleoplasmático, sendo descrita como uma estrutura membranosa que está envolvida no processo de regulação de cálcio.

                                                                                             “Ciência Hoje”, n0. 195, 2003 [adapt.]

16

Com base no texto e em seus conhecimentos, é incorreto afirmar que:

a) O núcleo é uma organela exclusiva das células eucarióticas. No seu interior, estão presentes várias enzimas, entre elas as envolvidas nos processos de transcrição e replicação.

b) O nucléolo é responsável pela síntese do RNA ribossômico; este – juntamente com proteínas – forma os ribossomos, estruturas importantes no processo de tradução.

c) A função do retículo nucleoplasmático é semelhante à do retículo endoplasmático, que é uma organela citoplasmática.

d) Todo o DNA da nova célula formada na clonagem citada no texto, (4), será a célula doadora do núcleo.

e) O envoltório nuclear é formado por duas membranas, sendo que cada uma delas é composta por duas camadas de lipídios com proteínas inseridas.

17. (FEI) Células-tronco são células primitivas, produzidas durante o desenvolvimento do organismo e que dão origem a outros tipos de células. Os tipos de células-tronco são as:

a) Totipotentes, que produzem as células embrionárias e as extra embrionárias.

b) Oligopotentes, que produzem as pluripotentes.

c) Unipotentes, que produzem vários tipos de células imaturas.

d) Pluripotentes, que produzem somente um tipo de célula embrionária.

18. Tracy foi uma ovelha gerada na Inglaterra em 1992. Ela possui um gene humano para produzir a proteína alfa-1-antripsina e a excreta no leite. A Tracy é:

a) Um clone.

b) Um organismo assexuado.

c) Um híbrido.

d) Um plasmídio.

e) Um organismo transgênico.

19. (UPE) Para responder esta questão leia o texto a seguir:

19a

                Disponível em: http://revistapesquisa.fapesp.br/2013/04/18/pesquisadoresidentificam-ancestral-dos-vertebrados-de-quatro-patas/. Adaptado.

19b

Em relação ao experimento com o uso de transgenia mencionado no texto, assinale a alternativa correta.

a) Os celacantos são considerados transgênicos por possuírem bactérias que permitem a inserção de genes de desenvolvimento de membros nos camundongos.

b) Os camundongos são considerados transgênicos por possuírem, naturalmente, genes de desenvolvimento do celacanto, responsáveis pela ativação de genes codificadores de proteínas relacionadas ao desenvolvimento de membros.

c) Os genes de desenvolvimento de membros nos celacantos ativaram os mesmos mecanismos para o surgimento de membros nos camundongos transgênicos, evidenciando sua ancestralidade comum.

d) Os genes inativos relacionados ao desenvolvimento de membros do celacanto são responsáveis pela ativação de genes inativos codificadores de membros nos embriões de camundongos transgênicos.

e) Os genes do celacanto receberam e incorporaram os nucleotídeos dos genes do camundongo, permitindo o acesso ao genoma do mamífero, que, nesse caso, é um organismo transgênico.

20. (PUCCAMP) Os projetos genomas, que estão sendo desenvolvidos em centros de pesquisas de vários países, empenham-se no momento em descobrir:

a) A interação dos genes.
b) A expressão dos genes, isto é, como eles agem.
c) A sequência exata de nucleotídeos de cada gene.
d) Quais nucleotídeos servem de molde para a síntese de RNAm.
e) Como ocorrem a duplicação e as mutações dos nucleotídeos.

21. (UFSM) Células-tronco são células com capacidade de se diferenciar em vários tipos celulares, e seu estudo pode trazer contribuições importantes para a medicina. Sobre as células-tronco naturais do corpo humano, e correto afirmar:

I. São diploides e originam-se de divisões mitóticas.

II. O padrão de atividade de seus genes determina a diferenciação celular.

III. Para haver diferenciação, e necessário induzir alterações no numero de cromossomos ou na estrutura dos genes.

IV. São diploides, com exceção das células-tronco embrionárias, haploides.

Estão corretas:

a) Apenas I e II.

b) Apenas I e III.

c) Apenas II e IV.

d) Apenas II, III e IV.

e) Apenas III e IV.

22. (UFAM) O projeto do genoma humano, concluído em 2003, foi uma intrépida viagem para o interior do homem. Antes da finalização do projeto, as projeções para o número de genes humanos eram em torno de 100.000. Era evidente que esse complexo vertebrado que foi capaz de enviar uma nave espacial a Marte e escrever Guerra e Paz deveria necessitar de muito mais genes que uma levedura (Saccharomyces cerevisiae) ou uma mosca da fruta (Drosophila melanogaster). Com a conclusão do projeto, diversas informações extremamente relevantes vieram à tona. Uma das questões que foi melhor abordada diz respeito a relação, entre a complexidade do ser humano e o número de genes que ele possui. Sendo assim, é correto afirmar que:

a) Por sermos mais complexos, apresentamos muito mais genes que os demais seres vivos em uma escala evolutiva.

b) Não há relação direta entre a complexidade de um ser vivo e o número de genes codificadores de proteínas que ele apresenta.

c) Os seres humanos compartilham entre si menos que 50% de seus genes, donde se conclui que há razões científicas para a segregação das raças.

d) A complexidade dos seres humanos pode ser totalmente explicada pela idade evolutiva da nossa espécie, visto que espécies mais antigas apresentam um genoma maior.

e) O nosso genoma apresentou muito mais genes do que previamente se esperava encontrar; isso demonstra a relação direta entre complexidade e tamanho do genoma.

23. (UFG) Leia o texto a seguir.

No Brasil, atualmente, existe a Rede BrasilCor, que congrega bancos públicos de cordão umbilical e placentário em todo país, sendo um aliado importante na luta contra as doenças hematológicas como a leucemia.

                           Disponível em: <http://www.inca.gov.br&gt;. Acesso em: 3 set. 2013. (Adaptado).

Para o tratamento dessa doença, é necessário o transplante de medula óssea. O material biológico armazenado nesses bancos pode ser utilizado para esse tratamento, pois é rico em:

a) Glóbulos brancos.

b) Células-tronco.

c) Glóbulos vermelhos.

d) Plaquetas.

e) Macrófagos.

24. (UFMG) Em 1978, registrou-se o nascimento do primeiro bebê gerado in vitro. Desde então, alguns aspectos éticos importantes vêm sendo discutidos em relação às consequências da aplicação de técnicas de reprodução humana assistida sobre o equilíbrio genético de populações humanas. Todas as alternativas apresentam procedimentos que podem alterar esse equilíbrio genético, exceto:

a) Clonagem.

b) Doação de embriões.

c) Seleção de embriões.

d) Seleção de sexo.

25. (UNIOESTE) O esquema abaixo representa o resultado de um exame de paternidade realizado pela técnica de impressão digital de DNA (DNA fingerprint), onde A representa a suposta mãe, B suposto pai 1, C suposto pai 2 e D-E-F são as crianças.

25

Observe a figura acima, analise as proposições e escolha a(s) correta(s).

01. D é filho de A com B.

02. E é filho de A com B.

04. F é filho de A com C.

08. D e E são filhos de A com B.

16. D e F são filhos de C.

32. F é filho de C com outra mulher.

64. B não é o pai de qualquer das crianças.

Soma das alternativas corretas:

26. (UEM) Uma maneira de se obter o clone de um animal é transferir o núcleo de uma célula somática de um animal adulto Y para um óvulo de uma fêmea X da mesma espécie, do qual foi previamente eliminado o núcleo. O embrião resultante é implantado no útero de um animal Z (da mesma espécie), originando um novo indivíduo (clone). Sobre esse assunto, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

I   II

0  0 – O DNA nuclear do clone é igual ao do organismo Y.

1   1 – O DNA mitocondrial do clone é igual ao do organismo X.

2  2 – Clones genotipicamente idênticos terão os mesmos fenótipos por causa da ação do meio.

3  3 – Clones naturais são comuns em esponjas.

4  4 – Clone é o indivíduo originário de outro, de forma assexuada, com o mesmo patrimônio genético.

27. (PUC-SP) Pesquisas recentes indicam que segmentos de DNA dispostos entre os genes nos cromossomos, conhecidos por “DNA lixo”, teriam importante papel na regulação da atividade gênica. Até o momento, sabe-se que tais segmentos podem servir de molde na transcrição de moléculas. Esses segmentos de DNA:

a) São capazes de controlar a produção de RNA e estão presentes em apenas algumas células do corpo.

b) Não são capazes de controlar a produção de RNA e estão presentes em apenas algumas células do corpo.

c) São capazes de controlar a produção de RNA, sendo transmitidos de uma célula às suas filhas no processo de mitose.

d) Não são capazes de controlar a produção de RNA e não são transmitidos de uma célula às suas filhas no processo de mitose.

e) Não são capazes de se replicar nem de controlar a produção de RNA.

28. (PUC-CAMPINAS) Para responder esta questão considere o texto abaixo

A receita mais antiga da história ensina a fazer cerveja e foi escrita na Mesopotâmia, há cerca de 4 mil anos. Desde aquela época, a matéria-prima básica da bebida era a cevada, primeiro cultivo da humanidade. O grão desse cereal é tão duro que, colocado na água, ele não amolece. É por isso que os cervejeiros precisam fazer o malte – um grão de cevada germinado e seco. O embrião da semente produz enzimas que quebram as pedrinhas de amido guardadas ali. Macio, o grão solta na água esse ingrediente energético para formar o mosto. As enzimas também partem o amido em moléculas de maltose, açúcar que vai alimentar as leveduras, a seguir, na fermentação.

                                                                                        (Revista Galileu, outubro de 2012. p. 77)

Dado: Reação global que ocorre na fermentação da maltose:

28

“A Cevada BR 2, criada pela Embrapa-Centro Nacional de Pesquisa de Trigo (CNPT), originou-se a partir de descendentes F3 de duas linhagens puras. A BR 2 é a primeira cevada brasileira resistente a Pyrenophora teres, agente causal da mancha-reticular, principal moléstia da cevada no Brasil.”

(Adaptado de Minella,E.; Arias, G.; Linhares, A.G.; Silva, M.S. − Cultivar de cevada cervejeira resistente à mancha-reticular causada por Pyrenophora teres. Pesq. agropec. bras. v.34, n.11, 1999)

A descrição da cevada BR 2 indica que foi obtida por um processo de:

a) Genômica e de bioinformática.

b) Engenharia genética.

c) Tecnologia de DNA recombinante.

d) Criação de transgênicos.

e) Cruzamento e seleção.

29. (UNIOESTE) “A dengue infecta anualmente cerca de 100 milhões de pessoas no mundo, provocando diversos problemas: desde dores, semelhantes as da gripe, até hemorragia interna, choque e morte. Não existe vacina nem cura para a doença e a principal estratégia da saúde pública é impedir que as pessoas sejam picadas pelo mosquito Aedes aegypti seu transmissor. Entretanto, novas ideias de controle envolvendo a genética estão sendo desenvolvidas. Biólogos da Universidade da Califórnia adicionaram genes que bloqueiam o desenvolvimento dos músculos de voo em A. aegypti fêmeas, responsáveis por picar seres humanos e consequentemente transmitir o vírus da dengue. Assim, sem conseguirem voar, não são capazes de se alimentar do sangue humano, nem de transmitirem o vírus, e acabam morrendo de inanição. Os pesquisadores também adicionaram no DNA do inseto genes para proteínas fluorescentes, que fazem as larvas modificadas brilharem em vermelho e verde, permitindo o acompanhamento da propagação dos genes na população.”

                                    Texto adaptado da revista Scientific American Brasil, ano II, no 11, 2012.

Com base no texto e correto afirmar que:

a) Mosquitos transgênicos, ao se reproduzirem, transmitem os genes inseridos aos seus descendentes.

b) Fragmentos do DNA exógeno são inseridos no genoma de células do aegypti fêmea por meio de plastídios nucleares.

c) Os benefícios dos mosquitos geneticamente modificados justificam sua utilização no meio ambiente e, por isso, não necessitam ser testados.

d) Transgênicos são obtidos por seleção artificial, processo de cruzamentos seletivos conduzidos pelo homem com o objetivo de selecionar características de interesse comercial.

e) Transgênicos são organismos que recebem genes da mesma espécie.

30. (UEG) Além de identificar um número representativo de genes humanos e de outros organismos, os cientistas brasileiros desenvolveram uma estratégia de sequenciamento do genoma de uma bactéria que causa a doença conhecida como “amarelinho” e que atinge as plantações de frutos cítricos no Brasil. A finalidade dos “projetos genômicos” dos diferentes seres vivos permite:

a) Identificar os organismos transgênicos e possibilitar a reprodução sexuada em ambiente natural destes organismos.

b) Reconhecer as mutações como alterações no código genético e os fatores radioquímicos que geraram tais mutações.

c) Identificar a posição de cada gene no cromossomo e estabelecer a sequência de base nitrogenada.

d) Manipular genes, corrigir defeitos no código genético e diminuir os efeitos dos genes letais.

gab

 

 

Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 411 outros seguidores